You are on page 1of 2

O filme Gênio Indomável conta uma história

tocante sobre um pobre rapaz da periferia dos EUA,


que é descoberto por um professor universitário
como gênio. Seu nome Will Hunting. Ele resolve
equações matemáticas com uma facilidade
impressionante, mas não aproveita seu dom,
segundo o professor que o “descobre”. Will entra em
uma briga de gangues e é preso. Só é liberado sob
a condição de freqüentar um psicólogo e ser
supervisionado pelo professor Gerald Lambeau, o
mesmo que o descobriu.
É aí que fica guardada toda a emoção e
beleza do filme. Depois de freqüentar vários
psicólogos, zombar deles, não levar seu tratamento a serio e se comportar como um
rebelde, Will é apresentado ao psicólogo Sean Maguire. O psicólogo parece ser a
última chance de Will. Sendo assim, em alguns momentos, Sean, se utiliza de
métodos não pautados no Código de Ética da Psicologia.
Em uma das primeiras cenas em que Sean começa a atender Will, nota-se a
perspicácia do diálogo entre os personagens, mas em certa altura, Will desafia Sean
com conteúdos de seu passado e Sean não se controla e agride fisicamente seu
paciente. No Art. 2º do Código de Ética é dito que “ao psicólogo é vedado praticar ou
ser conivente com quaisquer atos que caracterizem negligência, discriminação,
exploração, violência, crueldade ou opressão”. Assim, Sean transgrediu uma norma
listada no Código de Ética da profissão de psicólogo.
Outra situação em que uma norma do Código é infligida se dá quando no
filme aparecem os conflitos relacionais entre Sean e Gerald Lambeau. O Art. 2° do
Código de Ética diz que ao psicólogo é vedado “estabelecer com a pessoa atendida,
familiar ou terceiro, que tenha vínculo com o atendido, relação que possa interferir
negativamente nos objetivos do serviço restado”. Como é mostrado no desenrolar da
história, o relacionamento de amizade rompida entre o psicólogo e o professor,
acaba por transpassar muitas vezes o processo terapêutico de Will. Ainda no Art. 2,
alínea “k”, é dito que ao psicólogo é proibido “ser perito, avaliador ou parecerista em
situações nas quais seus vínculos pessoais ou profissionais, atuais ou anteriores,
possam afetar a qualidade do trabalho a ser realizado ou a fidelidade aos resultados
da avaliação”. Uma situação de rivalidade e uma disputa de egos se travavam entre
os dois profissionais (Sean e Laubeau). Assim, conduzir um tratamento livre de
influências externas, e mesmo de conteúdos internos do próprio psicólogo, ficou
difícil para Sean e também para Lambeau, já que esse último era uma espécie de
mentor para Will.
Sean em alguns momentos se utiliza da sua própria história de vida para
conseguir a atenção e disposição de Will. No Art. 1° escrito no Código de Ética,
alínea “c”, é da responsabilidade do psicólogo “prestar serviços psicológicos de
qualidade, em condições de trabalho dignas e apropriadas à natureza desses
serviços, utilizando princípios, conhecimentos e técnicas reconhecidamente
fundamentados na ciência psicológica, na ética e na legislação profissional”. Sean
também tira Will da sala de terapia e o leva para sentar em frente a um rio, em um
parque. Essa é uma prática inviável, já que as condições de trabalho precisam ser
dignas e apropriadas, fundamentadas na ciência.
Sendo assim, Sean mostra muitas vezes falta de conhecimento sobre o
Código de Ética da profissão, violando o Art. 1°, alínea “a”, que diz que ao psicólogo
cabe “conhecer, divulgar, cumprir e fazer cumprir este Código”. Muitas vezes o
profissional já teve contato com o Código, mas por falta de dedicação e outros
fatores mais, não cumpre suas leis, seus deveres e direitos.
Por fim, mesmo Sean atendendo Will muitas vezes de maneira equivocada, o
tratamento consegue ter um fim satisfatório. Will segue o curso da sua vida, segundo
sua própria vontade, fazendo o que quer de uma maneira respeitosa e digna para
ele e para a sociedade. Will utiliza seu talento
inigualável como bem o entende e corre atrás de
coisas que realmente importam para ele na vida.

FICHA TÉCNICA

Título Original: Good Will Hunting


Gênero: Drama
Tempo de Duração: 126 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 1997
Direção: Gus Van Sant
Roteiro: Matt Damon e Ben Affleck.