You are on page 1of 33

P á g i n a

| 93

Curso Intensivo Pré-Vestibular UFPB 2012

P á g i n a | 93 Curso Intensivo Pré-Vestibular UFPB 2012 Campus I (João

Campus I

(João Pessoa)

História

Cristiano Maia / Vítor Sousa / João Aurélio / José Kleyton

Professor Responsável: Prof. Dr. Luiz de Sousa Jr. (Chefe de Gabinete Reitor UFPB)

Coordenadora Pedagógico: Sabrina Grisi P. de Alencar Apoio Pedagógico: Jivago Correia Barbosa Coordenador de Área: Afrânio Carneiro Jacome

P á g i n a

| 94

  • 01 - (UECE) Por muito tempo, os historiadores acreditavam que deveriam e poderiam reproduzir os fatos "tal

como haviam ocorrido". Dentre as características do conhecimento histórico que assim produziam, podemos assinalar corretamente:

  • a) Ao privilegiarem a realidade dos fatos, os historiadores esperavam produzir um conhecimento científico,

que analisasse os processos e seus significados.

  • b) Era uma história linear, cronológica, de nomes, fatos e datas, que pretendia uma verdade absoluta,

expressão da neutralidade do historiador.

  • c) Como se percebeu ser impossível chegar à verdadeira face do que "realmente aconteceu", todo o

conhecimento histórico ficou marcado pelo relativismo total.

  • d) Os fatos privilegiados seriam aqueles poucos que eram amplamente documentados, como as festas

populares e a cultura das pessoas comuns.

  • 02 - (UECE) Sobre as relações entre passado e o presente no trabalho do historiador, podemos afirmar

corretamente que:

  • a) é o presente que direciona todo o trabalho do historiador, fazendo-o escolher no passado somente aqueles

fatos e documentos que interessam às suas opções políticas.

  • b) o interesse por certos temas e as formas de abordar a história são influenciados pelas experiências diretas

do historiador e suas opções políticas e sociais.

  • c) o passado se impõe ao historiador através dos documentos, não importando as pressões nem os interesses

do pesquisador.

  • d) o historiador pode constituir quantos passados quiser, já que seu trabalho depende exclusivamente dos

interesses mutáveis do presente.

03

-

(UFCE)

"A

História humana não

se

desenrola apenas nos campos de

batalha e nos gabinetes

presidenciais. Ela se desenrola também nos quintais entre plantas e galinhas, nas ruas de subúrbios, nas casas de jogos, nos prostíbulos, nos colégios, nas usinas, nos namoros de esquinas." - Ferreira Gullar No que refere ao fato histórico e à produção do conhecimento histórico, é correto afirmar que:

  • a) o fato histórico não tem que ser, necessariamente, um grande acontecimento; ele também se faz no

cotidiano das pessoas.

  • b) a missão do historiador é, a partir dos documentos primários; estabelecer os fatos históricos e estudá-los

em sua linearidade.

  • c) o trabalho do historiador é mostrar os fatos como realmente ocorreram, não cabendo uma abordagem

crítica.

  • d) a nova História tem-se preocupado, basicamente, em gerar uma produção histórica objetivando contestar a

interpretação marxista da História.

  • e) a história marxista enfoca fatos históricos protagonizados por "Heróis", reforçando a ideologia da classe

dominante.

  • 04 - (UnB-DF) No limiar do século XX, às vésperas da Primeira Guerra Mundial, o historiador francês Ernest

Lavisse fornecia as instruções para o ensino da História aos jovens de seu tempo, das quais reproduz-se o trecho seguinte: "Ao ensino histórico incumbe o dever glorioso de fazer amar e de fazer compreender a pátria, todos os nossos heróis do passado, mesmo envolto em lendas. Se o estudante não leva consigo a viva lembrança de nossas glórias nacionais, se não sabe que nossos ancestrais combateram por mil campos de batalhas por nobres causas, se não aprendeu o que custou o sangue e o esforço para constituir a unidade da pátria e retirar, em seguida do caos de nossas instituições envelhecidas, as leis sagradas que nos fizeram livres, se não se torna um cidadão compenetrado de seus deveres e um soldado que ama a sua bandeira, o professor perdeu seu tempo." Com o auxílio das idéias defendidas pelo historiador Lavisse, julgue os itens que se seguem:

(1) A História é escrita pelos pesquisadores e deve ser ensinada pelos mestres com o compromisso de quem pesquisa e ensina as grandes questões de seu tempo. (2) A visão excessivamente patriótica do autor expõe concepções que, no alvorecer do século XX, entendiam que o historiador tinha como função glorificar a nação, o Estado e as instituições. (3) O "ensino histórico", no contexto do Brasil contemporâneo, deve ser, sobretudo, um instrumento de combate para fazer que as armas intelectuais estejam a favor da unidade da pátria e do amor de cada cidadão pela sua bandeira. (4) A revolução metodológica no ensino da História tornou-se, no fim do século XX, completamente racional e neutra, sem qualquer possibilidade de interferência da ideologia na teoria.

P á g i n a

| 95

  • 05 - (UnB-DF) Pelo olhar do poeta, também é possível compreender determinados aspectos essenciais para

a conceituação da História. Leia, por exemplo, Carlos Drummond de Andrade:

"Aconteceu há mil anos? Continua acontecendo. Nos mais desbotados panos Estou me lendo e relendo."

Ou, ainda, do mesmo autor:

"O tempo é minha matéria, o tempo presente, os homens presentes, a vida (presente.)" Com o auxílio das observações de Drummond, julgue os seguintes itens, referentes ao conceito de História e ao ofício do historiador.

(1) Tendo por objeto o estudo do passado, a História parte das contingências da "vida presente" para inquirir aquilo que passou. (2) Especialmente em épocas de crise generalizada, sobressai o papel que se espera do historiador: lembrar o que os outros esqueceram. (3) O quarteto acima traz a idéia de que o passado é continuamente reescrito, a partir de cada presente e de seus novos interesses, eliminando, assim, a possibilidade de a História conter um caráter científico. (4) A reconstrução do passado, exatamente como ele ocorreu, é o que fazem os historiadores, independentemente de suas convicções ideológicas e pessoais.

  • 06 (FESP) A necessidade de situar-se no tempo é inerente ao homem e para facilitar o registro dos feitos

da humanidade, historiadores, já no século XVII, estabeleceram 3 fases ou idades: antiga, média e moderna, hoje acrescidas de mais uma contemporânea. Sobre essa periodização, que está assinalada na linha do tempo abaixo reproduzida, é correto afirmar que:

  • 1. É universal, podendo ser aplicada à História de todos os povos do mundo.

  • 2. Toma como referência grandes acontecimentos, a exemplo da Tomada de Constantinopla que foi, de fato,

da maior importância para toda a humanidade.

  • 3. É criticada por estabelecer marcos, negando assim que as mudanças históricas são resultantes de

processos lentos que levam, às vezes, séculos para se concretizarem.

  • 4. Despreza a Pré-História na medida em que os povos sem escrita não tem História.

  • 5. É, além de ocidentalizante, europeizante, dado os marcos que estabelece.

Assinale a opção correta:

a) 1 e 4

b) 3 e 5

c) 2 e 4

d) 1 e 5

e) 2 e 3

  • 07 "Do ponto de vista da ação sobre o pensamento científico, as diferentes perspectivas e ideologias não se

situam no mesmo plano. Certos juízos de valor permitem maior compreensão da realidade do que outros."

Com esta afirmação, Lucien Goldman:

  • a) nega o fenômeno da determinação social do conhecimento;

  • b) admite que todo conhecimento e, em última instância, subjetivo;

  • c) propõe que a compreensão da realidade fundamenta, de maneira lógica, a validade de todos os juízos de

valor;

  • d) reconhece, implicitamente, a possibilidade de escolha entre métodos com diferentes alcances na

abordagem do real;

  • e) n.d.a.

    • 08 (UFPE) Na Pré-História encontramos fases do desenvolvimento humano. Qual a alternativa que

apresenta características das atividades do homem na fase neolítica?

  • a) Os homens praticavam uma economia coletora de alimentos;

  • b) Os homens fabricavam seus instrumentos para obtenção de alimentos e abrigo.

  • c) Os homens aprenderam a controlar o fogo.

  • d) Os homens conheciam uma economia comercial e já praticavam os juros.

  • e) os homens cultivavam plantas e domesticavam animais, tornando-se produtores de alimentos.

P á g i n a

| 96

  • 09 (UFPE) A arqueologia é técnica científica usada pelos historiadores para resgatar o passado mais remoto

da humanidade através de seus vestígios materiais, graças à arqueologia é que existe o conhecimento da Pré-

História. Assinale a alternativa que não corresponde à Pré-História.

  • a) Estudos comprovam que os tipos Neanderthalenses e Arcantropinos habitavam parte da África, Ásia e

Europa há cerca de 200 mil anos atrás.

  • b) As raças Grimalde e a Cro-Magnon são consideradas Homo Sapiens.

  • c) No mesolítico as técnicas de produção dos artefatos variavam entre as formas paleolíticas anteriores e as

formas neolíticas posteriores.

  • d) O homem de Neanderthal desenvolveu sua cultura material no paleolítico médio.

  • e) Os historiadores têm compreendido mais claramente a vida cotidiana na cidade de Pompéia, na Itália, a

partir das escavações arqueológicas.

  • 10 (UFSCAR) Entre as transformações havidas na passagem da pré-história para o período propriamente

histórico, destaca-se a formação de cidades em regiões de:

  • a) solo fértil, atingido periodicamente pelas cheias dos rios, permitindo grande produção de alimentos e

crescimento populacional.

  • b) difícil acesso, cuja disposição do relevo levantava barreiras naturais às invasões de povos que viviam do

saque de riquezas.

  • c) entroncamento de rotas comerciais oriundas de países e continentes distintos, local de confluência de

produtos exóticos.

  • d) riquezas minerais e de abundância de madeira, condições necessárias para a edificação dos primeiros

núcleos urbanos.

  • e) terra firme, distanciada de rios e de cursos d’água, com grau de salubridade compatível com a

concentração populacional.

  • 11 (ENEM) Se compararmos a idade do planeta Terra, avaliada em quatro e meio bilhões de anos (4,5∙109

anos), com a de uma pessoa de 45 anos, então, quando começaram a florescer os primeiros vegetais, a Terra já teria 42 anos. Ela só conviveu com o homem moderno nas últimas quatro horas e, há cerca de uma hora,

viu-o começar a plantar e a colher. Há menos de um minuto percebeu o ruído de máquinas e de indústrias e, como denuncia uma ONG de defesa do meio ambiente, foi nesses últimos sessenta segundos que se produziu todo o lixo do planeta! O texto permite concluir que a agricultura começou a ser praticada há cerca de:

  • a) 365 anos.

  • b) 460 anos.

  • c) 900 anos.

  • d) 10.000 anos.

  • e) 460.000 anos.

    • 12 (FGV) A transição do Paleolítico Superior para o Neolítico (entre 10 000 a.C. e 7000 a.C.) foi

acompanhada por algumas mudanças básicas para a humanidade. Entre essas, poderíamos citar:

  • a) o aparecimento da linguagem falada;

  • b) a domesticação dos animais e plantas, isto é o aparecimento da agricultura e do pastoreio;

  • c) o aparecimento da magia e da arte;

  • d) o povoamento de amplas áreas antes não povoadas, como a Europa Central e Ocidental;

  • e) o aparecimento de vários novos instrumentos, como a agulha de osso, os arpões, os anzóis, a machadinha,

a lança e a faca.

  • 13 (FCSCLSP) Examine as três proposições, julgando se são verdadeiras ou falsas. Em seguida, assinale

a alternativa correta. I. A Pré-História, época compreendida entre o aparecimento do homem sobre a Terra e o uso da escrita, é

dividida tradicionalmente em dois períodos: Paleolítico e Neolítico. II. A domesticação de animais e o surgimento da agricultura ocorreram apenas após a invenção da escrita, posterior, portanto, ao Neolítico. III. A duração do Paleolítico é bem mais extensa que a do Neolítico, envolvendo níveis técnicos naturalmente mais primitivos.

  • a) Todas as proposições são verdadeiras.

  • b) Apenas as proposições I e II são verdadeiras.

P á g i n a

| 97

c)

Apenas as proposições I e III são verdadeiras.

d)

Apenas as proposições II e III são verdadeiras.

 

e)

Todas as proposições são falsas.

14

- (UFPE) "Revolução Neolítica" é uma expressão criada pelo arqueólogo Gordon Childe, nos anos 60. Essa

revolução implicou uma série de mudanças. A que tipo de mudanças se refere essa expressão?

(

(

(

(

(

) Mudanças econômicas

) Mudanças nas estruturas sociais

) Mudanças tecnológicas

) Mudanças ideológicas

) Aumento demográfico

15

- (PUC) A atuação do Estado na vida econômica dos povos da Antigüidade Oriental, principalmente em

relação à agricultura, foi bastante acentuada, sendo justificada por eles como:

 

a)

forma de garantir a produção de gêneros de primeira necessidade sem excedentes lucrativos;

b)

necessária para assegurar as provisões para consumo do Exército;

 

c)

decorrente da necessidade de controlar a produção em tempo de guerra;

 

d)

única maneira de garantir a distribuição eqüitativa da riqueza entre os súditos;

e)

responsabilidade atribuída aos governantes para zelarem pelo bem comum.

16

- (FUND. CARLOS CHAGAS) No Novo Império Egípcio (1580 - 525 a. C.), a revolução promovida por

Amenófis IV (também chamado Akhnaton) teve grande significado porque consistiu na:

a)

expulsão dos hicsos, povo semita que dominava o Egito desde o Antigo Império;

b)

unificação das diferentes províncias - nomos - evitando assim a fragmentação do Estado;

c)

realização de modificações na estrutura social do Egito, para eliminar as oligarquias agrárias;

d)

promoção de ampla reforma agrária, de modo a atenuar a miséria dos camponeses;

e)

introdução de uma religião monoteísta, a fim de limitar a influência política dos sacerdotes.

17

- Os Estados teocráticos da Mesopotâmia e do Egito evoluíram acumulando características comuns e

peculiaridades culturais. Os egípcios desenvolveram a prática de embalsamar o corpo humano porque:

a)

se opunham ao politeísmo dominante na época;

 

b)

seus deuses, sempre prontos a castigar os pecadores, desencadearam o Dilúvio;

c)

depois da morte, a alma podia voltar ao corpo mumificado;

 

d)

construíram túmulos em forma de pirâmides truncadas, erigidos para a eternidade;

e)

os camponeses constituíam a categoria social inferior.

 

18

- (FAC. MED. AMIN) "Salve, ó Nilo (

)

regas a terra em toda parte, ó deus dos grãos, senhor dos

peixes, produtor do trigo e da cevada (

... sacudido de alegria e os dentes rangem." O trecho acima celebra:

)

...

)

todo ventre se agita, o dorso é

a)

o Egito, região quente e seca como o Saara;

b)

a crença numa vida de além-túmulo e as dores do parto;

 

c)

O poder criador do regime das cheias e das vazantes do rio Nilo, que deixavam no solo um lodo de grande

fertilidade.

d)

as nascentes desconhecidas do Rio Nilo;

e)

o relativo isolamento do vale, limitado pelos desertos da Arábia e da Líbia;

 

19

- Carlos Martel é considerado o defensor da Cristandade contra os muçulmanos porque:

a)

venceu os mouros na Batalha de Poitiers;

b)

perdeu a Batalha de Poitiers para os mouros;

c)

derrotou os visigodos na Batalha de Poitiers;

d)

perdeu a Batalha de Poitiers para os visigodos.

 

e)

n.d.a.

P á g i n a

| 98

20

- (FAAP) Entre os principais povos bárbaros que invadiram o Império Romano, podemos citar:

a)

os vândalos;

b)

os francos;

c)

os visigodos;

d)

os ostrogodos;

e)

todas as anteriores.

21

- (PUC) O Império Carolíngio surgiu com a coroação de Carlos Magno em Roma por Leão III, no ano de

800. Daí em diante, o poder imperial aumentou consideravelmente, pois:

a)

a administração foi aprimorada, com a instituição dos missi dominici e das capitulares;

b)

o desenvolvimento cultural foi estimulado, inclusive com a criação de escolas de ler e escrever;

c)

Paulo Lombardo, Alcuíno e Eginhardo deram destaque à cultura da época;

d)

todas estão corretas;

e)

todas estão erradas.

22

- (OSEC) Os fenícios dedicavam-se primordialmente ao comércio marítimo porque:

a)

era grande seu excedente agrícola;

b)

sua organização militar lhes garantia o domínio dos mares;

c)

sua localização geográfica os induzia a isso;

d)

sua organização política era fortemente centralizada;

e)

sua atividade militar lhes proporcionava numerosos escravos para atuar nas galeras como remadores.

23

- (ENG. SOROCABA) A grande faixa de terra produtiva que se estende para o noroeste do Golfo Pérsico,

daí descendo pela costa do Mediterrâneo até quase o Egito, região que foi o berço das mais antigas culturas

 

históricas, chama-se:

a)

Vale da Produtividade

b)

Planície Nilótica

c)

Crescente Fértil

d)

Vale Crescente

e)

Vale do Nilo

24

- (FUVEST) A escrita cuneiforme dos mesopotâmios, utilizada principalmente em seus documentos

religiosos e civis, era:

a)

semelhante em seu desenho à escrita dos egípcios;

b)

composta exclusivamente de sinais lineares e traços verticais;

c)

uma representação figurada evocando a coisa ou o ser;

d)

baseada em agrupamentos de letras formando sílabas;

e)

uma tentativa de representar os fonemas por meio de sinais.

25

- (OSEC) "Se um homem negligenciar a fortificação de seu dique, se ocorrer uma brecha e o cantão

inundar-se, o homem será condenado a restituir o trigo destruído por sua culpa. Se não puder restituí-lo, será vendido, assim como seus bens, e as pessoas do cantão de onde a água levou o trigo repartirão entre si o produto da venda."

 

O texto faz referência:

a)

à doutrina de Zoroastro e a seu livro Zend-Avesta;

b)

à Lei de Talião e ao Código de Hamurábi;

c)

ao Livro dos Mortos;

d)

à Sátira das Profissões;

e)

ao Hino ao Sol, de Amenófis IV.

26

- (UEPB) Dentre os movimentos sociais que marcaram a República Romana, podemos destacar as lutas

entre patrícios e plebeus. Sobre estas lutas, é correto afirmar:

A)

O casamento entre patrícios e plebeus não foi permitido, apesar das conquistas do povo romano nas lutas

contra os patrícios.

b)

Apesar da marginalização política, não havia discriminação entre patrícios e plebeus.

P á g i n a

| 99

  • c) Os plebeus conquistaram, em 367 a.C, o direito de participar do consulado com a promulgação da Lei

Licínia, que também regulamentou a exploração das terras públicas.

  • d) Quando um patrício tornava-se insolvente, sem condições de pagar dívidas, tinha de se submeter ao

nexum. Este foi um dos fatores que causou os conflitos entre plebeus e patrícios.

  • e) Em 450 a.C, foi publicada a Lei das Doze Tábuas, um dos fundamentos do Direito Romano, que não

assegurou a igualdade jurídica entre patrícios e plebeus.

  • 27 - (OSEC) Quanto à história de Roma, pode-se considerar que:

    • a) no Império Romano, todos os homens livres - os cidadãos - eram proprietários de terras

    • b) no Império Romano, a base da economia era o comércio e a indústria

    • c) na passagem da República para o Império, Roma deixou de ser uma democracia e transformou-se numa

oligarquia

  • d) os irmãos Tibério e Caio Graco foram dois tribunos da plebe que lutaram pela redistribuição das terras do

Estado (ager publicus) entre todos os cidadãos romanos

  • e) Roma conheceu apenas dois regimes políticos: a República e o Império

    • 28 - ENEM 2010 - Segundo Aristóteles, “na cidade com o melhor conjunto de normas e naquela dotada de

homens absolutamente justos, os cidadãos não devem viver uma vida de trabalho trivial ou de negócios esses tipos de vida são desprezíveis e incompatíveis com as qualidades morais -, tampouco devem ser agricultores os aspirantes à cidadania, pois o lazer é indispensável ao desenvolvimento das qualidades morais e à prática das atividades políticas”. (VAN ACKER, T. Grécia. A vida cotidiana na cidade-Estado. São Paulo:

Atual, 1994. O trecho, retirado da obra Política, de Aristóteles, permite compreender que a cidadania).

a)Possui uma dimensão histórica que deve ser criticada, pois é condenável que os políticos de qualquer época fiquem entregues à ociosidade, enquanto o resto dos cidadãos tem que trabalhar. b)Era entendida como uma dignidade própria dos grupos sociais superiores,fruto de uma concepção política profundamente hierarquizada da sociedade. c)Estava vinculada, na Grécia antiga, a uma percepção política democrática, que levava todos os habitantes da polis a participarem da vida cívica. d)Tinha profundas conexões com a justiça, razão pela qual o tempo livre dos cidadãos deveria ser dedicado às atividades vinculadas aos tribunais. e)Vivida pelos atenienses, era, de fato, restrita àqueles que se dedicavam à política e que tinham tempo para resolver os problemas da cidade.

  • 29 - (FGV) Sobre a Inconfidência Mineira é correto afirmar:

    • a) Foi um movimento que contou com uma ampla participação de homens livres não-proprietários e até

mesmo de muitos escravos negros.

  • b) O clero de Minas Gerais não teve nenhuma participação na conspiração, que tinha uma forte conotação

anti-eclesiástica;

  • c) Entre os planos unanimemente aprovados pelos conspiradores de Minas estava a abolição da escravatura;

  • d) Entre os fatores que influenciaram os "inconfidentes" estavam as "idéias francesas" (o Iluminismo, o

Enciclopedismo) e a "justificação pelo exemplo", da Independência Norte-Americana.

  • e) Os "inconfidentes" jamais pensaram seriamente em proclamar a Independência do Brasil em relação a

Portugal, pretendendo apenas forçar a Coroa a suspender a cobrança da "derrama".

  • 30 - (UNIFENAS) O ideário político de conteúdo liberal da Inconfidência Mineira apresentava algumas

contradições, dentre elas:

  • a) manutenção do regime de trabalho escravo;

  • b) adoção de um regime político republicano;

  • c) estabelecimento de uma Universidade em Vila Rica;

  • d) separação e independência dos poderes executivo, legislativo e judiciário;

  • e) manutenção dos antigos privilégios concedidos às companhias de comércio

    • 31 - PUC RS 2006 - “Depois de meio século de lutas internas, Caio Júlio César, um general aristocrata que se

dizia descenden-te de Vênus e Enéias, conquistou em poucos anos a Gália, uma enorme área que orresponde, mais menos, à atual França, Suíça, Bélgica e parte da Alemanha. Quando o Senado não lhe quis permitir que

continuasse a comandar as tropas, César recusou-se a obedecer (

...

)

e tornou-se ditador em seguida”.

P á g i n a

| 100

(FUNARI, Pedro P. Grécia e Roma. São Paulo: Contexto, 2001, p. 89). Considerando a história política da Roma Antiga, o contexto refere-se a uma culminância da crise.

a)

da Realeza.

b)

da República.

c)

do Principado.

d)

do Alto Império.

e)

do Baixo Império.

32

- PUC RS 2006.

I. O rei, ao doar terras a um nobre, em geral não outorgava direitos sobre a população habitante daquela terra, que ficava submetida à justiça real. II. O vassalo, nobre que recebia terras de seu suserano, devia a este, obrigações tais como serviço militar, hospedagem e contribuição para o dote e armação de seus filhos. III. As relações de suserania-vassalagem limitavam-se ao rei e aos nobres mais ricos do reino, não se estabelecendo nas relações entre os nobres mais ricos e os menos poderosos. IV. A figura do rei conservou seu caráter sagrado, em geral confirmado pela unção recebida do Papa no ato de sua coroação. Estão corretas as afirmativas

a)

I e II.

b)

I e III.

c)

II e IV.

d)

I, III e IV.

e)

II, III e IV

33

- PUC RS 2006 - Considere as seguintes afirmativas sobre o Império Carolíngeo, constituído a partir do

reino dos Francos durante a chamada Alta Idade Média.

 

I. A dinastia carolíngea, a partir de Pepino, o Breve, no século VIII, buscou combater o poder temporal da Igreja através do confisco de terras eclesiásticas e da dissolução do chamado Patrimônio de São Pedro, na Itália.

II. A partir do reinado de Carlos Magno, coroado “imperador dos romanos” no ano de 800, a servidão

enfraqueceu-se consideravelmente na Europa, pois o Estado impunha aos nobres a transformação dos servos da gleba em camponeses livres, para facilitar o recrutamento militar. III. Apesar de procurar centralizar o poder, Carlos Magno contribuiu para a descentralização política no Império, ao distribuir propriedades de terras e direitos vitalícios entre os vassalos, em troca de lealdade e de serviço militar. IV. O Tratado de Verdun, firmado entre os netos de Carlos Magno após esses guerrearem entre si, dividia o Império em três partes, que passavam a constituir Estados apenas nominais, devido à consolidação da ordem política feudal. São corretas apenas as afirmativas

a)

I e II.

b)

II e III.

c)

III e IV.

d)

I, II e IV.

e)

I, III e IV.

34

- PUC RS 2006 O Renascimento, movimento cultural com origem na Itália, e o Humanismo, no princípio

da Idade Moderna, tiveram repercussão social de caráter

Ao representarem as relações do

, a renovação científica do período criou uma nova imagem do universo físico, marcada pelo _________.

ao passo que

a)

popular antropocentrismo geocentrismo

b)

elitista teocentrismo heliocentrismo

c)

popular antropocentrismo heliocentrismo

d)

popular teocentrismo geocentrismo

e)

elitista antropocentrismo heliocentrismo

P á g i n a

| 101

35

- PUC 2006 - Em 1640, com o fim da União Ibérica, Portugal se defronta com vários problemas e desafios

para administrar o Brasil Colonial e desenvolver a sua economia. Entre esses problemas, NÃO pode ser

arrolada.

 

a)

a expulsão dos holandeses da região açucareira do Nordeste.

b)

a destruição do Quilombo de Palmares, que desafiava a ordem escravista.

c)

a escassez de metais preciosos e a queda dos preços do açúcar.

d)

a expulsão dos jesuítas que dificultavam a escravização dos indígenas no estado do Grão-Pará.

e)

a reorganização administrativa da colônia e de sua defesa.

36

- FATEC 2006 - Sobre a Paz de Deus e a Trégua de Deus, estabelecidas a partir dos séculos X e XI, na

Europa Ocidental, é correto afirmar:

 

a)

Eram tentativas de os poderes eclesiásticos controlarem as ações da nobreza.

b)

Representaram uma política de tolerância religiosa com relação aos judeus e bizantinos.

c)

Eram movimentos inspirados nas pregações de São

Francisco de Assis.

 

d)

Eram formas de reação às ações militares desenvolvidas na Península Ibérica.

e)

Eram manifestações heréticas contrárias à política belicista da Igreja de Roma.

37

"(

- (Enem/1999) Considere os textos abaixo. de modo particular, quero encorajar os crentes empenhados no campo da filosofia para que iluminem os

)

a)

a encíclica papal está em contradição com o pensamento de Santo Tomás de Aquino, refletindo a diferença

de épocas.

 

b)

a encíclica papal procura complementar Santo Tomás de Aquino, pois este colocava a razão natural acima

da fé.

c)

a Igreja medieval valorizava a razão mais do que a encíclica de João Paulo II.

d)

o pensamento teológico teve sua importância na Idade Média, mas, em nossos dias, não tem relação com o

pensamento filosófico.

 

e)

tanto a encíclica papal como a frase de Santo Tomás de Aquino procuram conciliar os pensamentos sobre fé

e razão.

 

38

- Fatec-SP - Uma das características a ser reconhecida no feudalismo europeu é:

a)

A sociedade feudal era semelhante ao sistema de castas.

b)

Os ideais de honra e fidelidade vieram das instituições dos hunos.

c)

Vilões e servos estavam presos a várias obrigações, entre elas o pagamento anual de capitação, talha e

banalidades.

 

d)

A economia do feudo era dinâmica, estando voltada para o comércio dos feudos vizinhos.

e)

As relações de produção eram escravocratas.

39

- (Enem/1999) "(

)

Depois de longas investigações, convenci-me por fim de que o Sol é uma estrela

fixa rodeada de planetas que giram em volta dela e de que ela é o centro e a chama. Que, além dos planetas

principais, há outros de segunda ordem que circulam primeiro como satélites em redor dos planetas principais

e com estes em redor do Sol. (

)

Não duvido de que os matemáticos sejam da minha opinião, se quiserem

... dar-se ao trabalho de tomar conhecimento, não superficialmente mas duma maneira aprofundada, das demonstrações que darei nesta obra. Se alguns homens ligeiros e ignorantes quiserem cometer contra mim o abuso de invocar alguns passos da Escritura (sagrada), a que torçam o sentido, desprezarei os seus ataques:

as verdades matemáticas não devem ser julgadas senão por matemáticos." (COPÉRNICO, N. De Revolutionibus orbium caelestium.) "Aqueles que se entregam à prática sem ciência são como o navegador que embarca em um navio sem leme nem bússola. Sempre a prática deve fundamentar-se em boa teoria. Antes de fazer de um caso uma regra geral, experimente-o duas ou três vezes e verifique se as experiências produzem os mesmos efeitos. Nenhuma investigação humana pode-se considerar verdadeira ciência se não passa por demonstrações matemáticas."(VINCI, Leonardo da. Carnets.)

P á g i n a

| 102

O aspecto a ser ressaltado em ambos os textos para exemplificar o racionalismo moderno é

  • a) a fé como guia das descobertas

  • b) o senso crítico para se chegar a Deus

  • c) a limitação da ciência pelos princípios bíblicos

  • d) a importância da experiência e da observação

  • e) o princípio da autoridade e da tradição

    • 40 - (UFPI) Na transição do feudalismo para o capitalismo, tivemos:

      • a) a transformação de uma sociedade estamental, com fraca mobilidade vertical e posições sociais pela origem

de nascimento, para uma sociedade de classes com grande mobilidade vertical e posições sociais determinadas pelo poder econômico.

  • b) a transformação de uma sociedade de classes, com grande mobilidade vertical, para uma sociedade

estamental com fraca mobilidade vertical e posições sociais determinadas pelo poder econômico.

  • c) a passagem de uma sociedade de classes para uma sociedade de castas.

  • d) a desorganização de uma sociedade patriarcal, com grande mobilidade vertical, para uma sociedade

estamental com fraca mobilidade social.

  • e) a mudança de uma sociedade de castas para uma sociedade estamental

    • 41 - (UFPA) Observadas as realidades históricas pertinentes ao absolutismo monárquico na Europa moderna,

é possível apresentar-se a seguinte conclusão:

  • a) as monarquias absolutas foram mais expressivas nos países em que predominou a influência protestante,

haja vista que o luteranismo exaltava os poderes do Estado como necessários para a glória de Deus.

  • b) na Inglaterra, a monarquia absoluta é suprimida, ainda no século XVII, através da revolução com que

Oliver Cromwell derrubou a dinastia dos bourbons e consagrou o papel da república como agente

constitucional britânico.

  • c) nos países em que foi menos expressiva a presença da Igreja católica, inexistiu, virtualmente, a monarquia

absoluta, fato que se verificou em relação a Portugal e Espanha.

  • d) as monarquias absolutas resultaram, em última análise, das profundas transformações produzidas pelo fim

do feudalismo. Na Itália, por exemplo, o desmoronamento da ordem feudal resultou na formação do Estado

moderno italiano.

  • e) na França, o apogeu do sistema absolutista ocorre num momento em que a economia francesa

experimentava uma fase de desenvolvimento e de consolidação, graças à política executada por Colbert no

governo de Luís XIV.

  • 42 - (MACK) O período de predomínio do mercantilismo caracteriza-se:

    • a) pela extinção das empresas monopolistas;

    • b) pela luta entre mercadores e manufaturadores;

    • c) pela grande acumulação de metais preciosos;

    • d) pelo desaparecimento das guildas;

    • e) o declínio do mercado inglês e de suas estruturas industriais

      • 43 - (FUVEST) No processo de formação dos estados Nacionais da França e da Inglaterra, podem ser

identificados os seguintes aspectos:

  • a) Fortalecimento do poder dos senhores de terras e retardamento da formação do estado moderno.

  • b) Ampliação da dependência do rei em relação aos senhores feudais e à Igreja.

  • c) Foi resultado dos conflitos na chamada guerra dos cem anos que caracterizou a centralização política destes

dois países.

  • d) Diminuição do poder real e crise do capitalismo comercial.

  • e) Marcado pelo advento da dinastia Bragança e Castela

    • 44 - (UFSC) Os instrumentos são de vários tipos; alguns são vivos, outros inanimados; o capitão de um navio

usa um leme sem vida, mas um homem vivo como observador; pois o trabalhador num ofício é, do ponto de

vista do ofício, um de seus instrumentos. Assim, qualquer parte da propriedade pode ser considerada um instrumento destinado a tornar o homem capaz de viver; e sua propriedade é a reunião desse tipo de instrumentos, incluindo os escravos; e um escravo, sendo uma criatura viva, como qualquer outro

P á g i n a

| 103

servo, é uma ferramenta equivalente às outras. Ele é em si uma ferramenta para manejar ferramentas (Aristóteles (século IV a.C.). Política)

A escravidão era comum na Grécia Antiga. Em Atenas, Corinto e Mileto, quase toda a vida econômica dependia do trabalho escravo. Era freqüente encontrar o escravo trabalhando na agricultura, nas oficinas de artesanato, em serviços domésticos e nas minas. O modo como os gregos encaravam a escravidão ficou registrado em textos de filósofos da época, como o de Aristóteles, do qual podemos depreender que o escravo era visto como um:

  • a) ser vivo e humano, antes de tudo.

  • b) instrumento de trabalho vivo e uma propriedade.

  • c) cidadão com direitos, por ser uma criatura viva.

  • d) servo para qualquer trabalho, que não podia ser vendido.e) trabalhador assalariado, explorado como

ferramenta viva de trabalho.

  • 45 - Considerando a Grécia Antiga, podemos dizer que os gregos constituíram uma cultura, mas não um

Estado. Isto se deve ao fato de:

  • a) Possuírem a mesma língua e hábitos idênticos, cultuarem os mesmos deuses e preservarem a monarquia

como forma de governo.

  • b) Apesar de falarem a mesma língua e adorarem os mesmos deuses, algumas cidades dedicavam-se ao

militarismo enquanto outras se preocupavam com o intelecto, caracterizando a autonomia das cidades-estado.

  • c) Seu governo oscilar entre o militarismo ateniense e a democracia espartana.

  • d) O governo ter sido direto e não representativo.

  • e) Sua cultura ter se desenvolvido na Antiguidade.

    • 46 - [Fuvest] Do ponto de vista social, pode-se afirmar, sobre a Revolução Francesa, que:

      • a) teve resultados efêmeros, pois foi iniciada, dirigida e apropriada por uma só classe social, a burguesia,

única beneficiária da nova ordem.

  • b) fracassou, pois, apesar do terror e da violência, não conseguiu impedir o retorno das forças sócio-políticas

do Antigo Regime.

  • c) nela coexistiram três revoluções sociais distintas: uma revolução burguesa, uma camponesa e uma popular

urbana, a dos chamados "sans-culottes".

  • d) foi um fracasso, apesar do sucesso político, pois, ao garantir as pequenas propriedades aos camponeses,

atrasou, em mais de um século, o progresso econômico da França.

  • e) abortou, pois a nobreza, sendo uma classe coesa, tanto do ponto de vista da riqueza, quanto do ponto de

vista político, impediu que a burguesia a concluísse.

  • 47 - [Fuvest] Na Revolução Francesa, foi uma das principais reivindicações do Terceiro Estado:

    • a) a manutenção da divisão da sociedade em classes rigidamente definidas.

    • b) a concessão de poderes políticos para a nobreza, preservando a riqueza dessa classe social.

    • c) a abolição dos privilégios da nobreza e instauração da igualdade civil.

    • d) a união de poderes entre Igreja e Estado, com fortalecimento do clero.

    • e) o impedimento do acesso dos burgueses às funções políticas do Estado.

      • 48 - [Fuvest] "Mesmo se o alvo perseguido não tivesse sido alcançado, mesmo se a constituição por fim

fracassasse, ou se voltasse progressivamente ao Antigo Regime,

tal acontecimento é por demais imenso,

... por demais identificado aos interesses da humanidade, tem demasiada influência sobre todas as partes do mundo para que os povos, em outras circunstâncias, dele não se lembrem e não sejam levados a recomeçar a experiência." (Kant, O CONFLITO DAS FACULDADES, 1798). O texto trata:

  • a) do iluminismo e do avanço irreversível do conhecimento filosófico; revelando-se falso nos seus prognósticos

sobre o futuro político- constitucional.

  • b) do retorno do Antigo Regime, na Europa, depois do fracasso da Revolução francesa, revelando-se incapaz

de vislumbrar o futuro da história.

  • c) da Revolução Francesa, dos seus desdobramentos políticos e constitucionais, revelando a clarividência do

autor sobre sua importância e seu futuro.

P á g i n a

| 104

d)

da Revolução inglesa, do impacto que causou no mundo, com seus princípios liberais e constitucionais,

revelando-se profético sobre seu futuro.

e)

do despotismo ilustrado, dos seus princípios filosóficos e constitucionais e de seu impacto na política

européia, revelando caráter premonitório.

49

- [Fatec] A "Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão", da Revolução Francesa, traz o seguinte

princípio: "Os homens nascem e se conservam livres e iguais em direitos. As distinções sociais só podem ter por fundamento o proveito comum". Tal princípio é decorrente:

a)

da incorporação das reivindicações da classe média por maior participação na vida política.

b)

do reconhecimento da necessidade de assegurar os direitos dos vencidos, sem distinção de classes.

c)

da incorporação dos camponeses à comunidade dos cidadãos com direitos sociais e políticos reconhecidos

na lei.

d)

da crença popular na perspectiva liberal burguesa de que a Revolução fora feita por todos e em benefício de

todos.

e)

da determinação burguesa de levar avante um processo revolucionário de distribuição da propriedade

privada.

50

- [Cesgranrio] A Revolução Francesa representou um marco da história ocidental pelo caráter de ruptura

em relação ao Antigo Regime. Dentre as características da crise do Antigo Regime, na França, está:

a)

a crescente mobilização do Terceiro Estado, liderado pela burguesia contra os privilégios do clero e da

nobreza.

b)

o desequilíbrio econômico da França, decorrente da Revolução Industrial.

c)

a retomada da expansão comercial francesa, liderada por Colbert.

d)

o apoio da monarquia às sucessivas rebeliões camponesas contrárias à nobreza.

e)

o fortalecimento da monarquia dos Bourbons, após a participação vitoriosa na guerra de independência dos

E.U.A.

51

- [Cesgranrio] A Revolução Industrial Inglesa do século XVIII está ligada aos seguintes fatores:

I - expansão do maquinismo com suas múltiplas aplicações na indústria; II - desenvolvimento tecnológico da agropecuária; III - surgimento das indústrias siderúrgica e petroquímica; IV - formação do proletariado urbano e sua organização em sindicatos e partidos políticos.

Assinale se estão corretas apenas:

a)

I e II

b)

I e III

c)

II e IV

d)

III e IV

e)

I e IV

52

- [Unirio] A Revolução Industrial produziu uma alteração profunda nas condições da vida quotidiana do

homem na passagem da época moderna para a contemporânea. O início do processo de desenvolvimento

industrial, ocorrido na Inglaterra, relaciona-se com o(a):

a)

cercamento dos campos, que provocou a falência do modelo de fornecimento da produção agrícola aos

mercados urbanos, o que exigiu a transferência de capitais para a indústria.

b)

fim da Revolução Gloriosa, que conduziu ao poder uma série de reis absolutos ingleses, comprometidos

com as idéias liberais e industrializantes.

c)

difusão de diversas invenções mecânicas e instrumentos técnicos que permitiram o aumento da produção

das manufaturas, principalmente com a mecanização da indústria têxtil e metalúrgica.

d)

ampliação maciça dos investimentos geradores de novos empregos, em detrimento da aplicação de capitais

em tecnologia e instalações industriais, como forma de se ampliar o mercado consumidor interno.

e)

crise demográfica que reduziu drasticamente a população inglesa, permitindo, assim, a concentração das

propriedades fundiárias e a elevação do padrão de riqueza nacional.

P á g i n a

| 105

  • 53 - [Fatec] A razão inicial da luta que conduziria à Guerra de Independência dos EUA foi o aumento de

impostos decretados pelo parlamento inglês sobre as colônias americanas, tendo como objetivo:

  • a) arrecadar fundos para que a Inglaterra pudesse prosseguir na colonização do oeste americano.

  • b) arrecadar capital para a exploração das usinas de carvão, tão necessárias ao desenvolvimento de sua

revolução industrial.

  • c) angariar fundos para que a Inglaterra pudesse financiar uma nova coligação contra Napoleão Bonaparte.

  • d) diminuir o déficit do tesouro inglês, seriamente abalado com as despesas ocasionadas pela Guerra dos Sete

Anos.

  • e) impor às colônias americanas a autoridade da metrópole, seriamente abalada com as guerras civis inglesas.

    • 54 - [Fatec] Podemos dizer que a economia mineradora do século XVIII, no Brasil,

      • a) era escravocrata, rigidamente estratificada do ponto de vista social e tinha em seu topo uma classe

proprietária bastante dependente do capital holandês.

  • b) baseava-se na grande propriedade e na produção para exportação; estimulou o aparecimento das primeiras

estradas de ferro e gerou a acumulação de capital posteriormente aplicado em indústrias.

  • c) era voltada principalmente para as necessidades do mercado interno; utilizava o trabalho escravo e o livre;

difundiu a pequena propriedade fundiária nas regiões interioranas do Brasil.

  • d) estimulou o aparecimento de cidades e da classe média; estruturava-se na base do trabalho livre do colono

imigrante e da pequena propriedade.

  • e) era rigidamente controlada pelo estado; empregava o trabalho escravo mas permitia também o

aparecimento de pequenos proprietários e trabalhadores independentes; acabou favorecendo, indiretamente,

a acumulação capitalista que deu origem à Revolução Industrial inglesa.

  • 55 - [Cesgranrio] A crise do Antigo Sistema Colonial (final do século XVIII) pode ser caracterizada através

de um conjunto de fatos abaixo relacionados, com EXCEÇÃO de um. Assinale-o.

  • a) As pressões da França industrializada, a cobiça norte-americana sobre os mercados latinos-americanos e o

avanço do liberalismo nos países ibéricos;

  • b) A Revolução Industrial Inglesa, a crítica liberal às práticas mercantilistas e a invasão napoleônica na

Península Ibérica;

  • c) O descontentamento dos colonos com a política econômica e fiscal metropolitana e a difusão da idéia de

"revolução" entre as elites coloniais;

  • d) As tentativas de redefinir o Sistema, de modo a atender às críticas dos colonos, mas sem abrir mão do

"exclusivo";

  • e) As pressões inglesas sobre as metrópoles ibéricas, o apoio da Inglaterra aos movimentos coloniais de

rebeldia e os tratados anglo-portugueses de 1810.

  • 56 - [Ufv] Durante o período napoleônico (1799-1815), dentre as medidas adotadas por Bonaparte, assinale

aquela que teve repercussões importantes nas relações comerciais do Brasil com a Inglaterra:

  • a) Restauração financeira, com a conseqüente fundação do Banco da França, em 1800.

  • b) Decretação do Bloqueio Continental, em 1806, com o qual Napoleão visava arruinar a indústria e o

comércio ingleses.

  • c) Promulgação, em 1804, do Código Civil que incorporou definitivamente, na legislação francesa, os princípios

liberais burgueses.

  • d) Expansão territorial da França com a incorporação de várias regiões da Europa, formando o chamado

Império Napoleônico.

  • e) Criação do franco, como novo padrão monetário.

    • 57 - [UFPE] Sobre os processos de independência da América Latina, assinale a alternativa correta.

      • a) A Santa Aliança não tinha o direito de intervir nas colônias portuguesas e espanholas caso elas tentassem

se libertar.

  • b) A crise do Antigo Regime está relacionada com a independência das colônias da América Latina.

  • c) Não se pode relacionar a Revolução Industrial inglesa com a destruição dos monópolios econômicos do

sistema colonial.

P á g i n a

| 106

d)

As reformas administrativas, políticas e econômicas empreendidas por D. João VI evitaram as rebeliões e a

independência do Brasil.

 

e)

A independência do Vice-Reino do Prata resultou na formação de quatro países: Argentina, Uruguai,

Paraguai e Chile.

58

- [Uel-1999] "A falta de consistência ideológica não invalida o significado (

)

do movimento. Era um

a)

Inconfidência Mineira.

b)

Guerra dos Farrapos.

c)

Revolta dos Alfaiates.

d)

Revolução Pernambucana.

e)

Confederação do Equador.

59

- [UFPE] A expansão capitalista no século XIX ficou conhecida como imperialismo, e o domínio dos países

europeus sobre a África e a Ásia foi denominado neocolonialismo. Sobre o resultado da junção desses dois fenômenos - o imperialismo e o colonialismo - na África e na Ásia, assinale a seguir a alternativa correta.

a)

O imperialismo e o neocolonialismo ajudaram os povos africanos e asiáticos a saírem de seu atraso secular,

possibilitando-lhes o acesso ao progresso tecnológico.

 

b)

A segunda revolução industrial, o capitalismo monopolista e os ideais de progresso estão associados ao

imperialismo, ao neocolonialismo e ao completo domínio dos Estados Unidos, no final do século XIX.

c)

Os maiores beneficiários de todo o domínio imperialista e do neocolonialismo na Ásia e África foi a classe

operária européia, em face do pleno emprego da indústria.

 

d)

Através do imperialismo e do neocolonialismo, as elites econômicas e políticas inglesas construíram a

imagem de que eram o modelo de cultura e civilização, a ser imitado em todo o mundo.

 

e)

Entre as nações da África, as que transferiram maiores quantidades de pedras preciosas para a Inglaterra

foram Angola e Moçambique, em razão do neocolonialismo.

 

60

- [Fuvest] A Inconfidência Mineira foi um episódio marcado:

a)

pela influência dos acontecimentos de julho de 1789, a tomada da Bastilha.

b)

pela atitude anti-escravista, consensual entre seus participantes.

c)

pelo intuito de acabar com o predomínio da Companhia de Comércio do Brasil.

d)

pela insatisfação ante a cobrança do imposto sobre bateias.

e)

pelas idéias ilustradas e pela Independência dos Estados Unidos.

61

- [Fatec] A abertura dos portos, realizada por D. João (1808), teve amplas repercussões, pois na prática

significou:

a)

o aumento sensível das exportações sobre as importações, com a restauração da balança de pagamentos.

b)

o estabelecimento de maiores laços comerciais com Lisboa, conforme o plano de Manuel Nunes Viana,

paulista de grande prestígio.

 

c)

manutenção da política econômica mercantilista, segundo defendia José da Silva Lisboa.

d)

o rompimento do pacto colonial, iniciando um novo processo que culminou com a Independência.

e)

a intensificação do processo da independência econômica do Brasil, em face da liberdade industrial.

62

- [UFPE] Sobre o processo de independência do Brasil assinale a alternativa correta.

 

a)

Após a Independência, os diferentes grupos liberais existentes no Brasil unem-se em torno da centralização

do poder.

b)

Liberais centralistas e liberais federalistas lutaram no início do século XIX contra a elite conservadora do

Império.

c)

As revoltas populares ocorridas durante o primeiro reinado foram amplamente defendidas pelos liberais

centralistas.

d)

José Bonifácio apoiou a Independência do Brasil dentro de uma proposição centralista do estado brasileiro.

e)

Depois de consumada a independência, D. Pedro I apoiou-se no "partido brasileiro" afastando-se do

"partido português".

P á g i n a

| 107

63

- [Fuvest] Ao proclamarem a sua independência, as colônias espanholas da América optaram pelo regime

republicano, seguindo o modelo norte-americano. O Brasil optou pelo regime monárquico:

a)

pela grande popularidade desse sistema de governo entre os brasileiros.

b)

porque a República traria forçosamente a abolição da escravidão, como ocorrera quando da proclamação da

independência dos Estados Unidos.

c)

como conseqüência do processo político desencadeado pela instalação da corte portuguesa na colônia.

d)

pelo fascínio que a pompa e o luxo da corte monárquica exerciam sobre os colonos.

e)

em oposição ao regime republicano português implantado pelas cortes.

64

- [Unesp] No decurso do Primeiro Reinado, vieram à tona conflitos, contradições e crises. No período

Regencial, marcado por agitações sociais e políticas, a grave e prolongada crise econômica e financeira

começou a ser superada com:

a)

o auge da mineração.

b)

o surto da cafeicultura.

c)

a utilização do açúcar de beterraba.

d)

a lei e a ordem impostas pela Guarda Federal.

e)

o aumento na exportação de algodão para os Estados Unidos.

65

- [Unesp] "Mais importante, o país é abalado por choques de extrema gravidade; não mais os motins ...

mas verdadeiros movimentos revolucionários, com intensa participação popular, põem em jogo a ordem interna e ameaçam a unidade nacional. Em nenhum outro momento há tantos episódios, em vários pontos do país, contando com a presença da massa no que ela tem de mais humilde, desfavorecido. Daí as notáveis conflagrações verificadas no Pará, no Maranhão, em Pernambuco, na Bahia, no Rio Grande do Sul." (Francisco

Iglésias, "BRASIL, SOCIEDADE DEMOCRÁTICA".) Este texto refere-se ao período:

a)

da Guerra da Independência.

b)

da Revolução de 1930.

c)

agitado da Regência.

d)

das Revoltas Tenentistas.

e)

da Proclamação da República.

66

- [Mackenzie] A Confederação do Equador, movimento que eclodiu em Pernambuco em julho de 1824,

caracterizou-se por:

a)

ser um movimento contrário às medidas da Corte Portuguesa, que visava favorecer o monopólio do

comércio.

b)

uma oposição a medidas centralizadoras e absolutistas do Primeiro Reinado, sendo um movimento

republicano.

c)

garantir a integridade do território brasileiro e a centralização administrativa.

d)

ser um movimento contrário à maçonaria, clero e demais associações absolutistas.

e)

levar seu principal líder, Frei Joaquim do Amor Divino Caneca, à liderança da Constituinte de 1824.

67

- [Mackenzie] O Golpe da Maioridade que colocou Pedro II no trono em 1840 representou:

a)

a vitória dos liberais que retornaram ao governo, convidados para formar o primeiro ministério do Segundo

Reinado.

b)

a ascensão dos conservadores afastados do poder desde o Avanço Liberal.

c)

o enfraquecimento do regime monárquico e o crescimento do republicanismo.

d)

o declínio da aristocracia rural já que o novo governo não apoiava a manutenção de seus privilégios.

e)

o fortalecimento da democracia, fato comprovado na primeira eleição do Segundo Reinado, a "eleição do

cacete".

68

- [Fatec] O Ato Adicional de 1834 foi de importância significativa para o Brasil porque

a)

restaurou a paz no Império, tendo em vista o término das rebeliões no Nordeste do País.

b)

possibilitou a tomada do poder pelos conservadores que formavam a aristocracia rural.

c)

antecipou a maioridade de D. Pedro I, evitando, assim, um golpe de Estado dos conservadores.

d)

ampliou a autonomia das províncias, neutralizando a tendência centralizadora do Primeiro Reinado.

e)

limitou os poderes excessivos das Câmaras Municipais, que poderiam dividir a Nação.

P á g i n a

| 108

69

- [Unirio] A abdicação do Imperador Pedro I representou a culminância dos diferentes problemas que

caracterizam o Primeiro Reinado, a exemplo do(a):

a)

apoio inglês à política platina do Império.

b)

apoio das províncias à política do Reino Unido implantando por D. Pedro I, após a morte de D. João VI.

c)

conflito entre os interesses dos produtores tradicionais de açúcar e os novos produtores de ouro.

d)

confronto entre os grupos políticos liberais e o governo centralizado e com tendências despóticas de D.

Pedro I.

e)

crescente participação popular nas manifestações políticas, favorecidas pela abolição do tráfico.

70

- [Cesgranrio] As Leis Abolicionistas, a partir de 1850, podem ser consideradas como o nível político da

crise geral da escravidão no Brasil, porque:

a)

a Lei Eusébio de Queiroz (1850) proibiu o tráfico quando a necessidade de escravos já era declinante, face

à crise da lavoura.

b)

o sucesso das experiências de parceria acelerou a emancipação dos escravos, crescendo um mercado de

mão-de-obra livre no país.

c)

a Lei do Ventre Livre (1871) representou uma vitória expressiva do movimento abolicionista, tornando

irreversível o fim da escravidão.

d)

as sucessivas leis emancipacionistas foram paralelas à progressiva substituição do trabalho escravo por

homens livres.

e)

a Lei Áurea, iniciativa da própria Coroa, visava a garantir a estabilidade e o apoio dos setores rurais ao

Império.

71

- [Cesgranrio] A Lei do Sexagenário, foi considerada uma "Gargalhada Nacional" porque:

a)

estabelecia o fim do tráfico negreiro, mas não eliminava o trabalho escravo;

b)

tornava livre apenas os escravos nascidos a partir de sua publicação;

c)

tornava livre os escravos com mais de 65 anos, mas a expectativa de vida entre os escravos era de 30

anos;

d)

aboliu definitivamente a escravidão mas jamais foi cumprida;

e)

acabava com o tráfico negreiro externo, mas permitia o interno, com o fim da vinda de imigrantes.

72

- [Cesgranrio] Na segunda metade do século XIX, a introdução, de forma crescente, de trabalhadores

livres na economia brasileira está ligada à:

a)

crise da escravidão, principalmente após o fim do tráfico negreiro.

b)

restrição de diversos países europeus à imigração de seus excedentes nacionais.

c)

forma pacífica como foi encaminhada a Abolição, permitindo a utilização do antigo escravo como

trabalhador livre.

d)

acelerada criação de indústrias de base que não utilizavam trabalho escravo.

e)

política contrária à escravidão, adotada pelo governo imperial ao longo de toda a sua história.

73

- [Puccamp] A sociedade imperial brasileira herdou várias influências européias. Além do sistema

métrico, no Segundo Reinado adotou-se na prática o parlamentarismo no Brasil, por influência inglesa. No entanto, este diferia do inglês, uma vez que o

a)

partido que detinha a maioria no Parlamento indicava o primeiro-ministro, que muitas vezes vetou

determinados projetos de lei provenientes do poder imperial.

b)

gabinete não dependia inteiramente do Parlamento mas, principalmente, do Poder Moderador.

c)

poder legislativo tinha autonomia política para indicar os membros do gabinete ministerial e para dissolvê-lo

quando este fosse incompatível com o Senado.

d)

parlamento brasileiro era mais democrático, pois previa a participação das mulheres nas eleições

provinciais.

e)

imperador acumulava as funções de monarca e de primeiro-ministro, previsto inclusive na Constituição de

1824.

P á g i n a

| 109

74 - [Unitau] O declínio das oligarquias, no período final da República Velha, teve como contraponto
74
- [Unitau] O declínio das oligarquias, no período final da República Velha, teve como contraponto o
surgimento de segmentos sociais identificados com o modo de vida urbano. Indique-os:
a)
Burguesia industrial, classes médias urbanas e classe operária.
b)
Sindicatos, associações e grêmios recreativos.
c)
Burguesia rural, classes militares e classe operária.
d)
A burocracia estatal, o clero e o povo.
e)
Os imigrantes, a burguesia industrial e o clero.
75
- [UFPE] Os historiadores designam por República Velha o período que se estende de 1889 a 1930. Sobre
acontecimentos históricos deste período, identifique as proposições verdadeiras e falsas.
(
) Os bancos emissores
e
a oligarquia açucareira do
Nordeste foram responsáveis pela "política dos
governadores".
( ) O poder político, neste período, esteve controlado pelas oligarquias estaduais e a Revolução de 1930 tenta
(
pôr fim a esta influência.
( ) O coronelismo é um fenômeno político que surge, no Brasil, na Primeira República.
) O fenômeno do banditismo social, no Brasil, está associado com a questão religiosa e a maçonaria.
(
) Para os historiadores, o assassinato de Delmiro Gouveia está relacionado com a concorrência que a sua
fábrica
de
linhas
fazia
aos
ingleses
e
a
sua
inimizade com
Rosa
e
Silva.
76
- [Uel] O coronelismo, fenômeno social e político típico da República Velha, embora suas raízes se
encontrem no Império, foi decorrente da
a)
promulgação da Constituição Republicana que institui a centralização administrativa, favorecendo nos
Estados as fraudes eleitorais.
b)
supremacia política dos Estados da região sul - possuidores de maior poder econômico - cuja força advinha
da maior participação popular nas eleições.
c)
montagem de modernas instituições - autonomia estadual, voto universal - sobre estruturas arcaicas,
baseadas na grande propriedade rural e nos interesses particulares.
d)
instituição da Comissão Verificadora de Poderes que possuia autonomia para determinar quem deveria ser
diplomado deputado - reconhecendo os vitoriosos nas eleições.
e)
predominância do poder federal sobre o estadual, que possibilitava ao governo manipular a população local
e garantir à oligarquia a elaboração das leis.
77
- [Fuvest] Durante o período napoleônico (1799-1815), dentre as medidas adotadas por Bonaparte,
assinale aquela que teve repercussões importantes nas relações comerciais do Brasil com a Inglaterra:
a)
Restauração financeira, com a conseqüente fundação do Banco da França, em 1800.
b)
Decretação do Bloqueio Continental, em 1806, com o qual Napoleão visava arruinar a indústria e o
comércio ingleses.
c)
Promulgação, em 1804, do Código Civil que incorporou definitivamente, na legislação francesa, os princípios
liberais burgueses.
d)
Expansão territorial da França com a incorporação de várias regiões da Europa, formando o chamado
Império Napoleônico.
e)
Criação do franco, como novo padrão monetário.
78
- [Uel] Sobre a unificação da Itália (1870) e da Alemanha (1871), analise as afirmativas abaixo: I - Os
movimentos liberais, que nesses países assumiram um aspecto fortemente nacionalista, tiveram importante
participação no processo de unificação. II - A ausência de guerras ou revoltas marcou a unificação italiana e
alemã. III - O processo de unificação acelerou o desenvolvimento do capitalismo na Alemanha e na Itália, o
que resultou em disputas que desembocaram na Primeira Guerra Mundial. Assinale a alternativa correta.
a)
Apenas a afirmativa II é verdadeira.
b)
Apenas a afirmativa III é verdadeira.
c)
Apenas as afirmativas I e II são verdadeiras.
d)
Apenas as afirmativas I e III são verdadeiras.
e)
Apenas as afirmativas II e III são verdadeiras.

P á g i n a

| 110

  • 79 - [Fgv] O contexto europeu do final do século XIX e início do XX relaciona-se à eclosão da Primeira Guerra

Mundial porque

  • a) a Primeira Revolução Industrial desencadeou uma disputa, entre os países europeus, por fontes de carvão e

ferro e por consumidores dos excedentes europeus.

  • b) a unificação da Itália rompeu o equilíbrio europeu, pois fez emergir uma nova potência industrial, rival da

Grã-Bretanha e do Império Austríaco.

  • c) o revanchismo alemão, devido à derrota na Guerra Franco-Prussiana, fez a Alemanha desenvolver uma

política militarista e expansionista

  • d) a difusão do socialismo, principalmente nos Bálcãs, acirrou os movimentos emancipacionistas na área,

então sob domínio do Império Turco.

  • e) a corrida imperialista, com o estabelecimento de colônias e áreas de influência na África e na Ásia,

aumentou as rivalidades entre os países europeus.

  • 80 - [Cesgranrio] A industrialização acelerada de diversos países, ao longo do século XIX, alterou o

equilíbrio e a dinâmica das relações internacionais. Com a Segunda Revolução Industrial emergiu o

Imperialismo, cuja característica marcante foi o(a):

  • a) substituição das intervenções militares pelo uso da diplomacia internacional.

  • b) busca de novos mercados consumidores para as manufaturas e os capitais excedentes dos países

industrializados.

  • c) manutenção da autonomia administrativa e dos governos nativos nas áreas conquistadas.

  • d) procura de especiarias, ouro e produtos tropicais inexistentes na Europa.

  • e) transferência de tecnologia, estimulada por uma política não intervencionista.

    • 81 - [UFBA] TEXTO I: "Foi essa consciência de nossa superioridade inata que nos permitiu conquistar a Índia.

Por mais educado e inteligente que seja um indiano, por mais valente que ele se manifeste e seja qual for a posição que possamos atribuir-lhe, penso que jamais ele será igual a um oficial britânico." (Kitchener apud AQUINO, séc. XIX e XX, p. 23) TEXTO II: "Se prevejo corretamente, essa poderosa raça avançará sobre o

México, a América Central e a do Sul, as ilhas do oceano, a África e mais adiante (

...

) Essa raça está

predestinada a suplantar raças fracas, assimilar outras e transformar as restantes, até toda a Humanidade ser anglo-saxonizada." (Josiah Strong apud AQUINO, ibid, p. 99) Com base na análise dos textos anteriores e nos conhecimentos sobre a crise do capitalismo e a solução imperialista, pode-se dizer:

(01) As referências raciais contidas nos dois textos identificam os seus autores como defensores de uma hierarquização racial e da dominação imperialista. (02) A transformação do capitalismo liberal em monopolista, motivando uma crescente busca de mercados, resultou na interpretação da ocupação colonialista de áreas afro-asiáticas e centro-americanas como um direito dos países industrializados. (04) As afirmações contidas no texto II expressam a convicção de Josiah Strong, no DESTINO MANIFESTO dos Estados Unidos, fundamento da expansão imperialista desse país. (08) O pensamento expresso por Lord Kitchener foi partilhado pela sociedade inglesa do século XIX, contribuindo para que os britânicos vissem, na sua expansão imperialista, uma missão civilizadora sobre as raças inferiores da Ásia e da África. (16) A idéia de "anglo-saxonizar toda a Humanidade" é demonstrativa da postura etnocêntrica que tem caracterizado todas as formas de dominação imperialista. (32) O antigo sistema colonial e o imperialismo colonialista do século XIX, apesar das diferenças acentuadas, se igualam na estruturação da divisão social do trabalho. (64) As correntes filosóficas e o desenvolvimento científico europeu do século XIX negaram veracidade às afirmativas contidas nos dois textos.

Soma (

)

  • 82 - FATEC JUNHO 2008- REVOLUÇÃO FRANCESA

“ – O que é o Terror? O Terror, que se tornou oficial durante certo tempo, é o instrumento usado para reprimir a contra- revolução.” (VOVELLE, Michelle. A Revolução Francesa explicada à minha neta. São Paulo: Editora Unesp,

P á g i n a

| 111

2007. p. 74.) No contexto da Revolução Francesa, o período de setembro de 1793 a julho de 1794 é considerado pelo

autor como do “Terror”. Esse período teve como uma de suas características:

  • a) a defesa da monarquia constitucional como saída para a grave crise enfrentada pela França.

  • b) a aprovação da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, dentre os quais se destaca o direito à

liberdade pessoal, de pensamento a igualdade de tratamento pela lei.

  • c) o golpe do 18 brumário, que pôs fim ao governo do Diretório, estabelecendo um Executivo forte e uma

nova Constituição.

  • d) a repressão severa à subversão interna, com a execução em massa dos opositores da revolução, sobretudo

os girondinos.

  • e) a retirada dos sans-culottes parisienses do poder, que, irritados pela fome e pelo ódio aos ricos,

desestabilizavam a Revolução.

  • 83 - FATEC JUNHO 2008- GUERRA DE SECESSÃO

A Guerra de Secessão, também chamada de Guerra Civil Americana, teve início no ano de 1861. Nesse momento, o Sul dos Estados Unidos proclama a sua separação e passa a se chamar ECA (Estados Confederados da América). Entre os motivos que causaram o início dessa guerra podemos citar:

  • a) as tentativas por parte do Sul em modificar sua economia agrária ligada ao mercado europeu por um

modelo econômico industrial.

  • b) a conquista do oeste cujas terras além do Texas o Norte esperava poder aproveitar para expandir a lavoura

de algodão e outras plantações, usando da mão-de-obra escrava.

  • c) a vitória do presidente Abraham Lincoln, que foi interpretada pelo Sul como a sentença de morte que

colocaria em xeque o sistema escravista.

  • d) a pretensão por parte dos fazendeiros do Sul em fundar um banco nacional com direitos exclusivos de

emitir dinheiro, e um dinheiro “forte” para o pagamento de suas dívidas.

  • e) a tarifa sobre importações, pois o Sul queria que este imposto fosse elevado o bastante para oferecer

alguma proteção contra a concorrência de manufaturas importadas.

  • 84 - UNESP JULHO 2008 PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL

A vitória da Inglaterra, da França e dos Estados Unidos na primeira guerra tinha o caráter de consagração da democracia e de triunfo definitivo do liberalismo sobre as tramas reacionárias do Congresso de Viena. A guerra também agudizou os conflitos entre diversos grupos e segmentos sociais e nacionais; além disso, ela agravou as desigualdades sociais, privilegiando alguns em detrimento de muitos. (Luis César Rodrigues, A primeira guerra mundial. Adaptado.) Segundo o autor, a primeira guerra:

  • a) politicamente, destruiu as frágeis estruturas dos Estados liberais e fortaleceu os Estados reacionários e,

socialmente, garantiu direitos para a imensa maioria.

  • b) significou a vitória dos Estados liberais, a destruição das estruturas políticas herdadas do Congresso de

Viena e o aprofundamento dos conflitos sociais.

  • c) trouxe instabilidade política entre os Estados absolutistas vitoriosos e os Estados liberais derrotados e

estabilidade social para as diferentes classes sociais.

  • d) garantiu a estabilidade política e econômica na Europa com a vitória das forças reacionárias, porém, gerou

crescentes tensões sociais.

  • e) preservou as estruturas políticas nascidas a partir do Congresso de Viena, enfraqueceu os Estados liberais e

neutralizou os conflitos sociais.

  • 85 - ENEM 2008 SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

Em discurso proferido em 17 de março de 1939, o primeiro-ministro inglês à época, Neville Chamberlain,

sustentou sua posição política: “Não necessito defender minhas visitas à Alemanha no outono passado, que

P á g i n a

| 112

alternativa existia? Nada do que pudéssemos ter feito, nada do que a França pudesse ter feito, ou mesmo a Rússia, teria salvado a Tchecoslováquia da destruição. Mas eu também tinha outro propósito ao ir até

Munique. Era o de prosseguir com a política por vezes chamada de ‘apaziguamento europeu’, e Hitler repetiu o

que já havia dito, ou seja, que os Sudetos, região de população alemã na Tchecoslováquia, eram a sua última

ambição territorial na Europa, e que não queria incluir na Alemanha outros povos que não os alemães.”

Internet: (com adaptações):

Sabendo-se que o compromisso assumido por Hitler em 1938, mencionado no texto acima, foi rompido pelo líder alemão em 1939, infere-se que:

A)

Hitler ambicionava o controle de mais territórios na Europa além da região dos Sudetos.

B)

a aliança entre a Inglaterra, a França e a Rússia poderia ter salvado a Tchecoslováquia.

C)

o rompimento desse compromisso inspirou a política de ‘apaziguamento europeu’.

D)

a política de Chamberlain de apaziguar o líder alemão era contrária à posição assumida pelas potências

aliadas.

E)

a forma que Chamberlain escolheu para lidar com o problema dos Sudetos deu origem à destruição da

Tchecoslováquia.

86 - ENEM 2008 COLONIZAÇÃO INGLESA

William James Herschel, coletor do governo inglês, iniciou na Índia seus estudos sobre as impressões digitais ao tomar as impressões digitais dos nativos nos contratos que firmavam com o governo. Essas impressões serviam de assinatura. Aplicou-as, então, aos registros de falecimentos e usou esse processo nas prisões inglesas, na Índia, para reconhecimento dos fugitivos. Henry Faulds, outro inglês, médico de hospital em Tóquio, contribuiu para o estudo da datiloscopia. Examinando impressões digitais em peças de cerâmica pré- histórica japonesa, previu a possibilidade de se descobrir um criminoso pela identificação das linhas papilares e preconizou uma técnica para a tomada de impressões digitais, utilizando- se de uma placa de estanho e de tinta de imprensa. Internet: (com adaptações).

Que tipo de relação orientava os esforços que levaram à descoberta das impressões digitais pelos ingleses e, posteriormente, à sua utilização nos dois países asiáticos?

A)

De fraternidade, já que ambos visavam aos mesmos fins, ou seja, autenticar contratos.

B)

De dominação, já que os nativos puderam identificar os ingleses falecidos com mais facilidade.

C)

De controle cultural, já que Faulds usou a técnica para libertar os detidos nas prisões japonesas.

D)

De colonizador-colonizado, já que, na Índia, a invenção foi usada em favor dos interesses da coroa inglesa.

E)

De médico-paciente, já que Faulds trabalhava em um hospital de Tóquio.

87 - UNESP JULHO 2008 INDEPENDÊNCIA DA INDIA

Mohandas Karamchand Gandhi (1869-1948) iria acabar conseguindo mobilizar as aldeias e bazares da Índia, às dezenas de milhões, em grande parte com o mesmo apelo ao nacionalismo da espiritualidade hindu embora tendo o cuidado de não romper a frente comum com os modernizadores (dos quais num sentido real, ele fazia parte) e de evitar o antagonismo à Índia maometana, sempre implícito na visão militantemente hindu do nacionalismo. (Eric Hobsbawm, Era dos Extremos.)

Acerca do processo de independência da Índia britânica, é correto afirmar que

a)

as relações entre hindus e maometanos permaneceram harmoniosas no subcontinente.

b)

o fundamentalismo hindu tornou-se hegemônico na Índia, eliminando a liberdade religiosa.

c)

houve uma divisão entre as forças que Gandhi tentou manter unidas na luta de libertação.

d)

os valores tradicionais foram abandonados em nome da ocidentalização e da aproximação dos EUA.

e)

Gandhi tornou-se um herói nacional e assumiu a direção política e religiosa do subcontinente.

P á g i n a

| 113

  • 88 - MACKENZIE JULHO DE 2008 GUERRA FRIA

“A queda do Muro de Berlim, em 9 de novembro de 1989, anunciou o começo do fim da Guerra Fria. Mas o

estado de tensão que erigiu o Muro deixou marcas profundas na mentalidade das gerações, que viveram esse período, a tal ponto que ainda é difícil avaliar seus efeitos sobre o mundo contemporâneo. A Guerra Fria não deve ser vista apenas como um dado que a história relegou ao esquecimento. Ao contrário, é impossível entender o mundo hoje sem refletir sobre esse período tão complexo. “. (ARBEX JR, José, Guerra Fria: terror de Estado, política e cultura.)

Muito mais do que uma disputa geopolítica ou armamentista, a Guerra Fria teve uma importante dimensão cultural, ao criar um jogo de símbolos e imagens para representar a luta entre o Bem e o Mal. No imaginário coletivo, implicou a criação de preconceitos, medos, ódios e ansiedades, mostrando a oposição entre os dois ideais de felicidade. Assinale a afirmativa correta, a respeito desse contexto histórico:

  • a) Os movimentos pacifistas, dos anos 60 em diante, expressaram-se contra essa lógica do terror; nos

Estados Unidos, os jovens apoiaram a campanha do senador liberal Joseph McCarthy, contra o ódio e pelo fim do preconceito racial.

  • b) Do lado capitalista, as imagens mostravam a felicidade representada pelo cidadão comum usufruindo de

bens de consumo e, do lado socialista, pelo artista e pelo intelectual que deveriam controlar a sociedade.

  • c) Um dos marcos iniciais nesse jogo de imagens foi a conquista humana do poder da bomba atômica e um

dos sinalizadores do final desse embate seria a Guerra do Golfo, quando os EUA adotaram outros símbolos para o Mal, como o fanatismo islâmico.

  • d) As organizações guerrilheiras, como a Organização para a Libertação da Palestina (OLP) e o Exército

Republicano Irlandês (IRA), são dois exemplos de como a prática do terrorismo reforçou a ideologia de vitória do socialismo.

  • e) Em 1968, jovens franceses exigiram uma ampla reforma universitária e o seu exemplo vitorioso foi seguido

por estudantes tchecos que também consideravam ultrapassadas as normas e os valores acadêmicos.

  • 89 - UNESP JULHO 2008 GUERRA FRIA

Henry Kissinger, o homem-chave da diplomacia americana, escreveu: “A diplomacia contemporânea se desenvolve em circunstâncias sem precedentes. Raras vezes existiu base menor de entendimento entre as

grandes potências, mas tampouco jamais foi tão coibido o uso da força.” Guerra Fria foi a expressão cunhada

para definir o paradoxo contido nessas relações entre os Estados Unidos e a União Soviética. (Demétrio Magnoli, Da guerra fria à détente. Adaptado.) Segundo o texto, Guerra Fria significa:

  • a) a importância da diplomacia no sentido de evitar a “guerra quente” entre as duas superpotências e os

países periféricos.

  • b) uma situação de paz, pois a ação diplomática caminha no sentido das grandes potências compartilharem

sua tecnologia militar.

  • c) a eqüitativa distribuição internacional do poder, que suprime o uso da força bélica para garantir as

negociações desejadas pelas grandes potências.

  • d) o jogo de relações que polariza a situação internacional entre os Estados Unidos e a União Soviética e não

leva à guerra, mas não garante a paz.

  • e) o equilíbrio do terror, pois, se não há guerra, as superpotências aliam-se para conter o desenvolvimento

científico.

  • 90 - UNESP JULHO 2008 DESENVOLVIMENTO E SUBDESENVOLVIMENTO

Diferentes termos foram utilizados, a partir da Segunda Guerra Mundial, para caracterizar o desnível de desenvolvimento econômico de uns países em relação a outros. Entretanto, nos anos mais recentes, muitos desses termos, por terem conotações preconceituosas e pejorativas, foram sistematicamente substituídos por outros. Assinale a alternativa que melhor retrata essa transição de terminologia.

P á g i n a

| 114

a)

Países atrasados para subdesenvolvidos, pobres, explorados e deficitários.

b)

Países subdesenvolvidos para países em desenvolvimento, atrasados, pouco produtivos e agrários.

c)

Países dependentes para subdesenvolvidos, pobres, atrasados e dominados.

d)

Países explorados para pobres, deficitários, atrasados e subdesenvolvidos.

e)

Países subdesenvolvidos para países em desenvolvimento, explorados, dominados e de economia

dependente.

91

- FGV ADMINISTRAÇÃO JUNHO 2008 GLOBALIZAÇÃO

Leia o texto e responda às questões a ele pertinentes. Segundo Stiglitz, a década de 1980 é marcada pelo início do fenômeno da globalização, caracterizado pela mobilidade do capital e abertura do comércio internacional como uma das possibilidades de crescimento econômico. Como pontua ele, ainda, essa abertura, que implica um crescente processo de exportações, possibilitou um crescimento que não seria possível de outra maneira, e numa velocidade maior. O que caracteriza de forma mais clara o fenômeno da globalização, de acordo com Tallman e Faldmoe-Lindquist, é o esforço estratégico de tratar o mundo, ou uma parte dele, como um único mercado para fazer negócios. Isso implica tratar os negócios a partir de uma perspectiva única em outras dimensões, que não só a do mercado: as dimensões da estratégia, da pesquisa e desenvolvimento (por meio da uniformização e expansão tecnológica de novos produtos) da produção e do marketing. Do ponto de vista da produção, por exemplo, um mesmo produto final é feito com materiais, peças e componentes produzidos em várias partes do mundo. Adaptado de NUNES, Leni Hidalgo, VASCONCELLOS, Isabella F. Gouveia e JAUSSAUD, Jacques. Expatriação de Executivos. São Paulo: Thomson Learning, 2008.

 

De acordo com o texto:

a)

segundo Stiglitz, a década de 1980 é marcada pelo fenômeno da globalização porque ele se caracteriza, em

parte, pela mobilidade do capital;

b)

o primeiro autor mencionado considera que o fato de o capital tornar-se móvel é uma das características do

fenômeno da globalização;

c)

o fenômeno da globalização começou no início da década de 1980;

d)

os autores do texto consideram que o fato de o capital tornar-se móvel caracteriza o fenômeno da

globalização;

e)

a abertura do comércio internacional como possibilidade de crescimento caracteriza a mobilidade do capital,

segundo Stiglitz.

92

- MACKENZIE JULHO DE 2008 POLÍTICA EXTERNA AMERICANA

Considere os textos I e II. Texto I

“É errôneo dizer que os EUA sentem necessidade de terras ou que alimentam, para com as outras nações do hemisfério ocidental, desígnios que não visam à sua prosperidade. Tudo que nosso país deseja é ver seus vizinhos estáveis, dentro da ordem e da prosperidade. Se uma nação demonstra que sabe proceder com decência em questões políticas e industriais, se mantém a ordem e se paga suas dívidas, não deve temer

nenhuma interferência por parte dos EUA. Os maus atos, a brutalização (

...

),

que conduzem ao relaxamento

geral dos vínculos de uma sociedade civilizada, requererão, em última instância, a intervenção de alguma

nação civilizada (

)

[levando os EUA], ainda que a contragosto, a assumir um papel de polícia internacional

... em casos flagrantes de tal incapacidade. (Theodore Roosevelt, 1904) Texto II

“Por minha ordem, as Forças Armadas dos EUA iniciaram ataques contra os campos de treinamento terroristas

da Al Qaeda e as instalações militares do regime Taleban no Afeganistão. (

...

)

( ...

)

Ao mesmo tempo, o povo

oprimido do Afeganistão conhece a generosidade dos EUA e de nossos aliados. À medida que atacarmos alvos

militares, também entregaremos alimentos, remédios e suprimentos aos famintos e sofridos homens,

mulheres e crianças do Afeganistão Os EUA são amigos do povo afegão, e somos amigos de quase 1 bilhão de pessoas em todo o mundo que professam a fé islâmica. Os EUA são inimigos daqueles que auxiliam terroristas

(

...

)

Somos um país pacífico. Mas (

...

)

não pode haver paz em um mundo de terrorismo súbito. Face à nova

ameaça atual, a única maneira de buscar a paz é buscar por aqueles que a ameaçam. ‘Não pedimos essa

missão, mas a cumpriremos’ . (

...

)

Defendemos não apenas as nossas preciosas liberdades mas também a

liberdade das pessoas, em toda parte, de viver e criar seus filhos sem medo. (

Qual é o assunto? 2001)

...

)”

(George W. Bush, Revista

Os textos nos revelam a lógica da política externa americana, na voz de dois presidentes, em diferentes momentos de sua História. A respeito do tema, é incorreto afirmar que:

P á g i n a

| 115

  • a) o governo americano apresenta um discurso maniqueísta e justifica suas intervenções militares como ações

em nome da paz, da segurança e da civilização.

  • b) no texto I, podemos identificar os princípios do Destino Manifesto e da Doutrina Monroe, bases da política

externa dos EUA no século XIX.

  • c) no texto II, os EUA deixam claro sua política de ‘guerra preventiva’, doutrina que justificaria a Guerra do

Iraque, a partir de 2003, contra o governo de Saddam Hussein.

  • d) podemos perceber que a História americana foi marcada pela postura solidária de seu governo, frente às

diferentes formas de opressão a que estiveram submetidos povos de todo o mundo.

  • e) ao trecho grifado no texto I podemos relacionar a Big Stick Policy e, ao trecho grifado no texto II, podemos

relacionar a ‘Doutrina Bush’.

  • 93 - UNESP JULHO 2008 AMÉRICA LATINA DESENVOLVIMENTO

Os donos da terra e os grandes mercadores aumentaram suas fortunas, enquanto se ampliava a pobreza das

massas populares oprimidas (

pelo liberalismo (

)

A América Latina logo teve suas constituições burguesas, muito envernizadas

...

)

... As burguesias dessas terras nasceram como simples instrumentos do capitalismo

internacional. (Eduardo Galeano, As veias abertas da América Latina.) A partir do texto, é possível afirmar:

  • a) as indústrias da América Latina independente tornaram-se competitivas em relação às britânicas no

mercado internacional.

  • b) a América Latina independente caracterizou-se pela igualdade, pelas leis autoritárias e pelo esenvolvimento

nacional autônomo.

  • c) os Estados nacionais independentes criaram leis baseadas nos princípios democráticos e na autonomia

econômica em relação ao capital externo.

  • d) na América Latina, a independência preservou a economia colonial dependente do mercado externo e

aprofundou as desigualdades sociais.

  • e) as burguesias latino-americanas lutaram pela sua autonomia política e econômica em relação ao capital

internacional.

  • 94 - MACKENZIE JULHO DE 2008 CUBA

“(

...

)

Fidel se beneficiou da Guerra Fria e vendeu a importância geopolítica de Cuba à União Soviética, em

troca de generosos subsídios. Cuba é muito mais importante no mundo como um símbolo. E ela é um símbolo por causa de Fidel. Sem Fidel, o regime cubano perde o símbolo da vanguarda do comunismo internacional ou, ao menos, do antiimperialismo especialmente do antiamericanismo. A Revolução Cubana nunca se viu como uma mudança de governo em Cuba apenas. A atuação de Ernesto Che Guevara na África e na América do Sul era parte da mística em torno dos combatentes de Sierra Maestra. Para a América

Latina, especificamente, Fidel foi o ícone das mudanças que organizações de esquerda do Continente inteiro

buscavam.”

(Revista Época, fevereiro de 2008) A saída de Fidel Castro da liderança do governo reacendeu o debate acerca da controvertida História Cubana. A respeito do tema, considere as afirmações abaixo:

I. No contexto internacional da Guerra Fria, Cuba foi um palco importante na disputa entre os EUA e a ex-

URSS, com destaque para a ‘Crise dos Mísseis’, em 1962, quando o mundo esteve à beira de um confronto

nuclear. II. A Revolução Cubana inspirou movimentos de esquerda na América Latina, a partir da década de 1960, sendo adotada como modelo para os grupos guerrilheiros pró-socialistas, a exemplo da Guerrilha do Araguaia, no Brasil. III. Para superar a crise vivida por Cuba desde o fim da URSS, o país busca ampliar suas relações econômico- comerciais, sobretudo na América Latina, destacando-se sua aproximação com a Venezuela de Hugo Chávez. Dessa forma:

  • a) apenas as afirmações I e II estão corretas.

  • b) apenas as afirmações II e III estão corretas.

  • c) apenas as afirmações I e III estão corretas.

  • d) apenas a afirmação III está correta.

  • e) todas as afirmações estão corretas.

P á g i n a

| 116

  • 95 - UNESP JULHO 2008 ECONOMIA AFRICANA ATUAL

O dinamismo industrial e o desenvolvimento tecnológico são os grandes responsáveis pelas relações de subordinação político-econômica no mundo. Nesse contexto, e tomando como base a economia africana, analise os itens seguintes.

  • I. Industrialização tardia e incompleta. Pequena participação no comércio mundial.

II. Excesso de capital endógeno, porém, com escassez de mão-de-obra qualificada. III. O fim do apartheid teve como principal resultado o domínio da alta tecnologia. IV. Com exceção da África do Sul e do Egito, o setor industrial não apresenta dinamismo e diversificação. Descrevem a realidade da economia africana os itens

  • a) I e II. b) I e III. c) I e IV. d) II e III. e) II e IV.

    • 96 - FGV ADMINISTRAÇÃO JUNHO 2008 APARTHEID AFRICA DO SUL

De 1948 a 1991, vigorou na África do Sul o regime denominado apartheid. A esse respeito é correto afirmar:

  • a) Trata-se de uma política de segregação racial que excluía os negros da participação política, mas lhes

reservava o livre direito à propriedade da terra.

  • b) Trata-se de uma política de segregação racial que previa uma lenta incorporação da população negra às

atividades políticas do país.

  • c) Trata-se de uma política de segregação racial que excluía negros e asiáticos da participação política e

restringia até mesmo a sua circulação pelo país.

  • d) Trata-se de uma política de integração racial baseada na perspectiva ideológica da mestiçagem cultural

entre as diversas etnias negras.

  • e) Trata-se de uma política de segregação racial que propunha a eliminação gradual da minoria negra, como

forma de garantir a dominação branca.

  • 97 - MACKENZIE JULHO DE 2008 JAPÃO

Até o início da década de 1990, no Japão, adotava-se uma prática, na qual cada empresa tinha sua própria política de licença maternidade, quando tinha alguma. A maior parte se contentava em conceder às gestantes algumas semanas de folga, quase sempre não remuneradas. Hoje, as empresas são obrigadas, legalmente, a conceder, às funcionárias, catorze semanas de licença maternidade (seis antes do parto e oito depois), seguidas da opção de retornar ao trabalho ou de ficar em casa, recebendo 50% do salário, até que o bebê faça um ano. Com base no texto, considere as afirmações abaixo:

  • I. Essas significativas e importantes mudanças se devem ao fato de o Japão estar praticamente inserido na

transição demográfica avançada, que já ameaça a reposição, a médio e a longo prazo, da mão-de-obra ativa, no mercado de trabalho. II. Foi necessária a alteração desses direitos, para que houvesse uma homogeneização de uma mesma política trabalhista em todas as unidades empresariais japonesas, reflexo da globalização e da ocidentalização de sua economia, em virtude das fusões empresariais com grupos europeus, sulasiáticos e americanos. III. Contribui, para essas mudanças, o atual nacionalismo e isolacionismo japonês, que vê riscos na diminuição populacional de seu mercado consumidor interno e como forma de o Japão se proteger das ameaças

estrangeiras. Está correto o que se afirma em:

  • a) I, apenas. b) II, apenas. c) I e II, apenas. d) II e III, apenas. e) I, II e III.

    • 98 - FATEC JUNHO 2008- UNIÕES ADUANEIRAS

Considere o texto apresentado para responder a questão. Esse tratado visava inicialmente estabelecer uma zona de livre comércio entre os países-membros por meio da eliminação de tarifas alfandegárias e de restrições nãotarifárias (como cotas de importações e proibição de importação de determinados produtos), liberando a circulação de mercadorias. Alcançada essa meta, fixou-se uma política comercial conjunta dos países-membros em relação a nações não integrantes do bloco, medida que definiu a Tarifa Externa Comum (TEC). A entrada em vigor da TEC, em 1994, transformou o bloco em

P á g i n a

| 117

uma união aduaneira, última etapa para a formação de um mercado comum. (Adaptado de: MOREIRA, João Carlos. SENE, Eustáquio de. Geografia Geral e do Brasil. Espaço geográfico e globalização São Paulo: Scipione, 2007, p. 229.) O texto trata da formação do seguinte bloco econômico:

a)

União Européia (UE).

b)

Comunidade Andina de Nações (CAN).

c)

Cooperação Econômica do Pacífico (APEC).

 

d)

Comunidade de Estados Independentes (CEI).

e)

Mercado Comum do Sul (Mercosul).

99 - MACKENZIE JULHO DE 2008 ALTA DE ALIMENTOS 2008

 

“Em alguns países, produzem-se alimentos suficientes para toda a população nacional e para a exportação.

Então a questão não é o tamanho da população, mas a tecnologia que está sendo usada e o investimento que

está sendo feito”.

 

(Jacques Diouf, diretor geral da FAO, em entrevista concedida à Revista Veja, edição 2057 -23 de abril de

 

2008)

Segundo o diretor-geral da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação), a alta do preço dos alimentos assusta, mas não condena o mundo à fome, como afirmam aqueles que ressuscitam o fantasma de Malthus, título da matéria da revista. Em relação à escalada dos preços dos alimentos, considere

as afirmações abaixo:

 

I. Aumento de preço, devido à redução da oferta de alimentos em decorrência das alterações climáticas e doenças nos rebanhos do planeta, que tem provocado graves quebras de safras. II. O incentivo dos governos dos países emergentes e do Japão aos produtores de etanol, derivado do milho ou do arroz, fez aumentar a cotação desses grãos, estimulando agricultores de alimentos a migrarem para a produção de biocombustíveis. III. O preço do barril de petróleo tem aumentado sucessivamente desde o início de 2007, o que elevou o preço dos transportes e insumos agrícolas. IV. O dinamismo da economia mundial que vem crescendo nos últimos anos tem aumentado o consumo de alimentos em países emergentes, onde vivem mais de 1/3 da população mundial. Estão corretas:

a)

apenas, I e II.

b) apenas, I e III.

c) apenas, III e IV.

d) I, II, III e IV.

e) apenas, I, III e IV.

100

- ENEM 2008 TERRORISMO

Na América do Sul, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) lutam, há décadas, para impor um regime de inspiração marxista no país. Hoje, são acusadas de envolvimento com o narcotráfico, o qual supostamente financia suas ações, que incluem ataques diversos, assassinatos e seqüestros. Na Ásia, a Al Qaeda, criada por Osama bin Laden, defende o fundamentalismo islâmico e vê nos Estados Unidos da América (EUA) e em Israel inimigos poderosos , os quais deve combater sem trégua. A mais conhecida de suas ações terroristas ocorreu em 2001, quando foram atingidos o Pentágono e as torres do World Trade Center. A partir das informações acima, conclui-se que:

A)

as ações guerrilheiras e terroristas no mundo contemporâneo usam métodos idênticos para alcançar os

mesmos propósitos.

 

B)

o apoio internacional recebido pelas Farc decorre do desconhecimento, pela maioria das nações, das

práticas violentas dessa organização.

 

C)

os EUA, mesmo sendo a maior potência do planeta, foram surpreendidos com ataques terroristas que

atingiram alvos de grande importância simbólica.

 

D)

as organizações mencionadas identificam-se quanto aos princípios religiosos que defendem.

E)

tanto as Farc quanto a Al Qaeda restringem sua atuação à área geográfica em que se localizam,

respectivamente, América do Sul e Ásia.

 

101

- (USP) A preocupação em isolar a França e obter o maior número possível de aliados caracterizou a

política de um chefe de governo europeu no período de 1871 e 1890. Estamos no referindo a:

a) Lloyd George

b) Bismarck

c) Guilherme II

d) Cavour

e) Guilherme I

P á g i n a

| 118

102 - (UFRN) Em 1914, a crise balcânica atingiu um momento de grande tensão, quando a Áustria e a Sérvia entraram em atrito devido ao (à):

a)

patrocínio da independência da Albânia pela Áustria, privando a Sérvia de uma saída para o mar;

b)

anexação da Bósnia e Herzegovina pela Áustria;

c)

tentativa da Áustria de anexar a Sérvia;

d)

tentativa da Rússia de anexar a Sérvia;

e)

n.d.a.

103

- (OSEC) Um dos fatores da I Grande Guerra foi a rivalidade industrial entre a Alemanha e a Inglaterra,

porque:

a) os ingleses temiam a penetração alemã em suas colônias, como se estava verificando na Austrália;

b)

os alemães receavam o poderio econômico inglês, acreditando na eliminação da rivalidade por meio de

uma guerra;

 

c)

os alemães haviam obtido o controle comercial sobre o Império Otomano;

 

d)

a Alemanha vinha dominando grande parte dos mercados de consumo até então pertencentes à

Inglaterra;

e)

n.d.a.

104

- (USP) O assassinato do herdeiro do Império Austro-Húngaro em Sarajevo veio complicar a situação

européia e ocasionou a eclosão da I Guerra Mundial. O personagem em questão era:

 

a)

o Kaiser Guilherme

b) Francisco Fernando

c) Lloyd George

d) Nicolau Romanov

e) n.d.a.

105

- (ENEM-98) As diferentes formas em que as sociedades se organizam socioeconomicamente visam a

atender suas necessidades para a época. O liberalismo, atualmente, assume papel crescente, com os Estados diminuindo sua atuação em várias áreas, inclusive vendendo empresas estatais. Da idéia de interferência estatal na economia, do “Estado de Bem-Estar”, da assistência social ampla e emprego garantido por lei, e, às vezes, à custa de subsídios (na Europa defendido pela Social-Democracia), caminha-se para um Estado enxuto e ágil, onde a manutenção do progresso econômico e uma maior liberdade na conquista do mercado são as formas de assegurar ao cidadão o acesso ao bem-estar. Nem sempre a população concorda. Neste contexto, as eleições gerais na Alemanha, em 1998, poderão levar Helmuth Kohl, com longa e frutuosa carreira à frente daquele país, a entregar o posto ao social-democrata Gerhard Schroeder. O desemprego na Alemanha atinge seu ponto máximo. A moeda única européia será o fim do Marco Alemão. A imagem de Helmuth Kohl começa a desvanecer-se. Conseguirá vencer este ano? Seja como for, ele luta. Mas recebeu um novo e tremendo golpe: o Partido Liberal (FDP) deixou Kohl. O secretário Geral do FDP, Guido Westerwelle declarou: Começou o fim da era Kohl!

A Alemanha ajuda a concretizar o bloco econômico da União Européia. A participação neste bloco implica a adoção de um sistema socioeconômico que:

  • (A) dificulta a livre iniciativa econômica, inclusive das grandes empresas na Alemanha.

  • (B) ofereça mercado europeu mais restrito aos produtos e serviços alemães.

  • (C) diminua as oportunidades de iniciativa econômica para os alemães em outros países e vice-versa.

  • (D) garanta o emprego, na Alemanha, pelo afastamento da concorrência de outros países da própria União

Européia.

  • (E) por meio da união de esforços com os o países da União Européia, permita à economia alemã concorrer

em melhores condições com países de fora da União Européia.

P á g i n a

| 119

106

- (ENEM-98) A América Latina dos últimos anos insere-se num processo de democratização, oferecendo

algumas oportunidades de crescimento econômico-social num contexto de liberdade e dependência econômica internacional. Cuba continua caracterizada por uma organização própria com restrições à liberdade econômica e política, crescimento em alguns aspectos sociais e um embargo econômico americano datado de 1962. Em

1998, o Papa João Paulo II visitou Cuba e depois disse ao cardeal Jaime Ortega, arcebispo de Havana, e a 13 bispos em visita ao Vaticano que apreciou as mudanças realizadas em Cuba após sua visita à ilha e espera que sejam criados novos espaços legais e sociais, para que a sociedade civil de Cuba possa crescer em autonomia e participação. A resposta internacional ao intercâmbio com Cuba foi boa, mas as autoridades

locais mostraram pouco entusiasmo, não estando dispostas a abandonar o sistema socialista monopartidário.”

A maioria dos países latino-americanos tem se envolvido, nos últimos anos, em processos de formação socioeconômicos caracterizados por:

 

(A)

um processo de democratização à semelhança de Cuba.

(B)

restrições legais generalizadas à ação da Igreja no continente.

(C)

um processo de desenvolvimento econômico com restrições generalizadas à liberdade política.

(D)

excelentes níveis de crescimento econômico.

(E)

democratização e oferecimento de algumas oportunidades de crescimento econômico.

107

- (ENEM-99) Em dezembro de 1998, um dos assuntos mais veiculados nos jornais era o que tratava da

moeda única européia. Leia a notícia destacada abaixo.

 

O nascimento do Euro, a moeda única a ser adotada por onze países europeus a partir de 1o de janeiro, é possivelmente a mais importante realização deste continente nos últimos dez anos que assistiu à derrubada do Muro de Berlim, à reunificação das Alemanhas, à libertação dos países da Cortina de Ferro e ao fim da União Soviética. Enquanto todos esses eventos têm a ver com a desmontagem de estruturas do passado, o

Euro é uma ousada aposta no futuro e uma prova da vitalidade da sociedade Européia. A “Euroland”, região

abrangida por Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Irlanda, Itália, Luxemburgo e Portugal, tem um PIB (Produto Interno Bruto) equivalente a quase 80% do americano, 289 milhões de consumidores e responde por cerca de 20% do comércio internacional. Com este cacife, o Euro vai disputar com o dólar a condição de moeda hegemônica. (Gazeta Mercantil, 30/12/1998)

A matéria refere-se à “desmontagem das estruturas do passado” que pode ser entendida como:

 

(A)

o fim da Guerra Fria, período de inquietação mundial que dividiu o mundo em dois blocos ideológicos

 

opostos.

(B)

a inserção de alguns países do Leste Europeu em organismos supranacionais, com o intuito de exercer o

controle ideológico no mundo.

 

(C)

a crise do capitalismo, do liberalismo e da democracia levando à polarização ideológica da antiga URSS.

(D)

a confrontação dos modelos socialista e capitalista para deter o processo de unificação das duas

Alemanhas.

(E)

a prosperidade das economias capitalista e socialista, com o conseqüente fim da Guerra Fria entre EUA e a

URSS.

108

- (ENEM-01) De acordo com reportagem sobre resultados recentes de estudos populacionais, "

...

a

população mundial deverá ser de 9,3 bilhões de pessoas em 2050. Ou seja, será 50% maior que os 6,1

bilhões de meados do ano 2000.(

)

Essas são as principais conclusões do relatório Perspectivas da População

)

Apenas seis países

... Mundial Revisão 2000, preparado pela Organização das Nações Unidas (ONU). (

... respondem por quase metade desse aumento: Índia (21%), China (12%), Paquistão (5%), Nigéria (4%),

Bangladesh (4%) e Indonésia (3%).

Esses elevados índices de expansão contrastam com os dos países mais desenvolvidos. Em 2000, por exemplo, a população da União Européia teve um aumento de 343 mil pessoas, enquanto a Índia alcançou

esse mesmo crescimento na primeira semana de 2001. (

...

)

P á g i n a

| 120

Os Estados Unidos serão uma exceção no grupo dos países desenvolvidos. O país se tornará o único desenvolvido entre os 20 mais populosos do mundo." (O Estado de S. Paulo, 03 de março de 2001).

Considerando as causas determinantes de crescimento populacional, pode-se afirmar que:

  • (A) na Europa, altas taxas de crescimento vegetativo explicam o seu crescimento populacional em 2000.

  • (B) nos países citados, baixas taxas de mortalidade infantil e aumento da expectativa de vida são as

responsáveis pela tendência de crescimento populacional.

  • (C) nos Estados Unidos, a atração migratória representa um importante fator que poderá colocá-lo entre os

países mais populosos do mundo.

  • (D) nos países citados, altos índices de desenvolvimento humano explicam suas altas taxas de natalidade.

  • (E) nos países asiáticos e africanos, as condições de vida favorecem a reprodução humana.

    • 109 - (ENEM-02) 1 - .(

...

)

O recurso ao terror por parte de quem já detém o poder dentro do Estado não

pode ser arrolado entre as formas de terrorismo político, porque este se qualifica, ao contrário, como o

instrumento ao qual recorrem determinados grupos para derrubar um governo acusado de manter-se por meio do terror ..

2 - Em outros casos . os terroristas combatem contra um Estado de que não fazem parte e não contra um governo (o que faz com que sua ação seja conotada como uma forma de guerra), mesmo quando por sua vez não representam um outro Estado. Sua ação aparece então como irregular, no sentido de que não podem organizar um exército e não conhecem limites territoriais, já que não provêm de um Estado. (Dicionário de Política (org.) BOBBIO, N., MATTEUCCI, N. e PASQUINO, G., Brasília: Edunb,1986).

De acordo com as duas afirmações, é possível comparar e distinguir os seguintes eventos históricos:

I. Os movimentos guerrilheiros e de libertação nacional realizados em alguns países da África e do sudeste asiático entre as décadas de 1950 e 70 são exemplos do primeiro caso.

II. Os ataques ocorridos na década de 1990, como às embaixadas de Israel, em Buenos Aires, dos EUA, no Quênia e Tanzânia, e ao World Trade Center em 2001, são exemplos do segundo caso.

III. Os movimentos de libertação nacional dos anos 50 a 70 na África e sudeste asiático, e o terrorismo dos anos 90 e 2001 foram ações contra um inimigo invasor e opressor, e são exemplos do primeiro caso.

É correto o que se afirma apenas em:

(A) I.

(B) II.

(C) I e II.

(D) I e III.

(E) II e III.

  • 110 - (ENEM-02) Considere o papel da técnica no desenvolvimento da constituição de sociedades e três

invenções tecnológicas que marcaram esse processo: invenção do arco e flecha nas civilizações primitivas, locomotiva nas civilizações do século XIX e televisão nas civilizações modernas.

A respeito dessas invenções são feitas as seguintes afirmações:

I. A primeira ampliou a capacidade de ação dos braços, provocando mudanças na forma de organização social e na utilização de fontes de alimentação.

II. A segunda tornou mais eficiente o sistema de transporte, ampliando possibilidades de locomoção e provocando mudanças na visão de espaço e de tempo.

III. A terceira possibilitou um novo tipo de lazer que, envolvendo apenas participação passiva do ser humano, não provocou mudanças na sua forma de conceber o mundo.

Está correto o que se afirma em:

(A) I, apenas.

(B) I e II, apenas.

(C) I e III, apenas.

(D) II e III, apenas.

(E) I, II e III.

P á g i n a

| 121

111

- (ENEM-03) No dia 7 de outubro de 2001, Estados Unidos e Grã-Bretanha declararam guerra ao regime

Talibã, no Afeganistão. Leia trechos das declarações do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, e de

Osama Bin Laden, líder muçulmano, nessa ocasião:

 

George Bush:

 

Um comandante-chefe envia os filhos e filhas dos Estados Unidos à batalha em território estrangeiro somente depois de tomar o maior cuidado e depois de rezar muito. Pedimos-lhes que estejam preparados para o sacrifício das próprias vidas. A partir de 11 de setembro, uma geração inteira de jovens americanos teve uma nova percepção do valor da liberdade, do seu preço, do seu dever e do seu sacrifício. Que Deus continue a abençoar os Estados Unidos.

Osama Bin Laden:

 

Deus abençoou um grupo de vanguarda de muçulmanos, a linha de frente do Islã, para destruir os Estados Unidos. Um milhão de crianças foram mortas no Iraque, e para eles isso não é uma questão clara. Mas quando pouco mais de dez foram mortos em Nairóbi e Dar-es-Salaam, o Afeganistão e o Iraque foram bombardeados e a hipocrisia ficou atrás da cabeça dos infiéis internacionais. Digo a eles que esses acontecimentos dividiram o mundo em dois campos, o campo dos fiéis e o campo dos infiéis. Que Deus nos proteja deles. (Adaptados de O Estado de S. Paulo, 8/10/2001)

Pode-se afirmar que:

 

(A)

a justificativa das ações militares encontra sentido apenas nos argumentos de George W. Bush.

(B)

a justificativa das ações militares encontra sentido apenas nos argumentos de Osama Bin Laden.

(C)

ambos apóiam-se num discurso de fundo religioso para justificar o sacrifício e reivindicar a justiça.

(D)

ambos tentam associar a noção

de

justiça a

valores de ordem política, dissociando-a de princípios

religiosos.

(E)

ambos tentam separar a noção de justiça das justificativas de ordem religiosa, fundamentando-a numa

estratégia militar.

 

112

- (FUVEST 2009) Seu êxito (de Hitler) foi possível pelo caos e (pela) desintegração do governo alemão

que se seguiram à crise econômica de 1929 e foi resultado da complacência política de conservadores e

comunistas para com o ‘fenômeno grotesco e transitório’ do nazismo (…).Mas o nazismo foi também produto

do passado, ainda que não um inevitável produto, pela conjunção de uma série de fatores de natureza diversa: entre eles o autoritarismo, o militarismo, o racismo, o fracasso da revolução democrática de 1848, a derrota na Primeira Guerra Mundial, a hiperinflação dos primeiros anos 1920, a já referida crise econômica

aberta em 1929. (Adaptado de Boris Fausto. Folha de São Paulo, 11/12/2007).

A partir do texto do historiador Boris Fausto, analise as afirmações:

I. O nazismo foi um movimento idealizado exclusivamente por Hitler.

II. A crise de 1929 provocou o caos e a desintegração do governo alemão.

III. A fracassada revolução democrática de 1848 é apontada como causa remota do nazismo.

IV. A Alemanha ficou imune aos efeitos da Primeira Guerra Mundial.

V. O racismo explica, em parte, a ascensão do nazismo.

 

São corretas apenas as afirmações:

 

A) I, II e III B) I, II e V C) I, III e IV D) II, III e V E) II, IV e V

113

- (FUVEST) O período entre as duas guerras mundiais (1919 - 1939) foi marcado por:

a) crise do capitalismo, do liberalismo e da democracia e polarização ideológica entre fascismo e comunismo; b) sucesso do capitalismo, do liberalismo e da democracia e coexistência fraterna entre fascismo e comunismo;

P á g i n a

| 122

c)

estagnação das economias socialistas e capitalistas e aliança entre os EUA e a URSS para deter o avanço

fascista da Europa;

d)

prosperidade das economias capitalistas e socialistas e aparecimento da Guerra fria entre os EUA e a URSS;

e)

coexistência pacífica entre os blocos americano e soviético e surgimento do capitalismo monopolista.

114

- (UNITAU) O nazismo e o fascismo surgiram:

a)

do desenvolvimento de partidos nacionalistas, com pregações em favor de um Executivo forte, totalitário,

com o objetivo de solucionar crises generalizadas diante da desorganização surgida após a Primeira Guerra;

b)

da esperança de conseguir estabilidade com a união das "doutrinas liberais" de tendências individualistas;

c)

com a instituição do parlamentarismo na Itália e na Alemanha, agregando partidos populares;

d)

com o enfraquecimento da alta burguesia e o apoio do governo às camadas lideradas pelos sindicatos

socialistas;

e)

do coletivismo pregado pelos marxistas.

115

- (FUVEST) Em seu famoso painel Guernica, Picasso registrou a trágica destruição dessa cidade basca

por:

a)

ataques de tropas nazistas durante a Segunda Guerra Mundial;

b)

republicanos espanhóis apoiados pela União Soviética durante a Guerra Civil;

c)

forças do Exército Francês durante a Primeira Guerra Mundial;

d)

tropas do governo espanhol para sufocar a revolta dos separatistas bascos;

e)

bombardeio da aviação alemã em apoio ao general Franco contra os republicanos.

116

- (FUVEST) "Mas um socialismo liberado do elemento democrático e cosmopolita cai como uma luva

para o nacionalismo." Esta frase de Charles Maurras, dirigente da Action Française, permite aproximar pensamento da ideologia:

a)

fascista

b)

liberal

c)

socialista

d)

comunista

e)

democrática

117

- (UFES) A Guerra Civil Espanhola (1936 - 1939), em que mais de 1 milhão de pessoas perdeu a vida,

terminou com a derrota dos republicanos e com a subida ao poder do general Francisco Franco. O Estado

Espanhol, após a vitória de Franco, caracterizou-se como:

a)

democrático com tendências capitalistas;

b)

democrático com tendências socialistas;

c)

populista de esquerda;

d)

totalitário de direita;

e)

totalitário de esquerda.

118

- (FGV) Entre as duas Guerras Mundiais (1919 - 1939), ocorreram alguns fatos históricos relevantes.

Merecem destaque a:

a)

ascensão da República de Weimar, a eclosão da Guerra da Coréia e a proclamação da república do Egito;

b)

quebra da Bolsa de Nova Yorque, a proclamação da República Popular da China e a criação do estado de

Israel;

c)

deflagração da guerra entre Grécia e Turquia, a eleição de presidentes socialistas na França e em Portugal

e a constituição do Pacto de Varsóvia;

d)

ascensão do nazismo na Alemanha, o início da Nova Política Econômica na Rússia e a deflagração da

Guerra Civil na Espanha;

e)

ascensão do fascismo italiano, a criação do Mercado Comum Europeu e a invasão do Afeganistão pela

União Soviética.

119

- (FUVEST) A ascensão de Hitler ao poder, no início dos anos trinta, ocorreu:

a)

pelas mãos do Exército Alemão, que quis desforrar-se das humilhações impostas pelo Tratado de Versalhes;

b)

através de uma ação golpista, cuja ponta de lança foram as forças paramilitares do Partido Nazista;

c)

em conseqüência de uma aliança entre os nazistas e os comunistas;

d)

a partir de sua convocação pelo presidente Hindenburg para chefiar uma coalizão governamental;

e)

através de uma mobilização semelhante à que ocorreu na Itália, com a marcha de Mussolini sobre Roma.

P á g i n a

| 123

  • 120 - (FUVEST)

    • 1. "Ao contrário das velhas organizações que vivem fora do Estado, os nossos sindicatos fazem parte do

Estado." (Mussolini)

  • 2. "Defender os produtores significa combater os parasitas. Os parasitas do sangue, em primeiro lugar os

socialistas, e os parasitas do trabalho, que podem ser burgueses ou socialistas." (Mussolini)

  • 3. "Mesmo neste momento, tenho a sublime esperança de que um dia chegará a hora em que essas tropas

desordenadas se transformarão em batalhões, os batalhões em regimentos e os regimentos em divisões." (Hitler)

  • 4. "Aqueles que governam devem saber que têm o direito de governar porque pertencem a uma raça

superior." (Hitler)

Nas citações acima, encontramos algumas das principais características do nazismo e do fascismo. Identifique- as, ordenadamente, nas alternativas abaixo:

a) Expansionismo, nacionalismo, romantismo, idealismo.

  • b) Corporativismo, anticomunismo, militarismo, racismo.

  • c) Totalitarismo, socialismo, esquadrismo, anti-semitismo.

  • d) Liberalismo, comunismo, antimilitarismo, corporativismo.

  • e) Pacifismo, não-intervencionsimo, industrialismo, anti-semitismo.

    • 121 - (UNITAU) O nazismo e o fascismo surgiram:

      • a) do desenvolvimento de partidos nacionalistas, com pregações em favor de um Executivo forte, totalitário,

com o objetivo de solucionar crises generalizadas diante da desorganização surgida após a Primeira Guerra

Mundial;

  • b) da esperança de conseguir estabilidade com a união das “doutrinas liberais” de tendências individualistas;

  • c) com a instituição do parlamentarismo na Itália e na Alemanha, agregando partidos populares;

  • d) com o enfraquecimento da alta burguesia e o apoio do governo às camadas lideradas pelos sindicatos

socialistas;

  • e) do coletivismo pregado pelos marxistas.

    • 122 - (FUVEST) A ascensão de Hitler ao poder, no início dos anos trinta, ocorreu:

      • a) pelas mãos do Exército alemão, que quis desforrar-se das humilhações impostas pelo Tratado de Versalhes;

      • b) através de uma ação golpista, cuja ponta de lança foram as forças paramilitares do Partido Nazista;

      • c) em conseqüência de uma aliança entre os nazistas e os comunistas;

      • d) a partir de sua convocação pelo presidente Hindenburg para chefiar uma coalizão governamental;

      • e) através de uma mobilização semelhante à que ocorreu na Itália, com a marcha de Mussolini sobre Roma.

        • 123 - (UFSC) Os regimes totalitários, que polarizaram a política européia no período entre-guerras (1919-

1939), apresentam muitos aspectos comuns, conservando cada um suas peculiaridades. Assinale os aspectos que caracterizam o nazismo.

01) Racismo 02) Anti-semitismo 03) Internacionalismo 04) Antimarxismo 05) Ocorreu na Itália

  • 124 - (PucCamp) – uma das leis baixadas por Mussolini dizia o seguinte: “

...

nenhuma

questão será incluída

na ordem do dia no Parlamento sem a ordem do chefe de Estado”. Assim, o Parlamento:

  • a) adquiriu o poder moderador entre os interesses da população e do poder executivo;

  • b) passou a representar o equilíbrio das forças nacionalistas e internacionalistas;

  • c) ficou reduzido a um simples órgão referendativo;

  • d) superou sua ação puramente legislativa, adquirindo também uma função judicial;

  • e) restabeleceu o seu poder de fato em discutir assuntos só pertinentes aos interesses nacionais.

    • 124 - (UFPB 2011) Observe a imagem a seguir, que mostra participantes de um congresso hitlerista, na

Cinelândia, Rio de Janeiro, em 1941.

P á g i n a

| 124

P á g i n a | 124 Relacionando o fato observado ao seu respectivo contexto,

Relacionando o fato observado ao seu respectivo contexto, é correto afirmar que nessa imagem se verifica:

  • a) Alusão à natureza pacífica do movimento promotor do congresso.

  • b) Participação de integrantes brasileiros afrodescendentes.

  • c) Aversão ao comportamento hierárquico da doutrina militar.

  • d) Exclusão de mulheres e crianças do movimento hitlerista.

  • e) Associação de símbolos brasileiros com a simbologia nazista.

ATENÇÃO: As questões de 14 a 16 apresentam mais de uma afirmativa correta.

  • 125 - (UFPB 2011) A imagem a seguir retrata a situação de prisioneiros em um campo de concentração

nazista, exemplo de violação dos direitos humanos.

P á g i n a | 124 Relacionando o fato observado ao seu respectivo contexto,

Nesse contexto, identifique os acontecimentos considerados consequências das denúncias dos crimes cometidos no Holocausto:

  • I. Mobilização em defesa dos Direitos Humanos em várias partes do mundo.

II. Instituição do Pacto de Varsóvia e do Tratado do Atlântico Norte pelas Nações Unidas.

III. Implantação do Tribunal de Nuremberg para julgamento dos criminosos de guerra. IV. Divisão do mundo em dois blocos políticos, um socialista e outro capitalista.

  • V. Aprovação da Declaração Universal dos Direitos Humanos pela ONU.

    • 126 - (UFPB 2010) Considerando as relações entre a Revolução Russa e a Primeira Guerra Mundial, é correto

afirmar que essa guerra:

  • a) fortaleceu o poder das forças armadas russas, até então dominadas pelos bolcheviques, e, assim,

constituiu

as condições para a derrubada do czarismo através de um golpe militar.

  • b) teve pouca importância para a Revolução Russa, pois foi um acontecimento territorialmente distante.

  • c) influenciou decisivamente a Revolução Russa, pois impopularizou o regime czarista, devido a sua posição

belicista, com o consequente fortalecimento dos bolcheviques, contrários à guerra desde o seu início.

  • d) foi determinante para a Revolução Russa, pois esta constituiu-se em uma reação popular após o

reconhecimento formal da vitória alemã sobre a Rússia.

  • e) teve relação mínima com a Revolução Russa, pois a participação da Rússia no conflito fortaleceu o poder

do Czar, mediante apoio tanto do povo quanto das forças armadas.

P á g i n a

| 125

127 - (UFPB 2010) O Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (Nazista) foi fundado em 1919. Entre os seus primeiros militantes, encontrava-se Adolf Hitler, que se tornou o principal dirigente dessa agremiação. Em pouco mais de 10 anos, os nazistas avançaram nas eleições até o seu partido tornar-se o mais votado em 1932, elegendo a maior bancada parlamentar para o Reichstag. Em 1933, Hitler tornou-se chanceler da Alemanha. Nesse contexto, sobre as condições que possibilitaram a ascensão do nazismo ao poder na Alemanha, é correto afirmar:

a)

As imposições do Tratado de Versalhes, implicando humilhações à Alemanha após a derrota na Primeira

Guerra Mundial, reforçaram o sentimento revanchista germânico, aproveitado politicamente pelos nazistas.

b)

A imposição estadunidense à Alemanha de pesados tributos de guerra, contrariando as posições pacifistas

daFrança e da Inglaterra, desencadeou séria crise na economia alemã e o fortalecimento político dos nazistas, contrários aos tributos.

c)

A rejeição aos nazistas, por parte das classes proprietárias e das classes médias, temendo uma revolução

popular socialista, provocou um amplo apoio dos operários e camponeses alemães ao nazismo, em seguidas

 

eleições.

d)

A defesa do Pacto de Versalhes feita pelos nazistas, assegurando o direito da Alemanha à retomada dos

territórios perdidos após a I Guerra Mundial, foi essencial para o apoio das forças armadas alemãs ao

 

nazismo.

e)

A aliança entre o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães e o Partido Comunista Alemão,

concretizando-se após a realização do Pacto Hitler-Stalin, impediu a oposição de esquerda aos nazistas.

128 - (UFPB 2010) Em 1959, guerrilheiros liderados por Fidel Castro assumiram o poder em Cuba, derrubando a ditadura de Fulgêncio Batista, que tinha apoio dos EUA.

Sobre a Revolução Cubana, identifique as afirmativas corretas:

I. Promoveu a reforma agrária, com a expropriação das terras de várias empresas norte-americanas. II. Levou ao questionamento da hegemonia dos Estados Unidos no continente, por sua afirmação como uma revolução anti-imperialista. III. Irradiou apoio a diversos movimentos de contestação à ordem econômica e social na América Latina, principalmente através do treinamento de guerrilheiros. IV. Distanciou-se da União Soviética, após o recuo desta última na “Crise dos Mísseis”, com a formulação de críticas cubanas à ideia de “coexistência pacífica” defendida pelos soviéticos. V. Resultou na diversificação das atividades econômicas, mediante a ampliação de investimentos industriais, com vistas à diminuição da dependência do país à produção açucareira e à URSS.