You are on page 1of 123

SAÚDE NA COZINHA: USO

TERAPÊUTICO DOS

CONDIMENTOS

Profª Msc Andréia Oliveira Sancho Cambuy

Nutricionista

CONTEÚDOS

AULA 1 introdução; conceitos ; glossário; utilização; ALHO; CEBOLA; CÚRCUMA; AÇAFRÃO; PIMENTA;

RAÍZ FORTE.

AULA 2 massalas e a culinária indiana; CARDAMOMO; CANELA; CRAVO; ASSA FÉTIDA; NOZ MOSCADA;

MOSTARDA; PIMENTA DO REINO; FENO GREGO;

COMINHO.

AULA 3 condimentos como antídotos de alimentos; ALFAVACA; MANJERICÃO; MANJERONA; ORÉGANO; TOMILHO; ALECRIM; HORTELÃ; ERVA DOCE/ FUNCHO; ANIS.

AULA 4 aula prática.

A SAÚDE NA COZINHA

“ A cozinha pode se tornar

uma clínica doméstica. Você

pode usar a cozinha e seus

recursos para criar curas herbáticas que sanarão você

e sua família”.

“O propósito desses

remédios naturais não é suprimir os efeitos da

doença, mas sim harmonizar

os fatores que desequilibram

o corpo, eliminando a causa

da doença.

(LAD, 2007;CARNEIRO, 2009 )

CONDIMENTOS

Expressão: do latim condimentu e significa “substância aromática, geralmente de origem vegetal, usada para realçar o sabor dos alimentos”

Sinônimos: especiarias, substâncias aromáticas, ervas aromáticas ou temperos.

Utilização tradicional: tornar os alimentos mais apetitosos e de fácil digestão.

CIVILIZAÇÕES ANTIGAS E OS

CONDIMENTOS

“As principais especiarias comercializadas na época das grandes navegações eram nativas da Ásia Tropical, das florestas quentes e úmidas, e não podiam ser produzidas na Europa. Eram compradas secas e dessa forma utilizadas”.

“Em 1453, o império turco-otomano tomou Constantinopla e colocou sob seu jugo todo o comércio dos principais condimentos utilizados na alimentação europeia bem como as rotas para alcançá-los”.

As especiarias eram imprescindíveis por comporem os conservantes de alimentos e por serem utilizadas como remédios, afrodisíacos, temperos, perfumes, incensos etc”.

“As quatro mais valorizadas naquele tempo eram a pimenta-do-reino, o cravo, a canela e a noz-moscada”.

“Eram moedas de troca, dotes, heranças, reservas de capital, divisas de um reino. Pagavam serviços, impostos, dívidas, acordos e obrigações religiosas

(NEPOMUCENO, 2005)

GRANDES NAVEGAÇÕES

ESPECIARIAS/ CONDIMENTOS

O termo especiaria

é definido

como material seco da planta

que normalmente

é

acrescentado

ao

alimento

para melhorar o flavor.

Os condimentos podem ser acrescentados nos alimentos de várias formas, como inteiras, frescas, secas, como extratos isolados e/ou óleo essencial.

(Del Ré ; Jorge; 2012)

ESPECIARIAS/ CONDIMENTOS • O termo especiaria é definido como material seco da planta que normalmente é

COMPONENTES PROVEDORES DE

SABORES

Os componentes existentes nas especiarias consistem de

compostos como alcoóis, ésteres, aldeídos, terpenos, fenóis, ácidos orgânicos,

óleos essenciais e muitos

outros elementos, que não têm sido totalmente identificados.

(Del Ré ; Jorge; 2012)

COMPONENTES PROVEDORES DE SABORES • Os componentes existentes nas especiarias consistem de compostos como alcoóis, ésteres,
COMPONENTES PROVEDORES DE SABORES • Os componentes existentes nas especiarias consistem de compostos como alcoóis, ésteres,

CONDIMENTOS

O grande destaque para a saúde é no processo digestivo. A presença de enzimas é fundamental para a digestão de nutrientes, e alguns extratos vegetais estimulam a

produção de saliva e sucos gástrico

e pancreático, favorecendo a secreção enzimática e melhorando a digestibilidade dos nutrientes.

CONDIMENTOS • O grande destaque para a saúde é no processo digestivo . A presença de

(Del Ré ; Jorge; 2012)

BENEFÍCIOS GERAIS

Estimular o apetite.

Efeitos gastrointestinais (da digestão à assimilação e utilização de nutrientes).

Equilibrar o organismo, com benefícios no sistema digestivo, endócrino, reprodutor, circulatório, respiratório

e sistema nervoso central. Como tônico rejuvenescedor. Proteção à doenças (desintoxicante). Auxilia no controle do peso. Como conservante, agente antimicrobiano e corante em alimentos. Acréscimo de vitaminas e minerais às preparações.

CONDIMENTOS

A composição e concentração de princípios ativos variam:

origem, espécie, variedade, controle genético, fase de desenvolvimento durante a colheita, estímulos proporcionados pelo meio como, por exemplo, fatores climáticos, exposição a microrganismos, insetos e outros herbívoros, poluentes e tipo de processamento pós colheita.

CONDIMENTOS

Todas estas características fornecem

propriedades sensoriais

específicas, de maneira particular a cada planta

aromática, podendo

determinar em algumas

espécies a concentração de determinado princípio

ativo.

CONDIMENTOS • Todas estas características fornecem propriedades sensoriais específicas , de maneira particular a cada planta
CONDIMENTOS • Todas estas características fornecem propriedades sensoriais específicas , de maneira particular a cada planta

Zingiber officinale

CONDIMENTOS

Para uma especiaria atuar como moduladora da promoção da saúde, não depende só dos teores de fitoquímicos, mas também da forma de preparo e da quantidade consumida.

CONDIMENTOS • Para uma especiaria atuar como moduladora da promoção da saúde, não depende só dos
CONDIMENTOS • Para uma especiaria atuar como moduladora da promoção da saúde, não depende só dos

Petroselinum crispum

CONCEITOS

Fitoterapia Método de tratamento caracterizado pela utilização de plantas medicinais em suas diferentes

preparações, sem a utilização de substâncias ativas isoladas, ainda que de origem vegetal, sob orientação de um profissional habilitado.

Nota: A fitoterapia engloba a utilização de plantas medicinais in natura, de drogas vegetais, de derivados de drogas vegetais e de medicamento

RESOLUÇÃO CFN N° 525/2013 Regulamenta a prática da fitoterapia pelo nutricionista.

FORMAS ALIMENTARES

DE UTILIZAÇÃO

INFUSÃO

Para folhas, flores e plantas frágeis.

A dose tradicional é 1 colher de sopa da planta fresca ou seca para cada xícara de água em ebulição (pode variar).

A água deve ser fervida em chaleira de inox, vidro, barro ou ágata.

INFUSÃO • Para folhas, flores e plantas frágeis. • A dose tradicional é 1 colher de

A planta deve ser colocada em recipiente de louça ou vidro e coberta com água em ebulição.

Deve-se tampar o recipiente e deixar descansar de 5 até 20 minutos para liberação dos princípios ativos.

Ex: hortelã,

INFUSÃO • Para folhas, flores e plantas frágeis. • A dose tradicional é 1 colher de

DECOCTO

É o cozimento de cascas, raízes, sementes e outras partes duras.

A dose da planta é variável, mas em média é de 1 colher de sopa para cada xícara de água.

O cozimento deve ser em recipientes de inox, vidro, barro ou ágata.

A cocção pode durar entre 5 a 20 minutos, em recipiente tampado, e posterior descanso de 10 a 20 minutos.

O sabor fica mais concentrado e o processo é mais demorado.

Ex: canela cravo erva doce aniz estrelado gengibre.

MACERADO

A maceração é feita com a planta geralmente fresca e água fria, óleo,

vinagre ou outro veículo em temperatura não quente.

Pode usar um pilão e um cadinho de cerâmica. Colocar a planta fresta e

esmagar com auxílio do veículo. Deixar a planta imersa no veículo, em local escuro, por mínimo de 4 horas até dias.

Ex: água de boldo água de berinjela - óleo de alho vinagre de ervas vinho de alecrim óleo com pimenta.

PREPAROS

Sumos Sucos concentrados Leites medicados Vinho medicinal Mel preparado Xaropes Garrafadas Extratos Tinturas Vinagres Saladas

PREPAROS • Sumos • Sucos concentrados • Leites medicados • Vinho medicinal • Mel preparado •

GLOSSÁRIO

GLOSSÁRIO

Adstringentes: contraem e secam os tecidos. Amenorréia: ausência de menstuação fora da menopausa. Analgésico: acalma ou elimina a dor. Anestésico diminui ou impede a sensibilidade. Anticoagulante: diminui capacidade de coagulação sanguínea. Anticolinérgico: bloqueia acetilcolina. Antiedematoso: impede a formação de edemas. Antiemético: previne ou controla vômito. Antiespasmódico: neutraliza espasmos da musculatura lisa.

GLOSSÁRIO

Anti-inflamatório: combatem inflamações. Anti-helmíntico/ antiparasitárito: verífugo. Anti-histamínico: bloqueia a histamina, liberada em processos alérgicos. Antipirética, antitérmica ou febrífuga: combate a febre Antipruriginoso: elimina ou reduz as coceiras. Antireumático: age sobre a doença reumática. Antisséptico: desinfetante. Antitumoral: age contra tumores. Antitussígeno ou béquico: combate a tosse.

Antiviral: age sobre o virus ou nadoença causada pelo vírus.

GLOSSÁRIO

Aperiente ou aperitiva: aumenta o apetite. Aromática: rica em óleos essenciais. Balsâmico: alivia a dor ou sensações desagradáveis. Geralmente aplicado sobre a pele. Broncodilatador: dilatam os brônquios. Calmante ou sedativa: acalma o sistema nervoso. Cardiotônico: aumenta a força do batimento cardíaco. Carminativo: combate a flatulência estomacal e intestinal. Caustico: que queima, corrosivo. Colagoga: favorece a produção e elimação da bile.

GLOSSÁRIO

Coletérica: favorece a contração da vesícula biliar, lançando a bile para o tubo digestivo.

Depurativa: purificam o sangue e líquidos corporais. Diaforético: provoca sudorese, geralmente usada para reduzir a febre. Digestiva: facilitam o processo digestivo. Diurética: aumentam a micção.

Emenagoga: provocam a menstruação ou regularizam o ciclo menstrual.

Emética: provocam o vômito.

Emoliente: suavizam tecidos endurecidos por abscessos, contusões, úlceras e inflamações.

Epistaxe: hemorragia nasal.

GLOSSÁRIO

Estimulante ou tônica: aumenta a energia vital, combatendo debilidades, anemias e fraquezas dos órgãos.

Estomáquica ou eupéptica: tratam o estômago e o processo digestivo.

Expectorante: age sobre o sistema respiratório na eliminação de secreções.

Fungicida: combate fungos. Galactagoga: estimula a produção de leite. Hemostática: controla hemorragias. Hipnótica: favorece o sono. Hipoglicemiante: baixa a taxa de glicose sangúinea. Hipotensora: baixa a pressão arterial. Hipolipemiante: diminui lipideos sanguíneos.

GLOSSÁRIO

Imunoestimulante: age no sistema imunológico no aumento das defesas do organismo. Purgativo: acelera ou provoca a evacuação. Sialagoga: estimula a salivação.

Vasodilatador: age no calibre do vaso sanguíneo, dilatando e aumentando o fluxo sanguíneo.

Vasoconstritor: age no calibre do vaso sanguíneo, diminnuindo-o e subindo a pressão arterial.

Tônico: que excita e favorece atividades orgânicas.

INFORMAÇÕES DE CADA ESPECIARIA

Nome científico e popular

Família botânica e parte utilizada

História

Propriedades

Indicações

Contra indicações

Princípios ativos Posologia (Adultos) Estudos científicos Receitas culinárias

ESPECIARIAS

Alho

Cebola

Cúrcuma

Açafrão

Gengibre

Pimenta

Raiz forte

ALHO

ALHO

A SAÚDE NA COZINHA

ALHO

Nome científico: Allium sativum L. Família: Liliaceae Nomes populares: alho da horta, alho-manso e alho comum. Parte utilizada: bulbos. Habitat: Ásia ocidental e Europa Uma das plantas mais versáteis e eficazes! 5000 anos de uso.

No Egito antigo era artigo de troca e está nas inscrições da

pirâmide de Queops. Na Índia era usado para mordida de serpente e tumores abdominais. Grandes nomes (Hipócrates, Aristófanes, Galeno) prescreviam o alho. Uso pelos índios americanos (dor de

ouvido a escorbuto). Na 1º Guerra era o antibiótico do exercito

inglês.

ALHO Allium sativum

Propriedades: amebicida, antiparasitário, digestivo, carminativo, vasodilatador periférico, antiagregante

plaquetário, hipolipemiante, febrífugo, hepatoprotetor, expectorante, antiasmático, fungicida, antigripal, desinfetante, antiséptico, antibiótico, anti-inflamatório,

anticancerígeno, antireumático, imunoestimulante,

antiviral.

ALHO Allium sativum

Indicações: Doenças de pele (manchas, acnes, calos, caspa, micoses, verrugas, escabiose), doenças

respiratórias (asma, tosse, bronquite, tuberculose, sinosite), problemas circulatórios (ulceras, varizes, tromboembolismo, arteriosclerose), reumatismo, dor de

dente, de ouvido. Amigdalites. Febres. Gripes.

Resfriados. Hipertensão, diabetes. Parasitas intestinais. Má digestão.

Contra indicações: alérgicos ao alho. Crianças menores de 3 anos, pessoas com gastrite/úlcera, hipotensão e hipoglicemia. Não em excesso na gestação (emenagogo) e lactação (cólicas no lactente).

ALHO Allium sativum

Efeito cáustico: altas doses pode causar irritação gástrica, náuseas e odor (hálito e pele).

Uma dose excessivas de extrato (25ml): causou queimação na boca, esôfago e estômago, náusea, transpiração e tontura.

Exposição tópica do alho esmagado (5 minutos):

dermatite de contato tóxica.

Alho em pó inalado: reações asmáticas, tosse, dificuldade para respirar, pressão torácxica, secreção

nasal, espirros, coceiras.

Não utilizar em caso de hemorragia e tratamento com anticoagulantes.

Descontinuar o uso 10 dias antes de cirurgias.

ALHO Alium sativum

Princípios ativos:

Vitaminas (A, B1, B2 e C).

Minerais (enxofre- ODOR, cálcio, iodo, silício, sódio, ferro, germânio e selênio)

Óleo volátil (compostos sulfurosos aliiina, ajoeno, alicina, alil mercaptano, s-alil-cisteína, dialil sulfeto).

Saponinas, adenosina, ácidos fenólicos, inulina (não sulfurosos)

A alicina, um líquido de coloração amarela , decompõe-se na presença de ar e água quando o bulbo é cortado ou mastigado, originando dissulfito de dialila (principal responsável pelo odor característico do alho)

ALHO Alium sativum

O alho possui três vezes mais compostos derivados de enxofre em relação a outros vegetais como cebola,

brócolis, repolho e couve-flor

Posologia:

2g a 4g de bulbos frescos/dia (DE 1 A 2 DENTES) Infuso/macerado de 2 a 3 dentes/dia. Óleo de 2 a 5 mg/dia. Tintura mãe de 6 a 12ml. Extrato seco de 300 a 1000 mg.

ALHO Allium sativum ESTUDOS

Hipocolesterolêmico: Diminui colesterol total, em vários

ensaios clínicos. Os dissulfetos (alicina) podem reduzir a

atividade de enzimas (nicotinamida, oxidação da NADPH) necessários para a síntese de lipídeos.

Antitrombótico O composto ajoeno inibiu a agregação das plaquetas tanto em artérias pequenas quanto médias.

Imunidade: Os minerais germânio e selênio tem papel na resistência imunológica.

Antioxidante: Em ratos a alicina aumentou o nível de enzimas catalase e a peroxidase da glutationa, o que garante a

atividade antioxidante no sequestro de radicais livres.

Anti-fúngico: Amostras de sangue e urina foram testadas com extrato de alho para atividade antifungica em 15 espécies de fungos patogênicos. Inclui a cândida.

ALHO Allium sativum ESTUDOS

Anti diabético: estudo comparou o uso de metformina e

de metformina mais alho. O alho reduziu a glicemia de

jejum e glicemia pós-prandial significativamente. Está entre as 12 espécies vegetais recomendadas pela Organização Mundial da Saúde como utilizáveis como

alternativas terapêuticas para o Diabetes tipo II.

Hipotensivo: 79 pacientes com hipertensão foram divididos em três grupos, que tomaram uma, duas ou quatro cápsulas diárias de extrato de alho envelhecido. Nos grupos que tomaram duas ou quatro cápsulas a pressão foi significativamente reduzida.

A SAÚDE NA COZINHA

COZIMENTO DO ALHO

Não deve ultrapassar 20 minutos para que não haja perda de nutrientes.

O aquecimento no microondas é diferente em relação ao aquecimento no fogo. Tanto no alho em pó como no cru, aquecido por 30 minutos, a capacidade antioxidante fica

estável (permanece). Entretanto, quando colocado em

microondas por 30 segundos sua capacidade oxidativa diminui significativamente.

O alho cozido por mais de 30 minutos ou frito por 8 minutos diminui em 60% sua capacidade antioxidante. Resultado: o alho cru ainda é terapeuticamente o mais eficiente.

A SAÚDE NA COZINHA

ALHO

O consumo do alho fresco provoca indigestão e seu odor pungente perdura na respiração e na pele. Como fonte alternativa, foi desenvolvido o “extrato de alho envelhecido”, que é inodoro e rico em antioxidantes.

A SAÚDE NA COZINHA ALHO • O consumo do alho fresco provoca indigestão e seu odor

A SAÚDE NA COZINHA

ALHO E A CULINÁRIA

Preparos vão ter qualidade quente, amarga e picante.

Estratégias para tirar o cheiro de alho das mãos após o uso: aplicar vinagre, sal, leite, pó de café passado, folhas, limão e laranja, pasta de dente, ou use luvas.

Para aproveitar os nutrientes e o sabor mais suave do alho, enrole a cabeça inteira em papel alumínio e asse por 40 minutos.

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITA COM ALHO

TEMPERO DE ALHO FRESCO

450 g de alho descascado 250 g de sal

Preparo: coloque o alho em um triturador de alimentos para picar, ou no liquidificador na função pulsar. Não triturar demais para não soltar água e virar uma pasta. Passe o alho para uma tigela e misture o sal delicadamente. Coloque em vidro tampado e guarde na geladeira.

Para variar o sabor, misture 1 xícara de alfavaca picada e duas pimentas dedo-de-moça picadas sem sementes.

Benefícios: uso pode ser sem fritar. Propriedades do alho fresco!

http://come-se.blogspot.com.br/2010/09/tempero-de-alho.html

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITA COM ALHO

AZEITE DE ALHO

2 dentes de alho 250 ml de azeite

A SAÚDE NA COZINHA RECEITA COM ALHO • AZEITE DE ALHO • 2 dentes de alho

Preparo: em uma panela amornar o azeite, sem deixar ferver. Colocar os dentes de alho descascados em um vidro e derramar o azeite. Pode acrescentar outras ervas, como alecrim, manjericão, sálvia, pimentas, erva doce, canela, etc. Use para temperar saladas, molhos, torradas, etc. Prefira consumo dele sem aquecer.

Benefícios: uso cotidiano age na prevenção de doenças.

http://panelinha.ig.com.br/site_novo/receita/receita.php?id=300

173

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITA COM ALHO

PIPOCA DE ALHO

1 xícara de grãos de pipoca 2 colheres de sopa de azeite de oliva 1 cabeça de alho (dentes com casca)

Preparo: coloque o azeite para esquentar. Quando estiver quente acrescente a pipoca e mexa bem. Quando ela começar a estourar coloque o alho inteiro e tampe panela. O alho vai

cozinhar no vapor em vez de fritar.

Benefícios: ótimo para tratar gripes na fase inicial em dias em que é preciso comer mais alho (2 dentes).

(Por Andréia Cambuy

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITA COM ALHO

PATÊ DE ABACATE COM ALHO

Ingredientes

1 abacate tipo avocado 2 dentes de alho ralados 1 colher de chá de sal

1 colher de sopa de azeite 1 colher de chá de suco de limão

Modo de preparo: Bater tudo no liquidificador. Acompanha torradas, pães e saladas.

Benefícios: no tratamento de patologias agudas e crônicas, pelos benefícios do alho cru (buscar consumir dois dentes/pessoa). O abacate e as torradas protegem a mucosa gástrica.

(Por Andréia Cambuy

CALDO ALCALINIZANTE

CALDO ALCALINIZANTE: em uma panela de pressão colocar ¼ de repolho, ½ brócolis, ½ couve flor, 1

beterraba (ou salsão), 1 cebola e 2 dentes de alho, todos picados. Colocar água até a metade da panela. Tampar, esperar pegar pressão e cozinhar por 10 minutos.

Desligar o fogo e manter a panela tampada por mais 10

minutos. Bater, aos poucos, metade das verduras no liquidificador com parte da água cozimento. Voltar o caldo para a panela com o restante dos vegetais em pedaços, temperar com sal rosa, 1 dente de alho ralado cru, e

ferver. Comer devagar o quanto necessário. Benefícios: diurético, alcalinizante, auxilia na desintoxicação e emagrecimento, como substituto de refeições.

ALHO E MEDITAÇÃO

“Alguns textos de ayurveda (medicina indiana) atribuem ao alho propriedades rajásicas, e outros tamásicas. Entretanto é unânime a contraindicação para os praticantes de yoga ou meditação, devido aos seus efeitos sobre os doshas mentais”.

Carneiro (2009).

CEBOLA

CEBOLA

CEBOLA

Nome científico: Aliium cepa L. Família: liliaceae. Nomes populares: cebola de cabeça, cepa. Parte utilizada: bulbo. Habitat: Ásia central.

Iniciou há 5000 anos no Egito. Cebola protegia contra maus espíritos e pragas, pelo forte odor.

Uso por curandeiras contra infecções. A tintura da casca era usada para tingimento.

A SAÚDE NA COZINHA

CEBOLA

Cebola roxa

Cebola branca

Tem o sabor mais suave e adocicado

Tem sabor mais forte e ardido

É mais calórica (100g = 34

Kcal)

É menos calórica (100g =

31,5Kcal)

Tem mais betacaroteno Tem antocianina (flavonoide)

Tem mais cálcio

http://movasaude.com.br/?p=86

Cebola Allium cepa L.

Propriedades: estomáquica, aperiente, antiasmática, antimicrobiana, estimulante cardiovascular,

hipoglicemiante, antioxidante e anticancerígena.

Indicações: saúde cardiovascular, diabetes, câncer, intoxicações, infecções, dispepsia. Promover a diurese.

Saúde intestinal. Descongestiona.

Contra indicações: seguro como alimento. Uso em excesso pode afetar o estômago. Cuidado consumo em

excesso junto com medicamentos anticoagulantes (aspirina).

Cebola Allium cepa L.

Princípios ativos: vitaminas (B1. B2 e C). Potássio. Polissacarídeos. Peptídeos. Flavonóides. Óleos essenciais. Compostos sulfídricos (aliina), metílicos e propílicos. Enxofre. Prostaglandinas.

Efeitos colaterais: compostos sulfídricos vaporizam e hidrolizados se tornam ácido sulfúrico, que causa irritação

ocular (gás reage com a água do corpo).

Posologia:

50g de cebola fresca (1 unidade média). Suco de 50g de cebola. 20g de cebola seca.

ENXOFRE

Os aminoácidos cisteína, metionina homocisteína e tauri na contêm enxofre, formando as pontes de

dissulfeto entre os polipeptídeos, ligação de grande importância para a formação das estruturas espaciais das proteínas.

É constituinte de algumas vitaminas, participando na síntese do colágeno (colagénio), neutraliza os tóxicos e ajuda o fígado na secreção da bílis.

É encontrado em legumes como aspargos, alhos-poró, alhos, cebolas, também em pescados, queijos e gema de ovos; diferentemente do inorgânico, o enxofre dos alimentos não é tóxico e seu excesso é eliminado pela urina. Sua deficiência retarda o crescimento.

CEBOLA ALLIUM CEPA L. ESTUDOS

Antidiabética: reduziu os níveis de glicose em coelhos diabéticos. Atividades atribuídas ao sulfóxido de s metil

cisteína, efeitos comparáveis ao da insulina.

Anticoagulante: estudo in vitro verificou a síntese de tromboxanos e prostaglandinas responsáveis por inibir a

coagulação. Os tiossulfinatos retardam a síntese dos

trombócitos e são agentes antimicrobiais.

Hipolipidêmico: efeito contra a arterosclerose induzida por dieta gordurosa, controlando os lipídeos. Efeitos de

redução de lipídeos e da pressão arterial NÃO foram

provados clinicamente (melhor o alho).

A fervura da cebola pode causar a destruição dos princípios ativos que exercem atividade antitrombótica.

CEBOLA ALLIUM CEPA L. ESTUDOS

Doenças respiratórias: na medicina popular há muitos relatos do tratamento de asma, coqueluche e bronquite.

O suco de cebola protegeu contra ataque de asma em cobaias. Tiossulfinatos inibiram a broncoconstrição.

Anticarcinogênico: compostos organosulfurosos exerceram efeito quimio-preventivo na carcinogênese

química. Efeitos positivos contra câncer de cólon, rins, mama e estômago.

Antimicrobiana: no hambúrguer a mutagenicidade da salmonela foi reduzida quando acrescentaram a cebola. O suco da cebola inibiu as atividades das bactérias patogênicas (Streptococcus mutans etc) fungos e leveduras (Microsporum canis, Aspergillus flavus etc).

A SAÚDE NA COZINHA

CEBOLA NA CULINÁRIA

Na atmosfera o enxofre vira gás e se espalha pelo ambiente. Quando entra em contato com a água dos

olhos, ele forma uma espécie de ácido sulfúrico (H 2 SO 4 ), um gás que irrita os olhos.

Dicas para cortar cebola sem arder (tanto) os olhos:

Usar facas com lâminas afiadas, liberam menos odor. Deixar a cebola 10 minutos no freezer antes de cortar. Cortar em uma bacia com água. Usar óculos de natação. Usar um processador de alimentos.

A SAÚDE NA COZINHA RECEITA COM CEBOLA • SOPA DEPURATIVA • 1 pires de couve flor

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITA COM CEBOLA

SOPA DEPURATIVA 1 pires de couve flor picada 1 pires de salsinha picada 1 pires de brócolis picado 1 pires de repolho roxo picado 2 folhas de couve picadas e bem lavadas 1 pires de nabo ralado 1 e ½ colher de sopa e óleo de coco Biomassa de banana verde para engrossar a gosto

1 cebola roxa picada + 2 dentes de alho + 1 colher de café de gengibre ralado + Sal e pimenta a gosto

Preparo: Em uma panela funda adicione o óleo de coco e refogue a cebola, o alho e o gengibre. Junte todos os demais ingredientes. Refogue bem e cozinhe por cerca de 20 minutos. Bata ou não no liquidificador. Sirva em seguida.

Benefícios: diurese e desintoxicação, limpeza intestinal, garantidos se comer toda a porção.

Adaptada de http://receitadietadetox.com.br/receitas-e-cardapios/receitas-sopas-detox-

emagrecer-109

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITA COM CEBOLA

CEBOLA ASSADA

1 cebola sem casca e cortada e partes Manteiga, pimenta do reino e sal a gosto

Preparo: corte a cebola em partes iguais, salpique os temperos, cubras com papel alumínio e asse por 4º minutos no

forno. Para não ficar tão ardida, deixe a cebola de molho antes

em água quente por 30 minutos.

Benefícios: diurese e desintoxicação, limpeza intestinal, garantidos se comer toda a porção.

http://cafecombolodefuba.blogspot.com.br/2011/06/cebola-assada.html

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITA COM CEBOLA

HAMBURGUER CASEIRO

500 g de carne moída 1 colher de chá de pimenta do reino preta 2 colheres de chá rasa de sal 1 cebola bem picada Farelo de aveia/farinha de linhaça a gosto Preparo: em uma vasilha misture todos os ingredientes. Molde os hambúrgueres e grelhe em frigideira de fundo grosso ou grelha. Benefícios: efeito antimicrobiano, evitando proliferação bacteriana e toxinas na carne. Mesmo assim, importante assar bem!

Adaptado http://socorronacozinha.com.br/receita-hamburguer-caseiro-carne/

A SAÚDE NA

COZINHA

RECEITA COM CEBOLA

SUCO DE CEBOLA

1 cebola ralada Suco de 1 limão

A SAÚDE NA COZINHA RECEITA COM CEBOLA SUCO DE CEBOLA • 1 cebola ralada Suco de

Preparo: passe a cebola ralada em um pano para obter a parte líquida. Misture com o suco de limão. Tomar de uma a duas vezes ao dia, após as refeições.

Benefícios: antitrombótica, antidiabética, anticancerígena, antiasmática e antioxidante se uso continuado.

http://www.curapelanatureza.com.br/post/04/2015/suco-de-cebola-e-limao- combate-diabetes-normaliza-colesterol-e-reduz-peso

CHUCRUTE DE REPOLHO

CHUCRUTE DE REPOLHO ROXO Ingredientes 1 repolho roxo cortado em tiras 1 colher de sopa cheia de sal 1 cebola em pedaços

Modo de preparo: em uma vasilha misturar o repolho com o sal e deixar uns minutos até que escorra toda a água. Colocar o repolho e toda a água em um frasco de vidro bem higienizado. Cobrir com a cebola e tampar tudo com um filme plástico. Deixar descansar por 3 a 4 semanas para fermentar. Depois desse período, abrir e usar como tempero de saladas.

Benefícios: digestivo, recostitui a flora intestinal, diurético, alcalinizante e antioxidante.

AÇAFRÃO DA TERRA

AÇAFRÃO

DA TERRA

AÇAFRÃO DA TERRA

A SAÚDE NA COZINHA

AÇAFRÃO DA TERRA

Nome científico: Curcuma longa Família: Zingiberaceae

Nomes populares: açafrão da Índia, açafrão da terra, açafroa, gengibre amarelo, tumérico.

Parte utilizada: rizomas frescos e secos em pó.

Habitat: Sudeste da Ásia

Tumérico oriunda do latim terra meritare, ou "mérito da terra“.

Ingrediente essencial no curry indiano, a massala mais famosa do mundo.

A SAÚDE NA COZINHA AÇAFRÃO DA TERRA • Nome científico : Curcuma longa • Família :

AÇAFRÃO DA TERRA - Curcuma longa

Propriedades: Antiartrítica, depurativo, digestivo antiparasitária, antiespasmódica, antibacteriana, antioxidante, antinflamatória e anticancerígena, hepatoprotetora, antitrombótica e antilipídica. Ação

antidepressiva.

Indicações: dispepsias, flatulência, doença hepática e do trato genitourinário, assim como em febres e infecções. Atua na manutenção da flora intestinal, inflamação de amígdalas, tratamento de diabetes. Melhora a imunidade

e casos alérgicos. Em fluxo menstrual escasso.

AÇÃO ANTIOXIDANTE

AÇÃO ANTIOXIDANTE

AÇAFRÃO DA TERRA - Curcuma longa

Contra indicações: gravidez e menores de 4 anos. Evitar nos casos de cálculos biliares ou obstrução do

ducto biliar. O uso em excesso pode vir a causar enjôo e irritação gástrica. Não tóxico!

Princípios ativos: curcuminóides ou polifenóis naturais (curcumina (3-4%), desmetoxicurcumina e bisdesmetoxicurcumina) e óleos essenciais compostos principalmente por turmerona, dehidroturmerona e cetonas aromáticas.

AÇAFRÃO DA TERRA - Curcuma longa

Posologia:

Doses de 3 a 6g de curcumina. O consumo de 300 a 600mg do extrato seco padronizado, com três tomadas diárias, com composição mínima de 95% de curcuminóides demonstra eficaz efeito antinflamatório.

500mg, 3 vezes ao dia, sobre casos de artrites e tendinite (dor).

Alimento uso diário, doses generosas.

Para uma melhor absorção, é recomendado o consumo concomitante com pimenta, gengibre ou azeite.

Pode afetar a absorção de ferro.

A SAÚDE NA COZINHA

CÚRCUMA E A CULINÁRIA

Sabor amargo, acre e adstringente. É um corante natural.

Para manusear a raiz de cúrcuma sempre usar luva. Pode manchar a pele por até uma semana, mesmo

lavando as mãos.

Usar travessas de vidro e raladores de inox, para não manchar.

Se o pó for usado junto com bicarbonato (ou fermento) os bolos ficam com cor avermelhada pela alcalinização. Usar 1 colher de chá para 300g de farinha (neutro).

AÇAFRÃO DA TERRA - Curcuma longa ESTUDOS

Anti cancerígeno: o pigmento bloqueou uma enzima que promove o crescimento de câncer. 21 sujeitos com

câncer na cabeça e no pescoço mastigaram dois tabletes contendo 1.000 miligramas de curcumina. O resultado encontrado foi que as enzimas que promoviam o câncer

foram inibidas pelo composto, impedindo o avanço das

células malignas.

Anti inflamatório: em ratos a curcumina inibiu a inflamação e dor nas articulações.

Alzheimer: Índia é o país com menor índice da doença. Curcumina evita a deposição de proteínas beta- amiloides, placas nos vasos sanguíneos do cérebro que dificultam a oxigenação cerebral.

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITA COM CÚRCUMA

AMARANTO COM LEGUMES Ingredientes 1 xícara de grãos de amaranto 1 cebola cortada ½ cenoura cortada 1 xícara de vagem cortada ½ colher de sobremesas de mostarda em pó ½ colher de sobremesas de açafrão da terra em pó Sal e pimenta do reino à gosto Óleo de girassol

Modo de preparo: em uma panela refogue a cebola picada com um pouco de óleo de girassol até dourar. Acrescente os legumes picados

(pode variar) e o amaranto. Cubra com água quente e cozinhe até que o amaranto esteja transparente e macio, acrescentando mais água aos poucos. No final, cozinhe em fogo baixo para secar o excesso de água e não queimar.

Benefícios: colore os pratos! Sem temperos artificiais.

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITA COM CÚRCUMA

SUCO DE CÚRCUMA

2 colheres (chá) de açafrão da terra em pó (se for usar cúrcuma fresca, use uma colher de sobremesa)

¼ de suco de um limão 2 colheres (chá) de gengibre 1 colher (chá) de cardamomo em pó 2 colheres (chá) de mel cru 1 copo de água Preparo: bater tudo no liquidificador. Beber em seguida. Benefícios: para todas as indicações, uso diário.

A SAÚDE NA COZINHA RECEITA COM CÚRCUMA SUCO DE CÚRCUMA • 2 colheres (chá) de açafrão

http://gnt.globo.com/receitas/receitas/suco-de-curcuma-receita-da-bela-gil.htm

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITA COM CÚRCUMA

MEL DE OURO Ingredientes 100 g de mel líquido 15 g de açafrão em pó (cerca de 2 colheres de sopa) 1 colher de chá de gengibre em pó ou pimenta preta

Preparo: misturar tudo e tomar puro ou diluído em água. Para dores agudas, 1 colher de chá a cada hora. Em tratamentos crônicos de 1 a 3

colheres de sopa ao dia. Não para diabéticos e alérgicos a mel. Neste caso, substituir o mel por óleo de coco ou manteiga guee.

Benefícios: para todas as indicações, uso diário. Muito indicado para baixa imunidade.

Adaptado de http://nedmed.info/article/curcuma-com-mel-um-remedio-que-nao-tem-preco

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITA COM CÚRCUMA

Curry Varia conforme as regiões e preparos utilizados. Na Índia, o curry é feito em casa, pois

quando vendido pronto já perdeu parte de seus aromas e sabores.

Cada dona-de-casa tem sua própria maneira de preparar o curry

Pode conter mais de 20 tipos diferentes de especiarias, ervas e sementes

As mais utilizadas são: o cardamomo, sementes de mostarda, canela, cravo-da-índia, feno-grego, cominho, semente de coentro, semente de erva-doce, noz-moscada, macis (casca da noz moscada), semente de papoula, pimenta chiles, tamarindo, açafrão, cúrcuma e gergelim.

AÇAFRÃO

VERDADEIRO

A SAÚDE NA COZINHA

AÇAFRÃO VERDADEIRO

Nome científico: Crocus officinalis/ sativus Nomes populares: açafrão verdadeiro, flor da aurora, flor de hércules. Habitat: Ásia menor do sul da Europa Parte utilizada: estigmas da flor secos A especiaria mais cara do mundo. Erva da nobreza e do prestígio social, apreciada pelo seu aroma requintado e propriedades medicinais. Utilizado como corante por Leonardo da Vinci Em receitas para homenagear Deusas da fertilidade

(Foto: Flavio Flarys / G1 e Divulgação Indian Saffron)

Para se obter

um quilo de

açafrão, cerca de 250 mil fores são plantadas

Um quilo do

ingrediente chega a custar incríveis R$ 70 mil. No Brasil, enquanto o grama do açafrão gira em torno de R$ 70, o do ouro custa cerca de R$ 90.

AÇAFRÃO Crocus sativus L.

Princípios ativos: aldeídos tri-terpênicos. Carotenódes (crocetina). Mucilagem. Gosto é atribuído ao glicosído picrocrocina, que pela hidrolise produz glicose e safranal (odor).

Propriedades: digestivo, laxante, harmonizador, antiinflamatório, afrodisíaco, sedativo, antineoplásico,

antiofídico, antiespasmódico.

Indicações: digestão lenta, intestino desregulado, inflamações, como redutor do colesterol, para regular processos sanguíneos e da tireoide, melhora da libido, tratamento de câncer, pela difusão do oxigênio. Efeito calmante.

AÇAFRÃO Crocus sativus L.

Posologia:

até 5g. Estudos indicaram uso de até 200 mg dia. 30 mg dia foi eficaz na depressão

Contraindicações: gestação - grande quantia, 5g (muito mais do que o usado na culinária) pode provocar aborto. Dose abortiva é 10g e a dose letal é 20g.

Efeitos colaterais: angioedema e urticária, alergia e asma brônquica.

Açafrão - Crocus sativus L. ESTUDOS

Quimioprevenção: estudos invitro demonstraram

ativação nos macrófagos e defesa contra tumores. A

crocina mostrou atividade maior que a picrocrocina ou safranal em células leucêmicas. Estudos em camundongos, a crocina teve atividade contra

adenocarcinoma do cólon.

Tratamentos tópicos: mistura com ópio, quinino e açafrão contra ejaculação precoce. Mistura com AS e óleos vegetais combateu a calvície.

Cardiovasculares: em coelhos, a crocetina reduziu TG e CT. Baixa incidência de DC na Espanha foram atribuídos ao consumo quase diário do açafrão.

A SAÚDE NA COZINHA

AÇAFRÃO E A CULINÁRIA

Com sabor acre, apenas 10 filamentos são suficientes para colorir e perfumar um prato.

Confiar no revendedor, pois estigmas ressecados perdem sabor.

Para aproveitar todas as características da especiaria, é necessário dissolver o açafrão em água antes do preparo dos pratos.

Em grande quantidade, pode amargar o prato Risotos, massas, biscoitos, bolos e até panetone.

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITA COM AÇAFRÃO

MASSALA DE VERÃO Ingredientes:

2 colheres de sopa de sementes de coentro 1 colher de sopa de erva-doce 1 colher de sopa de sementes de cardamomo 1 colher de sopa de sementes de papoula 10 cravos 1 colher de chá de fios de açafrão

Modo de preparo: Moa os fios de açafrão juntamente com as sementes de erva-doce, e deixe esses dois ingredientes sem assar. Asse e moa os demais ingredientes, espere esfriar e misture. (Por Bri. Maya Tiwari)

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITA COM AÇAFRÃO

RISOTO DE

AÇAFRÃO

Ingredientes 2 xícara de arroz arbóreo 2 colheres de sopa de manteiga 1, 2 litros de caldo de legumes caseiro 1/2 cebola picada 1/2 xícara de vinho branco seco 1/2 colher de chá de açafrão em pistilos 1 colher (chá) de sal ou a gosto parmesão ralado na hora a gosto

A SAÚDE NA COZINHA

RISOTO DE AÇAFRÃO

Preparo: Mantenha o caldo em fogo bem baixinho. Retire ½ de xícara do caldo ponha o açafrão nele, para que vá liberando a cor e o sabor.

Aqueça a manteiga, numa panela de fundo grosso. Acrescente a cebola e deixe que frite até amaciar (uns três minutos). Junte o arroz e o vinho. Mexa, de vez em quando até que o vinho evapore. Acrescente o sal, o caldo reservado com o açafrão, e mais um pouco do caldo. Vá mexendo e acrescentando o restante do caldo, aos poucos, até que o

arroz tenha absorvido quase todo o caldo e esteja macio e úmido. Mas

não deixe cozinhar demais, o interior do grão do arroz tem de ficar 'al dente'. Desligue o fogo, junte o queijo parmesão e sirva o risoto imediatamente

http://saborear-saboreandoavida.blogspot.com.br/2014/09/risoto-de- acafrao-risotto-allo-zafferano.html

GENGIBRE

GENGIBRE
GENGIBRE

A SAÚDE NA COZINHA

GENGIBRE

Nome científico: Zingiber officinale Roscoe

Família: zingiberiaceae.

Nomes populares: mangaratáia, mangaratiá.

Parte utilizada: óleo essencial e rizoma.

Habitat: nativa da Ásia Tropical Oriental (Índia, China e Malásia).

Tradicionalmente para estimular a digestão. Uso em cerveja inglesa e refrigerante norte americano. Na farmacopéia da Áustria, Egito, Índia, Japão, China, Holanda e Suiça.

GENGIBRE - Zingiber officinale

Propriedades: tônico digestivo, antidiarréico, aperiente, afrodisíaco, antiemético, hipertensor, expectorante,

diaforético, antitussígeno, imunoestimulante, harmonizante, antitóxico, carminativa.

Indicações: gripes, resfriados, digestivo, diarreias crônicas, perda de libido, intoxicações alimentares,

problemas circulatórios, hiperemese da gestação, reumatismo, baixa imunidade, dor de cabeça, cólicas, gota (previne).

Contra indicações: litíase biliar. É reconhecidamente seguro (FDA).

GENGIBRE - Zingiber officinale

Princípios ativos: óleo volátil (zinziberol) responsável

pelo aroma. Ácidos graxos livres (palmítico, oléico,

linolênico, cáprico,

laurico...).

Amido. Aminoácidos.

Fibras. Gingeróis (cardiotônicos) Fitoesteróis. Vitaminas.

Sais minerais.

Posologia:

1g de raiz fresca para náuseas.

Infusão de 5g (1 colheres de sobremesa ralado) para 1 xicara de água quente, 3X dia. (ITF, 2013).

Decocção: 0,5 - 1 g (1 a 2 col café) em 150 mL (xíc chá) de 2 a 4x ao dia (ANVISA, 2010)

GENGIBRE - Zingiber officinale ESTUDOS

Gingerol: extratos aumentaram a força de contração do músculo cardíaco no coração de animais. Efeitos

antipiréticos, analgésicos e indução ao sono de animais. Efeito antitussígeno intenso comparável ao fosfato de dihidrocodeína. Comprovada ação antibacteriana forte e

vermífuga. Atividade antineoplásica (tradicionalmente na

China).

Atividade antiplaquetária: estudo administrou 5g de gengibre cru por 1 semana em indivíduos e tiveram plaquetas modificadas.

ITF, 2010

GENGIBRE - Zingiber officinale ESTUDOS

Efeitos gastrointestinais: evita náuseas e vômitos na gestação, mas ainda não se sabe a farmacologia. Estudo

com mulheres grávidas o gengibre ajudou em 70% dos casos. Estudo com 1741 participantes em excursão de barco que receberam cinnarizino (medicamento para

náuseas) foi tão eficaz quanto o gengibre (250 mg).

Também preveniu náuseas e vômitos no pós operatório.

Aumenta a mobilidade gástrica, sendo digestivo e carminativo.

ITF, 2013

GENGIBRE - Zingiber officinale ESTUDOS

Melhora a resposta inflamatória. Ensaio clínico com 7

voluntários que ingeriram 5g de gengibre fresco por 7

dias. Exames mostraram uma redução signficativa na produção de TXB2 (tromboxano B2 - prostaglandinas envolvida na inflamação).

Alívio da dor. Estudo com 46 pacientes com osteoatrite ou artrite reumatóide, que tomaramgengibre por 3 meses até 2,5 anos 75% com artrite e o alívio da dor foi relatado por 55% dos pacientes com osteoatrite.

(TALBOTT A; HUGHES, 2008)

A SAÚDE NA COZINHA

GENGIBRE

BEBIDA DIGESTIVA Ingredientes:

½ copo de suco puro de limão ½ copo de sumo de gengibre

Modo de preparo: ralar em ralo fino 1 pedaço grande de gengibre. Com a ajuda de um pano (voal) espremer todo o conteúdo para extrair somente o sumo. Misturar a esse sumo o suco de limão recém exprimido. Tomar 2 colheres de sopa, diluído em ½ copo de água, após cada

refeição.

Benefícios: acelerar a digestão. Depurativo. (Por Andréia Cambuy

A SAÚDE NA COZINHA

GENGIBRE

SUCO VERDE Ingredientes 2 folhas de couve 1 maça sem sementes (ou 100 ml suco integral de maça) 1 rodela de abacaxi 1 rodela de gengibre 1 copo de água (ou água de coco) Suco de meio limão

Modo de preparo: lavar as folhas de couve e retirar o talo grosso central (que contém muitos alcaloides) e utilizar as

folhas. Bater em um liquidificador as folhas de couve com as

maças sem sementes, o abacaxi, a água e o suco de limão.

Benefícios: acelera o emagrecimento. Auxilia na detoxificação.

(Por Andréia Cambuy

A SAÚDE NA COZINHA

GENGIBRE

XAROPE DE ABACAXI

1 abacaxi

1 pedaço grande de gengibre (3 colheres de sopa)

1 e ½ xc de mel

Preparo: cortar o abacaxi em cubos e colocar para cozinhar com pouca água. Quando estiver cozido e quase sem água, acrescentar o gengibre e tampar. Esperar esfriar. Colocar tudo no

liquidificador com o mel. Bater e

armazenar em potes esterilizados. Tomar 1 colher de sopa 4X ao dia.

Benefícios: para tosses e resfriados. Inflamações. (Por Andréia Cambuy

A SAÚDE NA COZINHA GENGIBRE XAROPE DE ABACAXI • 1 abacaxi • 1 pedaço grande de
A SAÚDE NA COZINHA GENGIBRE XAROPE DE ABACAXI • 1 abacaxi • 1 pedaço grande de

A SAÚDE NA COZINHA

GENGIBRE

GENGIBRE COM MAÇÃ ½ maça em fatias Fatias finas de gengibre

Preparo: fazer camadas de maça e gengibre. Mastigar bem até sentir o

efeito na garganta.

Benefícios: todas as indicações. Acelerar a digestão. Tratar infecções

na boca, garganta e vias aéreas.

(Por Andréia Cambuy

A SAÚDE NA COZINHA

GENGIBRE

CHUTNEI DE ABACAXI (molho picante) Ingredientes:

1 abacaxi picado em cubos (sem o talo central) 1 xícara de água 1 a 2 pimentas dedo de moça amassadas ½ colher de chá de cominho ½ colher de chá de curry 1 colher de sopa de gengibre ralado fino Açúcar (demerara ou de coco, apenas para quebrar o ácido)

Modo de preparo: colocar em uma panela o abacaxi, a água e o gengibre e ferver. Depois de cozido acrescentar o curry, cominho, o açúcar e a pimenta. Servir quente ou frio.

Benefícios: acelera a digestão. Supre a vontade de doce pós refeição.

(Por Andréia Cambuy

PIMENTA

PIMENTA

A SAÚDE NA COZINHA

PIMENTA

Nome científico: Capsicum frutensis

Família: solanacea (Gênero capsicum é o mesmo da batata e tabaco)

Nome popular: Pimenta vermelha, malagueta. Parte utilizada: frutos e folhas

Habitat: nativa das Américas (7000 A.c. no México), difundidas pelo mundo.

Uma das primeiras plantas cultivadas. Era medicamento entre os Maias e Astecas. Chegou a Europa em 1498 e em um século se difundiu.

A SAÚDE NA COZINHA PIMENTA • Nome científico : Capsicum frutensis • Família : solanacea (Gênero
A SAÚDE NA COZINHA PIMENTA • Nome científico : Capsicum frutensis • Família : solanacea (Gênero

USO TRADICIONAL INDÍGENA DAS PIMENTAS

As pimentas eram tão indispensáveis para os nativos quanto o sal para os brancos.”

Registros arqueológicos do uso da pimenta datam de mais de 9 mil anos entre os nativos do Peru.

Só na Amazônia: mais de 150 espécies de pimentas.

Furúnculos e tumores: uso do emplasto da folha, em estudos em diversos locais do mundo (Nicarágua, Jamaica, Pacífico).

Parasitoses: no Nepal (despreender sanguessugas), na Guiana (parasitas em

humanos e porcos domésticos), na África

(curava disenterias causadas por Treponema), na Etiópia (em amebíases).

(FILHO, BARBOSA, LUZ; 2007)

PIMENTA - Capsicum frutensis

Propriedades: hiperemiante, antipruriginosa, estimulante

das secreções gástricas, antirreumática, antidiabética,

antiinflamatória, antioxidante, antiemética, antibiótico, cicatrizante, termogênica.

Indicações: dores musculares agudas, artrite, artrose, inflamações, enxaquecas, Herpes zoster, náuseas, diabetes, emagrecimento, expectorante.

Contra indicações: alergia à planta. Em excesso causa diarreia, irritação gastrointestinal, e, externamente, vermelhidão e alergia.

Não causa gastrite, úlceras, hipertensão ou hemorroidas (mito). Apesar da ardência, não é tóxica.

PIMENTA - Capsicum frutensis

Princípios ativos: vitaminas A, B e C. Ácido Fólico. Magnésio, Ferro e aminoácidos. Alcalóides. Capsaicina (na pimenta vermelha, pois na pimenta do reino é a piperina). Flavonóides (quercetina e luteolina).

Posologia:

30 a 120 mg/dia (60mg é a dose usual). Cuidado! Não morder ou mastigar a cápsula. Uso externo em doenças de pele (micoses, abcessos):

emplasto das folhas, a noite, por 3 dias.

Dor de dente: embeber algodão em macerado (frutos + alcool) e aplicar no dente afetado.

Dores reumáticas e picadas: aplicar emplasto dos frutos. Cremes de 0,025 a 0,075% - 4X ao dia.

PIMENTA - Capsicum frutensis ESTUDOS

Contra enxaquecas: capsaicina provocaram a liberação de endorfinas (analgésicos naturais), quanto mais ardida, mais endorfina (aumento da salivação, transpiração e umidade nasal). ITF, 2013

Estudo aplicou capsaicina (300mcg por 100mcl) na mucosa oral de paciente com cefaléia em 5 dias de tratamento. Os episódios de cefaléia reduziram por até 60 dias. (TALBOTT A; HUGHES, 2008)

PIMENTA - Capsicum frutensis ESTUDOS

Ação antiinflamatória: alivia doenças inflamatórias

como, artrite, artrose, herpes, doenças auto imunes,

intestinais, etc

. Como analgésico tópico em cremes e

... pomadas (inibe neurotransmissor P envolvido na dor).

ITF, 2013

Estudo com 24 pacientes com osteoartrite e artrite reumatóide, que aplicaram creme de capsaicina 4X ao dia por 4 semanas. A dor foi reduzida nos pacientes com osteoartrite, não na artrite reumatóide. (TALBOTT A; HUGHES, 2008)

PIMENTA - Capsicum frutensis ESTUDOS

Ação gástrica: capsaicina é digestiva, por ativar secreções gástricas. Favorece a cicatrização de úlceras

ao estimular a circulação no estômago. Protege a mucosa contra os danos do álcool. Estimula a salivação e limpa os dentes. ITF, 2013

18 voluntários foram divididos em 2 grupos, que ingeriram 20g de pimenta com água ou só água por 2 semanas. Depois ingeriram ácido acetilsalicílico (600 mg). Os dois grupos tiveram lesão na mucosa, mas o que ingeriu pimenta a lesão foi de 1,5 cm em comparação a 4 cm do grupo controle. (TALBOTT A; HUGHES, 2008)

PIMENTA - Capsicum frutensis ESTUDOS

Efeitos no metabolismo: foi acrescida capsaicina no desjejum. Houve diminuição na ingestão de proteínas e

gorduras no almoço. E na ingestão de carboidratos nas demais refeições.

Estudo com corredores de longa distância (entre 18 e 23 anos) que consumiram ou não 10g de pimenta no

desjejum. Foram coletados amostras de sangue e os gases expirados. A pimenta elevou o quoeficiente respiratório e níveis sanguíneos de lactato em repouso e durante o exercício. A pimenta estimula a oxidação de carboidratos em repouso e em atividade.

PIMENTA - Capsicum frutensis

Propriedades: picante. Ascende o agni (fogo digestivo). Antiséptica, analgésica, antihemorrágica, vasodilatadora, termogênica. Estimula a circulação e provoca a transpiração, ajuda a evacuar, destrói vermes e parasitas, ajuda a digerir e absorver. Indicações: distúrbios de vata e kapha, não para pitta. Usos: cozidos, carnes, leguminosas e queijos. Culinária do México, Guatemala, Caribe, África, Índia, Indonésia, América do Sul, Índia, China, Malásia, Ressalta o sabor

A SAÚDE NA COZINHA

PIMENTA NA CULINÁRIA

Formas: in natura, secas, em molhos, em óleo, em vinagre, em preparos e bebidas.

Usos na conservação de alimentos.

Para molhos mais fracos, retirar as sementes quando possível.

Usar luva para manusear a pimenta.

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITAS COM PIMENTA

MOLHO DE PIMENTA 100g de pimenta dedo de moça lavadas e sem sementes 3 tomates sem pele e sem sementes 1 dente de alho 1 folha de louro 1/3 xícara (chá) de vinagre 2 colheres (chá) de sal 1 colher (chá) de açúcar 2 cravos da índia 1/2 colher (chá) de cominho em pó 4 colheres (sopa) de óleo ou azeite Preparo: Bata todos os ingredientes no liquidificador e coloque em potes esterilizados. Mantenha na geladeira.

http://www.comidaereceitas.com.br/molhos-e-

cremes/molho-de-pimenta-

caseiro.html?utm_source=myTaste&utm_medium=

Referral&utm_campaign=Web

Benefícios: após as refeições, efeito termogênico e digestivo.

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITAS COM PIMENTA

Molho de abacate 1 abacate maduro amassado ½ pimenta dedo de moça amassada 1 colher de chá de sumo de limão Sal a gosto Preparo: misturar todos os ingredientes. Usar em saladas.

Benefícios: auxilia a consumir e digerir a salada em épocas frias. Fornece todos os benefícios do uso da pimenta fresca.

(Por Andréia Cambuy

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITAS COM PIMENTA

QUIABO AROMÁTICO AO MOLHO DE COCO 400 gramas de Quiabo fresco; 3 unidades de Alho dente; 500 mililitros de Leite de coco caseiro; 2 colheres de chá de Amido de milho; 1 unidade de Cebola roxa; 500 gramas de Frango grelhado, peito; 200 gramas de Milho verde; 2 colheres de chá de Açafrão; 2 colheres de sopa de Coentro in natura; 0,5 unidade de Pimentão vermelho; 3 unidades de Tomate maduro limpo; 1 unidade de Pimenta caiena ½ colher de chá de Sal.

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITAS COM PIMENTA

PREPARO

Higienize os quiabos, a cebola, os alhos, os tomates, os coentros, o pimentão e a pimenta.

Corte as pontas dos quiabos e depois ao meio, corte a cebola em quatro e separe as pétalas, pique os alhos, os coentros e a pimenta, tire as sementes dos tomates e corte-os em quatro,

corte o pimentão em cubos.

Tempere o frango e grelhe como habitualmente ou siga nossa receita no link, após pronto corte o frango em cubos. Reserve.

Numa wok refogue os alhos no azeite, junte os quiabos, o leite de coco, o amido (dissolvido em 2 colheres de sopa de leite de

coco), o frango, os tomates, os pimentões, a cebola, o açafrão,

a pimenta, deixe cozinhar por 10 minutos na wok ou panela tampada. Desligue e junte os coentros.

Sirva o Quiabo Aromático ao Molho de Coco

http://www.mytaste.com.br/click/index/39870353/gulosoesaudavel.com.br

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITAS COM PIMENTA

GELÉIA DE MORANGO COM PIMENTA

Ingredientes:

2 caixas de morangos lavados e sem cabos 8 colheres de sopa de açúcar cristal (demerara ou xilitol) ½ limão espremido

½ pimenta dedo de moça lavada e picada (manter as

sementes) Modo de preparo: misture todos os ingredientes e leve ao fogo brando até o caldo ficar com textura grossa. Para saber

se a textura está correta é só passar o dedo nas costas da

colher. Se formar um risco seco na colher, a geleia está no ponto certo. Deixe esfriar e guarde em geladeira.

Benefícios: alternativa doce saudável. (Por Andréia Cambuy

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITAS COM PIMENTA

KITCHIRI (TRIDOSHA) Ingredientes:

200 g de arroz 250 g de lentilha (dahl lentilha indiana) ½ couve flor em pedaços 2 tomates picados 3 colheres de guee ½ xc de castanhas de caju torradas e picadas 4 colheres de chá gengibre ralado fino 2 pimentas frescas amassadas 1 colher de chá de cúrcuma em pó 2 colheres de chá de coentro fresco picado (ou salsinha) 1 pitada de assa fétida (ou alho ralado) Sal a gosto

A SAÚDE NA COZINHA

RECEITAS COM PIMENTA

Modo de preparo: ferva as lentilhas em água condimentada com cúrcuma, até ficar al dente. Em outra

panela, acrescente o guee e nele doure o coentro, a pimenta e o gengibre e assa fétida. Junte a couve flor e cozinhe por 5 minutos. Acrescente o arroz e água e deixe

levantar fervura. Quando estiver cozida, misture os tomates, as lentilhas e as castanhas de caju. Antes de servir, regue com manteiga derretida e decore com coentro ou salsa. (Por Marcia de Luca e Lúcia de Barros)

RAIZ FORTE

RAIZ FORTE
RAIZ FORTE

RAIZ FORTE - Amoracia lapathifolia Gilib.

Nome cientifico: Amoracia lapathifolia Gilib.

Nome popular: rábano, rabão, rabiça, rabo de cavalo, saramago maior.

Família: brassicaceae.

Habitat: norte da Europa Ocidental, Russia, Polônia, Finlãndia e sudoeste da Ásia.

Parte utilizada: raiz.

Uma das “cinco ervas amargas” consumidas na páscoa judáica. Chegou ao Brasil pela influência da cultura

hebraica e japonesa. Uso tradicional, medicinal e condimento há mais de 2000 anos.

RAIZ FORTE - Amoracia lapathifolia Gilib.

Propriedades: tônico gastrointestinal, anti-infeccioso, diurético, vermífuga, antinevrálgica.

Indicações: estimular a digestão, resfriados e infecções respiratórias, promover diurese, eliminar parasitas intestinais, neuralgia (dor) facial, trigêmio e ciático.

Contra indicações: gravidez e lactação, por irritar as mucosas. Como é da mesma família do repolho e mostarda, pode inibir a função da tireóide. Tratamento tópico pode causar reação alérgica.

RAIZ FORTE - Amoracia lapathifolia Gilib.

Princípios ativos: óleo essencial, Alil iisotiocianato e Butil-tiocianato (ardência). Asparagina. Sais minerais.

Lignanas. Ácido ácetico. Amido. Resina amarga. Ácido ascórbico e vit A. Enzima peroxidase.

Posologia:

  • - Não tem estudo com a dosagem medicinal. Dosagem clássica:

  • - Resfriados: 20g/dia no preparo de xarope (decocto

concentrado e mel).

  • - Demais indicações: 20g/dia.

  • - Topicamente para dor ciática e neuralgia facial: cremes.

RAIZ FORTE - Amoracia lapathifolia Gilib. ESTUDOS

Processo que preserva a qualidade da raíz: desidratada, liofilizada e moída.

A enzima peroxidase é extraída da Raíz forte e usada como oxidiante em testes químicos de sangue (glicemia).

Aplicação intravenosa da enzima causou efeito hipotensivo em gatos. Estudo: administrada doses de raíz-forte seca (100, 300 e 500 mg/kg) na ração alimentar inibiu a Mycobacterium leprae (lepra) em camundongos.

A terapia por 5, 8 e 11 meses não causou nenhum efeito tóxico.

A SAÚDE NA COZINHA

RAIZ FORTE

MOLHO DE RAIZ FORTE Ingredientes

700 g de raiz-forte fresca inteiras 1 xícara (chá) de azeite de oliva extravirgem espanhol . 200 g 2 colheres (chá) de vinagre balsâmico . 10 ml Sal a gosto

Modo de Fazer: Apare as raízes, tire a casca expondo a polpa branca. O utensílio ideal para descascar é o descascador de legumes com lâmina giratória. remova os brotos que por acaso apareçam na raiz. Enxágue uma a uma das raízes em água corrente, seque com toalha de papel e corte em pedaços pequenos de 1 cm. Coloque-as no copo do processador.

Comece a bater e adicione, em fio, o azeite de oliva. Continue a bater por mais 6 minutos ou até obter uma pasta granulosa. Junte o sal e o vinagre. Bata por mais 30 segundos.

Guarde o molho em um recipiente com tampa por até 2 semanas na geladeira.

http://www.azeite.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=370:molh

o-de-raiz-forte&catid=79:molhos&Itemid=122

A SAÚDE NA COZINHA

RAIZ FORTE

SALADA DE BETERRABA Ingredientes Rende: 4 porções 680 g de beterraba crua, descascada 1 cebola roxa pequena, picada bem fino 1 colher (sopa) de óleo de girassol 2 colheres (sopa) de suco de laranja 2 colheres (chá) de vinagre de vinho tinto

150 g de folhas para salada pequenas, como de beterraba, de espinafre, de mostarda, rúcula ou azedinha

Molho de raiz-forte 3 colheres (sopa) de creme azedo (ver nota) 3 colheres (sopa) de iogurte natural desnatado

1 colher de chá de raiz-forte fresca ralada ou 2 colheres (chá) de molho de raiz-forte

2 colheres (sopa) de endro fresco picado Sal e pimenta-do-reino

Receitas Salada de beterraba

Modo de preparo Rale a beterraba numa tigela, colhendo todos os sucos (isto também pode ser feito num processador de alimentos com um ralador grosso). Adicione a cebola e misture bem.

Misture numa tigela pequena o óleo, o suco de laranja e o vinagre. Tempere com sal e pimenta-do-reino a gosto. Regue a beterraba e a cebola com esse molho e misture bem. Tampe e deixe marinar por 30 minutos. (A salada pode ser preparada até este ponto e ser mantida por até 24 horas

na geladeira.)

Coloque as folhas numa saladeira. Junte a beterraba marinada e misture.

Para o molho, misture o creme azedo, o iogurte, a raiz-forte e o endro. Disponha uma colherada do molho sobre a

salada e sirva imediatamente.

http://allrecipes.com.br/receita/4136/salada-de-beterraba-ao-molho-

cremoso-de-raiz-forte.aspx

REFERÊNCIAS

DEL RÉ, P.V.; JORGE, N. Especiarias como antioxidantes naturais: aplicações em alimentos e implicação na saúde

Rev. Bras. Pl. Med., Botucatu, v.14, n.2, p.389-399, 2012.

TALBOTT A. M., HUGHES K. Suplementos dietéticos para profissionais de saúde. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,

2008.

LAD, Vasant. Ayurveda: a ciência da autocura, um guia prático. Tradução Juremaa Maurell. 2ª ed. São Paulo: Ground,

2007.

CARNEIRO, D.M. Ayurveda: saúde e longevidade na tradição milenar da índia. São Paulo: Pensamento, 2009.

PIRES, Laura. O sabor da harmonia: receitas ayurvédicas para o bem-estar. Rio de Janeiro: Rocco, 2013.

REFERÊNCIAS

Morais, SM; Cavalcanti, ESB; Costa, SMO; Aguiar. LA. Ação antioxidante de chás e condimentos de grande

consumo

no

Brasil.

Revista

Brasileira

de

Farmacognosia. 19(1B): 315-320, Jan./Mar. 2009.

NEPOMUCENO, R. O Brasil na rota das especiarias: o leva-e-traz de cheiros, as surpresas da nova terra. Rio de

Janeiro: José Olympio, 2005.

ITF. Índice Terapêutico de Plantas Medicinais. Petrópolis, RJ: EPUB, 2013.

BRASIL. Resolução RDC ANVISA/MS nº 276, de 22 de setembro de 2005. Regulamento Técnico para Especiarias, Temperos e Molhos.