You are on page 1of 3

Ficha informativa

RECURSOS ESTILÍSTICOS1

COMO TODO O TEXTO BARROCO, O “SERMÃO DE SANTO


ANTÓNIO AOS PEIXES” É RIQUÍSSIMO NA UTILIZAÇÃO DE
RECURSOS ESTILÍSTICOS.

Alegoria – Série de metáforas, comparações e imagens. É um


recurso retórico-estilístico em que se fazem corresponder, de modo
minucioso e sistemático, um nível de significados literais e um nível
de significados figurados. A alegoria pode ser considerada como
uma metáfora ou como uma comparação prolongadas, devendo o
seu intérprete descobrir sob os significados literais e patentes, que
em si mesmos têm coerência, outros significados, significados de
outra ordem.
Igualmente alegórico é este extracto do Sermão de Santo António aos
Peixes, do Pe. António Vieira:
"O polvo, com aquele seu capelo na cabeça, parece um monge; com aqueles
seus raios estendidos, parece uma estrela; com aquele não ter osso nem
espinha, parece a mesma brandura, a mesma mansidão." O polvo aparece
aqui como uma notável representação alegórica da hipocrisia com que se
mascara o ser humano e, em particular, alguns membros da igreja.

Anáfora – Repetição de palavra ou expressão em início de


período, frase ou verso.
Ex: “Quantos, correndo (...) quantos, embarcados (...) Quantos, navegando (...)”
(Cap.III, Sermão de Santo António aos Peixes)
“Louvai a Deus, (...) louvai a Deus (...)” (Cap. VI, Sermão de Santo António aos
Peixes)

Antítese – Figura que põe, lado a lado, palavras ou ideias


antagónicas.
Ex: Céu/ Terra; Bem/ Mal; Céu/ Inferno.

Apóstrofe – Interpelação a alguém ou alguma coisa


personificada.
Ex: “Olhai, peixes, lá do mar e da terra (...)” (Cap. IV, Sermão de Santo António aos
Peixes)
“Vê, voador, (...)” (Cap.V, Sermão de Santo António aos Peixes)
“Peixes, dai muitas graças a Deus (...)” (Cap. VI, Sermão de Santo António aos
Peixes)

Comparação – Figura por meio da qual se confrontam duas


realidades distintas para fazer realçar a sua semelhança.
Ex: “O polvo com aquele seu capelo na cabeça parece um monge, com aqueles
seus raios estendidos, parece uma estrela (...)” (Cap. V, Sermão de Santo António
aos Peixes)

1
Definições retiradas de:
a) FIÚZA, Mário. Introdução ao Estudo do Texto Literário, Porto Editora.
b) CARMO, Mário e DIAS, M. Carlos. Introdução ao Texto Literário, Didáctica Editora.
Enumeração – Apresentação sucessiva de vários elementos
(frequentemente da mesma classe gramatical).
Ex: “(...) na terra pescam as varas (...) pescam as ginetas, pescam as bengalas,
pescam os bastões (...)” (Cap. III, Sermão de Santo António aos Peixes)
Exclamação – Figura pela qual se exprimem sentimentos de
admiração, espanto, alegria, susto, indignação, sob forma
exclamativa.
Ex: “Oh alma de António, que só tivestes asas e voastes sem sem perigo, porque
soubestes voar para baixo e não para cima!” (Cap.V, Sermão de Santo António aos
Peixes)

Gradação – Encadeamento de palavras ou ideias numa ordem


progressiva (ascendente) ou regressiva (descendente).
Ex: “(...) da boca ao anzol, do anzol à linha, da linha à cana e da cana ao braço do
pescador.” (Cap. III, Sermão de Santo António aos Peixes)
“ Come-o o meirinho, come-o o carcereiro, come-o o escrivão, come-o o
solicitador, come-o o advogado (...)” (Cap. IV, Sermão de Santo António aos Peixes)

Interrogação Retórica – Pergunta formulada, não para


se obter uma resposta, mas para realçar as ideias do discurso.
Ex: “Parece-vos bem isto, peixes?” (Cap. IV, Sermão de Santo António aos Peixes)
“Fizera mais Judas?” (Cap.V, Sermão de Santo António aos Peixes)

Metáfora – Comparação abreviada pela omissão da conjunção


comparativa.
Ex: “(...) às águias que são os linces do ar (...) e aos linces, que são as águias da
terra (...)” (Cap. III, Sermão de Santo António aos Peixes)

Também podemos encontrar a Ironia (em


determinadas passagens do texto).