You are on page 1of 4

ABORDAGENS SOCIOPOLÍTICAS DA EDUCAÇÃO

CURRÍCULO OCULTO E CURRÍCULO OFICIAL


SINTONIZANDO AS SALAS DE AULA E O MUNDO EXTERIOR
Resumo

Salvador
2008
Trabalho apresentado a
Professora/Tutora
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
XXXXX da disciplina
ABORDAGENS SOCIOPOLÍTICAS
DA EDUCAÇÃO da turma Circuito
do curso de Licenciatura em
Pedagogia

Salvador
2008
3

Algumas das coisas mais importantes que são ensinadas pelas vias
instrucionais - procedimentos organizacionais ou conteúdos dos manuais - não são
mencionadas no currículo oficial. Há um conjunto vasto de aprendizagens difusas,
resultado das ações e das vivências dos alunos.
Não mais o ensino costumeiro, tradicional. A oportunidade de criação de
condições e de resultados da aprendizagem escolar está nas mãos do professor e
das instituições. A eles cabe levar em consideração o ambiente em que estão
inseridos, seja rural ou urbano. É necessário atenção ao volume de informações
importantes tiradas desse ambiente. Incluí-las no dia a dia do aluno através do que
lhe é conhecido, evita a sua manutenção à margem dos acontecimentos globais e
sua visão restrita aos acontecimentos locais, e transforma esse aprendizado em algo
mais que o medíocre.
A complexidade e abrangência das informações é extensa e não deve ser
desprezada. A formação dos professores e a educação dos alunos está
naturalmente submetida às influências de um currículo não manifesto, num contexto
social, político, econômico e cultural. Saber o que é neoliberalismo; os porquês das
guerras de fundamento religioso; do crescimento prodigioso na indústria e comércio
da China; de como se formou a União Européia, e as implicações e influências de
tudo isso no comércio mundial e na sociedade, é uma obrigação do professor hoje.
Como explicar o desemprego, os baixos salários, sem o entendimento da política e
da economia mundiais e das competições decorrentes?
O crescimento científico e tecnológico do homem com sua chegada à Lua,
a criação dos meios de comunicação e transporte, dos novos medicamentos, e
como, apesar disso tudo, ainda existem as doenças epidêmicas, a miséria, o
desnível social causado pela má distribuição de renda.
À pergunta “E como tudo isso se relaciona à escola?” recai sobre a frase
bastante conhecida dos brasileiros: “Vivemos num país em desenvolvimento...”. Não
há guerras envolvendo o Brasil; mas as guerras no mundo influenciam a ponto de
enviarmos nossos soldados a outros países. Em virtude delas vivemos problemas
internos; a pior das torturas impostas ao homem: A fome. Confrontos nas guerras do
tráfico, nas guerras por terras, destruição de florestas e tantas outras calamidades
sociais. Nossos políticos se corrompem pelo poder, se submetem às políticas
externas como as impostas pelo Banco Mundial e FMI.
4

Outra pergunta: “Já deu para perceber que tudo isso influencia a escola?”.
A resposta: Como o meios de comunicação atingem os jovens, e como aproveitar o
conteúdo ou a falta deles, para educar, para manter a sintonia com eles.
Mais uma pergunta: “E como conciliar o currículo oculto com o oficial?”.
Cabe ao educador e as instituições, relacionarem o currículo oficial com as
informações e as influências do dia a dia, modernizando-o, criando ligações entre
eles, reavaliando constantemente as alterações cotidianas da sociedade, revisando
e tomando a iniciativa de trabalhar com os alunos e com a comunidade para
modificar a situação da escola e do aluno; questionar posturas, entender novas
tecnologias, renovar o conhecimento através de cursos, da leitura dos clássicos aos
novos autores, inserindo-se na vivência cultural como um todo, enfim, atualizar-se
diariamente, pois é através dessa atualização que influenciamos positivamente aos
nossos alunos, melhorando, dessa forma, a ação pedagógica.
As instituições e os professores ainda têm atualmente, a postura
imponente, achando talvez, que assim, impõem respeito. É preciso utilizar a mais
elementar das formas de convivência: a reciprocidade. Manter a seriedade, respeito,
disciplina e responsabilidade, e aprender a escutar o aluno, trocar conhecimento
com ele, através do diálogo e da cooperação.
Enxergamos um novo mundo de realidades encobertas pela velocidade
das vivências e quantidade de informações, mas insistentemente presentes. Através
delas e utilizando a criatividade, e a expressividade, a escola e os professores têm
muitas ferramentas e subsídios para produzir currículo, transformando-o em
instrumento de formação e persuasão para cativar, disciplinar e incentivar o aluno no
aproveitamento e troca de conhecimento.