You are on page 1of 28

Procedimento

Anátomopatológico
(Histopatológico)
Mestranda Alessandra
Chiele Barros

Conceitos
• HISTOLOGIA = é a ciência que estuda a
estrutura fina dos diferentes órgãos e tecidos
vivos, tanto animais como vegetais.
• PATOLOGIA = é o estudo das doenças.
Pathos= doença, sofrimento / logos=
estudo
- Patologia é o estudo da doença desde a causa
primária (etiologia) até seu mecanismo de
produção ( patogenia).

HISTOLOGIA X
HISTOPATOLOGIA

Tipos de materiais .

barato. indolor e pouco invasivo . mais caro. invasivo Rápido.Anatomia-Patológica Histopatológi co Exames Citopatológic o Necroscópico Histopatologia Transoperatór X Citopatologia io Fragmento de tecidos Células esfoliadas Visualizar a arquitetura tecidual Não analisa-se a arquitetura tecidual Avaliar os critérios de malignidade Avalia-se alguns critérios de malignidade Diagnóstico definitivo Exame de triagem Demorado.

a partir dos estudos à macroscopia. mesoscopia e ao microscópio de amostras de tecidos e órgãos retirados de pacientes.Anatomia Patológica Importância • Auxílio ao clínico/cirurgião – Diagnóstico – Prognóstico – Tratamento Exames complementares: Imunohistoquímica Exame transoperatório Imunofluorescência Microscopia eletrônica • Diagnóstico Post-Mortem  Procedimento médico necessário para o diagnóstico de doenças ou para estabelecer o estadiamento de tumores. .

Fixação 3.Técnica 1. Clivagem (Macroscopia) 4. Coloração 10. Impregnação a lâmina passa ao 7. 8. Inclusão Patologista para diagnóstico. Colheita do material 2. Montagem . Desidratação Somente após todos 5. Diafanização estes procedimentos 6. Microtomia 9.Anatomia-patológica .

• É indicada em lesões pequenas e de fácil acesso.toda a lesão é removida. – Biópsia incisional . com agulhas ou punchs.apenas parte da lesão é removida. . curetagem. retirada por intervenção de pequeno porte (cirúrgica. • Indicada em caso de lesões extensas ou de localização de difícil acesso. – Biópsia excisional .Etapas . etc.).Colheita • Biópsia simples – amostra de tecido. endoscópica.

Colheita • Biópsia cirúrgica (Peças médias ou radicais) – órgão ou parte de órgão. • Biópsia anatômica (Peças grandes) – órgãos ou partes de órgãos. em conjunto ou não. . retirado por métodos cirúrgicos. por necropsia ou mesmo eliminado eliminado de forma espontânea (placenta).Etapas . retirados por métodos cirúrgicos. com maior complexidade.

elas devem ser postas em frascos separados. 5) Disponibilizar laudo anatomopatológico prévio.Cuidados 1) adequada fixação da amostra com a utilização de solução de formalina a 10%  1 a 2 horas por mm 2) alguns tecidos requerem  fixadores  especiais (exemplo: solução de Bouin para biópsia renal ou testicular) 3) quando há mais de uma amostra. devidamente identificados e discriminados de acordo com a exata topografia. além de dados clínicos e laboratoriais relevantes Abralapac. 2014 . EXCETO quando retiradas em monobloco.Colheita . 4) não acondicionar em mesmo frasco lesões ou tecidos diferentes ou de diferentes topografias.

Diversos fragmentos sem identificação do local. • Material sem hipótese diagnóstica. . • Material sem nome. Fragmento grande. Substância fixadora mal preparada ou em pouco volume.Erros de colheita • • • • • • Fragmento não representativo da lesão. Material em substância inadequada. Frasco impróprio. • Margens não definidas.

Poderá ser utilizado um esquema (desenho) Marcação da margem cirúrgica.Colheita – Requisição e Frasco • Identificação do paciente: • • • • • • Nome Registro hospitalar Sexo Idade Etnia Demais dados relevantes.. • Identificação do material: • • • • • Data da coleta Local da lesão ou órgão(s).. ... se for o caso Exames de imagem.

Fixação • Fixadores químicos: – Simples – Compostos Formol a 10 % Bicromato de potássio Bicloreto de mercúrio Etanol Metanol Líquido de Zenker Líquido de Helly .Etapas .

Fixação • Características do bom fixador: – agir rapidamente. aumentando a afinidade do tecido pelo corante – preservar morfologia e composição química teciduais – evitar a autólise e o crescimento de bactérias e fungos – não produzir arterfatos ou estruturas artificiais – ter alto poder de penetração – endurecer sem deformar – ser de baixo custo / "atóxico – ter ação conservante . matando a célula – não interferir na coloração.

Requisitos • Intervalo mínimo entre a colheita e a fixação • Contato superfícies/ substância fixadora • Fixador = 20x o volume da peça • Espessura da peça = 1-6 mm 12h Cadáver 48h E Membros 1 semana Fresco Resfriado Congelado .Fixação .

..x. cm / .Etapas . • Nesta fase é feita uma descrição macroscópica do material.Clivagem • É a secção da peça histológica fixada.Superfície externa 6.Formato: irregular/ arredondado/ ovalado 4..Quantidade: peça única/ retalho/ fragmentos 3. • O que deve ser considerado? 1..Consistência aos cortes 7. selecionando a área de maior interesse para estudo.Superfície de corte . cm diâmetro 5.Tamanho: ..Local da (s) peça (s) 2...x...

total.Clivagem • Superfície externa: Tonalidade Lisa / rugosa Recoberta por pele (parcial. conjuntivo) Nodular/papilomatosa/deprimida/ulcerada/cros tosa Coberta de sujidades/sangue/muco/pus • Consistência: Presença de ectoparasitas Friável/ gelatinosa/ bem macia/ macia/ esponjosa Elástica/ firme-elástica/ firme/ rangente/ pétrea Ora macia. ora firme/ deixando fluir líquido . tricotomizada) Úlcera/ íntegra Envolta por tecido (do tipo adiposo.

Clivagem • Superfície de corte: Tonalidade Irregular/ lisa (compacta)/ fasciculada/ marmóreo/ Aspecto fibroso/ untuosa/ lobada ou multilobada cística ou policística (.. faca.Tamanho: 2 a 6 mm . pardacenta..) .cm de diâmetro) • Conteúdo dos cistos: consistência (líquido. ora. caseoso.Material: Navalha..) Cortes: Odor (pútrido.. rósea..) Tonalidade (brancacenta... purulento. enegrecida. inodoro.. amoniacal. ora.. gelatinoso.. bisturi ..Finalidade .

Clivagem .cuidados • Material afiado – não “serrar” • Tamanho adequado do material – cassetes/lamínula • Área representativa do que se quer estudar.planos de corte • Acondicionamento adequado nos cassetes – mesma consistência dos fragmentos .

Clivagem .

Clivagem .

diafanação e impregnação Desidratação (6h) Diafanização (3h) (clarificação) Remoção da água do tecido por substâncias miscíveis com a água Remoção do álcool por substâncias miscíveis com o álcool e com a parafina (Xilol) mpregnação pela parafina (2h) .56 a 58o C .Desidratação.

. 56o C ...5 cm – Placa de resfriamento – Obedecer critérios de consistência e tamanho da amostra – Verificar a superfície de corte a ser vista .Etapas .. solidificar à temperatura ambiente – Molde apropriado – Altura = 1.Inclusão • Parafina fundida ...

Etapas .Número de lâminas a serem feitas .Cuidados nesta fase ? - Navalha afiada Espessura dos cortes Técnico com experiência Temperatura do banho-maria Temperatura da estufa .Microtomia .

núcleo .Hematoxilina Coloração de rotina: HE (natural / vegetal) ácidas Por ex.Eosina  corante ácido  cora estruturas (artificial) básicas Por ex. citoplasma .Etapas .Coloração • Preparo adequado dos corantes • Respeitar os tempos de cada sub-fase da coloração • Substituição periódica das substâncias utilizadas corante básico  cora estruturas •.

Nissl para mielina e neurônios Tricrômico de Masson AGNOR Verde Metil Pironina DESCALCIFICADORES Vermelho Congo Alcalino FERRO COLOIDAL DE MOWRY Giemsa .método de Wolbach modific ado Escarlate R método de Herxheimer PAS .Van Gieson para e Azul de Toluidina para substância metacromática lástico e colágeno Método de Verhoeff para elástico e co Reação de Perls para Hemossiderina lágeno Luxol fast blue .Etapas .Colorações • Colorações especiais: • • • • • • • • • • • • • • • Cristal Violeta Método de Warthin para Treponema Hematoxilina Fosfotúngstica Sudão Negro para gorduras Método de Grocott  para fungos Pigmento de Formol em corte histológico (remoção) Métodos de Ziehl-Neelsen e Fite para bMétodo de Fontana-Masson para melanina acilos ácido-resistentes Solução sulfocrômica Melanina (remoção) Imunofluorescência Direta Azul de Alcian Método de Grimelius para neurosecreção Método de Weigert .Reação do Ácido Periódico .método de Gomori Método de Von Kossa para cálcio .Schif f Reticulina .

Etapas .Montagem • Bálsamo do Canadá / Goma de Damar – Cobrir adequadamente os cortes histológicos com as lamínulas – Utilizar o Bálsamo na diluição correta – evitar bolhas .

Análise microscópica .

Análise microscópica .