You are on page 1of 4

INSTITUTO DE ENSINO E CULTURA – IEC

CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM


ASSISTÊNCIA A CLIENTES/PACIENTE EM TRATAMENTO CLÍNICO
DOCENTE: JARIONE APUCK DA CUNHA BARBALHO

CASO CLÍNICO I

Paciente, MRC, sexo masculino, 65 anos, peso= 58 Kg, estatura= 170cm, cor parda,
trabalhou 40 anos como bombeiro e segurança particular, atualmente está aposentado, foi
encaminhado ao Hospital Universitário Professor Edgar Santos, com diagnóstico clínico
de DPOC. Relata que tem tosse produtiva e constante, sente muito cansaço, chiado no
peito, falta de ar associada a esforços como subir escadas, andar depressa ou praticar
atividades físicas, nos últimos meses foi internado algumas vezes por causa de infecções
respiratórias. Não havia realizado nenhuma prova funcional até o momento. Paciente
apresenta na radiografia de tórax indicava provável enfisema pulmonar.

Discussão:

1. O que caracteriza o enfisema pulmonar? Explique.


2. Cite quais são as causas da DPOC.
3. Quais são os sinais e sintomas apresentados pelo paciente? Além disse cite outros
sinais e sintomas que um paciente com DPOC pode vir a apresentar.
4. Após a realização da radiografia de tórax o médico solicitou uma gasometria
arterial e espirometria. A respeito desses exames responda:
a. O que a gasometria vai avaliar?
b. Quais os locais de escolha para realizar a punção arterial?
c. Qual a função do Teste de Allen antes da realização da gasometria arterial?
d. O que a espirometria vai avaliar?
e. Quais orientações devem ser dadas ao paciente antes da realização da
espirometria?
CASO CLÍNICO II

MFS, 32 anos, casada, natural de Manaus-AM, procurou o ambulatório de uma Unidade


Básica de Saúde (UBS) mais próxima da sua residência queixando-se de cansaço aos
menores esforços, cefaleias diárias, taquicardia, aumento do volume menstrual
(menorragia) e que teve “vontade de comer terra” (Geofagia). Paciente relata ainda que
foi orientada por um vizinho, estudante na área de saúde, a comprar Sulfato Ferroso na
farmácia do seu bairro, fato duramente criticado pelo Médico da UBS. No exame clínico
o Médico assistente detectou palidez cutâneo-mucosa e queilite angular (fissura e
ulceração no canto da boca). O Médico suspeitou de um quadro clínico de anemia e
resolveu solicitar alguns exames laboratoriais, obtendo os seguintes resultados.

EXAMES LABORATORIAIS:

Hemograma (Dados parciais):

Hemoglobina: 10g/dL (VR:12-16g/dL)

Hematócrito: 30% (VR:35-45%)

VCM: 75fl (VR:80-96fl)

HCM:25pg (VR:28-32pg)

Plaquetometria: 510.000/mm³ (VR:150.000-450.000/mm³)

Bioquímica:

Ferro sérico: 40mcg/dL (VR:60-150mcg/dL)

Ferritina: 8mg/L (VR:12-200mg/L)

Transferrina: 380mcg/dL (VR:250-360mcg/dL)

CTLFe (TIBC): 95mmol/L (VR: 40-80mmol/L)

IST: 10% (VR:20-40%)

Ácido Fólico: 9,3mg/L (VR: >2,0mg/L)

Vitamina B12: 210ng/L (VR: >150ng/L)

Discussão:

1. Qual o tipo de anemia apresentado pela paciente? Justifique sua responda


conceituando.
2. Cite os principais fatores de risco para Anemia.
3. Quais são os sinais e sintomas apresentado pela paciente? Além desses sinais e
sintomas um paciente com Anemia pode vir a apresentar?
4. Quais exames laboratoriais são solicitados para se da o diagnostico de Anemia?
Cite no mínimo 02.
5. Que orientações o profissional de enfermagem deve fazer ao paciente com
Anemia?

CASO CLÍNICO III

F.G.R.T., sexo feminino, 45 anos, retorna à unidade básica de saúde da região centro-sul
de Belo Horizonte para controle de Diabetes e entrega de exames solicitados na última
consulta. Relata ser portadora de Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2) há 12 anos e há quatro
faz o controle nesse centro de saúde, porém com outro médico. A paciente relata que
desde o início do controle no presente centro de saúde conseguiu controlar sua glicemia
devido a algumas mudanças no estilo de vida e uso de medicamentos. Iniciou o tratamento
com Glimeperida de 2mg em jejum, porém em maio foi acrescentado Metformina 850mg
após o almoço.

Paciente traz diário de glicemia, com registro de glicose capilar pela manhã variando de
159 a 313 mg/dL; Glicose pós-prandial de 190 mg/dL e na noite variando de 100 a 173
mg/dL. Trouxe também resultado dos seguintes exames: Creatinina: 0,6 mg/dL;
Colesterol Total: 156 mg/dL; HDL: 68 mg/dL; LDL: 63 mg/dL; Triglicérides: 125
mg/dL; Hemoglobina Glicada: 7,3%; Glicose em jejum: 103 mg/dL; Ureia: 41 mg/dL;

Além da Diabetes Mellitus tipo 2 a paciente também apresenta dislipidemia, em uso de


Sinvastatina (20 mg);

Ao exame físico: paciente em bom estado geral, corada, hidratada, perfusão capilar menor
que dois segundos. Estatura de 1,54 m e peso de 57 Kg. Frequência cardíaca: 64 bpm e
frequência respiratória: 24 irpm.

A conduta tomada nesse atendimento foi a renovação da Glimeperida e Metformina,


permanência da Sinvastatina, e prescreveu Insulina NPH 30U pela manhã e 25U noite, e
Insulina Regular quando apresentar Hiperglicemia. Paciente encaminhada para a equipe
de enfermagem.

Discussão:

1. Quais orientações devem ser dadas ao paciente a respeito da Insulina? Desde o


seu manuseio, aplicação e descarte. Explique detalhadamente.
2. Cite os principais sinais e sintomas que um paciente com diabetes pode vir a
apresentar.
3. Calcule o IMC do paciente. Além do IMC, quais procedimento e/ou medidas
antropométricas devem ser realizadas no exame físico da paciente.
4. O paciente diabéticos Insulinodependente tem chances de desenvolver um quadro
hipoglicemico, sendo assim, explique o que é hipoglicemia, quais o sinais da
hipoglicemia e como o paciente deve agir nesse quadro hipoglicemico.