You are on page 1of 31

2008

Noções Básicas de GPS

Hildebrando Pierre – OMR - MG


Leandro Brilhante - Coordenador
11/12/2008
Noções Básicas de GPS

Prefácio

A Apostila em questão foi desenvolvida apenas com a finalidade de estar treinando os técnicos
de campo da Operadora CLARO, para utilizarem de forma correta a ferramenta de trabalho GPS
de marca GARMIN e modelo ETREX-HCX
Estes técnicos pertencem ao grupo de OMR (Operações e Manutenção de Rede), na qual a
mesma será distribuída gratuitamente e com impressão e distribuição livre e sem fins lucrativos.

Autor: Hildebrando Pierre – OMR – MG


Coordenador: Leandro Brilhante

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 2


Noções Básicas de GPS

Voltando ao Passado....

No dia 23 de agosto de 1499, o navegador italiano Américo Vespúcio acreditava estar


navegando pelas costas das Índias, baseado nos relatos de seu colega e patrício Cristóvão
Colombo. Levava a bordo de sua caravela um Almanaque – livro que lista as posições e os
eventos relacionados aos corpos celestes que previa o alinhamento da Lua com Marte para a
meia-noite daquele dia. Vespúcio esperou até quase o amanhecer para observá-lo. Sabendo
que a referência dos dados contidos no Almanaque era a cidade de Ferrara, na Itália, avaliou a
diferença de tempo entre as duas observações e, com o valor do diâmetro da Terra já
conhecido, pode calcular a que distância se encontrava de Ferrara – sua longitude. Concluiu
que não poderia estar nas costas das Índias e afirmou categoricamente que Colombo havia
descoberto um novo continente. Foi a primeira pessoa, a saber, a verdade sobre o Novo
Mundo. O nome AMÉRICA homenageou-o e perpetuou esse acontecimento histórico.

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 3


Noções Básicas de GPS

Sumário:

INTRODUÇÃO ........................................................................................................................... 5
Estrutura de Funcionamento ............................................................................................ 5
Principais Dicas Para Iniciantes ......................................................................................... 6
Siglas e Termos mais Utilizados......................................................................................... 7
Comandos Básicos ............................................................................................................ 7
Curiosidades do GPS ......................................................................................................... 8
Funcionamento do GPS – 5 Ciclos ................................................................................... 10
SOFTWARES UTILITÁRIOS ....................................................................................................... 12
Map Source .................................................................................................................... 12
Trackmaker .................................................................................................................... 13
GPS ETREX - HCX .................................................................................................................... 14
Teclas do GPS - Etrex ...................................................................................................... 15
Páginas do GPS ............................................................................................................... 17
Informações de Cada Página........................................................................................... 18
WAYPOINT ............................................................................................................................. 20
Marcando um Waypoint ................................................................................................. 20
Buscando um Waypoint .................................................................................................. 21
COMANDO “GOTO”................................................................................................................ 23
ROTAS .................................................................................................................................... 24
Criando e Utilizando uma Rota ....................................................................................... 24
Trackback ....................................................................................................................... 26
CONFIGURAÇÕES BÁSICAS ..................................................................................................... 27
CONECTANDO COM O PC ....................................................................................................... 28
UTILIZANDO O GOOGLE EARTH .............................................................................................. 31

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 4


Noções Básicas de GPS

INTRODUÇÃO

O
GPS é sigla para GLOBAL POSITIONING SYSTEM. Trata-se de um receptor que capta
sinais de satélite capaz de informar nosso posicionamento em qualquer lugar no planeta.
Seu uso é cada vez mais freqüente no dia a dia auxiliando até um motorista a evitar
congestionamentos e a chegar ao destino sem erros.
No campo o GPS tem as mais diversas finalidades: Marcar rotas de navegação, locais
de sites survey, medir a velocidade de deslocamento e o tempo estimado de chagada ao
destino, entre muitas outras. É muito importante que os usuários saibam “dirigir” esta máquina
da eletrônica. É um equipamento com incontáveis recursos, às vezes complexos.
As dicas que daremos a seguir referem-se ao básico. Para dominar o uso do GPS, o
usuário tem que ter o conhecimento básico, nomenclatura e depois adquirindo com o tempo
noções avançadas de utilização de suas facilidades.

Estrutura de Funcionamento

A estrutura de funcionamento é formada por três seguimentos: espacial, de controle e do


usuário.
O funcionamento harmônico destes segmentos permitem encontrar posicionamentos com a
precisão de menos de 15 metros. Isso possibilita navegação segura mesmo em dias de
visibilidade restrita. Alem disso, áreas não conhecidas podem ser exploradas seguindo rotas pré
estabelecidas. Até os pontos mais desconhecidos são encontrados com facilidade.

Os seguimentos:

1. SEGMENTO ESPACIAL:
Formado por 24 satélites, sendo 21 “ativos” e 3 de reserva. São dispostos em 6
órbitas diferentes, a uma altitude de 20.000 km. Cada um deles completa sua
órbita ao redor da Terra em 12 horas. Embora no nível do mar possam ser
captados 12 ou 13 satélites, bastam 4 para determinar uma posição
tridimensional. Ou seja, latitude, longitude e altitude.

2. SEGMENTO DE CONTROLE:
É feito por 6 estações em Terra com comando da estação Master, localizada em
Colocado nos Estados Unidos, e mais 5 estações de monitoramento espalhadas
pelo mundo.

3. SEGMENTO DO USUÁRIO:
Consiste nos receptores e seus operadores, isto é, nossos aparelhos e nossas
interpretações de suas informações. É a parte que mais nos interessa.

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 5


Noções Básicas de GPS

Principais Dicas Para Iniciantes

Existem dezenas de modelos disponíveis no mercado, a escolha deste que estaremos


estudando foi escolhido de acordo com as finalidades e funções que os técnicos estarão
necessitando no seu dia a dia.

Com este GPS estará sendo utilizado em campo pelos nossos técnicos, uma função
importante é que o mesmo é a prova de queda em água.

Nos aviões, barcos de grande porte temos GPS designados e desenvolvidos com
funções proprietárias para estes tipo de uso, e hoje temos GPS de nível de usuário
básico, mas que possuem as mesmas funções básicas destes grandes, ou seja se você
entender um básico, com certeza saberá operar um GPS de maior porte.

Os aparelhos modernos possibilitam interfaces (informações integradas) com


ecobatimetros (sonares) e radares. Estaremos deixando a configuração de nosso GPS
em Inglês, pois a maioria dos sites, informações vem nesta língua e acima de tudo
existem outros GPS que operam somente no Inglês e a prendendo os comandos assim
você abre o leque de possibilidade de trabalhar com outro modelo de GPS.

Caso o uso do GPS seja essencial em áreas desconhecidas, tenha sempre um par de
pilhas a mais juntos com seus equipamentos para não ser surpreendido com o termino
da mesma numa área onde você necessita do GPS com maior intensidade.

Após receber seu GPS, leia com atenção esta apostila e mesmo após o curso, se caso
tiver alguma dúvida entre em contato que estaremos a disposição para ajudá-lo.

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 6


Noções Básicas de GPS

Siglas e Termos mais Utilizados

Abaixo teremos uma lista de siglas que estaremos utilizando no decorrer do estudo desta
apostila, no qual seria ideal a memorização para facilitar nosso aprendizado:

BRG – Rumo

DISTANCE TO GO – Distância até o destino

ETA – Hora estimada para chegada

WAYPOINT – ponto marcado com coordenadas (Latitude e Longitude)

SETUP – Ajustagem

TRK – Trilha ou caminho

TRIP – Distância da Viagem

UTC – Hora média de Greenwich

WGS – Datum eletrônico. No Brasil o certo é o WGS84

Comandos Básicos

Apresentaremos uma lista de comandos básicos que serão detalhados no futuro incluindo telas
e modo de operação:

MENU – Da acesso às opções de escolha

ENTER – Confirma a opção escolhida

MOB – (Man Over Board) – Marca instantaneamente um ponto. Útil para emergência.

PAGE – Troca as telas de visualização

QUIT – Faz a mesma função, mas no sentido inverso

MARK – Marca um ponto, possibilitando estabelecer seu nome ou referência.

IN (Zoom) – aproxima a visualização / aumenta a escala

OUT (Zoom) – afasta a visualização / diminui a escala

FIND – Procura um ponto ou rota

GOTO – inicia rota em direção ao ponto escolhido

NAV – Inicia navegação ou rota pré estabelecida.

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 7


Noções Básicas de GPS

Curiosidades do GPS

O Sistema de Posicionamento Global, conhecido por GPS (Global Positioning


System) ou NAVSTAR-GPS (Navigation Satellite with Time And Ranging), é um sistema
de radio-navegação desenvolvido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos da
América (DoD-Department Of Defense), visando ser o principal sistema de navegação do
exército americano em razão da alta exatidão proporcionada pelo sistema e do alto grau de
desenvolvimento da tecnologia envolvida nos receptores GPS, uma grande comunidade
usuária emergiu nas mais variadas aplicações civis (navegação, posicionamento geodésico e
topográfico, etc.).
O GPS pode fornecer precisa capacidade de navegação tridimensional, em qualquer
parte da Terra, mesmo para usuários submetidos a alta dinâmica. Velocidade e altitude também
podem ser obtidas.Utilizando técnicas diferenciais e minimizando erros, o sistema pode oferecer
a alta precisão requerida em algumas aplicações. Neste trabalho é apresentada uma breve
descrição do sistema GPS e relatadas algumas pesquisas que vêm sendo realizadas na área de
satélites GPS: dinâmica orbital, aplicações geodésicas, determinação de altitude e minimização
de erros na determinação de posicionamento.
A idéia da utilização de corpos celestes para navegação acompanha o homem desde os
primórdios da humanidade, e, ao que tudo indica, este continuará durante muito tempo
utilizando corpos celestes para se orientar, mas, agora, utilizando corpos dispostos
convenientemente no espaço e sob seu inteiro controle.
A navegação astronômica possui sérios inconvenientes, dentre os quais depender da
observação de astros que precisam estar à disposição do usuário em qualquer ponto e a
qualquer hora, e ser imprópria para obtenção, em tempo real, da posição de usuários em alta
dinâmica. Em compensação, uma vantagem deste sistema é que ele pode ser utilizado por
qualquer pessoa habilitada, sem pedir licença para ninguém.
O GPS é um sistema de abrangência global, tal como o nome sugere. A concepção
do sistema permite que um usuário, em qualquer local da superfície terrestre, tenha a sua
disposição, no mínimo, quatro satélites que podem ser rastreados. Este número de satélites
permite o posicionamento em tempo real, conforme será visto adiante. Para os usuários da
área de Geodesia, uma característica muito importante da tecnologia GPS, em relação aos
métodos de levantamento convencionais, é a não necessidade de intervisibilidade entre as
estações. Além disto, o GPS pode ser usado sob quaisquer condições climáticas.
A idéia básica do princípio de navegação consiste da medida das chamadas pseudodistâncias
entre o usuário e quatro satélites. Conhecendo as coordenadas dos satélites num
sistema de referência apropriado, é possível calcular as coordenadas da antena do usuário
com respeito ao mesmo sistema de referência dos satélites. Do ponto de vista geométrico,
somente três medidas de pseudo-distâncias seriam suficientes. A quarta medida é necessária
devido a não sincronização dos relógios dos satélites com o do usuário.
Outros sistemas de navegação modernos que utilizam ondas de rádio também possuem
limitações: as ondas de rádio de alta freqüência proporcionam navegação precisa, mas são
influenciadas pelo relevo, e as ondas de baixa freqüência são pobres em precisão.Também, os
equipamentos utilizados não são de fácil acesso para qualquer usuário. Nas décadas de 60 e
70, a utilização de satélites artificiais introduziu novos sistemas de navegação (TRANSIT,
TIMATION, SYSTEM 621B, NTS), que resolveram alguns desses problemas, mas não todos
simultaneamente.
O caminho para uma solução ampla foi dado através de pesquisas realizadas nas décadas de 70
e 80, pela Força Aérea dos Estados Unidos, que levaram ao desenvolvimento de um sistema de
navegação por satélites denominado GPS (Global Positioning System). Os principais objetivos
do GPS são:
• auxílio à radionavegação em três dimensões com elevada precisão nos cálculos
de posição, mesmo com usuários sujeitos a altas dinâmicas;
• navegação em tempo real;
• alta imunidade a interferências;
• cobertura global, 24 horas por dia;
• rápida obtenção das informações transmitidas pelos satélites.

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 8


Noções Básicas de GPS

No GPS há dois tipos de serviços, os quais são conhecidos corno SPS (Standard
Positioning Service) e PPS (Precise Positioning Service). O SPS é um serviço de posicionamento
e tempo padrão que estará disponível para todos os usuários do globo, sem cobrança de
qualquer taxa (pelo menos nos próximos dez anos). Este serviço proporciona capacidade de
obter exatidão horizontal e vertical dentro de 100 e 140 m respectivamente, e 340 ns
(nanosegundos) na obtenção de medidas de tempo (95% probabilidade).
melhores resultados ( 10 a 20 m), mas é restrito ao uso militar e usuários autorizados. Na
realidade o sistema têm capacidade de proporcionar melhores níveis de exatidão, mas ao
que tudo indica, este não é o interesse do Departamento de Defesa americano, haja vista
que o sistema é global, podendo colocar em risco aspectos de segurança. Desta forma, a
limitação ao nível de exatidão citado acima é garantida pela adoção do AS (Anti-Spoofing)
e SA (Selective Availability). O AS (anti-fraude) é um processo de criptografia do código
P, visando protege-lo de imitações por usuários não autorizados. O SA (disponibilidade
seletiva), ou seja, a proibição de obter a exatidão proporcionada pelo GPS, é consumada
pela manipulação das mensagens de navegação (técnica épsilon: e ) e da freqüência dos
relógios dos satélites (técnica dither-d). Existem 03 possibilidade:

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 9


Noções Básicas de GPS

Funcionamento do GPS – 5 Ciclos

Os princípios básicos por trás do GPS são realmente muito simples ? embora o sistema
por si só empregue alguns equipamentos de maior tecnologia de ponta jamais desenvolvida.
Para entendê-lo vamos decompor o sistema em cinco partes conceituais e estudar cada uma
dessas partes por vez. Vamos começar com as grandes idéias, e ignorar alguns dos detalhes.
Então mais tarde, vamos voltar aos pequenos pontos.

Cada satélite GPS transmite duas ondas portadoras: L1 e L2. Elas são geradas a partir
da freqüência fundamental de 10.23 MHz, a qual é multiplicada por 154 e 120 respectivamente.
Desta forma, as freqüências (L) e os comprimentos de onda (l.) de L1 e L2 são:

L1 = 1575.42 MHz l = 19 cm
L2 = 1227.60 MHz l = 24 cm

Estas duas freqüências são geradas simultaneamente, permitindo aos usuários corrigir
grande parte dos erros devido a refração ionosférica.
Os códigos PRN (Pseudo Random Noise) são modulados sobre estas duas portadoras. Um PRN
é uma seqüência binária (O e 1 ou + 1 e - 1) que parece ter característica aleatória. Como é
gerado por um algoritmo, pode ser univocamente identificado. O código C/A (Coarse
Acquisition) com comprimento de onda por volta de 300 m é transmitido a uma razão de 1.023
MHz e modulado somente sobre a onda portadora L1. O período deste código é 1 milisegundo.
Este é o código a partir do qual os usuários civis obtém as pseudo-distâncias que permitem
obter a exatidão estipulada no SPS.
Este código não é criptografado, embora possa ter sua precisão degradada. O código P
(Precise or Protected) têm sido reservado para uso dos militares americanos e outros usuários
autorizados. Seu comprimento de onda é da ordem de 30 m e é transmitido na razão de 10.23

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 10


Noções Básicas de GPS

MHz (uma seqüência de 10,23 milhões de dígitos binários por segundo) modulado nas
portadoras L1 e L2, com período de 266 dias.
Cada satélite contém o correspondente a 7 dias deste código, ou seja uma semana das
38 possíveis. Desta forma, todos os satélites transmitem na mesma freqüência e podem ser
identificados pela sua (única) semana correspondente. O seguimento do código atribuído a
cada satélite é reiniciado a cada semana às O hs TU (Tempo Universal) do sábado para
domingo. O fato do código P ser modulado numa razão mais alta faz com que o mesmo seja
mais preciso.
No entanto, o código P é encriptado (AS) e passa a ser denominado código Y, o qual
não é disponível para os usuários civis. O sinal GPS básico é ilustrado na figura a seguir. As
mensagens de navegação são também moduladas sobre as portadoras. Tais mensagens
contém os parâmetros orbitais, dados para correção da propagação na atmosfera, parâmetros
para correção do erro dos relógios dos satélites, saúde dos satélites, etc.
Desta breve explanação pode-se observar que há três tipos de sinais: a portadora, os
códigos e os dados (navegação, relógio, etc.). Esta estrutura permite não só medir a fase da
portadora e sua variação, mas também o tempo de propagação. Este último é conseguido pela
modulação da fase (0 ou 180), seguindo um dos códigos PRN.

O sinal L1 pode ser descrito como Spilker,1978:

SL = AP Pi (t) Di (t) sen (w1t ) + Ac Ci (t) Di (t) cos (w1 t)


AP é a amplitude do código P,
Pi(t) é a seqüência do código P (+1, -1),
Di(t) é o fluxo dos dados com estado (+1, - 1),
Ac é a amplitude do código C/A,
Ci(t) é a seqüência do código C/A (+1, -1) e
sen(w1t) é o sinal da onda portadora.

O índice i representa o satélite em questão, O sinal L2 tem uma estrutura mais simples porque
contém apenas o código PSL2 = Bp Pi ( t ) Di ( t )sem (w2 t ).
Nesta equação Pi(t) é novamente a seqüência do código P para o satélite i, enquanto
Bp representa sua amplitude.

O acesso direto ao código P somente é possível para receptores bem sincronizados


com o sistema de tempo GPS e posicionado num ponto com coordenadas bem definidas.
Esta é a razão pela qual, em geral, o acesso é realizado com o auxílio do código C/A via
o HOW (Hand Over Word), o qual contém o contador Z (Z-count) que acompanha as
mensagens dos satélites. O contador Z é definido como um número inteiro, com período de
1.5 segundos, e contado desde o início da semana GPS, identificando desta forma a época
de registro dos dados em tempo GPS. Quando o contador Z é conhecido, a aquisição do
código P pode ser feita nos próximos seis segundos (Sceber, 1993).

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 11


Noções Básicas de GPS

SOFTWARES UTILITÁRIOS

Existem vários softwares free na Internet, para podermos estar utilizando como emulador do
nosso GPS. Estes softwares te darão a possibilidade de estarem armazenando em seu
computador dados como Waypoints, Rotas dentre outros que estaremos estudando no decorrer
deste curso.

Map Source

Juntamente com nosso GPS em questão o ETrex – HCX, vem o software TRIP & WAYPOINTS
MANAGER, do fabricante GARMIN.

Sua Tela Inicial:

Estes sofwares facilitam muito o cadastramento dos dados de todos os técnicos, assim como a
troca de informação entre os mesmos.
Mais a frente estaremos mostrando a facilidade de sincronizar o GOOGLE EARTH com estes
softwares de forma a colocarmos na tela do software o mapa do Google Earth, marcamos
nossos pontos neste mapa e conferirmos On Line no Google Earth a marcação destes pontos ou
vice-versa.

Além deste software da Garmin, chamado de MAPSOURCE, temos outros grande softwares que
nos possibilita até navegação on line, mostrando no PC, sua velocidade, deslocamento e até
com uma simples planilha o usuario pode criar além de suas rotas, o controle de consumo e
distância até o próximo posto de abastecimento.

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 12


Noções Básicas de GPS

Trackmaker

Você também pode conseguir gratuitamente um dos melhores softwares sobre GPS, chamado
de GPS TRACKMAKER do autor Odilon Junior de Belo Horizonte.
Este é um dos softwares que o usuário pode fazer a navegação on line conectando o GPS no
notebook. Esta função é também utilizado por muitas pessoas que vão fazer trilhas e
competições OFF ROAD.

Veja o site abaixo:

http://www.gpstm.com.br
E sua tela inicial é:

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 13


Noções Básicas de GPS

GPS ETREX - HCX

O GPS que estaremos detalhando a partir deste tópico é o GARMIN Serie


Etrex e modelo HCX, com algumas caracteristicas:

Display Colorido
Alimentação com Pilha AA
Conexão USB
Cordão de Transporte
Slot para Cartão de Memória
Software Mapsource
Várias Funções Adicionais
Prova de Queda em Água

O nosso estudo a partir deste momento será focado nas atividades e funções que estaremos
executando com este equipamento, dentre estes o detalhamento do mesmo.

Existem no mercado vários modelos de GPS que são definidos de acordo com sua utilização,
temos GPS para o usuários Aeronáuticos, usuários de Navegação (àgua), usuários de Tracking
(Corrida), e a função que hoje esta em moda de usuários com Navegador de Carro, que indica
a melhor rota e caminho a ser percorrido.

Vale lembrar que o funcionamento básico dos GPSs são os mesmos, mudando apenas a
funcionalidade de cada um deles.

Um dos melhores e mais atualizados fabricantes que temos no mercado de GPS no mundo é a
GARMIN, que possui equipamento para toda a linha de usuário.

Um exemplo da gama de GPS que temos hoje é a linha ETREX do GPS que estaremos utiizando,
nesta linha temos varios modelos que mudam suas funções como exemplo Barômetro para
medir pressão atmosférica, MoonFase, que mostra as fases da lua e melhor época de pesca,
Altimetro para os usuários de almpinismo dentre outros.

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 14


Noções Básicas de GPS

Teclas do GPS - Etrex

Na figura abaixo esta detalhado a posição de cada tecla (Key) e em sequência uma explicação
basica de cada uma de suas funções:

Funções de cada tecla do GPS:

ENTER / ROLAGEM – Esta tecla será utilizada para deslizar entre o menu e ao ser
pressionada executa a função de ENTER (escolha) da posição pré definida.

ZOOM – Com estas teclas, o usuário consegue “aproximar” da tela tendo maiores
detalhes da posição onde se encontra, ou mesmo “afastar-se” tendo um melhor
detalhamento do que se encontra próximo de sua posição.

MENU / PROCURA – Nesta tecla o usuário navega no menu e consegue fazer uma
procura entre os waypoints (estudaremos a frente) e demais informações capturadas
ou pré gravadas no GPS. Sendo um toque, primeira busca, dois toques retorno ao
Menu.

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 15


Noções Básicas de GPS

POWER / LUZ – Esta tecla te dá a função de ligar/desligar o GPS e acionar o modo


luminoso, onde ao pressionar e segurar, o GPS liga/desliga e ao clicar, o mesmo muda
a intensidade luminosa do display.

SAÍDA / PAGE – Com esta tecla o usuário muda as páginas no display, alternando as
mesmas e retorna ao menu anterior no caso do mesmo estar na função menu.

A GARMIN, disponibiliza, cartões personalizados que incluem mapas, rotas e waypoints já pré
estabelecidos de forma a se ter um banco de dados já definido. Muitas empresas com
utilização diversa do GPS criam seu próprio cartão de dados para configurarem seu GPS
de acordo com as funções necessárias a seus funcionários.

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 16


Noções Básicas de GPS

Páginas do GPS

Estudaremos agora cada página do GPS e as informações importantes que podemos retirar de
cada uma delas.

As páginas que aparecerão são:

OBS: Esta página não aparece no nosso modelo de GPS, mas esta demonstrada
aqui como exemplo e pode ser encontrada em outras versões de GPS.

Páginas de Tarefa:

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 17


Noções Básicas de GPS

Informações de Cada Página

Iremos mostrar quais as informações úteis que podemos retirar de cada página para darmos
inicio ao manuseio desta ferramenta e podermos direcionar as mesmas quando necessário.

a) PAGINA DE SATÉLITES

Esta página te da as informações de coordenadas do ponto onde o usuário se encontra


sempre mostradas na seqüência de LATITUDE e LONGITUDE, o número de satélites captado
na região, o nível de sinal dos satélites e a altitude que você se encontra.

Altitude Atingida

Coordenadas

Satélites Captados

Níveis de sinal do satélite.

b) BÚSSOLA E MEDIDORES

Esta página, temos vários campos informativos e medidores que na navegação de


proporcionam informações importantes como: Velocidade, Distância até o próximo destino, Tempo
para chegar no próximo destino, Velocidade média, Voltímetro, dentre outras informações e podem
ser modificados de acordo com o interesse do usuário.

Medidores

Bússola

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 18


Noções Básicas de GPS

c) PÁGINA DE WAYPOINTS

Esta página mostra os Waypoints que temos na memória do GPS, sendo estes criados
ou transferidos de um outro GPS ou software especifico. Mais a frente estaremos discutindo
e mostrando a importância destes waypoints.

Uma informação importante nesta pagina é a distancia de sua posição atual em relação
aos waypoints listados.

d) LUMINOSIDADE

É a página mais simples do GPS, informa o nível de intensidade luminosa que o GPS se
encontra.

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 19


Noções Básicas de GPS

WAYPOINT

Waypoint, são as marcações que o usuário faz no seu GPS, para colocar na sua
memória um ponto no qual queira marcar, ou para retorno ou mesmo no caso de segurança
onde o mesmo possa se perder e tê-lo como referência.

O Waypoint é muito importante para o usuário, pois através dele, o mesmo terá um
posicionamento ou direção pré estabelecida para se localizar. Um exemplo prático seria um
técnico foi executar um site survey em campo aberto e gostaria de poder marcar um
determinado ponto para estudo ou mesmo para informativo de nível de sinal favorável, como o
mesmo poderia fazê-lo no GPS ?

A primeira seria verificando naquele exato momento as coordenadas de Longitude e Latitude e


as anotando, podendo correr o risco de ter uma anotação errada, e a outra mais simples e mais
segura seria executar a marcação do waypoint como estaremos estudando a seguir.

Marcando um Waypoint
Para marcar um waypoint da posição em que vc se encontra no seu GPS, execute os passos
seguintes:

i. Pressione e segure a tecla ENTER


ii. Para aceitar a marcação padrão do Waypoint aperte OK
iii. Para editar, mude os campos e em seguida aperte OK
iv. Terminado .

Para marcar um waypoint de uma posição escolhida no mapa, siga os seguintes passos:

i. Vá até a pagina de mapas


ii. Use a tecla de rolagem para escolher o ponto desejado no mapa
iii. Escolha SAVE e aperte ENTER

Veja as informações importantes desta pagina:

SIMBOLO DO WAYPOINT NOME DO WAYPOINT

DATA E HORA DA MARCAÇÃO

COORDENADAS

ALTITUDE DO WAYPOINT

DISTÊNCIA DA POSIÇÃO

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 20


Noções Básicas de GPS

Buscando um Waypoint

OS Waypoints (wyp) podem ter grupos formados pelo seu símbolo, onde para cada
Wyp, você pode definir um símbolo e para utilizar ou executar uma pesquisa nos waypoints já
gravados na memória do seu GPS, siga os passos abaixo:

i. Pressione e segure a tecla MENU

Escolha WAYPOINTS

ii. Escolha WAYPOINT e tecle ENTER

Lista de WAYPOINTS

Logo depois de escolhido o Waypoint, teremos a tela com todas as informações necessárias do
mesmo. Uma coisa interessante é quando o usuários descarrega os novos WYP no software

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 21


Noções Básicas de GPS

Trackmaker, o mesmo te da as informações de data e horário da criação do mesmo. O mesmo


acontece com as rotas, ao clicar na rota, o usuário tem a posição de deslocamento indicado por
uma seta, a velocidade que se encontrava naquele ponto, o horário e data.

Voltando, segue as informações da tela do WYP:

Símbolo Waypoint Nome do Waypoint

Anotações Necessárias

Elevação Coordenadas

Destino do Waypoint Distancia do Waypoint em


relação a sua posição atual.

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 22


Noções Básicas de GPS

COMANDO “GOTO”

O comando GOTO quer dizer “Vá Para”

Este comando possibilita ao usuário depois de buscado na memória o Waypoint desejado, de IR


PARA o mesmo, e o GPS com referencia na sua posição atual irá traçar uma rota imaginaria até
o Waypoint escolhido e te direcionará para o mesmo através do ponteiro da Bússola.

Veja que o mesmo estará te direcionando em linha reta mostrando sempre a seta para cima
conforme a figura abaixo:

ATENÇÂO: A seta deve sempre ficar apontada para cima, se a mesma se deslocar para direita,
vire sua direção para direita, até que a mesma volte na posição da figura acima, se a seta virar
para esquerda, vire também para esquerda ate conseguir colocá-la na posição da figura.

Se caso a seta ficar para baixo, o usuário estará indo em direção contraria ao ponto escolhido.
Lembre-se que o GPS marca a direção do ponto escolhido em linha reta, se você tiver uma
barreira que o impossibilite, faça o contorno neste ponto e em seguida direcione a seta
indicada.

Veja mais algumas informações que você terá na tela do GOTO:

Velocidade Distância até o ponto destino

Horário no local de Tempo para chegar ao Ponto.

Destino

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 23


Noções Básicas de GPS

ROTAS

As rotas são os traçados que o GPS marca no decorrer de seu deslocamento. È como se o
usuário estivesse “soltando um barbante” desde o ponto de origem até o ponto de destino,
marcando com detalhes toda sua trajetória.

Se o mesmo percorrer um circulo por 3 vezes por exemplo a rota será marcada as 3 vezes, não
deixando nenhum detalhe fora, pois estas informações serão muito importantes num assunto
que estaremos vendo mais a frente de uma função denominada Trackback.

Criando e Utilizando uma Rota

Para criar uma rota, neste caso esta rota vocês estará criando para depois ser ativada e
utilizada, onde o GPS estará te direcionando até o destino, ou também servindo de guia de
deslocamento, como se você soubesse que uma pessoa já havia feito esta rota deixado nela o
nosso antigo “barbante” e assim você o seguindo.

As rotas podem ser salvas depois de você percorrer um percurso, ou mesmo criá-la
antes de percorrer o percurso, utilizando o mapa que aparece no GPS e traçando seus pontos.
Uma outra forma que estudaremos mais a frente é você entrar no GOOGLE EARTH, escolher
um destino e origem, traçar sua rota e depois a colocá-la no GPS através do software GPS
TRACKMAKER mencionado anteriormente.

Para criar ou utilizar uma rota, siga os seguintes passos:

I. Acesse a pagina de rotas através do menu principal e você verá todas as rotas
criadas.

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 24


Noções Básicas de GPS

II. Com a tecla de rolagem, vá até a posição NEW e pressione ENTER, para poder
acessar a página de SETUP de rotas.

III. Vá até a linha tracejada acima, tecle ENTER e aparecerá o teclado para que
você coloque o nome da rota que você esta criando, uma idéia seria colocar o
nome de origem e destino.

IV. Mova o cursor até a mensagem < Select Next Point > e aperte ENTER.

V. Use o menu de procura para poder escolher o WAYPOINT de destino, ou vá até


o MAPA e escolha o local desejado, depois escolha a posição USE e pressione
ENTER para adicionar este ponto.

VI. Para adicionar mais pontos a sua rota, repita o processo acima, mas vale
lembrar que quanto maior o numero de pontos e mais detalhada sua rota, mais
especifica ela fica.

VII. Quando você estiver terminado a criação de sua rota, vá até a NAVIGATE e
pressione ENTER para iniciar sua navegação nesta rota.

VIII. Siga as instruções que o GPS irá te passar ao decorrer da navegação.

IX. Para parar a navegação a qualquer tempo, pressione MENU, escolha Stop
Navigation, e pressione ENTER. A rota será salva automaticamente na sua Lista
de Rotas.

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 25


Noções Básicas de GPS

Trackback

Uma função muito importante no GPS, vamos dizer uma das mais importantes é o chamado
TRACKBACK, que nada mais é que o “Voltar Atrás” que seria o usuário retornar pelo mesmo
caminho que veio, ou seja pegar o nosso “barbante” e retornar para trás, sendo que se na ida
ele deu aquelas 3 voltas em circulo, terá que as repetir no retorno.

Para utilizar este recurso vamos fazer um exemplo:

Suponhamos que um técnico de campo está marcando um local para colocar um BTS, e no
caminhar no meio do campo, o mesmo queira voltar a sua origem ou mesmo esteja perdido,
ele, já tem uma base que é feita automaticamente no GPS, que é o traçado do seu
deslocamento, e a qualquer momento ele pode acionar a tecla MENU duas vezes, escolher
TRACKS e depois TRACKBACK e imediatamente o GPS cria uma rota virtual e te posiciona com
a tela de Bussola, na qual você devera seguir a seta a colocando sempre na posição para cima
como estudado anteriormente.

Você também terá todas as informações de tempo restante até seu destino, qual o horário local
do seu destino, qual o horário de por do SOL, Nascer do SOL, Velocidade média dentre outros
medidores que podem ser modificados.

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 26


Noções Básicas de GPS

CONFIGURAÇÕES BÁSICAS

Vamos agora definir algumas configurações básicas que irão facilitar o manuseio e o
entendimento do nosso GPS. O GPS que estaremos configurando é o Etrex Legend HCX da
Garmin.

a) Estaremos utilizando a linguagem default “English” pois conforme já descrito


anteriormente a idéia é acostumar o usuário com a nomenclatura internacional assim
sendo podendo o mesmo estar utilizando qualquer outro GPS.

a) Configuração de Sistema:

i) Vá até a tela MAIN MENU e aperte ENTER


ii) Escolha a tela SETUP e tecle ENTER
iii) Escolha SYSTEM e tecle ENTER
iv) Em SYSTEM SETUP deixe as seguintes configurações:
(1) GPS – Normal
(2) WAAS – Disable
(3) Battery Type – Alkaline
(4) Text – English
(5) External Power – Turn Off
(6) Proximity Alarms – On

b) Configuração de Unidades:

i) Vá até a tela MAIN MENU e aperte ENTER


ii) Escolha a tela SETUP e tecle ENTER
iii) Escolha UNITS e tecle ENTER
iv) Em UNITS SETUP deixe as seguintes configurações:
(1) Position Format – hddd° mm´SS.s”
(2) Map Datum – WGS 84
(3) Distance/Speed – Metric
(4) Elevation – Meters
(5) Depth – Meters

c) Configuração de Horas (Time):

i) Vá até a tela MAIN MENU e aperte ENTER


ii) Escolha a tela SETUP e tecle ENTER
iii) Escolha TIME e tecle ENTER
iv) Em TIME SETUP deixe as seguintes configurações:
(1) Time Format – 24 Hours
(2) Time Zone - Brasilia
(3) UTC Offset - -03hrs 00min
(4) Daylight Saving Time - Auto

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 27


Noções Básicas de GPS

CONECTANDO COM O PC

Para conectar seu GPS no PC ou notebook, siga os passos abaixo, para que sua
conexão não tenha problemas e a troca de informações utilize os protocolos compatíveis:

a) Antes de conectar seu GPS no PC, instale o software que veio com o mesmo.

b) Entre no site http://www.gpstm.com.br baixe o software e instale.

c) Abra o software GPS Track Maker e verá a tela:

d) Conecte o cabo primeiramente no GPS e em seguida no PC

e) Vá à guia GPS e clique em Interface Garmin ou tecle F8 conforme tela abaixo:

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 28


Noções Básicas de GPS

f) Na tela seguinte clique em “Identificar” E do lado esquerdo irá aparecer o nome do GPS
conectado, caso isto não ocorra verifique se o cabo esta bem conectado e tente
novamente.

Capturando Arquivos do GPS


Depois de já estabelecida a conexão entre o GPS e o PC, vamos executar a
transferência de dados do GPS para o PC. Estes dados são de grande importância para seu
banco de dados de forma a ter as informações gravadas no seu HD, podendo serem
pesquisadas quando necessário e ainda podendo as mesmas serem transferidas para um outro
GPS. Siga os seguintes passos:

Na tela seguinte clique em CAPTURAR e em seguida escolha ou Tudo, ou Waypoints,


ou Trilha o que for necessário.

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 29


Noções Básicas de GPS

Depois é só salvar os dados. Uma dica seria nos casos de rota colocar o nome com as
abreviações de origem e destino e a data do arquivo como por exemplo, supondo uma
rota entre Contagem e Belo Horizonte, o nome seria: CTG-BHE-29-09-08

Transferindo dados do PC para o GPS


Uma outra função que temos é a transferência de dados já salvos no PC para o GPS,
podendo os mesmos terem sido enviados por email, coletados de um outro arquivo ou ainda
fornecidos por um outro usuário. Mais a frente vamos dar exemplos de como marcar no Google
Earth e transferir uma rota para o GPS. Siga as instruções abaixo:

Na tela seguinte clique em ENVIAR e em seguida escolha ou Tudo, ou Waypoints, ou


Trilha o que for necessário.

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 30


Noções Básicas de GPS

UTILIZANDO O GOOGLE EARTH

Uma outra ferramenta de fácil acesso e muito importante é o Google Earth.

Nele o usuário poderá encontrar um destinado local, transferir a imagem para o GPS
TRACKMACKER e assim traçar sua rota real.

Da mesma forma, ao baixar uma trilha do seu GPS, na qual já foi utilizada, você pode vê-la
diretamente no Google Earth da seguinte forma:

- Selecione com o mouse toda a trilha escolhida.

- Com a trilha já selecionada, clique no globo mostrado na figura abaixo.

- Automaticamente abrirá o Google Earth e aparecerá sua trilha no mesmo.

OBS: Para que esta facilidade seja executada sem nenhum problema, o usuário já deve ter pré-
instalado o Google Earth em sua maquina e no momento da transferência da rota estar
conectado a internet.

________________________________

OMR/MG – Dezembro de 2008

Hildebrando Pierre – OMR-CLARO-MG Página 31