You are on page 1of 12

Interdisciplinaridade e o Uso da

Metodologia Interdisciplinar

A interdisciplinaridade trata de uma visão educacional


envolvendo as diversas áreas de estudo, no intuito de
promover uma integração entre disciplinas e
conteúdos, fazendo com que o processo de ensino-
aprendizagem seja centrado em um visão na qual o
ser humano aprende ao longo da sua vida, observando
diversos pontos de observação. O homem passa a ser
o criador de ligações entre as áreas de conhecimento e
é essa ligação que ao interagir com outras viabiliza a
criação de uma rede de saberes.
A interdisciplinaridade promove a busca constante de
novos caminhos e novos desafios, indo além da mera
observação, passando a construir um novo modelo de
aprendizagem.

A interdisciplinaridade na escola busca além de


conseguir unir disciplinas diferentes, construir ligações
entre elas que vão além do conteúdo ensinado.
Textos para leitura complementar:

Interdisciplinaridade: o que é isso?


Jairo Gonçalves Carlos
http://vsites.unb.br/ppgec/dissertacoes/proposicoes/proposicao_jairocarlos.pdf

Uma Postura Interdisciplinar


Thereza Cristina Bordoni
http://www.forumeducacao.hpg.ig.com.br/textos/textos/didat_7.htm

Integração e Interdisciplinaridade: Uma Ação Pedagógica


Delacir A. Ramos Poloni
http://www.cefetsp.br/edu/eso/delacirinter.html

Interdisciplinaridade e Matemática
Nilson José Machado
http://www.proposicoes.fe.unicamp.br/~proposicoes/textos/10-artigos-machadonj.pdf
Prática da Interdisciplinaridade na
Matemática

O critério central é o da contextualização entre a


Matemática e as diversas áreas do conhecimento. É
importante definir o tema a ser trabalhado e saber o
objetivo a ser alcançado com o trabalho realizado.
O processo de desenvolvimento é muito importante
para que seja possível criar as ligações necessárias
entre as diferentes disciplinas, fazendo com que não se
resuma o trabalho a uma simples associação de
conteúdos.

A interdisciplinaridade na escola se caracteriza pelo grau


de interação real entre as disciplinas. É a tentativa de
integração entre as diferentes ciências. É um processo
integrador e articulado, de tal forma que as diferentes
atividades desenvolvidas levem ao mesmo fim. A
interdisciplinaridade se dá em função da prática e do
agir.
Exemplos de atividades interdisciplinares envolvendo
Matemática e outras áreas:

Interdisciplinaridade
Rogério de Aguiar
http://miltonborba.org/CD/Extras/Rogerio/Apres_Interd.ppt (a partir do slide 43)

Interdisciplinaridade na aula de Matemática para o Ensino


Médio
Maria Inês Sparrapan Muniz e Maria Tereza Daroz Mondelli
http://www.sbempaulista.org.br/epem/anais/Oficinas&Cursos%5Cof-38.doc

Interdisciplinaridade no Ensino da Matemática


Marcos Noé
http://www.educador.brasilescola.com/estrategias-ensino/interdisciplinaridade-no-ensino-matematica.htm

Interdisciplinaridade em Ação: Matemática, Física e Biologia


Adriana Castilho, Joana Leite, José Pettersen, Ana Ferreira e Sandra Cunha
http://www.ccmn.ufrj.br/curso/trabalhos/pdf/matematica-trabalhos/funcoesem/trabalhos%20%20aprovados/matem
%E1tica,%20f%EDsica%20e%20biologia%20-%20interdisciplinalidade%20em%20a%E7%E3.pdf
Atividade Proposta

A atividade proposta tem como objetivo didático a


apresentação dos Poliedros Regulares, também
conhecidos como Poliedros de Platão, numa iniciativa
interdisciplinar entre Matemática, História da
Matemática e Educação Artística.
É importante ressaltar no desenvolvimento das aulas os
seguintes pontos a serem abordados:
- Conhecer os aspectos da História relacionados com o
estudo dos poliedros;
- Procurar e selecionar informações históricas a respeito,
explicando principalmente o “quando?”, o “como?” e o
“por que?”;
- Conhecer os poliedros regulares e suas propriedades,
identificando sua planificação;
- Trabalhar o lado artístico na criação de poliedros;
- Identificar a Fórmula de Euler;
- Justificar que só existem cinco poliedros regulares;
- Trabalhar outros conceitos matemáticos, como por
exemplo: razão e proporção, trigonometria, área e
volume, e o que mais puder ser utilizado com a criação
dos poliedros.
Em um primeiro momento o aluno deverá situar-se no
período histórico onde se começou a perceber a
necessidade de entendimento de figuras geométricas,
por exemplo, na resolução de problemas relacionados
às pirâmides, como o cálculo do declive de suas faces.
Desenvolver a utilidade prática mostrando a
necessidade do cálculo do volume e construção dos
objetos, relacionando-o com a realidade da época
antiga e atual. Após isso ele deverá fazer a ligação
entre os poliedros regulares, desde sua descoberta até
as analises feitas por Euler.

A partir de então os alunos serão orientados a construir


seus próprios poliedros. Deverá ser analisado qual o
melhor processo de criação, ou cartolina ou com
canudos e linha.
A partir desse momento, o professor irá direcionar as
aulas para o estudo de cada poliedro criado,
descobrindo suas propriedades e particularidades.
Aplicando então o desenvolvimento de resolução de
problemas.
Essa atividade não trata da resolução imediata de um
problema específico, na verdade ela abrange mais do
que simplesmente a resolução de um problema, mas
sim na construção de uma idéia, na construção de um
pensamento matemático, vivenciado pelo conhecimento
matemático, o estudo do passado e a manipulação de
objetos. Assim, essa atividade tem o objetivo principal,
desenvolver os conhecimentos específicos e
matemáticos dos poliedros regulares, fazendo com que
o aluno perceba o contexto histórico vivido pelos
matemáticos que o estudaram e por fim, criando e
construindo seus próprios poliedros.