You are on page 1of 28

Introdução

Farmacognosia no contexto farmacêutico.

Farmacognosia: ciência farmacêutica que se ocupa


do estudo das drogas e substâncias medicamentosas de
origem natural: vegetal e animal ( incluindo-se o
microbiano). Estuda tanto substâncias com propriedades
terapêuticas como substâncias tóxicas, excipientes ou
outras substâncias de interesse farmacêutico.

vegetais animais minerais

Enfoque principal:
Farmacognosia plantas
medicinais
Farmacognosia no contexto farmacêutico.

FARMACOGNOSIA
Farmacognosia no contexto farmacêutico.

Etnofarmacologia
Botânica Agronomia

Química Farmacognosia Farmacologia

Clínica Toxicologia
Farmacotécnica
Farmacognosia no contexto farmacêutico.

Plantas medicinais e suas finalidades:

 matéria-prima para:
• medicamentos

• alimentos

• cosméticos

• perfumaria

• aromatizantes

• outros
Farmacognosia no contexto farmacêutico.

matéria - prima vegetal

in natura extratos sub-produtos (óleos,


gomas, resinas etc)

uso não tecnológico: uso tecnológico, industrial: indústrias de


popular ou nos serviços medicamentos (fitoterápicos e
de saúde / organizações químicos), alimentos, condimentos,
que trabalham com cosméticos, perfumes, aromas, produtos
matéria-prima vegetal químicos e fitossanitários, pigmentos
(remédios) etc. etc.
Farmacognosia no contexto farmacêutico.

Alguns conceitos:
• planta medicinal

• droga

• princípio ativo

• medicamento fitoterápico

• remédio
Farmacognosia no contexto farmacêutico.

planta medicinal X droga


Farmacognosia no contexto farmacêutico.

princípio (s) ativo (s)


Farmacognosia no contexto farmacêutico.

medicamento fitoterápico

• Homeopatia : medicamento homeopático

• Alopatia : medicamento químico

medicamento fitoterápico : abordagem oriental : chinesa

indiana

abordagem ocidental : clínico

popular
Farmacognosia no contexto farmacêutico.

Plantas Medicinais

planta in extrato extrato princípio ativo


natura total purificado isolado

fitocomplexo purificação semi-síntese

remédio
fitoterápico
medicamento fitoterápico medicamento químico
Farmacognosia no contexto farmacêutico.

medicamento X remédio
Farmacognosia no contexto farmacêutico.

medicamento (fitoterápico)  indústria


Formas farmacêuticas:
• extratos (secos, moles, fluidos)

• alcoolaturas
• xaropes
• f. f. semi-sólidas (gel, creme, ungüento...)
• comprimidos
• cápsulas (moles, duras)
• granulados
Farmacognosia no contexto farmacêutico.

Formas farmacêuticas: fitoterápicos


Farmacognosia no contexto farmacêutico.

Formas farmacêuticas: fitoterápicos


Farmacognosia no contexto farmacêutico.

Formas farmacêuticas: fitoterápicos


Farmacognosia no contexto farmacêutico.

Formas farmacêuticas: fitoterápicos


Farmacognosia no contexto farmacêutico.

remédio  artesanal/caseiro
Formas farmacêuticas:

 banho  óleos
 cataplasma  tintura
 compressa  sumo ou suco
 decocção  pó
 inalação  vinho
 infusão  ungüento e pomada
 maceração  xarope
Farmacognosia no contexto farmacêutico.

Formas farmacêuticas: remédios caseiros


Farmacognosia no contexto farmacêutico.

Formas farmacêuticas: remédios caseiros


Farmacognosia no contexto farmacêutico.

Formas farmacêuticas: remédios caseiros


Farmacognosia no contexto farmacêutico.

Formas farmacêuticas: remédios caseiros


Farmacognosia no contexto farmacêutico.

medicam. fitoterápico X matéria-prima (droga)


Farmacognosia no contexto profissional transdisciplinar.

transfor-
mação

produção utilização
Farmacognosia no contexto histórico.

PÍO FONT QUER, 2002: ano hipotético

A 1370 anos = 1 dia B

A = 500.000 anos atrás // 1o de janeiro C


B = dias de hoje // 31 de dezembro

C = 5.000 a.C. // 26 de dezembro, à noite  grandes


descobertas da idade da pedra

Desenvolvimento do primeiro medicamento sintético (aspirina)


 1897 // 31 de dezembro, depois das 22h00
Farmacognosia no contexto histórico.

“A idéia desenvolvimentista foi e é cega perante as


riquezas culturais das sociedades arcaicas ou
tradicionais, vistas unicamente através das lentes
economistas e quantitativas. Ela reconheceu nestas
culturas apenas idéias falsas, ignorância,
superstições, sem imaginar que elas continham
instituições profundas, saberes milenarmente
acumulados, sabedorias de vida e valores éticos
atrofiados entre nós... Vivemos a ilusão de termos
chegado ao auge da racionalidade e de sermos
depositários exclusivos desta.”
EDGAR MORIN, 2000.
Farmacognosia no contexto histórico.

0: início da humanidade

Plantas Medicinais: produção, uso, eficácia,


aplicabilidade, toxicidade... conhecidos,
consolidados e indiscutíveis.

Séc. XX: tecnologia


• novos paradigmas: “revolução verde”;
“resolução tecnológica de vida”
• descarte do tradicional; tecnologia =
inovação e não tradição

Anos 90: percepção do equívoco =


“volta ao verde”.
Uso da tecnologia em favor das plantas
medicinais.
Chega por hoje?

Então... Até a próxima aula!