You are on page 1of 2

PROJETOS de I&D+I

TÍTULO
CAPEOSBAC – TECNOLOGIA DE MICROENCAPSULAÇÃO ADAPTADA PARA BACTÉRIAS
ANAERÓBIAS EXTREMAMENTE SENSÍVEIS AO OXIGÉNIO COM EFEITOS BENÉFICOS NA
MICROFLORA GASTROINTESTINAL: PRODUÇÃO E MELHORAMENTO DA ESTABILIDADE E
FUNCIONALIDADE EM DIFERENTES VECTORES

DESTAQUES
Desenvolvimento de novas tecnologias para o manuseio das bactérias ESO selecionadas ao
ar ambiente e simultaneamente a produção de novos produtos funcionais

RESUMO
Sabe-se que a dieta controla/modula muitas funções corporais que regulam a saúde/homeostasia e
que produtos funcionais são responsáveis por vários benefícios na saúde. O conceito de bactérias
benéficas/probióticas está baseado na noção de que o ecossistema intestinal contribui para a
saúde humana reduzindo riscos de doença. F. prausnitzii e A. muciniphila têm sido indicadas como
candidatas para próxima geração de probióticos com grande potencial para prevenir distúrbios
inflamatórios devidos à dieta. No entanto, a extensão de como estas bactérias intestinais serão
eficazes em humanos permanece em grande parte inexplorado principalmente devido à sua
extrema sensibilidade ao O2 (ESO). Para estas bactérias poderem ser usadas com sucesso em
alimentos/suplementos dietéticos ou fármacos, terão que ser estáveis e eficazes nos humanos.
Dada a forte necessidade de modulação da abundância de F. prausnitzii e/ou de A. muciniphila no
intestino, e conscientes da falta de conhecimento sobre metodologias válidas para tal, identificou-
se uma necessidade premente da modulação da abundância de F. prausnitzii e/ou de A.
muciniphila no intestino, mas a questão científica principal é como isso pode ser feito? A hipótese
base deste projeto baseia-se no possível desenvolvimento de soluções tecnológicas em condições
aeróbias, via microencapsulação, para aumentar a viabilidade, estabilidade, inocuidade e
funcionalidade de F. prausnitzii e de A. muciniphila. O desenvolvimento de novas tecnologias para
o manuseio das bactérias ESO selecionadas ao ar ambiente e simultaneamente a produção de
novos produtos funcionais serão extremamente importantes para a economia. Assim, os principais
objetivos da proposta são:
1) Promover a viabilidade/estabilidade ótimas destas bactérias ESO sob condições de stress
utilizando diferentes agentes;
2) Adaptar/estabelecer novas estratégias de microencapsulação para aumentar a
viabilidade/estabilidade das bactérias ESO;
3) Adaptar métodos para avaliar ESO microencapsuladas (MCESO) durante o armazenamento,
resistência gastrointestinal;
4) Avaliar o impacto in vitro das condições de processamento sobre a
fisiologia/expressão/regulação de genes de MCESO;
5) Desenvolver e caracterizar novos alimentos/suplementos ou fármacos com MCESO;
6) Validar a atividade biológica in vivo de MCESO incorporadas nas formulações selecionadas.
O projeto será desenvolvido através de uma abordagem interdisciplinar com investigadores de
áreas científicas vitais, tais como metodologias de encapsulação. O projeto permitirá ao PI e à
equipa, aumentar o conhecimento/know-how sobre estirpes ESO, o que será um desafio, mas irá
fornecer novas soluções tecnológicas importantes para os sectores da saúde/alimentar.

PALAVRAS CHAVE
Microencapsulação; Bactérias; Probióticos; Alimentos Funcionais.
PROJETOS de I&D+I

PROMOTORES / PARCEIROS
Universidade Católica Portuguesa-UCP (ESB/CBQF) (Coordenador); IINFACTS – CESPU; Coimbra Institute for
Clinical and Biomedical Research (ICBR).

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO DATA DE EXECUÇÃO ORÇAMENTO GLOBAL

PTDC/BAA-AGR/31400/2017 2018-2021 € 197 998,60

CONTACTOS (ESB) E-MAIL TELEFONE

Ana Freitas (PI) afreitas@porto.ucp.pt +351 225 580 094

Ana Maria Gomes (CO-PI) amgomes@porto.ucp.pt +351 225 580 084