You are on page 1of 2

FAJE - Departamento de Filosofia

Aluno: Rondnelly Nunes de Assis (RA 20161753)


Disciplina: História da Filosofia Antiga I
Data: 26/02/2016

VIDAL-NAQUET, P.; AUSTIN, M. Economia e sociedade na Grécia Antiga. Trad. A.


Gonçalves; A. Nabarrete. Lisboa: Ed. 70, 1986, p. 59-81

● Surgimento da pólis (meados do século VIII):


○ Fatores envolvidos:
■ Nascimento da cidadania
● Desenvolvimento do não cidadão, o estranho à comunidade
política, privado de liberdade.
■ Instituição escravatura-mercadoria
● O povo de Quios, um dos primeiros lugares onde surgiu a
democracia, foi o primeiro a comprar escravos estrangeiros.
● “Da época arcaica aos tempos clássicos, permanece ainda
assim um denominador comum: a necessidade de súditos.”
■ Facções antiaristocráticas;
● Partilha de terras por parte dos tiranos;
■ Codificação das leis;
■ Desenvolvimento de sentimento comunitário
● Reforma hoplita: soldado-cidadão como o reflexo militar da
cidade.
○ Um tipo ideal; não se desenvolveu em todos os lugares, e nem no mesmo
ritmo;
○ Grupo, ora restrito, ora mais alargado, no qual cidadãos são os dirigentes;
○ Aristocracias fundiárias, e não de dinheiro
■ Classes censitárias, que Sólon tentou estabelecer em 594, tinha por
critério a produção agrícola.
■ Os problemas “econômicos” se ligavam de perto ou de longe à terra.
○ Desenvolveu-se primeiramente na Ásia Menor, na Grécia da costa leste e na
Grécia central;
○ Desenvolvimento do artesanato e do comércio
■ Os estados puderam receber mais rendimento por meio de taxas;
○ Melhoria na situação econômica e social dos cidadãos;
■ A arquitetura desenvolve-se (monumentos, templos);
■ Oferendas estrangeiras nos santuários;
■ Gostos de luxo difundem-se.
○ Surgimento da moeda
■ O papel ético da moeda (Aristóteles);
■ Desenvolvimento das relações sociais e da definição dos valores,
tendência fundamental da época arcaica;
■ Moedas eram exportadas unicamente pelo seu valor metálico (prata);
■ Tem uma relação com o desenvolvimento do espírito comunitário
● A moeda não tem uma origem meramente econômica para
facilitar o comércio;
● A circulação de bens e a circulação das moedas não são
coincidentes, e em várias cidades não há moedas de pequenos
valores.

● A crise
○ As causas econômicas da crise ligam-se direta ou indiretamente à terra;
○ Sobrepovoamento
■ Diminuição das taxas de mortalidade;
■ Exploração insuficiente do solo;
■ Repartição desigual das terras;
■ Divisão do patrimônio entre herdeiros.
○ A colonização foi uma solução para a crise:
■ A procura de terras novas foi a maior causa das empresas marítimas
dos gregos;
● Além de novas terras, buscavam também materiais
indispensáveis, como metais.
■ A colonização como válvula de segurança demográfica
● Platão, Leis, V, 740 b-c.
■ Sujeição de povos indígenas
● Diferente da escravatura-mercadoria clássica;
● Praticamente a regra em todas as colônias em volta do mar
Negro.
■ Tipos de colônia:
● Colônias tipo, apoikia;
○ Fundadas para se tornarem cidades independentes;
■ Comunidades agrárias autônomas.
○ Controlavam u m território muito mais importante do
que os estabelecimentos comerciais;
○ Essencialmente agrárias
● Estabelecimentos estritamente comerciais, empórion.
○ Naucratis (final do século VII), o port of trade mais
bem conhecido da época;
■ Situado no delta do Egito;
■ Deve sua existência à iniciativa privada de
comerciantes, majoritariamente gregos.
■ Comércio de importação de trigo;
● O Egito foi, depois do surgimento do
porto, um dos principais celeiros do
mundo.