You are on page 1of 4

HARPAS E TAÇAS

1 ► ( Ap 5:8-9 - E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e


quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo, todos eles,
harpas e salvas de ouro, cheias de incenso, que são as orações dos
santos. E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e
de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste
para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação;)

Antes da criação do mundo havia música nos céus. ► (Jó 38:7 - Quando as estrelas da
alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus rejubilavam?)
diz que na criação quando as estrelas (anjos) da alva juntos alegremente cantavam, todos os filhos de Deus
rejubilavam. Não há dúvida que a origem da música como todas as coisas é Deus. A música (os tons, os
ritmos, as harmonias) tem sua origem em Deus.
1 No entanto, quando o homem caiu, a música como todas as coisas caiu, também. Desde a queda os
pássaros não cantam em tom maior; somente menor. Logo, em ► (Gn 4:16-17, E saiu Caím de
diante da face do Senhor, e habitou na terra de Nod, da banda do oriente
do Éden. E conheceu Caím a sua mulher, e ela concebeu, e teve a Henoch:
e ele edificou uma cidade, e chamou o nome da cidade pelo nome do seu
filho Henoch.) encontramos a música do homem caído que expressa as suas dores, suas decepções,
os seus amores, as suas mágoas, suas saudades, as suas esperanças e muito mais. ´ Jubal foi o pai de
todos os que tocam harpa e flauta.

Os primeiros adoradores eram Abel, Enoque, Noé e Abraão. Abel ofereceu o sacrifício
agradável ao Senhor que era fruto do seu amor. Enoque quis andar com Deus. É isso que alegra o
coração do Pai. Noé temeu a Deus e lhe obedeceu. Construiu uma arca para salvar a sua família.

Adorar é obedecer! Abraão confiava em Deus. Seu amor foi provado e ele passou a prova
quando colocou seu filho, o filho da promessa, no altar da verdadeira adoração. (Gn 22:4-12)

Veja bem o contexto quando a palavra adorar aparece pela primeira vez na Bíblia no verso
5.► E disse Abraão aos seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o
moço iremos até ali; e, havendo adorado, tornaremos a vós. Não havia música.
Havia obediência por temor e amor!

Na língua hebraica adorar é ´shachah´que significa curvar-se, prostrar-se. Na língua grega


adorar é ´proskuneu´que significa homenagear, respeitar, beijar.
Pros significa em direção a ou para. ´Kuneu´ significa beijar.)

Adorar a Deus é temer, respeitar, obedecer, amar. É amá-lo mesmo quando não entendemos seus
propósitos. É crer que ele é bom e que é galardoador daqueles que o buscam. Adorar é amar! Somente
alguns homens tinham comunhão com o Senhor. Portanto, os verdadeiros adoradores eram poucos.
Quem louvava o Criador? Quem anunciava as suas virtudes? Os povos estavam perdidos na
escuridão da idolatria e em todos os outros pecados que tira as pessoas da presença de Deus.
Mesmo, o povo escolhido, os descendentes do fiel Abraão, estavam presos por Satanás na escravidão
egípcia.
A adoração é revelada através das harpas nas mãos dos cristãos e a intercessão através das
taças cheias de incenso, os quais o mesmo texto afirma que são símbolos das orações dos santos.
( ver Ap 5:8-9)

HARPAS = NAS MÃOS DOS CRISTÃOS

TAÇAS = INCENSO DAS ORAÇÕES DOS SANTOS

Mas, Deus levantou seu braço forte e libertou os filhos de Israel. E com muita alegria Moisés
cantou dizendo: Cantarei ao Senhor pois sumamente se exaltou. Lançou no mar o cavalo e o seu
cavaleiro. O Senhor é a minha força, e o meu cântico; ele me foi por salvação.´ E Miriam e as
mulheres tomaram tamborins e dançavam. Pela primeira vez vemos um povo louvando com dança e
música o Criador do mundo.
Seus corações estavam cheios de alegria por causa da grande salvação pela mão do Senhor. Esta é
sempre a primeira e a principal razão do louvor do povo ao seu Deus. Ao ver e experimentar o amor de
Deus quando ele tira um povo da destruição do inimigo é que o louvor nasce no coração das pessoas
salvas da opressão, da condenação e da morte. Do louvor nasce algo mais profundo, a adoração, ou
seja, o amor profundo por aquele que tanto o amou.

O Tabernáculo de Davi foi a estrutura que expressou o profético do Espírito. Ali ocorreram
adoração e intercessão proféticas. Ali veio o conselho pela voz profética. Isto nos introduz no que
será a igreja dos últimos dias com um ministério de Harpas e Taças: terá adoração, intercessão e
conselho através dos dons do Espírito.

Agora, precisamos levantar uma pergunta muito importante. Existe uma ligação entre a música e o
louvor? Entre a música e a adoração? Ou seja, o louvor e a música são intimamente ligados? Pode
haver louvor, pode haver adoração sem música? A música faz parte do louvor ou pode haver louvor a
Deus sem música? Uma pregação deve expressar muito louvor, muita exaltação de Jesus? Um testemunho
pode louvar a Deus? A música é fundamental na adoração

O louvor e adoração existem sem uma participação musical! No entanto, a música pode ajudar
conduzir as pessoas ao louvor e à adoração. Mas o louvor a Deus depende, não da música, mas do
reconhecimento dos grandes feitos de Deus e de uma atitude de gratidão. O que leva alguém a adorar
é o amor. Adoração é uma decisão de dar, de sacrificar, de obedecer por amor. A adoração como o
verdadeiro amor não é sentimento, não é postura, não é musica contemplativa; é a decisão de amar
E assim, o amado torna-se o centro de toda atenção e devoção. Adorar é amar. Adorar é
prostrar em devoção. Adorar é levantar-se para obedecer à voz do amado.

Para cumprir a promessa de Restauração que Deus fez sobre o Tabernáculo caído de Davi, Deus
estará levantando nos últimos dias uma geração profética que correrá com porção dobrada da unção. Eles
receberão a unção profética e apostólica que marcará seus ministérios. A geração do terceiro milêncio terá
a marca dadívia, ou seja, harpas e taças - adoração e intercessão. Eles serão hábeis na guerra espiritual
profética. Eles serão poderosos na oração intercessória, mas também saberão tomar, para a batalha, a
autoridade do Lugar Santíssimo, através da adoração.

► ( Joel 2:28 - E há-de ser que, depois, derramarei o meu Espírito sobre toda a
carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão
sonhos, os vossos mancebos terão visões.)

A música em si não tem nada a ver com adoração! Adorar não é tocar, nem cantar. Adorar é dar
o melhor, é dar tudo ao amado. A maior prova do amor, o maior ato de adoração foi o sacrifício de Jesus
na cruz. Foi quando ele disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. Aí ouvimos as palavras de
submissão total do filho. E ele entregou ao Pai o seu espírito! Adoração é submissão!

Quando Jesus falou a uma mulher samaritana que o Pai procura verdadeiros adoradores, aqueles
que o adoram em espírito e em verdade, logo ela queria ser um desses adoradores. Mas para isso ela não
foi a sua cidade para organizar um grupo de músicos para adorarem ao Senhor. Não, ela foi a cidade
e disse: ´Vinde, vede um homem que me disse tudo que tenho feito. Poderia ser este o Cristo?´ E depois de
ouvir Jesus as pessoas disseram a ela: ´Agora sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo!´
Então, os verdadeiros adoradores são aqueles que crêem em Jesus, que o amam e por isso o
apresentam aos outros. Adorar não é cantar, mesmo quando o adorador está cantando. É mais que
cantar. É amar!

De acordo com os evangelhos Jesus cantou um hino com seus discípulos. Foi depois da ceia.
Creio, eu, que cantavam outras vezes. Mas, é curioso que os evangelhos mencionam somente uma vez. No
livro de Atos, Paulo e Silas cantavam hinos no cárcere. É a única vez que fala em música no livro de
Atos. De acordo com Atos 2:42 as reuniões dos discípulos tinham quatro elementos básicos: (1) o
ensino (2) a comunhão (3) a ceia (4) as orações.

Mas em tudo e em todo tempo eles louvavam a Deus, ou seja, eles sempre falavam dos feitos
do Senhor e muitas pessoas foram salvas. (Atos 2:47)

Também, Atos 5:42, mostra o que era central na vida dos discípulos. ´E todos os dias, no
templo e nas casas, não cessavam de ensinar e anunciar a Jesus, o Cristo.´ O louvor é isso; não parar
de falar de Jesus!

Mas, eles não cantavam louvores nas suas reuniões? Uma liturgia em I Cor. 14:26 fala que uma
pessoa tem um salmo, outra doutrina, outra revelação, outra língua, outra interpretação. O
importante é; tudo para a edificação.

Em Colossenses e Efésios temos a exortação de deixar a Palavra e o Espírito nos ensinar e


admoestar com salmos e hinos e cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor em nossos
corações.
Estas passagens parecem falar do dia a dia dos irmãos e não especificamente sobre as reuniões. (Ef
5:19-20; Col 3:16) E em Apocalipse na revelação que Jesus deu a João quando somos levados diante do
trono onde os 24 anciões tem harpas e taças de ouro cheias de incenso que são as orações dos santos. E
eles cantam louvores ao Cordeiro e com eles os anjos e os seres viventes que prostram e adoram a Deus.
Os vencedores cantam o cântico de Moisés e o cântico do Cordeiro. (Ap 5:8-10; 14:2-3; 15:2-4)

Em Apocalipse há oito versículos que falam da música nos céus. E em todo Novo Testamento a
idéia de cantar ao Senhor aparece apenas doze vezes E a palavra ´tocar´ é indicado apenas quatro
vezes.
Em contraste a palavra ´profetizar´ aparece 27 vezes, e a palavra ´pregar´ é usado 125 vezes.
O louvor e a adoração são fundamentais na vida cristã! A música é? Há lugares no mundo hoje
onde os cristãos tem de reunir em pequenos grupos em segredo. Eles não podem cantar louvores juntos.
Então, será que a Bíblia indica que a música e os músicos devem ocupar muito espaço na vida da igreja?
Alguns apontam para o texto em Atos 15:16-18 que fala da reedificação do tabernáculo caído de
Davi. Este texto é uma citação de Amós 9:11-12. Tiago usa este texto para mostrar que o evangelho é para
todas as nações. O assunto em pauta não tinha nada a ver com música na igreja.

O tabernáculo caído de Davi não refere ao tabernáculo que Davi levantou em Jerusalém para
abrigar a arca, mas, refere ao fato que a casa ou a dinastia de Davi tinha caído na época do exílio a
Babilônia mas agora foi levantado pelo filho de Davi – Jesus Cristo.

A palavra para tabernáculo em Amós 9:11 é ´sukkah´ que significa cobertura. Em II Sm 6:17 a
palavra é ´ohel´ que significa tenda. Com certeza, se a referência de Amós era da tenda que Davi
levantou para abrigar a arca e criar um ambiente de louvor e adoração contínua, ele teria usado a mesma
palavra. Isso não significa que não há lições tremendas para tirarmos das experiências de Davi e dos
levitas diante da arca.
Os que amam ao Senhor já são verdadeiros adoradores antes de chegar na reunião, e os
verdadeiros adoradores costumam trazer seus frutos diante do Senhor. Estes frutos são vidas que estão
sendo ganhas e discipuladas. Pois, a verdadeira adoração é amar ao Senhor. E amar é obedecer ao
mandamento do Senhor de pregar, testemunhar e discipular as pessoas no poder do Espírito Santo.
► Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto, e assim vos tornareis meus discípulos.´ João 15:8

Os verdadeiros adoradores como Abraão estão prontos para oferecer o mais precioso e como a
mulher samaritana, contar para a cidade inteira que o Messias chegou. Mas, veja bem, os adoradores não
são levitas. Levitas eram somente uma parte do povo de Deus. Hoje, todo povo de Deus entra na presença
de Deus pelo sangue do Cordeiro. Hoje, os adoradores são sacerdotes da mesma ordem do seu Sumo
Sacerdote. São da ordem de Melquisedeque. São a geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo
adquirido, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. (Hb 7
e I Pe 2:9) O nosso principal trabalho sacerdotal é anunciar as boas novas, discipular os que crêem e levá-
los à presença do Pai. Não somos da Velha Aliança, mas da Nova.