You are on page 1of 21

Síntese em Química

Orgânica
4º Ano / 1º Semestre

 Duarte Correia
Síntese Estereoselectiva
 Definição :
 A síntese estereoselectiva envolve a introdução de um
centro estereogénico numa molécula , de tal modo que um dos
estereoisómeros do produto é formado preferencialmente
relativamente ao outro.
 A síntese pode ser tanto enantioselectiva como
diatereoselectiva

SÍNTESE
ESTEREOSELECTIVA
??
Conceitos Gerais
• Princípios de Diferenciação Molecular

 Composição qualitativa (natureza dos elementos)


 Composição quantitativa (proporção dos diferentes dos
elementos)
Isómeros
 Peso molecular
Isómeros Estereoisómeros
 Isomerismo Constitucionais

i. Isómeros estruturais Isómeros Isómeros


Conformacionais Configuracionais
ii. Isómeros posicionais
Diastereoisómeros Enantiómeros

iii. Estereoisómeros Isómeros Diastereoisómeros


Cis-Trans contendo centros
estereogénicos
Conceitos Gerais (cont)
• Selectividade
 Quimioselectividade
- Reacção preferencial com um grupo funcional de um
composto bifuncional.
 Regioselectividade
- Formação de isómeros constitucionais, resultantes da
existência de dois ou mais centros de reactividade.
 Protecção
- Resulta da combinação da Quimio e Regioselectividade,
com introdução de um grupo protector durante a reacção.
 Estereoselectividade
- Formação predominante de um estereoisómero (ou par
de enantiomeros) de entre os diastereoisomeros possíveis.
Estereoselectividade
 Emil Fischer – Pioneiro na síntese estereoselectiva
Ex.: reacção da L-arabinose com hidreto de cianina
 Descreve reacções cujos mecanismos ofereçam vias
quimicamente equivalentes

Via mais favorável Controlo Cinético

Produto mais estável Controlo Termodinâmico


 Introdução de novos centros estereogénicos
- Adição a uma das faces estereoheterotopica da ligação dupla
- modificação estereoselectiva
ou substituição de ligandos
estereoheterotopicos
Estereoselectividade (cont.)
 Redução de uma cetona a álcool

Álcool diequatorial trans é mais estável


Álcool Cis preferencial em condições cinéticas
 Redução da 3 - colestanona

(i) Ataque equatorial

(ii) Ataque axial


Selectividade / Específicidade
Confusão comum entre os termos:
Estereoespecificidade Estereoselectividade

Focada nos reagentes e na Focada nos produtos de reacção


respectiva estereoquimica e respectiva estereoquimica
Reacção estereoespecífica :
- Compostos de partida diastereoisomericamente diferentes
dão origem a produtos também diastereoisoméricamente
diferentes.
 Reacção estereoselectiva :
- Um diastereoisómero (ou um par enantiomerico de
diastereoisómeros) é formado ou eliminado.
Selectividade / Específicidade
 Bromação do Trans-2-buteno

 Pode formar o composto racémico mas prevalece


o composto meso 2,3-dibromobutano
 Reacção estereoespecífica e estereoselectiva
Selectividade / Específicidade
 Bromação do Cis-2-buteno

 Formação da mistura racêmica do 2,3-


dibromobutano
 Reacção estereoespecífica e estereoselectiva
Selectividade / Específicidade
 Perda do ácido p-toluenosulfónico a partir
do cis/trans-2-fenilciclohexil Toislato

 Reacção estereoselectiva

TODAS AS REACÇÕES ESTEREOESPECÍFICAS


DEVEM SER ESTEREOSELECTIVAS, MAS O
INVERSO NÃO ACONTECE
Condições da Estereoselectividade
 A formação de diastereoisómeros envolve estados de
transição diastereoisomericos de energias distintas

Controlo da formação de diastereoisómeros


 Controlo em reacções de grupos ou faces diastereotópicas com:
• Qualquer tipo de reagente
• Reagentes contendo elementos quirais que se ligam
permanentemente ao substracto

Ex.: Mono-esterificação
do glicerol
Síntese Estereoselectiva
 Em geral os processos de síntese estereoselectiva sub
dividem-se em três categorias:

• Reacções que levam à formação selectiva de


diastereoisómeros - DIASTEREOSELECTIVIDADE

• Reacções que levam à formação selectiva de


enantiómeros - ENANTIOSELECTIVIDADE

• Reacções de ESTEREODIFERENCIAÇÃO DUPLA


(onde pelo menos dois participantes são quirais)
Síntese Diastereoselectiva
 Reacções que têm como finalidade a formação de centros
estereogénicos adicionais em substractos quirais.

 Reacções são controladas pelo subtracto

 Subdividem-se em 3 classes de reacções :


- Preparação estereoquimicamente controlada de compostos
aquirais diastereoisómericos.
• Alcenos E,Z
Síntese Diastereoselectiva
- Introdução de novos centros estereogénicos nos subtractos
quirais.

- Ligação de dois compostos aos centros prostereogénicos


com a formação de dois novos estereocentros.

 Envolvem moléculas ciclicas ou policiclicas com um


grau de liberdade conformacional limitado.
Reacções Diastereoselectivas
 Redução de alcinos a alcenos

Método mais comum para a


Redução
preparação de alcenos Cis /
catalítica
Trans e Z 1,2- substituidos
Síntese Enantioselectiva

 Inclui processos que são tradicionalmente conhecidos por


síntese assimétrica

 Reacções são controladas pelos reagentes

 A formação de novos centros estereogénicos geralmente


envolve subtractos aquirais e reagentes quirais

 A introdução de um “quiral auxiliar” no substracto


aquiral leva à formação de enantiomeros com excelente
grau de pureza.
Reacções Enantioselectivas
 Hidrogenação
 Síntese industrial da L-DOPA (processo Monsanto)
por hidrogenação enantioselectiva de uma olefina.

 Sintese de Aminoácidos

 Presença do “auxiliar quiral”


Reacções Enantioselectivas
 Outros exemplos
 Elevados níveis de enantiocontrolo em reacções ( Diels-
Alder, Cicloadição [3+2] ) recorrendo a um catalisador
quiral - Imidazolidiona.
Estereodiferenciação Dupla

 Mais do que um participante na reacção é quiral

 Resultado depende do grau de relações entre as configurações


absolutas respectivas e a proximidade dos elementos
estereogénicos no estado de transição dos participantes.
Conclusão
 Dificuldades associadas aos processos de estereoselectividade
• mobilidade conformacional dos substractos e a criação do
primeiro centro estereogénico.

 Imposição dos processos estereoselectivos sintéticos face aos


excelentes resultados obtidos pelas enzimas
• Reagentes com maior flexibilidade em aceitar substractos.

Obtenção de sistemas reaccionais em


que a qualidade do estereoisómero
pretendido é controlada face À
presença dos possíveis produtos
secundários
Estereoisómeros
• Enantiomeros - Pares de estereoisomeros cujas moléculas
são imagens no espelho uma da outra e não
são sobreponíveis.
sobreponíveis

Centro de quiralidade

Centro estereogénico

• Diastereoisomeros - Estereoisomeros que não possuem


uma relação especular objecto-
imagem e pertencem a pares de
enantiomeros diferentes.
diferentes