You are on page 1of 4

Lei nº 2.

432/1997
DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DA ÁREA DE PROTEÇÃO ESPECIAL BACIA DO RIBEIRÃO DO
LAGE NO MUNICÍPIO DE CARATINGA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

O Prefeito Municipal de Caratinga, no uso das atribuições legais e tendo em vista o que dispõe os
artigos 8º e 9º da Lei nº 6.092 de 27 de abril de 1981, bem como a Lei nº 6.938, de 31 de agosto
de 1981 e o artigo 5º do Decreto Estadual nº 33.944, de 18 de setembro de 1992, decreta:

Art. 1º. Fica declarada a Área de Proteção Especial (APE) denominada Bacia do Ribeirão do Lage,
localizada no Município de Caratinga, no Estado de Minas Gerais com o objetivo de assegurar a
proteção da bacia hidrográfica, responsável pela abastecimento de água de toda a população
urbana, e demais recursos naturais locais, promover a melhoria da qualidade de vida das
comunidades integrantes à área, bem como estabelecer critérios de uso e ocupação da região.

Art. 1º . Fica declarada a Área de Proteção Ambiental (APA) denominada APA Ribeirão do Laje,
localizada no Município de Caratinga, no Estado de Minas Gerais com o objetivo de assegurar a
proteção da bacia hidrográfica, responsável pela abastecimento de água de toda a população
urbana, e demais recursos naturais locais, promover a melhoria da qualidade de vida das
comunidades integrantes à área, bem como estabelecer critérios de uso e ocupação da região. ().

Art. 2º. A APE Bacia do Ribeirão do Lage tem também por finalidade, garantir a qualidade e a
vazão dos recursos hídricos, através da proteção de seus mananciais, controlando as atividades
desenvolvidas na bacia.

Art. 2º . A APA Bacia do Ribeirão do Lage tem também por finalidade, garantir a qualidade e a
vazão dos recursos hídricos, através da proteção de seus mananciais, controlando as atividades
desenvolvidas na bacia. ().

Art. 3º. A APE Bacia do Ribeirão do Lage abrange toda a rede hidrográfica e terras drenantes a
estas, contidas nos domínios territoriais de Caratinga - MG. O limite leste da APE se estende ao
longo do interflúvio que separa a bacia do ribeirão do Lage e a do Rio Preto. A oeste o limite se dá
também no sentido N-S, ao longo do interflúvio que separa a bacia do Ribeirão do Lage da do Rio
Caratinga. A norte a área ‚ fronteiriça com o território de Ubaporanga, enquanto a sul, o limite
encerra na fronteira municipal de Caratinga com os municípios de Santa Bárbara do Leste e Santa
Rita de Minas. As coordenadas geográficas que permitem a delimitação da área são as seguintes:

Pontos Latitude(S) Longitude(W)


1 19º50'00" 42º06'39"
2 19º50'27" 42º05'48"
3 19º50'45" 42º05'36"
4 19º50'39" 42º05'18"
5 19º51'54" 42º05'30"
6 19º52'30" 42º05'24"
7 19º52'33" 42º05'18"
8 19º53'00" 42º04'57"
9 19º52'21" 42º04'48"
10 19º52'03" 42º04'24"
11 19º51'30" 42º04'27"
12 19º51'09" 42º04'18"
13 19º50'09" 42º04'30"
14 19º49'27" 42º04'46"
15 19º49'03" 42º04'18"
16 19º47'48" 42º04'24"
17 19º47'42" 42º04'00"
18 19º47'24" 42º05'18"
19 19º47'27" 42º05'36"
20 19º46'30" 42º06'03"
21 19º45'42" 42º05'57"
22 19º45'27" 42º06'27"
23 19º44'54" 42º06'15"
24 19º44'45" 42º06'42"
25 19º44'51" 42º07'09"
26 19º44'39" 42º07'24"
27 19º44'18" 42º07'27"
28 19º44'06" 42º08'03"
29 19º45'30" 42º07'15"
30 19º46'51" 42º07'03"
31 19º47'12" 42º07'21"
32 19º47'54" 42º07'39"
33 19º48'54" 42º07'30"
34 19º49'09" 42º07'03"

A área total envolvida neste perímetro é de 6.193 hectares.

Art. 3º . A APA Bacia do Ribeirão do Lage, com área de 6.193 hectares, abrange toda a rede
hidrográfica e terras drenantes a estas, contidas nos domínios territoriais de Caratinga - MG,
conforme as coordenadas geográficas que se seguem:.

Pontos Latitude(S) Longitude(W)


01 19º 43' 51" 42º 07' 59"
02 19º 45' 01" 42º 07' 33"
03 19º 45' 08" 42º 07' 06"
04 19º 45' 52" 42º 06' 46"
05 19º 46' 24" 42º 06' 55"
06 19º 46' 47" 42º 06' 55"
07 19º 47' 08" 42º 07' 28"
08 19º 47' 21" 42º 07' 25"
09 19º 47' 37" 42º 07' 57"
10 19º 48' 14" 42º 07' 48"
11 19º 48' 42" 42º 07' 02"
12 19º 49' 56" 42º 06' 28"
13 19º 50' 28" 42º 05' 31"
14 19º 50' 55" 42º 04' 37"
15 19º 51' 49" 42º 04' 42"
16 19º 52' 16" 42º 04' 50"
17 19º 52' 11" 42º 04' 12"
18 19º 51' 53" 42º 04' 04"
19 19º 51' 26" 42º 03' 38"
20 19º 50' 41" 42º 03' 34"
21 19º 50' 15" 42º 03' 40"
22 19º 50' 02" 42º 03' 32"
23 19º 49' 36" 42º 03' 55"
24 19º 47' 49" 42º 03' 32"
25 19º 47' 49" 42º 03' 35"
26 19º 47' 31" 42º 04' 24"
27 19º 47' 11" 42º 04' 33"
28 19º 47' 06" 42º 05' 05"
29 19º 46' 44" 42º 05' 23"
30 19º 46' 00" 42º 05' 27"
31 19º 45' 21" 42º 05' 11"
32 19º 44' 56" 42º 05' 43"
33 19º 44' 38" 42º 05' 40"
34 19º 44' 16" 42º 06' 18"
35 19º 44' 30" 42º 06' 48"
36 19º 43' 52" 42º 07' 29"

()

Art. 4º. Para implantação e funcionamento da APE Bacia do Ribeirão do Lage serão adotadas,
entre outras, as seguintes medidas:

Art. 4º . Para implantação e funcionamento da APA Ribeirão do Lage serão adotadas, entre outras,
as seguintes medidas: ().
I - a constituição de um conselho para gestão colegiada da APE, com a participação dos
seguimentos envolvidos na região: Prefeitura Municipal(07); CODEMA(01); Setor Econômico(01);
organização não governamental ambientalista(01); representante da comunidade(01); Instituto
Estadual de Florestas(01); comunidade científica(01) e Copasa(01).

II - o procedimento do zoneamento ambiental da APE, através da Lei Municipal, sob


responsabilidade da Secretaria Municipal de Planejamento em articulação com o conselho de
gestão colegiada, indicando as atividades a serem incentivadas em cada zona, bem como as que
deverão se adequar, de acordo com a legislação aplicável;
II - o procedimento do zoneamento ambiental da APA, através do Decreto Executivo, sob
responsabilidade da Secretaria Municipal de Planejamento em articulação com o Conselho de
Gestão Colegiada, indicando as atividades a serem incentivadas em cada zona, bem como as que
deverão se adequar, de acordo com a legislação aplicável; ().

III - a utilização dos instrumentos legais e dos incentivos financeiros governamentais para
assegurar a proteção da Zona de Vida Silvestre e o uso racional do solo conforme determinados
no zoneamento ambiental;
IV - a adoção de medidas de incentivo à melhoria da qualidade de vida da população local;

V - a divulgação de medidas previstas nesta lei objetivando o esclarecimento da comunidade local


sobre a APE Bacia do Ribeirão do Lage.

V - a divulgação de medidas previstas nesta lei objetivando o esclarecimento da comunidade local


sobre a APA Ribeirão do Lage. ().

Parágrafo único - O zoneamento ambiental disposto no inciso anterior ser definido em um prazo
máximo de 180 (cento e oitenta) dias após a publicação desta lei.

Art. 5º. Na APE Bacia do Ribeirão do Lage ficam proibidas ou restringidas:

Art. 5º . Na APA Ribeirão do Lage ficam proibidas ou restringidas: ().


I - a implantação de atividades industriais potencialmente poluidoras, capazes de afetar os cursos
d'água da região;
II - a realização de obras de terraplenagem e a abertura de canais quando estas iniciativas
importarem em sensível alteração das condições ecológicas locais, principalmente na Zona de
Vida Silvestre;
III - o exercício de atividades capazes de provocar acelerada erosão das terras ou acentuado
assoreamento das coleções hídricas;
IV - o exercício de atividades que ameaçam extinguir espécies raras da biota regional;
V - o uso de biocidas, quando indiscriminado ou em desacordo com as normas ou recomendações
técnicas oficiais;
VI - obras de drenagens de várzeas, consideradas importantes filtros naturais.

Parágrafo único - Em caso de epidemias veiculadas por animais silvestres, a Secretaria Municipal
de Saúde, deverá, em articulação com os órgãos competentes, promover programas especiais
para controle dos referidos vetores.

Art. 6º. A instalação de novos empreendimentos ou atividades que importarem na alteração do uso
do solo dependerão da autorização prévia da Prefeitura Municipal, que somente poder concedê-
los:
I - após a realização do estudo do projeto e exame das alternativas possíveis;
II - após a realização de estudos das conseqüências ambientais por estas provocadas;
III - mediante a indicação de restrições e medidas consideradas necessárias à salvaguarda dos
recursos naturais atingidos.

Parágrafo único - As autorizações concedidas pela Prefeitura Municipal não dispensam outras
autorizações e licenças federais e estaduais previstas na legislação específica.

Art. 7º. Fica estabelecida, na APE Bacia do Ribeirão do Lage Zonas de Vida Silvestre destinadas
prioritariamente à preservação dos recursos naturais e a garantia da reprodução das espécies.

Art. 7º . Fica estabelecida, na APA Ribeirão do Lage, zonas de Vida Silvestre destinadas
prioritariamente à preservação dos recursos naturais e a garantia da reprodução das espécies. ().
Parágrafo único - A Zona de Vida Silvestre abarcar os remanescentes de florestas nativas e seu
perímetro será definido no zoneamento ambiental.

Art. 8º. As penalidades são as previstas na Lei nº 6.902 e aplicadas pelos órgãos competentes.

Art. 9º. A APE Bacia do Ribeirão do Lage será supervisionada, administrada e fiscalizada pela
Prefeitura Municipal de Caratinga, de forma integrada com o órgão de gestão colegiada desta APE.

Art. 9º . A APA Ribeirão do Lage será supervisionada, administrada e fiscalizada pela Prefeitura
Municipal de Caratinga, de forma integrada com o órgão de gestão colegiada desta APA. ().

Art. 10. Visando a realização dos objetivos previstos para a APE Bacia do Ribeirão do Lage, a
Prefeitura Municipal poder firmar convênios com órgãos e entidades públicas ou privadas sem
prejuízo de sua competência supletiva.

Art. 10 . Visando a realização dos objetivos previstos para a APA Ribeirão do Lage, a Prefeitura
Municipal poderá firmar convênios com órgãos e entidades públicas ou privadas sem prejuízo de
sua competência supletiva. ().

Art. 11. Os recursos financeiros advindos da aplicação da Lei Estadual nº 12.040/95 conseqüentes
da criação desta unidade de conservação deverão contemplar, prioritariamente, medidas que
assegurem a implantação do zoneamento ambiental e a melhoria da qualidade de vida da
população local.

Art. 12. Fica o Executivo Municipal autorizado a abrir Crédito Especial no valor de R$ 10.000,00
(dez mil reais) para suprir as despesas oriundas da implantação da presente Lei.

Art. 13. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Mando, portanto, a quem o conhecimento e a execução da presente Lei pertencer, que a cumpra e
a faça cumprir tão inteiramente como nela se contém.

Caratinga, 23 de dezembro de 1997

Dr. José Assis Costa


Prefeito Municipal