You are on page 1of 24

Educação e Distribuição de Renda

no Brasil

Naércio Aquino Menezes Filho


IBMEC-SP e USP
Roteiro
1) Introdução
2) Perspectiva Histórica
3) Panorama Recente
4) Perspectivas Futuras
5) Papel da Qualidade
6) Conclusões
Introdução
Caso Brasileiro: pobreza muito elevada para seu PIB p.c.
Figura 1 - PIB per Capita e Pobreza

90
80
70
60
50
40
30
20
10
0
am

ia
ia
ia

il

h
da
ia

nia

ia
r
do
az

es
x ic

mb
Ind
es
nis

liv
an
etn
ma

lv a
Br

lad

Bo
on
Me

Za
Tu

Ug
Vi
Ro

Sa
Ind

ng
Ba
El

PIB per Capita/100 pobreza


Introdução
Devido a uma desigualdade muito elevada
Figura 2- Desigualdade entre Países

70
60
50
40
30
20
10
0
am

ia
ia

ia

il
h

da

ia

o
nia

ia
r
do

as
es

x ic
mb
Ind

es

nis

liv
an
etn
ma

lv a

Br
lad

Bo
on

Me
Za
Tu
Ug
Vi
Ro

Sa
Ind
ng
Ba

El
Introdução
Os 10% no topo da distribuição de renda apropriam-
se de 48% de toda a renda gerada no país
Figura 3 - Porcentagem da Renda Apropriada por cada Décimo - 2002

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Literatura Internacional
Aumento da Desigualdade nos Estados Unidos
Figura 6 - Desigualdade de Renda nos Estados Unidos

160

150

140

130

120

110

100

90

80

63 65 67 69 71 73 75 77 79 81 83 85 87 89 91 93 95
19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19

p10 p50 p90


Brasil - Perspectiva Histórica

• Langoni (1970): talvez a primeira pesquisa


com utilização de microdados no Brasil
• Taxa de Retorno do investimento em capital
humano é muito superior à do capital físico
• Aumento da qualificação da mão-de-obra
pode ter impactos substantivos nas taxas de
crescimento e ao mesmo tempo diminuir a
desigualdade de renda
Brasil - Perspectiva Histórica
• Concentração de Renda já era grande em 1960
• Hoffmann (1971) detectou o aumento da
concentração de renda entre 1960 e 1970
• Fishlow (1972) atribui este aumento às políticas
de estabilização adotadas pelo regime militar:
salário mínimo e enfraquecimento dos sindicatos
• Langoni (1973) atribui às mudanças clássicas que
acompanham o processo de desenvolvimento:
migrações e educação
• Fields (1980) enfatiza redução da pobreza ocorrida
no período
Brasil: Perspectiva Histórica

• Década de 80: poucos estudos na área


(preocupação com temas macroeconômicos)
• Década de 90: retomada dos estudos ->
disponibilização de microdados (PNADs)
• Reis e Barros (1991): distribuição da
educação e distribuição de renda
• Leal e Werlang (1991): taxa de retorno de
investimentos no ensino primário é alta
Brasil
Diferenciais de salário associados à educação são muito
elevados

Figura 4 - Retornos à Educação no Brasil - 2002

18

16

14

12
Razão

10

0
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18

Anos de Estudo
Brasil
Educação “explica” cerca de 50% da desigualdade de renda:
causalidade ou viés de seleção? Lam and Schoeni (1993)
Figura 7 - Educação e Desigualdade - 2002

12

10

8
P90/P10

0
desigualdade desigualdade sem educação
Brasil
Aumento do nível educacional da população...
Figura 8 - Evolução da Educação por Coortes no Brasil
100
90
80
70
% da População

60
50
40
30
20
10
0
1910 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980

elementar 1o elementar 2o médio superior


Não entre os favorecidos
Evolução Educacional Favorecidos

14

12

10

0
7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25
idade

coorte61f coorte66f coorte71f coorte76f coorte81f coorte86f


Mas entre desfavorecidos
Evolução Educacional Desfavorecidos

0
7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25
idade

coorte61d coorte66d coorte71d coorte76d coorte81d coorte86d


Brasil
.. mas desigualdade tem permanecido constante. Por que?

Figura 9 - Distribuição de Renda ao longo do Tempo

100
90
80
70
60
50
40
30
20
10
0
77

79

81

83

85

87

89

91

93

95

97

99
19

19

19

19

19

19

19

19

19

19

19

19
1% mais ricos 2 a 10% 11 a 49% 50% mais pobres
Brasil
1) Evolução foi muito lenta em relação à A.L.
Figura 10 - Evolução Educacional na América Latina e Caribe

12

10

0
1930 1940 1950 1960 1970

Nicarágua El Salvador Brasil México Chile Argentina


Nascimento
Brasil
2) Efeito composição primeiro aumenta desigualdade
Figura 11 - Efeito Composição
0,15

0,1

0,05

0
77

78

79

80

81

82

83

84

85

86

87

88

89

90

91

92

93

94

95

96

97
19

19

19

19

19

19

19

19

19

19

19

19

19

19

19

19

19

19

19

19

19
-0,05

-0,1

-0,15

Retornos Composição Entre-Grupos


Brasil
Figura 11 - Composiçao Educacional e Desigualdade Entre Grupos

0,1

0,08

0,06

0,04

0,02

0
1977 1987 1997 2007 2017 2027 2037
-0,02

-0,04

-0,06

Pessimista Otimista
Brasil
3) Retornos salariais ao nível superior estão crescendo

Diferenciais de Salário entre Níveis Educacionais

2,5

2
Razão

1,5

0,5
1960 1970 1981 1990 2002

fundamental médio superior


Brasil
4) Demanda relativa por nível superior está
aumentando: Fernandes e Menezes-Filho (2004)

Figura 13: Demanda Relativa: Qualificados/ Intermediários

0,9000
0,8000
0,7000
0,6000
0,5000
0,4000
0,3000
0,2000
0,1000
0,0000
-0,1000
1.981

1.982
1.983
1.984
1.985
1.986
1.987

1.988
1.989
1.990

1.991
1.992
1.993

1.994
1.995
1.996

1.997
1.998
1.999
Ano
Brasil
Possíveis soluções para o nível superior:
1) Cotas nas universidades para estudantes de
escolas públicas?
2) Massificação do crédito estudantil?
3) Ampliação das vagas na universidade pública
-> liberalização do acesso ?
4) Melhora da qualidade da educação pública no
ensino médio
Problema Agora: Qualidade

• Mais importante que a quantidade para o


crescimento: Hanushek and Kimko (2000)
• Remuneração depende mais da qualidade
que da quantidade de educação: Curi e
Menezes-Filho (2004)
• Pseudo-Paineis -> acompanham coorte
(estado, sexo cor) nascido em 1977/78 ->
17/18 anos no SAEB 95 (3a serie EM) e
23/24 na PNAD 01.
Qualidade da Educação
• FUNDEF (98): re-distribuir recursos de
acordo com número de alunos em cada U.F.
(Menezes-Filho e Pazello, 2004).
• Aumentou salários dos professores->
melhorou desempenho dos alunos
• Aumento de recursos melhorou qualidade
nos muncípios pobres de NE
• No LP -> ligar remuneração ao desempenho
para manter melhores professores
Conclusões
• Educação é fundamental para entendermos
o problema da desigualdade no Brasil
• Perspectiva de diminuição da desigualdade
no futuro, se diferenciais continuarem
declinando
• Mas o problema da transição para o nível
superior tem que ser resolvido
• Problema principal agora é melhorar a
qualidade da educação pública