You are on page 1of 2

Resposta Técnica

Assunto

Madeira

Palavras-chave

Briquetagem; Aglutinante

Identificação da demanda

Produção de Briquetes.

Solução apresentada

1. INTRODUÇÃO

O processo de briquetagem consiste no aproveitamento e compactação de resíduos vegetais


(biomassa), restos de madeira e rejeitos agrícolas — como palha de milho, bagaço-de-cana,
casca de uva e semente de girassol.

Existem diversas formas e tamanhos, sendo os mais usuais, o formato almofada e atualmente, o
cilíndrico.

2. BRIQUETE

O briquete é um pequeno bloco de forma pré-definida, resultante da aplicação de pressão em


uma mistura de finos de carvão com um aglutinante, dentro de moldes matrizes, através de
orifícios entre cilindros rotativos ou outros artifícios semelhante. O importante é que exista, surja
ou se crie, durante a prensagem, uma afinidade entre as partículas fazendo com que elas
permaneçam coesas, mantendo ou melhorando as características do material de origem. Os
aglutinantes utilizados na briquetagem de carvão são materiais essenciais no auxílio à
briquetagem de forma técnica e econômica. As partículas de finos devem ter uma distribuição
granulométrica adequada para proporcionar qualidade do briquete e economia do aglutinante. Os
aglutinantes podem ser de natureza diversa, sendo que os mais utilizados comercialmente são de
amido de milho. No Brasil busca-se utilizar o amido de mandioca, pela abundância desse
produto.

Normalmente os briquetes de carvão vegetal são fabricados para uso doméstico. Dependendo do
uso, a qualidade do briquete deve ser diferente. Para uso doméstico, a baixa toxidez é a
propriedade mais importante, seguida da resistência ao manuseio, facilidade de acendimento,
facilidade de transporte e estocagem.
Fonte: http://inventabrasilnet.t5.com.br/briquete.htm acessado em 11/04/2005.

SBRT – Formulário de Resposta Técnica Padrão 1


3. OS TIPOS DE AGLUTINANTES

Os ligantes (aglutinantes) podem ser classificados entre “não emissores de fuligem”, que incluem
amido, melaço de cana, cimento e licor sulfítico (subproduto da fabricação de papel). O principal
componente aglomerante dos licores sulfíticos é a lignina. Os ligantes “emissores de fuligem”,
incluem o pixe de petróleo e o alcatrão de carvão vegetal ou mineral. O ligante mais usado nos
EUA é o amido industrial de milho, não refinado, em forma granulada, que é insolúvel em água
e se torna adesivo depois de cozido. É preparada uma pasta com 10% de água que é aquecida a
80º C até gelatinizar. A mistura dever ser mantida quente para evitar coagulação antes da
prensagem.

Conclusão e recomendações

Em contato com um de nosso especialista que participaram do projeto aqui no CETEC, sobre
carvão vegetal, o mesmo recomenda a utilização do alcatrão ou do melaço de cana como
aglutinante, para esse processo. O mesmo poderá ser contato no seguinte telefone (31) 3213-
1339 ou por e-mail jboliveira@fiemg.com.br

Referências

ANTUNES, R.C. Produção e utilização de carvão vegetal: briquetagem de carvão vegetal.


Belo Horizonte: CETEC, 1982. 393p.

FONTES, Paulo J. Prudente. Aspectos técnicos da briquetagem do carvão vegetal no Brasil.


Brasília: IBAMA, 1989. Disponível em:
[http://www.funtecg.org.br/arquivos/aspectos.pdf] Acessado em 05/04/2005

Nome do técnico responsável

Nelma Camêlo de Araujo – Bolsista do SBRT

Nome da Instituição respondente

CETEC – Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais

Data de finalização

11/04/2005

SBRT – Formulário de Resposta Técnica Padrão 2