You are on page 1of 24

17/5/2011

Aula 6 – Sinalização Celular


Parte 1

Prof. Edu

Objetivos da aula
• Entender como e por que as células se
comunicam
• Reconhecer os principais tipos de sinalização ntre
células
• Conceituar ligante e receptor
• Entender como moléculas hidrofóbicas atuam na
sinalização
• Entender como moléculas que não atravessam a
membrana podem transmitir informação para o
ambiente intracelular

1
17/5/2011

• Em organismos multicelulares
– Importante que as células se comuniquem
– Ações coordenadas
• Como ocorre a comunicação?
– Moléculas produzidas por determinada célula
– Meio extracelular
– Percebidas  outras células

• Analogia
– Comunicação entre pessoas
• Ouvir  receptores
• Entender o idioma  decodificação da mensagem

– Célula que lançou a molécula


• CÉLULA SINALIZADORA
– Molécula que leva a informação
• LIGANTE
– Célula que percebeu a presença do ligante
• CÉLULA-ALVO

2
17/5/2011

Tipos de sinalização
• Classificação  5 tipos
– Meia-vida da molécula sinalizadora
– Quais células possuem receptores para o sinal
1) Sinalização parácrina
2) Sinalização autócrina
3) Sinalização dependente de contato
4) Sinalização endócrina
5) Sinalização neuronal

3
17/5/2011

Tipos de sinalização
• Sinalização parácrina
– A molécula sinalizadora tem vida curta e os
receptores estão nas cpelulas próximas
– Molécula sinalizadora  MEDIADOR LOCAL

Tipos de sinalização
• Sinalização autócrina
– A molécula sinalizadora tem vida curta e os
receptores estão própria célula que emitiu o sinal
• Analogias
– Colocar um bilhete para nós mesmos
– Anotar um compromisso na agenda
– Programar um despertador
• Somos tanto emissores como alvos do sinal 
autócrinos

4
17/5/2011

Tipos de sinalização
• Sinalização dependente de contato
– A molécula sinalizadora não é secretada
– Fica exposta na superfície da célula sinalizadora
– Célula-alvo precisa fazer contato para que o
receptor possa se ligar

5
17/5/2011

Tipos de sinalização
• Sinalização endócrina
– A molécula sinalizadora tem vida longa
– Lançada na corrente sanguínea
– Atinge células-alvo em locais distantes
– Molécula sinalizadora é chamada  HORMÔNIO

6
17/5/2011

Tipos de sinalização
• Sinalização neuronal
– A molécula sinalizadora é chamada
neurotransmissor
– Viaja grandes distâncias  dentro de
prolongamentos celulares dos neurônios
• AXÔNIOS
– Atinge células-alvo em locais distantes do corpo
celular do neurônio que emitiu o sinal, mas
próximo do axônio onde a molécula sinalizadora
foi secretada

7
17/5/2011

Os receptores
• Liberação de um ligante (molécula
sinalizadora) no meio extracelular
– Contato com várias células
– No entanto, só algumas  responderão ao sinal
• Só algumas  receptor para este sinal específico

Os receptores
• Ainda  reações podem ser diferentes
– Ex: neurotransmissor acetilcolina
• Sinalizador para células-alvo diversas
• Reagem diferentemente ao mesmo sinal
• CÉLULA MUSCULAR  contração muscular
• MÚSCULO CARDÍACO  redução da frequência de
contração
• GLÂNDULA SALIVAR  secreção de saliva

8
17/5/2011

Os receptores
• A célula recebe vários sinais
– Diferentes células sinalizadoras
– Reconhecimento se dá pela existência de
diferentes tipos de receptores em sua superfície
• Ainda, mudanças de comportamento celular
– Pode depender da interação de vários sinais

9
17/5/2011

Os receptores
• Exemplos:
– Se não receber sinal  célula morre

Os receptores
• Exemplos:
– Para sobreviver  precisa receber vários sinais
• Disponibilidade de nutrientes
• Número total de células do órgão ao qual ela faz parte
• Etc.

10
17/5/2011

Os receptores
• Exemplos:
– Para se dividir
• Sinais de sobrevivência (slide anterior)
• Sinais de proliferação

Os receptores
• Exemplos:
– Para se diferenciar em célula especializada
• Ausência dos sinais de proliferação, ou
• Não reconhecimento dos receptores para estes sinais
• Presença de sinais de diferenciação

11
17/5/2011

Os receptores
• Muitos destes sinais
– Moléculas conhecidas
– Muitos  desconhecidas
• Células mantidas in vitro
– Recebem soro que contém os sinais de
proliferação conhecidos e desconhecidos
• Base  cultivo de células-tronco

Os Tipos de Receptores
• Tipo de receptor para determinado sinal
– Depende do tipo de molécula sinalizadora
• Se a molécula for pequena e/ou hidrofóbica
suficiente para atravessar a membrana
– Receptor deve ser intracelular
• Se a molécula for grande e/ou hidrofílica
– Receptor deve estar obrigatoriamente exposto na
membrana plasmática

12
17/5/2011

13
17/5/2011

Sinalização por ligantes hidrofóbicos


• Ex: Óxido nítrico (NO)
– Age sobre as células musculares lisas que
envolvem os vasos sanguíneos
– Provoca vasodilatação local
– Princípio:
• Relaxamento das células musculares destes vasos
• Deixa o sangue fluir mais facilmente

Sinalização por ligantes hidrofóbicos


• Ex: Óxido nítrico (NO)
– Produzido por células endoteliais (próximas)

– Age sobre as células musculares lisas que


envolvem os vasos sanguíneos

– Provoca vasodilatação local

14
17/5/2011

Sinalização por ligantes hidrofóbicos


• Ex: Óxido nítrico (NO)
• Como se inicia a liberação do óxido nítrico?
– Impulso nervoso  células endoteliais
– Ativação da enzima óxido nítrico sintase (NOS)
– Produção de óxido nítrico a partir do aminoácido
arginina
– Como é gás, atravessa as membranas por difusão
simples
– Nas células musculares lisas  ativa outras enzimas
que leval à vasodilatação

Sinalização por ligantes hidrofóbicos


• NO e o VIAGRA
– Liberação de óxido nítrico pela inervação autônoma local
do pênis
– Age sobre a musculatura lisa
– Ativa enzimas e os produtos destas enzimas dilatam os
vasos, que se enchem de sangue
• EREÇÃO
– Essa sinalização mediada por óxido nítrico sura pouco
• NO é rapidamente degradado, virando nitrito
• Os produtos das enzimas também é rapidamente degradado
– VIAGRA: Impede a degradação do produto das enzimas
ativadas pelo NO, fazendo a vasodilatação durar mais
tempo

15
17/5/2011

Sinalização por ligantes hidrofóbicos


• Hormônios
– Também são moléculas sinalizadoras hidrofóbicas
• Capazes de atravessar as membranas
– Porém, muito mais duradouras e estáveis
• Meia-vida mais longa
– Secretadas por células glandulares
– Viajam grandes distâncias pela corrente sanguínea
até encontrar as células-alvo

Sinalização por ligantes hidrofóbicos


• Hormônios
– No entanto, por serem hidrofóbicas
• Têm problemas para viajar pela corrente sanguínea e
meio extracelular  MEIOS AQUOSOS
– Para isso  associam-se a moléculas hidrofílicas
que tenham um sítio capaz de acomodá-las
• MOLÉCULA CARREADORA
• Geralmente  ALBUMINA SÉRICA

16
17/5/2011

• Ao chegar perto da membrana da


célula, o ligante se solta da molécula
carreadora e se difunde pela
bicamada lipídica, entrando na
célula
• O receptor para este ligante está no
citoplasma e é ativado,
desempenhando suas funções

• IMPORTANTE: com frequência, o


receptor é um fator de transcrição
de um gene.

• Ao chegar perto da membrana da célula, o


ligante se solta da molécula carreadora e
se difunde pela bicamada lipídica,
entrando na célula
• O receptor para este ligante está no
citoplasma e é ativado, desempenhando
suas funções
• Formação do complexo receptor-ligante

• IMPORTANTE: com frequência, o receptor é


um fator de transcrição de um gene.

• Ex: CORTISOL, produzido pelas glândulas


supra-renais

17
17/5/2011

Sinalização por ligantes hidrofóbicos


• Hormônios
– A resposta para a sinalização com hormônios demora
mais para aparecer
• Depende da síntese de uma molécula
– Por outro lado, permanece mais tempo, pois a
proteína produzida não será degradada rapidamente
– Exemplos  Hormônios esteróides
• Testosterona
• Estrogênio
• Cortisol
• Também os hormônios tireoidianos

Sinalização por ligantes hidrofílicos


• E se o ligante não consegue atravessar a
membrana?
• O que você faria para passar uma informação a
alguém que está num lugar onde você não pode
entrar?
• Molécula sinalizadora hidrofílica e/ou grande
– O receptor vai ter que funcionar como um garoto de
recados
– Mas sem deixar a membrana, onde precisa ficar
exposto ao meio extracelular

18
17/5/2011

• Ao receber a molécula
sinalizadora, o receptor muda
sua conformação

• Essa mudança passa a


informação adiante atarvés da
mudança de comportamento do
receptor

• Existem três tipos de receptor


de sinalização na membrana
plasmática
a) Receptores do tipo canal
b) Receptores associados à
proteína G
c) Receptores enzimáticos

Sinalização por ligantes hidrofílicos


• Os 3 tipos de receptores para ligantes
hidrofílicos tem as seguintes características
– São proteínas transmembrana
– Não entram na célula
• A não ser quando devem ser degradados

19
17/5/2011

Receptores do tipo canal


• São canais controlados por ligante
– são os próprios canais
– Podem estar associados a um canal iônico
• A mudança conformacional do receptor ativa um canal
associado e este se abre
Ex: ACETILCOLINA, em células musculares
esqueléticas

Receptores ligados à proteína G


• São proteínas transmembrana multipasso
• Atravessam a membrana 7 vezes
• Mudam sua conformação ao receberem o
ligante e ativam uma segunda proteína que
também muda sua conformação e passa o
sinal adiante
• Estes receptores são bastante variados, mas a
segunda proteína não varia muito, chamada
proteína G

20
17/5/2011

Receptores ligados à proteína G


• A proteína G
– Pertence à família das proteínas que ligam GTP
• Ligação ao GTP
• Ativação da proteína G
• Hidrólise do GTP a GDP + Pi
• Retorno ao estado inativo

• Funcionam como interruptores:


– Com GTP, ligadas
– Com GDP estão desligadas

21
17/5/2011

Receptores ligados à proteína G


• A proteína G
– Vários tamanhos
• Apenas 1 cadeia protéica  monoméricas
• Duas cadeias protéicas  heterodiméricas
– Ex: tubulina, que formam os microtúbulos
• Três cadeias protéicas  heterotriméricas
– Ex: usadas em sinalização celular

Receptores ligados à proteína G


• A proteína G heterotrimérica
– Muito usada em sinalização celular
– Três subunidades: α, β e γ
– Subunidade α
• Liga e hidrolisa GTP
– Subunidades β e γ
• Ancoramento à face citoplasmática da membrana

22
17/5/2011

Receptores ligados à proteína G


• São classificadas quanto a ação que exercem
em:
– Proteínas G estimulatórias (Gs)
• Quando atuam ativando enzimas
– Proteínas G inibitórias (Gi)
• Quando atuam inibindo enzimas

A proteína G Estimulatória
• As enzimas ativadas  passam o sinal
adiante

• As principais enzimas envolvidas nessa


cascata de sinalização são:
– Adenilato cicla
– se e fosfolipase C

• A ação destas enzimas gera produtos


pequenos e de curta duração, chamados
mensageiros secundários.

• Veremos mais a respeito na próxima aula...

23
17/5/2011

RESUMO DA AULA DE HOJE:


• Receptores para ligantes hidrofóbicos ou muito pequenos estão no
citoplasma ou no núcleo.

• Ligantes que entram na célula podem ter vida muito curta e provocar
respostas rápidas, como o óxido nítrico, ou ter vida longa e provocar
resposta lenta e duradoura, como os hormônios esteróides.

• Receptores de ligantes hidrofílicos estão na membrana plasmática. Ligantes


hidrofílicos não entram na célula, mas passam a informação para o
ambiente intracelular.

• Receptores de ligantes hidrofílicos podem ser de três tipos: canal,


associados à proteína G ou enzimáticos.

• Receptores mudam de conformação com a chegada do ligante.

24