You are on page 1of 10

AMOR DE PERDIÇÃO, de CAMILO CASTELO BRANCO

CARACTERÍSTICAS DA NOVELA:
 A concentração de episódios conducentes à ação principal e consequente
ausência de episódios colaterais;
 A rapidez do ritmo narrativo;
 O número reduzido de personagens;
 A quase inexistência de descrição;
 A ausência de digressões;
 A frequência do diálogo como expressão dos momentos de tensão dramática;
 A extensão (menor que a do romance).

INTRIGA
A intriga principal
Amor de Perdição é, efetivamente, uma verdadeira intriga, dado que a ação se
inicia e segue em gradação crescente sem pausas nem desvios, atinge o ponto máximo, e
obriga à rutura ou ao desenlace Não tem interesse demorarmo-nos na análise da intriga
secundária pela sua irrelevância.
Na Introdução, o narrador resumiu lapidarmente a intriga principal desta forma:
«Amou, perdeu-se e morreu amando.»

2. Os elementos dramáticos da intriga


Os elementos dramáticos mais importantes são o ódio, o fatalismo e a morte. Tais
elementos conferem à intriga um clima de tragédia.

3. Os elementos trágicos da intriga


A novela apresenta uma dimensão trágica, que se traduz na morte das personagens
principais, que lutam, até ao fim, pelo único motivo pelo qual, para elas, vale a pena
viver. Findas as esperanças na vida terrena procuram na morte o seu único consolo. A
tragédia implica, como já foi afirmado, a intervenção de forças que transcendem o
indivíduo e que dominam.

A INTRIGA SECUNDARIA
Articula-se por encaixe e é constituída pelos amores de Manuel Botelho e a açoriana.
Justifica- se por duas razões: o carácter memorialista da obra e o contraste entre Simão e
Manuel, salientando o herói

RESUMO DO ENREDO

A história narra a vida do jovem Simão Botelho. Este era filho de um


desembargador, Domingos Botelho, tinha um irmão mais velho, Manuel Botelho com
quem tinha desavenças, duas irmãs mais novas sendo a caçula Rita sua preferida e sua
mãe que também se chamava Rita, e possuía uma postura muitas vezes arrogante.
Simão era um jovem violento e problemático que envergonhava a sua família.
Suas amizades eram com pessoas desordeiras de classes inferiores. Passava os dias
agredindo as pessoas pelos locais que passava. Suas atitudes traziam desgosto e
desprezo por parte dos pais.
Por conta de um romance o rapaz muda o seu comportamento completamente.
Torna-se caseiro, quieto e calmo. Sua paixão era pela jovem Tereza Albuquerque, filha
de Tadeu Albuquerque, inimigo de seu pai. O romance era proibido e mantido em
segredo pelos dois apaixonados que mal podiam se observar. Simão retorna a Coimbra,
onde tinha iniciado os seus estudos, a fim de terminá-los para dessa forma ter condições
de construir um futuro com a amada Tereza. O rapaz se esforça ao máximo nos estudos.
Os dois continuam mantendo o romance através de cartas. Há esse tempo Tereza e
Ritinha, irmã de Simão, se tornam amigas. Tereza lhe confidencia o segredo do
romance. Um dia Domingos pega a filha de conversa com Tereza e lhe obriga a contar
tudo o que sabe. O pai ao saber do romance fica irado e aí começa todo o tormento do
casal.
Tadeu sabendo também agora o que se passava promete a mão da filha ao
sobrinho Baltazar Coutinho. A moça o repudia veementemente. O pai não conseguindo
o que deseja, começa a ameaçar Tereza constantemente: ou a moça casava com o primo
ou tornar-se-ia freira. A menina não decide por nada e se mantém sempre fiel a Simão
que através de cartas da moça fica sabendo o que se passa em sua ausência. Simão volta
de Coimbra enfurecido pelas tentativas de Baltazar. Desta vez não volta para sua casa,
se instala na casa de um ferrador que devia a vida ao seu pai. Este era João da Cruz. O
homem se torna seu servo fiel e lhe promete ajuda com relação à Tereza.
João possuía uma filha de nome Mariana que logo se apaixona perdidamente por
Simão. Esta o trata com todo carinho e zelo mesmo sabendo que nunca seria
correspondida em seu amor. Tereza sabendo da presença de Simão no local o avisa
através de carta sobre seu aniversário. Diz a este que esta era noite oportuna para o
encontro dos dois. Simão de pronto vai ao local, porém não consegue encontrar Tereza
porque Baltazar percebera algo diferente seguindo a menina. O encontro é remarcado
para o dia seguinte. Simão volta na noite seguinte, contudo Baltazar já lhe havia
preparado uma armadilha. João da Cruz que já havia pensado em tal armadilha vai junto
de Simão e um ajudante para auxiliar o rapaz que estava em perigo. O encontro se faz e
começa um combate, Simão e os companheiros fogem do local a cavalo, entretanto os
comparsas de Baltazar os perseguem. João mata um dos homens e o outro foge. Simão é
ferido no ombro e levado para a casa do ferrador. João e Mariana fazem de tudo pelo
hóspede chegando ao ponto de darem suas economias a ele fingindo ser esta uma a
quantia enviada pela mãe de Simão.
Tereza continua negando o casamento e por isto é encarcerada num convento
por seu pai. Leva secretamente consigo o tinteiro e papéis para continuar enviando
cartas a Simão. No convento, onde pensava que teria uma vida de paz, surpreende-se
com o convívio com freiras fofoqueiras e maldosas. Mais tarde Tadeu resolve tirar a
filha daquele convento para levá-la a outro onde tinha uma parenta. Simão recebe por
carta esta noticia e fica sabendo que seu pai também levaria junto dela o resto de sua
família e a família de Baltazar. A noticia enlouquece a Simão que resolve ir até lá.
Escondido de João e Mariana parte para o convento da amada. Chagando lá se depara
com todos, inclusive Baltazar que o enfrenta. Enfurecido, Simão mata o rival.
Simão por ser filho de desembargador, facilmente escaparia a prisão, mas não
quis e faz de tudo para ser preso. Seu pai ao saber do acontecimento resolve não ajudá-
lo desprezando-o totalmente. Sua família muda-se para Vila Real. Sua mãe lhe oferece
ajuda desta vez, mas Simão a rejeita e se declara sem família. Passa a viver do socorro
de João da cruz e Mariana que a este ponto encontrasse totalmente submissa a ele e
apresenta problemas de ordem mental. Tereza no novo convento encontra freiras mais
bondosas e verdadeiras. A correspondência com Simão é cada vez mais difícil porém
ainda é feita.
Nesse período Simão é condenado à forca. Tereza ao saber de tal noticia se
entrega a tristeza e passa a viver como moribunda. O avô de Simão vai até Domingos e
lhe pede que este agora interceda pelo filho dizendo que não vivera uma vida honrada
até aquele momento para presenciar tal acontecimento. Ameaça suicidar-se. Domingos
pressionado pelo pai decidi então livrar o filho da sentença de morte. Simão é
transferido para uma prisão mais próxima ao porto onde também ficava o convento de
Tereza. Tadeu tenta tirar a filha de lá, mas as freiras, amigas da menina, já não
permitem tal ato. Simão vive por dois anos e nove meses na prisão. João é morto pelo
filho do homem que havia assassinado. Sendo assim, Mariana vende tudo o que tinha e
vive exclusivamente para Simão. São oferecidas duas penas a Simão: ficar dez anos
preso ou viver dez anos no exílio na Índia. A vontade de Tereza é que o amado espere
por ela na cadeia, porém Simão opta pelo exílio. E assim o faz. Mariana o segue. Graças
ao cargo de seu pai, Simão entra no navio como homem livre e torna-se logo amigo do
capitão que também lhe oferece ajuda para que este tenha na índia uma vida
nova. Promete também socorrer a jovem Mariana no que for preciso.
No entanto, Simão do porto, assiste a morte da amada Tereza que já estava no
limite da debilidade e da tristeza. Lá recebe as cartas que havia escrito e ela e a última
carta da amada. Simão abalado adoece e passa a arder em febre e delírios. Tereza mais
uma vez cuida dele com total dedicação. Simão não suporta e morre. Tereza beija o
homem amado pela primeira vez. Quando o corpo deste é amarrado a uma pedra e
lançado ao mar do navio, Mariana não resiste e joga-se junto ao corpo deste entregando-
se também a morte e deixando as cartas de amor que Simão lhe havia confiado.

PERSONAGENS
João da Cruz
Protótipo do homem português; Tipo “bom bandido”, pois é simultaneamente corajoso,
leal, grato, honrado e frio, sanguinário, sem escrúpulos, É a personagem
mais autêntica, mais verosímil da novela. A sua caracterização está feita nos capítulos
IV, V, VI, VIII, X, XV e XVII. Homem do povo, ferrador de profissão, personagem
complexa, misto de bondade, gratidão, coragem, violência e crueldade. Notável o
castiço da sua linguagem