You are on page 1of 6

TIT: Você quer ser um líder criativo?

Torne-se um camaleão

Por Arthur Diniz

LF:

Quando se fala no tema liderança, a primeira questão que vem a mente de todos é
puramente conceitual: o que é afinal liderança? As dúvidas giram em torno do real papel
do líder e de como uma pessoa pode tornar-se um líder eficaz. Além disso, hoje em dia,
para sobreviver em meio à competitividade do ambiente empresarial, não basta apenas
tornar-se líder: é preciso liderar com criatividade, aprendendo a adaptar-se às situações e
às pessoas ao redor, respeitando limites e comportamentos diferentes. É isto o que defino
como o “líder-camaleão”, aquele que se esforça para aprender a como lidar com cada
pessoa e com diferentes situações de maneiras diversas, para que o impacto de suas ações
seja maximizado.

No meu trabalho como Coach (atividade profissional que ajuda pessoas a atingir suas
metas profissionais com um trabalho individualizado), lido com essas questões
diariamente. É fascinante acompanhar o desenvolvimento de líderes em prazos
aparentemente curtos e os resultados extraordinários que eles atingem. A idéia desse
artigo é compartilhar com vocês as descobertas desse trabalho e dar-lhes algumas
ferramentas que facilitem o seu caminho rumo a Liderança. O processo que eu vou
propor é simples de ser seguido, mas não é fácil de ser implementado.

Em um aspecto quase todos concordam: é fácil identificar um verdadeiro líder quando se


encontra um. A postura, olhar, tom de voz e segurança são alguns dos indicadores que
usamos quase sem perceber. O líder nos empolga, inspira e faz com que o sigamos sem
fazer nenhum esforço aparente. O que faz com que aquela pessoa tenha tanto poder?

Comecemos então pelo conceito. Na minha opinião Liderança é a capacidade de inspirar,


motivar e movimentar pessoas a atingir e superar metas, ultrapassando aquilo que
aparentava ser seus limites. É a capacidade de tornar a visão do futuro clara e atraente
para todos. E finalmente, a capacidade de inspirar confiança “cega” nos seus seguidores.
Confiança “cega” não significa que os seguidores não participam da visão, mas sim que
eles confiam incondicionalmente na sinceridade do líder e na honestidade dos seus
objetivos. Eles sabem que não há nenhuma agenda secreta e que o líder vai honrar os
compromissos assumidos.

Podemos agora diferenciar com facilidade líderes e gerentes. Enquanto gerentes


cumprem suas funções de coordenação de pessoas e gestão de negócios, líderes
transformam pessoas e constroem negócios a partir de sonhos. Enquanto a gerencia é uma
ciência na qual existem atitudes certas e atitudes incorretas, a Liderança é uma arte que
vem de dentro das pessoas. As pessoas vão ser líderes pelo que são e não pelo fazem.Nas
empresas, ambos são necessários, mas os líderes são essenciais.
Quadro 1: líderes X gerentes

O melhor exemplo que conheço para ilustrar essa necessidade é o do exército. Em


tempos de paz, o exército funciona muito bem somente com gerentes. Tudo tem que
funcionar perfeitamente. Mas quando chega o momento da guerra, qualquer exército que
tenha somente bons gerentes vai ser derrotado com facilidade. Nesse momento, tornam-
se fundamentais os líderes. São eles que farão com que os soldados superem todos os
limites que antes pareciam insuperáveis. Só os grandes líderes farão com essas pessoas
atinjam resultados extraordinários em momentos de adrenalina máxima.

O mercado empresarial brasileiro vive hoje momentos de guerra. Por isso a frase do
escritor John Kotter está tão em voga hoje nas empresas: “A maioria das organizações é
supergerenciada e subliderada”. As empresas e as pessoas investiram muito pouco nos
últimos anos no desenvolvimento da liderança.

Isso vale para funcionários de pequenas empresas, de grandes empresas, empreendedores,


autônomos e prestadores de serviços. Por isso a necessidade tão premente de se
desenvolver líderes eficazes e transformadores. Esses líderes vão se sobressair nessa
guerra, inspirando e movendo pessoas.

De posse desse conceito pergunta-se: todos podem ser líderes ou a Liderança é exclusiva
de pessoas que nasceram com um perfil específico? Afinal, se a Liderança vem de dentro,
como se pode desenvolver líderes? Na minha opinião, todos podem ser líderes. E nesse
ponto é importante frisar que estou falando de um conceito de Liderança que não se
limita à esfera empresarial. Falo de pessoas que podem ser líderes em suas famílias,
comunidades, igrejas ou até mesmo em suas empresas. Todos têm capacidade de se
tornarem excelentes líderes.

Só duas coisas podem impedir alguém de se tornar um líder eficaz: a falta de vontade e a
falta de disciplina. A falta de vontade é perfeitamente normal e não traz grandes
problemas quando há congruência. Ninguém é obrigado a querer ser líder. O que traz
desconforto é a quando existe a incompatibilidade entre os objetivos das pessoas e sua
vontade de se tornarem líderes. Pessoas muitas vezes querem ocupar posições que
implicam em Liderança, mas não querem ser líderes. Essa é a primeira reflexão que eu
convido os candidatos a líder a fazer. “Eu realmente quero ser um líder?”.
Se a resposta for sim, aí então começa o árduo caminho do desenvolvimento da
Liderança e a disciplina torna-se fundamental.

Como vimos, a Liderança é uma arte que vem de dentro. Portanto, o caminho para o
desenvolvimento da Liderança é uma viagem interior. Começa pelo autoconhecimento.
Pessoas diferentes têm que desenvolver questões diferentes no caminho da Liderança. Por
isso, o primeiro exercício a ser feito por qualquer pessoa que quer se tornar um líder ou
mesmo evoluir como líder é o chamado “teste do espelho”. Vá para frente de um espelho
e olhe longa e profundamente para a pessoa que está diante de você. Pergunte-se em
seguida se essa pessoa é uma pessoa a quem você respeita e admira. Essa pessoa vive a
vida de acordo com seus princípios e valores? O que você gosta e o que você não gosta
nela? Quais as suas maiores qualidades e seus maiores defeitos? E, por último, a
pergunta-chave: Você gostaria de ser liderado por essa pessoa? Ela é um líder a quem
você seguiria?

Teste do espelho: “você respeita quem está diante de você?”

Quadro 2 - Espelho

A resposta a essas perguntas é o ponto inicial da sua jornada a Liderança. Tudo que foi
identificado no teste do espelho deve ser passado para o papel. Uma maneira fantástica
para se fazer isso é usar uma ferramenta que muitas empresas usam para o seu
Planejamento Estratégico. Como mostra a figura (quadro 3) anote seus pontos fortes, seus
pontos fracos, as ameaças externas que podem atrapalhar seus planos e as oportunidades
de desenvolvimento que estão a sua volta e podem ser aproveitadas em algum momento.
Esse é o seu estado atual na busca da Liderança.

Quadro 3 – Swot – pontos fracos e fortes

Pode parecer que todo esse processo é estranho e muito diferente da maioria da coisas
que você já leu sobre Liderança. Isso acontece por causa do pressuposto do qual
partimos: a Liderança vem de dentro. Se ela vem de dentro, obviamente não pode ser
desenvolvida por ninguém além de você. E só pode ser desenvolvida se você realmente
se dispuser a se conhecer e a se desenvolver. Como vimos anteriormente, é fácil
identificar um líder quando se vê um.

Vamos ver agora o que características tem esse líder que o fazem tão diferente.
Características difíceis de se identificar, mas fáceis de se reconhecer. Acredito que esse
líder tem pelo menos três pontos muito bem definidos: missão de vida, valores e visão de
futuro (quadro 4). Esse tripé é que vai fazer a diferença que você vê mas não identifica a
fonte. São essas as principais características que vem de dentro e tornam o líder
diferente.Nos cursos sobre Liderança que ministro, sempre começamos com alguns
exercícios que ajudam as pessoas a encontrar sua missão, definir seus valores e sua visão.

Quadro 4 Missão, Valores e Visão

Qualquer pessoa que tenha clara sua missão de vida se torna automaticamente mais
confiante, motivada e energizada para fazer da sua vida algo representativo, algo que faça
diferença . Afinal, essas pessoas estão conscientes de que precisam cumprir sua missão.
Sabem que não vieram para essa vida a passeio. Nos trabalhos de Coaching , a descoberta
da missão traz sempre um impacto poderoso. A mudança é nítida e rápida. Você já
pensou nisso? Qual é a sua missão de vida.? O que você precisa realizar na sua vida pra
que você se sinta realizado. Minha missão, por exemplo, é ajudar pessoas a atingir
resultados extraordinários e encontrar a felicidade em suas vidas pessoais e profissionais.
Qual é a sua?
O ponto número dois do trabalho diz respeito a valores. Nossos valores estão
relacionados aquilo em que acreditamos ser importante respeitar em nossas vidas.
Exemplos de valores citados como importantes pela maioria dos meus clientes são :
felicidade, honestidade, integridade, respeito e liberdade. Explicitar seus valores e colocá-
los no papel é também parte fundamental do processo. Grande parte das nossas dúvidas,
sentimentos ruim e infelicidade está ligada à incongruência das nossas vidas com nossos
valores. Como podemos ver no exemplo do quadro 5, a tomada de consciência dos nossos
valores pode exercer um papel vital no desenvolvimento da Liderança.

O terceiro, mas não menos importante ponto desse tripé, é a visão de futuro. É muito
claro para a maioria das pessoas que uma empresa precisa de uma visão do futuro para
ser bem sucedida. Entretanto, grande parte das pessoas se esquece da empresa mais
importante: Você. Se você começar a se ver como uma empresa e adotar os mesmos
procedimentos que pratica na sua empresa na sua vida, pode conseguir resultados
fantásticos.

Qual é a sua visão de futuro? Aonde você quer estar daqui a seis meses, um ano, três
anos, cinco anos? Em que empresa você quer estar trabalhando? Que posição você
imagina estar ocupando? Quem vai estar com você? O que você vai estar sentindo? O que
você vai estar ouvindo? Explorar essa visão em todos os sentidos é muito importante para
transformar isso em realidade. Mais importante ainda é o realismo com que você deve
fazer o exercício de visualização. Depois de colocar sua visão no papel, comece a se
imaginar vivenciando essa realidade futura. Quanto mais real e prazerosa essa visão for
para você, maior a probabilidade de que você consiga transformá-la em realidade.
Diversos líderes importantes no mundo empresarial já escreveram em suas biografias que
utilizam o exercício da visualização não somente para o longo prazo, mas também antes
de reuniões importantes ou de tomada de decisões. Sempre praticamos esses exercícios
nos cursos de Liderança da Crescimentum. Os resultados são extraordinários.

Esse tripé formado por missão de vida, valores e visão de futuro é a base da Liderança.
Só depois de solidificá-lo podemos pensar em estilo e técnicas de Liderança no mundo
moderno. A Liderança vem se transformando rapidamente nos últimos anos e cada vez
mais se exige líderes criativos e flexíveis, capazes de conquistar sua autoridade sem
depender de poderes outorgados ou de hierarquia. Quando entramos nessa seara, a melhor
definição que encontro é de Edgar Schein : “ O líder do futuro será uma pessoa que
pode conduzir e seguir, ser central e marginal, estar hierarquicamente acima e
abaixo, ser individualista e membro da equipe, e, acima de tudo, ser um eterno
aprendiz...”
Vem desse conceito a minha definição do líder “camaleão”. Ao contrário do que a
imagem pode erroneamente passar, de alguém que adapta sua opinião ao interesse do
momento, o líder camaleão tem diante de si uma tarefa exigente: a de se transformar de
acordo com as exigências da situação e principalmente das pessoas envolvidas. Afinal,
liderar com criatividade não significa fazer constantes inovações, mas sim, conseguir ser
um líder diferente para diferentes liderados. Nada mais poderoso e nada mais difícil pois,
para fazer isso, o líder tem que conhecer os seus liderados, seus perfis comportamentais e
também saber o que fazer e o que não fazer com cada um deles. Um grande líder está
constantemente mudando seu comportamento para conseguir o melhor dos seus
seguidores. Entretanto, a maioria encontra sérias dificuldades em:

1. Aceitar essa idéia. Boa parte das pessoas em posições de liderança acha que quem
deve mudar é o seu subordinado. Nada mais errado e sem resultados do que isso.
2. Executar a idéia e agir diferente do seu comportamento natural. Não é fácil agir
de maneira diferente da qual estamos habituados.

Nos nossos cursos de Liderança, ensinamos as pessoas a identificar diferentes perfis e


qual a melhor forma de obter resultados trabalhando com cada um deles. É fascinante
notar a surpresa quando elas se identificam com seu perfil e dizem: “é exatamente isso”.
Aprender a lidar com os diferentes perfis aumenta o impacto dos líderes de maneira
assustadora. Faz também com que mude a maneira como se via certas pessoas e suas
atitudes. Aquele indivíduo que você achava que era preguiçoso pode agora ser visto como
uma grande profissional. Basta saber como motivá-lo.

Para concluir, nunca podemos falar sobre liderança sem mencionar a característica mais
importante de todas: a integridade. Sem integridade, nenhuma técnica, criatividade,
missão ou visão tem sentido. Nós acompanhamos os desastres recentes em grandes
empresas multinacionais decorrentes da falta de ética dos seus líderes. Não vale a pena.
Indira Gandhi foi brilhante quando deu o melhor conselho que pode se dar a atuais e
futuros líderes: “Uma vez meu avô me disse que há dois tipos de pessoas no mundo:
aquelas que trabalham e aquelas que ficam com o crédito. Ele disse para eu ficar no
primeiro grupo. A competição é muito menor”

BOX
Quadro5 – Caso Real
Um cliente meu começou o processo de Coaching com o objetivo de melhorar sua
performance no seu trabalho. Ele era muito bem sucedido em seu trabalho e tinha uma
posição de status em uma respeitada empresa multinacional. Entretanto não se sentia
realizado nem feliz com sua carreira. Achava que estava infeliz porque poderia estar em
um nível mais alto. Quando atingisse esse nível, poderia então ter mais autonomia e então
ser feliz no trabalho. Esse sentimento estava acompanhando ele durante toda a sua
carreira e ele achava que isso estava impedindo-o de atingir a posição e autonomia
desejadas. Iniciamos o trabalho com valores e ele rapidamente identificou a liberdade
como sendo seu valor mais importante. Pedi então que ele desse uma nota de zero a dez
para o quanto ele estava vivenciando esse importante valor em sua vida. Após alguma
reflexão ele veio com a nota: quatro. Eu lhe perguntei o que fez com que ele tivesse dado
essa nota. Ele justificou o quatro com o fato de ter que fazer tudo que sua empresa e
chefes pediam, o que cerceava não somente sua liberdade profissional, mas também
invadia sua vida pessoal.
Essa consciência iniciou todo um processo de transformação desse cliente, que mudou
sua postura na empresa e conseguiu melhorar bastante sua nota no quesito liberdade, sem
ter trocado de cargo ou empresa. Estando mais feliz, começou a apresentar resultados
melhores e logo foi promovido.

Arthur Diniz tem MBA pela Columbia Business School . Tem Certificado Internacional de Coaching pela
Lambent e pela Erickson College no Canada, e curso de extensao em Coaching Estrategico pela FIA-
USP. Foi escolhido em 2001 um dos CEOs do Futuro pela Korn/Ferry, FIA-USP e VOCE S.A. Foi alto
executivos de empresas como Santander Banespa e Deutsche Bank. Atualmente é Coach, e fundador da
Crescimentum-Coaching for Performance (www.crescimentum.com.br). Email :
adiniz@crescimentum.com.br