You are on page 1of 11

Quando a escola chama os pais para uma reunião, ela precisa se preocupar com o que vai ser discutido,

deverá conversar com os envolvidos no processo (professores e funcionários) a fim de proporcionar um


momento agradável e que sirva de demonstração de como é o dia-a-dia de seu filho.
Tudo deve ser previamente conversado e elaborado com critério.

“Uma escola que proporciona bons momentos aos pais certamente proporciona dias felizes a seus
filhos”.

Objetivos:
• Conquistar a confiança dos pais e maior participação destes em todos os momentos que for necessário.
• Discutir as dificuldades, as habilidades e a interação das crianças.
• Mostrar as atividades realizadas pelas crianças e relatar como foram realizadas (interesse e participação
da criança).
• Discutir coletivamente as ações pedagógicas (metodologia e proposta pedagógica).
• Discutir ações conjuntas com os pais a fim de sanar as dificuldades das crianças com defasagem na
aprendizagem ou problemas de saúde em geral.
• Discutir, sem agredir, os assuntos burocráticos da escola.
• Favorecer momentos de integração entre os pais, professores e funcionários em geral.
• Ser objetivo, claro e responsável ao pedir a colaboração dos pais em qualquer ação da escola.
“Uma escola deve ser atrativa e carinhosa sem deixar de ter atitudes profissionais para ganhar a confiança
dos pais e alunos.”
Ações da escola:
Imagine que você realizará uma reunião ainda esta semana. Planeje todos os detalhes desde a chegada até
a saída dos pais.
1. Elabore uma pauta para entregar aos pais no momento da reunião para que eles possam acompanhar.
2. Ofereça lápis e papel para que eles possam fazer anotações e melhor esclarecer suas dúvidas no
momento oportuno.
Inicie a reunião convidando os pais para fazerem leitura de um pequeno poema.
3. Passe um texto para uma reflexão sobre o relacionamento pais-filho ou organize uma dinâmica de grupo
em que todos os pais possam participar e estabelecer contato uns com os outros.
4. Reparta a reunião em três momentos diferentes:
Para discutir questões burocráticas e o que for de interesse de todos, recados em geral.
Momento dedicado para uma dinâmica que envolva todos os pais e alunos presentes.
Momento dedicado ao trabalho pedagógico em que os pais verão as atividades realizadas por seus filhos e
conversarão com os professores sobre o seu rendimento, bem como aproveitarão para dar sugestões aos
pais de como podem ajudar seus filhos nas tarefas, como acompanhar os avanços e as dificuldades, como
lidar com a ansiedade ou a apatia do seu filho, com a preocupação excessiva ou o desinteresse etc.
Sugestão para a dinâmica:

Grupo: Esta dinâmica pode ser utilizada com pais de alunos de várias faixas etárias.
Objetivos: Desenvolver o raciocínio lógico, o sentido reflexivo e crítico, de tal maneira que possam tornar-se
cidadãos conscientes de seus deveres e direitos.
Comparar diferenças e igualdades.
Tempo: aproximadamente 50 minutos.
Local: sala de aula ou uma sala grande.
Material: papel pardo, fita adesiva, música Peixe vivo, papel sulfite, lápis preto e de cor, borracha, giz de
cera, tesourinha etc.
Desenvolvimento:
Faça o desenho de um aquário do tamanho de um papel pardo e fixe-o na lousa.
Coloque a música Peixe vivo para eles ouvirem e peça que cantem juntos...
Entregue aos pais um pedaço de papel sulfite (1/4) e peça-lhes que desenhem um peixinho, como
desejarem... (coloque à disposição lápis preto e de cor, borracha, giz de cera, tesourinha etc.) e depois
recortem.
Peça que, assim que terminem, vão à lousa e fixem seu peixinho no aquário.
Após todos fixados, peçam para que eles observem o que realizaram e manifestem o que entenderam sobre
a atividade. Deixe-os à vontade para falar.
Se necessário, conduza a conversa para o lado da moral, da ética, do respeito às diferenças individuais.
Pergunte: Todos os peixinhos estão iguais?
Por que são diferentes?
Porque todos somos diferentes, temos gostos diferentes, habilidades diferentes, conhecimentos diferentes.
Todos os peixinhos estão indo para mesmo lado? Por quê?
Porque temos objetivos, metas e sonhos diferentes, caminhamos por caminhos diferentes, viemos de
famílias diferentes etc.
Mas, apesar de todas essas diferenças, todos são iguais nas suas necessidades de sobrevivência.
Como podemos transferir essas idéias para a vida escolar?
O que o aquário representa?
Quem são os peixinhos?
Como convivermos, sabendo lidar com essas diferenças, em casa e na escola?
E assim por diante, de acordo com o retorno dos pais.
Conclusão:
As dinâmicas na sala de aula têm uma boa aceitação por parte dos pais e facilitam muito a relação escola-
pais.
Final da reunião:
Não finalize a reunião sem antes perguntar aos pais se eles têm alguma sugestão para melhorar a escola e
como podem fazê-lo.
Agradeça a participação e se possível não os deixe sair sem uma pequena lembrança desse dia.

17
de
março
DINÂMICA DO PIRULITO - PARA 1ª REUNIÃO COM PAIS
Dinâmica: "Auxílio mútuo"

Objetivo: Para reflexão da importância do próximo em nossa vida

Material: Pirulito para cada participante.

Procedimento: Todos em círculo, de pé. É dado um pirulito para cada participante, e os seguintes
comandos: todos devem segurar o pirulito com a mão direita, com o braço estendido. Não pode ser
dobrado, apenas levado para a direita ou esquerda, mas sem dobrá-lo. A mão esquerda fica livre, para trás
e não poderá ser usada. Primeiro solicita-se que desembrulhem o pirulito, já na posição correta (braço
estendido, segurando o pirulito e de pé, em círculo). Quando a maioria conseguir (se a estiver demorando
demais deixe que abram usando a mão esquerda) dê a seguinte orientação: sem sair do lugar em que
estão, mão esquerda atrás, direita segurando o pirulito e esticado sem poder dobrá-lo, todos devem chupar
o pirulito! Aguardar até que alguém tenha a iniciativa de imaginar como executar esta tarefa, que só há uma:
oferecer o pirulito para a pessoa ao lado!!! Assim, automaticamente, os demais irão oferecer e todos
poderão chupar o pirulito. Encerra-se a dinâmica, cada um pode sentar e continuar chupando, se quiser o
pirulito que lhe foi oferecido.

Para completar leia a mensagem:

As colheres de cabo comprido

Conta uma lenda que Deus convidou um homem para conhecer o céu e o inferno.
Foram primeiro ao inferno.
Ao abrirem uma porta, o homem viu uma sala em cujo centro havia um caldeirão de substanciosa sopa e à
sua Volta estavam sentadas pessoas famintas e desesperadas.
Cada uma delas segurava uma colher, porém de cabo muito comprido, que lhes possibilitava alcançar o
caldeirão, mas não permitia que colocassem a sopa na própria boca. O sofrimento era Grande.
Em seguida, Deus levou o homem para conhecer o céu.
Entraram em uma sala idêntica à primeira: havia o mesmo caldeirão, as pessoas em Volta e as colheres de
cabo comprido. A diferença é que todos estavam saciados. Não havia fome, nem sofrimento.
'Eu não compreendo', disse o homem a Deus, 'por que aqui as pessoas estão felizes enquanto na outra sala
morrem de aflição, se é tudo igual?'
Deus sorriu e respondeu:
'Você não percebeu? É Porque aqui eles aprenderam a Dar comida uns aos outros.'

Moral:
Temos três situações que merecem profunda reflexão:

1. Egoísmo: as pessoas no 'inferno' estavam altamente preocupadas com a sua própria fome, impedindo
que se pensasse em alternativas para equacionar a situação;
2. Criatividade: como todos estavam querendo se safar da situação caótica que se encontravam, não
tiveram a iniciativa de buscar alternativas que pudessem resolver o problema;

3. Equipe: se tivesse havido o espírito solidário e ajuda mútua, a situação teria sido rapidamente resolvida.

Conclusão:

Dificilmente o individualismo consegue transpor barreiras.

· O espírito de equipe é essencial para o alcance do sucesso.

· Uma equipe participativa, homogênea, coesa, vale mais do que um batalhão de pessoas com
posicionamentos isolados.

Isso vale para qualquer área de sua vida, especialmente a profissional.

E, lembre sempre:

A alegria faz bem à saúde; estar sempre triste é morrer aos poucos.

Abra a discussão sobre o quanto é importante a participação e apoio dos pais nas atividades escolares e só
unindo forças é que conseguiremos o sucesso dos alunos/filhos.

RECREAÇÃO
Dinâmicas de Grupo
Envie sua dinâmica e enriqueça nossa página ! Quero enviar minha idéia
32. Dinâmica: "O feitiço virou contra o feiticeiro"
Objetivo: não faça ou deseje aos outros o que não gostaria para si
Material: papel e caneta
Procedimento: forma-se um círculo, todos sentados, cada um escreve uma tarefa que gostaria que seu
companheiro da direita realizasse, sem deixá-lo ver. Após todos terem escrito, o feitiço vira contra o
feiticeiro, que irá realizar a tarefa é a própria pessoa que escreveu. "não faça ou deseje aos outros o que
não gostaria para si"
Respeito ao próximo.

Contribuição enviada pela usuária: Adriana Rezende da Silva Telles


33. Dinâmica: " da Historinha"
Objetivo: Treinar a memorização e atenção.
Procedimento: Todos devem estar posicionados em círculo de forma que todos possam se ver.
O organizador da dinâmica deve ter em mãos um objeto pequeno e direcionando a todos deve começar a
história dizendo: Isto é um ..... (Ex. cavalo). Em seguida deve passar o objeto à pessoa ao seu lado que
deverá acrescentar mais uma palavra a história sempre repetindo tudo o que já foi dito. (Ex. Isto é um
cavalo de vestido...), e assim sucessivamente até que alguém erre a ordem da história pagando assim uma
prenda a escolha do grupo.
Cria-se cada história engraçada... É bem divertido, aproveitem.

Contribuição enviada pela usuária: Jussara do Carmo Ferreira Souto Maior - Marketing e Venda
34. Dinâmica: " Recital das Almas Gêmeas"
Objetivo: É uma atividade muito divertida, que tem como objetivo a descontração e a aproximação entre os
membros do grupo.
Material: papel e caneta
Procedimento: Divide-se a turma em duas equipes. Em papeis serão escritas mensagens que se completam
(perguntas e respostas ou parte 1 e parte 2). Cada participante deverá pegar um papel, ou mais conforme a
quantidade de papeis e participantes, sem deixar que seus colegas vejam o que está escrito. A mensagem
será ex: 1 - 'eu sou um jardim sem flor', 2- ' eu sou a flor do teu jardim'. A segunda parte complementa a
primeira. É importante que as mensagem sejam criativas e engraçadas. É preciso demarcar quais são as
primeiras partes, para que sejam recitadas primeiramente, sendo completadas pela sua respectiva segunda
parte.
Contribuição enviada pela usuária: Beatris Feuser - Profa. de Hidro e Natação
35. Dinâmica: "Para quem você tira o chapéu"
Objetivo: Estimular a autoestima
Materiais: um chapéu e um espelho
O espelho deve estar colado no fundo do chapéu.
Procedimento: O animador escolhe uma pessoa do grupo e pergunta se ela tira o chapéu para a pessoa
que ver e o porquê, sem dizer o nome da pessoa. Pode ser feito em qualquer tamanho de grupo e o
animador deve fingir que trocou a foto do chapéu antes de chamar o próximo participante. Fizemos com um
grupo de idosos e alguns chegaram a se emocionar depois de dizer suas qualidades. Espero que gostem!

Contribuição enviada pela usuária: Andressa Carneiro - Vitória de Santo Antão PE - dentista
35. 1. Outra Versão: Dinâmica "Caixinha de Surpresas"
Objetivo: Dinâmica do autoconhecimento;Falar sobre si
Materiais: caixinha com tampa, eEspelho
Procedimento:Em uma caixinha com tampa deve ser fixado um espelho na tampa pelo lado de dentro. As
pessoas do grupo devem se sentar em círculo. O animador deve explicar que dentro da caixa tem a foto de
uma pessoa muito importante (enfatizar), depois deve passar para uma pessoa e pedir que fale sobre a
pessoa da foto, e não devem deixar claro que a pessoa importante é ela própria. Ao final, o animador deve
provocar para que as pessoas digam como se sentiram falando da pessoa importante que estava na foto.
Contribuição enviada pela usuária: Iara Elisa - Charqueadas - RS - Assistente Social
36. Dinâmica: "Chupa ai"
Objetivo: Estimular o Trabalho em Equipe.
Materiais: Uma bandeija e balas de acordo com o nº de participantes. As balas devem ser colocadas dentro
da bandeija.
Procedimento: forma-se um circulo, diga então aos participantes: 'vocês terão que chupar uma bala, só que
não poderão usar suas mãos para desembrulhar a bala e colocar em sua própria boca'.
Os participantes ficam loucos pensando como fazer isso, é interessante colocar a bandeija no chão. Alguns
participantes até pegam a bala com a boca e tenta desembrulhar na boca.
Espera-se que eles se ajudem, um participante pegue a bala com as mãos, a desembrulhe e coloque na
boca do outro.
Muito divertida esta dinâmica!

Contribuição enviada pelo usuário: André Muniz - Prof. de Educação Física - Itaguaí - RJ
37. Dinâmica: " do papel"
Objetivo: Descontração
Materiais: pedaço de papel, caneta
Procedimento: Forma-se um círculo e em seguida será distribuído um pedaço de papel para cada um, e
uma caneta. Logo após a pessoa irá escrever qualquer pergunta que ela quiser, ex: Porque hoje fez sol?
entendeu?!É qualquer pergunta, o que vier na cabeça. Ai logo após o instrutor irá pegar os papéis de todos
os participantes, embaralhar e entregar um para cada (só que você não poderá pegar o seu), ai depois de
feito isso a pessoa vai responder o que estiver naquele papel que ela pegou. Depois que todos
responderem sem um ver o do outro, você vai dobrar seu papel e vai passar 2 vezes para seu lado direito
todos juntos. Ai começa a brincadeira. Uma pessoa começa lendo o que está em seu papel, em seguida a
pessoa do lado direito ou esquerdo (depende do monitor escolher), digamos que foi pela direita, ai a pessoa
vai ler o que está escrito na RESPOSTA dela, e assim sucessivamente, a mesma que respondeu a resposta
vai ler a sua pergunta e o vizinho ao lado responderá a sua resposta é muito legal e divertindo causando
muitos risos!!!!

Contribuição enviada pelo usuário: Patty - Estudante - Londrina- PR


38. Dinâmica: "dança da cadeira cooperativa"
Objetivo: essa dinâmica serve para quebrar o gelo e fazer com que os participantes pensem sobre
cooperação entre o grupo.
Materiais: 1 cadeira
Procedimento: consiste na brincadeira da dança da cadeira(mesmo procedimento), só que em ao invés
dos que ficarem sem se sentar sairem, terão que se sentar no colo do amigo, de modo que ninguém fique
em pé. É muito engraçado! Ao final, com apenas uma cadeira todo o grupo terá que se sentar um no colo do
outro.
Contribuição enviada pelo usuário: Luciene de Souza Figueiredo Pereira - diadema SP
E-mail:lucienesfigueiredo@hotmail.com
39. Dinâmica: " da rosa" (infantil)
Objetivo: despertar a atitude em preservar o que temos.
Materiais: uma flor (rosa) natural
Procedimento: fazer um círculo, e cada integrante retira um pedacinho da flor, ao final sobrará apenas o talo
da flor. O monitor da dinâmica questiona o que aconteceu? Será que podemos consertar o que fizemos?
Essa dinâmica pode ser trabalhada com os pequeninos, a fim de preservar os materias dentro da sala de
aula, ou preservar o próprio meio ambiente.
Contribuição enviada pelo usuário: Dulcemar Garcia - E-mail:dulcemarg@bol.com.br - Professora de
Educação infantil- psicopedagoga - SP
40. Dinâmica: " O feitiço virou contra o feitiçeiro "
Objetivo: Mostrar para a turma que antes de pedir para alguém fazer alguma coisa que se coloque no lugar
do outro, pois provavelmente ele não faria o que escolheu para o outro grupo fazer.
Materiais: -
Procedimento: Divide-se a turma em dois grupos e pede-se para que cada grupo escolha dois micos para o
outro grupo. Após a escolha do mico nomeia-se um lider de cada grupo que fala em voz alta para todos os
micos escolhidos.
Após a divulgação o professor diz que o nome da brincadeira é o feitiço virou contra o feitiçeiro e que os
grupos farão os micos escolhidos por eles mesmos.

Contribuição enviada pelo usuário: Anderson Luis de Araujo- E-mail:andersoaraujo@bol.com.br -


Supervisor Comercial / Professor de Educação Fisica
41. Dinâmica: "do deficiente visual"
Objetivo: Essa dinâmica tem como objetivo motivar a confiança em equipe.
Materiais: espaço aberto
Procedimento: Formam-se duplas e um fecha os olhos e se deixa ser guiado pelo o outro, que deve estar
com os olhos abertos, depois o papel se inverte. Pode ser colocado uma música de fundo.
Contribuição enviada pelo usuário: Flaviano Marques Aragão - Socorrista - E-
mail:marquespi1@hotmail.com
42. Dinâmica: "sonhos"
Objetivo: Aprender a respeitar o sonhos dos outros
Materiais: balões coloridos, caneta, papel sulfite e palitos de dente.
Procedimento: O participante deverá escrever em um pedaço de papel seu sonho, dobrar e colocá-lo dentro
do balão, que deve ser inflado. Cada um fica com um balão e um palito de dente na mão. O orientador dá a
seguinte ordem: defendam seu sonho! Todos devem estar juntos em um lugar espaçoso. A tendência é
todos estourarem os balões uns dos outros. Quando fizerem isto o orientador pergunta: _ Por que
destruiram os sonhos dos outros? Deixe eles pensarem um pouco e responda para defender o seu sonho
você não precisa destruir os sonhos dos outros, basta que cada um fique parado e nenhum sonho será
destruído!
Contribuição enviada pela usuária: Ana Maria de Sousa Pereira -Crato - CE
- E-mail:downpereira@yahoo.com.br
43. Dinâmica: "Sombra"
Objetivo: essa dinâmica está relacionada a percepção psicomotora e a interação interpessoal e
interdisciplinar.
Procedimento: Essa dinâmica é muito descontraída, o grupo desenvolve uma sincronia, escolhe um
companheiro (centro)e começam a imitar todos os gestos que ele faça, o que ele fala, como se fossem o
sombra dele, deixando um elemento do grupo ao centro.

Contribuição enviada pelo usuário: Admilson Santos Costa - E-mail:admilsoncosta@uol.com.br


44. Dinâmica: "Patinho Feio"
Objetivo: Reflexão
Materiais: Tiras de papel colante, caneta
Procedimento: Colar tiras de papel colante ou escrever em fitas para serem colocadas na cabeça de modo
que apareçam palavras as quais deverão ser seguidas pelos colegas que a lerem. Exemplo: beije-me,
aperte minha mão,abrace-me, deixe-me, pisque para mim, etc etc.....sendo que apenas um elemento,
deverá ficar com a palavra 'deixe-me'. sendo que esse será o único que não será procurado, será o patinho
feio (deixe-me). No final, essa pessoa deverá contar como se sentiu, sendo discriminado e deixada de lado.

Contribuição enviada pelo usuário: George Luiz Barone- E-mail:gluizbarone@yahoo.com.br


45. Dinâmica: "Salada de Frutas"
Objetivo: memória e concentração
Procedimento: O grupo senta em círculo e o facilitador diz uma fruta qualquer e aponta para um dos
participantes. O participante escolhido deverá dizer a fruta falada pelo facilitador e uma de sua escolha. Aí
começa a brincadeira. A pessoa que estiver ao lado direito da escolhida pelo facilitador deverá dizer a fruta
do facilitador, da pessoa e a sua.
Exemplo: Facilitador - Maçã; Pessoa 1 - Maçã e Banana; Pessoa 2 - Maçã, Banana e Manga;Pessoa 3 -
Maçã, Banana, Manga e Uva e assim sucessivamente até que alguém erre a seqÜência. Para a pessoa que
errar pode ser solicitado um 'castigo' ou um 'mico'.
Obs: 1º Em vez de frutas a brincadeira pode ser feita com carros, países, estados, objetos (praia, casa,
sala, etc.); 2º Eu faço essa brincadeira com as minhas turmas do grupo de Reciclagem da Língua
Portuguesa (in company) e garante ótimos resultados. Como castigo à pessoa que erra, eu faço alguma
pergunta sobre o conteúdo já estudado (como revisão), do conteúdo a ser estudado (como hipótese e
suposição, para ver o conhecimento da pessoa sobre o assunto) e do conteúdo que está sendo estudado
(como reforço). É uma brincadeira simples, mas que garante boas risadas e resultados maravilhosos
deixando o ambiente e os participantes super descontraídos.

Contribuição enviada pela usuária: Denise Pinheiro Oliveira- E-mail:denisepinheiro@walla.com


46. Dinâmica: "das partes do corpo"
Objetivo: estimular a atenção e interação com os colegas
Procedimento: Numa grande roda a pessoa começa a brincadeira dizendo o nome de uma parte do corpo.
passando a vez. A pessoa que estiver ao lado determinado irá colocar a mão na parte do corpo que a
primeira pessoa falou, e dizer outra parte do corpo passando a vez. A pessoa ao seu lado, já determinado
de modo que a vez corra apenas em um sentido, colocará a mão na parte corporal dita pela segunda
pessoa e dirá outra parte e assim sucessivamente.

Contribuição enviada pelo usuário: Guilherme dos Anjos Nascimento- E-


mail:guilhermenascimento@yahoo.com.br
47. Dinâmica: "Descobrindo as qualidades"
Objetivo: Interação
Materiais: quebra-cabeça, pedaços de papel e caneta
Procedimento: Dois grupos formam um círculo, com os componentes intercalados ( ex. um do amarelo,
outro do azul e assim em diante até terminar o círculo). Cada componente deve escrever em um pedaço de
papel uma qualidade própria (usando apenas uma palavra) e entregar para o participante do lado direito,
sendo este o componente do grupo oposto, que deverá fazer mímica para que o seu grupo descubra a
qualidade do participante ao lado (grupo oposto), quando o grupo acerta a qualidade logo o outro
componente do mesmo grupo anterior que estava fazendo a mímica começa a fazer também a sua e assim
sucessivamente . Enquanto isso o líder do grupo oposto está dentro do círculo montando um quebra
cabeça, quando ele terminar o tempo acaba e ganha o grupo que descobriu mais qualidades do grupo
oposto.
Contribuição enviada pela usuária: Adriana de Luna Catrinck- RJ - E-mail: catrinck_dri@hotmail.com
48. Dinâmica: "do Estetoscópio" (para trilhas ao ar livre)
Objetivo: Esta dinâmica serve pra se perceber que o meio ambiente é vivo.
Materiais: estetoscópio
Procedimento: Ao realizar uma caminhada numa trilha, onde houver em locais úmidos, árvores com caule
fino, pegar o estetoscópio e pedir pra que a pessoa ouça seu coração, logo após escutar no caule e
perceber o som do movimento de água(xilema) e de nutrientes(floema).
Contribuição enviada pela usuária: Raquel de Cassia Ramos - ambientalista - E-mail:
rachelcassia@yahoo.com.br
49. Dinâmica: "qualidades e defeitos"
Objetivo: falar das qualidades e defeitos.
Materiais: pedaço de papel, caneta
Procedimento: gostaria de sugerir uma dinâmica que fiz com meus alunos para falarmos das qualidades e
defeitos. Entrega-se um pedaço de papel para cada participante e pede que desenhe a mão direita e a mão
esquerda. Em cada dedo primeiro da mão direita escreve-se uma qualidade e na esquerda um defeito. O
coordenador da dinâmica dá cerca de 20 minutos para escreverem. Ao final discute-se de acordo com o que
cada um escreveu, finalizando que é mais fácil falar de características dos outros do que de nós mesmos e
encerra dizendo que todos possuímos qualidades e defeitos, porém temos que nos respeitarmos e
priorizarmos nossas qualidades. Um beijo, Cris
Contribuição enviada pela usuária: Cristiane Alves Brasil SP - educadora - E-mail:
cristianeabrasil@hotmail.com
50. Dinâmica: "Conheço meu filho"
Objetivo: para reunião de pais
Materiais: Papel e caneta
Procedimento: Pedir que os alunos escreva em um papel pequeno a seguinte frase: 'eu amo a minha
família'. Não pode ser assinado. Todos pedaços de papel deverá ter um número que corresponda o número
que a cordenadora da reunião manterá em segredo. No dia da reunião todos os pepeis serão colocados
espalhados em uma mesa e os pais deverão reconhecer a letra do filho e pegar um papel. Depois a
cordenadora irá verificar se os pais acertaram e conhece a letra de seus filhos.

Contribuição enviada pelo usuário: Elson de Souza Medeiros - Pastor/professor - Serra ES


E-mail: medeiros.elson@uol.com.br
51. Dinâmica: "do General"
Objetivo: descontração... causa muitos risos e simpatia entre os participantes
Procedimento: Uma dinâmica para entreter... como uma brincadeira...
Há várias posições nesse jogo, como: lixo, soldado, cabo, sargento, coronel, general etc...
O general começa falando 'Passei a revistar minha tropa e senti falta do...(ele diz o nome de uma das
posições)
A pessoa se levanta (a não ser que seja o cargo mais baixo, nesse caso, o General se levanta, e ele
continua sentado) e diz 'O ... nunca falta, senhor(o cargo mais baixo não diz senhor ao general)
General - então quem falta?... - Quem falta é o ..., senhor
E assim se procede... até que alguem não se levante, ou levante na hora errada, ou esqueça de dizer
'senhor' ou diga senhor na hora errada
OBS: Se levanta apenas para um cargo mais elevado, e se diz senhor, também apenas para um cargo mais
elevado. Nesse caso, a pessoa que errou vai para o cargo mais baixo, e cada pessoa sobe um
cargo...Então, começa com o general dizendo 'Passei a revistar minha tropa(...)'
OBS2 - O cargo mais baixo nunca diz senhor ou se levanta para o general, mas para todos os outros
participantes, sim...O general nunca se levanta ou diz senhor... apenas para o cargo mais baixo...
OBS3 - se faltarem cargos, pode-se inventar mais alguns, como cocô, ou balde, ou algo assim...

Contribuição enviada pelo usuário: Vinícius - Belo Horizonte/MG


52. Dinâmica: "da inteligência"
Objetivo: melhorar a percepção
Procedimento: Você pega um grupo e divide em 2 a 2, um olhando pro outro. Peça a eles para que se
observem por 2 minutos, depois peça para eles se virarem de costas e mudarem três coisas em si mesmos
e depois desvirarem e fazerem com que o parceiro descubra o que foi mudado. O outro também repete e
assim sucessivamente repita por 3 vezes esta dinâmica.

Contribuição enviada pela usuária: Joyce cristina lippa - Indaiatuba - SP


53. Dinâmica: " da folha de revista"
Objetivo:
Material: folhas de revista, pátio ou sala, todos sentados em círculo
Procedimento: Dar uma folha de revista a cada participante e pede para que amassem bastante a folha,
após todos amassarem pede para que desamassem novamente deixando a folha como era antes.
Ninguém irá conseguir, então explica-se que a folha representa as nossas palavras que uma vez ditas não
podem mais serem consertadas, por isso devemos ter cuidado ao falar para que não venhamos a machucar
o próximo, pois uma vez aberta a ferida será dificíl cicatrizar.

Contribuição enviada pela usuária: silvia lemos santos - ferraz de vasconcelos - SP


54. Dinâmica: " do balão"
Objetivo: Reflexão
Material:balões palitos de dentes uma caixa de bombons ou algum outro prêmio
Procedimento: entrega-se um balão para cada participante e em seguida um palito de dentes, pede-se para
todos se espalharem e diz o seguinte: _ganha esta caixa de bombons quem conseguir ficar com o balão
sem estourar.
Sem que o instrutor mande todos os participantes correm para estourar os balões dos adversários para
ganhar a caixa de bombons, mas geralmente não sobra nenhum balão. Depois o instrutor pergunta: em que
momento eu mandei vocês estourarem os balões dos colegas ? E fica com a caixa ou distribui.
Obs: se gostarem divulguem!

Contribuição enviada pela usuária: JOSEANE GOMES MOREIRA - TAIOBEIRAS MG


Outra Versão:

Procedimento: Distribui-se um balão cheio para cada participante e uma agulha ou alfinete. A regra da
brincadeira é: Quem ficar até o final sem ter seu balão estourado é o vencedor. Dá-se o tempo de um
minuto. Geralmente os participantes estouram o balão uns dos outros, ficando poucos ou nenhum vencedor.
Moral da história: Todos poderiam ter sido vencedores pois em momento algum foi dada a regra de que
deveriam ter estourado o balão do outro.
Contribuição enviada pela usuária: Geisa Alice de Lima - E-mail: ggeeiissaa@yahoo.com.br - Cianorte PR
55. Dinâmica: " da Pergunta Certa"
Objetivo: Esta dinâmica irá despertar uma atenção maior a concentração e estratégia.
Material: papel e fita crepe
Procedimento: Esta dinâmica para funcionar independe da quantidade de pessoas participantes. Um
exemplo, em um grupo o coordenador deverá colar um nome de uma pessoa famosa nas costas dos
participantes, sem que eles vejam o que esta escrito, então ganha a dinâmica quem descobrir primeiro o
nome que está escrito em suas costas, para ajudá-los eles poderão fazer perguntas entre si como por
exemplo 'a pessoa é loira?', mas as respostas so poderão ser sim ou não.

Contribuição enviada pela usuária: KELLY CRISTINA DA SILVA - SANTO ANDRE - SP


56. Dinâmica: " Carta a si próprio"
Objetivo: Levantamento de expectativas individuais, compromissos consigo próprio, percepção de si, auto-
conhecimento, sensibilização, reflexão, automotivação, absorção teórica.
Material: Envelope, sulfite, caneta.
Procedimento: 20'
Individualmente, cada treinando escreve uma carta a si próprio, como se estivesse escrevendo a seu (sua)
melhor amigo (a). Dentre os assuntos, abordar: como se sente no momento, o que espera do evento (curso,
seminário, etc.), como espera estar pessoal e profissionalmente daqui a 30 dias. Destinar o envelope a si
próprio (nome e endereço completo para remessa). O Facilitador recolhe os envelopes endereçados, cola-
os perante o grupo e, após 45 dias aproximadamente, remete ao treinando (via correio ou malote).

Contribuição enviada pela usuária: Elienai Costa de Amorim - Manaus - AM


57. Dinâmica: " da Bexiga"
Objetivo: Mostrar que nem sempre os caminhos mais fáceis são os melhores, aliás quase nunca. Se
precisarem da ajuda de outro diga, que quando não conseguimos vencer algo sozinhos (vícios, frustações
etc.) podemos pedir ajuda a outra pessoa, mais velhas (no caso de adolescentes).
Material: bexigas coloridas; fitilha (fita de presente); mini balas; tirinhas de papel com palavras boas e ruins
do tipo sucesso, amor, paz, vida eterna, mentira, drogas.
Chegue antes para preparar a sala.
Coloque uma tirinha de papel com um dizer 'ruim' encha a bexiga e coloque uma fita longa, cole no teto
essa bexiga, de forma que fique fácil de pegar, dessa forma vá dificultando as bexigas e 'melhorando' as
palavras até a última bexiga, no nosso caso foi Vida Eterna, coloque balas junto com a palavra chave, se
ninguem alcançar diga que pode pedir ajuda um ao outro.
Público: pode ser feito com pré-adolescentes, adolescentes, jovens e adultos, mudando as palavras para
cada faixa etária. Boa sorte!

Às minhas parceiras de trabalho - professoras:

Dinâmica para os pais:

Material necessário: balas com embalagens que abram dos dois lados

Entregue uma bala para cada mãe ou responsável e peça para que abram apenas com uma mão.
Você verá que elas irão conseguir, mas só depois de um bom tempo e esforço.

Faça o comparativo da dinâmica com a vida escolar: a bala é a criança, a mão que elas usaram para abrir é
a professora, e a outra, a família. Se a professora fizer o trabalho todo sozinha, irá conseguir, mas demorará
mais e será muito mais difícil, mas, se tiver "a outra mão" (a família), ficará mais fácil e eficiente.

Se vc não puder dar balas, substitua por um pedaço de barbante e peça para que os pais dêem um nó
apenas com uma mão e faça a reflexão que a da bala.

BOA SORTE

Algumas experiências vividas no 1º semestre/2000


Histórias – além das fontes bibliográficas citadas no "Projeto Valores", a coleção: Se ligue em você, do Tio
Gaspa, Centro de Estudos Vida e Consciência Editora Ltda, tem encantado professoras e alunos. Alguns
contos e fábulas (de Esopo e La Fontaine) têm auxiliado muito.
Fitas de Vídeo – juntamente com as sugestões dadas no "Projeto Valores", vale citar entre outras
trabalhadas: "Direitos do Coração", Paulinas Vídeo e "Smilingüido em Moda Amarela", Editora Luz e Vida,
"Desenhos do Pokémon".
Dinâmicas de Grupo – obtêm-se bons resultados com: "Dinâmica das Flores", entre outras... (veja
exemplos no link abaixo)
Algumas dinâmicas
Recreio com cores – a docente prepara cartões coloridos de acordo com o número de alunos. Exemplo: 04
cartões de cada cor – azul, amarelo, verde, vermelho, branco e laranja para distribuí-los aleatoriamente
entre 24 crianças. Propõe então, um recreio diferente: " Hoje vocês passarão o recreio com os(as)
coleguinhas que receberem a mesma cor do cartão que cada um de vocês receberá. É uma oportunidade
de nos conhecermos melhor ainda. Será um recreio colorido, diferente e, no retorno, conversaremos sobre
as experiências de cada grupo." A professora distribui os cartões e solicita que antes de saírem para brincar
e lanchar, que se organizem nos grupos e conversem sobre a cor recebida (o que ela simboliza para cada
um, o que existe nessa cor...)
A reflexão após o recreio é de extrema importância para a construção de
alguns valores
Correio da Amizade – Sortear entre os colegas um "Amigo Secreto", escrever para ele; a turma e a
professora vão até o correio e esperam pelo momento da revelação em casa, ou seja, o dia em que as
correspondências chegarem nas residências de cada um!
• Cada turma fixa uma caixa de correio (feita de caixa de sapato) no lado de fora da porta da sala de
aula. Durante um determinado período, as turmas vão trocando correspondências. Para culminar o
trabalho, pode-se planejar um piquenique entre elas.
• Cada criança escreve um bilhetinho para um colega que "deixou magoado".
Cantinhos – nos murais de sala, alguns cantinhos podem ser organizados. Exemplos: "Recadinhos do
Coração" (os alunos fixam bilhetes para crianças que retornam às aulas após um período de faltas,
expressam sentimentos espontâneos ou observações sobre as atitudes dos colegas, por meio da escrita ou
do desenho... e a docente vai trabalhando e estimulando.) / "Galeria do posso, não posso" (cada aluno
confecciona duas telas em pintura expressando por meio de desenhos atitudes de grupo- "posso, não
posso". A professora expõe as telas e discute-se, a partir daí, as normas de atitudes entre os integrantes da
turma que irão vigorar durante o período letivo. Dessa forma, o comprometimento é maior, ou seja, são eles
quem elaboram as regras.
Atividades em cadernos – trabalhando sentimentos e emoções:
HOJE ESTOU ASSIM...

(A professora cola um círculo nos cadernos para que as crianças desenhem nele, a expressão facial
conforme o que sugere o título.)
PORQUE... (os alunos justificam por meio da escrita o porquê de estarem alegres, tristes, com medo...)
Conforme a percepção da professora regente, ela vai resgatando alguns valores como: companheirismo,
amizade, segurança, união, compreensão...
VOCÊ MORA NO MEU...

Cada criança escreve dentro do coração o nome de um(a) colega e, em seguida, registra por meio da
escrita o que pensa e sente por ele(a). Exemplo: "Você é especial, muito amigo!"
ABC dos valores:
A-AMOR
B-BONDADE
C- CARINHO
D- DEDICAÇÃO
E- ESPERANÇA...
(Os alunos opinam, registram e ilustram!)
ALFABETO DA AMIZADE:
A – AMOR É INDISPENSÁVEL ENTRE AMIGOS.
B – BONDADE É SERVIR A PESSOA QUE ESTÁ PRÓXIMA A NÓS.
C – COMPANHEIRISMO É O QUE SINTO QUANDO ESTOU JUNTO DE VOCÊ...
(Cada aluno cria o seu "Alfabeto da Amizade" , escrevendo para cada letra do alfabeto uma frase iniciada
por ela. Podem ilustrá-las.)
ACRÓSTICOS:
Amor
Mais compreensão
Igualdade
Gostar do outro
Ouvir os colegas
Riqueza interior é o que vale
Experimente esse sentimento de paz
Sinta a emoção de ser feliz
Pense no bem-estar da humanidade
Espere um outro sorriso quando você sorrir
Inverta uma atitude não amiga demonstrando a sua amizade
Tenha respeito pelo outro
Ouça seu coração e siga a caminhada com sabedoria e tranqüilidade.
(Com alguns valores, os alunos criam acrósticos!)
A MINHA LUZ ESTÁ ACESA QUANDO...

(Após o conto do livro: "Se ligue em você", os alunos realizam essa atividade, registrando dentro da estrela
um BOM SENTIMENTO!)
NA ESCOLA:
FICO ALEGRE QUANDO...
SINTO QUE TENHO UM AMIGO QUANDO...
RESPEITO O OUTRO QUANDO...
(Os alunos completam frases como essas em seus cadernos.)
Emocionômetro – É um quadro de pregas com quatro "caretinhas": ALEGRE, TRISTE, MEDO,
NORMAL(sem grandes emoções). Os alunos encaixam seus nomes na fileira da caretinha que expressa
como estão se sentindo naquele dia e, em seguida, verbalizam o porquê.
A turma conversa e, se for o caso, propõe alternativas para resoluções de determinados problemas.
*Esse trabalho é feito duas vezes por semana nas turmas da Educação Infantil à 4ª série. Desenvolve-se o
"verdadeiro espírito de EQUIPE"!
A Árvore da Vida – Essa dinâmica foi feita por algumas professoras em reunião com Pais.
Na sala está exposto um desenho de tronco de árvore e na raiz está escrito: "Ser feliz"!
A docente propõe que os pais escrevam uma mensagem de 2º semestre para os filhos, ou para "tal"
bimestre. Solicita, porém, que não registrem o nome da criança e que não assinem (para evitar que alunos,
cujos pais faltaram à reunião, se frustrem). Os pais dobram os papéis que contém as mensagens, colocam-
nos dentro das bexigas, enchem os balões e montam a árvore. Quando os alunos chegam à sala, a
professora explora o "presente" deixado pelos pais com seus alunos. É uma reflexão muito válida e os
alunos envolvem-se com os compromissos para o determinado período.
Os alunos podem escolher um nome para a árvore e registrar esse momento no caderno.
Confecção de murais sobre valores fixados pela escola.
Conversas informais – aproveitando acontecimentos do dia-a-dia.
Relatos de experiências – atitudes de ajuda ao próximo.
Dicionário dos Valores – Montar um livrinho registrando o valor e o significado dele encontrado no
dicionário.
Avião da PAZ – os alunos fazem a dobradura do avião, escrevem mensagens de PAZ e passeando pelo
colégio, com a professora, jogam-nos pelas janelas das demais salas de aula. É só aguardar o resultado!!
Professores,
Tudo isso só se torna possível e real pela ação de vocês! Que no interior de cada um exista essa "vontade
enorme" de transformar, de colaborar significativamente para uma humanidade mais feliz!
Com carinho e à disposição,

FLOQUINHOS DE CARINHO

Havia uma aldeia onde o dinheiro não entrava.


Tudo o que as pessoas compravam, tudo o que era cultivado e produzido por cada um, era trocado.
A coisa mais importante, a coisa mais valiosa, era a AMIZADE.
Quem nada produzia, quem não possuía coisas que pudessem ser trocadas por alimentos ou utensílios,
dava seu CARINHO.
O CARINHO era simbolizado por um floquinho de algodão. Muitas vezes, era normal que as pessoas
oferecessem floquinhos de algodão sem querer nada em troca, pois sabiam que nunca ficariam sem
floquinhos.
Um dia, uma mulher muito má, que vivia fora da aldeia, convenceu um pequeno garoto a não mais dar seus
floquinhos. Desta forma, ele seria a pessoa mais rica da cidade e teria o que quisesse.
Iludido pelas palavras da malvada, o menino, que era uma das pessoas mais populares e queridas da
aldeia, passou a juntar CARINHOS e em pouquíssimo temo sua casa estava repleta de floquinhos, ficando
até difícil de circular dentro dela.
Daí então, quando a cidade já estava praticamente sem floquinhos, as pessoas começaram a guardar o
pouco CARINHO que tinham e toda a HARMONIA da cidade desapareceu. Surgiram a GANÂNCIA, a
DESCONFIANÇA, o primeiro ROUBO, o ÓDIO, a DISCÓRDIA, as pessoas se XINGARAM pela primeira
vez e passaram a IGNORAR umas as outras na rua.
Como era o mais querido da cidade, o garoto foi o primeiro a sentir-se TRISTE e SOZINHO, então procurou
a velha para perguntar-lhe se aquilo fazia parte da riqueza que ele acumularia. Não a encontrando mais, ele
tomou uma decisão: pegou uma grande carriola, colocou todos os seus floquinhos em cima e caminhou por
toda a cidade distribuindo aleatoriamente seu CARINHO. A todos que dava CARINHO, apenas dizia:
Obrigado por receber meu carinho.
Assim, sem medo de acabar com seus floquinhos, ele distribuiu até o último CARINHO sem receber um só
de volta.
Sem que tivesse tempo de sentir-se sozinho e triste novamente, alguém caminhou até ele e lhe deu
CARINHO. Um outro fez o mesmo... mais outro... e outro... até que definitivamente a aldeia voltou ao
normal.

Queridos pais,
Aceitem meu floquinho como prova do meu carinho, pois é assim que pretendo conduzir meu trabalho neste
ano de 2009.
Quero partilhar com vocês a alegria de conviver e de educar “nossos” pequeninos, com toda dedicação e

Dinâmica com os pais: Pintura Surpresa


Desenvolvimento: Cada um irá fazer sua pintura Surpresa, e escreverá num papel o que forma
está vendo, o que acha que parece. Depois trocarão com alguém e este deverá dizer o que parece
para ele.
Conclusão: Os pais chegarão à conclusão que cada um tem uma visão diferente de mundo, assim como as
crianças, que aprendem do seu jeito, vêem as coisas de uma maneira própria, e assim como na vida,
direcionam seu olhar de acordo como foram vistas, amadas, incentivadas. Cada um aprende de um jeito
diferente, num ritmo diferente…