You are on page 1of 2

OS C4 LOVERS: juventude e novos espaços de sociabilidade

Onda recente nas juventudes atuais é nomear com “lovers 1” as bandas


ou artistas que fazem parte da rotina, de quem são fãs ou seguidores nas redes
sociais. O C4, por sua vez, é a forma carinhosa com que os frequentadores do
estacionamento do Carrefour chamam o espaço. Numa referência as placas
colocadas nos estacionamentos para ajudar a identificar o local onde foi
estacionado o carro, além disso, o nome curiosamente forma o nome do
supermercado em questão (c=ca + Four= four).

E é assim que a grande maioria dos frequentadores chamam e difundem


o espaço. C4 é termo recorrente nos interlocutores jovens que frequentam o
espaço. A juventude da cidade, inclusive, foi que primeiro utilizou o ambiente
para atividades de lazer, começando a frequentar e difundir o espaço entre seus
colegas e conhecidos. O que tornou o lugar frequentado por muitos deles,
inclusive, oriundos de bairros mais longínquos da cidade e até jovens de outras
cidades e regiões próximas, a grande Natal.

A referência geográfica do espaço é bem conhecida. Localizado na BR


101, às margens de prédios e centro comerciais importantes e de grande
circulação de pessoas, o hipermercado é um dos centros comerciais mais
antigos da região, entretanto, apenas nos últimos 5 anos é que o estacionamento
deu lugar a uma ocupação diferente de sua função inicial. Como espaço de
sociabilidade, o estacionamento é bem popular, mas sua procura como lugar de
descanso é relativamente recente. Foi nesse sentido que esse trabalho seguiu.
Identificar os motivos pelos quais esse espaço se popularizou para
sociabilidades, em detrimento de espaços cunhados unicamente para esse fim.
Praças públicas, parques públicos e a própria região litorânea – Sendo Natal
repleta de praias urbanas – não conseguem responder ativamente à demanda
da população por espaços de lazer.

1O termo vem da palavra em inglês Love, e é utilizado para descrever algo ou alguém com quem
se é fã.
Entretanto, o espaço só muda de função ao cair da noite. Durante o dia,
o estacionamento não passa a ideia de que há, durante a noite, toda essa
pluralidade de grupos e sociabilidades.