You are on page 1of 9
© 2000 or Ego, Ares inn nn ©2008 de no tral Pra Edward Sat “eid a Ee tt Sart Cater fst it exec MBS 1 Versées de cultura Cultura” &considerada wn ds sou ts plat mais campieas de nose lingua, a0 temo que & por vezescnside- Fada seu oposto “natures” ~ € comumenteconferdaahoora de set 0 mals complexo de tods. No entanto,embora este aualmenteem moda cosiderar a narureza como um derivado da cultura,o concete de cultura, etimologicamente flan, & ‘am conceit derivado do denatureza. Un de ses slgiiados gins €“Iavoura” ou “culivoageleala", 0 cultivo do que reacenatralments.O mesmo é verdadero, no cas0 dongs, ‘respeio das palavse pra lel justi, assim como de temo como “capita”, estoque”,pcunivio"e"esterino™. A palawra Inglesa cule, que €um cognaro de cular, signif “rena de arad’.* Nossa lara para a mais nobre dis aldades huma- ns, asim,& deriva de trabalho e agreultua, colt cul- sbedeamamcn 08) Teper to. Francis Bason escreve sobre" culo eadabagio de men- ‘es, numa hestaciosugestiv entre exrume edstngio mental "Cultura", gu significa umaativiade epassou-emulto tempo até que aplava esse a denotar uma etd, Meso eno, rovavelmentendo fo sendocom Matthew Amold que pala Geaigou-se de ajeivos como “mor e“Inelecual”etornase punas “cular” uma astro em mesa, timologicamenteflando, eno, «expresso stualmente popular "materialism cultural” équase tauolle."Caltur’ ‘denotava de inicio um process compleramente material que foi depois metafricamente wansferdo ara questées do esi. [A pala, assim, mapeiaem seu desdobramento semintico & mudanga histica da prépria humanidade da existéncia rural ara a urbana, da ajo de porcos a Picasso, do lv 0 510 4 divsio do dtomo. No inguajar marisa, ea rede em una ‘nica nogdo tanto a base como a superestruturs Talves por deers do raze que se espera qe tenhamos dant de pessoas "cults" seesconda una meméeacoleiva de seca fome, Mas ‘esse muanga semintica€ambém pradoxal: 8008 habitantes turbanos questo “cus”, eaquees que realmente vive ara doo solo noo sia. Aqueles que cultvam a tera slo menos ‘capazes de cultivars mesmos. A agrcultura nfo deixa lazer algum para a cultura. ‘Arnislatina ca plava “clea ce, que pode igiiar qualquer cois, deste cultivar e habia a sdora ¢ proteer Seu Sgnifcado de “hata” evo do lat clon para acon potineo “colonialismo", de modo que itulos como Calta ‘oliaismo so, de novo, um tanto tautoégicos, Mas clea bh desembocs, via atm cuts, no termo relgiogo “cut”, ‘assim como a propria dela de cultura vem na Idade Moder