You are on page 1of 1

Teste Farsa de Ins Pereira de Gil Vicente

(Sequncia 4)

Cenrios de resposta

Grupo I
A
1. Ins Pereira revela-se uma mulher leviana, pronta a entregar-se ao Ermito e a
enganar o marido; comea a enganar o marido quando lhe diz que o Ermito um
anjinho de Deos, pretendendo assim convenc-lo do seu interesse no frade
somente por motivos religiosos; alm disso, vai ao ponto de achincalhar o marido
quando o faz transport-la s costas para atravessar o riacho e ir encontrar-se com
o amante.
2. O riso instaura-se no espetador por vrios motivos. Este excerto tem forte presena
da dimenso satrica porque, por um lado, vemos um frade pronto a pecar; por
outro, uma mulher casada pronta a ser infiel; finalmente, e acima de tudo, um
marido enganado que de nada se apercebe e colabora sem o saber na traio de
que alvo. Todos estes fatores fazem rir, pois so o contrrio da normalidade do
mundo.
3. Este ditado popular concretiza-se nesta farsa no sentido em que Ins pretendeu
casar, num primeiro momento, com algum esperto e sedutor, mas a experincia
correu-lhe mal: o cavalo, o escudeiro Brs da Mata, derrubou-a, castigou-a;
assim, Ins procura e encontra agora um asno, isto , um tolo, Pero Marques,
que lhe permite fazer tudo o que lhe apetece.

B
4. O texto critica uma prtica literria constante das cantigas de amor que consistia no
desenvolvimento do tpico artstico da morte por amor por amor no
correspondido.
5. O humor est presente na anttese ou jogo antittico entre o morrer e o viver, v. 5
da segunda estrofe. Esta anttese comprova bem o carter artificial da expresso
da morte de amor tpica de muitas cantigas de amor.

GRUPO II
1.1 C; 1.2 B; 1.3 C; 1.4 B; 1.5 A; 1.6 D; 1.7 D
2.1 Sonorizao, em ambas as ocorrncias
2.2 Sujeito
2.3 Orao subordinada adjetiva relativa restritiva
1
Edies ASA 2015 Entre Palavras 10 Antnio Vilas-Boas e Manuel Vieira