You are on page 1of 5

FUNDAMENTAÇÃO

TEÓRICA

Imigração
A Imigração em Portugal

Inicialmente, Portugal pertencia á listas de países emigrantes, ou seja, o nº total de


emigrantes era superior ao de imigrantes. Contudo, na última década Portugal passou a ser um
país de imigração, sendo que o nº total de imigrantes excedia o de emigrantes.

Cidadãos Estrangeiros Residentes em Território Nacional, 1980-2005

Fonte: SEF (Só autorizações de residência)


É ainda possível constatar, através dos dados fornecidos pelo Serviço de Estrangeiros e
Fronteiras (SEF) que remontam ao ano de 2000, que os imigrantes masculinos com 57%,
ultrapassam as imigrantes do sexo feminino com apenas 43%. A maioria dos imigrantes de
género masculino situa-se na faixa etária entre os 30 e os 34 anos. Quanto aos imigrantes de
género feminino encontram-se, na sua maioria, na faixa etária compreendida entre os 25 e 29
anos.

Percentagem dos Residentes Estrangeiros


no Total da População Residente por Grupos Etários, 2004

O grande “boom” na imigração em Portugal ocorreu no final do século XX com a


chegada de imigrantes originários de África. Ainda neste período, a entrada de Portugal na CEE
abriu portas para a entrada de estrangeiros, na sua maioria, ligados a actividades económicas,
vindos não só dos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) e restantes países
lusófonos como era habitual, mas também de outros pises europeus e norte-americanos.

Estando a imigração intimamente ligada com o investimento e implantação de


empresas multinacionais, leva a que uma boa percentagem dos imigrantes em Portugal sejam
de países europeus como Reino Unido, Espanha e Alemanha. Outros factores que contribuíram
igualmente para a existência de imigrantes originários de Europa são a altas taxas de
desemprego nos países europeus e a falta de profissionais em certas áreas em Portugal.
Porém, verificamos que a maior parte dos imigrantes em Portugal vêm de Cabo Verde,
onde a mão-de-obra não é pouco qualificada, o que levava a maioria destes imigrantes a
ingressar sobretudo no sector da construção civil.

Nº de Imigrantes de Cabo Verde (PALOP)

Já no inicio do século XXI, os imigrantes em Portugal eram, essencialmente, de


nacionalidade brasileira, que se inseriam, em grande parte, em sectores como a restauração e
comércio. Para além disto, verificou-se uma vaga de imigrantes vindos da Europa de leste, que,
mesmo sendo mão-de-obra qualificada ou muito qualificada, se insere, essencialmente, no
sector da Construção Civil.

Residentes estrangeiros em Portugal- SEF


No entanto, ao compararmos os valores da imigração em Portugal com os restantes
países da Europa, podemos verificar que este ainda se é um país onde a percentagem de
estrangeiros na população total é reduzida.

Percentagem de Estrangeiros na População Total, 2000-2004

Fonte: Eurostat. Apenas se consideram, para o caso português, o número de autorizações de residência dado
que a figura da “autorização de permanência” não é comparável com o quadro da maioria dos países europeus

Bibliografia:

 http://www.presidencia.pt/?idc=24&idi=1743
 http://imigrantes.no.sapo.pt/page2.html
 http://www.dlt.pt/ficheiros/deltaconsultores_a_imigracao_em_portugal.pdf