You are on page 1of 12

Antigo Egipto (3150 antes de Cristo)

O contorno dos olhos e das sobrancelhas eram reforçados e alongados com uma tinta pretaespecial (khol) de forma a
simular a elegância dos animais Felinos tão estimados nesta Época daCivilização. Tal como Cleópatra, as Mulheres,
já nesta altura, faziam uso de cores fortes de tintase pós de plantas para adornar as pálpebras dos olhos.
Grécia antiga
A obsessão Gregoriana pelo “Belo” era de tal forma intensa que a Nobreza detinha uma tropa deescravos encarregada de
penteá-los e maquilhá-los diariamente. Este povo acreditava que o belopoderia ser calculado por proporções
matemáticas do corpo.
Idade Média
Numa sociedade apadrinhada pela Igreja Católica na opressão da Mulher, todas as formas derepresentação de beleza
assumidas pelo sexo feminino estavam sujeitas a repressões morais epunições. Assim sendo, a Mulher passou a assumir
um rosto pálido e inexpressivo, adivinhando-se quaseuma doçura e pureza angelical. Já no Séc. XX, a Mulher passou
novamente a exibir um ideal de refinamento e jovialidade, semexageros. A pele dotava-se ainda de uma palidez
imaculada mas mais tratada, limpa e iluminadaatravés da utilização quase abusiva do pó-de-arroz. Mulheres de
vanguarda como Elizabeth Arden e Helena Rubinstein inauguraram cada uma, seu salão de beleza. Inspiradas por
actrizescomo Sarah Bernhardt e Isadora Duncan, as mulheres passam a usar cabelos mais curtos.
1920 – All that Jazz
Viveu-se o auge de um género musical único, onde o som do Jazz quase se tornouo símbolo de uma mulher nova,
rejuvenescida e emancipada. A emancipação foi de tal ordem que passou-se por uma época confusa, onde aMulher
assume uma aparência mais masculinizada, com vestuário estilo Smoking,corte de cabelos curtos e franja.O culto pelo
corpo menos arredondado torna-se um costume e, à semelhança dos dias de hoje, ocorpo deveria assumir-se magro, talo
como Coco Channel, para demarcar uma época de belezasem formas arredondadas. Na maquilhagem, inicia-se a
utilização de prático batom em bastão eem 1925, Chanel e Jean Patou lançam a moda da pele bronzeada. A nova Mulher
estava criada!
1930 – A Grande Depressão
Com a crise de 1929 dissipa-se a época de liberdade! As actrizes do cinema passama ditar a moda, assumindo a
persona
de “femme fatale”, altamente sedutora e deextrema beleza. Esta nova Era detinha ícones como Greta Garbo e
MarleneDietrich, conhecidas pelas suas sobrancelhas depiladas, tingidas ou redesenhadasa lápis. A pele, essa assumia-
se novamente pálida.
1940 – Femme Fatale
A beleza forte da “femme fatale” e alegre da “pin-up” tenta compensar a tristeza doguerra. A maquilhagem ficou
carregada, com muito batom vermelho, lábios cheiose delineados e sobrancelhas bem desenhadas.
A 2ª Guerra Mundial tinha chegado ao fim e com o seu terminus, instalou-se a eternaElegância! Depois da guerra,
retornaram os valores mais conservadores. A arte de ser bela ede ter a pele perfeita simbolizava o sucesso. Os olhos
foram evidenciados por sombras edelineadores. O contorno dos lábios, bem desenhados. Mulheres voluptuosas, como
Brigitte Bardot e AvaGardner, tiveram seus dias de glória.

1950 – Fim da Guerra


A 2ª Guerra Mundial tinha chegado ao fim e com o seu terminus, instalou-se a eternaElegância! Depois da guerra,
retornaram os valores mais conservadores. A arte de ser bela ede ter a pele perfeita simbolizava o sucesso. Os olhos
foram evidenciados por sombras e
delineadores. O contorno dos lábios, bem desenhados. Mulheres voluptuosas, como Brigitte Bardot e AvaGardner,
tiveram seus dias de glória.

1960 – Peace and Love


A mini saia revolucionou a moda e o homem chegou à Lua. A modelo Twiggy faziasucesso com o seu olhar característico
e magreza sublime. Os olhos estavam emalta com sombras metalizadas e multicoloridas, delineadores e pestanas falsas.
A pele e oslábios eram claros.
1970 – A década Excessiva
A droga, amor e o Rock and Roll dominam o cenário da Moda, estando omovimento Hippie no seu auge. Tudo era
permitido, desde overdoses até aossapatos plataforma na Moda. Em termos de maquilhagem, as maçãs de rosto
eramcaracterizadas com muito blush e as pálpebras com sombras verde, rosa e azul. O visual era psicodélico, nem um
pouco discreto. Farrah Fawcett foi um dos íconesda década. Terminada a época de excessos, a Mulher continua a reviver
os tempos áureos da cor mas,dotada de Maior equilíbrio e estabilidade social. Todavia, a super produção continuava em
altacom cabelos de Juba, atacados por permanentes mal feitas, laca a mais e popas que faziamlembrar as ondas do mar.
As unhas usavam-se longas, sapatos de salto alto e muita bijuteria. Orimmel (Máscara) era venerado como um Deus e
o Blush nunca era discreto nas maçãs de rosto.Os batons de cores fortes levavam uma camada extra de brilho por cima.
1980- A Celebração do Piroso
Terminada a época de excessos, a Mulher continua a reviver os tempos áureos dacor mas, dotada de Maior equilíbrio
e estabilidade social. Todavia, a superprodução continuava em alta com cabelos de Juba, atacados por permanentes
malfeitas, laca a mais e popas que faziam lembrar as ondas do mar. As unhas usavam-se longas, sapatos de salto alto e
muita bijuteria. O rimmel (Máscara) era veneradocomo um Deus e o Blush nunca era discreto nas maçãs de rosto. Os
batons decores fortes levavam uma camada extra de brilho por cima.
1990- Less is More
O fim do século trouxe consigo o minimalismo. Depois da explosão da cor, amoda voltou-se para um visual mais limpo e
natural. A maquilhagem apenasacentuava alguns pontos, as cores eram mais neutras e térreas, sem brilho.
O Amanhã
Vivemos numa época de liberdade de estilos, influenciados pelas geraçõespassadas mas com um sabor da própria
evolução dos tempos. O desafio é,portanto, encontrar novas referências que reflictam a imagem que cada mulher fazde
si. Trata-se da valorização do “Eu” singular e do auto-conhecimento e, aomesmo tempo, da convivência harmónica com
todas as culturas do mundo.O corpo é valorizado, mas agora cada um pode criar seu próprio padrão. A maquilhagem
está totalmente incorporada no quotidiano das mulheres. A Mulherestá cada vez mais à vontade com esta ferramenta
divertida que permite acentuar, ocultar edisfarçar atributos que fazem dela
s seres únicos e especiais.
Boa Maquilhagem!
Na década de 1910, a indústria do cinema começava a despontar nos Estados Unidos. Aprodução de películas era
frenética, as gravações estendiam-se por quase um dia inteiro, semparar.Nessa época, os filmes de cinema eram
muito “duros”, ou seja, eram preto-e-branco compoucas variações de cinza. O contraste entre o preto e o branco
era muito “imediato”,faltava uma série de matizes de cinza para suavizar a imagem.Esse detalhe técnico que,
aparentemente, não tem nada a ver com um site de belezae cosmética, na verdade tinha impacto imediato no rosto dos
atores. Eles passavam um diainteiro num estúdio fechado e absurdamente aquecido pela forte iluminação exigida
pelosfilmes de então. Resultado: em poucas horas, eles já estavam com o rosto ensopado de suor,que brilhava
horrores.Muitos recorriam a uma solução aparentemente assustadora: talco.Lembre-se: as películas deentão tinham
poucos matizes de cinza, o rosto iria ficar branco de qualquer jeito no filme.Então, a diferença era quase que imperceptível. Mas
dava para notar que alguma coisa estavaestranha naqueles rostos. E Hollywood apelou para ajuda profissional.O que os atores
precisavam era de um produto que, espalhado no rosto, uniformizava acor e adiava o efeito “brilhante-suor” que o excesso de calor
causava às faces de gente comoCharles Chaplin, Buster Keaton e Mary Pickford.Recorreram, então, a um polonês que
havia se mudado com a família para os EUA em1904 e, depois de uma passagem pelo estado do Missouri, resolveu se estabelecer em
LosAngeles. Farmacêutico, ele mesmo fabricava rouges e cremes. Em 1914, ele criou para osestúdios de Hollywood uma
maquiagem específica para atores de cinema, que não rachavanem endurecia (em inglês, “to cake”). Nascia, assim, o pan-cake,
para preparar os rostos deatores para iluminação inclemente e filmes preto-e-branco com forte contraste. Qual era
onome do farmacêutico criador do pan-cake? Max Factor.Na década de 1920, Factor resolveu socializar a coisa, e
lançou no mercado consumidor

final sua linha de cosméticos, para que “toda garota se parecesse com uma estrela de cinemaao usar a maquiagem
Max Factor”.Para dar contraste com o rosto quase que de porcelana, usavam bastante cor nos lábios paratirar a cara
de doente/morte