You are on page 1of 3

O SISTEMA FINANCEIRO

O tamanho e a diversificação do sistema financeiro é um indicador econômico importante para se medir o grau de desenvolvimento de um país. Este fator constitui também uma condição necessária para atrair poupanças, sejam elas nacionais ou estrangeiras. Relativamente ao funcionamento do sistema financeiro poderia ser feita a seguinte pergunta: Onde os agentes deficitários conseguem dinheiro para seus gastos e qual o destino dado pelos agentes superavitários ao seu dinheiro ? A resposta é simples: os agentes superavitários transferem seus recursos disponíveis para os agentes deficitários. Entretanto esta transferência não é feita de maneira direta, isto é, com os agentes econômicos entrando em contato entre si. Ela é feita através do sistema financeiro, e recebe o nome de processo de intermediação financeira. A procura junto aos intermediários financeiros de recursos para produção implica, portanto, na existência de unidades econômicas que apresentem balanços com superávit ( os poupadores ) e que tenham gastos inferiores aos rendimentos – dispostos a fazer suas disponibilidades se tornarem ativos financeiros, além da existência simultânea de agentes econômicos deficitários ( os investidores ) com disposição para financiar seus déficits aos custos de mercado e, ainda, que os agentes econômicos confiem no papel exercido pelos referidos intermediários financeiros. Desta forma, a eficiência do sistema financeiro pode ser descrita como sua capacidade de viabilizar a realização de financiamentos de curto, médio e longo prazos, sob condições de minimização de riscos e de atendimento aos desejos e necessidades dos agentes que tem superávits ( que determinam a oferta de recursos ) e dos agentes deficitários ( que materializam a demanda de recursos ). É usual dizer que o setor financeiro diferencia-se do setor real em vários aspectos: É no âmbito do setor real que se realizam as operações de geração de bens ( produtos tangíveis ) e de serviços não financeiros ( produtos intangíveis, como comunicações, transporte, comércio, educação, etc ). Por outro lado, no âmbito do setor financeiro realizam-se as operações relacionadas à custódia, à intermediação, à compensação e à liquidação de ativos considerados “ não reais “, como a moeda, os títulos de crédito, as ações que representam quotas-partes de das empresas e outros papéis negociáveis com segmentos específicos de mercado. Desta forma, tomando como ponto de partida as características que diferenciam as atividades financeiras das demais atividades produtivas, convencionou-se o desdobramento do aparelho de produção da economia nestes dois grandes setores: o setor real e o setor financeiro. No tocante às finalidades e às instituições que as praticam, as operações no Sistema Financeiro podem ser agregadas nos seguintes segmentos de mercado: Mercado Financeiro ou Monetário – É neste mercado que se estabelece o nível de liquidez geral da economia, definido pelo suprimento de moeda, em seu conceito restrito e convencional, constituído pelo papel-moeda e pela moeda escritural, esta última correspondente aos depósitos à vista no sistema bancário.

CDIs. não se transacionam nesse mercado exigibilidades financeiras. o crédito imobiliário e o repasse de recursos exigíveis da economia privada para o governo se dão no mercado de crédito. Portanto. desde os de endividamento de curto prazo. o setor financeiro deve dispor de suprimento destes ativos. representado pelas exigibilidades que este setor passará a ter com o de intermediação financeira. Pelo próprio conceito econômico de capital. Mercado de Crédito – É neste segmento que se realizam as operações de financiamento do setor real da economia. No mercado monetário é onde são realizadas as operações de curtíssimo prazo com a finalidade de suprir as necessidades de caixa dos diversos agentes econômicos. julgadas pelo mercado. de curto. E seus ganhos decorrem. As obrigações exigíveis são decorrentes de operações de crédito. O mercado de crédito atende a todos os agentes econômicos. das variações positivas no valor das empresas. em transações secundárias. além de todas as esferas de governo. Seus detentores podem. em que operam instituições bancárias comerciais e outros intermediários financeiros não bancários. E tanto a colocação primária de ações emitidas. para evitar flutuações muito acentuadas na liquidez bancária. representadas por quotas de participação no capital. São não exigíveis. é neste segmento que se realizam as operações de financiamento do setor real da economia.Para que as transações no setor real da economia possam ser adequadamente liquidadas. para operações correntes e de investimentos. Mas as ações não são papéis exigíveis. por meio de operações de mercado aberto. O crédito direto ao consumidor. etc. Transacionam-se “ pedaços “ das empresas. transferi-las para outros. pessoas físicas e jurídicas. entre eles as instituições financeiras. na qualidade de autoridades monetárias. destinadas a suprir as necessidades de caixa. ( commercial papers ) e de longo prazo. o crédito rural. fornecem os recursos que serão repassados. o giro comercial. médio e longo prazo. ( debêntures ) passando por títulos representativos do capital das empresas ( ações ) e até de outros . Exemplos: fundos de curto prazo. quando em posições superavitárias. porém. BB e BNDES. open-market. são os reguladores do nível dos estoques monetários. Supre as exigências de recursos de médio e de longo prazo. É nesse mercado que se realizam os empréstimos do sistema financeiro ao setor real da economia. Os financiamentos de longo prazo ( investimentos ) são atendidos por instituições de oficiais de crédito. Famílias e empresas. As ações que se negociam em bolsas de valores são os títulos de referencia desses “ pedaços “. São negociados neste mercado grande variedade de títulos. de outro lado. recorrem ao mercado de crédito para suprimento de suas deficiências de caixa. Mercado de Capitais – ( Mercado de Valores Mobiliários ) – Neste segmento realizam-se operações sem prazos definidos. de que são exemplos as sociedades de crédito e financiamento e as instituições de fomento. ocorrem no âmbito do mercado de capitais. de um lado. Os bancos centrais. as operações de financiamento das atividades industriais. Exemplo: FINAME. A oferta de liquidez neste mercado é afetada pelas operações que sensibilizam as reservas bancárias que os bancos mantêm no BACEN. E esses mesmos agentes. A oferta neste mercado é determinada fundamentalmente pelas instituições bancárias. Seus detentores são os acionistas. principalmente com vistas à realização de investimentos em capital. quanto suas subsequentes transferencias de um detentor para outro. do recebimento de dividendos.

como fora delas. com as quais se liquidam as transações de importação e exportação de mercadorias e serviços e se viabilizam as transferencias financeiras entre as nações e para viagens de turismo. em ambientes chamados de mercados de balcão. etc. . Mercado de Seguros. futuros. Capitalização e Previdência Privada – onde são coletados os recursos financeiros ou poupanças destinadas à cobertura de finalidades específicas. parcerias em gado. As negociações desse mercado podem ocorrer tanto nas Bolsas de Valores. É nele que se realizam as operações de compra e venda de moedas estrangeiras conversíveis. títulos emitidos a partir de variações no valor de outros títulos. etc ). Em razão da importância que tem na formação de poupanças a longo prazo estas instituições são também chamados de investidores institucionais. preponderantemente daquelas que tem livre curso internacional. Bolsas de Mercadorias ou de Futuros. São típicos deste mercado os derivativos. As operações no mercado cambial são realizadas pelas instituições financeiras – bancos e casas de câmbio – autorizadas a funcionar pelo BACEN. capitalização e obtenção de aposentadorias e pensões ( previdência privada ). como opções. como a proteção a riscos ( seguros ). Mercado Cambial – Neste segmento é que se realizam as operações de conexão do setor real e do setor financeiro de um país com os do resto do mundo.ativos ou valores ( mercadorias.