You are on page 1of 12

O esporte, entendido no seu sentido moderno, teve origem na Inglaterra.

Na Grã-Bretanha,
como também nos demais países do velho continente, desde a época do renascimento,
existiam duas categorias de exercícios físicos. Alguns eram praticados por aconselhamento
médico, visando a conservação da boa saúde, outros eram executados pela aristocracia
como forma de recreação e passatempo, para ocupar o tempo livre. Os exercícios físicos e
os jogos, próprios da nobreza, como esgrima, equitação e canoagem, foram designados por
uma única palavra “esportes”.

Na Inglaterra, no final do século XIX, já se começava a falar de Baden Powell, um


oficial da sua Majestade britânica que desenvolveu um estudo sobre os jovens, privados de
toda básica preparação moral, cívica e física. Graças a este oficial nasceu o movimento
Scout ou “scoutismo” que teve, e tem ainda, muitos adeptos, seja na Inglaterra ou no
mundo inteiro. Baden Powell verificou a necessidade de uma adequada preparação física e
militar para a juventude.

O objetivo principal do escotismo era de adestrar os jovens, desde os primeiros anos, a


uma sadia vida física e de prepará-los ao dever de um bom cidadão. A finalidade era
desenvolver nos adolescentes um alto sentimento de honra, suscitar o espírito de iniciativa,
responsabilizá-los, enrobustecer o corpo nos acampamentos e nos exercícios físicos
adequados.

As exercitações deviam ser feitas ao ar livre, nos bosques, sobre os montes, ao longo das
estradas. Devia-se levar uma vida ativa passada ao ar livre, junto com os companheiros,
em direto contato com a natureza, longe da cidade sem todas aquelas necessidades e
vantagens da vida civilizada.

Baden Powell deu muita importância à vida ao ar livre e considerou o acampamento uma
escola insuperável para os jovens. Estes aprendiam implantar o campo, descobrir pistas,
recolher lenha, preparar a alimentação, fazer limpeza, reconhecer animais e plantas.

O movimento escoutista foi acolhido com grande fervor e a sua difusão foi muito rápida.
Da Inglaterra, difundiu-se em todo o mundo e entre todas as confissões religiosas.

*Foi no decorrer das suas constantes viagens como professor


que
efectuava aos colégios ingleses e americanos que Pierre de
Coubertin
pensou na proposta de alteração do sistema de educação em
França.
Ambicionava incluír no programa escolar, o desporto, que
acreditava ser
um aspecto importante no desenvolvimento individual dos
jovens.*

*Foi após ter realizado uma competição internacional para


promover o
atletismo e à mercê do crescente interesse internacional nos
jogos
olímpicos da antiguidade, em parte devido às recentes
descobertas
arqueológicas nas ruínas de Olímpia, o barão de Coubertin
concebeu um
plano para fazer reviver os Jogos Olímpicos.*

*Para divulgar o seu projecto, organizou um congresso


internacional em
23 de Junho de 1894 na Sorbonne em Paris. Aí propôs que
fosse
reinstituída a tradição de realizar um evento desportivo
internacional
periódico, inspirado no que se fazia na Grécia antiga. Este
congresso
levou à constituição do Comité Olímpico Internacional, do
qual o barão
de Coubertin seria secretário geral. Foi também decidido que
os
primeiros Jogos Olímpicos da era moderna teriam lugar em
Atenas, na
Grécia e que a partir daí, tal como na antiguidade, seriam
realizados a
cada quatro anos (uma Olimpíada).*

*Dois anos depois realizaram-se os Jogos Olímpicos de Verão


de 1896, que
foram um sucesso.*

A*pós os Jogos de 1896, Demetrius Vikelas presidente do COI


demitiu-se
do cargo e Pierre de Coubertin ocupou o seu lugar à frente
da
organização. Apesar do sucesso dos primeiros jogos, o
Movimento Olímpico
enfrentaria tempos difíceis, com os Jogos Olímpicos de 1900
e de 1904 a
serem integrados em exposições mundiais , passando
completamente**
**despercebidos perdendo importância e a solenidade tão
desejada..*

*A situação melhorou com a realização dos Jogos Olímpicos de


Verão de
1906 que, utilizando o pretexto de comemorar os 10** **anos
da primeira
edição, serviria para promover os Jogos como um evento
internacional de
consagração do desporto por excelência. A partir de então os
Jogos
Olímpicos continuariam a angariar prestígio e audiência,
tornando-se no
que hoje conhecemos. Pierre de Coubertin abandonou a
presidência do COI
após os Jogos Olímpicos de Verão de 1924, realizados em
Paris, a sua
cidade natal, pela segunda vez cujo sucesso foi muito maior
que a
anterior edição de 1900. Foi substituído no cargo por Henri
de
Baillet-Latour.*

/*Esporte Moderno */*Apoiado na concepção do Associacionismo


inglês,
Thomas Arnold deu início à institucionalização do esporte
através da
elaboração de códigos, do estabelecimento de regras de
disputas e, além
disso, da criação de organizações responsáveis pelas suas
direções e
administrações.Inclusive, tem-se a restauração dos Jogos
Olímpicos por
Frenchman Pierre de Coubertin e outros contribuintes, os
quais
organizaram os primeiros Jogos Olímpicos modernos de Atenas,
em 1896. A
nação grega e o mundo inteiro se abraçaram na maior
celebração humana do
planeta. O esporte mundial cresceu gradualmente ao lado da
própria
evolução do movimento olímpico. No século seguinte, os Jogos
viajaram a
diversos países, onde encontraram uma vasta gama de culturas
e
civilizações.*

Thomas Arnold
Thomas Arnold

Thomas Arnold, 1840

Thomas Arnold (13 de junho, 1795 - 12 de Junho 1842) foi um britânico educador e
historiador Arnold foi um dos primeiros do largo da Igreja Anglicana movimento. Ele foi
diretor da Escola de Rugby 1828-1841, onde introduziu uma série de reformas.

Início da vida e da educação


Arnold nasceu na Ilha de Wight , filho de William Arnold, um oficial da Receita Federal, e
sua esposa Martha Delafield. Foi educado em Weymouth's Grammar School Senhor,
Warminster (agora Warminster School ), Winchester e Corpus Christi College, em Oxford
. Não se destacou em clássicos e foi feito um companheiro de Oriel ,Em 1815 ele foi
diretor da escola em Laleham antes de ir para Rugby.

Carreira como um educador


Rugby School

Arnold foi nomeado para a chefia do famoso Rugby School , em 1828, após alguns anos
como um tutor, virou escola fortunas ao redor, e sua força de caráter e zelo religioso lhe
permitiu transformá-lo em um modelo seguido pelo público em outras escolas, no
exercício uma influência sem precedentes sobre o sistema educacional do país. Ele é
retratado como um personagem principal do romance, Tom Brown's Schooldays .

Universidade de Oxford

Ele se envolveu em muitas polêmicas, educacional e religioso. Como um clérigo, ele foi
um decidimos Erastian e teve forte oposição à Igreja Alto partido. Em 1841, foi nomeado
Regius Professor de História Moderna na Universidade de Oxford .Em 1833 Princípios
da Reforma da Igreja está associada com o início da igreja ampla circulação. Ele também
foi um dos eminentes vitorianos em Lytton Strachey, o livro 'desse nome.

Família
Ele se casou com Maria Penrose, filha do Rev. John Penrose do Penryn , Cornwall . Eles
tiveram três filhas e quatro filhos, incluindo o poeta Matthew Arnold , o erudito literário
Tom , eo autor William Delafield Arnold Sua filha mais velha, Jane Martha casou
William Edward Forster , e quando William Arnold morreu em 1859, deixando quatro
órfãos, Forsters adotá-los como seus próprios, adicionando seu nome à criança o
sobrenome. Uma destas crianças foi Hugh Oakeley Arnold-Forster , um Liberal Unionista
membro do parlamento , que se tornou um membro de Balfour s de gabinete '.

Sua filha Maria Augusta , se tornou uma famosa escritora em seu nome de casada da
senhora Humphry Ward, outra filha de Tom ao mesmo tempo, Julia, casado Leonard
Huxley , filho de Thomas Huxley e seus filhos foram Julian e Aldous Huxley . Julia
Arnold também fundada em 1902 Antes de Escola de Campo ainda é uma menina da
escola existente em Godalming, Surrey .

Reputação
Um diretor da escola públicas mais recentes, Michael McCrum de Tonbridge School e
Eton College na década de 1960 através de 1980, e também um clérigo e Oxbridge
acadêmica (mestrado em Corpus Christi College, Cambridge e Vice-Reitor), escreveu uma
biografia e uma reavaliação de Arnold em 1991. McCrum estava mergulhada no
significado de Rugby e de escolas públicas, ele também havia sido brevemente um mestre
no rugby e foi casado com a filha de outro ex-diretor.

Mais recentemente, uma biografia intitulada Black Tom foi escrito por Terence Copley .
Ambos McCrum e Copley têm procurado recuperar um pouco do brilho com o legado
Arnold que tem sido fortemente atacada desde avaliação sardônica Strachey.

AC Benson (Arthur Christopher Benson) observou certa vez de Arnold que, "Um
homem que podia chorar a sua própria mesa de jantar, ao ouvir uma comparação feita
entre São Paulo e São João , em detrimento deste último, e pedir que o sujeito nunca pode
ser mencionado novamente em sua presença, nunca poderia ter sido um companheiro fácil
".
FRANÇOIS RABELAIS
François Rabelais Chinon, 1494 — Paris, 9 de abril de 1553) foi um escritor, padre e
médico francês do Renascimento, que usou, também, o pseudônimo Alcofribas Nasier
(um anagrama de seu verdadeiro nome).

Ficou para a posteridade como o autor das obras primas cómicas Pantagruel e Gargântua,
que exploravam lendas populares, farsas, romances, bem como obras clássicas. O
escatologismo é usado para condenação humorística. A exuberância da sua criatividade,
do seu colorido e da sua variedade literária asseguram a sua popularidade.

Os detalhes da vida de Rabelais, são esparsos e de muito difícil interpretação. Foi um


sacerdote de fraca vocação, erudito apaixonado pelo saber, de espírito ousado e com
propensão para as novidades e para as reformas. Depois de aparentemente ter estudado
Direito, tornou-se franciscano e iniciou os seus contatos com o movimento humanístico,
trocou correspondência com G. Budé e com Erasmo de Roterdão.

Mais tarde mudou-se para o convento de Puy-Saint-Martin e a partir de 1521, ou talvez


mais cedo, começou a receber ordens sacras. Depressa adquiriu fama de grande humanista
junto dos seus contemporâneos, mas a sátira religiosa, o humor escatológico e as suas
narrativas cómicas abriram-lhe o caminho para a perseguição. A sua vida estava
dependente do poder de várias figuras públicas, nos tempos perigosos de intolerância que
se viviam em França.

Por ordem da Sorbonne, viu confiscados os seus livros, tendo então passado para a ordem
dos beneditinos. Interessa-se pelo Direito e sobretudo pela Medicina. Médico em Lyon, aí
publica uma edição dos Aforismos de Hipócrates, Pantagruel, em 1532, seguido, em
1534, por Gargântua. A protecção do cardeal J. Du Bellay salva-o da repressão da
Sorbonne que lhe condenara a obra.

Depois de receber a permissão para o abandono do hábito, obtém o doutoramento em


Medicina. A publicação de Tiers Livre, em 1546, obriga-o a refugiar-se em Metz e a
passar dois anos em Roma. Só com a protecção do cardeal J. Du Bellay lhe é assegurada
uma existência mais calma. O Quart Livre, concluído em 1552 só foi publicado 11 anos
após a sua morte.

Rabelais serviu-se da imaginação popular que herdara do espírito medieval, da estrutura


narrativa das gestas, do estilo picaresco e da riqueza vocabular para versar alguns dos
problemas mais decadentes do seu tempo, como a vivência religiosa, a administração da
justiça ou a guerra justa.

Pretendeu libertar as pessoas da superstição e das interpretações adulteradas que a Idade


Média alimentara, não indo embora contra o Evangelho nem contra o valor divino. A obra
de Rabelais constitui uma das mais originais manifestações da crença do homem nas suas
capacidades, simbolizadas pelo gigantismo das personagens. Inimigo da Idade Média,
ataca o génio da cavalaria, a mania conquistadora, o espírito escolástico e sobretudo o
sistema de educação. Rabelais renegou as tradições, a escolástica, o pedantismo monacal,
a rotina dogmática da Universidade de Paris.
O ensaísta russo Bakhtin analisou a obra rabelaisiana em A Cultura Popular na Idade
Média: o contexto de François Rabelais

Precedente do anarquismo
Em Gargantua e Pantagruel (1532-52), François Rabelais escreveu no Abby de Thelema
(palavra grega que significa "vontade" ou "desejo"), um utopia imaginária onde seu
princípio era "Faça Como Queira", lugar no qual não havia governantes ou governados.
Graças a esta contribuição literária, bem como aos seus questionamentos críticos de fundo
ético através da sátira aos governantes de seu tempo, Rabelais é considerado por alguns
anarquistas, entre eles Voltairine de Cleyre, um importante precursor do pensamento
ácrata no final do medievo.

Contribuição
Dentre as limitações estabelecidas por este trabalho, apontaremos, de forma bastante
objetiva, as atividades caracteristicamente desportivas previstas para a educação física de
Gargântua. Além da equitação, que se tornava indispensável ás condições de vida da
época, Rabelais prescreveu o jogo de bola: “Jogava para o alto uma enorme bola e fazia-a
saltar, indiferentemente, como pé ou com a mão”. Incluiu a luta, a corrida e o salto:
“Lutava, corria, pulava, não dando salto de três em três passos, não com um pé só, não à
moda alemã, porque, dizia Ginasta, esses saltos são inúteis e nenhum proveito trazem na
guerra, mas de um salto atravessara um fosso, voava por cima de uma cerca, subia seis
passos acima de uma muralha e precipitava-se por esse modo de uma janela de altura de
uma lança”. A natação também não foi esquecida: “Mergulhava na água e nadava de
frente, de costas, de lado, com todo o corpo, só com os pés, com uma das mãos no ar
segurando um livro, atravessava sem molhá-lo, todo o rio sena, puxando o manto com os
dentes, como fazia Julio César”. E depois: “Lançava o dardo, a barra, a pedra, a flecha, o
chuço...”. E nem sequer o halterofilismo foi esquecido: “Para fortificar-lhe os nervos
foram feitas duas enormes barras de chumbo, cada uma pensando 8.700 quintais, as quais
ele dava o nome de halteres”. E como atividade lúdica: “... e se divertiam na Bracque ou
nos prados, jogando bola, péla ou bola trígona, exercitando galantemente o corpo, da
mesma forma por que antes tinham exercitado a alma”.
Se considerarmos que a Educação Física Desportiva Generalizada, procurando evitar as
repercussões eventualmente prejudiciais de um desporto, recomenda que o adolescente
seja iniciando especialmente, desde o período escolar, na natação, num desporto coletivo,
no atletismo e num desporto de combate, depois de 14 anos, verificaremos quão
equilibrados e coincidentes era o programa de atividade física previsto por François
Rabelais para Gargântua: natação, um desporto coletivo (a bola trígona), atletismo
corridas, saltos e arremessos) e um desporto de combate (luta). É verdadeiramente
admirável que tudo isto tenha sido escrito no século XVI para ser confirmado em pleno
século XX.
FRANCISCO AMOROS Y ONDEANO

Francisco Amorós y Ondeano (Valência, 1770 – Paris, 1848) foi um professor e militar
espanhol, naturalizado francês.

Francisco iniciou seu trabalho na Espanha, e em 1814, desenvolveu suas ideias no


contexto da ginástica. Seu trabalho consolidou-se na França, no século XIX, na Escola de
Ginástica Francesa. Em 1818, criou o Ginásio Militar, no qual deu origem a ginástica
eclética, que misturou as técnicas e ideias de Guts Muths e Jahn. Após, idealizou uma
série de itens que considerava essencial para sua obra, entre eles, a ênfase à resistência à
fadiga, o andar e o correr sobre terrenos fáceis ou difíceis, o saltar em profundidade,
extensão e altura, com ou sem ajuda de materiais, a arte de equilibrar-se em traves fixas, o
transpor barreiras, o lutar de várias maneiras, o subir com auxilio de corda com nós ou
lisa, fixa ou móvel, a suspensão pelos braços, a esgrima e vários outros procedimentos
aplicáveis a um grande número de situações de guerra ou de interesse público geral.

Amoros faleceu em 1848, aos 78 anos de idade.

Contribuição

Embora bastante preocupado com a ginástica, Amoros incluiu, na obra que publicou
em 1830, “Manuel d’Education Physique, Gysmnastique et Morale”, as atividades agora
preconizadas pela Educação Física Desportiva Generalizada como indispensáveis para
assegurar equilíbrio ao desenvolvimento físico do adolescente e impedir as “repercussões
eventualmente prejudiciais de um só desporto”: a natação, o atletismo, um desporto de
equipe e um desporto de combate.
Assim, a natação estava contida no 8º grupo: “Exercícios de nadar, nu ou vestido, com
ou sem carga, sobretudo armado; de mergulhar e manter-se longo tempo em equilíbrio
sobre a superfície líquida; de aprender a salvar uma pessoa, sem, entretanto, se deixar
agarrar por ale”. O atletismo estava representado pelos grupos 2º e 3º: “Exercícios de
marchar e correr, em terrenos os mais variados escorregar e patinar; habituar-se ás corridas
de fundo e velocidade”. “Exercícios de saltar em profundidade, altura e largura, em todas
as direções, para frente, para os lados e para trás; com ou sem armas com auxílio de uma
vara ou de um bastão, ou de um fuzil ou lança”. O desporto de combate estava contido no
6º grupo: “Exercícios das mais diversas lutas para desenvolver a força muscular, a
destreza, a resistência a fadiga e subjugar o adversário”. O desporto de equipe se incluía
no 11º grupo: “Exercícios de prática de esferística antiga e moderna, atlética e militar, em
todas as suas modalidades, de lançar bolas, balões, a pela, de diferentes pesos e tamanhos,
e arremessar toda a sorte de projéteis sobre pontos determinados”. E aí temos bastante
material para profundas meditações.
GEORGES DÉMENY

Georges Demeny, nascido em Douai em 12 junho 1850 e faleceu em Paris em 26 outubro


1917 , é um fotógrafo , inventor e ginasta francês nascido húngaro , considerado o
fundador da educação física ciência.

Biografia
Em 1891 (ou 1892 dependendo das fontes), enquanto é assistente de Etienne-Jules
Marey , ele inventou o fonidoscópio então, em 1894 , o Chronophotographe came
excêntrico, o que faz dele um precursor do cinema .

Demeny George era o irmão do poeta Paul Demeny .

Contribuição

A nossa ver, a principal contribuição de Démeny á Educação Física Generalizada está


representada pelos seus excelentes estudos de análise cinemática e dinâmica das atividades
desportivas. A introdução da análise cronofotografia contribuiu para a maior
racionalização dos movimentos desportivos, permitindo um melhor aproveitamento do
esforço e, em conseqüência, resultados mais expressivos. A luta pelos recordes exigiu que
os cientistas se dedicassem ao estudo das práticas desportivas, dotando-as de sólidas bases
científicas. Em sua obra “Mecanisme et Education dês Mouvements”, Georges Démeny
analisa as lutas corpo a corpo, a esgrima e o boxe, no capítulo II; as marchas, corridas e
saltos no capitulo II; o remo a patinação, a equitação e o ciclismo no capitulo IV; consagra
especial à apreciação do ritmo do trabalho nas atividades desportivas mais prolongadas
como as corridas de fundo.
Desta forma, não poderemos deixar de prestar nossas homenagens a Georges Démeny,
que muito contribuiu para favorecer a criação de uma mentalidade propícia ao
desenvolvimento dos desportos e, assim, à chamada Educação Física Desportiva
generalizada.

GEORGES HÉBERT

Georges Hébert (Paris, 1875 — Tourgéville, 1957) foi um desportista e educador físico
francês. Desenvolvendo o Méthode Naturelle (Método Natural de Educação Física) ou
MN. Foi condecorado como commandeur de la Légion d'honneur.
Aos 27 anos, em 08/05/1903, Hébert coordenou a evacuação de setecentas pessoas
próximo da cidade de Saint Pierre durante uma catastrófica erupção vulcânica no Monte
Pelair (ou Monte Pelée).

• Cerca de 30 mil pessoas morreram devido a erupção e o fluxo piroclástico(uma


cinza vulcânica com cerca de 300 °C) que cobriu 20 km seguida pela lava(de
aproximados 1000 °C)
• O efeito do fluxo piroclástico é tão devastador que em 3 minutos exterminou parte
da Cidade. Pessoas foram encontradas queimadas, contorcidas e explodidas.
• Essa foi a mais devastadora erupção vulcânica de que se tem conhecimento.
• A experiência surtiu profundos efeitos nele, reforçando sua crença na importância
da "força física" e do "altruísmo".

Viveu e escreveu sua obra em um período permeado por movimentos naturistas tanto
médicos quanto pedagógicos, quando a natureza selvagem vivenciada também no
escotismo esteve na moda.

Hébert acentuva, em suas propostas de educação, a necessidade de ser forte, definindo que
"ser forte" significa se desenvolver não só de maneira completa, mas útil.

"Etre fort pour être utile" ou "Ser forte para ser útil"

A força do "selvagem",que de acordo com teorias científicas(século XIX) pertenceria a


"raças inferiores", é resgatada e redimida pelas virtudes que possui, para modelar o
desenvolvimento do homem e da mulher urbanos com processos "científicos" de
apropriação de suas forças ocultas pela imitação de seu modo de vida, de sua condição de
existência. Sua obra esprime o fascínio pela potência misteriosa de populações exóticas,
pois Hébert teria viajado extensivamente pelo mundo, se impressionando pelo
desenvolvimento físico e habilidades dos movimentos de povos indígenas, africanos e de
outros lugares. Veja as palavras de Hébert: "Seus corpos eram esplêndidos, flexíveis,
ágeis, habilidosos, duráveis, resistentes e ainda nunca tiveram nenhum tutor em ginástica
exceto pelo seu convívio com a natureza."

"Être et durer" ou "Ser e durar" ou "To be and to last"

Entendendo o Método Natural


Georges Hébert:

• "No senso puramente "físico", o Método Natural promove as qualidades de


resistência orgânica, muscularidade e velocidade, em função de poder andar,
correr, pular, movimento quadrúpede, escalar, andar em equilíbrio, arremessar,
levantar, defender-se, e nadar."
• "No senso "viril" ou energético, o sistema consiste em ter energia suficiente, força
de vontade, coragem, frieza, e fermeté ("firmeza")."
• "No senso "moral", a educação, pela elevação das emoções, conduz ou mantem a
fibra moral de uma forma útil e benéfica."

"Método Natural, no seu sentido mais abrangente, precisa ser considerado como o
resultado dessas três forças em particular; é uma síntese do físico, viril e moral. Reside
não só nos músculos e na respiração, mas acima de tudo na "energia" que é usada, na
determinação que direciona e no sentimento que guia."

Posteriormente esse método se tornou padrão e base de treinamento militar internacional.

Nos dias atuais essa prática do Atleta Natural volta a ganhar destaque. Sem dúvida a
prática do Parkour, de origem principalmente na filosofía do MN, vem popularizando de
forma gradativa esse tipo de treinamento.

Contribuição
Quando Herbert instituiu o seu chamado método natural, ele considerou duas partes:
uma que denominou educativa, integrada por exercícios analíticos, e outra chamada de
aplicação, compreendendo quatro grupos de atividades. Os exercícios naturais de marchar,
correr, saltar e lançar, verdadeira base do atletismo, constituíam o primeiro e parte do
segundo grupo; a natação e os desportos de combate (boxe e lutas) figuravam no segundo
grupo, enquanto o quarto estava representado pelos jogos e desportos, onde, certamente, se
enquadravam os desportos de equipe. Estas linhas servem para mostrar que o equilíbrio
pretendido pela “Educação Física Desportiva Generalizada”, com a recomendação de que
os adolescentes utilizem a base quádrupla representada pelo atletismo, natação um
desporto de combate e um de equipe, estava contemplado dentro da obra de Hébert, que
tanto êxito alcançou no início do século que estamos vivendo e que continua com um
grande número de entusiastas adeptos.

Mark Bellin du Coteau

Mark Bellin de Coteau (b. 1883 , d. 1938 ), por diversas vezes campeão de França de
400m planos, é um dos primeiros a ter atraído a atenção de hipertrofia cardíaca em relação
à actividade desportiva. Nascido em uma família aristocrática, Atleta, médico de alto nível
da medicina, é também o autor de vários livros sobre medicina esportiva.

Educação Física sob a Terceira República


Durante a Primeira Guerra Mundial , uma grande diferença na capacidade física se fez
sentir no campo de batalha entre soldados alemães e as tropas francesas. Muitos soldados
estavam morrendo na falta de carregamento frontal de ar e formação desportiva de
desempenho. Vendo isto, os médicos da época pressionaram o governo a impor certa
aptidão da escola primária. Dr. Mark Bellin de Coteau movido ginástica , Georges Hébert
(1875 - 1957), o método preferido de curso de educação física, a pista de obstáculos , em
oposição à ginástica e esportes de especialização. Em resposta às críticas de Georges
Hebert, Bellin Coteau de Mark, um médico e atleta de elite tem um método "desportivas"
romance, no qual ele quer provar que ensinar o esporte exige, como a ginástica ou a
educação física, a racionalidade, a escalada, a dosagem e a base científica.
Contribuição
O “Método Desportivo” do Dr. Bellin du Coteau, embora seja um trabalho muito
interessante, não encontrou grande ressonância, desaparecendo entre as centenas de
sistemas e métodos de Educação Física surgidos nas últimas décadas do século passado e
nas primeiras do corrente. Sem pretendermos analisar a referida obra, parece-nos que
certos conceitos merecem ser destacados, pois coincidem com princípios expostos e
defendidos na Educação Física Desportiva Generalizada.
O desporto, poderemos dizer, tem por objeto a produção de uma performance, que
resulta de dois fatores: o treinamento desportivo, que pertence à ordem física; a emulação,
que diz respeito ao domínio psíquico. O desporto e uma competição controlada pela
inteligência; o jogo, diferentemente, é mais animal, mais instintivo. A performance
desportiva é função de dois fatores básicos: Melhoramento mecânico do gesto e
Melhoramento fisiológico. O melhoramento mecânico é conseqüência do ou dos estilos,
enquanto o melhoramento fisiológico diz respeito à adaptação progressiva do organismo à
natureza esforço que lhe vai ser exigido.
A lição tipo do Método desportivo sistematizado pelo Dr. Bellin du Coteau, constituída
de três partes, poderá ser assim esquematicamente apresentada:
I parte – Cultura Física = Aquecimento, exercícios, de flexibilização e de força,
realizados sem aparelhos e com duração de 20 minutos.
II parte – Desportiva = Inspirada unicamente nos desportos:
a) Exercícios de saltos e lançamento – 20 minutos;
b) Exercício de corridas rasa e com obstáculos – 20 minutos
III parte – Ginástica em Aparelhos = Inspirada na ginástica amorosiana, não figura
rigidamente no plano da lição; será executada uma vez sobre três, segundo o estado físico
dos alunos e suas necessidades – 20 minutos. Esta parte da lição poderá ser substituída por
um estudo para aperfeiçoamento da natação, luta corpo a corpo ou ciclismo, quando a
duração desta parte será de 20 a 40 minutos.
Além desta lição tipo, que é de caráter básico, o método tevê ainda tipos de lições
individuais e concede tratamento especial para as crianças e adolescentes com abundante
emprego de jogos desportivos, capazes de preparar paulatinamente o organismo para
futuras competições de natureza fisiológica e as prescrições de cuidados a observar em
cada caso são bastante numerosas, evidenciando a preocupação de que a saúde não seja,
em qualquer memento, ameaçada pelo trabalho físico a realizar.
O método Desportivo apresentado pelo Dr. Bellin du Coteau bem merece um pouco
mais de atenção agora, quando nos começamos a interessar pelo Método de Educação
Física Desportiva Generalizada.

Related Interests