You are on page 1of 109

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ


INSTITUTO DE TECNOLOGIA
FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE


GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

Belém-Pará
Outubro de 2010

SUMÁRIO

1
1. APRESENTAÇÃO DO PROJETO

2. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO
2.1. Introdução
2.2. Evolução do Curso de Engenharia Elétrica na UFPA
2.3. Características do Curso

3. DIRETRIZES CURRICULARES DO CURSO


3.1. Missão do Curso de Engenharia Elétrica
3.2. Objetivos do Curso
3.3. Princípios do Projeto Pedagógico do Curso
3.4. Perfil do Egresso
3.5. Habilidades e Competências

4. ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO


4.1. Estrutura Curricular
4.2. Diretrizes Gerais
4.3. Trabalho de Conclusão de Curso
4.4. Estágio Supervisionado
4.5. Atividades Complementares
4.6. Articulação do Ensino com a Pesquisa e Extensão
4.6.1. Política de Pesquisa
4.6.2. Política de Extensão

5. PROCEDIMENTO METODOLÓGICO E PLANEJAMENTO DO TRABALHO


DOCENTE
5.1. Corpo Discente
5.2. Corpo Docente

6. INFRA–ESTRUTURA
6.1. Física
6.1.1 Salas de Aulas, Estudos e Auditórios
6.1.2 Laboratórios
6.1.3. Bibliotecas
6.2 Humana
6.2.1 Plano de Qualificação e Adequação dos RH

7. POLÍTICA DE INCLUSÃO SOCIAL

8. FORMAS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO, DA APRENDIZAGEM E DO CURSO


8.1. Avaliação do Processo Educativo
8.1.1 Avaliação do Corpo Discente
8.1.2 Avaliação do Corpo Docente
8.1.3. Avaliação do Corpo Técnico Administrativo
8.2. Avaliação do Projeto Pedagógico do Curso
8.2.1 Avaliação Interna do Curso
8.2.2 Avaliação Externa do Curso por Mecanismos já Existentes (INEP)

9. REFERÊNCIAS
10. ANEXOS

2
Anexo I - Ata de aprovação do Projeto Pedagógico pelo Conselho da Faculdade
Anexo II – Desenho Curricular
Anexo III – Contabilidade Acadêmica
Anexo IV – Atividades curriculares por período letivo
Anexo V – Representação gráfica do perfil de formação
Anexo VI – Demonstrativo das atividades curriculares por habilidades e competências
Anexo VII – Ementas das disciplinas com bibliografia básica e bibliografia complementar
Anexo VIII – Documentos legais que subsidiaram a elaboração do Projeto Pedagógico
Anexo IX – Quadro das equivalências entre componentes curriculares antigos e novos
Anexo X – Declaração de aprovação da oferta (ou possibilidade de oferta) da(s)
atividade(s) curricular(es) pela unidade responsável
Anexo XI – Declaração da Unidade responsável pelo atendimento da infra-estrutura física
e humana
Anexo XII – Minuta de Resolução

3
1 - APRESENTAÇÃO DO PROJETO
Com o propósito de discutir e estabelecer as diretrizes pedagógicas para a formação de
engenheiros eletricistas da Universidade Federal do Pará (UFPA), o Departamento de Engenharia
Elétrica e de Computação (DEEC) da UFPA, nomeou uma comissão constituída dos professores:
Orlando Fonseca Silva, Raimundo Rosemiro Pamplona Ribeiro, Jorge Roberto Brito de Souza,
Hermantine Maria Mendes Carmona, Petrônio Vieira Júnior e Valquíria Gusmão Macedo, todos
lotados no DEEC. A comissão, por sua vez, convocou representantes discentes do Centro
Acadêmico de Engenharia Elétrica (CAEL) e do Programa de Ensino Tutorial (PET) para participar
do trabalho. Além de reuniões da comissão as seguintes atividades foram materializadas:
Levantamento de referências bibliográficas, resoluções que regem o curso na UFPA
e no Brasil, bem como de documentação já produzida por coordenadorias anteriores do
curso;
Seminário-Integrador. Com participação da comunidade da Faculdade de Engenharia
Elétrica (professores, funcionários e alunos) com o objetivo de refletirmos sobre a
reestruturação do curso e construção de seu projeto pedagógico;
PROINT. Elaboração de um projeto visando recursos que viabilizassem: visita às
grandes empresas sediadas na região e aquisição de microcomputadores para
desenvolvimento de software com banco de dados de alunos matriculados e egressos,
bem como o levantamento de estatísticas do desempenho dos alunos;
Semana do Instituto de Tecnologia da Universidade Federal do Pará: Apresentação
dos resultados parciais da comissão aos alunos, professores, egressos e outros
profissionais de setores correlacionados.
A comissão, constituída dos Professores Dr. Orlando Fonseca Silva, Msc.
Raimundo Rosemiro Pamplona Ribeiro, Dr. Jorge Roberto Brito de Souza, Dra. Valquíria Gusmão
Macedo, Msc. Hermantine Maria Mendes Carmona e Dr. Petrônio Vieira Júnior, recebeu
contribuições de outros professores, alunos e egressos do curso ao longo de seu trabalho. O Projeto
Pedagógico para o Curso de Graduação em Engenharia Elétrica da UFPA (PPC), Campus Belém,
foi elaborado e submetido à aprovação junto ao DEEC, buscando atender, além de exigências
institucionais, a identificação de dificuldades, a proposição de alternativas e os mecanismos para
suas materializações, tendo sempre como foco primordial a melhoria na qualidade da formação dos
alunos do curso.
Durante a fase de aprovação do Projeto Pedagógico junto ao DEEC, algumas alterações
adicionais foram definidas, tais como: redução de carga horária de disciplinas, criação de novas e
reorganização da grade curricular. Estas alterações constam em ata da reunião extraordinária do

4
conselho do antigo Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação, hoje Faculdade de
Engenharia Elétrica (FEE), realizada em 04/03/2004.
Em 05/03/2007 foi constituída uma comissão para tratar da criação de cursos novos em
Santarém, dentre os quais o de Engenharia Elétrica. O Projeto Pedagógico do curso de Belém foi
encaminhado para análise junto ao DAC/PROEG. Buscando atender aos resultados da referida
análise a direção da Faculdade de Engenharia Elétrica (FEE) enviou o PPC para a Câmara de
Ensino da Faculdade que realizou a revisão para atender a solicitação da Pró-Reitoria de Ensino de
Graduação.
O PPC com as novas alterações foi encaminhado em maio de 2009 para a PROEG, após ter
sido aprovado no Conselho da Faculdade de Engenharia Elétrica e na Congregação do Instituto de
Tecnologia.
Como as mudanças tecnológicas são constantes e a exigência de novas adaptações no
Projeto Pedagógico tornou-se necessárias, a direção da Faculdade de Engenharia Elétrica,
juntamente com os componentes da Câmara de Ensino da Faculdade, resolveu introduzir mudanças
no Projeto Pedagógico, visando estabelecer um novo Projeto Pedagógico que tem como filosofia a
busca da eficiência e qualidade do ensino, com o objetivo de atingir a excelência e tornar o Curso
de Engenharia Elétrica uma referência nacional no ensino da Engenharia Elétrica.
Outro fato que motivou a realização de mudanças no PPC anteriormente proposto é uma
melhor adequação do novo PPC ao Regulamento da Graduação e a melhor maneira de implementar
as atividades de extensão constantes na grade curricular do Curso de Engenharia Elétrica.
A presente proposta é uma conseqüência do objetivo primordial da FEE, ou seja, preparar
recursos humanos com competência técnica para suprir o crescente mercado da área de ciência e
tecnologia, principalmente em função da construção das novas usinas hidrelétricas na região
Amazônica e da criação do Parque de Ciência e Tecnologia do Guamá, no qual a FEE faz-se
presente com a instalação do Centro de Eficiência Energética da Amazônia (CEAMAZON) e do
futuro Laboratório de Alta e Extra Tensão, o único laboratório dessa natureza na região Amazônica
que funcionará ligado a uma Universidade Federal. Esses são motivos que levaram a concepção do
novo PPC em consonância com o contexto regional.

2 - IDENTIFICAÇÃO DO CURSO
2.1. Introdução
A Engenharia Elétrica é mais antiga do que habitualmente se imagina. Pode-se dizer, com certa
liberdade, que ela data de 1752, quando Benjamin Franklin (1706-1790) inventou o pára-raios,
dando início ao aproveitamento da eletricidade pelo homem. Desde então, essa área evolui como

5
poucas. Quase dois séculos depois da invenção de Franklin, surgiu a Eletrônica, em 1940, trazendo
as válvulas eletrônicas a diodo e, depois, os transistores da década de 1950. Foi o ponto de partida
para a era da tecnologia dos semicondutores e dos computadores.

2.2. Evolução do curso de Engenharia Elétrica na UFPA

O Curso de Graduação em Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Pará (UFPA) foi


criado em 1963, através da Resolução 10/63 de 18/11/1963, do Conselho Universitário, visando
formar recursos humanos na área de Engenharia Elétrica. O Curso passou a ser uma unidade do
Centro Tecnológico (CT) da UFPA através da portaria 02/71 de 05/01/1971 da Reitoria e foi
reconhecido pela Portaria no. 318/87 de 11/05/1987 do antigo Conselho Federal de Educação
(CFE). O Curso é regulamentado pelas seguintes resoluções:
03/70 – CONSEP, de 21/12/1970. Define o Primeiro Ciclo dos Cursos de Graduação;
354/76 – CONSEP, de 08/07/1976. Altera a resolução 03/70;
371/76 – CONSEP, de 30/09/1976. Define o Currículo Pleno do Curso de Graduação
em Engenharia de Eletricidade, com habilitação em Engenharia Eletrotécnica e
Engenharia Eletrônica na forma da Resolução 48, do Conselho Federal de Educação, de
27/04/1976.
838/82 – CONSEP, de 01/04/1982. Dá nova redação ao Inciso V, item “c” do art. 1o
da Resolução 371/76.
580/92 – CONSUN, de 29/01/1992. Estabelece o Regime Didático Seriado Semestral
dos cursos de graduação da UFPA.
2510/97 – CONSEP, de 11/08/1997. Define o Currículo Pleno do Curso de
Graduação de Engenharia Elétrica na forma da resolução 48 do Conselho Federal de
Educação e da resolução 580/92 – CONSUN. O aluno graduado no Curso receberá o
título de Engenheiro Eletricista, tanto na habilitação Eletrônica como na Eletrotécnica.
Atendendo ao Edital no. 004/2000 – PROEG, de julho de 2000, a Coordenação do Curso de
Engenharia Elétrica nomeou uma comissão para elaborar uma proposta de reestruturação do Curso,
que foi concluída em julho de 2000. Nesta proposta de reestruturação apresentou-se:
Uma justificativa para a reestruturação curricular;
Diagnósticos sobre a duração do curso, estrutura curricular, metodologias e
avaliações empregadas pelos docentes;
Uma proposta de projeto pedagógico que considera o perfil do egresso, os princípios
que orientam sua formação, objetivos do curso, conteúdos e habilidades. Destaca-se
ainda a sugestão de adoção do sistema de dupla entrada, 60 vagas no 1o semestre e 60

6
vagas no 2o semestre, nos turnos da manhã e da tarde/noite, respectivamente, sistema
este que passaria a vigorar a partir do ano de 2001.
Com a criação do Curso de Engenharia de Computação no ano de 2000, também vinculado ao
Instituto de Tecnologia, e tendo o maior percentual de suas disciplinas também ofertadas pelo
antigo Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação, houve uma redução pela metade do
número de vagas ofertadas no Curso de Engenharia Elétrica. Assim, o Curso passou a oferecer um
total de 60 vagas anuais, com dupla entrada, distribuídas em dois turnos: Manhã (07h30min -
12h50min), 30 vagas e Tarde/Noite (iniciando às 14h50min – 20h10min), 30 vagas.
Com o objetivo de analisar e propor correções a eventuais distorções na Grade Curricular do
Curso de Graduação em Engenharia Elétrica (2510/97 – CONSEP), a Coordenação do Curso
nomeou uma comissão no segundo semestre de 2000 com este propósito. O relatório desta comissão
foi concluído em dezembro de 2002 e uma nova grade curricular oficial para a integralização
curricular para todos os alunos que ingressaram no Curso de Graduação em Engenharia Elétrica a
partir do ano de 2001, foi sugerida, tendo recebido parecer técnico favorável, emitido pela
Assessoria Técnica/DAC (processo no. 00583/2003) em fevereiro de 2003 e a solicitação de uma
minuta de resolução pela Câmara de Ensino de Graduação em julho de 2003. Esta nova grade
curricular não apresenta alteração na carga horária do curso e apresenta um acréscimo de um crédito
no total de créditos de disciplinas obrigatórias. Foram feitas algumas alterações em conteúdos
programáticos, fusão de disciplinas, eliminação de algumas e criação de outras, bem como a
promoção de um melhor seqüenciamento da grade curricular de modo a aproximar para períodos
consecutivos, as disciplinas de conteúdo básico com àquelas que utilizam estes conhecimentos nas
aplicações de engenharia. Desde então, o Curso de Engenharia Elétrica passou a ter quatro (4)
ênfases: Telecomunicações, Eletrônica, Sistemas de Potência e Automação e Controle.
A atribuição profissional dos graduados é estabelecida pelo Conselho Regional de Engenharia
Arquitetura e Agronomia CREA, com base nas disciplinas optativas e/ou complementares cursadas.
O Conselho Nacional de Educação (CNE) por meio do Parecer 776/97 e o Ministério da
Educação (MEC) pelo edital 04/97 organizaram a discussão das diretrizes curriculares, que
envolveu a participação de uma grande quantidade de instituições de ensino, instituições
profissionais e outras instituições interessadas no ensino de graduação. Em 25/02/2002 foi
publicado no Diário Oficial da União, o Parecer CNE/CES 1362/2001 que culminou com a
publicação no Diário Oficial em 09/04/2002 da Resolução CNE/CES 11/ 2002 estabelecendo as
“Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia”.
A CNE/CES 11/2002 traz em seu bojo a intenção de mudar a base filosófica dos cursos de
engenharia, enfocando-os na competência e na busca de uma abordagem pedagógica “centrada no

7
aluno com ênfase na síntese e na transdisciplinaridade”. Prega ainda a “valorização do ser humano e
preservação do meio ambiente, integração social e política do profissional, possibilidade de
articulação direta com a pós-graduação e forte vinculação entre teoria e prática”.
Diante destas mudanças, cabe aos cursos realizarem alterações, não apenas para se adequarem a
essa nova realidade, mas, principalmente, que considerem a necessidade de se ter um entendimento
sobre como realizá-las nos cursos de engenharia, de maneira a garantir uma real mudança de foco
ao invés de simples adequações curriculares ou redução de carga horária.

2.3. Características do Curso


Curso: Curso de Engenharia Elétrica;
Local de Funcionamento: Cidade Universitária José da Silveira Neto, Belém – PA;
Forma de Ingresso: Processo Seletivo Anual;
Número de Vagas: 80 Vagas (40 vagas para o 1º. semestre e 40 vagas para o 2º.
semestre);
Turno de Funcionamento: Matutino: 7h30min às 12h50min e Vespertino: 14h50min
às 20h10min;
Modalidade de Oferta: Paralela (Art. 9 - Regulamento da Graduação);
Ênfase: Sistemas de Potência, Controle e Automação, Eletrônica e
Telecomunicações;
Título Conferido: Engenheiro Eletricista;
Duração: Mínima 10 semestres e máxima 15 semestres;
Carga Horária: 4.200 horas;
Curso Extensivo: Funcionamento predominante no segundo e quarto períodos letivos
(Art. 8º do Regulamento da Graduação);
Regime Acadêmico: Regime Seriado - (Art. 12 do Regulamento da Graduação).
Ato Normativo: Portaria MEC Nº. 318 de 11/05/1987 (reconhecimento do Curso),
Resolução Nº. 2510 de 11/08/1997 – CONSEPE que define o currículo pleno do Curso
de Engenharia Elétrica;
Avaliação Externa: ENADE e MEC.

3. DIRETRIZES CURRICULARES DO CURSO


3.1. Missão do Curso de Engenharia Elétrica
Exprime o propósito institucional do Curso segundo uma perspectiva ampla, duradoura e dos
requisitos necessários e desejáveis aos profissionais nele formados [1], [2].

8
O curso tem por missão:
“Gerar, difundir e aplicar o conhecimento visando à melhoria da qualidade de vida do ser
humano em geral, e em particular do amazônida, aproveitando as potencialidades da região
através da integração do ensino, da pesquisa e da extensão, respeitando a ética, de modo a
contribuir para o efetivo exercício da cidadania, formando engenheiros eletricistas com
caráter generalista, crítico, empreendedor, humanista e reflexivo, capacitados a absorver e
desenvolver novas tecnologias, cônscios de suas funções técnicas, econômicas, ecológicas,
culturais e sociais, aptos para a inserção em setores profissionais em atendimento as
demandas sociais”.

3.2. Objetivos do Curso


O objetivo do curso de graduação em Engenharia Elétrica é formar profissionais em
Engenharia Elétrica com perfil generalista, através de uma formação acadêmica que os capacitem
para a solução de problemas do mundo real, aplicando os conhecimentos adquiridos ao longo do
curso, possibilitando atuarem em uma das seguintes áreas específicas de formação: Eletrônica,
Controle e Automação, Telecomunicações e Sistemas de potência.

3.3. Princípios do Projeto Pedagógico do Curso


A postura do Engenheiro Eletricista está associada a uma convivência com a criatividade;
com a capacidade de gerenciar; com o trabalho em grupo; com a capacidade empreendedora; com a
psicologia comportamental; com a incorporação dos princípios básicos de comunicação e
relacionamento humano no trabalho.
A formação do engenheiro eletricista deve lhe proporcionar uma competência para dar
respostas novas a problemas novos, em vez de torná-lo um repetidor de fórmulas que redundam em
perplexidade diante de situações novas.
A modernização do conteúdo programático das disciplinas deverá ser acompanhada pela
modificação da organização de como as disciplinas devem ser encadeadas e como devem ser
mediadas e apreendidas. O aluno deve ter uma participação mais ativa na sua formação, investindo
mais tempo em atividades fora de sala de aula, fugindo, de modelos nos quais sobra pouco tempo
para os alunos ocuparem-se de outros afazeres que não seja assistir aula. As seguintes estratégias
são sugeridas para a política de ensino:
Adotar preferencialmente a utilização da metodologia de resolução de problemas;
Realizar atividades que proporcionem ao aluno o desenvolvimento da capacidade de
expressão oral e escrita;

9
Instalação, ampliação, manutenção e modernização de laboratórios técnico-
científicos, de acordo com as necessidades impostas pelo currículo do curso, pelo
mercado, pela tecnologia, pela sociedade e por interesses científicos;
Criação e manutenção de acervo bibliográfico atualizado;
Promoção de visitas técnicas às empresas industriais e de serviços;
Incentivar o aluno a aprendizagem de idioma estrangeiro relevante para o Engenheiro
Eletricista e o uso da informática na realização de projetos e demais atividades técnicas;
Incentivar à formação continuada e capacitação pedagógica dos professores;
Incentivo à atualização técnico-científica de professores e alunos, facilitando a
participação em seminários, congressos e eventos em engenharia e áreas afins;
Incentivar à auto-avaliação permanente de professores e alunos;
Implantação e aperfeiçoamento de uma política de avaliação dos diversos aspectos
do curso (infra-estrutura, docência, atividades de pesquisa e de extensão, etc.).

3.4. Perfil do Egresso


As principais características do perfil do Egresso do curso de Engenharia Elétrica são:
Sólido conhecimento e domínio do processo de realizar projetos para construir a
solução de problemas com base técnico-científica;
Capacidade de absorver e desenvolver novas tecnologias, aplicando os
conhecimentos adquiridos ao longo do Curso, em consonância com a evolução do setor
elétrico e contribuindo na busca de soluções nas diferentes áreas de aplicação;
Formação com habilidade para atuar de forma crítica e criativa na identificação e
resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais,
ambientais e culturais com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da
sociedade.

3.5. Habilidades e Competências


O Curso de Graduação em Engenharia Elétrica deve dotar o aluno dos conhecimentos
requeridos para o exercício das seguintes habilidades e competências:
Aplicar conhecimentos matemáticos, científicos tecnológicos e instrumentais à
Engenharia Elétrica;
Projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados;
Conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos da Engenharia Elétrica;
Planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de Engenharia
Elétrica;

10
Identificar, formular e resolver problemas de Engenharia Elétrica;
Desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas à Engenharia Elétrica;
Capacidade de gerenciamento, operação e manutenção de sistemas e processos de
Engenharia Elétrica;
Avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas elétricos;
Comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica;
Atuar em equipes multidisciplinares;
Compreender e aplicar à ética e a responsabilidades profissionais;
Avaliar o impacto das atividades da Engenharia Elétrica no contexto social e
ambiental;
Avaliar a viabilidade econômica de Projetos de Engenharia Elétrica;
Assumir a postura de permanente busca de atualização profissional;
Capacidade de obtenção e sistematização de informações;
Capacidade de desenvolvimento e aplicação de modelos matemáticos e físicos a
partir de informações sistematizadas;

4. ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO


4.1 Estrutura Curricular
A estrutura curricular do Curso de Engenharia Elétrica proposta no PPC está de acordo com
as Diretrizes Curriculares dos Cursos de Graduação em Engenharia.
O curso de Engenharia Elétrica é estruturado a partir de três núcleos. O núcleo de formação
básica, o núcleo de formação profissionalizante e o núcleo de formação específica. As disciplinas
estão agrupadas por áreas, e estas por sua vez agrupadas nos três núcleos.
O núcleo de Formação Básica é constituído de disciplinas comuns a todas as engenharias, visa
os fundamentos científicos e tecnológicos bem como a educação para as conseqüências sociais do
trabalho profissional e a capacitação para a utilização de elementos de natureza sócio-econômicas
no processo de elaboração criativa. Apresenta uma carga horária total de 1410 horas com 25
disciplinas, correspondendo a 33% da carga horária total do Curso.
O núcleo de Formação Profissionalizante visa à qualificação do Engenheiro Eletricista para os
diferentes campos de atuação profissional potencializando-o para as possíveis especificidades de
sua formação e atuação. Tem uma carga horária total de 1650 horas contendo 30 disciplinas,
correspondendo a 39% da carga horária total do Curso.
Os núcleos Básico e Profissionalizante são constituídos de disciplinas de caráter obrigatório,
definindo a base comum de formação do Engenheiro Eletricista.

11
O núcleo de Formação Específica tem por objetivo possibilitar ao aluno a construção de um
percurso acadêmico próprio, atender a perspectivas profissionais não contempladas nos núcleos
básico e profissionalizante e adequar o currículo do Curso aos avanços tecnológicos, na
perspectiva de um currículo aberto e flexível, além de estreitar o relacionamento com a sociedade
através de atividades de extensão. Nesse núcleo o discente, além de cursar com aproveitamento, de
acordo com a ênfase escolhida, um mínimo de quatro disciplinas optativas dentre as ofertadas pela
FEE, ou quaisquer outras devidamente aprovadas pela FEE, deve realizar as seguintes atividades
curriculares, visando à diversidade da formação do egresso: Trabalho de Conclusão de Curso
(TCC); Estágio Supervisionado; Atividades Complementares; Atividades de Extensão. Esse
núcleo tem uma carga horária total de 1140 horas, correspondendo a 28% da carga horária total do
Curso.
O quadro a seguir apresenta o desenho curricular do Curso com as atividades curriculares e
respectivas cargas horárias (C.H).

Núcleo Área Atividade Curricular C.H


I. Formação 1. Cálculo I 90
Básica 2. Cálculo II 90
3. Cálculo III 60
4. Cálculo IV 60
5. Álgebra Linear 90
Matemática
6. Funções de uma Variável Complexa 60
7. Funções Especiais para Engenharia 60
8. Cálculo Numérico 60
9. Probabilidade e Estatística 60
10. Processos Estocásticos 45
1. Física Fundamental I 60
Física 2. Física Fundamental III 60
3. Laboratório de Física 60
1. Química Geral Teórica I 60
Química
2. Química Geral Experimental I 45
Desenho 1. Desenho Técnico para Engenharia 60
1.Programação Estruturada de Computadores 60
Informática
2. Técnicas e Linguagens de Programação 60
Engenharia Química 1. Fenômenos dos Transportes I 60
Ciências 1. Noções de Economia para Engenheiros 30
Econômicas
Ciências Jurídicas 1. Direito e Legislação 30
Construção Civil 1. Fundamentos de Mecânica dos Sólidos 60
Administração 1. Noções de Administração para Engenheiros 30
Engenharia Sanitária 1. Introdução a Ciência do Ambiente 30
e Ambiental
Pedagogia 1. Metodologia Científica e Tecnológica 30
Total do Núcleo 1410
II. Formação Circuitos Elétricos 1. Circuitos Elétricos I 75

12
Profissionalizante 2. Circuitos Elétricos II 60
3. Laboratório de Circuitos Elétricos I 30
4. Laboratório de Circuitos Elétricos II 30
1. Teoria Eletromagnética I 75
Eletromagnetismo 2. Teoria Eletromagnética II 60
3. Laboratório de Eletromagnetismo 30
Processamento de 1. Teoria das Comunicações 90
Sinais e 2. Processamento Digital de Sinais 60
Telecomunicações 3. Laboratório de Comunicações 30
1. Eletrônica Digital 60
2. Laboratório de Eletrônica Digital 30
3. Microprocessadores 90
4. Eletrônica Analógica I 60
Eletrônica
5. Eletrônica Analógica II 60
6. Laboratório de Eletrônica Analógica I 30
7. Laboratório de Eletrônica Analógica II 30
8. Eletrônica de Potência 90
Materiais Elétricos 1. Materiais Elétricos 60
1. Análise de sistemas Lineares 90
2. Sistemas de Controle I 60
3. Sistemas de Controle II 60
Servomecanismos
4. Laboratório de Sistemas de Controle 30
5. Automação Industrial 60
6. Laboratório de Automação Industrial 30
1. Conversão de Energia I 60
2. Conversão de Energia II 60
Conversão de
3. Laboratório de Conversão de Energia 30
Energia
4. Sistemas de Energia Elétrica 60
5. Instalações Elétricas 60
Total do Núcleo 1650
III. Formação 1. Disciplina Optativa 1 60
Específica 2. Disciplina Optativa 2 60
3. Disciplina Optativa 3 60
4. Disciplina Optativa 4 60
5.Atividades Complementares em Engenharia 120
Elétrica
Tecnologia 6. Trabalho de Conclusão de Curso 180
7. Estágio Supervisionado 180
8. Atividades de Extensão em Engenharia 180
Elétrica I
8. Atividades de Extensão em Engenharia 240
Elétrica II
Total do Núcleo 1140
TOTAL GERAL 4200

O quadro a seguir mostra o elenco de disciplinas optativas do Curso de Engenharia Elétrica


de acordo com as ênfases

13
NÚCLEO ÊNFASE DISCIPLINAS CH
Formação 01. Antenas 60
Específica 02. Propagação 60
03. Microondas 90
04. Sistemas de Comunicações 60
05. Comunicações Ópticas 60
06. Comunicações Avançadas 60
Telecomunicações 07. Transmissão de Dados e Teleprocessamento 60
08. Redes de Computadores 60
09. Redes Móveis 60
10. Processamento de Voz 60
11. Processamento de Imagem 60
12. Sistemas de TV digital 60
13. Sistemas Multimídia 60
01. Transmissão de Energia 60
02. Distribuição de Energia 60
03. Análise de Sistemas de Energia I 60
04. Análise de Sistemas de Energia II 60
05. Laboratório de Sistemas de Energia I 30
Sistemas de 06. Laboratório de Sistemas de Energia II 30
Potência 07. Proteção de Sistemas de Energia 60
08. Geração de Energia 60
09. Eficiência Energética 60
10. Introdução às Energias Renováveis 60
11. Instalações Elétricas Industriais 60
12. Técnicas de Alta Tensão 60
01. Instrumentação Eletrônica 90
02. Filtros ativos 90
03. Microeletrônica 90
Eletrônica
04. Princípios de Instrumentação Biomédica 75
05. Circuitos para Comunicações 90
06. Introdução à Linguagem VHDL 60
01. Controle Digital 60
02. Introdução à Robótica 60
Automação e 03. Sistemas não-lineares 60
Controle 04. Inteligência Computacional 60
05. Introdução ao Controle Ótimo 60
01. Tópicos Especiais em Engenharia Elétrica I 60
02. Tópicos Especiais em Engenharia Elétrica II 60
Geral para todas as
03. Tópicos Especiais em Engenharia Elétrica III 60
Ênfases
04. Tópicos Especiais em Engenharia Elétrica IV 60
05. Língua Brasileiras de Sinais - LIBRAS 60

4.2. Diretrizes Gerais


No PPC do Curso de Engenharia Elétrica mantêm-se as quatro ênfases que são tradicionais ao
Curso de Engenharia Elétrica, ou seja:
1) Sistemas de Potência;

14
2) Telecomunicações;
3) Controle e Automação;
4) Eletrônica.
O Curso de Engenharia Elétrica exige uma forte fundamentação em Cálculo e Física. No atual
currículo essa base é enfatizada nos três primeiros períodos letivos do Curso.
O PPC contempla, para fins de integralização curricular, disciplinas teóricas, disciplinas
práticas, estágio supervisionado, trabalho de conclusão de curso, atividades complementares e
atividades de extensão, totalizando 4.200 horas. O tempo mínimo de duração do curso é de dez (10)
semestres e o tempo máximo de permanência no curso é de quinze (15) semestres. Deve-se ressaltar
que a UFPA, atendendo determinações contidas na Lei das Diretrizes e Bases da Educação (LDB),
trabalha atualmente com períodos letivos de dezessete (17) semanas. O presente PPC adota
disciplinas com carga horária de 30, 45, 60, 75 e 90 horas distribuídas por quinze (15) semanas. As
duas semanas extras serão utilizadas para o desenvolvimento das diversas atividades
complementares ou de extensão previstas ao longo de cada período letivo. Assim, para cada
disciplina ofertada pela FEE, que contempla de sessenta (60) até noventa (90) horas que um docente
ministre, ele(a) ficará responsável por oito (8) até doze (12) horas de atividades complementares ou
de extensão, desde que a mesma seja ofertada dentre aquelas que estão definidas na proposta do
PPC.

4.3. Trabalho de Conclusão de Curso


Representa a aplicação em conjunto de vários conhecimentos e competências adquiridas pelo
aluno ao longo do Curso, além de oportunizar o aprofundamento em uma área de seu interesse. No
seu desenvolvimento o aluno deve ser orientado por um professor da Faculdade de Engenharia
Elétrica ou outro profissional aprovado pela mesma e possui uma carga horária de 180 horas. As
normas para realização e avaliação do TCC serão regulamentadas em resolução específica da
Faculdade.

4.4. Estágio Supervisionado


Proporciona ao estudante um contato direto com o mercado de trabalho bem como a
oportunidade de aplicar os conhecimentos e habilidades adquiridos ou a assimilação de novos sob a
supervisão de um profissional da área. A carga horária mínima de estágio supervisionado será de
180 horas, a serem cumpridas preferencialmente em empresas públicas e privadas do ramo ou na
própria instituição de ensino em seus Laboratórios de Pesquisa e Extensão e a sua execução será
efetuada a partir do 9º bloco. As normas para realização e avaliação das atividades de estágio serão
regulamentadas em resolução específica da Faculdade de Engenharia Elétrica.

15
4.5. Atividades Complementares
O Núcleo de Formação Específica contém uma disciplina obrigatória denominada, Atividades
Complementares em Engenharia Elétrica que permitirá contabilizar diversas atividades acadêmicas
tais como: Monitoria; PET; Iniciação Científica; entre outras que estão listadas no quadro abaixo.
No decorrer do curso o discente irá receber comprovantes de participação nas Atividades
Complementares e ao reunir um mínimo de 120 horas, o discente poderá então solicitar a matrícula
na disciplina.

Atividades Acadêmicas Aproveitamento em Aproveitamento


horas máximo (horas)
1. Monitoria 20 h por semestre 40
2. PET 20 h por semestre 60
3. Iniciação Científica 20 h por semestre 60
4. Projeto de Ensino 20 h por semestre 60
5. Estágios Profissionais antes da conclusão do 8o 1/8 do número de horas 40
bloco
6. Publicação de artigo completo em Simpósios e 30 h por trabalho 60
Congressos da área
7. Participação em Simpósios e Congressos da área 10 h por 40
simpósio/congresso
8. Visitas Técnicas 4 h por visita 20
9. Palestras 2 h por palestra 20
10. Representação discente na Faculdade 5 h por semestre 10
11. Diretoria do Centro Acadêmico 5 h por semestre 10
12. Apresentação de trabalho em simpósios e 10 h por trabalho 40
Congressos da área
13. Publicação de resumo em simpósios e congressos 10 h por resumo 30
da área
14. Ministrante de curso da área ou afins número de horas 60

16
4.6. Articulação do Ensino com a Pesquisa e Extensão
4.6.1. Política de Pesquisa
O curso de Graduação em Engenharia Elétrica compartilha a infra-estrutura de pesquisa dos
Programas de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica, nos níveis de mestrado e doutorado. Este
compartilhamento é feito através dos professores da pós-graduação que também são professores da
graduação, e orientam os alunos de graduação em atividades de iniciação científica e tecnológica,
estágios supervisionados, e atividades nos laboratórios de pesquisa.
Atualmente, diversas linhas de pesquisa estão ativas, abordando áreas de interesse da
engenharia elétrica. Além dos recursos oriundos da Universidade Federal do Pará, alguns projetos
de pesquisa contam com o apoio financeiro de Convênios de Cooperação Técnica com Empresas e
Agências de Fomento a Pesquisa. O quadro a seguir ilustra alguns desses projetos de pesquisa que
foram desenvolvidos ou estão em desenvolvimento e as respectivas fontes de
financiamento/convênio:

Desenvolvimento de um Simulador da Linha Norte-Sul para Testes UFPA/ELETRONORTE


de Controladores em TCSC, usando Técnicas Adaptativas. /ANEEL
Avaliação Técnico-Econômica dos Impactos das Variações de UFPA/ELETRONORTE
Tensão de Curta Duração no Sistema de Transmissão da Eletronorte. /ANEEL
Sistema de Diagnóstico Inteligente das Condições Operativas dos UFPA/ELETRONORTE
Disjuntores em Subestação de Transmissão. /ANEEL
Desenvolvimento de Estimador de Estados Robustos Utilizando Nova UFPA/ELETRONORTE
Técnica de Processamento de Erros. /ANEEL
Sistema Integrado de Apoio ao Planejamento da Operação de redes UFPA/RedeCelpa/ANE
de Distribuição de Energia Elétrica EL
Sistema Inteligente para Localização de Ponto de Falha na Rede de UFPA/RedeCelpa/ANE
Distribuição. EL
Desenvolvimento de um Sistema Digital para Gerenciamento da UFPA/CEA/ANEEL
Energia em Consumidores Finais, Controlado Remotamente.
Desenvolvimento de um Sistema Digital para Gerenciamento da UFPA/RedeCelpa/ANE
Energia em Consumidores do Grupo A EL
Desenvolvimento de um Sinalizador para Identificação de Falhas em UFPA/RedeCelpa/ANE
Isoladores Polimétricos de Linha de Transmissão EL
Sistema de Redução Redundante de Energia com Detecção de UFPA/RedeCelpa
Violação de Medidores, Corte e Religamento Automáticos.
Sistema de Medição para a Rede de Distribuição em Baixa Tensão da CEA/UFPA/ANEEL
Área Metropolitana de Macapá
Predição de Falhas em Cadeia de Isoladores de linha de Transmissão ELETRONORTE/UFPA
Reestruturação, capacitação e adaptação dos Laboratórios de PROINT/UFPA
Circuitos Elétricos II e Sistemas de Controle, em concordância com o
projeto pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica.
Laboratório Virtual de Sistemas de Controle e Engenharia de PROINT/UFPA
Automação

17
Os alunos de graduação participam dos projetos de pesquisa como bolsistas de iniciação
científica e tecnológica, desde que atendam os requisitos mínimos exigidos em termos de
desempenho acadêmico no processo de seleção. Outros alunos, não bolsistas, também têm a
oportunidade de participar dos projetos de pesquisa, normalmente desenvolvendo atividades
relacionadas com os seus Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC’s).
O Curso de Engenharia Elétrica é um dos cursos da UFPA que conta com o Programa de
Educação Tutorial (PET). Dentro da filosofia geral do PET, têm-se como objetivos: uma formação
generalista comprometida com o ensino, a pesquisa e a extensão, e que busque melhorar a qualidade
da formação dos alunos de cursos de graduação. O PET-Elétrica conta com 12 bolsistas e um
professor tutor. No que se refere à pesquisa, além da orientação do professor tutor, o grupo conta
com a orientação de outros professores, de acordo com a área de interesse do bolsista.

4.6.2. Política de Extensão


Conforme o Plano Nacional de Educação – Lei 10.172, de 09/01/2001- da educação
superior, os objetivos e metas no 23 visam: Implantar o Programa de Desenvolvimento da Extensão
Universitária em todas as Instituições Federais de Ensino Superior e assegurar que, no mínimo, 10%
do total de créditos exigidos para a graduação no ensino superior no País, serão reservados para a
atuação dos alunos em ações extensionistas.
As atividades extensionistas da FEE obedecerão aos Artigos 65 a 69 do Regulamento do
Ensino de Graduação da UFPA.
A Extensão Universitária é um processo educativo, cultural e científico que articula o Ensino
e a Pesquisa de forma indissociável e viabiliza a relação transformadora entre Universidade e
Sociedade. A Extensão é uma via de mão- dupla, com trânsito assegurado à comunidade acadêmica,
que encontrará, na sociedade, a oportunidade de elaboração da práxis de um conhecimento
acadêmico. Esse fluxo, que estabelece a troca de saberes sistematizados, acadêmico e popular, terá
como conseqüências a produção do conhecimento resultante do confronto com a realidade brasileira
e regional, a democratização do conhecimento acadêmico e a participação efetiva da comunidade na
atuação da Universidade.
Com base nessa conceituação é que deverá ser executada a política de extensão do Curso de
Engenharia Elétrica, com a prática constante de ações de interesse da sociedade em geral, de
empresas públicas e da iniciativa privada, através de parcerias ou pela prestação de serviços. Para a
execução dessas ações, haverá sempre o engajamento dos alunos do curso, permitindo assim um
envolvimento destes com as atividades desenvolvidas. Para que se consiga alcançar esses objetivos,
pretende-se:

18
Adotar uma política de incentivos à realização de projetos e atividades de extensão
de interesse da comunidade, inclusive promovendo palestras aos alunos do ensino
médio e comunidade em geral, divulgando informações na área da Engenharia
Elétrica;
Disponibilizar à comunidade os serviços da FEE;
Incentivar e apoiar a realização de cursos de inclusão digital para os alunos da
UNITERCI (Universidade da Terceira Idade) e outros;
Incentivar a elaboração de material de divulgação de informações na área da
Engenharia Elétrica;
Promover eventos na área da Engenharia Elétrica envolvendo a comunidade em
geral.
Espera-se com a implementação do presente Projeto Pedagógico, que a realização de
Atividades de Extensão se constitua em um verdadeiro aprendizado de busca e realizações de
interesse da sociedade, cujas atividades possam contribuir para melhor formar um profissional
comprometido com questões humanísticas e sociais.
Uma maneira de implementar algumas dessas atividades é o estabelecimento de oito (8) até
doze (12) horas de atividades de extensão, que serão contabilizadas pelo discente, para cada
disciplina ofertada pela FEE, que contemple uma carga horária de sessenta (60) até noventa (90)
horas, desde que a atividade seja programada pelo professor responsável pela disciplina. As demais
horas de extensão deverão ser complementadas com atividades relacionadas no quadro abaixo.

Atividades Aproveitamento em horas


Participação em Projeto de extensão Carga horária efetiva de participação
Visitas técnicas com contato com a
4 h por visita
comunidade
Organização de eventos (simpósios, fóruns,
encontros, ações comunitárias, oficinas,
Carga horária efetiva de participação
congressos e similares) de Engenharia
Elétrica e áreas afins
Ministrante de curso na área da Engenharia Dobro de aproveitamento do número total
Elétrica e áreas afins de horas do curso
Ministrante de palestras para a comunidade
5 h por palestra
(escolas, associações, etc.)
Atividades desenvolvidas no PET (Programa
Carga efetiva de participação
de Educação Tutorial) da Engenharia Elétrica
Elaboração de material didático para
comunidade:
• Apostila; 60 horas por material
• Cartilha; 40 horas por material

19
• Folder; 20 horas por material
• Cartaz e outros. 10 horas por material
Elaboração de material áudio-visual 30 horas por material
Participação em projetos sociais (Amigo da
Escola, Feira Cultural, etc.) com atividades Carga horária efetiva de participação
em Engenharia Elétrica e áreas afins
Participação em projetos e obras
desenvolvidas pelo escritório técnico da FEE,
Carga horária efetiva de participação
voltadas para a comunidade ou de interesse
da sociedade
Outras atividades a serem submetidas à
A ser definida pelo conselho da FEE
apreciação do Conselho da FEE

As atividades de extensão serão contabilizadas em duas (2) disciplinas denominadas Atividades


de Extensão em Engenharia Elétrica I e Atividades de Extensão em Engenharia Elétrica II, tendo
cada disciplina uma carga horária de 180 e 240 horas, respectivamente. No decorrer do curso o
discente irá receber comprovantes de participação nas Atividades de Extensão e ao reunir um
mínimo de 180 ou 240 horas o discente poderá, então, solicitar a matrícula na disciplina
correspondente.
Devemos ressaltar que é praxe na FEE a prática de atividades de extensão. Podemos
destacar que dentre as atividades obrigatórias do PET, a que se relaciona diretamente com o ensino
de graduação é a oferta sistemática de cursos de extensão aos alunos de engenharia elétrica e
mesmo para outros cursos. Estes cursos abordam temas de interesse para a graduação e têm sido
direcionados ao uso de ambientes de software como Matlab/Simulink, Labview ou outras
linguagens de programação. Uma segunda atividade de extensão está relacionada à inclusão digital,
na qual são oferecidos cursos de informática para os alunos da Universidade da Terceira Idade.
Também, o Grupo de Desenvolvimento de Alternativas Energéticas (GEDAE), que atua no
desenvolvimento de pesquisas na área de energias renováveis, desenvolve atividades de extensão,
na qual alunos do ensino médio da rede pública recebem uma bolsa de estudos para adquirirem
conhecimentos relacionados às atividades desenvolvidas nos projetos do grupo e, posteriormente,
aplicam esses conhecimentos auxiliando os pesquisadores nos projetos.

5. PROCEDIMENTO METODOLÓGICO E PLANEJAMENTO DO


TRABALHO DOCENTE
O período da realização do planejamento do trabalho docente é definido no calendário
acadêmico da Universidade Federal do Pará. Ele tem por objetivo a elaboração de forma sistemática
dos planos de ensino das disciplinas e das demais atividades curriculares da faculdade, além do
acompanhamento da execução do projeto acadêmico do curso.

20
Diversas formas de intervenção no processo educativo de cada atividade serão desenvolvidas
pelo docente, tais como: aulas expositivas, visitas técnicas, seminários, aulas práticas em
laboratórios e empresas, elaboração e execução de projetos, etc.

5.1. Corpo Discente


A permanência com sucesso dos discentes no curso está relacionada diretamente com a
orientação acadêmica e esta, por sua vez, é responsabilidade da coordenação acadêmica, bem como
de todo o corpo docente. Algumas ações são sugeridas a seguir:
a) Recepcionar os calouros esclarecendo-os sobre a estrutura do curso, procedimentos de matrícula,
localização de salas de aula, secretarias e laboratórios;
b) Realizar uma reunião semestral com os alunos para identificar possíveis dificuldades em
disciplinas e buscar soluções para as mesmas;
c) Orientar os alunos durante o processo de matrícula;
d) Divulgar entre os alunos as possibilidades de estágio, intercâmbio, bolsas de iniciação científica,
empregos, visitas técnicas e outras de interesse acadêmico;
e) Organizar ciclo de palestras, proferidas por profissionais da área de engenharia elétrica,
preferencialmente por ex-alunos do Curso, a cada semestre, para os calouros em particular.

5.2. Corpo Docente


A constante busca de atualização e aprimoramento profissionais desejável ao profissional que o
Curso forma, também deve ser uma das características do corpo docente. Assim, cada docente deve
pesquisar, planejar e aperfeiçoar suas atividades de ensino, buscando alternativas metodológicas
para o processo ensino-aprendizagem (além das metodologias já utilizadas de exposição didática,
exercícios em sala de aula e seminários, que visem primordialmente, a motivação e participação
ativa do estudante no Curso. Para tanto, três ações experimentais são sugeridas:
Cada professor será responsável pela orientação e acompanhamento da vida
acadêmica de um grupo de até dez (10) alunos do Curso, durante os dois primeiros
anos desses alunos. Cabe ao professor orientar o aluno, desde seu ingresso na
Instituição, na busca de um melhor desempenho nas suas atividades e o caminho
adequado à sua formação, organizando e estimulando os discentes a participarem de
atividades extracurriculares tais como: visitas aos laboratórios do curso e outros da
própria UFPA ou fora desta, leituras não técnicas, participação em defesas de
TCC’s, Dissertações de Mestrado e Teses de Doutorado, incentivando, também, os
alunos a buscarem informações para serem discutidas em sala de aula, isto é, fazer
com que o aluno se transforme em elemento ativo na sua formação. Um relatório

21
descritivo das atividades realizadas deverá ser elaborado ao final de cada semestre.
Caberá a coordenação acadêmica da FEE, designar os orientados de cada professor.
A carga horária para essa atividade será atribuída no seu plano individual de
trabalho, com um máximo de quatro (4) horas semanais;
Professores de disciplinas de um mesmo bloco serão responsáveis pela elaboração,
aplicação e acompanhamento de projetos de ensino que integrem os conteúdos das
disciplinas do bloco. Serão escolhidos temas a serem desenvolvidos em grupo e em
seguida cada grupo deve fazer um plano de trabalho com os eixos: o que fazer
(objetivos), como fazer (metodologia e busca das fontes sobre o tema) e quando
fazer (cronograma). No final do semestre o grupo deve redigir um relatório e
apresentar seu trabalho. A escolha orientada dos temas do projeto deve permitir
uma participação ativa do aluno e aos professores cabe a orientação sobre os
conteúdos, além de ajudar no desenvolvimento de habilidades como: trabalho em
grupo, comunicação oral e escrita, procedimentos práticos em laboratório,
criatividade e iniciativa diante de um problema [3].
Professores orientadores de bolsistas de iniciação científica devem incluir nas
atividades de seus orientados a realização de pelo menos um mini-curso anual sobre
teorias, técnicas, softwares ou equipamentos utilizados na pesquisa e organizar pelo
menos uma visita técnica à empresas cujas atividades se relacionem aos interesses da
linha de pesquisa, tendo como público alvo a grande massa de alunos não bolsistas
do curso. Esses mini-cursos serão enquadrados como atividades de extensão.
Tais ações visam superar a evasão de alunos registrada nos dois primeiros anos do curso,
bem como a ampliação da percepção do estudante acerca de sua formação. Ações não menos
importantes, que já vêm sendo implantadas e devem ser ampliadas a todo o corpo docente são:
Uso de Tecnologia da Informação para disponibilização de material de apoio
didático de todas as disciplinas na Internet;
Uso de Tecnologia da Informação ou outras, em aulas presenciais teóricas (por
exemplo: ambientes de realidade virtual, experimentação remota, protótipos
didáticos portáteis, etc.);
Aulas práticas abordando problemas reais (e soluções) da engenharia e não simples
experimentos de laboratório;
Atividades de laboratório que não se restrinjam a experimentos simplesmente de
medição, mas que exijam do aluno algo a mais, implicando na utilização da sua
criatividade.

22
6. INFRA-ESTRUTURA
Para desenvolver plenamente suas atividades o Curso conta com recursos humanos (docentes,
técnicos administrativos e bolsistas de trabalho), infra-estrutura e material da Faculdade de
Engenharia Elétrica (FEE), do Programa de Pós-graduação em Engenharia Elétrica (PPGEE) e de
uso comum, compartilhada pelos demais cursos do Instituto de Tecnologia (ITEC).

6.1. Física
6.1.1 Salas de Aulas, Estudos e Auditórios
O Curso dispõe de cinco salas próprias (Ap 10, Ap 11, Ap 12, Bp 07 e Bp 08) e duas salas
compartilhadas com outros cursos (Cp 02 e Cp 03) para as aulas teóricas, quatro salas próprias
(LEE 04, LEE 05, LEE 36, LEE 20 e LEE 13) para aulas de laboratório. A infra-estrutura de
laboratórios de outras faculdades é utilizada para as aulas de laboratório das disciplinas que são de
responsabilidade dessas faculdades e que são ofertadas para o Curso de Engenharia Elétrica. O
Curso dispõe de um auditório localizado no prédio do Laboratório de Engenharia Elétrica e dois
auditórios que pertencem ao ITEC e que são compartilhados com todas as Faculdades do Instituto.
Todos são climatizados. O prédio do Laboratório de Engenharia Elétrica dispõe de um local para
estudos que está disponível para todos os alunos do ITEC.

6.1.2. Laboratórios
A infra-estrutura de apoio existente compreende: quatro (4) salas de computação, que são
compartilhadas pelas Faculdades pertencentes ao ITEC, estando localizadas no pavilhão de aulas
Cp e são utilizadas nas aulas das disciplinas da área de informática do Curso e, ainda, dos seguintes
laboratórios de pesquisa ou espaços associados:
Uma Oficina de Manutenção
LACSPOT - Laboratório de Acionamento e Controle de Sistemas de Potência
LSE – Laboratório de Sistemas Eletrônicos
LASCRH - Laboratório de Supervisão e Controle de Recursos Hídricos
LAPS – Laboratório de Processamento de Sinais
LABQUALI – Laboratório de Qualidade de Energia
GEDAE – Grupo de Estudos e Desenvolvimento de Alternativas Energéticas
LABEP – Laboratório de Eletrônica de Potência
Laboratório de Ensino e Pesquisa em Automação e Acionamentos Industriais
Laboratório de Instrumentação, Modelagem e Controle de sistemas de Energia
Elétrica

23
Além dos laboratórios citados o curso necessita que os seguintes laboratórios sejam
implantados ou revitalizados para que os objetivos do PPC sejam atingidos:
Laboratório de Computação com quarenta (40) microcomputadores;
Laboratório de Telecomunicações;
Laboratório de Eletromagnetismo (revitalização);
Laboratório de Conversão de Energia (revitalização).
As administrações da FEE e do ITEC devem priorizar ações que garantam a manutenção e
melhoria das salas de aulas, laboratórios e outros, observando aspectos tais como: acústica,
iluminação, ventilação, mobiliário, limpeza, instalações sanitárias e condições de acesso para
portadores de necessidades especiais.
Para atender plenamente os objetivos do curso e requisitos de avaliação do mesmo, a
administração da FEE deve priorizar ações que atendam os seguintes pontos:
(a) Manter uma quantidade suficiente de equipamentos por bancada;
(b) Equipamentos atualizados acompanhando o desenvolvimento da tecnologia;
(c) Número apropriado de alunos por bancada;
(d) Quantidade suficiente de técnicos por laboratório;
(e) Serviço de manutenção preditiva, preventiva e corretiva apropriados;
(f) Estabelecer um plano de aquisição de equipamentos;
(g) Elaborar e atualizar os manuais de experiências;
(h) Dotar de instalações físicas, de segurança e de apoio satisfatórias aos docentes e discentes da
FEE.
Deve ainda, elaborar projeto(s) para a manutenção e aquisição de equipamentos, através de
parcerias com empresas ou instituições como contrapartida de prestação de serviço ou outros
mecanismos, além de solicitar à administração superior da UFPA a aquisição de equipamentos
através das verbas orçamentárias da instituição.

6.1.3. Bibliotecas
O Curso dispõe dos recursos bibliográficos existentes na Biblioteca Central da UFPA e na
Biblioteca Setorial do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica do Instituto de
Tecnologia.
A Biblioteca Setorial localiza-se no pavimento térreo do Laboratório de Engenharia Elétrica e
dispõe de um acervo correspondente a 2.626 títulos de livros, aproximadamente. Atende alunos do
PPGEE e alunos de graduação.

24
As administrações do PPGEE juntamente com a FEE devem priorizar ações para atender os
seguintes pontos:
a) Existência de armazenagem satisfatória, incluindo: iluminação adequada, extintor de
incêndio, sistema antifurto e sinalização bem distribuída e visível;
b) Acesso facilitado para portadores de necessidades especiais;
c) Funcionamento: catálogos disponíveis para o público (informatizado, ficha etc.). Os
documentos estão preparados com etiqueta e lombada e disponíveis para empréstimo.
Instalações para acervo, para estudos individuais e grupos;
d) Existência de representação de todo o acervo no sistema de informatização utilizado;
e) Informatização do serviço de empréstimo, no mínimo de livros, com possibilidade de reserva
de material;
f) Ter um acervo com uma quantidade mínima de 10 exemplares para cada livro texto por
disciplina;
g) Periódicos – existência de títulos indispensáveis ao curso;
h) Base de dados – existência de base de dados;
i) Multimídia : ( microfichas, slides, fitas de vídeos, DVD, Cd-rom ), Jornais e revistas –
assinaturas de jornais e revistas adequadas à proposta pedagógica.
j) Disponibilidade de acesso, via internet, à base de dados do acervo existente na biblioteca central
da UFPa.

6.2. Humana
A FEE conta hoje com 34 docentes com a seguinte qualificação : 20 doutores, 10 mestres e 4
especialistas. Destes docentes, 33 estão em Regime de Trabalho de Dedicação Exclusiva e 1 em
Regime de 20 horas, atuando, alguns destes, tanto no Curso de Graduação como no Curso de Pós-
Graduação. No quadro abaixo a descrição dos docentes e os grupos didáticos e científicos nos quais
atuam.

Grupos Didático e Científico da FEE


I - Professores do Grupo de Eletrônica – GEL
1 - Daniel de Sousa Cardoso
2 - Ivan Sebastião de Souza e Silva
3 - Manoel de Jesus Maués da Costa
4 - Mário Tadeu Alves Bouth
5 - Miguel Gonçalves Wanzeller
6 - Guilherme Augusto Lameira Araújo
7 - Renato Braz Magaldi Balbi

25
II - Professores do Grupo de Sistemas de Potência – GSP
1 - Brígida Ramati Pereira da Rocha
2 - Carminda Célia Moura de Moura Carvalho
3 - Carolina de Matos Affonso
4 - Edson Ortiz de Matos
5 - Eduardo Tannus Tuma
6 - Firmino Guimarães de Souza Filho
7 - Marcus Vinicius Alves Nunes
8 - Maria Emília de Lima Tostes
9 - Paulo Sérgio de Jesus Gama
10 - Raimundo Rosemiro Pamplona Ribeiro
11 - Ubiratan Holanda Bezerra

III - Professores do Grupo de Eletromagnetismo e Telecomunicações – GET


1.- Edinaldo José da Silva Pereira
2.- João Tavares Pinho
3.- José Lameira Salimos
4 - Raimundo José dos Santos Mota
5- Ronaldo Nonato da Silva Lima
6- Valquíria Gusmão Macedo
7 - Victor Alexandrovich Dmitriev
8 - Wilson Pacheco Ferreira

IV - Professores do Grupo de Sistemas de Controle e Automação – GSCA


1 - Adriana Rosa Garcez de Castro
2 - Carlos Tavares da Costa Júnior
3 - Jorge Roberto Brito de Souza
4 - José Augusto Lima Barreiros
5 - Orlando Fonseca Silva
6 - Petrônio Vieira Júnior
7 - Rosana Paula de Oliveira Soares
8 - Walter Barra Júnior

O quadro de funcionários Técnicos – Administrativos da FEE conta com 2 secretárias, 2


engenheiros, 9 técnicos, 1 analista de sistemas e 1 bolsista de trabalho.

6.2.1. Plano de Qualificação e Adequação dos RH


A FEE prioriza a qualificação permanente do seu quadro docente e técnico administrativo,
fomentando a realização de cursos de aperfeiçoamento e atualização profissional.

7. POLÍTICA DE INCLUSÃO SOCIAL


A Faculdade deverá desenvolver iniciativas que contemplem o princípio da inclusão social na
proposta do desenvolvimento do seu curso de graduação, com o objetivo de garantir as ações
voltadas para a educação especial de forma a atender o Regulamento da Graduação.

26
A Política de inclusão social será implementada através de:
Recursos didático-pedagógicos;
Acessibilidade as dependências físicas da FEE;
Oferta de livros adequados aos portadores de deficiência visual;
Capacitação de pessoal para atender essas necessidades;
Oferta de cursos que possam contribuir para o aperfeiçoamento das ações didático-
pedagógicas;
Oferta da disciplina Libras.

8. FORMAS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO, DA APRENDIZAGEM E DO


CURSO
O processo de avaliação deverá ter como objetivo o aperfeiçoamento contínuo da qualidade
acadêmica, a melhoria do planejamento e da gestão do curso bem como a prestação de contas à
sociedade. Deve ser visto como um processo contínuo e aberto de verificação do desempenho do
corpo docente, discente, pessoal administrativo e das condições gerais de funcionamento do curso
como um todo, que envolve entre outros pontos a disponibilidade e adequação do espaço físico, o
acervo bibliográfico e a infra-estrutura de laboratórios já considerados em tópicos anteriores.

8.1. Avaliação do Processo Educativo


8.1.1. Avaliação do Corpo Discente
A avaliação do processo de ensino e aprendizagem do corpo discente obedece ao disposto no
Regulamento da Graduação. No que concerne à avaliação externa, esta é realizada conforme as
normas do ENADE.
As seguintes estratégias de avaliação são sugeridas, de acordo com os objetivos da atividade
curricular em questão:
Provas Escritas: visando incentivar o desenvolvimento da capacidade de
interpretação de textos e expressão escrita, capacidade de síntese, concentração,
raciocínio lógico e conhecimento técnico;
Seminários: para permitir o desenvolvimento da capacidade de expressão do
discente;
Relatórios Técnicos e Projetos: são atividades rotineiras para o engenheiro e ajudam
a desenvolver a capacidade de expressão escrita, síntese, clareza, objetividade, e
aplicação de análise matemática e estatística. Na execução de relatórios, projetos e

27
outras atividades curriculares serão incentivados o uso de softwares de desenho e
projeto, softwares matemáticos, softwares de simulação, entre outros.
Avaliação Continuada: a avaliação continuada envolve, entre outros, a freqüência e
participação em sala de aula, resolução de exercícios e realização de atividades de
laboratório e de pesquisa.

8.1.2. Avaliação do Corpo Docente


O professor é avaliado ao longo de cada período letivo segundo as formas abaixo:
a) Na metade do período letivo, através de reuniões entre os representantes de turma e a
coordenação acadêmica, visando corrigir possíveis distorções no ensino da disciplina.
b) Pelos alunos a cada final de semestre, aplicada em formulário apropriado e que pode ser
gerenciada por discentes do CAEL (Centro Acadêmico de Engenharia Elétrica) ou
grupo PET (Programa de Ensino Tutorial).
Além disso, em pelo menos uma aula antes da primeira verificação de conhecimentos, o
professor reservará um horário para uma conversa com os alunos. Esta avaliação informal visa
proporcionar ao professor a oportunidade de melhorar sua atuação naquele semestre, em tempo
hábil de beneficiar os alunos do mesmo período.

8.1.3. Avaliação do Corpo Técnico-administrativo


A avaliação engloba as atividades de todos os funcionários técnico-administrativos, dirigentes
da FEE, suas assessorias e divisões de apoio. Este processo deve ser feito anualmente através de
formulários próprios onde professores, alunos e funcionários manifestarão sua opinião quanto ao
desempenho do avaliado.

8.2. Avaliação do Projeto Pedagógico do Curso


Reavaliações do Projeto Pedagógico do Curso deverão ser efetuadas de dois em dois anos, a
partir dos resultados gerados a cada ano nos relatórios de avaliação interna do curso, envolvendo
docentes, discentes e corpo técnico-administrativo, conforme determina o Art. 70, Parágrafo Único
do Regulamento do Ensino de Graduação da UFPA e os resultados das Avaliações Internas do
Curso.

8.2.1. Avaliação Interna do Curso


A avaliação será efetuada anualmente por comissão composta de dois professores, dois
discentes e um técnico ou funcionário administrativo. Devem ser considerados aspectos tais como:
resultado do ENADE, índice de evasão, aceitação dos formandos no mercado de trabalho e em

28
programas de pós-graduação, convênios firmados, produção científica, projetos integrados de
ensino, pesquisa e extensão, recursos e estágios remunerados obtidos em outras empresas, estrutura
curricular, biblioteca, média das avaliações anuais por grupos de alunos etc. Resultará em um
relatório anual, que subsidiará possíveis mudanças para melhoria de desempenho.

8.2.2. Avaliação Externa do Curso por Mecanismos já Existentes (INEP)


A avaliação será realizada periodicamente conforme normas e orientações do MEC.

9. REFERÊNCIAS
[1] Cavalcante, G., Contribuições ao Projeto Pedagógico do curso de Elétrica, 2004.
[2] MEC, Resolução CNE/CES11, Diretrizes Curriculares para Cursos de Engenharia, 2002.
[3] Cardoso, E.P., Menezes, C.S., Um Projeto Pedagógico para o Curso de Engenharia Elétrica,
COBENGE, 2003.
[4] Conselho Universitário, Regulamento Acadêmico, Resolução 580, 1992.
[5] “Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia”, Conselho Nacional
de Educação; Câmara de Educação Superior; Resolução CNE/CES de 11 de Março de 2002, Diário
Oficial da União, Brasília, 09/04/2002; Seção 1, pag32.
http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES112002.pdf
[6] IEEE - Institute of Electrical and Electronics Engineers - http://www.ieee.org/portal/site
[7] ABET- Accreditation Board for Engineering and Technology - http://www.abet.org/
[8] CONFEA – Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, Resolução no 1.010, de
22 de agosto de 2005 - Publicada no D.O.U de 4 de setembro de 2006 – Seção 1 Pág. 116 a 118.
http://www.confea.org.br.
[9] Resolução CES Nº 01 de 27 de Janeiro de 1999, Diário Oficial da União, Brasília, 03/02/1999;
Seção 1, pag13.

29
ANEXO I
Ata de aprovação do Projeto Pedagógico pelo Conselho da Faculdade.

ATA DA 022ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DA FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA


DO INSTITUTO DE TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ, REALIZADA NO DIA
PRIMEIRO DE OUTUBRO DE DOIS MIL E DEZ. Ao primeiro dia do mês de outubro de dois mil e dez, às
quatorze horas e trinta minutos, no auditório do Laboratório de Engenharia Elétrica e de Computação, do
Campus Universitário do Guamá – Belém, reuniu-se sob a presidência do Senhor Diretor da Faculdade de
Engenharia Elétrica, Professor Ronaldo Nonato Silva Lima, o Conselho da Faculdade de Engenharia Elétrica,
para apreciação da pauta constante do Ofício Circular 006/2010-FEE, com a presença de 18 (Dezoito) membros:
Professores: Adriana Rosa Garcez Castro, Carolina de Matos Affonso, Edinaldo José da Silva Pereira, Eduardo
Tannus Tuma, Guilherme Augusto Limeira Araújo, Ivan S. de Souza e Silva, Jorge Roberto Brito de Souza,
José Lameira Salimos, Marcus Vinícius Alves Nunes, Orlando Fonseca Silva, Petrônio Vieira Junior, Raimundo
José Santos Mota, Raimundo Rosemiro Pamplona Ribeiro, Ronaldo Nonato Silva Lima, Valquíria Gusmão
Macedo, Walter Barra Junior e Wilson Pacheco Ferreira. Representante dos Servidores Técnicos e
Administrativos: Elza Silva Oliveira. Ausentes com justificativa: Brigida Ramati Pereira da Rocha, Carlos
Tavares da Costa Junior, Edson Ortiz de Matos, João Tavares Pinho, José Augusto Lima Barreiros, Maria
Emilia de Lima Tostes, Manoel de Jesus Maués da Costa, Paulo S. de Jesus Gama, Rosana Paula de Oliveira
Soares, Ubiratan Holanda Bezerra. Ausentes sem justificativas:, Carminda C. Moura de Moura Carvalho,
Daniel Cardoso de Souza, Firmino Guimarães de Sousa Filho, Mário Tadeu Alves Bouth, Miguel Gonçalves
Wanzeller e Renato Braz Magaldi Balbi. Representação Discente. Não teve. Havendo quorum legal, o Senhor
Diretor deu inicio à reunião com a pauta constante do Ofício Circular número 006/2010. EXPEDIENTES. 1 –
Pedido de afastamento do prof. Victor Dmitriev, solicitando autorização da FEE para viajar com a finalidade de
apresentar trabalho científico em Conferências Internacionais na China no período de 30/08 a 03/09/2010, na
Alemanha no período de 13 a 17/09/10 e em Recife de 27 a 30/09/2010. 1.2 - Pedido de afastamento do prof. João
Tavares Pinho, para viajar no dia 27/08/2010, para São Paulo, para participar de reunião com grupos de
Universidades e centros de pesquisas 1.3 - Pedidas de afastamento da Prof.ª Brígida Ramati Rocha, nos dias 23 a
26/09/2010, para realizar missões relacionadas a projetos de Pesquisa, na cidade de Manaus-AM. 1.4 –
Afastamento do Prof. Carlos Tavares, para participar de banca examinadora de mestrado profissional, na
cidade de Manaus, nos dias 02 e 03 de setembro/2010 e no período de 27/09/10 a 02/10/10 , realizando
treinamento em Tucurui, referente a Projetos de Pesquisa . Não havendo mais expedientes passou-se às
COMUNICAÇÕES. O Senhor Presidente, Prof. Ronaldo Lima, fez as seguintes comunicações: 1) A instalação dos
aparelhos de datashow nas salas da FEE está na fase final e para viabilizar a utilização dos equipamentos irá
fazer uma consulta por email para os docentes da FEE. 2) Foi realizada uma reunião com os dirigentes do CIAC
e os diretores das faculdades do ITEC. Na ocasião foi informado que o lançamento dos conceitos no sistema (SIE)
deverá ser realizado pelo professor da disciplina e não mais pela secretarias das faculdades e que as datas
determinadas pelo CIAC, deverão ser cumpridas, caso contrário, deverá ser instaurado um processo
administrativo contra o docente 3) - Comunicou que conforme oficio circular da PROGEP, está aberto o período
para marcação de férias dos docentes, até o dia 12/11/2010. Não havendo mais comunicações, passou-se a fase de
Proposições e Indicações. O Diretor da FEE propôs a retirada da pauta do item 4.1, uma vez que a resolução que
atribui carga horária para o cargo não foi aprovada e do item 4.2 devido o Prof. Carlos Tavares, presidente da

30
comissão de avaliação, encontrar-se viajando. O Prof. Ronaldo Lima propôs para ser incluída na pauta a
apreciação do Organograma da Faculdade de Engenharia Elétrica. Todas as proposições foram aprovadas. O
Professor Ronaldo Lima, prosseguiu com a ORDEM DO DIA: 4.1 – Apreciação do Organograma da FEE. Após
serem feitos alguns ajustes o Organograma da FEE foi aprovado por Unanimidade. 4.2 – Apreciação do Projeto
Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica. Foram feitas algumas propostas de alterações no texto do projeto,
que por consenso foram incorporadas ao texto. Colocado em votação o Projeto Pedagógico do Curso foi
aprovado por unanimidade. Na fase do que ocorrer o Prof. Ronaldo fez alguns comentários acerca do relatório,
enviado pela PROPLAN, sobre o Plano de Trabalho do 2º Semestre Letivo de 2010. O Senhor Diretor, agradeceu
a todos os presentes e encerrou a reunião às dezessete horas e eu Elza Silva Oliveira, Secretária da Faculdade de
Engenharia Elétrica, lavrei os termos da presente ata, que depois de lida e avaliada recebe a minha assinatura e
a dos conselheiros favoráveis à aprovação.

31
ANEXO II
Desenho Curricular

Núcleo Área Atividade Curricular C.H


I. Formação 1. Cálculo I 90
Básica 2. Cálculo II 90
3. Cálculo III 60
4. Cálculo IV 60
5. Álgebra Linear 90
Matemática
6. Funções de uma Variável Complexa 60
7. Funções Especiais para Engenharia 60
8. Cálculo Numérico 60
9. Probabilidade e Estatística 60
10. Processos Estocásticos 45
1. Física Fundamental I 60
Física 2. Física Fundamental III 60
3. Laboratório de Física 60
1. Química Geral Teórica I 60
Química
2. Química Geral Experimental I 45
Desenho 1. Desenho Técnico para Engenharia 60
1.Programação Estruturada de Computadores 60
Informática
2. Técnicas e Linguagens de Programação 60
Engenharia Química 1. Fenômenos dos Transportes I 60
Ciências 1. Noções de Economia para Engenheiros 30
Econômicas
Ciências Jurídicas 1. Direito e Legislação 30
Construção Civil 1. Fundamentos de Mecânica dos Sólidos 60
Administração 1. Noções de Administração para Engenheiros 30
Engenharia Sanitária 1. Introdução a Ciência do Ambiente 30
e Ambiental
Pedagogia 1. Metodologia Científica e Tecnológica 30
Total do Núcleo 1410
II. Formação 1. Circuitos Elétricos I 75
Profissionalizante 2. Circuitos Elétricos II 60
Circuitos Elétricos
3. Laboratório de Circuitos Elétricos I 30
4. Laboratório de Circuitos Elétricos II 30
1. Teoria Eletromagnética I 75
Eletromagnetismo 2. Teoria Eletromagnética II 60
3. Laboratório de Eletromagnetismo 30
Processamento de 1. Teoria das Comunicações 90
Sinais e 2. Processamento Digital de Sinais 60
Telecomunicações 3. Laboratório de Comunicações 30

32
1. Eletrônica Digital 60
2. Laboratório de Eletrônica Digital 30
3. Microprocessadores 90
4. Eletrônica Analógica I 60
Eletrônica
5. Eletrônica Analógica II 60
6. Laboratório de Eletrônica Analógica I 30
7. Laboratório de Eletrônica Analógica II 30
8. Eletrônica de Potência 90
Materiais Elétricos 1. Materiais Elétricos 60
1. Análise de sistemas Lineares 90
2. Sistemas de Controle I 60
3. Sistemas de Controle II 60
Servomecanismos
4. Laboratório de Sistemas de Controle 30
5. Automação Industrial 60
6. Laboratório de Automação Industrial 30
1. Conversão de Energia I 60
2. Conversão de Energia II 60
Conversão de
3. Laboratório de Conversão de Energia 30
Energia
4. Sistemas de Energia Elétrica 60
5. Instalações Elétricas 60
Total do Núcleo 1650
III. Formação 1. Disciplina Optativa 1 60
Específica 2. Disciplina Optativa 2 60
3. Disciplina Optativa 3 60
4. Disciplina Optativa 4 60
5.Atividades Complementares em Engenharia 120
Elétrica
Tecnologia 6. Trabalho de Conclusão de Curso 180
7. Estágio Supervisionado 180
8. Atividades de Extensão em Engenharia 180
Elétrica I
8. Atividades de Extensão em Engenharia 240
Elétrica II
Total do Núcleo 1140
TOTAL GERAL 4200

33
ANEXO III
Contabilidade Acadêmica

UNIDADE ATIVIDADES CARGA CARGA HORÁRIA SEMANAL


RESPONSÁVEL CURRICULARES HORÁRIA
PELA OFERTA DO PERIODO TEÓRICA PRÁTICA EXTENSÃO TOTAL
LETIVO
ICEN Álgebra Linear 90 6 - - 6
ITEC Análise de Sistemas de 60 4 - - 4
Energia I
ITEC Análise de Sistemas de 60 4 - - 4
Energia II
ITEC Análise de Sistemas 90 4 - - 4
Lineares
ITEC Antenas 60 4 - - 4

ITEC Atividades 120 - - - 8


Complementares em
Engenharia Elétrica
ITEC Atividades de Extensão 180 - - 12 12
em Engenharia Elétrica
I
ITEC Atividades de Extensão 240 - - 16 16
em Engenharia Elétrica
II
ITEC Automação Industrial 60 4 - - 4
ICEN Cálculo I 90 6 - - 6
ICEN Cálculo II 90 6 - 6
ICEN Cálculo III 60 4 - - 4
ICEN Cálculo IV 60 4 - - 4
ICEN Cálculo Numérico 60 4 - - 4
ITEC Circuitos Elétricos I 75 5 - - 5
ITEC Circuitos Elétricos II 60 4 - 4
ITEC Circuitos para 90 6 - - 6
Comunicações
ITEC Comunicações 60 4 - - 4
Avançadas
ITEC Comunicações Óticas 60 4 - - 4
ITEC Controle Digital 60 4 - - 4
ITEC Conversão de Energia I 60 4 - - 4
ITEC Conversão de Energia II 60 4 - 4

ITEC Desenho Técnico para 60 4 - - 4


Engenharia
ICJ Direito e Legislação 30 2 - - 2
ITEC Distribuição de Energia 60 4 - - 4
ITEC Eficiência Energética 60 4 - - 4
ITEC Eletrônica Analógica I 60 4 - - 4
ITEC Eletrônica Analógica II 60 4 - - 4

34
ITEC Eletrônica Digital 60 4 - - 4
ITEC Eletrônica de Potência 90 4 2 - 6
ITEC Estágio Supervisionado 180 - 12 - 12
ITEC Fenômeno de 60 2 2 - 4
Transporte I
ITEC Filtros Ativos 90 4 2 - 6
ICEN Física Fundamental I 60 4 - - 4
ICEN Física Fundamental III 60 4 - - 4
ICEN Funções de uma 60 4 - - 4
Variável Complexa
ICEN Funções Especiais para 60 4 - 4
Engenharia
ITEC Fundamentos de 60 4 - - 4
Mecânica dos Sólidos
ITEC Geração de Energia 60 4 - - 4
ITEC Instalações Elétricas 60 4 - - 4
ITEC Instalações Elétricas 60 4 - - 4
Industriais
ITEC Instrumentação 90 4 2 - 6
Eletrônica
ITEC Inteligência 60 4 - - 4
Computacional
ITEC Introdução à Ciência do 30 2 - - 2
Ambiente
ITEC Introdução à Linguagem 60 2 2 4
VHDL
ITEC Introdução à Robótica 60 4 - - 4
ITEC Introdução ao Controle 60 4 - - 4
Ótimo
ITEC Introdução às Energias 60 4 - - 4
Renováveis
ITEC Laboratório de Sistemas 60 4 - - 4
de Energia I
ITEC Laboratório de Sistemas 60 4 - - 4
de Energia II
ITEC Laboratório de 30 - 2 - 2
Automação Industrial
ITEC Laboratório de Circuitos 30 - 2 - 2
Elétricos I
ITEC Laboratório de Circuitos 30 - 2 - 2
Elétricos II
ITEC Laboratório de 30 - 2 - 2
Comunicações
ITEC Laboratório de 30 - 2 - 2
Conversão de Energia
ITEC Laboratório de 30 - 2 - 2
Eletromagnestismo
ITEC Laboratório de 30 - 2 - 2
Eletrônica Analógica I
ITEC Laboratório de 30 - 2 - 2
Eletrônica Analógica II
ITEC Laboratório de 30 - 2 - 2
Eletrônica Digital
ICEN Laboratório de Física 60 - 4 - 4

35
ITEC Laboratório de Sistemas 30 - 2 - 2
de Controle
ITEC Língua Brasileira de 60 4 - - 4
Sinais - LIBRAS
ITEC Materiais Elétricos 60 4 - - 4

ITEC Metodologia Científica 30 2 - - 2


e Tecnológica
ITEC Microeletrônica 90 4 2 - 6

ITEC Microondas 90 4 2 - 6

ITEC Microprocessadores 90 4 2 - 6

ICSA Noções de 30 2 - - 2
Administração para
Engenheiros
ICSA Noções de Economia 30 2 - - 2
para Engenheiros
ITEC Princípios de 75 4 1 - 5
Instrumentação
Biomédica
ITEC Probabilidade e 60 4 - - 4
Estatística
ITEC Processamento de 60 4 - - 4
Imagens
ITEC Processamento de Voz 60 4 - - 4

ITEC Processamento Digital 60 4 - - 4


de Sinais
ITEC Processos Estocásticos 45 3 - - 3

ICEN Programação 60 4 - - 4
Estruturada de
Computadores
ITEC Propagação 60 4 - - 4

ITEC Proteção de Sistemas de 60 4 - - 4


Energia
ICEN Química Geral 45 - 3 - 3
Experimental I
ICEN Química Geral Teórica 60 4 - - 4
I
ITEC Redes de Computadores 60 4 - - 4
ITEC Redes Móveis 60 4 - - 4
ITEC Sistemas de 60 4 - - 4
Comunicações
ITEC Sistemas de Controle I 60 4 - - 4

ITEC Sistemas de Controle II 60 4 - - 4

ITEC Sistemas de Energia 60 4 - - 4


Elétrica
ITEC Sistemas de TV Digital 60 4 - - 4

ITEC Sistemas Multimídia 60 4 - - 4

36
ITEC Sistemas não-lineares 60 4 - - 4

ITEC Técnicas de Alta Tensão 60 4 - - 4

ICEN Técnicas e Linguagens 60 4 4


de Programação
ITEC Teoria de 90 6 - - 6
Comunicações
ITEC Teoria Eletromagnética 75 5 - - 5
I
ITEC Teoria Eletromagnética 60 4 - - 4
II
ITEC Tópicos em Engenharia 60 4 - - 4
Elétrica I
ITEC Tópicos em Engenharia 60 4 - - 4
Elétrica II
ITEC Tópicos em Engenharia 60 4 - - 4
Elétrica III
ITEC Tópicos em Engenharia 60 4 - - 4
Elétrica IV
ITEC Trabalho de Conclusão 180 - 12 - 12
de Curso
ITEC Transmissão de Dados e 60 4 - - 4
Teleprocessamento
ITEC Transmissão de Energia 60 4 - - 4

37
ANEXO IV

Atividades curriculares por período letivo

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ


INSTITUTO DE TECNOLOGIA
FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA
1 º Período Letivo CH 2o Período Letivo CH
CÁLCULO I 90 CÁLCULO II 90
ÁLGEBRA LINEAR 90 FÍSICA FUNDAMENTAL I 60
QUÍMICA GERAL TEÓRICA I 60 METODOLOGIA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA 30
PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA DE COMPUTADORES 60 MICROPROCESSADORES 90
DESENHO TÉCNICO PARA ENG. 60 QUÍMICA GERAL EXPERIMENTAL I 45
ELETRÔNICA DIGITAL 60 TÉCNICAS E LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO 60
LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DIGITAL 30 INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DO AMBIENTE 30
450 405
3 º Período Letivo 4 º Período Letivo
FUNÇÕES ESPECIAIS PARA ENGENHARIA 60 CIRCUITOS ELÉTRICOS I 75
FUNÇÕES DE UMA VARIÁVEL COMPLEXA 60 TEORIA ELETROMAGNÉTICA I 75
CÁLCULO IV 60 MATERIAIS ELÉTRICOS 60
CÁLCULO NUMÉRICO 60 ANÁLISE DE SISTEMAS LINEARES 90
FÍSICA FUNDAMENTAL III 60 PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA 60
LABORATÓRIO DE FÍSICA 60 LABORATÓRIO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS I 30
CÁLCULO III 60 390
420
5 º Período Letivo 6 º Período Letivo
CIRCUITOS ELÉTRICOS II 60 ELETRÔNICA ANALÓGICA II 60
LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA ANALÓGICA I 30 CONVERSÃO DE ENERGIA I 60
TEORIA ELETROMAGNÉTICA II 60 TEORIA DE COMUNICAÇÕES 90
ELETRÔNICA ANALÓGICA I 60 SISTEMAS DE CONTROLE II 60
PROCESSOS ESTOCÁSTICOS 45 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA ANALÓGICA II 30
SISTEMAS DE CONTROLE I 60 LABORATÓRIO DE ELETROMAGNETISMO 30
FENÔMENOS DE TRANSPORTES I 60 FUNDAMENTOS DE MECÂNICA DOS SÓLIDOS 60
LABORATÓRIO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS II 30 390
405
7 º Período Letivo 8 º Período Letivo
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PARA
CONVERSÃO DE ENERGIA II 60 30
ENGENHEIROS
LABORATÓRIO DE CONVERSÃO DE ENERGIA 30 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 60
LABORATÓRIO DE COMUNICAÇÕES 30 NOÇÕES DE ECONOMIA PARA ENGENHEIROS 30
ELETRÔNICA DE POTÊNCIA 90 DIREITO E LEGISLAÇÃO 30
SISTEMAS DE ENERGIA ELÉTRICA 60 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL 60
LABORATÓRIO DE SISTEMAS CONTROLE 30 LABORATÓRIO DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL 30
PROCESSAMENTO DIGITAL DE SINAIS 60 OPTATIVA 1 60
360 OPTATIVA 2 60
ATIVIDADES COMPLEMENTARES EM
120
ENGENHARIA ELÉTRICA
480
9 º Período Letivo 10 º Período Letivo
ATIVIDADES DE EXTENSÃO EM ENGENHARIA
ESTÁGIO SUPERVISIONADO 180 240
ELÉTRICA II
OPTATIVA 3 60 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 180
OPTATIVA 4 60 420
ATIVIDADES DE EXTENSÃO EM ENGENHARIA
180
ELÉTRICA I
480

38
ANEXO V

Representação Gráfica do Perfil de Formação

1º Cálculo I Álgebra Química Programação Desenho Eletrônica Laboratório de


Período Linear Geral Estruturada de Técnico para Digital Eletrônica
Letivo Teórica I Computadores Engenheiros Digital

90 hs 90 hs 60 hs 60 hs 60 hs 60 hs 30 hs

Introdução Química
2º Cálculo II à Ciência Geral Técnicas e Física Micropro- Metodologia
Período do Experimental Linguagens de Fundamental I cessadores Científica e
Letivo Ambiente I Programação Tecnologia
90 hs 30 hs 45 hs 60 hs 60 hs 90 hs 30 hs

3º Período Cálculo III Cálculo IV Funções Funções de Física Laboratório Cálculo


Letivo Especiais uma Variável Fundamental III de Física Numérico
para Complexa
Engenharia
60 hs 60 hs 60 hs 60 hs 60 hs 60 hs 60 hs

4º Circuitos Análise de Materiais Probabilidade Teoria Laboratório


Período Elétricos I Sistemas Elétricos e Estatística Eletromagnética de
Letivo Lineares I Circuitos
Elétricos I
75 hs 90 hs 60 hs 60 hs 75 hs 30 hs

Lab. de
5º Circuitos Eletrônica Sistemas de Processos Teoria Laboratório. Eletrônica Fenômeno de
Período Elétricos II Analógica Controle I Estocásticos Eletromagné de Circuitos Analógica Transportes I
Letivo I -tica II Elétricos II I
60 hs 60 hs 60 hs 45 hs 60 hs 30 hs 30 hs 60 hs

Laboratório
6º Período de Eletrônica Teoria de Sistemas de Conversão de Laboratório Fundamentos
Letivo Eletromag- Analógica Comunicações Controle II Energia I Eletrônica de Mecânica
netismo II Analógica II dos sólidos

30 hs 60 hs 90 hs 60 hs 60 hs 30 hs 60 hs

7º Período Laboratório Eletrônica Processamento Laboratório Conversão de Laboratório Sistemas de


Letivo de de Digital de de Sistemas Energia II de Energia
Comunica- Potência Sinais de Controle Conversão Elétrica
cões de Energia
30 hs 90 hs 60 hs 30 hs 60 hs 30 hs 60 hs

Lab. de
8º Automa- Automa- Noções de Optativa Optativa Direito e Noções de Instalações Atividades
Período ção Indus- ção Administra- 1 2 Legislação Economia Elétricas Complemen-
Letivo trial Indus- ção para para tares em
trial Engenheiros Engenheiros Eng, Elétrica
60 hs 30 hs 30 hs 60 hs 60 hs 30 hs 30 hs 60 hs 120 hs

9º Optativa 3 Optativa 4 Estágio Atividades de


Período Supervisio- Extensão em
Letivo nado Eng, Elétrica I
60 hs 60 hs 180 hs 180 hs

10º Trabalho de Atividades de


Período Conclusão Extensão em
Letivo de Curso Eng, Elétrica II
180 hs 240 hs

39
ANEXO VI

Demonstrativo das Atividades Curriculares por Competências Habilidades

Habilidades e competências Atividades curriculares


Capacidade de desenvolvimento e aplicação de Cálculo I
Cálculo II
modelos matemáticos e físicos a partir de
Cálculo III
informações sistematizadas; Cálculo IV
Álgebra Linear
Capacidade de obtenção e sistematização de
Funções de uma Variável Complexa
informações; Funções Especiais para Engenharia
Cálculo Numérico
Aplicar conhecimentos matemáticos, científicos
Probabilidade e Estatística
tecnológicos e instrumentais à Engenharia Elétrica; Processos Estocásticos
Física Fundamental I
Projetar e conduzir experimentos e interpretar
Física Fundamental III
resultados; Laboratório de Física
Química Geral Teórica I
Conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e
Química Geral Experimental I
processos da Engenharia Elétrica; Desenho Técnico para Engenharia
Programação Estruturada de Computadores
Planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos
Técnicas e Linguagens de Programação
e serviços de Engenharia Elétrica; Fenômenos dos Transportes I
Fundamentos de Mecânica dos Sólidos
Identificar, formular e resolver problemas de
Circuitos Elétricos I
Engenharia Elétrica; Circuitos Elétricos II
Laboratório de Circuitos Elétricos I
Desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e
Laboratório de Circuitos Elétricos II
técnicas à Engenharia Elétrica; Teoria Eletromagnética I
Teoria Eletromagnética II
Capacidade de gerenciamento, operação e
Laboratório de Eletromagnetismo
manutenção de sistemas e processos de Engenharia Teoria das Comunicações
Processamento Digital de Sinais
Elétrica;
Laboratório de Comunicações
Avaliar criticamente a operação e a manutenção de Eletrônica Digital
sistemas elétricos; Laboratório de Eletrônica Digital
Microprocessadores
Eletrônica Analógica I
Eletrônica Analógica II
Laboratório de Eletrônica Analógica I
Laboratório de Eletrônica Analógica II
Eletrônica de Potência
Materiais Elétricos
Análise de sistemas Lineares
Sistemas de Controle I
Sistemas de Controle II
Laboratório de Sistemas de Controle
Automação Industrial
Laboratório de Automação Industrial
Conversão de Energia I
Conversão de Energia II
Laboratório de Conversão de Energia
Sistemas de Energia Elétrica
Instalações Elétricas
Disciplina Optativa 1
Disciplina Optativa 2
Disciplina Optativa 3
Disciplina Optativa 4

40
Trabalho de Conclusão de Curso
Estágio Supervisionado

Comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral Noções de Economia para Engenheiros
Atividades de Extensão em Engenharia Elétrica I
e gráfica;
Atividades de Extensão em Engenharia Elétrica II
Atuar em equipes multidisciplinares; Atividades Complementares em Engenharia Elétrica
Direito e Legislação
Compreender e aplicar à ética e a responsabilidades
Noções de Administração para Engenheiros
profissionais; Introdução a Ciência do Ambiente
Metodologia Científica e Tecnológica
Avaliar o impacto das atividades da Engenharia
Elétrica no contexto social e ambiental;
Avaliar a viabilidade econômica de Projetos de
Engenharia Elétrica;
Assumir a postura de permanente busca de
atualização profissional;

41
ANEXO VII

Ementas das Disciplinas do Curso de Engenharia Elétrica

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Cálculo I semanal 6 0 6
semestral 90 0 90
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória EN01068 Bloco I Elétrica
Ementa
Números reais; Módulo; equações e inequações; Subconjuntos dos reais: intervalos, máximo, mínimo, supremo e
ínfimo, propriedade do supremo. Função de uma variável real a valores reais: principais funções elementares.
Operações com funções, função composta e inversa. Limite e Continuidade: Noção intuitiva, Definições, limites
Laterais, Propriedades, Teorema do confronto, Limites infinitos e no infinito, Limites fundamentais: trigonométrico e
exponencial. Derivada: Conceito e interpretação geométrica, Derivada de uma função em um ponto, Derivabilidade e
continuidade; Definição da derivada de uma função: regras de derivação e regra da cadeia, Derivação implícita,
Derivada da função inversa, Derivada de ordem superior, Teorema do valor médio e teorema de Rolle, Estudo da
variação da função. Gráficos, Regra de L’Hospital. Integral: Conceito de primitiva, Integral indefinida, Técnicas de
integração; Integral de Riemann; Primeiro teorema fundamental do cálculo, Aplicações de integral definida: cálculo
de áreas, volumes, comprimento de arco.
Bibliografia Básica:
1.Guidorizzi, H.: Um Curso de Cálculo. Vol. I, 5ª edição, LTC, Rio de Janeiro, 2001.
2.Demidovitch, B.: Problemas e Exercícios de Análise Matemática. Mir, Moscou, 1977.
3.Hoffmann, L.: Cálculo. 2ª edição, ed. LTC, Rio de Janeiro, 1996.
Bibliografia Complementar:
4.Piskunov, N.: Cálculo Diferencial e Integral. Vol. I, Lopes e Silva, 1990.
5.Leithold. O.: Cálculo com Geometria Analítica. Vol. I, 3ª edição, Harba, 1981.
6.Simmons, G.: Cálculo com Geometria. Vol. I, McGraw-Hill, São Paulo, 1987.
7.Swokowski, E.W.: Cálculo com Geometria Analítica, Makron Books, 1994.
8.Flemming, D.M., Gonçalves, M.B.: Cálculo A, Makron Books, 1992.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Álgebra Linear semanal 6 0 6
semestral 90 0 90
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória EN01083 Bloco I Elétrica
Ementa
Matrizes: Operações Elementares com as Linhas de uma Matriz, escalonamento de Matrizes e Matriz Escalonada
Reduzida por Linha, discussão e Resolução de Sistemas Lineares Via Escalonamento de Matriz, aplicações em
Inversão de Matriz. Espaços Vetoriais: Espaços Vetoriais Sobre Corpo, Subespaço, Dependência Linear, Base e
Dimensão, Mudança de Base. Transformações Lineares: Núcleo e Imagem de uma Transformação, Teorema do
Núcleo e da Imagem, matriz de uma Transformação Linear, Operadores Lineares. Espaços com Produto Interno:
Desigualdade de Cauchy-Schwartz, processo de ortogonalização de Gram-Schmidt, complemento ortogonal.
Autovalores e Autovetores: Operador Linear, polinômio característico, diagonalização, diagonalização ortogonal.
Bibliografia Básica:
1. Steinbruch, A., Winterle, P.: Álgebra Linear. Pearson Makron books, 2006.

42
2. Domingues. H., Caliioli, C., e Cost A. R. Álgebra Linear e Aplicações. 6 edição. Ed. Atual.1990.
3. Boldrini. J. L. e outros: Álgebra Linear. 3 edição. Ed. Harbra. 1986.
Bibliografia Complementar:
4. Lipischutz, S. e Lipson. M. Álgebra Linear. Ed. Bookman. 2004
5. Anton, H. Álgebra Linear. Ed. Campus. 1982.
6. Anton, H. e Rorres, C.: Álgebra Linear com Aplicações. Ed. Bookman. 2001.
7. Lima, E. L. Álgebra Linear, 4a Ed., Coleção Matemática Universitária, IMPA, RJ, 2000.
8.T. Apostol, Calculus Vol. 2.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Química Geral Teórica I semanal 4 0 4
semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória EN03036 Bloco I Química
Ementa
Estrutura eletrônica dos átomos. Propriedades periódicas dos elementos. Ligação química, íons e moléculas.
Soluções. Cinética química e equilíbrio. Equilíbrio iônico. Eletroquímica. Funções, equações químicas, cálculo
estequiométricos, ácidos e bases. Corrosão.
Bibliografia Básica:
1. Mahan, B.H. Química: um curso universitário, Edgard Blücher, São Paulo, 1970.
2. Humiston, G.E., Brady J.E.:Química geral, Livros Técnicos e Científicos, Rio de Janeiro, 1983.
3. Masterton, W. L. et al.: Princípios de química, 6a edição, Guanabara, Rio de janeiro, 1990.
Bibliografia Complementar:
4. Russel, J.B.: Química geral, McGraw-Hill, São Paulo, 1982.
5. Hein M., Fundamentos de Química - — Editora Campus.
6. Quagliano, J.V. E Vallarino, L.M.., Química —— Editora Guanabara Dois
7. Russel, J.B., Química Geral - Editora McGraw-Hill.
8. Brady, J.E. E Humiston, G.E. ,Química Geral - (vol. 1 e 2) Editora Livro Técnico e Científico.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Programação Estruturada de Computadores Semanal 2 2 4
Semestral 30 30 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória EN05265 Bloco I Elétrica
Ementa
O computador: o que é e para que serve, partes componentes e princípios de funcionamento. Noções sobre
sistemas operacionais. Algoritmos estruturados. Estudo de uma linguagem estruturada: tipos de dados primitivos,
variáveis e operadores básicos, entrada e saída de dados, estruturas de decisão e repetição, vetores e matrizes,
funções e procedimentos, algoritmos recursivos, registros e ponteiros, tipos definidos pelo usuário
Bibliografia Básica:
1. Deitel, H.M. e Deitel, P.J., C++ Como Programar, Bookman, 2000.
2. Norton, P. ,“Introdução a Informática”, São Paulo: Makron Books, 1996.
3. Paudit, M.S., “Como realmente funciona o computador”, São Paulo: Makron Books, 1999
Bibliografia Complementar:
4. Farrer, Harry e outros, “Algoritmos Estruturados: Programação Estruturada de Computadores”, Belo Horizonte,
Guanabara Koogan, 1999.

43
5. Guimarães, Lages, “Algoritmos e Estruturas de Dados”, Rio de Janeiro, LTC, 1994.
6. Farrer, H. et al. Algoritmos estruturados. 3. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1999.
7. King, K. N. C Programming: A Modern Approach. 2. ed. New York: W. W. Norton & Company, 2008.
8. Sedgewick, R. Algorithms in C, Parts 1-5: Fundamentals, Data Structures, Sorting, Searching and Graph
Algorithms. 3. ed. Indianapolis: Addison-Wesley Professional, 2001.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Metodologia Científica e Tecnológica Semanal 2 0 2
Semestral 30 0 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE13005 Bloco II
Ementa
Ciência e tecnologia: conceitos e desenvolvimento histórico. Conhecimento científico. Pesquisa científica. Pesquisa
tecnológica. Métodos indutivo e dedutivo. Hipóteses e pressupostos. Testes de hipóteses. Observação,
experimentação e ensaios tecnológicos. Análise de dados. Desenvolvimento tecnológico: viabilidade tecnológica de
produtos e equipamentos. Organização da pesquisa científica e tecnológica: planejamento e execução da pesquisa;
exemplos. Elaboração e redação de relatórios de pesquisa.
Bibliografia Básica
1. Severo, A.J.: Metodologia do trabalho científico, Cortez, São Paulo, 2002.
2. Volpato, G.L.: Ciência: da filosofia à publicação, Funep, Jaboticabal, 2000.
1. Lakatos, E.M., Marconi, M.A.: Fundamentos de metodologia cientifica, Atlas, São Paulo, 1995.
Bibliografia Complementar:
4. Vargas, M.: Metodologia da pesquisa tecnológica, Globo, Rio de Janeiro, 1985.
5. Alves-Mazzotti, A.J., Gewandsznajder, F.: O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e
qualitativa, Pioneira, São Paulo, 1998.
6. Marques, Heitor Romero [et al]. Metodologia da Pesquisa e do Trabalho Científico. 2ª ed. rev. Campo Grande, MS.
UCDB. 2006.
7. Silva, Edna Lucia da. Metodologia da Pesquisa e Elaboração de Dissertação. 3ª ed. Ver. Florianópolis. UFSC.
Atual. 2001.
8. Blikstein, Izidoro. Técnicas de Comunicação Escrita. São Paulo: Ática, 2002.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Desenho Técnico para Engenharia Semanal 2 2 4
Semestral 30 30 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05231 Bloco I Desenho
Ementa
Instrumentação e Normas. Construções Geométricas. Teoria das Projeções. Axionometria e Perspectiva. Ajustes e
Tolerâncias. Elementos Básicos de Máquinas. Noções de CAD.
Bibliografia Básica
1.Rocha, A.J.F., Simões, R.G.: Desenho técnico. Plêiade, São Paulo, 2005.
2.French, T., Vierck, C.J.: Desenho técnico e tecnologia gráfica, Sexta Edição, Globo, São Paulo, 1999.
3.Mandarino, D.G.: Curso progressivo de desenho, Plêiade, São Paulo, 1997.
Bibliografia Complementar:
4.Cunha, L.V.: Desenho técnico. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa, 1997.
5.Omura, G.: Dominando o AutoCad 2000. LTC. Rio de Janeiro, 2000.
6.Justi, A.B., Justi, A.R.: AutoCad 2006 3D, Brasport, 2005.

44
7.Venditti, M.V.R.: Desenho técnico sem prancheta com Autocad 2002, Visual Books, Florianópolis, 2003.
8.Silva, A. Desenho técnico moderno. 4ª ed. Rio de Janeiro: Ed. LTC, 2006.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Cálculo II Semanal 6 0 6
Semestral 90 0 90
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória EN01069 Bloco II Cálculo I Elétrica
Ementa
Geometria Analítica: Coordenadas no espaço, seções cônicas, rotação e translação de eixos, as cônicas na forma
não padrão, equações polares das seções cônicas, equações das retas planos, superfícies de resolução,
superfícies cilíndricas, superfícies quadráticas. Funções de Várias Variáveis Reais: Definição, domínios e gráficos,
limite e continuidade, derivadas parcial e diferencial total, derivada direcional, derivadas de ordem superior, funções
implícitas de várias variáveis, fórmulas de Taylor, máximos e mínimos e ponto de sela, multiplicadores de Lagrange,
máximos e mínimos condicionados. Integrais Múltiplas: Integrais de funções de várias varáveis, integral dupla,
cálculo de áreas e volumes por integração dupla, coordenadas polares, cilíndricas e esféricas, Integrais triplas,
cálculo de volume por integração tripla, mudança de variáveis nas integrais triplas;
Bibliografia Básica:
1. Guidorizzi, H.: Um Curso de Cálculo, Vol. II, LTC, 2002.
2. Leithold, L.: O Cálculo com Geometria Analítica. Vol. II, Harbra, 1994.
3. Swokowski, E.W.: Cálculo com Geometria Analítica, Makron Books, 1994.
Bibliografia Complementar:
4. Flemming, D.M., Gonçalves, M.B.: Cálculo A, Makron Books, 1992.
5. Piskunov, N.: Cálculo Diferencial e Integral, Vol. II, Lopes e Silva, 1990.
6. Hoffman, L.: Cálculo: Um Curso Moderno e suas Aplicações, LTC, 1982.
7. Munem M.: Cálculo, Vol. 2, Guanabara Dois, 1982.
8. Demidovitch, B.: Problemas e Exercícios de Análise Matemática. Mir, Moscou, 1977.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Cálculo III Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória EN01007 Bloco III Cálculo II Elétrica
Ementa
Equações diferenciais: definição, tipos, ordem e grau, ordinária de ordem “n” e de 1a ordem, formação e origens,
soluções e tipos de solução. Equação Diferencial de 1a ordem: Equações a variáveis separadas e separáveis,
trajetórias ortogonais, família de curvas. Funções homogêneas: Definição e teorema de Euler, equação diferencial
com coeficientes homogêneos, casos redutíveis a coeficientes homogêneos, interpretação geométrica. Equação
Diferencial Exata: Condição necessária e suficiente que a equação M(x,y)dx+N(x,y)dy=0 seja exata, fatores
integrantes, grupamentos integráveis. Equações Diferenciais Lineares de 1a Ordem e equação de Bernouilli:
Problemas: Lei de resfriamento de Newton, condução do calor, circuitos elétricos. Equação de 2a Ordem:
Interpretação geométrica solução de alguns tipos especiais, equações redutíveis a 1a ordem. Equações Lineares:
Equação linear de ordem “n”, funções linearmente independentes, teoria fundamental, determinante Wronskiano,
operadores diferenciais, resoluções das equações lineares completas e incompletas com os coeficientes, métodos
dos operadores e dos coeficientes indeterminados para resolução das equações lineares, resolução das equações
diferenciais lineares de 2a ordem pelo método de Euler, sistema de equações diferenciais. Transformada de Laplace:
transformada das funções usuais, tabela, resolução das equações com coeficientes constantes.

45
Bibliografia Básica:
1. Boyce, W. E., Diprima, R. C.: Equações diferenciais elementares e problemas de valores de contorno, Rio de
Janeiro, Livros Técnicos e Científicos, 1998.
2. Bronson, R.: Moderna introdução às equações diferenciais, McGraw-Hill, Rio de Janeiro, 1980.
3. Kreyszig, E.: Matemática superior 1, 2ª ed., LTC, Rio de Janeiro, 1983.
Bibliografia Complementar:
4. Leighton, W.: Equações diferenciais ordinárias, LTC, Rio de Janeiro, 1978.
5. Boyce. W.E. e Diprima, R.C.: Equações Diferenciais Elementares e Problemas de Valores de Contorno. Rio de
Janeiro. ETC Editora. 1994.
6. Gonçalves, M. B. e FLEMMING. D. M.: Cálculo C. Ed. Makron Books. 2000.
7. Guidorizzi, L. H,; Um curso de cálculo, volumes 2. 3 e 4. Rio de Janeiro. ETC Editora.
8. Kreyszig, E.: Matemática Superior Volumes 1 e 3. Rio de Janeiro. LTC Editora. 1981.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Física Fundamental I Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória EN02079 Bloco II Física
Ementa
Introdução. Vetores. Centro de massa. Equilíbrio de uma partícula. Movimento curvilíneo geral de um plano.
Movimento relativo de translação uniforme. Quantidade de movimento. Sistemas com massa variável. Forças
centrais. Trabalho. Conservação da energia de uma partícula. Movimento sob a ação de forças centrais
conservativas. Crítica do conceito de energia. Movimento do centro de massa de um sistema de partículas. Colisões.
Bibliografia Básica:
1.Halliday,D.J., Walker, R.R.: Fundamentos de Física: Mecânica. Vol. 1, 6a edição, LTC, 2002.
2.Tipler, P.A.: Física: Mecânica, Oscilações e Ondas e Termodinâmica. Vol. 1, 4a edição, LTC, 2002.
3.Veit, E.A., Mors, P.M.: Física geral universitária: mecânica. Instituto de Física da UFRGS, 1999.
Bibliografia Complementar:
4.Sears, F. W., Zenansky. Física, volume I. Livros Técnicos e científicos Ed. S/A.
5. Alonso, M. Finn, J. Física, volume I. Ed. Edgard Blücher.
6. Helene, O.A.M. Vanin, V.R. “Tratamento Estatístico de Dados em Física Experimental”, 2a.edição, Edgard l¨ucher,
1991.
7.Vuolo, J. H. “Fundamentos da Teoria de Erros”, 2a. edição Edgard Bl¨ucher, 2000.
8.- Halliday, D., Resnick, B. Física, volumeI.. Livros Técnicos e Científicos Ed. S/A.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Eletrônica Digital semanal 4 0 4
semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05125 Bloco I Elétrica
Ementa
Análise e Projeto de Circuitos Lógicos Combinacionais. Circuitos Especiais: Contadores, Registradores de
Deslocamento, Multiplexadores, Demultiplexadores e Decodificadores. Projeto com auxílio de computadores. Análise
e Projeto de Circuitos Lógicos Seqüenciais Síncronos e Assíncronos, Controladores.

46
Bibliografia Básica:
1. Floyd, Thomas L. - “Digital fundamentals” - 6th ed. - Prentice Hall - 1997.
2. Taub, H. , “Circuitos Digitais e Microprocessadores” – McGraw-Hill do Brasil, 1984.
3. Rhyne, T. , “Fundamentals of Digital Systems Design”- Prentice-Hall, 1973.
Bibliografia Complementar:
4. Hill, F. & G.R. Peterson, “Introduction to Switching and Logical Design”- John Wiley & Sons, 1974.
5. Tocci, Ronald J., Sistemas Digitais, 5ª edição, Prentice Hall Brasil 1994.
6. Nelson, Victor P., Irwin, J. David, Digital Logic Circuit Analysis and Design. Prentice Hall, 1995.
7 .Lourenço, Antônio Carlos de . [et al.]. Circuitos digitais. São Paulo. Ed. Erica, 1996.
8. Zuffo, Joao Antonio. Sistemas eletronicos digitais: organização interna e projeto. 2.ed. São Paulo: Edgard Blucher,
1981.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Laboratório de Eletrônica Digital Semanal 0 2 2
Semestral 0 30 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05126 Bloco I Elétrica
Ementa
Experiências sobre: Testes de Portas Lógicas e Verificação de Tabelas da Verdade. Verificação dos Teoremas da
Álgebra de Boole. Minimização de Equações Booleanas. Utilização de Blocos Somadores, Multiplexadores, etc.
Contadores. Circuitos Seqüenciais. Controladores.
Bibliografia Básica:
1. Leach, D.L., “Eletrônica Digital no Laboratório” – McGraw-Hill do Brasil, 1993.
2. Taub, H. , “Circuitos Digitais e Microprocessadores” – McGraw-Hill do Brasil, 1984.
3. Rhyne, T. , “Fundamentals of Digital Systems Design”- Prentice-Hall, 1973.1. Floyd, Thomas L. - “Digital
fundamentals” - 6th ed. - Prentice Hall - 1997.
Bibliografia Complementar:
4. Hill, F. & G.R. Peterson, “Introduction to Switching and Logical Design”- John Wiley & Sons, 1974.
5. Tocci, Ronald J., Sistemas Digitais, 5ª edição, Prentice Hall Brasil 1994.
6. Nelson, Victor P., Irwin, J. David, Digital Logic Circuit Analysis and Design. Prentice Hall,
1995.
7.Lourenço, Antônio Carlos de . [et al.]. Circuitos digitais. São Paulo. Ed. Erica, 1996.
8. Zuffo, Joao Antonio. Sistemas eletronicos digitais: organização interna e projeto. 2.ed. São
Paulo: Edgard Blucher, 1981.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Química Geral Experimental I Semanal 0 3 3
Semestral 0 45 45
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória EN03037 Bloco II Química Geral Teórica I Química
Ementa
Normas de segurança no laboratório de química. Equipamentos básicos de laboratório: finalidade e técnicas de
utilização. Comprovação experimental de conceitos básicos de química.
Bibliografia Básica:
1. Silva, R. et al.: Introdução à Química Experimental. McGraw-Hill, São Paulo, 1990.
2. Soares, B.G. et al.: Química Geral: Teoria e Técnica de Preparação, Purificação e Identificação de Compostos
Orgânicos, Guanabara, Rio de Janeiro, 1988.

47
3. Vogel, A.I.: Química Orgânica: Análise Orgânica Qualitativa, 2ª edição, Rio de Janeiro, 1998.
Bibliografia Complementar:
4. Castellan, G.: Fundamentos de Físico-Química, LTC, 1986.
5. Atkins, P.: Físico-Química, 6ª edição, Vol. 1, LTC, 1999.
6. Moore, W.J.: Físico-Química. 4a edição, Vol.1, Edgard Blücher, 1976.
7. Hein M., Fundamentos de Química - — Editora Campus.
8. Rod O’Connor , Fundamentos de Química - - Editora Campus.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Técnicas e Linguagens de Programação Semanal 2 2 4
Semestral 30 30 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória EN05109 Bloco II Programação Estruturada Elétrica
de Computadores
Ementa
Tipos de Dados: definição e manipulação de tipos de dados. Estrutura de decisão e de repetição. Tipos de dados
homogêneos: array unidimensional e array bidimensional. Subprogramas: função e procedimento. Algoritmos de
ordenação e pesquisas. Tipos de dados heterogêneos: registro.
Bibliografia Básica:
1. Guimarães, A. M., Lages, N. A. C. Algoritmos e estruturas de dados. Rio de Janeiro: LTC, 1993.
2. Villas, M. V. & Villas B. Luis. Programação: Conceitos, técnicas e linguagens. Rio de Janeiro: Campus, 1993
3. Chezzi, C., Jazayeri, M. Conceitos de linguagens de programação. Rio de Janeiro: Campus, 1985.
Bibliografia Complementar:
4. King, K. N. C Programming: A Modern Approach. 2. ed. New York: W. W. Norton & Company, 2008.
5. Sedgewick, R. Algorithms in C, Parts 1-5: Fundamentals, Data Structures, Sorting, Searching and Graph
Algorithms. 3. ed. Indianapolis: Addison-Wesley Professional, 2001.
6. Shackelford, R. L. Introduction to computing and algorithms. 1. ed. Boston: Addison Wesley Longman Publishing,
1997.
7.Skiena, S. S.; Revilla, M. Programming Challenges. 1. ed. New York: Springer, 1999.
8.Szwarcfiter, J. L.; Markenzon, L. Estruturas de dados e seus algoritmos. 1. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1994.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Funções Especiais para Engenharia Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória EN01054 Bloco III Cálculo II e Álgebra Elétrica
Linear
Ementa

Soluções em Série de Equações Diferenciais. Séries e Integral de Fourier. Equações Diferenciais Parciais.
Bibliografia Básica:
1. Spiegel, Murray R. Análise de Fourier. Coleção Schaum. 1980. Ed. McGraw-Hill do Brasil.
2. Maurer, Willefa. Equações Diferenciais. Ed. Edgard Blücher. São Paulo. 1980.
3.Steplenson, G. Uma introdução às Equações Diferenciais Parciais. Ed. Edgard Blücher. São Paulo. 1975.
Bibliografia Complementar:
4.Honig, Chaim Samuel. Análise Funcional e o Problema de Sturm-Liouville. Ed. Edgar Blücher. São Paulo.1978.

48
5.Figueiredo, D. G. Análise de Fourier e Equações Diferenciais Parciais, 4 ed., Rio de Janeiro, IMPA-CNPq, Projeto
Euclides, 1997.
6.- Boyce, W. E. & Diprima, R. C. Equações Diferenciais Elementares e Problemas de Valores
de Contorno, 7 ed., Rio de Janeiro, LTC Editora, 2002.
7.- Capelas, E. O. & TYGEL Métodos Matemáticos para Engenharia, Textos Universitários,Sociedade Brasileira de
Matemática, 2005.
8.Bronson, R.: Moderna introdução às equações diferenciais, McGraw-Hill, Rio de Janeiro, 1980.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Funções de uma Variável Complexa Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória EN01056 Bloco III Elétrica
Ementa
O plano complexo. Funções de uma variável complexa. Funções Elementares. Teoria da Integral.
Bibliografia Básica:
1.Churchill, Ruel V. Complex Variables and Aplications. Second Edition.
2. Ávila, Geraldo S. S. Funções de uma Variável Complexa. Livros Técnicos e Científicos Editora.
3. Spiegel, Murray R. Variáveis Complexas. Coleção Schaum. Editora McGraw-Hill do Brasil Ltda.
Bibliografia Complementar:
4.Churchill, R. V. Variáveis complexas e suas aplicações. São Paulo, McGraw-Hill do Brasil Ltda, 1975.
5.Santos, Nathan Moreira dos: Vetores e Matrizes. Livros Técnicos e Científicos. 1975.Paulo
6. Camargo, Boulos e Ivan de: Geometria Analítica: Um Tratamento Vetorial, Makron Books. 1987.
7.- Capelas, E. O. & TYGEL Métodos Matemáticos para Engenharia, Textos Universitários, Sociedade Brasileira de
Matemática, 2005.
8. Boijlos, P. e Camarcio. 1. Geometria Analítica: Um Tratamento Vetorial, Ed. Mc Graw-HiIl. 1987.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Cálculo IV Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória EN01008 Bloco III Elétrica
Ementa
Campos. Funções Vetoriais de um Argumento Escalar. Integração de Funções Vetoriais. Funções Vetoriais de
Várias Variáveis. Integração Múltipla de Funções Vetoriais.
Bibliografia Básica:
1. Dacorso Netto, Cesar - Elementos de Análise Vetorial- Comp. Ed. Nacional Ltda. S.Paulo.1971.
2. Spiegel, Murray R. Análise Vetorial - coleção Shaum ed. McGraw-Hill do Brasil
3. Mourer Willie A. Curso de Cálculo Diferencial - Vol. III. ED. Edgard Blucher - São Paulo 1968.
Bibliografia Complementar:
4. Su Hwei P - Análise Vetorial. ED. LTC . Rio de Janeiro. 1977
5. Krasnov, M. L. et al análise Vetorial - Editora Mir Moscou. 1981.
6. Santos, N. M. Vetores e Matrizes. Livros Técnicos e Científicos. 1975.
7.Lima, E. L. Coordenadas no espaço, Coleção do Professor de Matemática. SBM. 1998.
8. Boijlos, P. e Camarcio. 1. Geometria Analítica: Um Tratamento Vetorial, Ed. Mc Graw-HiIl.
1987.

49
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Fundamentos de Mecânica dos Sólidos Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE02142 Bloco VI Civil
Ementa
Teoria dos vetores deslizantes e vetores ligados. Noções de vínculos. Equações universais da estática. Momentos
de inércia. Esforços solicitantes e deformáveis sob a ação de forças em equilíbrio. Conceitos fundamentais da
Resistência dos Materiais. Verificação e dimensionamentos de seções transversais de peças lineares simples
sujeitas a esforços puros axiais, cortantes, torção ou flexão.
Bibliografia Básica:
1. Meriam. “Estática”. LTC Editora S.A. Rio de Janeiro e São Paulo. 1977.
2. Timoshenko. “Resistência dos Materiais I”. LTC Editora S.A. Rio de Janeiro e São Paulo. 1977.
3. Sussekind, J. C. “Curso de Análise Estrutural: estruturas isostáticas”. Vol. 1. Editora Globo, Porto Alegre.
Bibliografia Complementar:
4.Nash, W. A. “Resistência dos Materiais”. McGraw-Hill do Brasil.
5.Fonseca, Adhemar. Curso de Mecânica. Vol. I e II.
6. Beer, F.P./ Johnton Jr, E.R.; Resistência dos Materiais.
7. Feodosiev, "Resistência de Materiais" - Ed. MIR, Moscou,1980.
8. Lindenberg Neto, H., "Introdução à Mecânica das Estruturas" - EPUSP-PEF, São Paulo, 1996.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Física Fundamental III Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória EN02081 Bloco III Física Fundamental I Física
Ementa:
Bibliografia Básica:
1.Halliday. Resnick Ed. Ao Livro Técnico. Vol. 3 e 4.
2.Purcell, E.M. Curso de Física de Berkelev.. Ed. Edgard Blucher. Vol. II.
3.M.Alonso e J.Finn. Um Curso de física.Ed Edgard Blucher. Vol. II.
Bibliografia Complementar:
4.Fenman and Sands. Lectures on Physics. Addison-Wesley.
5. Helene, O.A.M. Vanin, V.R. “Tratamento Estatístico de Dados em Física Experimental”, 2a.
edição, Edgard Blücher, 1991.
6.Tipler, P.A.: Física: Mecânica, Oscilações e Ondas e Termodinâmica. Vol. 1, 4a edição, LTC, 2002.
7.Sears, F. W., Zenansky. Física, volume III. Livros Técnicos e científicos Ed. S/A.
8. Serway, R. A. , Jewett, Jr. J. W. - “Princípios de Física – Eletromagnetismo” -Vol 3 Cengage Learning, 2005.

50
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Laboratório de Física semanal 0 4 4
semestral 0 60 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória EN02226 Bloco III Física Fundamental I e Física
III
Ementa
Medidas, grandezas físicas e erros. Movimento Uniforme e Variado. Conservação da quantidade de movimento
linear e da energia cinética. Movimento de rotação acelerado. Momento de inércia. Choque elástico no plano.
Pêndulo simples. Movimento harmônico simples.
Bibliografia Básica:
1.Halliday,D.J., Walker, R.R.: Fundamentos de Física: Mecânica. Vol. 1, 6a edição, LTC, 2002.
2.Tipler, P.A.: Física: Mecânica, Oscilações e Ondas e Termodinâmica. Vol. 1, 4a edição, LTC, 2002.
3.Veit, E.A., Mors, P.M.: Física geral universitária: mecânica. Instituto de Física da UFRGS, 1999.
Bibliografia Complementar:
4.Sears, F. W., Zenansky. Física, volume I. Livros Técnicos e científicos Ed. S/A.
5. Alonso, M. Finn, J. Física, volume I. Ed. Edgard Blücher.
6. Helene, O.A.M. Vanin, V.R. “Tratamento Estatístico de Dados em Física Experimental”, 2a.
edição, Edgard Bl¨ucher, 1991.
7.Vuolo, J. H. “Fundamentos da Teoria de Erros”, 2a. edição Edgard Bl¨ucher, 2000.
8.- Halliday, D., Resnick, B. Física, volumeI.. Livros Técnicos e Científicos Ed. S/A.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Cálculo Numérico Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória EN01035 Bloco III Cálculo II e Técnicas e Elétrica
Linguagens de
programação
Ementa
Erros: Representação numérica dos reais, aritmética dos pontos flutuantes, erros, fontes de erros, modelagem,
levantamento de dados, truncamento e arredondamento, propagação de erro, erro da soma, erro da diferença, erro
do produto e erro do quociente, erro em funções. Equações Algébricas e Transcendentes: introdução e
propriedades, teorema fundamental da álgebra, teorema de Bolzano e Lagrange, valor numérico de polinômios,
método de Briot-Rufini, método de Horner, Equações transcendentes: teorema do valor intermediário, teorema do
valor médio, fórmula de Taylor e gráficos, métodos numéricos para cálculo de raízes: método da bissecção, método
das cordas(régua falsa), métodos iterativos: método de iteração linear e método de Newton-Raphson. Interpolação e
Aproximação: aproximação de Taylor e de mínimos quadrados, Interpolação de pontos eqüidistantes, linear
quadrática, Lagrangiana, por diferenças divididas, diferenças finitas-tabelas e de Gregory-Newton (descendente).
Diferença e Integração Numérica: Diferenciação numérica, Integração numérica, Fórmula do trapézio - simples e
combinado, Fórmulas de Simpson simples e combinada, Extrapolação de Raberg, Quadraturas Gaussianas.
Sistemas Lineares: Introdução, Métodos diretos: eliminação de Gauss-Jordan, métodos de Crout e Cholesky,
inversão de matrizes e cálculo de determinantes, Métodos indiretos: método de Gauss-Jacobi, método Gauss-Seidel.
Prática de cálculo numérico computacional.
Bibliografia Básica:
1. Sperandio, D., Mendes, J.T., Silva, L.H.M.: Cálculo Numérico: características Matemáticas e Computacionais
dos Métodos Numéricos, Prentice Hall, 2003.
2. Valdir, R.: Introdução ao Cálculo Numérico, Atlas, 2000.

51
3. Ruggiero, M.A.G., Lopes, V.L.R.: Cálculo Numérico: aspectos teóricos e computacionais, Makron Books,
1996.
Bibliografia Complementar:
4. Cunha, C.: Métodos numéricos para as engenharias e ciências aplicadas, Unicamp, Campinas, 1993.
5. Claudio, D.M., Marins, J.M.: Cálculo Numérico Computacional, Atlas, 1994.
6. Attori, M. T. H. & Queiroz, B. C. N. Métodos e Software Numéricos. Departamento de Sistemas e Computação,
Universidade Federal de campina Grande, Campina Grande, 1995.
7. Barroso, L. C., Barroso, M. A., Campos, F. F., Carvalho, M. L. B. & Maia, M. L. Cálculo Numérico (Com
Aplicações), 2.ed. São Paulo, Editora Arbra, 1987.
8. Chapa, S. C. & Canale, R. P. Numerical Methods for Engineers, McGraw-Hill, 1990.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Teoria Eletromagnética I semanal 5 0 5
semestral 75 0 75
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05116 Bloco IV Materiais Elétricos e Elétrica
Física Fundamental III
Ementa
Introdução. Campos Elétricos. Lei de Gauss. Potencial Elétrico. Capacitância e Dielétricos. Corrente e Resistência.
Campos Magnéticos. Fontes de Campos Magnéticos. Lei de Faraday. Indutância.
Bibliografia Básica:
1. Sadiku, M.N.O. “Elements of Electromagnetics”, 3 ed, Oxford University, Press, 2001.
2. Serway, R e Beichner, R “Física para Cientistas e Engenheiros”, SaundersCollege, 5ed, 2000.
3. 3.Hayt, W. H. Jr. e Buck, J. A., EngineeringElectromagnetics, Sixthedition, McGraw-Hill, 2001.
Bibliografia Complementar:
4. Kraus, J. D., “Electromagnetics”, FourthEdition, New York, McGraw-Hill, 1992.
5. Good, R. “Classical Eletromagnetics”, 1998.
6. Herbert P. Neff Jr., “Introductory to Electromagnetics”, John Wiley & Sons, Inc.,1991.
7. Cheng, David K., Field andWaveElectromagnetics, Addison-Wesley PublishingCompany, 1983.
8. Guru, B. S. e Hiziroglu, H. R., “Electromagnetic_Field_Theory_Fundamentals”, Cambridge University Press,
Second Edition, 2004.
9. Quevedo, C.P. , Eletromagnetismo, Ed. Loyola.- Kraus, J. D. e Carver, K.R., Eletromagnetismo, Rio de Janeiro,
Editora Guanabara Dois,1978.
10. Rao, N.N. "Elements of Egineering Electromagnetics", 5ª Edition, Prentice Hall, 2000

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Circuitos Elétricos I semanal 5 0 5
semestral 75 0 75
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05112 Bloco IV Cálculo III Elétrica
Ementa
Variáveis de circuitos elétricos.Elementos de circuitos. Métodos de análise de circuitos resistivos. Teoremas de
circuitos. Elementos armazenadores de energia. Resposta completa de circuitos de 1A ordem. Circuitos de 2A
ordem. Análise em regime permanente senoidal.

52
Bibliografia Básica:
1. Dorf, Richard C. & Svoboda, James A. Introdução aos Circuitos Elétricos. 5a Edição. LTC Editora S/A. 2001.
2. Nilsson, James W. & Riedel, Susan A. Circuitos Elétricos. 8a Edição. Editora Pearson. 2009.
3. Alexander, Charles K. & Sadiku, Matthew N. O. Fundamentos de Circuitos Elétricos. 3a Edição. Bookman Editora.
2008.
Bibliografia Complementar:
4. Nahvi, Mahmood/ Edminister, Joseph – Circuitos Elétricos, Editora Bookman, 2a. Edição, Coleção Schaum, 2005.
5. Quevedo, Carlos P. Circuitos Elétricos. 2a Edição. LTC Editora S/A. 2000
6. Desoer, C. A. & Kuh, E. S. - “Teoria Básica de Circuitos”- Guanabara Dois, 1979.
7. Yaro Burian Jr., Ana Cristina C. Lyra- “Circuitos Elétricos”- Editora Pearson, 1a edição, 2006.
8. Orsini, L. Q. e Consonni, D. - “Curso de Circuitos Elétricos”- Blucher, Vol 1, 2002.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Materiais Elétricos semanal 4 0 4
semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05133 Bloco IV Cálculo II, Física Elétrica
Fundamental III
Ementa
Noções de física ondulatória. A evolução dos modelos atômicos. Modelo atômico de Schorodinger. As estatísticas da
dualidade. Noções de estrutura cristalina. Bandas de energia. Condutores, semicondutores e isolantes. Propriedades
elétricas e propriedades magnéticas.
Bibliografia Básica:
1. R.B.M.Balbi – Fundamentos Físicos e Matemáticos dos Materiais Elétricos – Ed da UFPA, 1999.
2. R.B.M.Balbi – Propriedades Elétricas e Magnéticas dos Materiais Elétricos - Ed. da UFPA ,1999
3. R.A Serway – Physics for Scientist and Engineers with Modern Physics, Thomson; Brooks Cole - Custom, 6th
edition, Vol 5 , 2004
Bibliografia Complementar:
4 – Serway, R. A. e Jewett, Jr J. H. - Princípios de Física – Óptica e Física Moderna, Vol 4, Editora Cengage
Learning, 2a. Edição, 2009.
5 - David Halliday & Robert Resnick & Jearl Walker - Fundamentos de Física: Óptica e Física Moderna - Vol. 4,
Editora: LTC , 2009
6. S.M.Sze – Semiconductor Devices : Physics and Technology. John Wiley & Sons , 1985.
7 - Callister, W. Fundamento da ciência e engenharia dos materiais. SP: LTC, 2006.
8 - James F. Shackelford - "Introduction to Materials Science for Engineers", MacMillan Publishing Company, USA,
1996, 4ª edição.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Análise de Sistemas Lineares semanal 6 0 6
semestral 90 0 90
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05135 Bloco IV Elétrica
Ementa
Ementa
Sinais e Sistemas: Conceitos Básicos; Representação de Sistemas e Análise no Domínio do Tempo; Série de
Fourier e Aplicações a Sistemas Lineares; Transformada de Fourier e Aplicações a Sistemas Lineares;
Transformada de Laplace; Aplicações da Transformada de Laplace; Representação de Sistemas no Espaço de

53
Estados.
Bibliografia Básica:
1. Ziemer, R.; Trinter, W & Fannin, D. “Signals and Systems; Continuos and Discrete”, Publishing Company, 3ª ed.,
1983.
2. Haykin, S., VanVeen, B., “Sinais e Sistemas”. Editora Bookman, Porto Alegre, 2001.
3. Girod, B.; Rabenstein, R. Stenger, A., “Sinais e Sistemas”, LTC, 2003.
Bibliografia Complementar:
4. Kwakernaak, H., Sivan, R., “Modern Signals and Systems”. Prentice Hall, 1991.
5. Ogata, K. “Engenharia de Controle Moderno”. 3a Edição, LTC, 1998.
6. Norman S. Nise, “Control Systems Engineering”, Addison Wesley, 1995.
7. Oppenheim, A. V., Willsky, A. S., “Signals and Systems”. Prentice Hall, 2a. edição, 1997
8. D’Azzo, J., Houpis, C.H., “Linear Control Systems Analysis and Design”, McGraw-Hill, 1975.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Microprocessadores semanal 6 0 6
semestral 90 0 90
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05127 Bloco II Eletrônica Digital, Lab Elétrica
de Eletrônica Digital
Ementa
Arquitetura de um Microprocessador. Memórias. Endereçamento. Interrupções. Conjunto de instruções.
Técnicas de entrada e saída. Interfaceamento Lógico e Digital. Desenvolvimento de Software em
Linguagem Assembly. Montadores, Carregadores, Ligadores e Compiladores. Projetos de Circuitos
Controlados a Microprocessador. Coprocessadores e Microcontroladores. Novas Arquiteturas de
Microprocessadores.
Bibliografia Básica:
•Taub, H., “Circuitos Digitais e Microprocessadores” – McGraw-Hill do Brasil, 1984.
•Tanenbaum, Andrew :"Organização Estruturada de Computadores”, 5ªedição, Editora Pearson, 2006.
•Stallings, W., “Arquitetura e organização de Computadores” - 5ªedição, EditoraPearson,2005
Bibliografia Complementar:
4. Da Silva JR., Vidal Pereira, Microcontroladores, Ed. Érica, 1988.
5. Tocci, Ronald J., Sistemas Digitais, 5 edição, Prentice Hall Brasil 1994.
6.- Hill, Fredrick J., Peterson, Gerald R., Introduction to Switching Theory and Logical Design,
John Wiley and Sons, New York, 1981.
7. Nicolosi, Denys E. C. Microcontrolador 8051 detalhado. Editora Erica. São Paulo, 2000. .
8. Gimenez, Salvador P. Microcontroladores 8051. Ed. Prentice Hall do Brasil. SP, 2002.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Circuitos Elétricos II semanal 4 0 4
semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05113 Bloco V Circuitos Elétricos I Elétrica
Ementa
Introdução à topologia das redes elétricas. Métodos Nodais e de malha para solução de redes. Redes equivalentes e
Teoremas sobre redes. Sistemas Polifásicos. Síntese de redes de um acesso com duas classes de elementos.
Circuitos com dois acessos e suas representações matriciais. Terminações em redes com dois acessos. Projeto e
operação de filtros convencionais. Matriz de espalhamento.

54
Bibliografia Básica:
1. Dorf, Richard C. & Svoboda, James A. Introdução aos Circuitos Elétricos. 5a Edição. LTC Editora S/A. 2001.
2.Nilsson, James W. & Riedel, Susan A. Circuitos Elétricos. 8a Edição. Editora Pearson. 2009.
3. Alexander, Charles K. & Sadiku, Matthew N. O. Fundamentos de Circuitos Elétricos. 3a Edição. Bookman Editora.
2008.
Bibliografia Complementar:
4 - Nahvi, Mahmood/ Edminister, Joseph – Circuitos Elétricos, Editora Bookman, 2a. Edição, Coleção Schaum, 2005.
5 - Quevedo, Carlos P. Circuitos Elétricos. 2a Edição. LTC Editora S/A. 2000
6 - Dsoer, C. A. & Kuh, E. S. - “Teoria Básica de Circuitos”- Guanabara Dois, 1979.
7 - Yaro Burian Jr., Ana Cristina C. Lyra- “Circuitos Elétricos”- Editora Pearson, 1a edição, 2006.
8 - Orsini, L. Q. e Consonni, D. - “Curso de Circuitos Elétricos”- Blucher, Vol 2, 2002.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Laboratório de Circuitos Elétricos I semanal 0 2 2
semestral 0 30 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05114 Bloco IV Elétrica
Ementa
Resistores e Código de cores. Multímetro. Associação de Resistores. Lei das Correntes de Kirchhoff. Resistores
Variáveis. Teorema de Thevenin. Teorema de Norton. Teorema da Superposição de Fontes. Geradores Elétricos e
Máxima Transferência de Potência. Capacitores e Código de cores. Capacitor em Regime DC. Fontes Controladas.
Bibliografia Básica:
1 - Capuano e Marino. Laboratório de Eletricidade e Eletrônica, Editora:Erica,19a. edição, 2002.
2. Allan H. Robbins - Wilhelm C. Miller - Análise de Circuitos - Teoria e Prática – Editora: Cengage Learning, 1a
edição – Volume 1, 2010.
3. - Orsini, L. Q. e Consonni, D. - “Curso de Circuitos Elétricos”- Blucher, Vol 1, 2002.
Bibliografia Complementar:
4 - Orsini, L. Q. e Consonni , D. - “Curso de Circuitos Elétricos”- Blucher, Vol 2, 2002.
5 - Dorf, Richard C. & Svoboda, James A. Introdução aos Circuitos Elétricos. 5a Edição. LTC Editora S/A. 2001.
6 - Nilsson, James W. & Riedel, Susan A. Circuitos Elétricos. 8a Edição. Editora Pearson. 2009.
7 - Alexander, Charles K. & Sadiku, Matthew N. O. Fundamentos de Circuitos Elétricos. 3a Edição. Bookman
Editora. 2008.
8 - Quevedo, Carlos P. Circuitos Elétricos. 2a Edição. LTC Editora S/A. 2000
.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Teoria Eletromagnética II semanal 4 0 4
semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05117 Bloco V Teoria Elétrica
Eletromagnética I
Ementa
Equações de Maxwell. Ondas Planas Uniformes. Linhas de Transmissão. Guias de Ondas. Tópicos Modernos.
Métodos Numéricos.
Bibliografia Básica:
1. Sadiku, M.N.O. “Elements of Electromagnetics”, Third Edition, Oxford University Press, 2001.
2. Rao, N.N. “Elements of Engineering Electromagnetics”, Fifth Edition, Prentice Hall, 2000.
3. Kraus, J. D., “Electromagnetics”, FourthEdition, New York, McGraw-Hill, 1992.

55
Bibliografia Complementar:
4. Clayton, R.P. e S.A. Nasar“ Introductions to Electromagnetic Fields”, Second Edition, McGraw Hill, 1987.
5. Fleisch, D., “A Student’s Guide to Maxwell’s Equations”, Cambridge University Press, 2008.
6.Hayt, W. H. Jr. e Buck, J. A., “Engineering Electromagnetics”, Sixth Edition, 2001.
7. Ulaby, F. T., “Fundamentals of Applied Electromagnetics”, Fifth Edition, Prentice Hall, 1994.
8. Zahn, M., “Electromagnetic Field Theory: A problem Solving Approach”, Krieger Publishing
Company,SecondEdition, 2003.

9. Hayt, W.H.J., Eletromagnetismo, 3ª ed. Rio de Janeiro, Livros Técnicos e Científicos, 1993

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Eletrônica Analógica I semanal 4 0 4
semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05121 Bloco V Circuitos Elétricos I Elétrica
Ementa
Amplificador operacional, comportamento ideal, configurações básicas. Diodos. Transistor de Junção
Bipolar. Transistor de Efeito de Campo (MOSFET E JFET).
Bibliografia Básica:
1. Sedra, A. S. e Smith, K. C.; Microeletrônica. Pearson. 5ª. Edição. 2007.
2. Millman/Grabel Microelectronica, McGraw-Hill Portugal, 1992.
3. Boylestad/Nashelsky Dispositivos eletrônicos e teoria de circuitos,Prentice-Hall do Brasil, 2004 8a Ed.
Bibliografia Complementar:
4. Martins , Jorge Alberto, Física e modelos de componentes bipolares, Editora da Unicamp.
5.Millman, J.,Halkias, Christos C., Eletrônica, 2ª ed. Vols. 1 e 2, MacGraw Hill S. Paulo 1981.
6. Boylestad, Robert L., Introdução à Análise de Circuitos, Prentice-Hall do Brasil, 1998 10a Ed.
7.Nilsson, James W. e Riedel, Susan A., Circuitos Elétricos, LTC, 1999 5ª Ed.
8.Malvino, A. P., Eletrônica. Vols. I e II, McGraw-Hill, 1986

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Probabilidade e Estatística semanal 4 0 4
semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória EN07002 Bloco IV Elétrica
Ementa
Introdução à probabilidade. Análise Combinatória. Variáveis aleatórias unidimensionais. Funções de uma variável
aleatória e valores esperados. Esperança Matemática. Distribuições conjuntas de probabilidade. Variáveis aleatórias
de duas ou mais dimensões (vetores aleatórios). Importantes distribuições discretas e contínuas. A distribuição
normal. Introdução à estatística e descrição de dados. Amostras aleatórias e distribuições de amostras. Estimação
de parâmetros. Testes de hipóteses. Projeto e análise de experimentos estatísticos. Regressão linear simples e
correlação. Regressão múltipla.
Bibliografia Básica:
1. Probabilidade e Estatística na Engenharia. 1a. Edição, 2005: William W. Hines, Douglas C. Montgomery, David M.
Goldsman el Al. Editora: LTC.
2. Probabilidade e Estatistica. Murray R. Spiegel. Editora: Makron Books.

56
3. Probabilidade & Estatística para Engenharia e Ciências, 8a. Edição, Editora Pearson, 2009: Ronald E. Walpole,
Raymond H. Myers, Sharon L.Myers e Keying Ye.
Bibliografia Complementar:
4. Probabilidade: aplicações à estatística. Meyer, Paul l., Editora LTC S.A.
5. Probabilidade e processos estocásticos. Clarke, A.B. Editora LTC S.A.
6 - Applied Statistics Using SPSS, Statistic, MATLAB and R - Joaquim P. Marques de Sá, Springer, 2007, 2a. Edição.
7 - Intuitive Probability and Random Processes Using MATLAB® - Steven M. Kay, Springer, 2005, 1a. Edição,.
8- Probability and Random Processes: Using Matlab With Applications to Continuous and Discrete Time Systems –
Donals G. Childers, Hardcover, 1997, 1a. Edição.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Processos Estocásticos semanal 3 0 3
semestral 45 0 45
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05232 Bloco V Análise de Sistemas Elétrica
Lineares e
Probabilidade e
Estatística
Ementa
Conceitos gerais e definições. Processo de Poisson. Processos de Markov. Teoria de filas, Processos Gaussianos.
Sistemas com entradas aleatórias, espectro de potencia, identificação de sistemas; Estimação espectral.
Bibliografia Básica:
1. Sheldon M. Ross, Stochastic Processes, 510 pag., Wiley; 2e. edition (Jan. 1995)
2. A. Papoulis. Probability, Random Variables and Stochastic Processes.McGraw-Hill, Graw_Hill, 3rd edition, 1999.
3. Peebles, P. Z. , “Probability and Random Variables and Random Signal Principles”, 4nd edition, 2001. McGraw-Hill.
Bibliografia Complementar:
4. Leon-Garcia, A. “Probability and Random Processes for Electrical Engineers”, Addison Wesley, 1989.
5. Probabilidade e processos estocásticos. Clarke, A.B. Editora LTC S.A.
6 - Steven T. Karris - Signals and Systems with MATLAB ® Computing and Simulink ® Modeling Third Edition,
Orchard Publications, 2007
7 - Intuitive Probability and Random Processes Using MATLAB® - Steven M. Kay, Springer, 2005, 1a. Edição,.
8- Probability and Random Processes: Using Matlab With Applications to Continuous and Discrete Time Systems –
Donals G. Childers, Hardcover, 1997, 1a. Edição.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Sistemas de Controle I Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05136 Bloco V Análise de Sistemas Elétrica
Lineares
Ementa
Introdução aos Sistemas de Controle: histórico, definições, controle moderno e convencional, controle manual e
automático, controle em malha aberta e malha fechada; Desempenho Dinâmico de Sistemas: Modelagem de
Sistemas (sistemas mecânicos, circuitos elétricos, eletromecânicos e sistemas com transferência de calor e fluxo
de fluidos incompressíveis), estabilidade, especificações de desempenho: transitórias e estacionárias para
sistemas de 1a. e 2a. ordem. Efeitos de zero adicional e pólos adicionais; Método do Lugar Geométrico das

57
Raízes; Controladores industriais e Compensadores dinâmicos: on-off, P, PI, PD, PID, lead e lag; Métodos de
sintonia de controladores: imposição de pólos e heurístico; Métodos de resposta em freqüência: Bode, Nyquist;

Bibliografia Básica:
1. Ogata, K. “Engenharia de Controle Moderno”. 3a Edição, LTC, 1998.
2. Norman S. Nise, “Control Systems Engineering”, Addison Wesley, 1995.
3.Dorf, R.C.; Bishop, R.H. “Sistemas de Controle Modernos”. 8a Edição, LTC, 2001.
Bibliografia Complementar:
4.Charles L. Phillips, Royce D. Harbour, “Feedback Control Systems”. Prentice-Hall, 1988.
5.Gene F. Franklin, J. David Powell, Abbas Emami-Naeini, “Feedback Control of Dynamic Systems”. Addison-
Wesley, 1986.
6.Kuo, B. Sistemas de Controle Automático
7.Bazanella, A. S.; da Silva Jr.,J.M.G. Sistemas de Controle: princípios e métodos. Editora UFRGS. 2005
8. da Costa Jr., C. T. Sistemas de Controle. Notas de aula. 2010

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Fenômeno de Transportes I Semanal 2 2 4
Semestral 30 30 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE06033 Bloco V
Ementa
Introdução aos fenômenos de transferência. Transporte molecular de Quantidade de Movimento, Calor e Massa.
Transporte unidimensional em fluxo laminar: Balanços de quantidade de movimento, massa e calor. Transporte
multidimensional: Equações de variação para sistemas isotérmicos, não isotérmicos e para misturas binárias. Análise
dimensional. Determinação de propriedades de transporte (viscosidade, condutividade térmica e coeficiente de
difusão), determinação do número de Reynolds críticos e do coeficiente de atrito, medidas de perfis de perda de
carga em dutos e localizada.
Bibliografia Básica:
1. Welty, J.R.; Wicks, C.E.; Wilson, R.E. Fundamentals of Momentum, Heart and Mass Transfer, 3 rd.ed., Wiley, New
York, 1984.
2. Fahien, R.W., Fundamentals of Transport Phenomena, McGraw-Hill, New York, 1983.
3. Sisson, L.E. e Pitts,D.R., Fenômenos de Transporte, Guanabara Dois, Rio de Janeiro, 1979.
Bibliografia Complementar:
4. Bennet, C.O. e Myers,JE., Fenômenso de Transporte, McGraw-Hill, São Pauolo, 1978.
5. Crosby, E.J., Experiments in Transport Phenomena, Wiley, New York, 1961.
6. Bird, R.; Stewart, W.E; Lightfoot, E. N., Transport Phenomena, Wiley,, New York, 1960.
7 Araújo, E. Transmissão de Calor, Livros Téc. e Científicos – Ed. Rio de Janeiro, 1978.
8.Bennett, D. O., Myers, J.E., Fenômenos de Transporte – Quantidade de Movimento, Calor e
Massa, Mc Graw Hill do Brasil, SP, 1978.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Eletrônica Analógica II semanal 4 0 4
semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05122 Bloco VI Eletrônica Analógica I Elétrica
Ementa
Múltiplos Estágios, amplificadores diferencial, espelhos de corrente. Resposta em freqüência.
Realimentação. Amplificadores de Potência. Osciladores, geradores de função.

58
Bibliografia Básica:
1. Sedra, A. S. e Smith, K. C.; Microeletrônica. Pearson. 5ª. Edição. 2007.
2. Millman/Grabel Microelectronica, McGraw-Hill Portugal, 1992.
3. Boylestad/Nashelsky Dispositivos eletrônicos e teoria de circuitos,Prentice-Hall do Brasil, 2004 8a Ed.
Bibliografia Complementar:
4. Martins , Jorge Alberto, Física e modelos de componentes bipolares, Editora da Unicamp.
5.Millman, J.,Halkias, Christos C., Eletrônica, 2ª ed. Vols. 1 e 2, MacGraw Hill S. Paulo 1981.
6. Boylestad, Robert L., Introdução à Análise de Circuitos, Prentice-Hall do Brasil, 1998 10a Ed.
7.Nilsson, James W. e Riedel, Susan A., Circuitos Elétricos, LTC, 1999 5ª Ed.
8.Malvino, A. P., Eletrônica. Vols. I e II, McGraw-Hill, 1986

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Laboratório de Circuitos Elétricos II semanal 0 2 2
semestral 0 30 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05115 Bloco V Elétrica
Ementa
Levantamento das características de um quadripolo. Análise em freqüência de funções de rede. Caracterização de
filtros básicos passivos e ativos. Circuitos trifásicos – Medidas de valores de fase e linha.
Bibliografia Básica:
1. Capuano e Marino. Laboratório de Eletricidade e Eletrônica, Editora:Erica,19a. edição, 2002.
2. Allan H. Robbins - Wilhelm C. Miller - Análise de Circuitos - Teoria e Prática – Editora: Cengage Learning, 1a
edição – Volume 2, 2010.
3. OrsiniI, L. Q. e Consonni, D. - “Curso de Circuitos Elétricos”- Blucher, Vol 2, 2002.
Bibliografia Complementar:
4 - OrsiniI, L. Q. e Consonni, D. - “Curso de Circuitos Elétricos”- Blucher, Vol 1, 2002.
5 - Dorf, Richard C. & Svoboda, James A. Introdução aos Circuitos Elétricos. 5a Edição. LTC Editora S/A. 2001.
6 - Nilsson, James W. & RIEDEL, Susan A. Circuitos Elétricos. 8a Edição. Editora Pearson. 2009.
7 - Alexander, Charles K. & Sadiku, Matthew N. O. Fundamentos de Circuitos Elétricos. 3a Edição. Bookman
Editora. 2008.
8 - Quevedo, Carlos P. Circuitos Elétricos. 2a Edição. LTC Editora S/A. 2000.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Introdução à Ciência do Ambiente Semanal 2 0 2
Semestral 30 0 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE03032 Bloco II Aberto Sanitária e Ambiental
Ementa
Engenharia e Meio Ambiente. Ecologia. Ecossistema. Ciclos Biogeoquímicos. O Homem na Natureza. O Meio
Terrestre-Ar. O Meio Terrestre-Solo. O Meio Aquático. Utilizações da Água. Qualidade da Água. Efeitos da
tecnologia industrial sobre o equilíbrio ecológico. Rejeitos como fonte de materiais e de energia. Reciclagem de
materiais. Ecodesenvolvimento. Legislação Ambiental.
Bibliografia Básica:
1. Braga, B. et al.: “Introdução à Engenharia Ambiental”, 2a Edição, Prentice Hall, São Paulo, 2005.
2. Cavalcanti, C. (org): Meio-ambiente, desenvolvimento sustentável e políticas públicas, Cortez / Fund. Joaquim
Nabuco, São Paulo, 1999.
3. Mota. Suetônio. “Introdução à Introdução Ambiental”, 4a Edição, Editora ABES, Rio de Janeiro, 2006.

59
Bibliografia Complementar:
4. Von Sperling, Marcos – “Introdução à Qualidade das Águas e ao Tratamento de Esgotos”, 2a Edição,
Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental: Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1996.
5. Hinrichs, Roger A. / KLEINBACH Merlir – “Energia e Meio Ambiente”, 3a edição, Editora Thomson, São Paulo,
2003.
6. Branco, S.M. – “Poluição: a morte dos nossos rios”. São Paulo, Ascetesb. 1983.
7. Branco, S.M. – “Poluição, proteção e usos múltiplos de represas”. São Paulo, CETESB. 1988
8. Branco, S.M. – “O meio ambiente em debate”. São Paulo, Moderna. 1988.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Conversão de Energia I semanal 4 0 4
semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Circuitos Elétricos I,
Obrigatória TE05128 Bloco VI Elétrica
Teoria Eletromagnética I
Ementa
Aspectos Gerais da Conversão Eletromecânica de Energia. Análise Circuital de Estruturas Ferromagnéticas.
Transformadores, Reatores e Valores em Por Unidade. Força e Torque Atuante nos Conversores Eletromecânicos.
Máquinas de Corrente Contínua.
Bibliografia Básica:
1. Simone, Gilio Aluísio – “Máquinas de Corrente Contínua – Teoria e Exercícios”, Ed. Érica, São Paulo, 2000
2. Simone, Gilio Aluísio/Creppe, Renato Crivellari – “Conversão Eletromecânica de Energia – uma Introdução ao
Estudo”, Ed. Érica, São Paulo, 1999.
3. Simone, Gilio Aluísio – “Transformadores – Teoria e Exercícios”, Ed. Érica, São Paulo, 1998.
Bibliografia Complementar:
4. Dubey, G. K. – “Power Semiconductor Controlled Drives” Prentice - Hall Int., Inc., 1989.
5. Slemon, P. S./Straughen, A. – “Electric Machines”, Add. Wes. Pub. Com., 1980
6. Sem, P. S. – “Principles of Eletrical Machines and Power Eletronics”, John Wiley & Sons, Inc., 1989.
7. Kosow, I. L. – “Máquinas Elétricas e Transformadores”, Ed. Globo, 1977.
8. Fitzgerald, A. E./Kingsley, Jr./Kusko,A. – “Máquinas Elétricas”, Ed. McGraw-Hill do Brasil, 1975.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Conversão de Energia II semanal 4 0 4
semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05129 Bloco VII Conversão de Energia I Elétrica
Ementa
Máquinas assíncronas: operação em regime permanente e transitório. Máquinas assíncronas auto-excitadas.
Máquinas Síncronas em regime permanente e transitório. Máquinas especiais
Bibliografia Básica:
1. Nasar, S. A. , “Máquinas Elétricas”,Schaum McGraw-Hill, 1984
2. Kosow, I. L., “Máquinas Elétricas e Transformadores”, Ed. Globo, 1989
3. Fitzgerald, A. E./Kingsley, Jr./Kusko,A. – “Máquinas Elétricas”, Ed. McGraw-Hill do Brasil, 1975.
Bibliografia Complementar:
4. Dubey, G. K. – “Power Semiconductor Controlled Drives” Prentice - Hall Int., Inc., 1989.
5. Slemon, P. S./Straughen, A. – “Electric Machines”, Add. Wes. Pub. Com., 1980

60
6. Sem, P. S. – “Principles of Eletrical Machines and Power Eletronics”, John Wiley & Sons, Inc., 1989.
7. Krause, P. C. ; Wasynczuk, O. ; Sudhoff, S. D. “Analysis of Electric Machinery” New York, IEEE Press, 1994.
8. Say, M. G.; Taylor, E. O. “Alternating Current Machines”, 2. ed. Pitman Publishing. 1986.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Laboratório de Conversão de Energia semanal 0 2 2
semestral 0 30 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05130 Bloco VII Conversão de Energia I, Elétrica
Ementa
Ensaios em máquinas elétricas estáticas (transformadores): ensaio a vazio e curto – circuito. Ligação dos bancos
trifásicos em estrela, triângulo e regulação de tensão. Ensaios em máquinas elétricas rotativas: Máquinas de
corrente contínua (série, shunt e composto). Ensaios em máquinas de corrente alternada: Máquinas síncronas
(ensaio a vazio e de curto – circuito) e Máquinas Assíncronas (ensaio de rotor a vazio e bloqueado).

Bibliografia Básica:
1. Nasar, Syed Abu – “Máquinas Elétricas”. Editora McGraw-Hill do Brasil, São Paulo: 1984.
2. Kosow, I. L. – “Máquinas Elétricas e Transformadores”, 14a. ed. Editora Globo, são Paulo:2000.
3. Fitzgerald, A. E./ Kingsley Jr., Kingsley / Umans, Stephen D. – “Máquinas Elétricas – Com Introdução à Eletrônica
de Potência”, 6a. ed. Editora. McGraw-Hill do Brasil, Porto Alegre: 2006.
Bibliografia Complementar:
4. Carvalho, Geraldo – “Máquinas Elétricas – Teoria e Ensaios”. Editora Érica, São Paulo: 2006.
5. Del Toro, Vincent – “Fundamentos de Máquinas Elétricas”. Editora Livros Técnicos e Científicos, Rio de Janeiro:
1999.
6. Slemon, P. S./Straughen, A. – “Electric Machines”, Add. Wes. Pub. Com., 1980
7. Krause, P. C. ; Wasynczuk, O. ; Sudhoff, S. D. “Analysis of Electric Machinery” New York, IEEE Press, 1994.
8. Say, M. G.; Taylor, E. O. “Alternating Current Machines”, 2. ed. Pitman Publishing. 1986.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Sistemas de Energia Elétrica semanal 4 0 4
semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Circuitos Elétricos II,
Obrigatória TE05131 Bloco VII Conversão de Energia I Elétrica

Ementa
Características e requisitos de um sistema de energia elétrica. Conceitos fundamentais. Turbinas hidráulicas e
térmicas. Máquinas síncronas. Transformadores. Linhas de transmissão. Cargas. Controle automático de geração.
Controle carga-frequência. Reguladores de velocidade. Controle da tensão. Modelos utilizados na análise e controle
de sistemas de energia elétrica. Aspectos de controle. Desempenho do sistema em regime estacionário. Aspectos
dinâmicos adicionais.
Bibliografia Básica:
1. Alcir, J. Monticelli / Garcia, Ariovaldo – “Introdução a Sistemas de Energia Elétrica”. Editora da UNICAMP,
Campinas 1999.
2. Alcir, J. Monticelli - “Fluxo de Carga em Redes de Energia Elétrica”. Editora Edgard Blucher, São Paulo, 1983.
3. Ramos, Dorel Soares; Dias, Eduardo Jorge – “Sistemas Elétricos de Potência – Regime Permanente”, vol. 1 e 2,
Ed. Guanabara Dois, Rio de Janeiro,1983.

61
Bibliografia Complementar:
4. Miller, Robert H.; Malinowki, James H. – “Power System Operation”, Third Edition, Ed. McGraw Hill, Inc,1984.
5. O. I. Elgerd – “Introdução à Teoria de Sistemas de Energia Elétrica”. Editora McGraw-Hill, São Paulo, 1981.
6. Vieira Filho, Xisto – “Operação de Sistemas de Potência com Controle Automático de Geração”, Ed. Campus,
LTDA, Rio de Janeiro, 1984.
7. Stevenson Jr. W. D. – “Elementos de Análise de Sistemas de Potência”. Editora McGraw Hill, São Paulo, 1981.
8. Pinho, J. T., et alii. Sistemas Híbridos - Soluções Energéticas para a Amazônia. Editora do Ministério de Minas e
Energia, 2008.1996.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Processamento Digital de Sinais semanal 4 0 4
semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Teoria das
Obrigatória TE05172 Bloco VII Elétrica
Comunicações
Ementa
Sinais e sistemas discretos no tempo. Transformada de Fourier para sinais discretos no tempo. Transformada Z.
Amostragem de sinais contínuos. Analise no domínio transformado de sistemas lineares, invariantes e discretos no
tempo. Estruturas para sistemas discretos no tempo. Técnicas de projeto de filtros discretos (digitais). Transformada
discreta de Fourier e aplicações.
Bibliografia Básica:
1. Oppenheim, A. V.; Schafer, R. W.; Discrete-Time Signal Processing, Prentice Hall, 3rd Ed. 2009. 1120 pp. ISBN-
10: 0131988425, ISBN-13: 978-0131988422
2. Lathi, B. P.; Sinais e Sistemas Lineares, Bookman Companhia Ed. 2ª Edição, 2007. 856 pp. ISBN: 8560031138,
ISBN-13: 9788560031139
3. Hayes, M. H.; Processamento Digital De Sinais, Bookman Companhia Ed. 1ª Edição, 2006. 466 pp. ISBN:
8560031065, ISBN-13: 9788560031061
Bibliografia Complementar:
4. Proakis, J. G.; Manolakis, D. K.; Digital Signal Processing, Prentice-Hall, 4th Ed., 2006. 1004 pp. ISBN-10:
0131873741, ISBN-13: 978-0131873742
5. Mitra, S.; Digital Signal Processing, McGraw-Hill, 3rd Ed., 2005. 896 pp. ISBN-10: 0073048372, ISBN-13: 978-
0073048376
6. Nalon, J. A.; Introduçao Ao Processamento Digital De Sinais, LTC, 1ª Ed., 2009. 216 pp. ISBN: 8521616465,
ISBN-13: 9788521616467.
7. V. K. Ingle and J. G. Proakis, Digital signal processing using MATLAB, Brooks/Cole, 2000
8. R. D. Strum e D. E. Kirk, First Principles of Discrete Systems and Digital Signal Processing, Addison-Wesley,1989

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Instalações Elétricas semanal 4 0 4
semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05132 Bloco VIII Circuitos Elétricos II Elétrica
Ementa
Fornecimento de Energia aos Prédios. Instalação para Iluminação e Aparelhos Eletrodomésticos. Condutores
Elétricos. Componentes das Instalações Elétricas. Aterramento. Dimensionamento dos Condutores de uma
Instalação. Proteção Contra Correntes de Sobrecarga. Curto Circuito e Residual. Luminotécnica. Fornecimento de
Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição. Fornecimento de Energia Elétrica as Instalações de Uso
Coletivo. Norma de Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade - NR10.

62
Bibliografia Básica:
1. Creder, H. “Instalações Elétricas”, Livros Técnicos e Científicos, 15ª. Ed, 2007
2. Carvalho Júnior, Roberto de. “Instalações Elétricas – e o Projeto de Arquitetura”, Editora Edgard Blucher LTDA,
São Paulo, 2009.
3. Cotrim, Ademaro A. M. B., “ Instalações Elétricas”, 5a Edição, Editora Prentice Hall, São Paulo, 2009.
Bibliografia Complementar:
4. Julio Niskier e A. J. Macintyre, “ Instalações Elétricas”, Ed. Livros Técnicos e Científicos Ltda, 1996.
5. NBR – 5410:2004 – Instalações Elétricas de Baixa Tensão – Procedimentos..
6. NBR – 5419:2002 – Proteção de Estruturas contra Descargas Elétricas Atmosféricas.
7. Mamede Filho, J., “Instalações Elétricas Industriais” , Ed. Livros Técnicos e Científicos Ltda, 2002.
8. Cavalin, Geraldo / Cervelin, Severino. “Instalações Elétricas Prediais”, 4a Edição, Editora Érica, São Paulo, 1998.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Teoria de Comunicações semanal 6 0 6
semestral 90 0 90
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05237 Bloco VI Circuitos Elétricos II, Elétrica
Probabilidade e
Processos
Estocásticos
Ementa
Elementos de um sistema de comunicação. Comunicação analógica e digital. Representação de sinais e sistemas.
Modulação de ondas contínuas. Modulação AM e FM. Processos aleatórios e ruído. Ruído em sistemas de
modulação de onda contínua. Modulação por pulso. Sistemas PCM, DPCM e DM. Introdução aos sistemas de
modulação digital.
Bibliografia Básica:
1. Haykin, S., “Sistemas de Comunicação”, Editora Bookman, 4nd edition, 2003.
2. Lathi, B. “Moderm Digital and Analog Communication Systems”, 3rd edition, 1998.
3. Proakys, J. “Digital Communication”. Ed. McGraw-Hill. 1989.
Bibliografia Complementar:
4. Sklar, B., Digital Communications: Fundamentals and Applications.. 1104 pages Prentice Hall PTR; 2 edition, 2001
5.- Carlson, A.B., Communication Systems – An Introduction to Signals and Noise in Electrical
Communication, 3rd. Edition, McGraw- Hill, 1986.
6,Ziemer,R.E. & Tranter, W.H., Principles of Communications – Systems, Modulation and
Noise, 4th. Edition, John Wiley & Sons, 1995.
7.Roden, M.S., Analog and Digital Communication Systems, 4th. Edition, Prentice Hall,1996.
8.- Roddy, D. & Coolen, J., Electronic Communications, 4th. Edition, Prentice Hall, 1990,

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Sistemas de Controle II semanal 4 0 4
semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05137 Bloco VI Sistemas de Controle I Elétrica
Bibliografia Básica
1. Charles L. Phillips, Royce D. Harbour, “Feedback Control Systems”. Prentice-Hall, 1988.
2. Charles L. Phillips, H. Troy Nagle Jr., “Digital Control Systems Analysis and Design”. Prentice-Hall 1984.
3. Gene F. Frankling, J. David Powell, “Digital Control of Dynamic Systems”.Addison-Wesley, 1980.

63
Bibliografia Complementar
4. Katsuhiko Ogata, “Engenharia do Controle Moderno”. Prentice-Hall do Brasil Ltda., 1993.
5. Ziemer,R.E., Tranter,W.H. and Fanning,D.R.; Signals and Systems Continuos and Discrete, 1993.
6. Kuo,B.; Digital Control Systems, 1980.
7. Ogata,K.; Discrete-Time Control Systems, 1987.
8. Åstrom,K.J. and Wittenmark,B.; Computer Controled Systems Theory, 1984.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Laboratório de Eletrônica Analógica I semanal 0 2 2
semestral 0 30 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05123 Bloco V Circuitos Elétricos I Elétrica
Ementa
Amplificador operacional: amplificador, integrador. Circuitos com diodos: retificadores, limitadores, multiplicador de
tensão. Fonte de tensão regulada simples (com filtro capacitivo e regulador zener). Transistor de Junção Bipolar:
circuitos de polarização, amplificadores.Transistor de Efeito de Campo: Circuitos de polarização e amplificadores.
Bibliografia Básica:
1. Sedra, A. S. e Smith, K. C.; Microeletrônica. Pearson. 5ª. Edição. 2007.
2. Smith, K. C. “Laboratory manual for Microeletronic Circuits (Third Edition) by Adel Sedra/K.C Smith” Saunders
College Publishing, 1991
3. Malvino, P.A & G.F. Johnson “Experiments for Electronic principles” – McGraw-Hill, 1973.
Bibliografia Complementar:
4. Zbar, P.B., “Básic Eletronics” – McGraw-Hill, 1976.
5. Tucci, W.J.M.Shibata & J.F. Henke “Teoria, Projeto e Experimentos com dispositivos semicondutores” –
Livraria Nobel S/A, 1981.
6. Boylestad/Nashelsky Dispositivos eletrônicos e teoria de circuitos,Prentice-Hall do Brasil, 2004 8a Ed.
7. Martins , Jorge Alberto, Física e modelos de componentes bipolares, Editora da Unicamp.
8.Millman, J.,Halkias, Christos C., Eletrônica, 2ª ed. Vols. 1 e 2, MacGraw Hill S. Paulo 1981.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Laboratório de Eletromagnetismo semanal 0 2 2
semestral 0 30 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05118 Bloco VI Teoria Elétrica
Eletromagnética II
Ementa
Introdução ao Laboratório. Torque Magnético e Motor DC. Potencial Elétrico e Capacitor de Placas Paralelas. Força
Magnética. Indução de Faraday e Levitação Magnética. Aquecimento Elétrico. Reflexão e Refração de Ondas
Eletromagnéticas. Propagação em Guias de Ondas e Medição de Freqüência. Medição de Taxa de Onda
Estacionária e de Impedância.. Circuitos Ressonantes e Cavidades
Bibliografia Básica:
1. Kraus, J.D., “Electromagnetics”, 4ª edição, McGraw-Hill, 1992.
2. Hayt Jr., W.H., “Eletromagnetismo”, 3ª edição, Livros Técnicos e Científicos Editora, 1983.
3. Pinho, J. T., “Cadernos de Experimentos em Eletromagnetismo”, Notas de Aula, 1998.
Bibliografia Complementar:
4. Serway, R. A., “Physics for Scientists and Engineers”, 3ª edição, Saunders, 1992.
5. Collin, R.E., "Foundations for Microwave Engineering", 2ª edição, McGraw-Hill, 1992.
6. Collier, R. J. e Skinner, A. D., “Microwave Measurements”, Third Edition,The Institution of Engineering and

64
Technology, 2007.
7. Sadiku, M.N.O. “Elements of Electromagnetics”, Third Edition, Oxford University Press, 2001.
8.Hayt, W. H. Jr. e Buck, J. A., “Engineering Electromagnetics”, SixthEdition, 2001.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Laboratório de Comunicações semanal 0 2 2
semestral 0 30 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05120 Bloco VII Teoria de Comunicações Elétrica
Ementa
Geração de sinais no Matlab. Análise Espectral no Matlab. Analisador de Espectro Baseado em FFT. Modulação AM
no Matlab. Modulação AM em bancada. Modulação FM. Amostragem, quantização e codificação. Conversores A/D e
D/A comunicações seriais via RS 232 do microcomputador PC. Análise da Interferência Intersímbolos através do
diagrama de olho. Comunicação via Modem.
Bibliografia Básica:
1. LathiI, B., “Modern Digital and Analog Communication System”, Oxford University Press, Inc., 3ª Edição, 1998.
2. CouchII, L., “Modern Communication System – principles and applications”, Prentice-Hall, 1995.
3. Haykn, S., “Communication System”, Jonh Wiley & Sons, Inc., 1994.
Bibliografia Complementar:
4. Kamen, E. W., Heck, B. S., “Fundamentals of Signals and Systems using Matlab”, Prentice-Hall, New Jercey 1997.
5. Proakis, J. G., “Contemporary Communication Systems using Matlab”, PWS publishing
Company, 1998.
6.Sklar, B., Digital Communications: Fundamentals and Applications.. 1104 pages Prentice Hall PTR; 2 edition
(January 21, 2001).
7.Haykin, S., "Sistemas de Comunicação Analógicos e Digitais", 4a. Edição, Bookman Companhia Editora, ISBN 0-
471-17869-1, 2001. p 837.
8.Proakis, G. P. E Salehi, M., G. Bauch, "Contemporary Communication System Using MATLAB and Simulink", 2nd.
Ed., Brooks/Cole, 2004

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Eletrônica de Potência Semanal 4 2 6
Semestral 60 30 90
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05238 Bloco VII Eletrônica Analógica II Elétrica
Lab. Eletrônica Analógica II
Ementa
Interruptores de Potência, - Retificadores Não Controlados, - Retificadores Controlados, - Circuitos de Comando de
Retificadores a Tiristor, Conversores CA – CA, Conversores CC – CC, Teoria Básica dos Inversores.
Bibliografia Básica
1. “Eletrônica de Potência” , Ivo Barbi , Editora da UFSC, 1986.
2. “Power Semiconductor Circuits” , S. B. Dewan & A. Straughen, John Wiley & Sons, 1975.
3. “Eletrônica Industrial” , Cyril N. Lander, McGraw-Hill , 1981.
Bibliografia Complementar:
4. “Power Electronics - Devices, Drivers and Applications” , B. W. Willians, Macmillan Education LTD, 1987.
5. “Eletrônica de Potência”, José Luiz Antunes Almeida, Editora Érica,1986.

65
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Laboratório de Sistemas de Controle Semanal 0 2 2
Semestral 0 30 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05138 Bloco VII Sistemas de Controle I e Elétrica
Sistemas de Controle II
Ementa
Introdução ao MATLAB; Introdução a Simulação Analógica; Análise de Desempenho e Controle de Sistemas de
1ª Ordem; Análise de Desempenho e Controle de Sistemas de 2ª Ordem; Identificação de um Motor DC; Controle
de Velocidade de um Motor DC; Controle de Posição de um Motor DC; Controle por Realimentação de Estados
de um Motor DC; Estudos de Caso utilizando Plantas Reais (opcional).

Bibliografia Básica
1.Soares, R. P de O., Roteiros de experiências, 2010.
2.Norman S. Nise, “Engenharia de Sistemas de Controle”, LTC, 3ª Edição, 2000;
3.Ogata, K. Engenharia de controle moderno. Prentice-Hall do Brasil, 4ª Edição 2003;
Bibliografia Complementar
4.Franklin, G. F., Powell, J. D. Feedback control of dynamic systems. Addison-Wesley, 1986;
5.Phillips, C. L., Harbour, R. D. Feedback control systems. Prentice-Hall, 1988;
6.Charles L. Phillips, H. Troy Nagle Jr., “Digital Control Systems Analysis and Design”. Prentice-Hall 1984.
7.Gene F. Frankling, J. David Powell, “Digital Control of Dynamic Systems”.Addison-Wesley, 1980.
8.Notas de Aula dos cursos de Análise de Sistemas Lineares e de Sistemas de Controle

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Laboratório de Eletrônica Analógica II Semanal 0 2 2
Semestral 0 30 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05124 Bloco VI Eletrônica Analógica I, Elétrica
Laboratório de
Eletrônica Analógica I
Ementa
Amplificador Diferencial. Resposta em Freqüência. Realimentação. Amplificador de Potência. Geradores de Forma
de Onda
Bibliografia Básica:
1. Sedra, A. S. e Smith, K. C.; Microeletrônica. Pearson. 5ª. Edição. 2007.
2. Smith, K. C. “Laboratory manual for Microeletronic Circuits (Third Edition) by Adel Sedra/K.C Smith” Saunders
College Publishing, 1991
3. Malvino, P.A & G.F. Johnson “Experiments for Electronic principles” – McGraw-Hill, 1973.
Bibliografia Complementar:
4. Zbar, P.B., “Básic Eletronics” – McGraw-Hill, 1976.
5. Tucci, W.J.M.Shibata & J.F. Henke “Teoria, Projeto e Experimentos com dispositivos semicondutores” –
Livraria Nobel S/A, 1981.
6. Boylestad/Nashelsky Dispositivos eletrônicos e teoria de circuitos,Prentice-Hall do Brasil, 2004,8a Ed.
7. Martins , Jorge Alberto, Física e modelos de componentes bipolares, Editora da Unicamp.
8.Millman, J.,Halkias, Christos C., Eletrônica, 2ª ed. Vols. 1 e 2, MacGraw Hill S. Paulo 1981.

66
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Noções de Administração para Engenheiros Semanal 2 0 2
Semestral 30 0 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória SE05089 Bloco VIII Administração
Ementa
Administração e organização de instalações industriais. Administração da produção. Noções de administração de
pessoal, financeira e de suprimentos. Contabilidade e balanços.
Bibliografia Básica:
1.Chiavenatto, I.: Teoria geral da administração, 5a edição, Makron Books, São Paulo, 1999.
2.Maximiniano, A.C.A.: Teoria geral da administração: da escola científica à competitividade em economia
globalizada, 4a edição, Atlas, São Paulo,1995.
3.Silva, R.O.: Teorias da administração, 7a edição, Pioneira, São Paulo, 2001.
Bibliografia Complementar:
4. Bateman, T. S & Snell A. Administração: Novo cenário competitivo. São Paulo: Atlas,2006.
5. Costa, Eliezer Arantes da Costa. Gestão Estratégica. São Paulo: Saraiva. 2004.
6. Kotler, Philip Administração de Marketing: análise, planejamento, implementação e
controle. São Paulo: Atlas, 2002.
7. Stoner James A . & Freeman ,R. E. Administração (tradução) 5ª ed. Rio de Janeiro: Livros
Técnicos e Científicos, 1999.
8. Schermerhorn, John R. Administração.5ª ed.Rio de Janeiro :Livros Técnicos e Científicos,
1999.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Direito e Legislação Semanal 2 0 2
Semestral 30 0 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória CJ01038 Bloco VIII Direito
Ementa
Direito: introdução, definições e generalidades. Direito empresarial. Direito do trabalhador. CLT. Contratos de
trabalho. Regulamentação profissional. Conselhos de classe: CREA, CONFEA. Responsabilidades decorrentes do
exercício profissional.
Bibliografia Básica:
1. Wander Bastos, A.: Introdução à teoria do direito, Lumen Juris, Rio de Janeiro, 1999.
2. Campanhole, H., Campanhole, A.: Consolidação das Leis do Trabalho e Legislação Complementar, Atlas, São
Paulo, 1996.
3. Resoluções dos Conselhos Regional e Federal de Engenharia e Arquitetura.
Bibliografia Complementar:
4. Legislação trabalhista em vigor.
5. Landau, Elena. Regulação Jurídica do Setor Elétrico. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2006.
6. Pires, Adriano; Fernádez, Eloi F.; BUENO, Julio. Política Energética para o Bra-sil. Rio de
Janeiro: Nova Fronteira, 2006.
7. - Caldas, Geraldo Pereira. Concessões de Serviços Públicos de Energia Elétrica. 2. ed.
Curitiba: Juruá, 2006.
8. Silva, Edson Luiz. Formação de Preços em Mercados de Energia Elétrica. Porto Alegre:
Sagra Luzzatto, 2001.

67
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Noções de Economia para Engenheiros Semanal 2 0 2
Semestral 30 0 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória SE17062 Bloco VIIII Economia
Ementa
Introdução: história do pensamento econômico. Microeconomia: oferta, demanda e mercado; elasticidade e
estruturas de mercado (concorrência perfeita, monopólio e oligopólio). Macroeconomia: teoria geral do emprego;
juros e a moeda, Sistema Financeiro, Banco Central; Políticas Econômicas : inflação, crescimento, endividamento,
balanço de pagamentos e comércio exterior. Economia brasileira.
Bibliografia Básica:
1.Rossetti, J.P.: Introdução à Economia, 20ª edição, Atlas, São Paulo, 2003.
2.Samuelson, P.: Economia, 17ª edição, McGraw-Hill, São Paulo, 2004.
3.Vasconcelos, M.A., Garcia, M.: Fundamentos de Economia, 2ª edição, Saraiva, Rio de Janeiro, 2004.
Bibliografia Complementar:
4.Mankiw, G.: Introdução à Economia, Campus, Rio de Janeiro, 2002.
5.Pereira, Wlademir (coord). Manual de introdução à Economia. Equipe prof. USP. São
Paulo: Saraiva, 2000.
6. Dornbusch, R.; Fischer, S. Macroeconomia. 5ª ed. São Paulo: Makron, McGraw-Hill, 1991.
7. Passos, Carlos R. M & Noagami, O. Princípios de Economia. 3 ed. São Paulo: Pioneira,
2001.
8. Pindyck.; Rubinfeld, D. Microeconomia. 5ª ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Automação Industrial Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE11018 Bloco VIII Sistema de Controle II, Elétrica
Microprocessadores
Ementa
Introdução à Engenharia de Automação Industrial; Sensores e atuadores industrias; Comandos baseados em lógica
de contatos; Introdução aos controladores lógico programáveis (CLPs); Análise e projeto baseado em lógica
estruturada e diagrama de estados; Redes de comunicação de dados em sistemas de automação industrial;
Sistemas supervisórios e interfaces homem-máquina (IHM) em sistemas;
Bibliografia Básica:
1.Moraes, Cícero Couto de; Castrucci, Plínio de Lauro- 2001- Engenharia de Automação Industrial- Hardware e
Software, Redes de Petri, Sistemas de Manufatura, Gestão da Automação- LTC- Livros Técnicos e Científicos
Editora S.A. (leitura obrigatória)
2.Pires, Norberto-2002- Automação Industrial- Automação, Robótica, Software Distribuído, Aplicações Industrias-
ETEP, Edição Técnicas e Profissionais, Lisboa, Portugal.
3.Rosário, João Maurício-2005- Princípios de Mecatrônica- Editora Pearson.
Bibliografia Complementar:
4.Fialho, Arivelto Bustamante – 2003 - Automação Pneumática-Projetos, Dimensionamento e Análise de Circuitos-
Ed. Érica LTDA

68
5.Natale, Ferdinando- 2000- Automação Industrial-Série Brasileira de Tecnologia - Editora Érica LTDA.
6.Silveira, P. R.; Santos,W. E. – 1998- Automação e Controle Discreto - Editora Érica LTDA.
7.Bolman, Arno- 1996 - Fundamentos de Automação Pneutrônica - Editora ABPH, São Paulo.
8.Festo Didactic- 1994 - Introdução a Sistemas Eletropneumáticos - Festo Didactic do Brasil.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Laboratório de Automação Industrial Semanal 0 2 2
Semestral 30 34 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE11019 Bloco VIII Sistema de Controle2, Elétrica
Microprocessadores
Ementa
Conhecimento dos componentes da Bancada de Automação Industrial por CLP; Partida direta de motor trifásico de
indução; Partida estrela triângulo de motor de indução utilizando circuito de comando com relé temporizado;
Utilização do CLP e do software de programação; Automatização de partida estrela triângulo com CLP; Comando de
parada com reversão automática de sentido de rotação de motor de indução utilizando circuito de comando com
Relé Temporizado; Comando de parada com reversão automática de sentido de rotação de motor de indução
utilizando circuito de comando com CLP; Automatização de comando de um semáforo via CLP; Programação da
Interface IHM do CLP; Automação por CLP da seqüência de partida e parada em um conjunto de motores
alimentando um sistema de esteiras transportadoras de minérios a Interface IHM do CLP; Bancada de
Servoacionamento CA; Sintonia de controlador PID para controle de posição e de velocidade em bancada de
servoacionamento CA; Bancada de Automação e Controle de Motor CA; Sintonia de controlador PID para controle
de posição e de velocidade em bancada de servoacionamento CA;
Bibliografia Básica:
1. Moraes, Cícero Couto de; Castrucci, Plínio de Lauro- 2001- Engenharia de Automação Industrial- Hardware e
Software, Redes de Petri, Sistemas de Manufatura, Gestão da Automação- LTC- Livros Técnicos e Científicos
Editora S. A.
2.WEG- 2007- Manual do Instrutor da Bancada de Automação por CLP.
3.WEG- 2007- Manual do Aluno da Bancada de Automação por CLP.
Bibliografia Complementar:
4.WEG- 2007- Manual do CLP TP02 20MR.
5.WEG- 2007- Manual do Instrutor da Bancada de Controle de Motor CA.
6.WEG- 2007- Manual do Inversor CFW-09.
7.WEG- 2007- Manual do Aluno da Bancada de Controle de Motor CA.
8.WEG- 2007- Guia de Aplicação de Inversores de Freqüência WEG - 3ª Edição

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Estágio Supervisionado Semanal 10 10
Semestral 180 180
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05234 Bloco IX ou X Elétrica
Ementa
Desenvolvimento de parte dos conhecimentos adquiridos durante o curso em atividades práticas da engenharia, em
ambiente de trabalho propício à consolidação das habilidades e competências desejadas.
Bibliografia
Aberta

69
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Trabalho de Conclusão de Curso Semanal 6 6 4
Semestral 180 0 180
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05140 Bloco IX ou X Elétrica
Ementa
Desenvolvimento de um trabalho que permita consolidar os conhecimentos adquiridos durante o curso.
Bibliografia
Aberta

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Total
Atividades Complementares em Engenharia Elétrica Semanal 8
Semestral 120
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05233 Bloco VIII Elétrica
Ementa
Contabiliza atividades de pesquisa, cursos frequentados, apresentação de trabalhos científicos, etc.
Bibliografia
Aberta

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Total
Atividades de Extensão em Engenharia Elétrica I Semanal 12
Semestral 180
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05235 Bloco IX Elétrica
Ementa
Contabiliza as ações extensionistas de cunho pedagógico, de caráter prático, planejado e organizado de modo
sistemático objetivando, principalmente, oferecer noções introdutórias, atualizar e ampliar conhecimentos,
habilidades ou técnicas bem como formar e capacitar recursos humanos em áreas do conhecimento do curso.
Bibliografia
Aberta

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Atividades de Extensão em Engenharia Elétrica II Carga Horária (h)

70
Total
Semanal 16
Semestral 240
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Obrigatória TE05236 Bloco X Elétrica
Ementa
Contabiliza as ações extensionistas de cunho pedagógico, de caráter prático, planejado e organizado de modo
sistemático objetivando, principalmente, oferecer noções introdutórias, atualizar e ampliar conhecimentos,
habilidades ou técnicas bem como formar e capacitar recursos humanos em áreas do conhecimento do curso.
Bibliografia
Aberta

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Transmissão de Energia Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Sistemas de Energia
Optativa TE - 05150 Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Elétrica
Ementa
Componentes básicos de um sistema de transmissão (linha, transformador e compensadores). Parâmetros da linha
(indutância, capacitância e resistência). Relação entre tensão e corrente na linha. Circuitos equivalentes da linha de
transmissão. Efeito Corona. Transformadores reguladores. Compensação de reativos. Equipamentos estáticos em
sistemas dec transmissão. Introdução ao projeto de sistemas de transmissão.
Bibliografia Básica:
1. Fuchs, R. D. “Transmissão de Energia Elétrica”. 2a Edição. Ed. L.T.C. Rio de Janeiro: 1979
2. Camargo, C.; de Brasil, C.. “Transmissão de Energia Elétrica”. Ed. EFSC - Florianópolis: 1984.
3. Stevenson Jr. W. D. – “Elementos de Análise de Sistemas de Potência”. Editora McGraw Hill, São Paulo, 1981.
Bibliografia Complementar:
4. Naidu, S. R. – “Transitórios eletromagnéticos em Sistemas de Potência”. Editora Grafset – Universidade Federal
da Paraíba: 1985.
5. El Hawary – “Electrical Power Systems”. Editora IEEE PRESS – New York: 1983.
6. Weedy, B. M. – “Electric Power Systems”. 3 rd Ed. John Wiley – New York: 1979.
7. Zanetta Jr, Luiz Cera – “Fundamentos de Sistemas Elétricos de Potência”. Editora Livraria da Física, São Paulo:
2005.
8. Fuchs, R. D. / Almeida, M. T. “Projetos Mecânicos nas Linhas Aéreas de Transmissão”. 2a Edição. Ed. Edgard
Blücher Ltda. São Paulo. 1994

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Distribuição de Energia Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Sistemas de Energia
Optativa TE05151 Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Elétrica
Ementa
Conceitos básicos associados à sistemas de distribuição. Cargas. Curvas de carga. Demanda. Fatores que

71
caracterizam a carga. Engenharia de distribuição. Constituição de sistemas de distribuição: subestações e redes.
Planejamento de sistemas de distribuição. Fluxo de potência. Capacitores em sistemas de distribuição. Reguladores
de tensão.
Bibliografia Básica:
1. Souza, Benemar Alencar de – “Distribuição de Energia Elétrica”, Programa de Apoio a Projetos de Ensino, UFPB,
Centro de Ciências e Tecnologia, Departamento de Engenharia Elétrica, Campina Grande, 1997.
2. Cipoli, José Adolfo – “Engenharia de Distribuição”, Editora Qualitymark, Rio de Janeiro, 1993.
3. Mamede Filho, João – “Manual de Equipamentos Elétricos”, 2a edição, vol. 1, Editora Livros Técnicos e Científicos
S.A, Rio de Janeiro, 1994.
Bibliografia Complementar:
4. Mamede Filho, João – “Instalações Elétricas Industriais”, 4a edição, Editora Livros Técnicos e Científicos S.A, Rio
de Janeiro, 1995.
5. Cotrim, Ademaro A. M. B. – “Instalações Elétricas”, 3a edição, Editora Mc.Graw-Hill Ltda, São Paulo, 1993.
6. Ramos, Dorel Soares, Dias, Eduardo Mário – “Sistemas Elétricos de Potência”, vol. 1, Editora Guanabara Dois,
Rio de Janeiro, 1983.
7. NR 10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade.
8. Normas técnicas da ABNT – NBR 5433 e NBR 5434.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Análise de Sistemas de Energia I
Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Sistemas de Energia
Optativa TE05152 Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Elétrica
Ementa
Conceitos Básicos. Sistemas em P.U. Análise de malha. Análise nodal. Topologia das redes elétricas. Matrizes de
redes. Análise de fluxo de carga. Componentes. Formulação matemática do problema. Métodos de solução. Fluxo
DC. Noções sobre análise de contingências.
Bibliografia Básica:
1. Monticelli, A. J., “Fluxo de Carga em Redes de Energia Elétrica”, Ed. Edgard Blücher Ltda, 1983.
2. Stevenson Jr., W. D. , “Elementos de Análise de Sistemas de Potência”, McGraw-Hill, 2ª edição, 1986.
3. Ramos, D. S. & Dias, E. M., “Sistemas Elétricos de Potência Regime Permanente”, Guanabara Dois, vol 1,1982.
Bibliografia Complementar:
4. Almeida, W. G. de & Freitas, F. D., “Circuitos Polifásicos”, Finatec, Brasília, 1995.
5. Kusic, George L., “Computed – Aided Power Systems Analysis”, Prentice-Hall, 1986.
6. Oliveira. C.C.B. de; Schmidt, H. P.; Kagan, N.; Robba, E.J., “Introdução a Sistemas Elétricos de Potência,
Componentes Simétricas”, Edgard Blücher Ltda, 1996.
7. Arrilaga, J.; Arnold, C. P., “computer Modelling of Electrical Power Systems”, john Wiley & Sons Ltda, 1983.
8. Gross, C. A. , Power system analysis, John Wiley & Sons, 1986.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Análise de Sistemas de Energia II
Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Análise de Sistemas de
Optativa TE-05153 Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Energia I
Ementa
Componentes Simétricas. Representação de Componentes Pelo Diagrama de Sequência. Análise de Curto Circuito
e Aberturas. Cálculo Digital de Faltas. Introdução à Proteção de Sistemas de Energia Elétrica.

72
Bibliografia
Básica:
1. Anderson, P. M., ‘Analysis of faulted power systems’, IEEE Press, 1995.
2. Cardoso Jr, Ghendy, ‘Análise de defeitos em sistemas industriais, incorporando a configuração da rede',
Dissertação de Mestrado em Eng. Elétrica, CMEE / CTUFPA, abril 1997.
3. 5. Almeida, W. G. de & Freitas, F. D., “Circuitos Polifásicos”, Finatec, Brasília, 1995.
Complementar:
4. Kundur, P. S., ‘Power system stability and control’, McGraw-Hill, 1994.
5. Oliveira, C. C. B. de; Schmidt, H. P.; Kagan, N. e Robba, E. J., ’Introdução a sistemas elétricos de potência:
componentes simétricas’, 2a Ed., Edgard Blücher, 1996.
6. Phadke, A. G. and Thorp, J., S.,’Computer relaying for power systems’, Research Studies Press, Ltd. / John Wiley
& Sons Inc., 1988.
7. Wright, A. and Christopoulos, C., ‘Electrical power system protection’, Chapman & Hall, 1993.
8. El-Hawary, M. E., ‘Electrical power systems: design and analysis’, IEEE Press, 1995

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Laboratório de Sistemas de Energia I
Semanal 0 2 2
Semestral 0 30 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Análise de Sistemas de
Optativa TE05154 Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Energia I
Ementa
Simulação Digital Usando Programas Computacionais para o Estudo do Fluxo de Potência e de Análise de
Contigências em Sistemas de Energia Elétrica
Bibliografia
Básica:
1. Kundur, P. S. “Power system stability and control”, McGraw-Hill. 1994.
2. Silva, Ronald Kelley da, Análise multifásica de fluxo de potência em redes radiais de distribuição de energia
elétrica, Dissertação de Mestrado em Engenharia Elétrica, PPGEE / CTU-FPA, Belém Pará, 1995.
3. Gross, C. A. , Power system analysis, John Wiley & Sons, 1986.
Complementar:
4. Miller, R. T. ; Malinowski , J. H. , Power system operation, McGraw-Hill , Inc. , 3rd. ed. , 1994.
5. ANAREDE : Análise de Redes Elétricas, CEPEL / CEMIG.
6. Monticeli, A. J. , ‘ Fluxo de carga em redes de energia elétrica, Ed. Edgard Blücher, 1983.
7. Oliveira, C. C. B. de; Schmidt, H. P.; Kagan, N. e Robba, E. J., ’Introdução a sistemas elétricos de potência:
componentes simétricas’, 2a Ed., Edgard Blücher, 1996.
8. Wright, A. and Christopoulos, C., ‘Electrical power system protection’, Chapman & Hall, 1993.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Laboratório de Sistemas de Energia II Semanal 0 2 2
Semestral 0 30 30
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Análise de Sistemas de
Optativa TE-05155 Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Energia II
Ementa
Introdução. Simulação Digital da Dinâmica e Controle da Geração em Sistemas Isolados e Interligados. Centros de
Supervisão e Controle. Estudos de Curtos Circuitos e de Aberturas. Visitas Técnicas.

73
Bibliografia Básica:
1. Kundur, P. S. ,‘ Power System Stability and Control ’ , Mc Graw- Hill, 1994.
2. Anderson, P. M. , ‘Analysis of faulted power systems’, IEEE Press, 1995.
3. Oliveira, C. C. B. de; Schmidt, H. P. ; Kagan, N. E Robba, E. J. , ‘Introdução a sistemas elétricos de potência:
componentes simétricas’, 2a Ed., Edgard Blücher, 1996.
Bibliografia Complementar:
4. El-Hawary, M. E. , ‘Electrical power systems: design and analysis’, IEEE Press, 1995.
5. Gross,C. A. , ‘ Power system analysis’, John & Sons, 1986.
6. Miller. R. T. ; Mmalinowski. J. H., ‘Power system operation’, McGraw-Hill, Inc. , 3rd. ed. 1994.
7. Wright, A. and Christopoulos, C., ‘Electrical power system protection’, Chapman & Hall, 1993.
8. ANAREDE : Análise de Redes Elétricas, CEPEL / CEMIG.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Proteção Sistemas de Energia Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Análise de Sistemas de
Optativa TE-05173 Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Energia I
Ementa
Desempenho dos transformadores de corrente e potencial. Filosofias de proteção dos elementos dos sistemas
elétricos de potência. Proteção de linhas de transmissão. Proteção de barras. Proteção de transformadores e
reatores. Proteção de geradores Proteção de bancos de capacitores. Noções de teleproteção. Introdução à proteção
digital. Filtragem analógica e digital dos sinais. Hardware dos relés microprocessados. Exemplos de algoritmos
utilizados nas principais proteções digitais.
Bibliografia Básica:
1. C.R.Mason – The Art and Science of Protective relaying.
2. Caminha, A. A., “Introdução à Proteção dos Sistemas Elétricos”, Ed. Edgard Blucher, Ltda, 1977.
3. G. Kinderman – Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Vols. 1, 2 e 3.
Bibliografia Complementar:
4. IEEE Tutorial Course: Microprocessor Relays and Protection Systems.
5. Phadke, A.G.; Thorp, J.S. - Computer Relaying for Power System.
6. Rahman, M.A.; Jeyasurger B. - a State-of-the - Art Review of Transformer Protection Algorithms.
7. D. V. Coury, M. Olespovicz – Proteção Digital de Sistemas Elétricois de Potência.
8. Wright, A. e Christopoulos, C., “Eletrical Power System Protection”, Chapman & Hall, 1993.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Geração de Energia Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Sistema de Energia Elétrica,
Optativa TE05174 Bloco VIII, IX ou X Sistema de Controle I Elétrica
Conversão de Energia II
Ementa
Características de um sistema gerador. Turbinas e reguladores de velocidade. Modelos de desempenho estático e
dinâmico. Controle primário e controle secundário de áreas isoladas e interligadas. Controle de tensão e potência
reativa. Avaliação de desempenho. Características e previsão de cargas. Centros de supervisão e controle.

74
Bibliografia Básica:
1. Vieira Filho, X., “Operação de Sistemas de Potência com Controle Automático de Geração”, Editora Campus, Rio
de Janeiro, 1984.
2. Souza, Z. de; Fuchs, R. D. e Santos, A. H. M., “Centrais Hidro e Termelétricas”, Edgard Blücher, São Paulo, 1983.
3. Taylor, C. W., “Power System Voltage Stability”, EPRI - Electric Power Research Institute - Power System
Engineering Series, 1994.
Bibliografia Complementar:
4. Murty, P. S. R., “Power System Operation and Control”, TATA McGraw-Hill Publishing Company Limited, 1984.
5. Stevenson Jr., W. D., “Elementos de Análise de Sistemas de Potência”, McGraw-Hill, 2a ed., São Paulo, 1986.
6. Serra, S. T. F., “Centros de Supervisão e Controle em Sistemas de Potência”, Trabalho de Conclusão de Curso,
Universidade Federal do Pará, Belém, Fev. 1994.
7. Mússio, R. J. da C., “Sistemas de Supervisão e Controle Centralizados em Tempo Real em Sistemas de Grande
Porte”, Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade Federal do Pará, Belém, 2o sem./ 1993.
8. Monticelli, A. J., “Fluxos de Carga em Redes de Energia Elétrica”, Editora Edgard Blücher LTDA, São Paulo, 1983.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Eficiência Energética Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TE Bloco VIII, IX ou X Sistema de Energia Elétrica, Elétrica
Sistema de Controle I
Conversão de Energia II
Ementa
Eficiência na cadeia energética como um todo: conceitos básicos, análise de ciclo de vida. Eficiência na produção e
transporte de energia elétrica. Os usos finais da energia elétrica. Conservação de energia elétrica. Planejamento da
energia elétrica a partir do enfoque dos usos finais e da utilização racional.

Bibliografia Básica:
1. Energia Elétrica para o Desenvolvimento Sustentável - organizado por L. B. Reis, Semida Silveira, EDUSP 2000.
2. Dutt, G. S. (1992); Techniques for end use electricity analysis and conservation program design and evaluation - a
manual, vol A: Technical and economis end-use analysis, CEES/SAID, Princeton and Washington , USA .
3. Geller, H. "O Uso Eficiente da Eletricidade - uma estratégia de desenvolvimento para o Brasil". Rio de Janeiro,
Instituto Nacional de Eficiência Energética, 1994.
Bibliografia Complementar:
4. Johansson, T. B., Bodlund, B., Willians, R. H. (1989); Electricity Efficient End-Use and new Generation
Techinologies, and their planning implications, Lund University Press, Lund, Sweden.
5. Lamberts, R.; Lomardo, L. B.; Aguiar, J. C.; Thomé, M. R. V. "Eficiência energética em edificações: estado da
arte". Março, 1996.
6. Lima, L. C. A. e David, R. S. (1996); Eficiência Energética em Edifícios Públicos - Experiência na Bahia, Secretaria
de Energia, Transportes e Comunicações - Governo da Bahia; Centrais Elétricas Brasileiras S.A. - Eletrobrás;
Programa Nacional de Conservação de Energia - Procel; Secretaria de Administração - SAEB; Cia. de Eletricidade
do Estado da Bahia - COELBA; ECOLUZ - Consultores Associados.
7. Panesi, André R. Q., Fundamentos de eficiência Energética, Editora: Ensino Profissional.
8. Jannuzzi, Gilberto De M., Políticas públicas para eficiência energética e energia renovável no novo contexto de
mercado: Uma análise da experiência recente dos EUA e do Brasil, Editora Autores Associados, 1997

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Introdução às Energias Renováveis Teórica Prática Total

75
Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TE Bloco VIII, IX ou X Sistemas de Energia Elétrica Elétrica
Ementa
A Importância da Energia. Tipos e Fontes de Energia e seus impactos ambientais. Energia Solar. Energia Eólica.
Energia Hidráulica. Energia da Biomassa. Energia do Hidrogênio.
Bibliografia Básica:
1. Andrews, J. e Jelley, N. Energy Science: Principles, Technologies, and Impacts. Oxford University Press, 2007
2. Barreto, et alii. Soluções Energéticas para a Amazônia: Síntese. Editora do Ministério de Minas e Energia, 2008
3. Boyle, G. (Editor). Renewable Energy. Second Edition, Oxford University Press, 2003.
Bibliografia Complementar:
4. Cruz, J. M. B. P. e Sarmento, A. J. N. A. Energia dos Oceanos: Introdução aos Aspectos Tecnológicos,
Econômicos e Ambientais. Alfragide: Instituto do Ambiente, 2004.
5. Danish Wind Idustry Association. Guided Tour on Wind Energy. Disponível online em
http://guidedtour.windpower.org/en/tour/wres/index.htm.
6. Diversos Autores. Manual de Engenharia para Sistemas Fotovoltaicos. Grupo de Trabalho de Energia Solar
Fotovoltaica – GTEF – CRESESB/CEPEL, 2a Ed., 1999.
7. Duffie , J. A. e Beckman, W. A. Solar Engineering of Thermal Processes, 2a Ed., John Wiley & Sons, 1991.
8. ELETROBRAS - Centrais Elétricas Brasileiras S.A./ANEEL Agência Nacional de Energia Elétrica. Instruções para
Estudos de Viabilidade de Aproveitamentos Hidrelétricos. Rio de Janeiro, 1997.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Instalações Elétricas Industriais Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TE-05156 Bloco VIII, IX ou X Instalações Elétricas Elétrica
Ementa
Introdução. Cargas típicas industriais. Iluminação industrial. Circuitos de força. Subestações. Estudo de curto circuito.
Medição de energia. Regulação de tensão.
Aterramento. Proteção contra descargas. Sistemas de emergência.
Bibliografia Básica:
1. Mamede Filho, J., “Instalações Elétricas Industriais” , Ed. Livros Técnicos e Científicos Ltda, 2002.
2. Cotrim, Ademaro A. M. B., “ Instalações Elétricas”, Prentice Hall, 2003.
3. Julio Niskier e A. J. Macintyre, “ Instalações Elétricas”, Ed. Livros Técnicos e Científicos Ltda, 1996.
Bibliografia Complementar:
4. Miranda, Reis. “Instalações Elétricas Industriais”, Edição do autor, São Paulo, 1994.
5. NBR – 5410 de 2002.
6. NBR – 5419 de 2002.
7. Mamede Filho, J., “Manual de Equipamentos Elétricos”, 3a Edição, Ed. Livros Técnicos e Científicos Ltda, Rio de
Janeiro, 2005.
8. Kosow, I. L., “Máquinas Elétricas e Transformadores”, Ed. Globo, 1989

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Técnicas de Alta Tensão
Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60

76
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Sistemas de Energia
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Elétrica
Ementa
Geração de alta tensão alternada, contínua e de impulso. Fenômenos de sobre tensão e coordenação de
isolamento. Estudo e utilização de dielétricos sólidos, líquidos e gasosos. Ensaios dielétricos em alta tensão, teoria e
pratica. Condução e disruptura em gases. Métodos de medição de alta tensão associados a ensaios. Geração e
medição de correntes de impulso. Linhas de transmissão. Parâmetros de linhas de transmissão. Ondas viajantes.
Sobre tensões em sistemas de energia elétrica. Cálculo de transitórios. Modelagem de equipamentos e fenômenos
para cálculo de transitórios.
Bibliografia Básica:
1. Greenwood, Allan. “Electrical Transients in Power Systems”, Ed. John Wiley, Canada, 1971.
2. E. Kuffel, Pergamom High Voltage Engineering - Fundamentals Press, 1984.
3. Adolf J. Schwab High-Voltage Measurement Techniques, M.I.T. Press, London, 1972
Bibliografia Complementar:
4. Transitórios Eletromagnéticos e Coordenação de Isolamento Edição FURNAS, 1987.
5. A.E.A. Araújo e W.L.A. Neves, transitórios Eletromagnéticos em Sistemas de Energia, Editora da UFMG, Março
2005.
6. Harper, Gilberto Enriquez – “Estudo de Sobretensiones Transistorias en Sistemas Electricos y Coordinacion de
Aislamento’, Editora Limusa, Mexico, 1978.
7. Naidu, S. R. – “Transitórios eletromagnéticos em Sistemas de Potência”. Editora Grafset – Universidade Federal
da Paraíba: 1985.
8. Weedy, B. M. – “Electric Power Systems”. 3 rd Ed. John Wiley – New York: 1979.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Comunicações Avançadas semanal 4 0 4
semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TE05175 Bloco VII Teoria das Elétrica
Comunicações,
Probabilidade e
Processos
Estocásticos
Ementa
Probabilidade e Processos Estocásticos para Comunicações. Ruídos em sistemas AM e FM. Detecção de
sinais digitais. Probabilidade de erro em transmissão digital em banda básica. Técnicas de modulação
digital. Probabilidade de erro em transmissão digital com portadoras senoidal. Introdução a teoria da
informação. Codificação de fonte. Introdução aos códigos corretores de erro.
Bibliografia Básica:
1. B. P. Lathi, “Modern Digital and Analog Communication Systems”, 3rd. Ed., Oxford, 1998.
2. L. CouchI, “Digital and Analog Communication Systems”, 5th. Ed., Prentice-Hall, 1997.
3. I. A. Glover and P. Grant, “Digital Communications”, Prentice-Hall, 1998
Bibliografia Complementar:
4. K. R. Rao and J.J. Hwang, “Techniques & Standards for Image, Video & Audio Coding”, Prentice-Hall, 1996.
5. J. D. Gibson (Ed.), “The Communications Handbook”, CRC-IEEE, 1997.
6.Sklar, B., Digital Communications: Fundamentals and Applications.. 1104 pages Prentice Hall PTR; 2 edition
(January 21, 2001). ISBN-13: 978-0130847881
7.Haykin, S., "Sistemas de Comunicação Analógicos e Digitais", 4a. Edição, Bookman Companhia
Editora,
8,Ziemer,R.E. & Tranter, W.H., Principles of Communications – Systems, Modulation and
Noise, 4th. Edition, John Wiley & Sons, 1995, 802p.

77
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Transmissão de Dados e Teleprocessamento Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TE05109 Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Ementa
Conceitos de Transmissão de Dados. Ambientes típicos de processamento:
Homogêneos e heterogêneos. Transmissão de dados utilizando a infra-estrutura pública. Teleprocesssamento
clássico. Básico de tecnologia de redes. Básico de INTERNET e TCP/IP
Bibliografia Básica:
1. Da Silveira, Jorge Luis – Comunicação de Dados e Sistemas de Teleprocessamento – Makron Books
2. Alves, Luis – “ Comunicação de Dados , 2a. edição – Makron Books
3.Tanenbaum, Andrew: “Redes de Computadores”. Tradução da 4ª edição. Editora Campus. 2003
Bibliografia Complementar:
4.Kurose, J. F.; Ross, K. W. Redes de Computadores e a Internet: Uma Nova Abordagem.
São Paulo: Pearson Brasil, 2004.
5.Balachander, Krishnamurthy, Jennifer Rexford. Redes para a Web. Campus, 2001
6.Costa, D. Java em Rede: Programação Distribuída na Internet. Editora: Brasport, 2008.
7.Siqueira. L. Desenvolvimento Web – Vol 6. Editora: Linux New Media do Brasil, 2008.
8.Albuquerque, F. TCP/IP Internet: Programação de Sistemas Distribuídos. Editora: Axcel Books,

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Propagação Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Teoria Elétrica
Eletromagnética II
Ementa
Introdução aos Conceitos de Radio Propagação. Mecanismos Básicos de Propagação. Caracterização de
Desvanescimento e Multipercurso. Enlaces Terrestres Fixos (Teoria da Difração). Modelos de Propagação
Indoor. Modelos de Propagação em Médio e Longo Alcance. Comunicações via Satélite. O Futuro das
Pesquisas em Propagação.
.
Bibliografia Básica:
1. G. P. S. Cavalcante, “Canal de Rádio Propagação de Ondas Eletromagnéticas”, DEE/CT/UFPA, 2000.
2. R. E. Collin, “Antennas and Radiowave Propagation”, McGraw-Hill Book Comp., 1985
3. M. Dolukhanov, "Propagation of Radio Waves", Mir Publishers, 1971.
Bibliografia Complementar:
4.E. Jordan, K. Balmain, "Electromagnetic Waves and Radiating Systems", Prentice Hall, 1968
5.M. S. Assis, "Teoria Matemática da Difração", Apostila da PUC, 1977
6.M. D. Yacoub, "Foundations of Mobile Radio Engineering", CRC Press, 1993
7.W.C.Y. Lee, "Mobile Cellular Telecommunications", McGraw-Hill, 1990
8. J. D. Parsons, “The Mobile Radio Propagation Channel”, John Wiley, 1992.

78
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Antenas Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Teoria Elétrica
Eletromagnética II
Ementa
Introdução. Parâmetros Fundamentais. Funções Potenciais e Auxiliares. Antena Filamentar Linear. Antena Espira
(Loop). Arranjo de Antenas. Dipolos de Banda Larga. Técnicas de Casamento. Projeto de Antenas. Tipos Diversos
de Antenas (Yagi-Uda, Log-Periódica, etc). Antenas de Microfita.

Bibliografia Básica:
1. Balanis, C.A. “Antenna Theory – Analysis and Design”, third edition, john wiley, 2005
2. Milligan, t. a. “Modern Antenna Design”, second edition, john wiley – ieee press, 2005.
3. Balanis, C. A. “Modern Antenna Handbook”, john wiley, 2008.
Bibliografia Complementar:
4. Stutzman, Thiele; Antenna Theory And Design; John Wiley & Sons
5. R. E. Collin, “Antennas and Radiowave Propagation”, McGraw-Hill Book Comp., 1985
6. Kraus, J. D. ; Antennas; 2a. Ed; McGraw-Hill; 1988.
7. E. Jordan, K. Balmain, "Electromagnetic Waves and Radiating Systems", Prentice Hall, 1968
8 S. A. Schlkunoff, - Communication Eletronics - Wiley - Toppan - 1965.

serviço público federal


universidade federal do pará
instituto de tecnologia
curso de engenharia elétrica
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Sistemas de Comunicações Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TE05147 Bloco VIII, IX ou X Comunicações Elétrica
Avançadas, Antenas e
Propagação
Ementa
Sistemas de Comunicações por canal rádio móvel. Telefonia Celular. Comunicações por satélites
Geosíncronos. Comunicações por satélites de baixas órbitas. Tecnologias para Transmissão de Dados em
alta velocidade por fibras ópticas. Metodologias para dimensionamento de Sistemas de Comunicações.
Tópicos especiais sobre tecnologias emergentes.
Bibliografia Básica:
1. K. Swiak, “Radiowave Propagation and Antennas for Personal Communications”, Artech House, 1995.
2. M.D. Yacoub, “Foundations of Mobile Radio Engineering”, CRC, 1993.
3. J. D. Parsons, “The Mobile Radio Propagation Channel”, John Wiley, 1992.
Bibliografia Complementar:
4. J. D. Gibson, Ed., “The Communications Handbook”, CRC-IEEE Press, 1997.
5. A. Jamalipur, “Low Earth Orbital Satellites for Personal Communication Network”, Artech House, 1998.
6. S. Ohmori et al., “Mobile Satellites Communications”, Artech House, 1998.
7. B. R. Elbert, “The satellites Communications Handbook”, Artech House, 1997.
8. M. Sexton and A. Reid, “Broadbend Networking: ATM, SDH and SONET”, Artech House, 1997.

79
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Comunicações Ópticas Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TE05148 Bloco VIII, IX ou X Teoria das Elétrica
Comunicações,
Circuitos Elétricos II
Ementa
Introdução aos sistemas de comunicações ópticas. Fibras Ópticas: Dispositivos e componentes para
comunicações ópticas. Sistemas ópticos.
Bibliografia Básica:
1.G. Keiser, "Optical Fiber Communications", Mac-Graw Hill, 2000.
2.G. P. Agrawal, "Fiber-Optic Communication Systems", John Wiley & Sons, 1998
3.G. Keiser, "Optical Essential", Mac-Graw Hill, 2004.
Bibliografia Complementar:
4.G. P. Agrawal, "Fiber-Optic Communication Systems", John Wiley & Sons, 1998, 2002 2nd Ed.
5.R. Ramaswami e K.N. Sivarajan, “Optical Networks: A Pratical Perspective”, Morgan e Kaufmann, 2000
6.C. S. R. Murthy e M. Gurusamy, ”WDM Optical Networks: Concepts, Design, and Algorithms”, Prentice Hall, 2002
7.M. S. Assis, "Teoria Matemática da Difração", Apostila da PUC, 1977
8. J. D. Gibson, Ed., “The Communications Handbook”, CRC-IEEE Press, 1997.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Microondas Semanal 6 0 6
Semestral 90 0 90
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Teoria das Elétrica
Comunicações,
Circuitos Elétricos II
Ementa
Introdução, Estruturas para transmissão de microondas, Teoria de Circuitos para Sistemas de
Microondas, Transformação e Casamento de Impedâncias, Dispositivos Passivos de Microondas e suas
Aplicações, Ressoadores e Filtros de Microondas, Dispositivos Ativos de Microondas e suas Aplicações,
Circuitos Planares de Microondas, Aplicações Industriais de Microondas, Prática de Laboratório.
Bibliografia Básica
1. Collin, R. E., Foundations for Microwave Engineering, Mc Graw-Hill International Editions, 1992.
2. Collier, R. J. e Skinner, A. D., Microwave Measurements, Third Edition, The Institution of Engineering and
Technology, 2007.
3. Sisodia, M. L. e Raghuvanshi G. S., Microwave Circuits and Passive Devices, John Wiley & Sons, 1987.
Bibliografia Complementar
4. Liao, S. Y., Microwave Circuits Analysis and Amplifier Design, Prentice-Hall International Editions, 1987.
5. Chan, T. V. C. T. e Reader, H. C., Understanding Microwave Heating Cavities, 2000.
6. Kinayman, N. e Aksun, M. Y., Modern Microwave Circuits, Artech House, 2005.
7. Scott, A. W., Understanding Microwaves, John Wiley& Sons, Inc., 1993.
8. Gupta, K. C., Microwaves, Halted Press, 1979.
9. Neets – Microwave Principles, Navy Electricityand Training Series, Module 11, 1998.

80
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Redes de Computadores Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TE05167 Bloco VIII, IX ou X Teoria das Elétrica
Comunicações,
Ementa
Introdução a Redes de Computadores e à Internet. Arquitetura em Camadas. Camada Física. Cabeamento
metálico e óptico. Camada de enlace de dados. A subcamada de controle de acesso ao meio.
Equipamentos de Interconexão de redes. Redes Locais sem Fio. Redes de Alta velocidade. Projeto e
especificação de Infra-estrutura de Redes.
Bibliografia Básica:
1.Tanenbaum, Andrew: “Redes de Computadores”. Tradução da 4ª edição. Editora Campus. 2003
2.G. P. Agrawal, "Fiber-Optic Communication Systems", John Wiley & Sons, 1998
3. Alves, Luis – “ Comunicação de Dados , 2a. edição – Makron Books
Bibliografia Complementar:
4. Kurose, J. F.; Ross, K. W. Redes de Computadores e a Internet: Uma Nova Abordagem. São
Paulo: Pearson Brasil, 2004.
5.Balachander, Krishnamurthy & Jeniffer Rexford. Redes para a Web. Campus, 2001
6. Costa, D. Java em Rede: Programação Distribuída na Internet. Editora: Brasport, 2008.
7 .Siqueira. L. Desenvolvimento Web – Vol 6. Editora: Linux New Media do Brasil, 2008.
8. Albuquerque, F. TCP/IP Internet: Programação de Sistemas Distribuídos. Editora: Axcel Books, 2001

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Redes Moveis Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TE05185 Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Ementa
Serviços e aplicações móveis, canal de transmissão sem fio, métodos de acesso, GSM e UMTS, sistemas via
satélite, padrão 802.11 sistemas WLAN, Sistemas Mesh, WiMAX, IP Móvel.
Bibliografia Básica:
1.W.C.Y. Lee, “Mobile Cellular Telecommunications”, McGraw- Hill, 1990.
2.J. Schiller, “Mobile Communication” Addison Wesley, 2000.
3.T.S. Rappaport, “Wireless Communications: Principle and Practice”, 2nd Edição. Prentice Hall, 2002.
Bibliografia Complementar:
4.M.D. Yacoub, “Wireless Technology: Protocols, Standard and Techniques”, CRC Press, 2001.
5.K.Pahlavan, P. Krishnamurthy, “Principles of Wireless Networks”, 2002.
6.H. Holma, A. Toskala, “WCDMA fo r UMTS: Radio Access for Third Generation Mobile
Communications”,2002
7.R. Ramaswami e K.N. Sivarajan, “Optical Networks: A Pratical Perspective”, Morgan e Kaufmann, 2000
8.C. S. R. Murthy e M. Gurusamy, ”WDM Optical Networks: Concepts, Design, and Algorithms”, Prentice Hall, 2002

81
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Processamento de Voz Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Processamento Digital Elétrica
de Sinais
Ementa
Fonética acústica – o sinal de voz: Formantes e Pitch. Análise por predição linear (LPC). Extração de parâmetros:
MFCC e PLP. Detecção de voz em ruído (VAD ou “end-point detection”). Codificação de voz. Síntese de voz.
Reconhecimento de locutor. Reconhecimento de palavras isoladas. Reconhecimento de voz para grandes
vocabulários.
Bibliografia Básica:
1. X. Huang, A. Acero, and H.W. Hon, Spoken Language Processing - A Guide to Theory, Algorithm, and System
Development, Prentice Hall, ISBN: 0-13-022616-5, 2001.
2. F. Jelinek, Statistical Methods for Speech Recognition, MIT Press, ISBN: 0-262-10066-5, 1998.
3. J. Deller, et. al., Discrete-Time Processing of Speech Signals, MacMillan Publishing Co., ISBN: 0-7803-5386-2,
2000.
Bibliografia Complementar:
4. D. Jurafsky and J.H. Martin, Speech and Language Processing: An Introduction to Natural Language Processing,
Computational Linguistics, and Speech Recognition, Prentice-Hall, ISBN: 0-13-095069-6, 2000.
5. S. Furui, Digital Speech Processing, Synthesis, and Recognition, Marcel Dekker, ISBN: 0-8247-0452-5, 2000.
6. D. O'Shaughnessy, Speech Communications: Human and Machine, IEEE Press, ISBN: 0-7803-3449-3, 2000.
7. L.R. Rabiner and B.W. Juang, Fundamentals of Speech Recognition, Prentice-Hall, ISBN: 0-13-015157-2, 1993.
8. L.R. Rabiner and R.W. Schafer, Digital Processing of Speech Signals, Prentice-Hall, ISBN: 0-13-213603-1, 1978.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Processamento de Imagens Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Processamento Digital Elétrica
de Sinais
Ementa
Aquisição e representação de imagens digitais. Sistema visual humano. Espaço de cores. Transformadas
bidimensionais. Realce de imagens. Restauração de imagens. Segmentação de imagens. Operadores
morfológicos. Compressão de imagens.
Bibliografia Básica:
1. Gonzalez, R. C.; Woods, R. E.; Processamento de Imagens Digitais, Edgard Blucher, 2000. 509 pp. ISBN:
8521202644, ISBN-13: 9788521202646
2. Pedrini, H.; Schwartz, W. R. Analise De Imagens Digitais: Principios, Algoritmos e Aplicaçoes, Thomson, 1ª
Edição, 2007. 528 pp. ISBN: 8522105952, ISBN-13: 9788522105953
3. Pratt, W. K.; Digital Image Processing: PIKS Scientific Inside, Wiley-Interscience, 4th Ed., 2007. 820 pp. ISBN-10:
0471767778, ISBN-13: 978-0471767770
Bibliografia Complementar:
4. Acharya, T.; Ray, A. K.; Image Processing: Principles and Applications, Wiley-Interscience, 2005. 472 pp. ISBN-10:
0471719986, ISBN-13: 978-0471719984
5. Jain, A. K.; Fundamentals of Digital Image Processing, Prentice-Hall, 1988. 569 pp. ISBN-10: 0133361659, ISBN-
13: 978-0133361650

82
6. Wang, Z.; Bovik, A. Modern Image Quality Assessment, Morgan & Claypool Publishers, 2006. 108 pp. ISBN-10:
1598290223, ISBN-13: 978-1598290226
7.J. Gomes e L.Velho – “Computação Gráfica: Imagem” – Ed. IMPA – 1994
8. “The Scientist and Engineer’s Guide to Digital Signal Processing” – 2nd Edition - 1999

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Sistemas de TV Digital Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Teoria das Elétrica
Comunicações
Ementa
Digitalização de sinais de vídeo. Codificação por transformada. Codificação de vídeo. Padrões de compressão.
H.261/H263, JPEG e MPEG. Codificação de áudio: MPEG e Double AC-3. Sistema MPEG-2. Padrões ATSC,
DVB e ISDTV. Modulação e codificação de canal para TV digital. Middleware e interoperabilidade.
Bibliografia Básica:
1. Digital Television, Third Edition: Satellite, Cable, Terrestrial, IPTV, Mobile TV in the DVB Framework by Herve
Benoit. Focal Press, 2008.
2. Digital Television: Technology and Standards by John F. Arnold , Michael R. Frater, and Mark R. Pickering. Wiley,
2007.
3. Antunes, Sérgio. Televisores digitais DTV. Rio de Janeiro: Antena Edições Ltda, 2006.
Bibliografia Complementar:

4. Bastos, Arilson e Fernandes, Sérgio. Televisão Digital. 2ª Edição. Rio de Janeiro: Antena Edições Técnicas Ltda,
2005.
5. Davenport, Thomas H. Reengenharia de processos. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1994.
6. Fernandes, J. L. e Silveira, G. Introdução a TV Digital interativa. Arquitetura, protocolos, padrões e práticas. João
Pessoa, Impresso, 2006.
7. Parente, André. Imagem-máquina. A era tecnológica do virtual. Rio de Janeiro: Pazulin, 1996.
8. Ross. Julio. Televisão analógica e digital. Rio de Janeiro: Antena Edições Ltda, 2007.
Bibliografia Complementar:

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Sistemas multimídia
Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Ementa
Autoria: Plataformas para Multimídia. Ferramentas de Desenvolvimento. Áudio: Propriedades Físicas do Som.
Representação Digital. Processamento e Síntese de Som. Imagens: Representação Digital, Dispositivos
Gráficos, Processamento. Desenhos: Representação de Figuras. Vídeo: Interfaces, Processamento. Animação.
Bibliografia Básica:
1. Gibson, J. D. et al. Digital Compression for Multimedia: Principles and Standards, Morgan Koufman, 1998; 57
2. Rahman, S. M. Interactive Multimedia Systems. Ed. : Idea Group Pub., 2002.
Steinmetz, R. Multimedia Fundamentals, Media Coding and Content Processing, Vol. 01, Ed. Prentice-Hall, 2002.

83
3. Morris, T. Multimedia Systems, Ed. IE-Springer-Verlag, 2000
Bibliografia Complementar:
4.M.D. Yacoub, “Wireless Technology: Protocols, Standard and Techniques”, CRC Press, 2001.
5.K.Pahlavan, P. Krishnamurthy, “Principles of Wireless Networks”, 2002.
6.H. Holma, A. Toskala, “WCDMA fo r UMTS: Radio Access for Third Generation Mobile
Communications”,2002
7.R. Ramaswami e K.N. Sivarajan, “Optical Networks: A Pratical Perspective”, Morgan e Kaufmann, 2000
8.C. S. R. Murthy e M. Gurusamy, ”WDM Optical Networks: Concepts, Design, and Algorithms”, Prentice Hall, 2002

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Instrumentação Eletrônica Semanal 4 2 6
Semestral 60 30 90
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TE05163 Bloco VIII, IX ou X Eletrônica Analógica Elétrica
II, Lab. Eletrônia
Analógica II
Ementa
Medição e Erro, Elementos da Instrumentação Eletrônica, Transdutores, Indicadores Eletromecânicos, Medição
com Pontes, Instrumentos de Medição Eletrônicos, Instrumentos Geradores de Sinais, Instrumentos Analisadores de
Sinais, Aquisição e Processamento Digital dos Sinais de Medição
Bibliografia Básica:
1. Helfrick, A. D. & Cooper W. D. 1990. Instrumentação Eletrônica Moderna e Técnicas de Medição. Prentice
Hall do Brasil.
2. Lion, K. S., 1975. Elements of Electrical and Electronic Instrumentation. Mc.Graw Hill, Tokyo, Japan.
3. Dorf, R. C., 1993. The Electrical Engineering Handbook. IEEE Press, Boca Raton FL, USA.
Bibliografia Complementar:
4. Coombs Jr, C. F., 1972. Basic Electronic Instrument Handbook. Mc.Graw Hill, New York, USA.
5. Hordeski, M. F., 1987. Transducers for Automation. Van Nostrand Reinhold Co., New York, USA.
6. Sedra, A. S. and Smith, K. C., 1991. Microelectronic Circuits. Saunders College, Fort Worth, USA.
7. Motchenbacher, C. D. and Fitchen, F. C., 1973. Low Noise Electronic Design. J. Wiley & Sons, New York
8. Fink, D., Editor-in-Chief, 1975. Electronics Engineers Handbook. Mc.Graw Hill, New York, USA.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Filtros Ativos Semanal 4 2 6
Semestral 60 30 90
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TE05164 Bloco VIII, IX ou X Circuitos Elétricos II Elétrica
Ementa
Classificação de Filtros, Métodos Matemáticos para Projeto de Filtros Lineares, Sensibilidade, Realização
de Filtros Ativos Lineares com Amplificadores Operacionais, Realização de Filtros Ativos de Ordens Altas
com Amplificadores Operacionais, Filtros com Circuitos Ativos de Capacitores Chaveados, Implementação
de Diversos Tipos de Filtros Passivos e Ativos no Laboratório.
Bibliografia Básica
1. Ghausi, M. S. and Laker, K. R. 1981. Modern Filter Design Active RC and Switched Capacitor. Prentice
Hall, NJ, USA.
2. Natarajan, S. 1987. Theory and Design of Linear Active Networks. MacMillan , New York, USA.

84
3. Chen, W. K. 1986. Passive and Active Filters Theory and Implementations. John Wiley & Sons, New York.
Bibliografia Complementar:
4. Serra, C. P. 1983. Teoria e Projeto de Filtros – Vol 1. Cartgraf Editora, Campinas, SP, Brasil.
5. Serra, C. P. 1983. Teoria e Projeto de Filtros – Vol 2. Cartgraf Editora, Campinas, SP, Brasil.
6. Sedra, A. S. and Smith, K. C., 1991. Microelectronic Circuits. Saunders College, Fort Worth, USA.
7. Motchenbacher, C. D. and Fitchen, F. C., 1973. Low Noise Electronic Design. J. Wiley & Sons, New York
8. Franco, S., 1991. Design with Operational Amplifiers and Analog Integrated Circuits. Mc.Graw Hill, New York.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Microeletrônica Semanal 4 2 6
Semestral 60 30 90
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X EletrônicaAnalógica II, Elétrica
Materiais Elétricos II
Ementa
Estudo do MOSFET. Circuitos Digitais MOS. Processos de Fabricação de Cis CMOS. Dispositivos Lógicos
Programáveis (PLDs). Projeto em Alto Nivel: Linguagem VHDL
Bibliografia Básica:
1. Adel S. Sedra e Kenneth C. Smith, "Microeletrônica", Pearson Education, 2007, 864 pág, 5ª edição,Primeira Parte.
2. Richard C. Introduction to Microelectronic Fabrication. New Jersey: Prentice Hall, 2002
3. VAI, M. Michael. VLSI Design. New York: CRC Press, 2001.
Bibliografia Complementar
4. Schmitz, Eber Assis.; BORGES, Jose Antonio dos Santos.Projeto de Circuitos Integrados. Rio de Janeiro: LTC,
1990.
5. Sze, S. M. VLSI Technology. New York: Mc Graw Hill, 1988.
6. Pucknell, Douglas A. Basic VLSI Design: Systems and Circuits. Prentice-Hall, 1988.
7. Elliot, David J. Integrated Circuit Fabrication Technology. New York: McGraw Hill, 1982.
8. P.R. Gray & R. Meyer// bra:Analysis and Design of Analog Integrated Circuits /USA/Editora John Wiley // 2ª edição
// 1984.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Princípios de Instrumentação Biomédica Semanal 4 1 5
Semestral 60 15 75
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Ementa
Conceitos Básicos de Instrumentação Biomédica. Sensores e Transdutores de Eventos Fisiológicos. Eletrodos e
Amplificadores de Biopotenciais. Medições de Pressão, Fluxo e Volume Sanguíneos. Medições no Sistema
Respiratório.
Bibliografia Básica
1. Webster, J. G. (Editor). Medical Instrumentation - Application and Design. John Wiley & Sons, 2010.
2. Feinberg, B.N. Applied Clinical Engineering. Prentice-Hall Inc., 1986.
3. Northrop, R. B. Introduction to Instrumentation and Measurements –– CRC PRESS LLC, 1997.
Bibliografia Complementar:
4. Webster, J. G. (Editor). Measurement, Instrumentation, and Sensors Handbook. CRC Press LLC, 2000.

85
5. Northrop, Robert B. Analysis and application of analog electronic circuits to biomedical instrumentation
– CRC PRESS, 2003.
6. Christe, B. L. Introduction to Biomedical Instrumentation. Cambridge University Press, 2009.
7. R Khandpur;Biomedical Instrumentation: Technology and Applications, McGraw-Hill Professional, 2004
8. John Enderle, Susan Blanchard, Joseph Bronzino;Introduction to Biomedical Engineering (second edition),
Elsevier Academic Press, 2005.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Circuitos para Comunicações Semanal 6 0 6
Semestral 90 0 90
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TE05161 Bloco VIII, IX ou X Eletrônica Analógica II, Elétrica
Teoria das Comunicações
Ementa
Sistemas de radio comunicações, Ruído Elétrico, Circuitos ressonantes e transformações de impedâncias,
Amplificadores, osciladores senoidais, PLL, Misturadores, moduladores,Receptores de AM,Receptores de FM e PM,
Receptores de TV.
Bibliografia Básica
1. Herbert L. Krauss, Charles Bostian e John H. Raab, “Solid state Radio Engineering”
John Wiley e Sons.
2. Jack Smith, “Modern Communication Circuits”, Ed. McGraw-Hill
3. Clarke, K. K. and D.T. Hess, “Communication Circuits: Analyses and Design”, Addison- Wesley.
Bibliografia Complementar
4. Bowick,C., Ajluni,C. J., Blyler,J. E.,”RF Circuit Design” , Second Edition, Editora Newnes, 2007.
5. Davis, W. A., Agarval, K. K., “Radio frequency circuit design”, John Wiley, 2001.
6. Hagen, J. B., Radio-frequency electronics: circuits and applications,Cambridge, 1996.
7. J. D. Gibson, Ed., “The Communications Handbook”, CRC-IEEE Press, 1997.
8. Roddy, D. & Coolen, J., Electronic Communications, 4th. Edition, Prentice Hall, 1990,

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Introdução à Linguagem VHDL Semanal 2 2 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Eletrônica Digital Elétrica
Ementa
Projeto digital em alto nível. Descrição de hardware em VHDL. Descrição e projeto de circuitos combinacionais e
sequenciais. Projeto com auxílio de computador: software simulador em VHDL.
Bibliografia Básica
1. Coelho, David R., The VHDL Handbook, Kluwer Academic Publishers, 1989
2. Armstrong, James R., Chip-Level Modeling With VHDL, Prentice-Hall, 1989.
3. Perry, Douglas L., VHDL, McGraw-Hill, 2nd Edition, 1994.
Bibliografia Complementar
4. Pellerin, David & Taylor, Douglas, VHDL Made Easy!, Prentice-Hall, 1997.
5. Ashenden, Peter J., The VHDL Cookbook, University of Adelaide, Australia, First Edition, July.
6. Santos, Edval P., Suzim, Altamiro A. & Mesquita Jr., Alberto C., Teaching Undergraduates to Design with VHDL.

86
Artigo publicado em XII SBMICRO Conference Proceedings, Caxambu (MG), Brasil, 1997.

7. Mentor Graphics, An Introduction to Modeling in VHDL, Student Workbook V8.0, Oregon, USA, 1991.
8. Reese, Bob, Logic Synthesis with VHDL, Mississippi State University.
9. Accolade Design Automation, User’s Guide to Accolade PeakVHDL. 1997.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Controle Digital Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TE05159 Bloco VIII, IX ou X Sistema de Controle II Elétrica
Ementa
Motivação para o uso de Controladores Digitais. Estratégias de Projeto de Controlador Digital. Projetos Indiretos de
Controladores Digitais, Projetos Diretos de Controladores Digitais: Baseado no LGR, Resposta em Freqüência e por
Realimentação de Estados; Implementação Prática de Controladores Digitais; Sistemas de Aquisição de Dados,
Interligação das Placas de Interface com os Conversores, Programação da Lei de Controle, Sistema de
Condicionamento de Sinal, Sistemas de Atuação, Implementação em Microcontroladores e Sistemas Embarcados;
Projetos Diretos Avançados de Controladores Digitais: Por Alocação de Pólos, Método de Variância Mínima e
Controle Preditivo Generalizado; Introdução à identificação Paramétrica de Sistemas.
Bibliografia Básica
1. De Souza, C.P e Costa Filho, J.T., “Controle por Computador”. EDUFMA, 2001.
2. Coelho, A.A.R. e Coelho, L.S., “Identificação de Sistemas Dinâmicos Lineares”. Editora da UFSC, 2004.
3. Gene F. Franklin, J. David Powell, Michael L. Workman, “Digital Control of Dynamic Systems”. 3rd Edition, Addison-
Wesley, 1997.
Bibliografia Complementar
4. Ioan D. Landau and Gianluca Zito. “Digital Control Systems: Design, Identification and Implementation
(Communications and Control Engineering)” Springer, 2006.
5.Charles L. Phillips, Royce D. Harbour, “Feedback Control Systems”. Prentice-Hall, 1988.
6.Charles L. Phillips, H. Troy Nagle Jr., “Digital Control Systems Analysis and Design”. Prentice-Hall 1984.
7.Katsuhiko Ogata, “Engenharia de Controle Moderno”. Prentice-Hall do Brasil Ltda., 1993.
8.Norman S. Nise, “Engenharia de Sistemas de Controle”, LTC, 3ª Edição, 2000;

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Introdução à Robótica Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60

87
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TE05170 Bloco VIII, IX ou X Sistema de Controle II Elétrica
Ementa
Classificação, Componentes e Hierarquia de Robôs Industriais. Transformações Homogênea: Translação, Rotação,
Relativa e Representação de Sólidos. Modelo Cinemático: Direto e Inverso e Modelo Dinâmico: Equações de
Lagrange. Carga e Transmissão Mecânica. Servomotores. Controle de Junta: Malha aberta e Fechada. Controle
Espacial: Explicito e Implícito. Simulação do Movimento de Robôs. Aplicações de Robôs.
Bibliografia Básica
1. Alves, J. B. M, “Controle de Robô” – Cartagraf, 1988.
2. Richard, P. , “Robot Manipulators: Mathematics, Programming, and Control” – The MIT Press.
3. Asada, H. and J. E. Slotine, “Robot Analysis and Control”- John Wiley
Complementar
4. Craig, J.J.; Introduction to Robotics: Mechanics & Control. Addison-Wesley. 1986
5. Silva, O.F. Análise do Desempenho de Servocontroladores para Robô Industrial. Dissertação de Mestrado, UFRJ,
1987.
6. Åstrom,K.J. and Wittenmark,B.; Computer Controled Systems Theory, 1984.
7. Singh, K. & Agnihotri, G. System Design through Matlab, Controol Toolbox and Simulink. Springer. 2001
8. Franklin, G. and Powell,J.; Digital Control of Dynamic Systems,1980.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Sistemas não-lineares Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TE Bloco VIII, IX ou X
Sistema de Controle II Elétrica
Ementa
Porque Controle Não-Linear, Comportamento de Sistemas Não-Lineares; Análise pelo Plano de Fase; Fundamentos
da Teoria de Lyapunov: Sistemas Não-Lineares e Pontos de Equilíbrio, Conceitos de Estabilidade, Linearização e
Estabilidade Local, Método Direto de Lyapunov, Análise de Sistemas Baseado no Método Direto de Lyapunov ;
Análise por Função Descritiva; Projeto de Controle Não-Linear: Linearização em torno de um Ponto de Equilíbrio,
Linearização Exata por realimentação, Projeto de Controle Robusto, Introdução ao Controle Inteligente: Lógica e
Controle Difuso; Aplicações
Bibliografia Básica
1.Slotine, J.J.E.; Li, W. - “Applied Nonlinear Control”, Prentice Hall, 1991. [Livro Texto ]
2.Castrucci, P.B.L., Curti, R., “Sistemas Não-Lineares”. Editora Edgar Blücher Ltda, Volume 2, 1981.
3.Ogata, K. “Engenharia de Controle Moderno”. 1a Edição, LTC, 1970.
Bibliografia Complementar
4.D’Azzo, J., Houpis, C.H., “Linear Control Systems Analysis and Design”, McGraw-Hill, 1975.
5.Gustavo Vitorino Monteiro da Silva, “Controlo Não Linear”, Escola Superior de Tecnologia de Setúbal, 2003.
6. Philips, C.L. and Nagler Jr.,H.T.; Digital Control System - Analysis and Design,1984.
7. Khalil, Hassan K Prentice Hall, Nonlinear Systems,1996
8. Isidori, A., Nonlinear Control Systems – An Introduction, Springer Verlag 1989

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Introdução ao Controle Ótimo Semanal 4 0 4

88
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Sistema de Controle II Elétrica
Ementa
Conceitos Fundamentais: Função objetiva, restrições e conjunto de soluções viáveis, Tipos de problemas de
programação matemática: programação linear, não-linear, inteira, Revisão de tópicos selecionados de cálculo:
Gradiente, Matriz Hessiana e Série de Taylor; Métodos de Busca Unidimensional; Métodos de programação Não
Linear Sem Restrições: Método do gradiente, Método de Newton, Direções conjugadas, Método de Fletcher-Reeves,
Algoritmo geral de ParTan, Método dos poliedros flexíveis; Métodos de Programação Não Linear Com Restrição:
Método da Função Penalidade; Programação Linear: Método simplex. Introdução ao Controle Ótimo: Formulação do
problema do controle ótimo, Índices de desempenho e restrições, Exemplos de problemas de controle que envolvem
otimização; Cálculo das Variações: Funcional linear e variação de um funcional, Minimização de funcionais de uma
só função: Equação de Euler e condições de transversalidade, Minimização de funcionais de múltiplas funções,
Minimização de funcionais com restrições: Equação de Euler-Lagrange; Problemas de controle ótimo determinístico:
Problema do regulador linear ótimo quadrático (LQR) e suas variações, Princípio do mínimo de Pontryagin, Problema
do tempo mínimo, Problema do mínimo esforço de controle.
Bibliografia
1. Himmelblau, D. M., “Applied Non-Linear Programming”.
2. Donald Kirk, “An introduction to the Optimal Control Theory”. Prentice-Hall, 1970.
3. Theodore F. Elbert, “Estimation and Control of Systems”. Van Nostrand Reinhold Company, 1984.
Bibliografia Complementar:
4.Stengel, Robert F. “Optimal Control and Estimation”. Dover Books on
Advanced Mathematics Paperback, 1994.
5.Bertsekas, Dimitri P. “Dynamic Programming and Optimal Control”.
Hardcover, 2007.
6.Lewis ,Frank L. & Syrmos , Vassilis L. “Optimal Control”, 2nd
Edition by. Hardcover, 1995.
7.Athans, Michael & Falb, Peter L. “Optimal Control: An Introduction to
the Theory and Its Applications” Dover Books on Engineering Paperback,
2006.
8. Anderson, Brian D. O. & Moore, John B. “Optimal Control: Linear
Quadratic Methods” Dover Books on Engineering Paperback, 2007.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Inteligência Computacional Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Sistema de Controle II Computação
Ementa
Da inteligência artificial à inteligência computacional. Inteligência computacional simbólica. Inteligência
computacional conexionista. Inteligência computacional evolucionária. Inteligência computacional híbrida. Teoria de
problemas. Máquina de Turing. Complexidade. Busca heurística. Lógica: lógica de primeira ordem. Prova automática
de teoremas. Lógica de ordem superior. Lógica Fuzzy. Redes neurais artificiais. Modelo do Neurônio, Topologias de
redes neurais artificiais. Representação do conhecimento. Principais paradigmas de redes neurais artificiais.
Sistemas Fuzzy: conjuntos nebulosos. Conjunto de regras Fuzzy. Mecanismos de raciocínio. Algoritmos genéticos.
Programação evolutiva. Estratégias evolutivas. Aplicações da inteligência computacional.
Bibliografia Básica

1. Russell, S.; Novig, P. - Inteligência Artificial, Elsevier Editora Ltda, 1ª. Edição, 2004.
2. Haykin, S. - Redes Neurais - Princípios e Prática, Bookman Companhia Editora, 2ª. Edição, 2001.
3. Shaw, I. S.; Simões, M. G. - Controle e Modelagem Fuzzy, Editora Edgard Blucher Ltda, 1ª. Edição, 2001.
Bibliografia Complementar

89
4. Giarratano, J. C.; Riley, G. - Expert Systems: Principles and Programming, Course Technology, 4a.
Edição, 2004.
5. Goldberg, D. E. - Genetic Algorithms in Search, Optimization, and Machine Learning, Addison-Wesley
Professional, 1a. Edição, 1989.
6. Nascimento Jr., C. L.; Yoneyama, T. - Inteligência Artificial em
Controle e Automação, Editora Edgard Blucher Ltda, 1ª. Edição, 2002
(1a. reimpressão).
7. Wang, Li-Xin - A Course in Fuzzy Systems and Control, Prentice Hall PTR,
1a. Edição, 1997.
8. Barreto, J. M. - Inteligência artificial no limiar do Século XXI –
abordagem híbrida: simbólica, conexionista e evolucionária, Editora
UFSC Florianópolis, 2ª. Edição, 1999.ρρρ

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Tópicos Especiais em Engenharia Elétrica I Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Ementa
Tópicos modernos e avançados da área da engenharia elétrica
Bibliografia

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Tópicos Especiais em Engenharia Elétrica II Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Ementa
Tópicos modernos e avançados da área da engenharia elétrica
Bibliografia
Aberta

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Tópicos Especiais em Engenharia Elétrica III Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60

90
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Ementa
Tópicos modernos e avançados da área da engenharia elétrica
Bibliografia
Aberta

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Tópicos Especiais em Engenharia Elétrica IV Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Ementa
Tópicos modernos e avançados da área da engenharia elétrica
Bibliografia
Aberta

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL


UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
Carga Horária (h)
Teórica Prática Total
Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS Semanal 4 0 4
Semestral 60 0 60
Caráter Código Período Pré-requisitos Faculdade
Optativa TExxxxx Bloco VIII, IX ou X Elétrica
Ementa
Familiarização do discente com o mundo da surdez. O sujeito surdo em um mundo ouvinte. Apresentação e
desenvolvimento da língua brasileira de sinais. Libras como língua legitima da comunidade surda e os sinais como
alternativa natural para a expressão lingüística. A língua portuguesa como uma segunda língua, instrumental para o
desenvolvimento da leitura e escrita pelo aprendiz surdo.
Bibliografia
Básica
1. Skliar, C. A surdez: um olhar sobre as diferenças; Porto Alegre: Mediação, 1998.
2. Sacks, O. Vendo vozes: uma jornada pelo mundo dos surdos; Rio de Janeiro: Imago, 1990.
3. Maestri, E. Orientações à família do portador de deficiência auditiva. Curitiba - PR 1995, 5p.
Complementar
1. Andrade, V. F. de. Os direitos dos Surdos e a legislação em vigor - IV Encontro Nacional de Pais e Amigos dos Surdos
(ENPAS). Fortaleza CE, 1993.
2. Dória, Ana Rímoli de Faria. Manual de Educação da Criança Surda. INES, MEC. RJ, 1989.
3. Carvalho, Ilza Silva de e Castro, Alberto. Comunicação por Língua Brasileira de Sinais, editora SENAC, 2005.
4. Honora, Márcia e Frizanco, Mary Lopes E., Editora: Ciranda Cultural, ISBN: 978-85-380-0492-9.
5. Capovilla, Fernando César e Raphael, Walkiria Duarte. Dicionário Enciclopédico Ilustrado Trilíngue: Língua de Sinais
Brasileira. Editora EDUSP. ISBN 10: 85-314-0669-2

91
ANEXO VIII

Documentos Legais que Subsidiaram a Elaboração do Projeto Pedagógico

1] Cavalcante, G., Contribuições ao Projeto Pedagógico do curso de Elétrica, 2004.


[2] MEC, Resolução CNE/CES11, Diretrizes Curriculares para Cursos de Engenharia, 2002.

92
[3] Cardoso, E.P., Menezes, C.S., Um Projeto Pedagógico para o Curso de Engenharia Elétrica,
COBENGE, 2003.
[4] Conselho Universitário, Regulamento Acadêmico, Resolução 580, 1992.
[5] “Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia”, Conselho Nacional
de Educação; Câmara de Educação Superior; Resolução CNE/CES de 11 de Março de 2002, Diário
Oficial da União, Brasília, 09/04/2002; Seção 1, pag32.
http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES112002.pdf
[6] IEEE - Institute of Electrical and Electronics Engineers - http://www.ieee.org/portal/site
[7] ABET- Accreditation Board for Engineering and Technology - http://www.abet.org/
[8] CONFEA – Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, Resolução no 1.010, de
22 de agosto de 2005 - Publicada no D.O.U de 4 de setembro de 2006 – Seção 1 Pág. 116 a 118.
http://www.confea.org.br.
[9] Resolução CES Nº 01 de 27 de Janeiro de 1999, Diário Oficial da União, Brasília, 03/02/1999;
Seção 1, pag13.

Anexo IX

Quadro de equivalência entre componentes curriculares antigos e novos

Código Currículo Pleno 2002 PPC Proposto/2010

93
(2002)
EN01083 Álgebra Linear Álgebra Linear
TE05152 Análise de Sistemas de Energia I Análise de Sistemas de Energia I
TE05153 Análise de Sistemas de Energia II Análise de Sistemas de Energia II
TE05135 Análise de Sistemas Lineares Análise de Sistemas Lineares
TE05145 Antenas e Propagação Propagação
- Atividades Complementares em Engenharia
Elétrica
- Atividades de Extensão em Engenharia Elétrica
I
- Atividades de Extensão em Engenharia Elétrica
II
TE11036 Automação Industrial Automação Industrial
EN01068 Cálculo I Cálculo I
EN01069 Cálculo II Cálculo II
EN01007 Cálculo III Cálculo III
EN01008 Cálculo IV Cálculo IV
EN01035 Cálculo Numérico Cálculo Numérico
TE05112 Circuitos Elétricos I Circuitos Elétricos I
TE05113 Circuitos Elétricos II Circuitos Elétricos II
TE05161 Circuitos para Comunicações Circuitos para Comunicações
TE05175 Comunicações Avançadas Comunicações Avançadas
TE05108 Comunicações Óticas Comunicações Óticas
TE05159 Controle Digital Controle Digital
TE05128 Conversão de Energia I Conversão de Energia I
TE05129 Conversão de Energia II Conversão de Energia II
TE07013 Desenho Técnico Desenho Técnico para Engenharia
CJ03006 Legislação Aplicada Direito e Legislação
TE05151 Distribuição de Energia Distribuição de Energia
- Eficiência Energética
TE05121 Eletrônica Analógica I Eletrônica Analógica I
TE05122 Eletrônica Analógica II Eletrônica Analógica II
TE05125 Eletrônica Digital Eletrônica Digital
TE05107 Eletrônica de Potência Eletrônica de Potência
TE05139 Estágio Supervisionado Estágio Supervisionado
TE06033 Fenômeno de Transporte I Fenômeno de Transporte I
TE05164 Filtros Ativos Filtros Ativos
EN02079 Física Fundamental I Física Fundamental I
- Física Fundamental III
EN01056 Funções de uma Variável Complexa Funções de uma Variável Complexa
EN01054 Funções Especiais para Engenharia Funções Especiais para Engenharia
TE02142 Fundamentos de Mecânica dos Sólidos Fundamentos de Mecânica dos Sólidos
TE05174 Geração de Energia Geração de Energia
TE05132 Instalações Elétricas Instalações Elétricas
TE05156 Instalações Elétricas Industriais Instalações Elétricas Industriais
TE05163 Instrumentação Eletrônica Instrumentação Eletrônica
Inteligência Computacional Inteligência Computacional
EN05001 Introdução às Ciências dos Computadores Programação Estruturada de Computadores
TE03032 Introdução à Ciência do Ambiente Introdução à Ciência do Ambiente

94
- Introdução à Linguagem VHDL
TE05170 Introdução à Robótica Introdução à Robótica
TE05160 Introdução às Técnicas de Otimização Introdução ao Controle Ótimo
- Introdução às Energias Renováveis
TE05154 Laboratório de Sistemas de Energia I Laboratório de Sistemas de Energia I
TE05155 Laboratório de Sistemas de Energia II Laboratório de Sistemas de Energia II
TE01020 Laboratório de Automação Industrial Laboratório de Automação Industrial
TE05114 Laboratório de Circuitos Elétricos I Laboratório de Circuitos Elétricos I
TE05115 Laboratório de Circuitos Elétricos II Laboratório de Circuitos Elétricos II
TE05120 Laboratório de Comunicações Laboratório de Comunicações
TE05130 Laboratório de Conversão de Energia Laboratório de Conversão de Energia
TE05118 Laboratório de Eletromagnetismo Laboratório de Eletromagnestismo
TE05123 Laboratório de Eletrônica Analógica I Laboratório de Eletrônica Analógica I
TE05124 Laboratório de Eletrônica Analógica II Laboratório de Eletrônica Analógica II
TE05126 Laboratório de Eletrônica Digital Laboratório de Eletrônica Digital
EN02083 Laboratório Básico I Laboratório de Física
TE05138 Laboratório de Sistemas de Controle Laboratório de Sistemas de Controle
- Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS
TE05133 Materiais Elétricos I Materiais Elétricos
- Metodologia Científica
TE05165 Microeletrônica Microeletrônica
TE05144 Microondas Microondas
TE05127 Microprocessadores Microprocessadores
SE05031 Administração Gerencial Noções de Administração para Engenheiros
SE03025 Economia para Engenheiros Noções de Economia para Engenheiros
- Princípios de Instrumentação Biomédica
TE05142 Probabilidade e Processos Estocásticos Probabilidade e Estatística
- Processamento de Imagens
- Processamento de Voz
Processamento Digital de Sinais
TE05142 Probabilidade e Processos Estocásticos Processos Estocásticos
TE05020 Proteção de Sistemas de Energia Proteção de Sistemas de Energia
EN03037 Química Geral Experimental I Química Geral Experimental I
EN03036 Química Geral Teórica I Química Geral Teórica I
TE05172 Redes de Computadores Redes de Computadores
TE05046 Redes Móveis Redes Móveis
TE05141 Seminários em Engenharia Elétrica -
TE05147 Sistemas de Comunicações Sistemas de Comunicações
TE05136 Sistemas de Controle I Sistemas de Controle I
TE05137 Sistemas de Controle II Sistemas de Controle II
TE05131 Sistemas de Energia Elétrica Sistemas de Energia Elétrica
- Sistemas de TV Digital
- Sistemas Multimídia
- Sistemas não-lineares
- Técnicas de Alta Tensão
EN05109 Técnicas e Linguagens de Programação Técnicas e Linguagens de Programação
TE05119 Teoria de Comunicações Teoria de Comunicações
TE05116 Teoria Eletromagnética I Teoria Eletromagnética I

95
TE05117 Teoria Eletromagnética II Teoria Eletromagnética II
- Tópicos em Engenharia Elétrica I
- Tópicos em Engenharia Elétrica II
- Tópicos em Engenharia Elétrica III
- Tópicos em Engenharia Elétrica IV
TE05140 Trabalho de Conclusão de Curso Trabalho de Conclusão de Curso
TE05109 Transmissão de Dados e Teleprocessamento Transmissão de Dados e Teleprocessamento
TE05091 Transmissão de Energia Transmissão de Energia

ANEXO X

Declaração de aprovação da oferta (ou possibilidade de oferta) da(s) atividade(s)


curricular(es) pela unidade responsável

96
ATÉ A PRESENTE DATA SEMPRE HOUVE A GARANTIA DA INSTITUIÇÃO
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ, ATRAVÉS DAS UNIDADES RESPONSÁVEIS, PELA
OFERTA DAS ATIVIDADES CURRICULARES QUE COMPÕEM O CURSO DE
ENGENHARIA ELÉTRICA. PORTANTO, TEMOS A CERTEZA DE QUE A OFERTA DAS
ATIVIDADES CURRICULARES CONTINUARÃO SENDO GARANTIDAS PELA UNIDADES
RESPONSÁVEIS.

ANEXO XI

Declaração da(s) Unidade(s) responsável(is) pelo atendimento das necessidades


referentes a infra-estrutura física e humana, esclarecendo a forma de viabilizá-la(s)

97
ATUALMENTE TODAS AS ATIVIDADES CURRICULARES SÃO OFERTADAS
USANDO-SE A INFRA-ESTRUTURA JÁ EXISTENTE, A SABER: TRÊS SALAS DE
AULAS DO PAVILHÃO AP, DUAS SALAS DE AULA DO PAVILHÃO BP, UM
LABORATÓRIO DE COMPUTAÇÃO NO PAVILHÃO DE AULAS, E OS
LABORATÓRIOS DE ENSINO NO PRÉDIO LEEC. O PLANEJAMENTO DEVE
INCLUIR A IMPLEMENTAÇÃO E REVITALIZAÇÃO DOS RECURSOS DE INFRA-
ESTRUTURA FÍSICA CITADOS NO PPC.

ANEXO XII - Minuta de Resolução

RESOLUÇÃO Nº DE DE

98
EMENTA: Define o Currículo do Curso de Graduação em Engenharia Elétrica e Altera a
Resolução 2510/97 - CONSEP de 11 de agosto de 1997.
O Reitor da Universidade Federal do Pará, no uso das atribuições que lhe conferem o Estatuto e o
Regimento Geral e considerando o que define o inciso II, do Art. 53 da Lei nº9394/96, cumprindo a
decisão da Colenda Câmara de Ensino de Graduação (Parecer nº.____) em conformidade com o Projeto
Pedagógico do curso de Engenharia Elétrica aprovado em ___/___/___ pelo CONSEP promulga a
seguinte

RESOLUÇÃO

Art. 1º O objetivo do curso de graduação em Engenharia Elétrica é formar profissionais


em Engenharia Elétrica com perfil generalista, através de uma formação acadêmica que os
capacitem para a solução de problemas do mundo real, aplicando os conhecimentos
adquiridos ao longo do curso, possibilitando atuarem em uma das seguintes áreas
específicas de formação: Eletrônica, Controle e Automação, Telecomunicações e Sistemas
de potência.
Art. 2º O perfil do egresso desejado pelo Curso de Engenharia Elétrica é de um
profissional que tenha: Sólido conhecimento e domínio do processo de realizar projetos
para construir a solução de problemas com base técnico-científica; Capacidade de
absorver e desenvolver novas tecnologias, aplicando os conhecimentos adquiridos ao
longo do curso, em consonância com a evolução do setor elétrico e contribuindo na busca
de soluções nas diferentes áreas de aplicação; Formação com habilidade para atuar de
forma crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus
aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais com visão ética e
humanística, em atendimento às demandas da sociedade.
Art. 3º O currículo do Curso de Graduação em Engenharia Elétrica prevê atividades
curriculares objetivando o desenvolvimento das habilidades e competências, conforme
discriminado no Anexo I.
Art. 4º O curso de Graduação em Engenharia Elétrica, constituir-se-á de três núcleos:
Núcleo de Formação Básica, Núcleo de Formação Profissionalizante e o Núcleo de
Formação Específica.
Art. 5º A matrícula na disciplina Estágio Supervisionado somente será efetivada a partir
do oitavo semestre do curso com duração de 180 horas. O Estágio Supervisionado deverá
preferencialmente ser realizado em empresas que mantenham contrato/convênio para
estágio com a UFPA ou na própria Instituição. O estágio deve efetivamente contribuir para
a formação do Engenheiro Eletricista.

99
Art. 6º A finalidade do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) será a de avaliar o
desempenho do discente tendo em vista os objetivos gerais e o perfil do egresso
pretendido para o curso e de acordo com o projeto pedagógico. O discente poderá
matricular-se no TCC, com duração de 180 horas, a partir do nono semestre do curso.
Art. 7º A duração do Curso será de cinco (5) anos.
Parágrafo Único: O tempo de permanência do aluno no curso não poderá ultrapassar sete
anos e meio (7,5 anos).
Art. 8º Para integralização do currículo do curso o aluno deverá ter concluído 4.200 horas,
assim distribuídas:
I- 1410 horas de Atividades Curriculares do Núcleo de Formação Básica.
II- 1650 horas de Atividades Curriculares do Núcleo de Formação
Profissionalizante.
III- 1140 horas de Atividades Curriculares do Núcleo de Formação Específica.
Art. 9º Caberá ao Conselho da Faculdade instituir uma comissão interna para avaliação e
acompanhamento do Projeto Pedagógico do Curso.
Art. 10 A presente resolução entra em vigor a partir de janeiro de 2012, contemplando os
alunos ingressantes a partir do ano 2012 e revogando-se todas as disposições em
contrário.

100
Anexos (da Resolução)

I - Demonstrativo das Atividades Curriculares por Habilidades e Competências

Habilidades e competências Atividades curriculares


Capacidade de desenvolvimento e aplicação de Cálculo I
Cálculo II
modelos matemáticos e físicos a partir de
Cálculo III
informações sistematizadas; Cálculo IV
Álgebra Linear
Capacidade de obtenção e sistematização de
Funções de uma Variável Complexa
informações; Funções Especiais para Engenharia
Cálculo Numérico
Aplicar conhecimentos matemáticos, científicos
Probabilidade e Estatística
tecnológicos e instrumentais à Engenharia Elétrica; Processos Estocásticos
Física Fundamental I
Projetar e conduzir experimentos e interpretar
Física Fundamental III
resultados; Laboratório de Física
Química Geral Teórica I
Conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e
Química Geral Experimental I
processos da Engenharia Elétrica; Desenho Técnico para Engenharia
Programação Estruturada de Computadores
Planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos
Técnicas e Linguagens de Programação
e serviços de Engenharia Elétrica; Fenômenos dos Transportes I
Fundamentos de Mecânica dos Sólidos
Identificar, formular e resolver problemas de
Circuitos Elétricos I
Engenharia Elétrica; Circuitos Elétricos II
Laboratório de Circuitos Elétricos I
Desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e
Laboratório de Circuitos Elétricos II
técnicas à Engenharia Elétrica; Teoria Eletromagnética I
Teoria Eletromagnética II
Capacidade de gerenciamento, operação e
Laboratório de Eletromagnetismo
manutenção de sistemas e processos de Engenharia Teoria das Comunicações
Processamento Digital de Sinais
Elétrica;
Laboratório de Comunicações
Avaliar criticamente a operação e a manutenção de Eletrônica Digital
sistemas elétricos; Laboratório de Eletrônica Digital
Microprocessadores
Eletrônica Analógica I
Eletrônica Analógica II
Laboratório de Eletrônica Analógica I
Laboratório de Eletrônica Analógica II
Eletrônica de Potência
Materiais Elétricos
Análise de sistemas Lineares
Sistemas de Controle I
Sistemas de Controle II
Laboratório de Sistemas de Controle
Automação Industrial
Laboratório de Automação Industrial
Conversão de Energia I
Conversão de Energia II
Laboratório de Conversão de Energia
Sistemas de Energia Elétrica
Instalações Elétricas
Disciplina Optativa 1
Disciplina Optativa 2
Disciplina Optativa 3

101
Disciplina Optativa 4
Trabalho de Conclusão de Curso
Estágio Supervisionado

Comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral Noções de Economia para Engenheiros
Atividades de Extensão em Engenharia Elétrica I
e gráfica;
Atividades de Extensão em Engenharia Elétrica II
Atuar em equipes multidisciplinares; Atividades Complementares em Engenharia Elétrica
Direito e Legislação
Compreender e aplicar à ética e a responsabilidades
Noções de Administração para Engenheiros
profissionais; Introdução a Ciência do Ambiente
Metodologia Científica e Tecnológica
Avaliar o impacto das atividades da Engenharia
Elétrica no contexto social e ambiental;
Avaliar a viabilidade econômica de Projetos de
Engenharia Elétrica;
Assumir a postura de permanente busca de
atualização profissional;

102
II - Desenho Curricular do Curso

Núcleo Área Atividade Curricular C.H


I. Formação 1. Cálculo I 90
Básica 2. Cálculo II 90
3. Cálculo III 60
4. Cálculo IV 60
5. Álgebra Linear 90
Matemática
6. Funções de uma Variável Complexa 60
7. Funções Especiais para Engenharia 60
8. Cálculo Numérico 60
9. Probabilidade e Estatística 60
10. Processos Estocásticos 45
1. Física Fundamental I 60
Física 2. Física Fundamental III 60
3. Laboratório de Física 60
1. Química Geral Teórica I 60
Química
2. Química Geral Experimental I 45
Desenho 1. Desenho Técnico para Engenharia 60
1.Programação Estruturada de Computadores 60
Informática
2. Técnicas e Linguagens de Programação 60
Engenharia Química 1. Fenômenos dos Transportes I 60
Ciências 1. Noções de Economia para Engenheiros 30
Econômicas
Ciências Jurídicas 1. Direito e Legislação 30
Construção Civil 1. Fundamentos de Mecânica dos Sólidos 60
Administração 1. Noções de Administração para Engenheiros 30
Engenharia Sanitária 1. Introdução a Ciência do Ambiente 30
e Ambiental
Pedagogia 1. Metodologia Científica e Tecnológica 30
Total do Núcleo 1410
II. Formação 1. Circuitos Elétricos I 75
Profissionalizante 2. Circuitos Elétricos II 60
Circuitos Elétricos
3. Laboratório de Circuitos Elétricos I 30
4. Laboratório de Circuitos Elétricos II 30
1. Teoria Eletromagnética I 75
Eletromagnetismo 2. Teoria Eletromagnética II 60
3. Laboratório de Eletromagnetismo 30
Processamento de 1. Teoria das Comunicações 90
Sinais e 2. Processamento Digital de Sinais 60
Telecomunicações 3. Laboratório de Comunicações 30

103
1. Eletrônica Digital 60
2. Laboratório de Eletrônica Digital 30
3. Microprocessadores 90
4. Eletrônica Analógica I 60
Eletrônica
5. Eletrônica Analógica II 60
6. Laboratório de Eletrônica Analógica I 30
7. Laboratório de Eletrônica Analógica II 30
8. Eletrônica de Potência 90
Materiais Elétricos 1. Materiais Elétricos 60
1. Análise de sistemas Lineares 90
2. Sistemas de Controle I 60
3. Sistemas de Controle II 60
Servomecanismos
4. Laboratório de Sistemas de Controle 30
5. Automação Industrial 60
6. Laboratório de Automação Industrial 30
1. Conversão de Energia I 60
2. Conversão de Energia II 60
Conversão de
3. Laboratório de Conversão de Energia 30
Energia
4. Sistemas de Energia Elétrica 60
5. Instalações Elétricas 60
Total do Núcleo 1650
III. Formação 1. Disciplina Optativa 1 60
Específica 2. Disciplina Optativa 2 60
3. Disciplina Optativa 3 60
4. Disciplina Optativa 4 60
5.Atividades Complementares em Engenharia 120
Elétrica
Tecnologia 6. Trabalho de Conclusão de Curso 180
7. Estágio Supervisionado 180
8. Atividades de Extensão em Engenharia 180
Elétrica I
8. Atividades de Extensão em Engenharia 240
Elétrica II
Total do Núcleo 1140
TOTAL GERAL 4200

104
III - Contabilidade Acadêmica

UNIDADE ATIVIDADES CARGA CARGA HORÁRIA SEMANAL


RESPONSÁVEL CURRICULARES HORÁRIA
PELA OFERTA DO PERIODO TEÓRICA PRÁTICA EXTENSÃO TOTAL
LETIVO
ICEN Álgebra Linear 90 6 - - 6
ITEC Análise de Sistemas de 60 4 - - 4
Energia I
ITEC Análise de Sistemas de 60 4 - - 4
Energia II
ITEC Análise de Sistemas 90 4 - - 4
Lineares
ITEC Antenas 60 4 - - 4

ITEC Atividades 120 - - - 8


Complementares em
Engenharia Elétrica
ITEC Atividades de Extensão 180 - - 12 12
em Engenharia Elétrica
I
ITEC Atividades de Extensão 240 - - 16 16
em Engenharia Elétrica
II
ITEC Automação Industrial 60 4 - - 4
ICEN Cálculo I 90 6 - - 6
ICEN Cálculo II 90 6 - 6
ICEN Cálculo III 60 4 - - 4
ICEN Cálculo IV 60 4 - - 4
ICEN Cálculo Numérico 60 4 - - 4
ITEC Circuitos Elétricos I 75 5 - - 5
ITEC Circuitos Elétricos II 60 4 - 4
ITEC Circuitos para 90 6 - - 6
Comunicações
ITEC Comunicações 60 4 - - 4
Avançadas
ITEC Comunicações Óticas 60 4 - - 4
ITEC Controle Digital 60 4 - - 4
ITEC Conversão de Energia I 60 4 - - 4
ITEC Conversão de Energia II 60 4 - 4

ITEC Desenho Técnico para 60 4 - - 4


Engenharia
ICJ Direito e Legislação 30 2 - - 2
ITEC Distribuição de Energia 60 4 - - 4
ITEC Eficiência Energética 60 4 - - 4
ITEC Eletrônica Analógica I 60 4 - - 4
ITEC Eletrônica Analógica II 60 4 - - 4

105
ITEC Eletrônica Digital 60 4 - - 4
ITEC Eletrônica de Potência 90 4 2 - 6
ITEC Estágio Supervisionado 180 - 12 - 12
ITEC Fenômeno de 60 2 2 - 4
Transporte I
ITEC Filtros Ativos 90 4 2 - 6
ICEN Física Fundamental I 60 4 - - 4
ICEN Física Fundamental III 60 4 - - 4
ICEN Funções de uma 60 4 - - 4
Variável Complexa
ICEN Funções Especiais para 60 4 - 4
Engenharia
ITEC Fundamentos de 60 4 - - 4
Mecânica dos Sólidos
ITEC Geração de Energia 60 4 - - 4
ITEC Instalações Elétricas 60 4 - - 4
ITEC Instalações Elétricas 60 4 - - 4
Industriais
ITEC Instrumentação 90 4 2 - 6
Eletrônica
ITEC Inteligência 60 4 - - 4
Computacional
ITEC Introdução à Ciência do 30 2 - - 2
Ambiente
ITEC Introdução à Linguagem 60 2 2 4
VHDL
ITEC Introdução à Robótica 60 4 - - 4
ITEC Introdução ao Controle 60 4 - - 4
Ótimo
ITEC Introdução às Energias 60 4 - - 4
Renováveis
ITEC Laboratório de Sistemas 60 4 - - 4
de Energia I
ITEC Laboratório de Sistemas 60 4 - - 4
de Energia II
ITEC Laboratório de 30 - 2 - 2
Automação Industrial
ITEC Laboratório de Circuitos 30 - 2 - 2
Elétricos I
ITEC Laboratório de Circuitos 30 - 2 - 2
Elétricos II
ITEC Laboratório de 30 - 2 - 2
Comunicações
ITEC Laboratório de 30 - 2 - 2
Conversão de Energia
ITEC Laboratório de 30 - 2 - 2
Eletromagnestismo
ITEC Laboratório de 30 - 2 - 2
Eletrônica Analógica I
ITEC Laboratório de 30 - 2 - 2
Eletrônica Analógica II
ITEC Laboratório de 30 - 2 - 2
Eletrônica Digital
ICEN Laboratório de Física 60 - 4 - 4

106
ITEC Laboratório de Sistemas 30 - 2 - 2
de Controle
ITEC Língua Brasileira de 60 4 - - 4
Sinais - LIBRAS
ITEC Materiais Elétricos 60 4 - - 4

ITEC Metodologia Científica 30 2 - - 2

ITEC Microeletrônica 90 4 2 - 6

ITEC Microondas 90 4 2 - 6

ITEC Microprocessadores 90 4 2 - 6

ICSA Noções de 30 2 - - 2
Administração para
Engenheiros
ICSA Noções de Economia 30 2 - - 2
para Engenheiros
ITEC Princípios de 75 4 1 - 5
Instrumentação
Biomédica
ITEC Probabilidade e 60 4 - - 4
Estatística
ITEC Processamento de 60 4 - - 4
Imagens
ITEC Processamento de Voz 60 4 - - 4

ITEC Processamento Digital 60 4 - - 4


de Sinais
ITEC Processos Estocásticos 45 3 - - 3

ICEN Programação 60 4 - - 4
Estruturada de
Computadores
ITEC Propagação 60 4 - - 4

ITEC Proteção de Sistemas de 60 4 - - 4


Energia
ICEN Química Geral 45 - 3 - 3
Experimental I
ICEN Química Geral Teórica 60 4 - - 4
I
ITEC Redes de Computadores 60 4 - - 4
ITEC Redes Móveis 60 4 - - 4
ITEC Sistemas de 60 4 - - 4
Comunicações
ITEC Sistemas de Controle I 60 4 - - 4

ITEC Sistemas de Controle II 60 4 - - 4

ITEC Sistemas de Energia 60 4 - - 4


Elétrica
ITEC Sistemas de TV Digital 60 4 - - 4

ITEC Sistemas Multimídia 60 4 - - 4

107
ITEC Sistemas não-lineares 60 4 - - 4

ITEC Técnicas de Alta Tensão 60 4 - - 4

ICEN Técnicas e Linguagens 60 4 4


de Programação
ITEC Teoria de 90 6 - - 6
Comunicações
ITEC Teoria Eletromagnética 75 5 - - 5
I
ITEC Teoria Eletromagnética 60 4 - - 4
II
ITEC Tópicos em Engenharia 60 4 - - 4
Elétrica I
ITEC Tópicos em Engenharia 60 4 - - 4
Elétrica II
ITEC Tópicos em Engenharia 60 4 - - 4
Elétrica III
ITEC Tópicos em Engenharia 60 4 - - 4
Elétrica IV
ITEC Trabalho de Conclusão 180 - 12 - 12
de Curso
ITEC Transmissão de Dados e 60 4 - - 4
Teleprocessamento
ITEC Transmissão de Energia 60 4 - - 4

108
IV - Atividades Curriculares por Período letivo

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ


INSTITUTO DE TECNOLOGIA
FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA
1 º Período Letivo CH 2o Período Letivo CH
CÁLCULO I 90 CÁLCULO II 90
ÁLGEBRA LINEAR 90 FÍSICA FUNDAMENTAL I 60
QUÍMICA GERAL TEÓRICA I 60 METODOLOGIA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA 30
PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA DE COMPUTADORES 60 MICROPROCESSADORES 90
DESENHO TÉCNICO PARA ENG. 60 QUÍMICA GERAL EXPERIMENTAL I 45
ELETRÔNICA DIGITAL 60 TÉCNICAS E LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO 60
LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DIGITAL 30 INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DO AMBIENTE 30
450 405
3 º Período Letivo 4 º Período Letivo
FUNÇÕES ESPECIAIS PARA ENGENHARIA 60 CIRCUITOS ELÉTRICOS I 75
FUNÇÕES DE UMA VARIÁVEL COMPLEXA 60 TEORIA ELETROMAGNÉTICA I 75
CÁLCULO IV 60 MATERIAIS ELÉTRICOS 60
CÁLCULO NUMÉRICO 60 ANÁLISE DE SISTEMAS LINEARES 90
FÍSICA FUNDAMENTAL III 60 PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA 60
LABORATÓRIO DE FÍSICA 60 LABORATÓRIO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS I 30
CÁLCULO III 60 390
420
5 º Período Letivo 6 º Período Letivo
CIRCUITOS ELÉTRICOS II 60 ELETRÔNICA ANALÓGICA II 60
LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA ANALÓGICA I 30 CONVERSÃO DE ENERGIA I 60
TEORIA ELETROMAGNÉTICA II 60 TEORIA DE COMUNICAÇÕES 90
ELETRÔNICA ANALÓGICA I 60 SISTEMAS DE CONTROLE II 60
PROCESSOS ESTOCÁSTICOS 45 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA ANALÓGICA II 30
SISTEMAS DE CONTROLE I 60 LABORATÓRIO DE ELETROMAGNETISMO 30
FENÔMENOS DE TRANSPORTES I 60 FUNDAMENTOS DE MECÂNICA DOS SÓLIDOS 60
LABORATÓRIO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS II 30 390
405
7 º Período Letivo 8 º Período Letivo
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PARA
CONVERSÃO DE ENERGIA II 60 30
ENGENHEIROS
LABORATÓRIO DE CONVERSÃO DE ENERGIA 30 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 60
LABORATÓRIO DE COMUNICAÇÕES 30 NOÇÕES DE ECONOMIA PARA ENGENHEIROS 30
ELETRÔNICA DE POTÊNCIA 90 DIREITO E LEGISLAÇÃO 30
SISTEMAS DE ENERGIA ELÉTRICA 60 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL 60
LABORATÓRIO DE SISTEMAS CONTROLE 30 LABORATÓRIO DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL 30
PROCESSAMENTO DIGITAL DE SINAIS 60 OPTATIVA 1 60
360 OPTATIVA 2 60
ATIVIDADES COMPLEMENTARES EM
120
ENGENHARIA ELÉTRICA
480
9 º Período Letivo 10 º Período Letivo
ATIVIDADES DE EXTENSÃO EM ENGENHARIA
ESTÁGIO SUPERVISIONADO 180 240
ELÉTRICA II
OPTATIVA 3 60 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 180
OPTATIVA 4 60 420
ATIVIDADES DE EXTENSÃO EM ENGENHARIA
180
ELÉTRICA I
480

109