You are on page 1of 13

1

A MORTE E AS ÚLTIMAS COISAS SEGUNDO A BÍBLIA


TEXTO PARA LEITURA LC 16:19-31 (O Rico e o Lázaro)

Visão Tricotômica do Homem (03 partes)


1 Ts 5:23 E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam
plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.
Hb 4:12 Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes,
e penetra até à divisão da alma, e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos
e intenções do coração.
Jó 12:10 que está na sua mão a alma de tudo quanto vive, e o espírito de toda carne humana?

O Homem é formado por: Corpo, Alma e espírito.


Corpo: (Soma) Dimensão Biológica, parte física, o concreto. É a parte material e perecível do ser
humano, que cessa de existir com o fenômeno da morte. O corpo pertence a terra e tem contato
com ela. Ele nos torna conscientes deste mundo.
Alma: (Psique) Dimensão Psicológica, a personalidade; o temperamento tem a ver com a alma. É
o princípio da vida. E com ela se relacionam nosso intelecto, nossas emoções, nossa personalidade
e nossa vontade. A alma proporciona ao corpo vida e inteligência, usando os sentidos físicos para
receber impressões e usando os órgãos do corpo para expressar-se. Ela nos torna conscientes de
nós mesmos. Todo ser vivo possui alma, mas o ser humano ganhou uma “nova alma”, uma alma
eterna, quando Deus soprou o espírito nas narinas do primeiro homem (Gn 2:7).
Espírito: (Pneuma) Dimensão espiritual, intuição, fé, possibilidade de conesão e percepção do
mundo espiritual. É o princípio ativo de nossa vida espiritual, religiosa e imortal, embora recea
impressões do corpo e da alma, também é capaz de receber conhecimentos diretamente de Deus e
de manter com Deus uma comunhão espiritual que ultrapassa os racioncínios da alma. Ela nos
torna conscientes de Deus.

O que é a morte?
A palavra morte significa, separação.
Podemos entender este fato claramente, considerando como a Bíblia descreve a
morte espiritual. Comecemos no livro de Gênesis, onde encontramos pela primeira vez o
conceito de morte. Esse conceito está ligado à morte espiritual e não física.
Gn. 2:17 Quando Deus proibiu Adão de comer da árvore do conhecimento do
bem e do mal, disse-lhe que se ele o fizesse a consequência seria a morte imediata. “no
dia que dela comeres, certamente morrerás”
Foi mesmo isto que aconteceu, e a primeira morte que o homem experimentou foi a
morte espiritual.
Fisicamente Adão só morreu aos 930 anos, mas por causa de ter desobedecido a
Deus, Adão ficou separado (morto) da comunhão com Deus, sendo expulso do lugar onde
poderia ter essa comunhão com Deus.
Este exemplo ajuda a entendermos que embora o homem esteja fisicamente vivo,
poderá estar morto espiritualmente.
A razão para esta morte espiritual esta separação de Deus é sempre a mesma.
Separamo-nos de Deus pelo nosso próprio pecado (Isaías 59:1-2).

03 Tipos de Morte
1 - MORTE ESPIRITUAL:
Quando Acontece?
É enquanto o homem vive nesta terra (Ef. 2:1; I Tm 5:6). O Homem perde a comunhão com Deus. O
Pecado faz separação entre Deus e o homem (Is. 59:1,2). Adão fugiu da presença de Deus, após pecar
(Gn. 3:8-11). Por um homem entrou o pecado no mundo, e com o pecado veio a morte a todos os
homens (Rm. 5:12). Mas por um só homem veio a salvação por seu ato de Justiça (Rm. 6:17,18)
Quem são os mortos espiritualmente?
Efésios 2:1-6
Todos aqueles que ainda estiverem nos seus pecados, os quais ainda não foram perdoados por meio do
arrependimento e confissão, pelo reconhecimento de que Jesus foi á cruz por causa desses mesmos
pecados.
Todos aqueles que ainda não fizeram isto permanecem mortos. Isto porque se encontram separados de
Deus, pois quem não está em Cristo está longe de Deus. Isto é a morte espiritual.
2

2 - MORTE FISICA
Morte física consiste nisto simplesmente. Tiago 2:26 Porque, assim como o corpo sem o espírito está
morto, assim também a fé sem obras é morta.
Morte física também é uma separação. Separação essa que se dá quando a parte imaterial (alma+
espírito) do homem, se separa do corpo, ficando essa parte do homem que é material e que chamamos
corpo, sem vida.
Eclesiastes 12:7 nos diz que isto é o que acontece no fim da vida física: “O pó volte à terra, como o
era, e o espírito volte a Deus, que o deu”.
Significa isto morte física – separação entre a parte material e a parte imaterial.
 O QUE ACONTECE APÓS A MORTE FÍSICA?
Já vimos que o espírito volta a Deus, e que fará Deus com esse espírito?
A bíblia não satisfaz toda a curiosidade humana sobre o que acontece após a morte, mas ela é clara
acerca dos factos essenciais.
I – A Bíblia é clara quando diz que após a morte os justos irão ser confortados e os ímpios serão
mandados para um lugar de tormento. (Lc. 16:25)
II – Todos serão julgados. (Hb. 9:27)
a) esse julgamento será de acordo com a atitude tomada pelo homem quanto a Jesus. (João 12:48)
b) Ele julgará as coisas que fizemos em corpo (2Co 5:10);
c) também diz que o julgamento é irrevogável, dizendo que haverá presença ou separação
eterna/morte eterna entre salvos e perdidos, Deus e perdidos. (Mt 25:31-46; II Ts. 1:7-12)
3 – MORTE ETERNA
Aqueles que morrem separados de Deus, ou em condição de morte espiritual, sofrerão uma separação
eterna de Deus. Chamada de Segunda morte (Apoc. 21:8; Jo. 5:28,29; II Tes. 1:9; Mt. 25:41)
Podemos concluir, então, que a morte eterna não é o fim da existência, mas uma eterna separação de
Deus. É óbvio no caso do homem rico, porém desobediente, em Lucas 16 que uma pessoa ainda estará
consciente, mas que o injusto nunca poderá atravessar a separação para estar na presença de Deus.
- Não há escape do Inferno para o impenitente (Mt 23.33).
- O Inferno será um lugar de sofrimento eterno e de eterna separação do Salvador (Mt 13.42,49,50;
25.41).

Diferente de morte eterna, é a vida eterna, que é comunhão com Deus mesmo depois da
morte física (Jo. 3:36; 17:3)

Ressurreição
"E, estando elas muito atemorizadas e abaixando o rosto para o chão, eles lhe disseram: Por que
buscais o vivente entre os mortos?" (Lc 24.5)
“Visto que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos
mortos. Porque, assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão
vivificados em Cristo.” 1 Coríntios 15.21-22
Assim como o mais bonito texto sobre o amor é o capítulo 13 de 1 Coríntios e o mais bonito texto
sobre a fé é o capítulo 11 da Epístola aos Hebreus, nada supera o que o apóstolo escreveu sobre a
ressurreição do corpo no capítulo 15 de 1 Coríntios. Ele começa de mansinho e termina com um grito
de enfrentamento com a morte: “Onde está, ó morte, a sua vitória? Onde está, ó morte, o seu
aguilhão?” (1 Co 15.55).
“Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem, para
não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança.
Pois, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também Deus, mediante Jesus, trará,
em Sua companhia, os que dormem.” 1 Tessalonicenses 4.13,14

O ENSINO SOBRE A RESSURREIÇÃO


O ensino da ressurreição está em toda a Bíblia, não apenas no Novo Testamento.
“porque eu sei que meu Redentor vive, e por fim se levantará sobre a terra. Depois revestido este
meu corpo da minha pele, em minha carne verei a Deus” (Jó 19.25-26).
3

“E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vida eterna, e outros para
vergonha e desprezo eterno” (Dn 12.2).
“Os teus mortos e também o meu cadáver viverão e ressuscitarão; despertai e exultai, os que habitais
no pó, porque o teu orvalho será como o orvalho das ervas, e a terra lançará de si os mortos” (Is
16.19).

AS DUAS RESSURREIÇÕES
Jesus fala de uma ressurreição da vida, para o crente, e de uma ressurreição de juízo, para o ímpio
(Jo 5.28,29).
A ressurreição da Igreja ocorre na volta de Jesus, imediatamente antes do arrebatamento (1Ts 4.16).
A ressurreição dos santos é chamada de “primeira ressurreição” ou ressurreição dos justos: “Bem-
aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a
segunda morte; mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele mil anos” (Ap 20.6).
Depois de mil anos haverá a ressurreição para o julgamento, o que nas Escrituras é comumente
chamada de Segunda Ressurreição (“E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os
que fizeram o mal, para a ressurreição da condenação” João 5.29).
1Co 15:52-54 51 Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos

transformados, 52 num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará,
e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. 53 Porque convém que isto que é
corruptível se revista da incorruptibilidade e que isto que é mortal se revista da imortalidade. 54 E, quando isto
que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então, cumprir-
se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória.

O corpo ressurreto será semelhante ao de Jesus!


A ressurreição do corpo no final dos tempos não será a ressurreição do corpo anterior, como
aconteceu com o filho da viúva de Sarepta (1 Rs 17.17-24), com o filho da sunamita (2 Rs 4.32-35),
com o filho da viúva de Naim (Lc 7.11-17), com a filha de Jairo (Lc 8.51-56), com Lázaro (Jo 11.38-44)
e com Dorcas (At 9.36-42). Não será um mero prolongamento ou repetição da vida terrena. Será algo
absolutamente novo. Paulo tenta explicar: “Nossos corpos terrenos, que morrem e apodrecem, são
diferentes dos corpos que teremos quando voltarmos novamente à vida, pois estes nunca morrerão.
Os corpos que agora possuímos causam-nos tropeço, pois ficam doentes e morrem; entretanto,
estarão cheios de glória quando voltarmos à vida novamente. Sim, são fracos porque agora são
corpos mortais, mas quando revivermos, eles serão cheios de força. Quando morrem são apenas
corpos humanos, porém, quando voltarem à vida, serão corpos sobre-humanos. Como existem corpo
naturais, humanos, assim também há corpos sobrenaturais, espirituais” (1 Co 15.42-44, Biblia Viva).
Na tentativa de explicar a glória do corpo depois da ressurreição, Paulo chega a afirmar que Jesus
“transformará os nossos corpos humilhados, tornando-os semelhantes ao seu corpo glorioso” (Fp
3.21). Em sua primeira Epístola, João afirma o mesmo: “Quando [Jesus] se manifestar, seremos
semelhantes a ele” (1 Jo 3.2). O processo de salvação só termina com a glorifi cação (o contrário de
humilhação) do corpo: “Aqueles que [Deus] de antemão conheceu, também os predestinou para
serem conformes à imagem de seu Filho” (Rm 8.29).

O PROPÓSITO DA RESSURREIÇÃO DE JESUS


1. Salvação e Justificação. Aos discípulos no cenáculo, Jesus destaca a salvação como propósito da
ressurreição (Lc 24.46-48). A ressurreição de Jesus difere de todas as outras, assim como Jesus difere
de todos os homens. Ele é o Deus que se fez carne (Jo 1.14); o segundo Adão, representando a
humanidade caída (Rm 5.12; 1 Co 15.45), o único mediador entre Deus e os homens (1 Tm 2.5), que
nos salva de nossos pecados (1 Tm 1.15). A Bíblia diz que Ele morreu por causa de nossas
transgressões (Rm 4.25); e que seu sacrifício foi em resgate de todos (1 Tm 2.6). Mostra ainda que a
sua ressurreição foi por "causa de nossa justificação" (Rm 4.25) e que nesse aspecto Ele foi designado
como “filho” de Deus.
2. A Redenção do Corpo. A ressurreição de Jesus é a garantia de que os crentes também
ressuscitarão dos mortos (Rm 5.17). Quando ressuscitou dentre os mortos, Jesus se tornou as
primícias daqueles que ressuscitarão para não mais morrer (1 Co 15.23). O apóstolo Paulo afirma que
se Cristo não ressuscitou então a nossa fé é vã (1 Co 15.17).  Na ressurreição, Jesus derrotou a
4

morte de forma que não precisamos mais temê-la (1 Co 15.55-58). Na ressurreição, receberemos
corpos incorruptíveis.

GRÁFICO RESSURREIÇÃO
E, como aos homens está
ordenado morrerem uma
vez, vindo depois disso o
juízo, (Hebreus 9:27)

Morte física

ALMA:
Aguarda
o juízo

GRÁFICO ÚLTIMAS COISAS

Ap 20:11-15

Is 65:25
Is 65:25
1Co 3:13-15
2Co 5:10

1Tessalonicensses 4:13-18 mortos ressuscitarão e serão


arrebatados primeiro
5
6

APÓS A MORTE FÍSICA

Eclesiastes 9:3-10 versão Almeida Corrigida e Fiel 2007


3 Este é o mal que há entre tudo quanto se faz debaixo do sol; a todos sucede o mesmo; e que também o coração
dos filhos dos homens está cheio de maldade, e [que há] desvarios no seu coração enquanto vivem, e depois [se
vão] aos mortos.
4 Ora, para aquele que está entre os vivos há esperança (porque melhor é o cão vivo do que o leão morto). 5
Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles
recompensa, mas a sua memória fica entregue ao esquecimento. 6 Também o seu amor, o seu ódio, e a sua inveja
já pereceram, e já não têm parte alguma para sempre, em [coisa] alguma do que se faz debaixo do sol.
7 Vai, [pois], come com alegria o teu pão e bebe com coração contente o teu vinho, pois já Deus se agrada das
tuas obras. 8 Em todo o tempo sejam alvas as tuas roupas, e nunca falte o óleo sobre a tua cabeça. 9 Goza a vida
com a mulher que amas, todos os dias da tua vida vã, os quais [Deus] te deu debaixo do sol, todos os dias da tua
vaidade; porque esta [é] a tua porção nesta vida, e no teu trabalho, que tu fizeste debaixo do sol. 10 Tudo quanto
te vier à mão para fazer, faze[-o] conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não [há] obra
nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma.

Interpretação correta do texto


O objetivo central do livro de Eclesiastes é para falar sobre o que acontece "debaixo do sol ou debaixo do céu"
que significa nosso plano terrestre. Salomão por ser um homem mui sábio e famoso, pessoas de todas as nações
iam ouvi-lo (Mateus 12:42), e é exatamente por tantas pessoas irem ouvir ele (Salomão) que o livro tem como
finalidade apresentar sobre a futilidade/vaidade da vida sem Deus, como as coisas acontecem em nosso plano
terrestre e quão sem importância as coisas acabam se tornando sem Deus como objetivo central.
Quando a Bíblia, às vezes, fala da ideia, se referindo aos mortos, de “dormir” ou ser inconscientes olha para a
morte do ponto-de-vista da vida terrestre.
Citações de Eclesiastes, por exemplo, são observações sobre a vida “neste mundo”. A frase "debaixo do sol" é
repetida 27 vezes no livro, o que destaca este fato.
Veja Eclesiastes 9:6 “Amor, ódio e inveja para eles já pereceram, para sempre não têm eles parte em coisa
alguma do que se faz debaixo do sol”. Os que já morreram não participam da nossa vida “debaixo do sol”, mas
isso não significa que o amor não existe mais para eles nas regiões celestiais, nem que lhes serão negados a
recompensa (cf. 2 Timóteo 4:6-8). Afirma sim que NÃO HÁ RELACIONAMENTO entre os que morreram e
os que estão ainda “debaixo do sol” ou neste mundo.
Outras passagens mostram claramente que os mortos continuam cientes. Jesus falou dos mortos conversando
(Lucas 16:19-31 Rico e Lázaro). Quando o quinto selo foi aberto, as almas dos mortos clamaram ao Senhor
(Apocalipse 6:9-11). A promessa de Jesus ao ladrão arrependido não teria nenhum valor se a morte fosse um
estado de inconsciência. Jesus confortou o homem com estas palavras: “Em verdade te digo que hoje estarás
comigo no paraíso” (Lucas 23:43).

ONDE A PESSOA FICA ESPERANDO APÓS A MORTE PELO JULGAMENTO?

1. É uma habitação espiritual fixa (não há mudança) e temporal (até a ressurreição).


Biblicamente, é um modo de existir entre a morte física e a ressurreição final do corpo sepultado. No Antigo
Testamento, esse lugar é identificado como Sheol (no hebraico), e no Novo Testamento como Hades (no
grego). Os dois termos dizem respeito ao reino da morte (Sl 18.5; 2Sm 22.5,6). É um lugar espiritual em que as
almas e espíritos dos mortos habitam fixamente até que seus corpos sejam ressuscitados, para a vida eterna ou
para a perdição eterna. E o estado das almas e espíritos, fora dos seus corpos, aguardando o tempo em que
terão de comparecer perante Deus.

2. E um lugar de consciência ativa e ação racional.


Segundo Jesus descreveu esse lugar, o rico e Lázaro participam de uma conversação no Sheol-Hades, estando
apenas em lados diferentes (Lc 16.19-31). O apóstolo Paulo descreve-o, no que tange aos salvos, como um
lugar de comunhão com o Senhor (2Co 5.6-9; Fp 1.23). A Bíblia denomina-o como um “lugar de consolação”,
“seio de Abraão” ou “Paraíso” (Lc 16.22,25; 2Co 12.2-4). Se fosse um lugar neutro para as almas e espíritos dos
mortos, não haveria razão para Jesus identificá-lo com os nomes que deu. Da mesma forma, “o lugar de
tormento” não teria razão de ser, se não houvesse consciência naquele lugar. Rejeita-se segundo a Bíblia, a
teoria de que o Sheol-Hades é um lugar de repouso inconsciente. A Bíblia fala dos crentes falecidos como “os
que dormem no Senhor” (1Co 15.6; 1Ts 4.13), e isto não refere-se a uma forma de dormir inconsciente, mas de
repouso, de descanso. As atividades existentes no Sheol-Hades não implicam que os mortos possam sair
daquele lugar, mas que estão retidos até a ressurreição de seus corpos para apresentarem-se perante o Senhor
(Lc 16.19-31; 23.43; At 7.59).
7

O SHEOL-HADES, ANTES E DEPOIS DO CALVÁRIO

1. Antes do Calvário.
O Sheol-Hades dividia-se em três partes distintas. Para entender essa habitação provisória dos mortos,
podemos ilustrá-lo por um círculo dividido em três partes. A primeira parte é o lugar dos justos, chamada
“Paraíso”, “seio de Abraão”, “lugar de consolo” (Lc 16.22,25; 23.43). A segunda é a parte dos ímpios,
denominada “lugar de tormento” (Lc 16.23). A terceira fica entre a dos justos e a dos ímpios, e é identificada
como “lugar de trevas”, “lugar de prisões eternas”, “abismo” (Lc 16.26; 2Pe 2.4; Jd v.6). Nessa terceira parte foi
aprisionada uma classe de anjos caídos, a qual não sai desse abismo, senão quando Deus permitir nos dias da
Grande Tribulação (Ap 9.1-12). Não há qualquer possibilidade de contato com esses espíritos caídos; habitantes
do Poço do Abismo.
LUGAR DOS MORTOS SALVOS: SEIO DE ABRAÃO ATÉ O CALVÁRIO/ SEIO DE ABRAÃO – TRANSFERÊNCIA – CÉU
Mt 12:40 pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre do grande peixe, assim estará o Filho do
homem três dias e três noites no seio da terra.
mortos debaixo do Altar Ap 6:9-10 Quando abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que tinham
sido mortos por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho que deram. E clamaram com grande voz,
dizendo: Até quando, ó Soberano, santo e verdadeiro, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam
sobre a terra?.
Família de Deus nos céus e na terra Ef 3:14-15 Por esta razão dobro os meus joelhos perante o Pai, do qual
toda família nos céus e na terra toma o nome,
Partir para estar com Cristo. Morrer é estar “Presentes com o Senhor” Fp 1:23 Mas de ambos os lados estou
em aperto, tendo desejo de partir e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor;
6
2Co5:6-8 Temos, portanto, sempre bom ânimo, sabendo que, enquanto estamos presentes no corpo, estamos
7 8
ausentes do Senhor (porque andamos por fé, e não por vista); temos bom ânimo, mas desejamos antes estar
ausentes deste corpo, para estarmos presentes com o Senhor
Cristo está no Céu 1Pe 3:22 que está à destra de Deus, tendo subido ao céu; havendo-se-lhe sujeitado os anjos,
e as autoridades, e as potestades.

ONDE ESTÃO A ALMA DOS SALVOS? EMBAIXO NO LUGAR DO HADES/SHEOL CHAMADO SEIO DE ABRAÃO OU
NO CÉU?
 LEVOU CATIVO O CATIVEIRO
Ef 4:8 -9 Por isso foi dito: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, e deu dons aos homens. Ora, isto - ele subiu
- que é, senão que também desceu às partes mais baixas da terra?
Cl 1:12 -14 dando graças ao Pai que vos fez idôneos para participar da herança dos santos na luz,13 e que nos
tirou do poder das trevas, e nos transportou para o reino do seu Filho amado; 14 em quem temos a redenção,
a saber, a remissão dos pecados;

2. Depois do Calvário.
Houve uma mudança dentro do mundo das almas e espíritos dos mortos após o evento do Calvário. Quando
Cristo enfrentou a morte e a sepultura, e as venceu, efetuou uma mudança radical no Sheol-Hades (Ef 4.9,10;
Ap 1.17,18; 6:9). A parte do “Paraíso” foi trasladada para o terceiro céu, na presença de Deus (2Co 12.2,4),
separando-se completamente das “partes inferiores“ onde continuam os ímpios mortos. Somente, os justos
gozam dessa mudança em esperança pelo dia final quando esse estado temporário se acabará, e viverão para
sempre com o Senhor, num corpo espiritual ressurreto.

 Quem parte daqui fica com Cristo (Fp 1.23); ora, Cristo está agora assentado à destra de Deus (l Pe 3.22)
8

ONDE OS MORTOS FICAM Gráfico 01


9

ONDE OS MORTOS FICAM Gráfico 02

Ou TÁFOS
10

RESPONDENDO ÀS DOUTRINAS HUMANAS.

Apesar da bíblia falar claro sobre este assunto, os homens tem criado e
inventado muitas doutrinas acerca da morte, doutrinas sem base bíblica, muitas
delas são bem o contrário do que diz a Bíblia.
Doutrina humana: A morte é o fim da existência
Muitos afirmam que a morte é o fim. Morrendo acaba tudo, dizem muitos.
Geralmente os que dizem isto são os que não crêem na existência de Deus.
Há outros que acreditam que Deus existe mas defendem que só os salvos é que viverão
eternamente, e que os perdidos serão exterminados depois da morte física após julgamento.
Os que pensam assim, é devido a não crerem na existência do inferno. (TJ por exemplo)
Jesus ensinou claramente que a existência humana não termina na morte, como ensinou
sobre a existência do inferno.
Segundo as palavras de Jesus a alma é imortal e o inferno existe.
(Mt 25:41-46;Lc 16:19-31; João 5:28-29)
O problema dos que pensam que a existência humana termina com a morte, está em não
entenderem que a palavra morte significa simplesmente separação.
Separação não representa fim, apenas mudança de situação.
Doutrina humana: Sono da Alma
Quando o cristão morre, embora o corpo permaneça na terra e seja sepultado, no momento
da morte, a alma (ou espírito) vai imediatamente para a presença de Deus, consciente e
cheia de alegria. Quando o apóstolo Paulo pensava em sua morte, ele afirmou: “Preferindo
deixar o corpo, e habitar com o Senhor” (2 Co 5.8). Deixar o corpo é estar com o Senhor
Jesus. Ele também diz que o seu desejo é “partir e estar com Cristo” (Fp. 1.23). Jesus
também disse ao ladrão que estava morrendo ao lado dele na cruz: “Hoje estarás comigo no
paraíso” (Lc 23.46). “Estarás comigo” indica que, desde aquele dia, aquele bandido que se
arrependeu e reconheceu que Jesus é o Filho de Deus está com Jesus, consciente,
gozando de sua presença. Outro texto bíblico que indica fortemente o estado de consciência
depois da morte e antes da ressurreição é Apocalipse 6.9-11. Ali está uma referência clara a
mártires que foram assassinados e que JÁ DESFRUTAM da bênção de estar na presença
gloriosa de Deus, conscientes, antes da ressurreição de seus corpos.
O fato de que a alma dos cristãos vai imediatamente para a presença de Deus também
significa que a doutrina do sono da alma é um erro. Essa doutrina ensina que quando os
cristãos morrem, eles entram em um estado de existência inconsciente e que voltarão à
consciência somente quando Cristo voltar e ressuscitá-los para a vida eterna.
O texto usado para justificar esta doutrina é Eclesiastes 9:3-10
3
Este é o mal que há entre tudo quanto se faz debaixo do sol; a todos sucede o mesmo; e que também o coração dos filhos
dos homens está cheio de maldade, e [que há] desvarios no seu coração enquanto vivem, e depois [se vão] aos mortos.
4
Ora, para aquele que está entre os vivos há esperança (porque melhor é o cão vivo do que o leão morto). 5 Porque os vivos
sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, mas a sua
memória fica entregue ao esquecimento. 6 Também o seu amor, o seu ódio, e a sua inveja já pereceram, e já não têm parte
alguma para sempre, em [coisa] alguma do que se faz debaixo do sol.
7
Vai, [pois], come com alegria o teu pão e bebe com coração contente o teu vinho, pois já Deus se agrada das tuas obras. 8
Em todo o tempo sejam alvas as tuas roupas, e nunca falte o óleo sobre a tua cabeça. 9 Goza a vida com a mulher que amas,
todos os dias da tua vida vã, os quais [Deus] te deu debaixo do sol, todos os dias da tua vaidade; porque esta [é] a tua porção
nesta vida, e no teu trabalho, que tu fizeste debaixo do sol. 10 Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze[-o] conforme as tuas
forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não [há] obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma. (versão
acf 2007)
Hoje em dia, os Adventistas do Sétimo Dia são praticamente os únicos a adotarem esta
doutrina. O certo é que quando Cristo ou Paulo dizia que um morto “dormia” (I Tess.) estava
usando uma metáfora, uma figura de linguagem, referindo-se ao corpo morto, que irá
ressuscitar e, portanto, quando morto, fica por algum tempo como se estivesse dormindo.
E a Bíblia diz em João 11:11-14 “E, tendo assim falado, acrescentou: Lázaro, o nosso amigo, dorme,
mas vou despertá-lo do sono. Disseram-lhe, pois, os discípulos: Senhor, se dorme, ficará bom. Mas
Jesus falara da sua morte; eles, porém, entenderam que falava do repouso do sono. Então Jesus
lhes disse claramente: Lázaro morreu.”
11

Doutrina humana: A reencarnação


Várias religiões tem por base doutrinal a crença na reencarnação.
Esta doutrina ensina que uma alma após deixar a sua habitação (corpo), pode voltar,
eventualmente centenas ou milhares de vezes a viver em outro corpo humano ou não, até
que seja aperfeiçoada, para que possa viver definitivamente em outra dimensão onde estará
em descanso.
Também para estes não é necessário inferno.
A doutrina bíblica é contrária à reencarnação.
Hb. 9:27,28 É dito aqui que aos homens está ordenado morrerem UMA vez.. Logo, se
morrem uma vez só, também vivem apenas uma vez.
…depois disso vem o juízo. Não há várias vidas para dar oportunidade de aperfeiçoamento.
Os homens tem apenas UMA vida e UMA oportunidade.
No v. 28 diz-se que Jesus morreu UMA vez. Quer isto dizer que se o homem tivesse de
morrer muitas vezes, tendo Jesus morrido UMA vez, Seu sacrifício não teria valor. Também
Ele teria de morrer muitas vezes.
Doutrina humana: O purgatório
Esta doutrina criada pela igreja católica sugere que existe oportunidade depois da morte
para quem devido a determinados pecados não tenha podido entrar no céu, e que só depois
de purgados esses pecados segundo aquilo que a própria igreja determina, essa alma
poderá então entrar no céu.
Esta doutrina para além de não ter base bíblica, diminui e desvaloriza a obra feita pelo
Senhor Jesus na cruz do Calvário.
A Bíblia fala somente de dois lugares de destino após a morte e estes são o CÈU e o
INFERNO, e que o tempo ou possibilidade que o homem tem para escolher onde irá viver
depois da morte é durante o tempo de vida na terra.
Recorrendo de novo à passagem de Lucas 16:26 lemos ali claramente ser impossível ao
ímpio escapar do lugar onde se encontra e passar para o lugar de felicidade.
Não consta em nenhum dos evangelhos bíblicos que Jesus tenha ensinado que no mundo
espiritual há um lugar em que as almas dos cristãos ficam sendo punidas, para depois irem
para a presença de Deus.
A passagem do rico e Lázaro mostram que são apenas dois os destinos das almas após a
morte e confirmam que esta doutrina do purgatório não existe na Bíblia. Em (Lucas 16.19-
31), Jesus afirma que ambos morreram e que Lázaro foi imediatamente para “O seio de
Abraão” (símbolo da presença de Deus). Lázaro estava consciente, gozando da presença
de Deus e não passou por nenhum “purgatório”. Não recebeu punição alguma depois de
morrer e antes de ir para a presença de Deus. Não precisava mais de orações por parte dos
vivos, porque já estava com Deus.
Paulo, o apóstolo, em nenhuma de suas cartas constantes no Novo Testamento, ensina ou
sequer menciona tal purgatório. Mesmo reconhecendo-se “o maior dos pecadores” (1 Tim.
1.15) sabia e escreveu, por inspiração divina que, logo ao partir desta vida, estaria com
Cristo (Fil. 1.23); não passaria por nenhum “purgatório”.
Doutrina humana: Aniquilacionismo ou Aniquilamento
Esta doutrina ensina que o homem foi criado imortal, mas que os que continuam no pecado,
Deus soberanamente os priva do dom da imortalidade e os destrói completamente.
Mas a Bíblia afirma que o lago de fogo é um lugar de eterna separação de Deus e
sofrimentos indizíveis.
Curiosamente o maior número de citações do inferno encontradas na Bíblia são da boca do
Senhor Jesus nos evangelhos.
Ele chama essa condenação de “fogo eterno”, não fogo passageiro ou temporário, embora
deixe claro que não é um lugar originalmente preparado para os homens, mas para os anjos
caídos. Os homens irão para lá por vontade própria:
Mt 25.41 “Então, dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim,
malditos, para o FOGO ETERNO, preparado para o diabo e seus anjos”.
12

Jesus também não estipula uma data para esse fogo terminar, ao contrário ele diz que
NUNCA apagará:
Mt 3.12 “Em sua mão tem a pá, e limpará a sua eira, e recolherá no celeiro o seu trigo, e
queimará a palha com fogo que NUNCA SE APAGARÁ”.
Mc 9.43 “… para o inferno, para o fogo que NUNCA SE APAGA, onde o seu bicho não
morre, e O FOGO NUNCA SE APAGA.
Jesus deixa claro que o tormento nesse fogo que nunca se apaga é igualmente eterno:
(Is.66:24) Mt 25.46 “E irão estes para o TORMENTO ETERNO, mas os justos, para a vida
eterna”.
Daniel mostra que o que espera os salvos é tão eterno quanto o que espera os perdidos.
Negar a eternidade de uma realidade é negar a eternidade de ambas:
Dn 12.2 “E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a VIDA ETERNA
e outros para VERGONHA E DESPREZO ETERNO”.
Apocalipse confirma a eternidade dessa perdição:
Ap 14.10 “também o tal beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no
cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante
do Cordeiro. E a fumaça do seu tormento SOBE PARA TODO O SEMPRE; e não têm
repouso, nem de dia nem de noite”.
Doutrina humana: Comunicação com os mortos, rezas aos mortos e
oferendas
A prática do espiritismo e de algumas outras religiões, ao tentar comunicar-se com os
mortos, é absolutamente oposta ao ensinamento da Bíblia. Quando o homem rico de Lucas
16 pediu que um mensageiro dos mortos fosse enviado para ensinar sua família, Abraão
disse que isso não seria permitido, e que nem era necessário (Lucas 16:27-31). No Velho
Testamento, Deus condenou, como abominações, esses esforços para consultar os mortos
(Deuteronômio 18:9-12). A consulta aos mortos é ligada à idolatria e à feitiçaria, coisas que
são sempre condenadas, tanto no Velho como no Novo Testamento. É, absolutamente e
sempre, errado tentar consultar os mortos e fazer oferendas, pois configura aliança não com
o morto que está em lugar reservado, mas com espíritos malignos que vem receber as
coisas ofertadas, fazendo aliança com quem ofertou. Demônios podem até mesmo
apresentar-se com a aparência das pessoas falecidas.
Esta atitude abre portas para a operação de espíritos (demônios) de morte na vida da
pessoa. A tradição brasileira de acender velas pros mortos, colocar flores em tumbas, dentre
outros. No México há oferenda de comida, onde as pessoas levam comida ao cemitério para
comerem com o “espírito” do morto, há até o culto a Santa Morte.
Quanto as rezas, após a morte o estado em que a pessoa morreu, determina seu futuro
ETERNO, após a morte não é possível a mudança.
E como não há comunicação entre vivos e mortos, solicitação a mortos não chegam até o
conhecimento dos mesmos.
Doutrina humana: Advinhações, predizer o futuro
“Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te dá, não aprenderás a fazer conforme
as abominações daqueles povos. Não se achará no meio de ti quem faça passar pelo fogo o
seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro,
nem encantador, nem quem consulte um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem
consulte os mortos; pois todo aquele que faz estas coisas é abominável ao Senhor, e é por
causa destas abominações que o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti. Perfeito
serás para com o Senhor teu Deus.” (Deuteronômio 18:9-13).
 Deus não admite adivinhações, premonições, vidências, jogos de cartas, tarô e
qualquer outra coisa que tenha por objetivo prever o futuro. Só Deus é que
conhece o futuro.
 A Bíblia diz em Isaías 8:19: “Quando vos disserem: Consultai os que têm espíritos
familiares e os feiticeiros, que chilreiam e murmuram, respondei: Acaso não
consultará um povo a seu Deus? Acaso a favor dos vivos consultará os mortos?”
13

Há vários textos bíblicos onde Deus reprova o ocultismo em todas as suas formas
(Deuteronômio 18:9-14; Isaías 8:19; Levíticos 19:31; 20:6, 27; 2 Re 21:6; Ezequiel 13:18;
Malaquias 3:5). Nestes textos a Bíblia se posicionar contra todo e qualquer tipo de
manifestação espiritualista (cartomancia, feitiçaria, macumba, candomblé, umbanda,
espiritismo kardecismo, necromancia, parapsicologia, hipnose, horóscopo, adivinhador,
agoureiro, benzedor, garrafada feita com rezas).
 Ocorre que, ao buscar no ocultismo algum auxílio para as questões da vida, a
pessoa se afasta de Deus e de Sua proteção, e se envolve com forças malignas a
fim de adquirir poder, defender-se de outras forças parecidas, descobrir o que
acontecerá no futuro (1 Samuel 28) ou simplesmente satisfazer a curiosidade.
As únicas coisas que precisamos saber estão escritas na Bíblia e não adianta nadinha
especular sobre o que a Palavra de Deus não revelou, do mesmo jeitinho que não é
permitido tentar adivinhar o futuro, por isso está escrito:
“As coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus, porém as reveladas nos
pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras
desta lei.” (Deuteronômio 29:29).
Quando entregamos a nossa Vida ao Senhor devemos confiar que Ele é suficiente para
cuidar de nós.
“O meu justo viverá pela fé... “Hb 10:38ª; Rm 1:17

Conclusão.
Depois de vermos à luz da Bíblia a verdade acerca da morte, que se deve fazer?
O tipo de entendimento que tivermos sobre a morte terá de ter a consequente aplicação
prática na nossa vida.
Se temos o entendimento correto segundo a Bíblia teremos duas coisas a fazer:

1 – Devemos resistir e combater as doutrinas e as práticas que não estejam de acordo com
a verdade bíblica.
Se temos entendido bem a palavra de Deus, mesmo que a maioria creia e pratique certos
rituais ligados com a morte e os mortos, que por vezes até pareçam nada ter de mal, mas se
não tem nada que ver com os ensinos da palavra de Deus, deverão ser considerados
contrários à vontade de Deus. Se já praticou: arrependa-se, confesse e renuncie aos
pactos/alianças feitos com as trevas.

2 - Devemos procurar viver o mais de acordo possível com os ensinamentos bíblicos.


II Pd. 3:9-12
O NT ensina que a qualquer momento o Senhor Jesus pode voltar.
Este fato deve servir de estimulo para vivermos vidas consagradas, vigiando sempre para
não adormecermos.
Se acontecer que o Senhor venha estando nós vivos, que isso não venha a tornar-se
embaraçoso para nós, ficando nós envergonhados diante do Senhor na Sua vinda.
Que o Senhor abençoe estes pensamentos e que por meio deles nós fiquemos mais fortes e
firmes na fé, e que nenhuma dúvida possa permanecer em nossas almas quanto a isto.
Que assim seja. Amém

Apostila Compilada por: Arlete Nascimento


Textos usados como base:
- Dennis Allan http://www.estudosdabiblia.net/d12.htm
- Carlos A. Oliveira
http://www.igevalgeriz.com/index.php?option=com_content&task=view&id=185&Itemid=209
- texto do site: http://aquieuaprendi.blogspot.com.br/2015/09/escatologia-o-estado-intermediario-dos-mortos.html