You are on page 1of 5

Texto traduzido pelo Google Tradutor de Mauro Brigeiro: Rir ou Chorar?

INTRODUÇÃO

Entre os aspectos da vida das pessoas mulheres velhas que têm recebido uma
atenção crescente mais, tanto por especialistas intervenção, e os
pesquisadores, os destaques esfera do emocional / sexual. O resultado deste
contornar o problema se desdobra em produção um discurso que leva certas
representações sobre o envelhecimento como uma fase especial durante a
vida sexual, e novos conjuntos valores para a sexualidade. Nesse contexto, o
presente Este artigo analisa o debate sobre envelhecimento, gênero e
sexualidade, questionando pressupostos com os quais a gerontologia é
abordar a questão da sexualidade na velhice. Os temas de discussão são
dados estruturados de pesquisa empírica com homens idosos no Brasil. A
abordagem teórica aqui adotada é a de construcionismo social. Assim, o
envelhecimento e da sexualidade como uma actividade --- Sexuals considerado
como realidades construídas, a sua significados dependem de avaliações e
revisões social. Nesta base, significa sexualidade, como a qualificação de
gênero e idade, como arbitrária, ou ganhar um específico dentro de um
esquema apresentado contexto histórico e cultural. Assim, os conceitos de
gênero e geração são fundamentais na forma como é interpretada material
empírico. Aqui se entende por gênero demarcação definição de atributos
culturais do masculino e do feminino. O conceito tem sido geralmente utilizado
para distinguir entre níveis anatômicos / fisiológicos e culturais envolvidos a
condição sexual. Contudo, esta noção também tem sido criticada
desconstrucionista que mostram que a assunção de uma natureza e cultura é
em si também um edifício histórico (Heilbom, 1993). É enfatizar que o uso do
conceito de gênero deste trabalho é enfatizar a dimensão socialmente
construídas maneiras de ser masculino e feminino. Da mesma forma que é
utilizada em todo o texto o conceito de geração. De acordo com Attias Donfut-
(1991), o termo é polissêmico. Seu uso tornou-se um sentido analítico no
contexto da ciência Social do século XIX, porém, a sua definição ainda é
controverso devido ao seu indiscriminada. Entre os quatro grandes definições
identificadas pela geração autor mencionado, a definição utilizada aqui
sócio-cognitiva, relativa a um conjunto de pessoas com idades aproximadas,
visto como uma unidade da experiência histórica compartilhado. Esta
identidade é dividida em uma visão de mundo característica. O método
proposto constitui uma revisão crítica da literatura gerontológica que enfoca o
tema da sexualidade. Para este Uma consulta de revistas internacionais
Brasileiro publicações especializadas na área. O trabalho também inclui a
pesquisa etnográfica e observações de campo que combina entrevistas com
membros de uma rede exclusivamente sociabilidade masculina. Foi
acompanhado por um período de nove meses em duas locais de reunião
(praças públicas e centros comerciais) a vida quotidiana dos homens
estudados, principalmente septuagenário (idades entre 59 e 83 anos). A praça
pública, como o centro comercial está localizado em bairro de classe média na
cidade do Rio de Janeiro.
GERONTOLOGIA e sexualidade: CONSTRUÇÃO DE UM PROBLEMA

Uma característica importante da literaturagerontológica sobre a questão da


sexualidade ésua fidelidade à tradição metodológica da sexologia. As
discussões baseiam-se nos dados do inquérito sobre comportamentos Classic
sexo, ou em um conjunto de conhecimento psicofisiológica do sexo e as
variações no corpo masculino e feminino ao longo dos anos. Na perspectiva
clínica estratégia terapêutica adota um conjunto de prescrições e proibições,
que vão desde uso de drogas e outras intervenções Física, para ensinar
técnicas de modelar o comportamento e os costumes dos órgãos incumbidos
de promover um melhor desempenho vida sexual. O objetivo, na maioria
muitas vezes, é maximizar ou otimizar o desempenho pessoas do sexo de
idade. Estes são utilizados termos nos textos para provas de gerontológica Os
níveis de mudança desejada por cada intervenção atingiu um máximo em um
conjunto de dimensões da vida, mais ou menos restritivas, que são pessoas de
idade.
Verifica-se na literatura um consenso sobre que a sexualidade do idoso
é cercada o mito da idade assexuada de idade. A gerontologia posicionado
contra a idéia de extinção atividade sexual com o avançar da idade. Os
argumentos defendem que a expressão da sexualidade em pessoas mais
velhas é consistentemente discriminados pela sociedade, inserindo num
contexto mais amplo de preconceito contra aquelas pessoas sociais, por isso
tende especificamente impedir a sua eficácia. Esse mito 85 parece justificado
em todos os trabalhos consistentes com a alegação do Gerontologia para
resgatar o envelhecimento da proibição psicológico e social. Por outro lado,
vários autores são unânimes em afirmar que a atividade sexual aperfeiçoada
ao longo dos anos, apesar sua incidência, que reconhece empiricamente. A
velhice, como descrito, estabelecendo uma nova compreensão da sexualidade
(ou pelo menos Eu quero ver.)
Paradoxalmente, com a identificação do sexualidade é limitada por
aspectos sociais, Os sinais clínicos tendem a se concentrar mais em individual
e em relação ao seu corpo do que a social, identificados como os mais
problemáticos. Com relação às tecnologias de intervenção, conselhos sobre o
tratamento e educação sexual, sugerem uma mudança sexualidade genital
para as zonas erógenas o corpo. A expansão é tal que há ordem parte da
superfície do corpo do velho que não uma fonte de prazer, passando a própria
noção da 'área', uma vez que não existem limites e fronteiras. Este tipo de
linguagem sobre o corpo identificado exclusivamente na literatura gerontológica
Brasil. Aliás, com referência a esse aspecto observada neste trabalho, uma
distinção de gênero: homens são referidos como especialmente mais limitados
na sua concepção da sexualidade, Comparado com as mulheres tendendo a
concentrar-se seus interesses na região genital e na aplicação
penetração. prescrição Pedagógica redescobrir outras partes do corpo
sexualizadas idade e recai principalmente sobre eles, uma vez alterações
identificadas em potência com avanço da idade. Também é percebida como
os homens como mais interessado em sexo e ter A maior freqüência de
relações sexuais contraste com as mulheres. As conclusões sobre o universo
feminino sugerem menos dificuldades sobre a vida sexual na terceira idade, e
sexualidade das mulheres foi sempre menor localizado. De acordo com os
estudos revisados, atividade sexual das mulheres é altamente dependente
intenção do sexo masculino. A diminuição da atividade sexual das mulheres na
velhice é associada com o surgimento de doenças de seus cônjuges, o falta
destas, e também o excesso de mortalidade do sexo masculino. Os dados
também argumentam que, ser bem menos interessado em sexo, têm sido
marcadas por um aumento da socialização controle, o que os torna desfrutar
do sexo na velhice. trabalho de intervenção com eles envolve um programa de
reabilitação sexual, no sentido de liberação da repressão. No gerontológioa
literatura, manutenção o exercício da sexualidade nos períodos avançado de
vida tomadas como uma verdade absoluto e universal. Assim, denotando
textos indiferença em relação ao contexto investigado, e, muitas vezes,
também em relação ao época do estudo, como elementos fundamentais na
formação da sexualidade. Não parece haver interesse na causa, pelo tempo
que o validade científica deste trabalho. No entanto, não pode deixar de notar
que as conclusões do autores em conexão com os dados da investigação
realizada COI) determinados grupos de idade, pertencentes uma grande
variedade de contextos e às vezes muito diferentes, são muito semelhantes em
sua contundência, pensam ser possível influência de visões o mundo dos
pesquisadores com sobre as conclusões dos seus trabalhos. Apesar das
tentativas de incluir a gerontologia aumento variáveis culturais no conceito
sexualidade ~ tradicionalmente apoiados estritamente física ou psicológica
dimensão epersiste universalizante da visão. Paradoxalmente, Estes estudos
visam a aderir às idéias relativista, sem abandonar, contudo, uma perspectiva
homogeneizador, presentes em ambos os tratamento do envelhecimento, como
no dimensão da sexualidade. Principalmente em produção nacional (Brasil)
sobre sexualidade e O envelhecimento é muito típica que a adesão a
interpretações mantienenpresuposiciones cultural relacionar com a natureza
física ou psicológica. Note-se que o campo total gerontologia teóricas estão
incorporando novas tendências, alegando que a heterogeneidade a experiência
do envelhecimento. No entanto, eles ainda não são visíveis em todo o
produção da sexualidade. Sexologia ainda defende um estatuto universal em
relação à sexo e sexualidade, de modo semelhante ao gerontologia, que
naturaliza o envelhecimento, reforçando e as suas ligações à confluência.

GERONTOLOGIA DISCURSO e dilemas da ATIVIDADE E


ENCERRAMENTO

A literatura sobre sexualidade na idade, bem como, influenciado pela sexologia,


salvo outra característica importante relacionada com uma discussão sobre o
envelhecimento bem sucedido. É encontrados na literatura um debate curioso:
não A sexualidade é, ou não benéfica para os idosos? De acordo com Debert
(1992), na sua análise na literatura dedicada à experiência de envelhecimento,
duas teorias existentes como abordagens profissionais de gerontologia para o
fim da década de 1960, a atividade e da rescisão. O primeiro enfatiza que
pessoas mais velhas encontrar seu bem-estar só através da participação em
práticas que compensam inatividade. O segundo (dissociação) postulada
aposentadoria voluntária sobre de.losaños, atividades habituais como um
mecanismo para alcançar um envelhecimento bem sucedido. Em ambos os A
teoria é verificada a hipótese de que a velhice é, em princípio, um período de
perdas, incluindo a papéis sociais. Apesar de nas últimas duas décadas
pesquisadores têm sofisticado suas abordagens, são estes os dois
antagonistas que ainda estão em vigor no debate gerontologia sobre a
sexualidade. Na literatura gerontológica sobre o assunto, é evidente a presença
de tais modelos. É podem retirar, a partir dos estudos analisados, eles são
divididos em duas posições: verificar se.caracteriza primeiro latente a
possibilidade e benefícios da manutenção vida sexual com o avançar da
idade. A segunda contraposição a isso, é marcada pelo esforço para
demonstrar que qualquer reconfiguração que o envelhecimento impõe no
campo afetivo / sexual são questões menores, ao considerar outros aspectos
da vida pessoas. Sem dúvida, o caso da manter uma vida sexual ativa na
velhice encontrada em quase dominância absoluta, mas No entanto, a
oposição parece reproduzir os dois antagonistas gerontologia existentes -A
atividade ea desvinculação- ambos lutam para apresentar um sobre a
importância da sexualidade na velhice. De acordo com a literatura pesquisada,
a sexualidade e envelhecimento são, em princípio, considerados
problemas. Sob ambas as perspectivas, o sujeito está diante de uma situação
que exige é um posicionamento de (re) em si mesmo. De Primeiro, você
precisa rever seus valores e crenças sobre o sexo, tendo por conseguinte
novas atitudes. Em outro sentido, ele pode aceitar a velhice como uma etapa
de transformação que procuram cumpri-las, inclusive em relação com as
alterações previstas na esfera sexual.
Esta questão já não é um problema antes iniciativa individual, caso
contrário, o sujeito experiência de uma época bem sucedida de idade. Esta é
uma situação vão ser julgados, não pela ausência de opções, mas
principalmente como um ponto de irresponsabilidade responsabilidade de cada
um, ou melhor, no tratamento de si mesmo. A discussão sobre envelhecimento
bem-sucedido na todos os argumentos para a atividade entrar em sintonia com
o modelo velho conhecido como os idosos. A produção brasileira de o tema
revela um compromisso absoluto com que nova categoria. O termo é pouco
utilizado na velhice estes textos, exceto quando você quer destacar os
aspectos problemática nesse período idade. A expressão idosos são comuns
na sociedade brasileira como a referência mais adequada para velhice. O
termo recebeu uma conotação muito positiva respeitoso e amplamente utilizado
hoje, se procurou abranger toda a diversidade segmento social dos idosos. A
pessoas na "terceira idade" devem descobrir que este é um momento de
abertura para o novo, de novo formas de relacionamento (com cônjuge,
familiares, comunidade), aprender novas habilidades. A categoria tende a se
opor à idéia da terceira idade associados à decadência e declínio. O termo
neutralidade Sênior oferece um estigma, e é ao mesmo tempo, relacionada à
idéia de progresso ou avanço. Indica uma sensação de estágios progressiva (1
", 2", 3 "), mas não necessariamente declínio. Ele defende também, propor uma
nova tabela na qual a vida seria em um aumento sem fim. Assim, é uma
categoria extremamente útil para as instalações gerontológica
sexualidade, servindo intenções anular o estigma, o que reforça a idéia de que
sexualidade não se restringe, mas sim, aperfeiçoada com o envelhecimento.
Uma vez que um novo limite de curso vida sexual e uma nova concepção de
plasticidade do corpo, diminuição da sexualidade no processo de
envelhecimento passa considerada objetiva e subjetivamente como
irresponsabilidade no trato com ele. Este transformação da velhice em
responsabilidade individual tem sido mencionada por Debert (1997) como
reprivatizacián do envelhecimento. Gerontologia, e outras disciplinas que
devem, entretanto, questionam a universalidade deste modelo e novos padrões
de inadequação de que ele estabelece. Eles tomam

SENHORES

As descrições foram tiradas etnografia de uma rede de sociabilidade


masculina. A intenção é demonstrar as práticas e representações
predominante da sexualidade Social no mundo social, oferecendo uma
contraste gerontológica para as instalações. O interesse em estudar esta rede
foi baseado em um reportagem de TV na qual as imagens foram apresentadas
como "flertar um pouco velho shopping. "matéria jornalística exibida verdade,
de uma maneira estranha como um todo: a idade não sexualizada, vitimado,
ocupando uma espaços urbanos freqüentados do que os outros