You are on page 1of 2

Documento elaborado pela a AMBB em 1984/1985

I – A MÚSICA NA IGREJA
O que é a música sacra, tanto para o executante como para o ouvinte?
1) Comunica a realidade de Deus
2) Revela Deus a seus atributos
3) Evoca uma resposta a uma revelação divina por parte das pessoas
4) Cria condições para facilitar a ocorrência de experiências pessoas com Deus.

II – PARA QUE A MÚSICA NA PALAVRA DE DEUS?


A função primordial da música na Igreja é ministrar às necessidades espirituais dos seus membros. Nesta
função, a música se torna símbolo, para expressar o inexprimível, e instrumento, para comunicar os
sentimentos profundos da alma. A finalidade da música na igreja está relacionada às tarefas da igreja
neotestamentária: cultuar (adorar); edificar (educar, encorajar); suprir as necessidades espirituais dos
membros; proclamar (evangelizar, anunciar a mensagem divina). Há muitos textos bíblicos que se
constituem em princípios para uma filosofia de música para a igreja, dentre os quais se destacam os que são
mencionados a seguir:
1 – Ensina a organização para o ministério de música.
“Então disse Davi: Ninguém deve levar a arca de Deus, senão os levitas; porque o Senhor os elegeu para
levarem a arca de Deus, e para os servirem para sempre...
E Davi ordenou aos chefes dos levitas que designassem alguns de seus irmãos côo cantores, para tocarem com
instrumentos musicais, com alaúdes, harpas e címbalos, e levantarem a voz co alegria”(I Crôn. 15:2,16).

2 – Cânticos elaborados para o culto - “Louvai ao Senhor co harpa, cantai-lhe louvores com saltério de 10 cordas. Cantai-
lhe um cântico novo; tocai bem e com júbilo” (Sal.33:2,3).

3 – A música no culto “No ano e que morreu o rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e
as orlas do seu manto enchiam o templo. Ao seu redor havia serafins; cada um tinha seis asas; com duas cobria o
rosto, e com duas cobria os pés, e com duas voava. E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é
o Senhor dos exércitos; a terra toda está cheia da sua glória.

4 – A música no íntimo “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e
em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e é necessário que os que o adoram o
adorem em espírito e em verdade” (João 4:23,24).

5 – Funções da música sacra “Revesti, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de coração compassivo, de
benignidade, de humildade, mansidão, longanimidade, suportando-vos e perdoando-vos uns aos outros, se alguém
tiver queixa contra outro; assim como o Senhor vos perdoou, assim fazei vós também. E, sobre tudo isto, revestivos
do amor, que é o vínculo da perfeição.

6 - O uso dos instrumentos "Louvai ao Senhor! Louvai a Deus no seu santuário; louvai-o no firmamento do seu
poder! Louvai-o pelos seus atos poderosos; louvai-o conforme a excelência da sua grandeza! Louvai-o ao sem de
trombeta; louvai-o com o saltério e com harpa! Louvai-o com adufe e com dança; louvai-o com instrumento de
cordas e com flauta! Louvai-o com címbalos sonoros; louvai-o com címbalos altissonantes! Tudo quanto tem fôlego louve ao
Senhor. Louvai ao Senhor!" (Sal. 150).

III - A MÚSICA NO MINISTÉRIO DO CULTO


O culto cristão é a reunião de crentes para adorar a Deus, com ele ter comunhão e também anunciar a sua
mensagem. A música deve harmonizar-se com o espírito do culto, para que haja unidade de expressão e de
experiência. É necessário que a música, nova ou antiga, nacional ou de outras origens, tenha o conteúdo necessário
às várias partes do culto, conduzindo de forma adequada os fiéis para esses momentos, que são, conforme a
experiência do profeta em Isaías 6:1-9; adoração, contrição, perdão, encorajamento, instrução, consagração e
obediência. O canto congregacional é um meio que proporciona maior oportunidade aos crentes para a expressão
coletiva de seu culto a Deus.

IV - A MÚSICA NA EDIFICAÇÃO DA IGREJA


Paulo diz que os crentes devem ensinar a admoestar uns aos outros com salmos, hinos e cânticos espirituais,
reconhecendo que a música tem poder de gravar na mente as palavras a ela associadas. Por isso os textos deverão
ser fiéis à Palavra de Deus, nossa regra de fé e prática.

1 – O programa musical da igreja


- A estrutura do programa musical visa providenciar um ambiente de liberdade e criatividade. // - A programação
musical tem como fim à glorificação de Deus e a edificação das pessoas, e não a música em si. // - O programa
musical deve ter ênfase nas áreas de conceitos teológicos musicais (ensino, apreciação, preparo de liderança) e
crescimento espiritual (individual e coletivo).// - O programa musical deve ser planejado e executado em harmonia
com o programa de educação cristã adotado pela igreja. // - O plano de trabalho nas organizações musicais deve
seguir uma seqüência cíclica, tendo e vista as faixas etárias dos participantes.

2 – A experiência musical por faixas etárias


A experiência musical em cada faixa etária é importante e válida.

1) Crianças
Desde cedo as crianças precisam aprender ensinos bíblicos, conceitos religiosos e conceitos orais, a arte da
reverência e a beleza da disciplina musical, através de música apropriada. A experiência musical promove o
crescimento intelectual, cultural, social e físico da criança.

2) Adolescentes e Jovens
A música nas igrejas tem como fim proporcionar aos adolescentes e jovens um ambiente espiritual, social, cultural,
musical e que eles possam desenvolver-se até o ponto de um discipulado firme ao lado de Cristo e de uma
mordomia final de seus talentos.

3) Adultos
Os adultos, nas igrejas, também devem ser beneficiados pelo papel educacional que a música oferece. A alegria de
servir, de participar, de crescer musicalmente, de aprender novas ou antigas verdades em linguagem musical
desafiante, vitaliza o adulto.

V - A MÚSICA NA PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO


A música na evangelização deve observar as bases da fé cristã contidas na Palavra de Deus. A música atrai a
atenção e conduz o pensamento para os ensinos cristãos nela expressos.
Nos lares, nas atividades seculares, nas organizações da igreja, nos cultos, tanto na igreja como em pontos de
pregação, podemos anunciar o evangelho com eficácia através da música. Dentro do Brasil e nos mais distantes
pontos onde missionários forem enviados, a música é um instrumento de poder como veículo da mensagem que é
proclamada e vivida. A melodia perdura, reiterando a mensagem no coração, e o Espírito Santo a atua através dela.

VI - A MÚSICA NO ATENDIMENTO DAS NECESSIDADES HUMANAS


A música deve ser usada para suprir as necessidades humanas, sejam elas sociais, educacionais, psicológicas,
espirituais ou estéticas.
1 - Necessidades Sociais
A música atende às necessidades sociais quando incentiva à participação em atividades coletivas, em grupos
maiores, como coros, ou enormes, como trios ou conjuntos. A recreação musical desinibe e facilita o entrosamento
do indivíduo no grupo, em reuniões sociais, e acampamentos e outros ajuntamentos.
2 - Necessidades Educacionais
As necessidades educacionais também são alvo do programa musical, pois a música serve de veículo para o ensino,
e todas as faixas etárias.
3 - Necessidades Psicológicas
A criança, o jovem ou o adulto aprende a se expressar através da música, e seus sentimentos e atitudes se
desenvolvem num ambiente psicológico favorável.
4 - Necessidades Espirituais
Como um meio para simbolizar sentimentos e emoções espirituais, a música supre a necessidade que o indivíduo
sente de expressar e extravasar seus mais profundos anseios, suas petições e sua exultação, ao mesmo tempo e que
essa mesma música transmite atributos e ensinamentos divinos que palavras não conseguem traduzir.
5 - Necessidades Estéticas
A música, como arte, ensina valores estéticos que modifica e elevam a capacidade apreciativa e criadora do
indivíduo.

VII - A MÚSICA NAS INSTITUIÇÕES DE FORMAÇÃO MINISTERIAL.


A música é parte integrante do culto a Deus. A vocação dos levitas era ministrar perante o povo, servindo de elo
vertical (Deus-povo, povo-Deus) e horizontal (povo-povo, em nome de Deus).
Os batistas têm a música em suas igrejas como um ministério que exige preparo musical, teológico e eclesiástico.
O objetivo das instituições de formação ministerial, quanto á música sacra, é preparar líderes capacitados para
conduzirem as igrejas em todas as fases de seu programa musical. Esses músicos precisam ter a chamada divina.
Precisam ter, também talento musica, conhecimentos musicais prévios e dedicação à causa.
O ensino deve abranger os conceitos do ministério da música com base em cursos bíblicos e teológicos, de educação
cristã e administração eclesiástica, como também as matérias relativas á hinologia e ao programa musical da
igreja.
Nos currículos para a formação de pastores, ministros de educação cristã e outros obreiros, serão incluídas matérias
da área musical.