You are on page 1of 9
CINCO CARTAS DE AMOR, DE UN SODONITA PORTUGUES DO SECULO XVI Luiz Mott Dept? de Antropalagia da Universidade Federal da Bahia | Intradugaio “E tao péssimo e horrende o crime de sodomia, ¢ to contra a ordem da natureza ¢ indigno de ser nomeado, que se chama nefando, que é 0 mesmo que pecado, em que se nao pode falar, quanto mais cometer! ' Considerada além de pecado, crime igual ao de lesa majestade, a sodomia nos paises onde existia o Tribunal da Inquisieao, era tar bém preibida de ser objeto de discurso, seja oral, seja escrito. Escrever sobre 0 nefando, somente para anatematizé-lo! Se na Europa extra-inquisitorial, como na Inglaterra, por exemplo, chegou a existir uma literatura satirica, poética e dramatica que abordava temas homossexuais — de Ganimedes ao escdndalo da vida e morte do Bispo Atherton* — em Portugal ¢ na Espa- nha, a censura inquisitorial jamais permitiu qualquer publicagdo outra que tratasse da sodomia sendo na qualidade de nefandum peecatum, causador de pestes, inundacdes, terremotos € mais calamidades, conforme vaticinava a pena intolerante dos teclagos: moralistas lusitanos’. Os inquisidores deviarn engolir com dificuldade a existéncia no Cancianeiro Medieval portugués das famosas “cangdes de amigo” onde o coitus per anum é referide diversas vezes com bastante naturalidade *. Apés ollo meses de leilura de milhares de documentos (processos e dentincias) rela- tivos aos sodomitas, arquivades na Torre de Tomba, incluindo a documentagao das Inqui sigdes de Lisboa, Evora, Coimbra e Goa, somos levades @ concluir que a politica repressora do ‘‘terrivel tribunal’ estava longe de ser homogénea: embora os Regimen- 1. Gonstitigaes Primeiras da Arcebispado da Bahia, feilas ¢ orgenadas pelo lim? Revd" Sennor D. Sebastigo Monteiro da Vide, Lisboa, 1720, § 958. 2. Alan Bray, Homosexuality in Ronaissance England, London, Gay Men's Press, 1982. 3, Fret Antonia de Sousa, O.P. Aphorismt inquisitorum, Lisboa, Of. Borde, 1669 D. Rodrigo da Cunha, Trac- tatus ae: Gantessonis Salicilantious, Lisboa, Of. Rueda, 1620. 4. Caneionaira Portugués da Vaticana, Licbea, Imprensa Nacional, 1878. Cancioneiro da Biblioteca Nacio- al, volume Vi, n° 1252, 1287, 1505, 1590. ‘Antonio J. Maura e José L. 0. Mendanga, Histéria dos Principais actos © Procedimentos da inquisi¢so fem Portugal, Lisboa, Biblioteca de Autores Portugueses, 1980. o 91 92 tos do Santo Oficio ordenassem a prisdo dos suspeitos de sodomia com apenas duas delacdes, © caso se comprovassem a consumacao de dois atos completos— pene- ratio cum seminis effusion — poderiam os réus Ser entregues a justica secular para ‘serem queimados, no mais das vezes, os Inquisidores agiam mais com “misericérdia”™ do que com “justi¢a”, 9s dois lemas ¢ alicerces do Santo Tribunal. © principal alvo dos Inquisidores, Sem & menor duvida, eram os judeus e hereges: os demais crimes (biga- mia, sodomia, bestialismo, feiticaria) nao chegam arepresentar 20% do total dos processos deste famigerade tribunal religioso. Vejamos, 4 guisa de familiarizar 0 leitor com este universo inquisitorial portugués, alguns nimeros: nos dois Repertorios de Nezanda (livres onde em ordem alfabética cons- lava os nomes de todos os denunciados e/ou confessados pelo crime de sodomia), entre 98 anos 1587-1794 constam um total de 4.419 homens envolvidos © denunciades por sodomia. Destes, até o presente, lacalizamos 447 sodomitas que foram efetivamente processados. Quer dizer: somente 10% dos sujeitos no crime nefando foram presos e julgados. Destes infelizes, 140 somente 30 foram queimados pelo abomindvel pecade de sodomia: portanto, menas de 1% dos denunciados receberam a pena capital. Comparados com os 300 mil homossexuais assassina- dos nos campos de concentracdo no Nazismo, representam apenas uma gota de sangue! A lei, tanto civil, quanto religiosa, era severissima; a prética no entanto, demonstrou ser bastante tolerante. Houve épocas que.a “‘ou- sadia” dos “‘fanchanos”’ (nome popular como eram conhecides os homossexuais, maxime os mais efeminados) sobretude em Lisboa, era to grande, que chegaram a existir naa longe dos carcares terri- veis da Inquisi¢da, diversas hospedarias procuradas predominante- mente por casais homossexuais; havia casas de baile nas imediagdes do Rocio — o centro da Capital do Reino — que eram canhecidas como “a danga des fanchonos”’, onde rapazes dancavam vestidos de mulher e com forte maquiagem; travestis percorriam ruas e casas nao apenas de Lisboa mas inclusive a zona rural; mais de um sodo- mita trazia aposte a seu nome de batismo 6 denominativo identifi- cador de suas preferéncias homossexuais, como um tal “Rafael So. Fanchona™ & um “Manoel Maricas”, este ultimo, vendeiro de frutas em Coimbra. Qusadia maior aparece diversas vezes documentada Nos processos: “somitigas’’ que seduziram homossexualmente as temiveis funcionarios © carcereiros da prénria Inquisicdo, que chegaram a transar sexualmente nos muros exte- Fiores e até dentro dos carceres do Santo Tribunal! O século XVII, de fato, foi a idade Ge ouro do homossexualisme em Portugal: também, se até el Fiei D, Afonso VI (1656-1683) era infamado de praticar o nefando” Apesar da proibiggo legal € temor incrementado sobretudo em certas periodes da “caca aos sodomitas”, 0 certa 6 que no mundo portugués (incluindo além do Reino, as colénias na Africa, Oriente e América), 9 abominavel pecado foi muito praticado, sendo tema de muita conversagao e inclusive de alguns escritos. Assim, tivemos a alegria de encontrar no meio dos milhares de manuscritos rolativas aos sodomitas denunciados €s Inquisigées de Portugal um conjunto de cinco cartas escritas por um sodomita, que constituem 9 tema central deste artigo. € © M U NM | C A % 10 So as cartas de amor de enamorados heterossexuais dos séculos passados sio. documentacdo bastante rara’, as cartas de amor de enamorados homossexuais sao ainda pegas muito mais extraordindrias. Salvo erro, estas cinco cartas do século XVII so 0 mais antigo documento do género até entao conhecido: as duas.cartas de Jeffrey Withers: para Jim Hammond, da Carolina do Sul, datam de 1826°, outras cartas conhecidas de gays so do final de século XIX". Il, Os personagens As cinco cartas foram escritas por Francisco Correa Netto na Quaresma de 1664. Infelizmente pouca coisa sabemos sobre a biografia deste sadomita. Era sagristio da Sé da cidade de Silves, no sul de Portugal. Quem o denunciou a Inquisicao de Evora (cir- sunscrie&io & qual pertencia Silves) foi o Vigario Padre Manuel Luiz Coelho, que no dia 28 de marco de 1664 disse ter recebido as cinca cartas do prdprio amante-destinatario do sodomita, Manoel Viegas. Num oficia enviado ao Comissrio (espiao) da Inquisicae de Evora, diz 0 sacerdote: “Esta nesta cidade um somitigo encuberto hd muito tempo e agora quiz Deus se descubrisse...” Silves, hoje com menos de dez mil habitantes, é uma pequena cidade do Algarve meridional, que até o século XII fai a capital dos Mouros quando dominavam a regio — chamava-se “Xelb”. Até hoje conserva os pogos ¢ cislenas d’agua construides pelos drabes, Sua catedral gética — a Sé onde nosso sodomita era Sacristao — é considerada come um das monumenios religiosos mais interessantes do Algarve: data do século XIll. Ai foi enterrado em 1495 D- Jodo Il, 0 mesmo Rei que em vida dissera que “menos mal havia a um Rei ser puto do que ser mandado...”""" alids, varios descendentes seus, tambem de cabeca coroada, cumpriram a profecia A respeito do Sacristéo Francisco Gorrea Netto sabemos também que era infamado de ter “um quarto de judeu no sangue”, pois. ao se proceder as diligéncias canénicas para sua habilitacdo as Ordens Menores, “ele buscava testemunhas da terra que nao conheceram seus avés” a fim de evitar a identificacao de sua ascendéncia hebréia. Alem de “'sodemita encuberto” o vigario-delator acrescendo ao sacristéo a suspeita de “cris- tZo novo” lornava-o, sem divida, duplamenie vulneravel. Infeliz sacristéo: seu delator acusa- ainda de um terceira crime do conhecimento da Inquisicio — era infamado publicamente de ter “dado uma bolsa com uma hdstia consagrada e uns corporais a um outro homem”, crime que $¢ comprovada a intengdo sacrilega do autor, paderia leva- lo 8 fogueira, como prescrevia documenta papal. Nesta épeca, ¢ nos sécules subseqien- tes, trazer uma “bolsa de mandinga” ou “patua”” contendo além de aracées fortes, amuletos ete eSobretudo uma particula consagrada, era garantia de ter-se 0 corpo fechado contra armas de fogo e ferra, pratica que {oi vigilantemente perseguida pelos zelosos defensores da orladoxia catolica. 6 Asdribal A. D’Aguiar, “Evolueio da pedevastia © do lesbianismo na Europa”, Separata do Arquivo aia Universidade de Lisboa, vol. Xl, 1926:504 7. JearL. Flandrin, Les Amours Paysannes, (XVI8-KIXé siécle). Paris, Gallimard, 1975. @. Martin B. Duberman, "Writing Bediellows: 1826 two young men trom antebellum South Carolina's rul- ling elite share extravagant delight’. Journal of Homosexuality, vol. 6 (112). Fall-Winter 1960181 9, Jonathan Katz, Gay American History, New York, Avan Books.1976. 30. AA, D’Aguiar, op.cit. S05 93