You are on page 1of 8

Ver a Deus, privilégio de quem tem coração puro

Pastor Alcenir Oliveira


10 de julho de 2008

Mateus 5:1-12
1 - Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte; e, como se assentasse, aproximaram-se os
seus discípulos, 2 - e ele passou a ensiná-lhes, dizendo: 3 - Bem-aventurados os humildes
de espírito, porque deles é o reino dos céus. 4 - Bem-aventurados os que choram, porque
eles serão consolados. 5 - Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra. 6 -
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça porque eles serão fartos. 7 - Bem-
aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia. 8 - Bem-
aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus. 9 - Bem-aventurados os
pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus. 10 - Bem-aventurados os que
são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus. 11 - Bem-
aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem e vos perseguiram e,
mentindo, disserem todo mal contra vós. 12 - Regozijai-vos e exultai, pois é grande o
vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram aos profetas que foram antes de vós.

Puros de coração
Mat. 5:8

A palavra coração denomina o órgão vital mais importante e simbólico do ser


humano. O coração não representa uma bomba distribuidora de sangue no corpo, mas
também representa simbolicamente as nossas emoções. Essa figura de linguagem é
milenar. Nossas emoções são interpretadas na realidade pelo cérebro, mas eles se
manifestam pela reação do nosso coração. Os batimentos cardíacos, demonstram o
tamanho das nossas emoções.
Isso nos leva a dizer, em metáforas, que aquilo que externamos, que deixamos
transparecer, que dizemos de nós com nosso comportamento, com nossa personalidade,
com nosso temperamento é a imagem do que o nosso coração está cheio.
“Mat. 15:18-19 (Mas o que sai da boca procede do coração; e é isso o que contamina o
homem.. Porque do coração procedem os maus pensamentos, homicídios, adultérios,
prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias.”Usamos o coração como símbolo
do amor. Nos cartões trocados pelos namorados, colocamos o coração como
representação do nosso afeto maior).
Usamos o coração em expressões duras. Dizemos que uma pessoa má tem
coração de pedra. Dizemos que uma pessoa maldosa só tem coisas impuras no coração.
La na casa to “Tio Sam”, quero dizer Pr. Samuel, no nosso no café da manhã, ele
nos incita a conversar sobre alguma coisa e ele fica calado. Daí a pouco ele surge com
uma anedota ou um comentário apócrifo. A gente diz que enquanto a gente inocentemente
está conversando, ele esta quetinho inventando alguma coisa para desvirtuar. Demos boas
gargalhadas quando disse que ele tinha o “Coração de Carlos”, a figura da capa de um
livreto evangélico antingo que ilustrava o coração cheio de pecado.
Isto são brincadeiras, mas tenho visto muitas pessoas que são especializadas em
desvirtuar conversas. Pessoas que não sabem falar ou ouvir duas frases sem dar um
sentido âmbiguo, sentido duplo, obsceno, maldoso. Isto é o reflexo do que o coração da
pessoa está cheio.
Quero que fique claro aqui de que o coração do Pr. Samuel não é assim. O que ele
faz são brincadeiras SAUDÁVEIS ...
Na vida prática há pessoas que não sabem se relacionar com as outras sem tirar
algum tipo de vantagem. Quando elas percebem que a amizade não vai render
dividendos, elas pulam fora e partem para outras aventuras. São os adeptos da Lei de
Gerson, gostam de levar vantagem em tudo. Às vezes achamos que estamos ajundando
essas pessoas, com os nossos corações cheio de afeto de piedade, entretanto elas estão
nos explorando. Estes são os corações enganosos. Isto está expresso em Mateus 18: 19
“Porque do coração procedem os maus pensamentos, homicídios, adultérios,
prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias”.
Em Mateus 19: 22 , o jovem rico, crente zeloso, pergunta a Jesus o que deve fazer
para ser salvo, Jesus o manda vender tudo e dar aos pobres, mas ele se retirou triste,
porque o seu coração estava dominado pela riqueza.
O significado da palavra Bem-aventurado : “feliz, abençoado, próspero, de sucesso”.
O melhor conceito eu achei no Inglês: cause heavenly joy or happiness, bless, que
significa gerar alegria e felicidade celestes.
Isto me lembra Lucas 15:7 que diz “há júbilo nos céus quando um pecador se
arrepende”. O pecador se arrepende da impureza em que vive ... da qual o seu coração
está cheio, e pede a Deus um novo coração.
A Bíblia “Vida Nova” aproxima muito disto ao dizer que a palavra Bem-
aventurado (no Grego “Makarios) tráz o sentido de “felicidade do coração que está em
paz com Deus”.

Celeste compensação
Em cada bem-aventurança, para cada “atitude” há um resultado positivo
estabelecido por Jesus, que eu tomo a liberdade de chamar de “a celeste compensação
pela atitude da pessoa”:
Eles serão consolados! - Os que choram, se quebrantam diante do sofrimento do
próximo ou as durezas da vida, recebem consolo, conforto.
Eles herdarão a terra! - Os mansos – mansidão é uma atitude que se caracteriza
pelo sentimento de humildade, paciência e submissão – os mansos tratam com cuidado.
Vocês já observaram que há pessoas que, quando começam a falar a gente se sente
intimidado, temeroso; porém há outras que, quando falam nos atraem e sentimos o desejo
de dialogar, perguntar, para ouvirmos mais dela pela mansidão, sabedoria e cuidado com
que usa as palavras. Conseguem quebrar o peso e a capacidade de ferir que certas
palavras duras têm. Os agressivos ou temperamentais estão sempre procurando as
palavras mais duras e que possam ferir profundamente, pois magoar as pessoas é o
objetivo. Isso chama-se assédio moral.
Eles serão fartos! - Quem ama a justiça terá abundância de tudo – princípio da lei
mosáica.
Eles alcançarão misericórdia! - Os misericordiosos – disposição de ser bom,
socorrer, ajudar e ser perdoador
Eles serão chamados filhos de Deus! - Bem-aventurados os pacificadores.
Deles é o reino dos céus! - Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da
justiça – a justiça é a causa maior defendida por Jesus; justiça aos olhos de Jesus
implicava perdão e socorro ao sofrimento do próximo.
Deles é o reino dos céus! - Dos humildes de espírito. Quando usamos a palavra
espírito sempre atribuímos um sentido sobrenatural. Aqui a palavra espírito está se
referindo a uma atitude, uma disposição. O humilde de espírito é aquele que não se
orgulha, não exalta suas qualidades, não se sente maior que os outros. Olhe para o fariseu
e publicano orando no templo (Lucas 18:10-14) e verá os dois extremos – um humilde de
espírito e o arrogante.
Deles é o reino dos céus! - Os limpos ou puros de coração verão a Deus ... Tema
desta noite.
Em nossa conversão começa a acontecer um processo de mudança de atitude, de
mudança de coração.
Um pregador disse certa vez que nós passamos por três atos de conversão:
1) primeiro nos convertemos para Jesus Cristo
2) nos convertemos para a Igreja
3) nos convertemos então para o mundo

O Perfil do Filho do Reino


Jesus aqui dá o perfil do filho do Reino, do membro da família de Deus.
Humilde – Herdará o Reino de Deus;
Sensível - chora por causa da maldade deste mundo (recebe consolo, o Espírito
Santo nos conforta);
Manso - herda a terra;
Amor à justiça - defesa da justiça, amor à justiça (serão fartos);
Misericodioso - ter misericórdia, amar, se compadecer, (alcançará misericórdia), o
Bom Samaritano.
Pacificadores
O Perseguidos por causa da justiça
Os puros de coração - verá a Deus.
Essas são características ideais de qualquer cidadão. Entretanto, Jesus
contemplou as multidões e se compadeceu; Jesus não via essas características naqueles
que as deveriam ter.
Nesse momento jesus não só viu fisicamente as pessoas, mas também o
coração delas, o seu sofrimento, a falta de preparação para a vida, pessoas enganadas,
exploradas economicamente e socialmente, vítimas da falta de misericórdia ou de falsa
misericórdia, da desconsideração, do assédio de todos os tipos: assédio moral (aquele que
agride verbalmente); assédio físico (aquele que agride fisicamente para obrigar a alguma
coisa); assédio sexual; assédio econômico.
É necessário notar aqui que Jesus Cristo é o padrão de todas essas
características.
Estas são as características dos membros da família de Deus:

PUROS DE CORAÇÃO
Muitas vezes nós manifestamos ingenuamente nossas atitudes. Muitos de nós
quando conhecemos alguém logo fazemos um “Juízo de Valor”. Nós julgamos aquela
pessoa à primeira vista. Dizemos que “não fomos com a cara”. Isto é um reflexo do que
passa no nosso coração.
Muitas vezes a pessoa que encontramos tem um tipo físico semelhante a alguém
que nos foi muito ruim para nós e esta pessoa nos impressiona pelo medo que a sua
imagem nos causa. Há algo no fundo do nosso coração que nos faz reagir imediatamente.
Os limpos ou puros de coração verão a Deus. Salmo 24:3-4 diz (quem subirá ao
monte do Senhor? Quem há de permanecer no seu santo lugar? O que é limpo de mãos e
puro de coração, que não entrega sua alma à falsidade, nem jura dolosamente. Salmo
51:10 diz (Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito
inabalável)
Espírito inabalável – que não seja um “Maria vai com as outras”, um sem-
caráter próprio, um influenciável, aquele que se vende por qualquer preço, que negocia
princípios, que se deixa levar pelas ondas da lei Gerson “levar vantagem em tudo”, o
adepto do jeitinho brasileiro.
Eu os desafio a bucar em Deus, como Davi, um espírito inabalável.
A palavra limpo ou puro significa “inocente, ingênuo, infantil; incorrupto, não
contaminado, sem mácula (sem mancha), sem defeito.”
O CRENTE DE CORAÇÃO IMPURO
A maior preocupação de Jesus Cristo era de que os crentes, os de sua igreja, que
participavam do louvor, que pregavam sermões maravilhos, que ensinavam na Escola
dominical ou Sábatica, que davam o dízimo, que ofereciam sacrifícios para os pecados.
Eram crentes de dúpla personalidade. Faziam aquilo que não estava em seus corações.
Esse tipo de impureza de coração é o pior deles, porque eles conhecem a verdade,
conhecem os mandamentos de Deus e não os prática.
Alguém diria, mas eles estão praticando. Na perspectiva de Jesus eles estão
fazendo uma encenação do que deveria ser.
Paulo define muito bem o que puro ou impuro em 1 Cor. 5:10-11. (10 com isso
não me referia à comunicação em geral com os devassos deste mundo, ou com os
avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário
sair do mundo. 11 Mas agora vos escrevo que não vos comuniqueis com aquele que,
dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou
roubador; com esse tal nem sequer comai)s.
Jesus Cristo, ao olhar a multidão, vê um rebanho de ovelhas sem pastor,
perdidos, sem direção, massacrados pela impureza de coração tanto dos não crentes
(adoradores de deuses pagãos ou ateus) como dos próprios crentes.
Deus é onisciente, conhece até o menor dos nossos pensamentos, e porisso
conhecia os crentes daquela época.
O coração impuro a que Jesus se refere é o coração cheio de pecado, que nos
faz egoístas, narcisistas, que vive segundo os desejos da carne, ou seja, aquela pessoa que
só pensa em seu bem-estar, em tirar proveito de tudo, em levar vantagem a qualquer
preço.
Atitude “TÔ NEM AÍ” não se comove com nenhum mal que acontece com as
outras pessoas, desde que isto não lhe afete ou lhe dê algum prejuízo.
Davi, no Salmo 51, nos ensina que nós não temos condições de nos fazer
puros, sem pecado, que nós dependemos da graça de Deus para isso. Ele, na sua angústia
resultante do pecado grave que cometeu, sente-se o mais miserável de todos os homens e
sem condições de fazer qualquer coisa para si. Assim, ele ora a Deus, essa oração
maravilhosa do salmo 51.
Depois ele diz quebra senhor esse Davi de coração sujo, impuro, pecador e “cria
em mim um coração puro ...”.
Mas pede também força espiritual para não cair outra vez, para torná-lo forte,
resistente ao pecado, quando diz “... e renova dentro de mim um espírito inabalável”.
Quando Jesus diz que os puros de coração verão a Deus, ele está dizendo que a
maior das felicidades pertence a quem tem coração limpo é ver a Deus. Ver a Deus é algo
que não foi permitido nem a Adão antes de pecar. Ele diz que das crianças, puras, é o
Reino dos céus – “deixai vir a mim as criancinhas ...”
Para encerrar eu quero apresentar o que o escritor comentarista bíblico de nome
Barclay diz. Ele declara que Jesus pede de nós um exame pessoal íntimo, e levanta as
seguintes questões.
1. Como cristãos, nós servimos como servos, por amor a Deus e ao próximo? Ou
esperamos uma recompensa?
2. O que fazemos é desinteressado? Ou é por motivos egoístas de engrandecimento
pessoal?
3. O que fazemos na Igreja, o fazemos para Cristo? Ou fazemos para nos projetar,
para sermos elogiados, bem-vistos?
4. Quando nós vamos à igreja, nós vamos com o desejo ardente no coração de
encontrar com Deus, de ter uma comunhão com ele, e adorá-lo simplesmente
porque ele é o nosso Deus? Ou nós vamos por hábito, obrigação, rotina, ou
porque o conjunto canta bonito e pastor prega muito bem?
5. Nossa devocional (ler a bíblia, orar, cantar) vem de um desejo sincero de estar na
companhia de Deus? Ou é porque isto nos faz sentir bem e para dizer a outros que
nos fazemos isto religiosamente e assim nos parecer mais crentes que eles?
Lembram do fariseu e do publicano quando foram orar no tempo? Em quem você
se espelha no fariseu ou no publicano (Lucas 18:9-14).
6. Nossa religião é resultado do desejo de ter Deus no nosso coração? Ou é para nos
sentirmos confortáveis com a nossa religiosidade?
Reflitam sobre essas perguntas. Se não souber respondê-las, converse com alguém que
pode ajudá-lo.

Deus abençoe vocês!