You are on page 1of 11

27/11/2018

O espaço subvertido

O espaço desdobrado

As astúcias da
enunciação

O espaço subvertido

As astúcias da
enunciação

Dois tipos teóricos distintos de


neutralização:

a) Entre lugares distintos do


sistema enunciativo;

b) Entre espaços do sistema


enunciativo e enuncivo.

1
27/11/2018

1) Espaço do enunciador pelo do enunciatário

[...] deixe para mim estas lágrimas, Carino.

Se quem chora é o interlocutário, em lugar de “estas”


deveria ser usado “essas” (espaço lá). A embreagem indica
que o enunciador vê as lágrimas e sente-as como suas.

Entre lugares
distintos do sistema 2) Espaço do enunciatário pelo do enunciador

enunciativo O guarda livros, num repelão, ordenou:


- Tire esse bandido da minha frente, João! Tome conta
dele.

Como a pessoa chamada de bandido está diante do


enunciador e não junto do enunciatário, o falante deveria
ter utilizado o termo ESTE em lugar de ESSE. Há desinteresse
do Edor a ponto de coloca-lo fora do seu espaço.

3) Espaço do enunciador pelo espaço fora da situação


enunciativa:

Eu só queria estar lá para receber estes cachorros a


chicote.

“LÁ” denota que o espaço em que estão as pessoas que o


EDOR queria receber a chicote está fora da situação
Entre lugares distintos enunciativa. Ele também emprega ESTES e não AQUELES.
do sistema Revela interesse do edor e o faz presente na cena
enunciativa.
enunciativo

4) Espaço fora da cena enunciativa pelo espaço do


enunciador

Fabiano queria berrar para a cidade inteira, afirma ao


Doutor Juiz de Direito, ao delegado, a seu Vigário e aos
cobradores da Prefeitura que ali dentro ninguém
prestava para nada.

Entre lugares distintos O texto está em discurso indireto livre. Portanto, ALI
do sistema significa AQUI. É o lugar de onde fala a personagem, cuja
voz está mesclada à do narrador.
enunciativo

2
27/11/2018

5) Espaço do enunciatário pelo espaço fora da cena


enunciativa

A Terra existia desde que a luz se fizera, a 23, na manhã


de todas as manhãs. Mas já não era essa Terra
primordial, parda e mole, ensopada em águas barrentas,
abafada numa névoa densa.

Entre lugares distintos O narrador conta a criação do mundo. A Terra a que se


do sistema refere não é a do espaço da cena enunciativa, mas a de um
espaço outro, que existia antes do tempo enuncivo da
enunciativo criação. Designá-la com ESSA em lugar de AQUELA
significa torná-la visível e presente na situação
enunciativa.

6) Espaço fora da cena enunciativa pelo do enunciatário

Ei, você lá, que é que você está fazendo na minha sala?

Quando a situação de enunciação não está criada, mas


será produzida por um apelo, colocar o enunciatário fora
da cena enunciativa com um LÁ assinala um matiz de
insolência na fala do enunciador.
Entre lugares distintos
do sistema
enunciativo

1) Espaço do enunciador pelo espaço enuncivo

À diferença das obras de sua exposição anterior, sempre verticais


e representações do masculino, aqui Baravelli encontrou nas
linhas horizontais uma espécie de forma arquetípica da
feminilidade.

O AQUI significa NA EXPOSIÇÃO QUE ESTÁ FAZENDO ATUALMENTE.


O dêitico anula a oposição enunciado e enunciação e coloca o Edor
no espaço em que estão as telas, indicando, assim, uma
Entre espaços do
concomitância entre o ver e o comentar. sistema enunciativo e
enuncivo

3
27/11/2018

2) Espaço enuncivo pelo do enunciador

Mas os outros brancos eram diferentes. O patrão atual, por exemplo,


berrava sem precisão. Quase nunca vinha à fazenda, só botava os
pés nela para achar tudo ruim.

Esse texto é em discurso indireto livre. Nele, a fazenda é especificação


de um AQUI neutralizado. NELA significa AQUI. Não se trata de num
anafórico, dado que, em discurso direto, o habitual seria dizer “só bota
os pés aqui para achar tudo ruim”.
Entre espaços do
sistema enunciativo e
enuncivo

3) Espaço do enunciatário pelo espaço espaço enuncivo

Pensando bem, a procura da avó começara bem antes, tinha sido


em Paris. Foi lá que sinteressou também a sério por Lueji. Efeitos
da civilização pós-industrial? As pessoas que desprezavam os
outros, nem neles reparavam ao andar nas ruas? Gente que nem
olhava para o morria de fome na esquina? Nunca poderia precisar,
mas busca começou aí.

EM PARIS é o espaço enuncivo. LÁ é um anafórico. Poder-se-ia


Entre espaços do
pensar, então, que AÍ seja também um anafórico que se refere a sistema enunciativo e
Paris.
O que nos leva a pensar que AÍ seja um dêtico: enuncivo
a) Se fosse anafórico, a personagem continuaria empregando LÁ;
b) b) a personagem trava um diálogo consigo mesma, como
mostram as interrogações e, por conseguinte, cinde-se em
enunciador, a personagem no momento atual, e enunciatário, a
que morara em Paris. Nega-se, nesse momento, o espaço
enunciado, que é transformado em espaço do enunciatário, e o
enunciador refere-se a ele como AÍ.

Observações:
i. É mais frequente a embreagem com demonstrativos
do que com advérbios;
- Como ocorre com o tempo, no caso do espaço, os
advérbios marcam a neutralização.
- Exemplo em que AÍ assinala que DESTA está
empregado no lugar de DESSA.
- [...] mainés rendados, peças dos fustes, capitéis
góticos, laçarias de bandeiras, cordões de arcadas,
AÍ estavam tombados sobre grossas zorras ou ainda
Entre espaços do
no chão, endurecidos pelo contínuo perpassar de sistema enunciativo e
trabalhadores, oficiais e mais obreiros DESTA
maravilhosa fábrica. enuncivo

4
27/11/2018

Observações:
II. O não aparecimento dos casos:
a) espaço enuncivo pelo do enunciatário;
b) espaço fora da cena enunciativa pelo espaço enuncivo;
c) espaço enuncivo pelo espaço fora da cena enunciativa.

Razões:
B e C não ocorrem, porque, como AQUELE, ALI e LÁ funcionam
sempre nos sistemas enunciativo e enuncivo. A distinção é feita a
partir da relação com o espaço da enunciação ou com um marco
Entre espaços do
espacial inscrito no enunciado. Não podem ser neutralizados. sistema enunciativo e
Exemplo: enuncivo
Chega ao plano silencioso e autorreferente - face alterada, mas com
o único significado em si mesmo. E é para LÁ que se dirige nosso olhar.

LÁ significa no plano silencioso. Não é embreagem porque se trata de


um LÁ enuncivo em função anáfora.

O caso a (espaço enuncivo pelo do enunciatário) só poderia ocorrer


no caso de haver um diálogo em discurso indireto livre, o que é quase
impossível, dado que há nele uma embreagem actancial, que anula a
presença dos actantes da enunciação, o que faz que esse tipo de
técnica seja usado para apresentar o que se passa no intimo da
personagem e não a troca enunciativa.

Entre espaços do
sistema enunciativo e
enuncivo

- A embreagem espacial produz um dado efeito de sentido. Essa


categoria manifesta-se como presentificação vs absenteização.
- Numa operação de negação, o eixo dos subcontrários são não
absenteização vs não presentificação.

aqui Lá/alhures

presentificação absenteização

Embreagens espaciais

aí aí
Não presentificação Não absenteização

5
27/11/2018

- Presentificação: torna presente, visível, concreto, no espaço do


enunciador, algo que estava no espaço enuncivo, fora da situação
de enunciação, ou no espaço do enunciatário. Indica o interesse
do enunciador por aquilo que ele “pôs” perto dele.

- Exemplo:

[...] agora vejo


Que tu me vens buscar. Beijo estas mãos
Reais tão piadosas.
Embreagens espaciais

- Absenteização: retira da cena enunciativa o que estava dentro


dela. Indica desagrado ou certo menosprezo do enunciador por
aquilo que foi tornado ausente.

- Exemplo:

Venha de lá um abraço, menina bonita!

Embreagens espaciais

- Não presentificação: afasta alguma coisa do enunciador, sem


retirá-la da situação enunciativa, o que assinala certo desinteresse
do enunciador por ela.

- Exemplo:

Fortunato! Leve esse homem daqui!

- Não absenteização: coloca algo na cena enunciativa, sem


aproximá-lo totalmente do enunciador, o que mostra certo
interesse da parte deste pelo que foi tornado um pouco mais Embreagens espaciais
próximo.

- Exemplo:

Revia na imaginação esse filho tão querido.

6
27/11/2018

O espaço desdobrado

As astúcias da
enunciação

O espaço dobra-se no texto num


espaço da enunciação ou da
narração e num espaço do
enunciado ou do narrado. O primeiro
é o espaço onde se dá a narração e o
segundo, onde ocorrem os fatos
narrados.

O espaço da narração é sempre um


aqui, projetado ou não no
enunciado, o que postula quatro
tipos de debreagens.

7
27/11/2018

1) Debreagem enunciativa da enunciação

Quando se projeta no enunciado o espaço de onde fala o narrador.

D.Sancha, peço-lhe que não leia ESTE livro; ou, se o houver lido até
aqui, abandone o resto. Basta fechá-lo; melhor será queimá-lo, para
lhe não dar a tentação e abri-lo outra vez. Se, apesar do aviso,
quiser ir até o fim, a culpa é sua; não respondo pelo mal que
receber. O que já lhe tiver feito, contanto os gestos daquele sábado,
esse acabou, uma vez os acontecimentos, e eu com eles,
desmentimos a minha ilusão; mas o que agora a alcançar, esse é O espaço desdobrado
indelével. Não, amiga minha, vá envelhecendo sem marido nem
filha, que eu faço a mesma cousa, e é ainda o melhor que se pode
fazer depois da mocidade. Um dia, iremos DAQUI até à porta do céu,
onde nos encontraremos renovados, como as plantas novas, come
piante novelle, ...

Narrador comenta o mal que poderia fazer a ela a descoberta da


relação de Escobar com Capitu. O comentário pertence à narração.
Por conseguinte, ESTE e AQUI constituem o espaço da enunciação
projetado no enunciado.

2) Debreagem enunciva da enunciação

Quando não se projeta no enunciado o AQUI de onde fala o narrador,


o que dá a impressão de que ele enuncia de um espaço
indeterminado, um ALGURES.

Daí a pouco, em volta da bica era um zunzun crescente; uma


aglomeração tumultuosa de machos e fêmeas. Uns após outros,
lavavam a cara, incomodamente, debaixo do fio de água que
escorria da altura de uns cinco palmos. [...] os homens, esses não se
preocupava em não molhar o pelo, ao contrário metiam a cabeça O espaço desdobrado
bem debaixo da água e esfregavam com força as ventas e as barbas,
fossando e fungando contra as palmas da mão.

Há presença apenas do lugar onde se passam os fatos, “em volta da


bica”. A instancia da enunciação está ausente do enunciado. O
narrador não localiza nada a partir do hic. O demonstrativo que
aparece no texto tem função anafórica e não dêitica.

3) Debreagem enunciativa do enunciado

Quando os fatos se passam na localização enunciativa. Quando os


fatos são narrados no sistema pretérito ou futuro, é fácil distinguir a
narração do narrado, pois aquela deve, por definição, dar-se no
presente e este deve estar correlacionado a marcos temporais
pretéritos ou futuros inscritos no enunciado.

Menos de um ano depois dessa última visita – continuou Pablo –


recebi a notícia de que havia sido transferido para ESTA embaixada.
O espaço desdobrado
RECEBI e HAVIA SIDO TRANSFERIDO denotam, respectivamente,
concomitância e anterioridade em relação ao marco temporal
pretérito “menos de um ano depois dessa última visita”. São da ordem
do narrado.
ESTA assinala que o lugar do evento corresponde ao da enunciação, a
embaixada.

8
27/11/2018

3) Debreagem enunciativa do enunciado

continuação...
- Episodio do passado parece ocorrer no espaço da narração, no
momento em que ele é relatado.

A voz era a mesma de Escobar, o sotaque era afrancesado.


Expliquei-lhe que realmente pouco diferia do que era, e comecei um
interrogatório para ter menos que falar e dominar assim a minha
emoção. Mas isto mesmo dava animação à cara dele, e o meu
colega de seminário ia ressurgindo cada vez mais do cemitério. EI-LO O espaço desdobrado
AQUI diante de mim, com igual riso e maior respeito; total, o
mesmo obséquio e a mesma graça.

3) Debreagem enunciativa do enunciado

continuação...
- No caso de narrativas que simulam uma simultaneidade entre
narração e narrado, o que deveria ser relatado em outro sistema
temporal, se houvesse uma não concomitância ente os dois níveis:

Milagrosamente Clara e Luiz já estão falando inglês. Nos primeiros


meses vinham para casa repetindo palavras ou frases, como
papagaios. Agora AQUI estão à mesa do café, falando fluentemente,
não direi a língua de Shakespeare, mas pelo menos a de Jimmy O espaço desdobrado
Durante [...]

AQUI é do domínio narrado. Se houvesse uma anterioridade dos


eventos em relação ao ato narrativo o período poderia ser reescrito
como
Hoje de manhã, à mesa do café, estavam falando fluentemente
inglês.

4) Debreagem enunciva do enunciado

Quando os fatos narrados se passam num espaço enuncivo.

Ia entrar na sala de visitas, quando ouvi proferir o meu nome e


escondi-me atrás da porta.A casa era a da rua de mata-cavalos, o mês
novembro , o ano é que é um tanto remoto, mas eu não hei de trocar as
datas à minha vida só para agradar às pessoas que não amam histórias
velhas; o ano era de 1857.

Embora narrado em primeira pessoa, o enunciador instala no O espaço desdobrado


enunciado os espaços enuncivos onde vão dar-se os acontecimentos:
- A sala de visitas, onde parlamentavam D. Gloria e José Dias;
- Atrás da porta, onde Bentinho ouviu a conversa que lhe revelou o
amor que sentia por Capitu.

9
27/11/2018

Macroembreagens: dizem respeito a


um episódio mais longo ou à
totalidade do discurso. O narrador
altera a localização espacial que
vinha utilizando. Dado que o lugar da
enunciação é sempre um AQUI,
podemos ter seis possibilidades de
macroembreagens.

a) O espaço enuncivo torna-se espaço enunciativo;

b) O espaço enunciativo converte-se em enuncivo;

c) O aqui transforma-se em lá;

d) O lá metamorfoseia-se em aqui;

e) O aqui modifica-se em aí;


Macroembreagens
f) O aí transmuda-se em aqui.

Romance XII ou de Nossa Senhora da Ajuda

Havia várias imagens Narrador vai apresentando as imagens nos planos distintos: geral,
Na capela de Pombal: americano, close.
e portada de cortinas
Começa por instalar no enunciado um plano geral, um espaço
e sanefa de damasco
enuncivo: NA CAPELA DO POMBAL.
e, no altar, o seu frontal.
Aquilo que mais valia Vai descrevendo como se não estivesse dentro dele.
na capela do Pombal
era a Senhora da Ajuda,
com seu cetro, com seu manto,
com seus olhos de cristal.

Sete crianças, na capela,


rezavam, cheias de fé,
à grande Santa Formosa.
Eram três de cada lado,
os filhos do almotacé.

10
27/11/2018

(Mas esse, do meio,


tão sério, quem é? Quando diz “ESTE é sem Anto da Guarda” e “Diante DESTE solitário”,
coloca-se no espaço da capela, denegando o espaço enuncivo e
- Eu, Nossa Senhora,
convertendo-o em espaço enunciativo (possibilidade a).
sou Joaquim José!)
É como se a câmera focalizasse uma das crianças em close.
Ah! como ficam pequenos os
doces poderes seus! Abre-se um plano geral, NA CAPELA DO POMBAL e o espaço enuncivo
Este é sem Anjo da Guarda, converte-se novamente em enuncivo (possibilidade b).
sem Estrela, sem Madrinha...
Que o proteja a mão de Deus!

Diante deste solitário,


na capela do Pombal, Nossa
Senhora da Ajuda
É uma grande imagem triste,
longe do mundo mortal.

(Nossa Senhora da Ajuda, Mais uma vez, o espaço enuncivo converte-se em enunciativo com o
entre os meninos que estão AQUI do verso “rezando aqui na capela”.
rezando aqui na capela,
um vai ser levado à forca, Num movimento de aproximação , passa o narrador a participar do
com baraço e com pregão!) que ocorria na capela e, como narra os fatos no pretérito, sabe o que
vai ocorrer e , por isso, pode pedir a Nossa Senhora da Ajuda para
salvar o menino de seu “triste destino”.
(Salvai-o, Senhora,
com Vosso Poder, Ainda no espaço enunciativo, a câmara abre um plano médio, ou seja,
do triste destino o narrador, como que se afasta do menino, para colocá-lo no espaço
que vai padecer!) do enunciatário, Nossa Senhora da Ajuda, pois o situa com “esse” no
verso “Esse que não estais ouvindo” (possibilidade e).
(Pois vai ser levado à forca,
Há um jogo de aproximações e distanciamentos, de alta intensidade
para morte natural,
dramática, em que o narrador participa do narrado numa tentativa de
esse que não estais ouvindo, mudar-lhe o curso.
tão contrito, de mãos postas,
na capela do Pombal!) Se tivesse invertido o jogo, ou seja, utilizado AI e depois ESTE nos
versos “rezando aí na capela” e “este que não estais ouvindo”, teria a
possibilidade f.

Sete crianças se levantam.


Todas sete estão de pé,
fitando a Santa formosa,
de cetro, manto e coroa.
- No meio Joaquim José.

(Agora são tempos de ouro. Os


de sangue vêm depois.
Vêm algemas, vêm sentenças,
vêm cordas e cadafalsos,
na era de noventa e dois.)

(Lá vai um menino


entre seis irmãos.
Senhora da Ajuda,
pelo Vosso nome,
estendei-lhe as mãos!)

11

Related Interests