You are on page 1of 17

LITERATURA

Prof. Sony
MODERNISMO – 1ª FASE - EXERCÍCIOS
1/5
1. (PUC - PR-2007) Assinale a alternativa correta para as características do
Modernismo de 1922, também chamado de “fase heroica”.
a) espírito polêmico e destruidor, valorização poética do cotidiano,
nacionalismo, busca da originalidade a qualquer preço.
b) Temática ampla com preocupação filosófica, predomínio do romance
regionalista, valorização do cotidiano, nacionalismo.
c) Espírito polêmico, busca da originalidade, predomínio do romance
psicológico, valorização da cidade e das máquinas.
d) Visão futurista, espírito polêmico e destruidor, predomínio da prosa
poética, valorização da cidade e das máquinas.
e) Valorização poética do cotidiano, linguagem repleta de neologismos,
nacionalismo e busca da poesia na natureza.
2. (PUCSP) A Semana de Arte Moderna (1922), expressão de um movimento
cultural que atingiu todas as nossas manifestações artísticas, surgiu de uma
rejeição ao chamado colonialismo mental, pregava uma maior fidelidade à
realidade brasileira e valorizava sobretudo o regionalismo. Com isto pode-se dizer
que:
a) romance regional assumiu características de exaltação, retratando os aspectos
românticos da vida sertaneja.
b) a escultura e a pintura tiveram seu apogeu com a valorização dos modelos
clássicos.
c) movimento redescobriu o Brasil, revitalizando os temas nacionais e
reinterpretando nossa realidade.
d) os modelos arquitetônicos do período buscaram sua inspiração na tradição do
barroco português.
e) a preocupação dominante dos autores foi com o retratar os males da
colonização.
3. (UFPE)
I. Com o Modernismo, desenvolveu-se a preocupação de valorizar nossa
tradição artística, sobretudo teve início um verdadeiro trabalho de retomada
crítica da nossa produção literária do passado.
II. A Semana de Arte Moderna foi, não resta dúvida, um acontecimento
marcado por ideias renovadoras; não se pode negar, contudo, o fato de ter
desencadeado certas consequências negativas; uma delas, por exemplo, foi
certo clima de intranquilidade, tanto no aspecto social como no ideológico.
III. A primeira fase do movimento modernista no Brasil foi marcada por um
comportamento iconoclasta; a utilização do poema-piada, da liberdade de
expressão, do coloquialismo na linguagem literária atestam certo nível de
irreverência típica dessa fase.
Responda:
a) se as três estiverem certas
b) se I e II estiverem certas.
c) se II e III estiverem certas.
d) se I e III estiverem certas.
e) se nenhuma estiver certa.
4. (FIUbe-MG) A poesia modernista, sobretudo a da primeira fase (1922-1928):

a) utiliza-se de vocabulário sempre vago e ambíguo que apreenda estados de


espírito subjetivos e indefiníveis.
b) faz uma síntese dos pressupostos poéticos que norteavam a linguagem
parnasiano-simbolista.
c) incentiva a pesquisa formal com base nas conquistas parnasianas, a ela
anteriores.
d) enriquece e dinamiza a linguagem, inspirando-se na sintaxe clássica.
e) confere ao nível coloquial da fala brasileira a categoria de valor literário.
5. (FCMSCSP)

"3 de maio
Aprendi com meu filho de dez anos
Que a poesia é a descoberta
Das coisas que eu nunca vi."
(Oswald de Andrade)

As cinco alternativas apresentam afirmações extraídas do Manifesto da


Poesia Pau-Brasil; assinale a que está relacionada com o poema "3 de
maio".
a) “Só não se inventou uma máquina de fazer versos – já havia o poeta
parnasiano.“
b) "... contra a morbidez romântica – pelo equilíbrio geômetro e pelo
acabamento técnico.“
c) "Nenhuma fórmula para a contemporânea expressão do mundo. Ver
com os olhos livres.“
d) "A poesia Pau-Brasil é uma sala de jantar domingueira, com
passarinhos cantando na mata resumida das gaiolas...“
e) "Temos a base dupla e presente – a floresta e a escola."
6. (FEBASP) "Não sendo um personagem, mas um símbolo, ..... está ao
mesmo tempo no passado e no presente, no sul e no norte do Brasil. Ele é, de
resto, intemporal e supergeográfico como, por um lado, será mais americano
que brasileiro..." (Wilson Martins).

Estes dados referem-se a:


a) Peri.
b) Macunaíma.
c) Augusto Matraga.
d) Jeca Tatu.
e) Martim.
7. (F. de Ciências e Letras Pe. Anchieta-SP) Passando de maneira brusca do
primitivo solene à crônica jocosa e à paródia, Mário de Andrade jogou
sabiamente com níveis de consciência e de comunicação diversos, justificando
plenamente o título de rapsódia, mais que "romance", à obra que se trata de:

a) A escrava que não é Isaura.


b) Macunaíma.
c) Paulicéia desvairada.
d) Losango cáqui.
e) Empalhador de passarinhos.
8. Erro de português
Quando o português chegou
Debaixo de uma bruta chuva
Vestiu o índio
Que pena!
Fosse uma manhã de sol
O índio tinha despido
O português.
(Oswald de Andrade)

Sobre o poema de Oswald de Andrade, estão corretas as seguintes


proposições:
I. Faz uma crítica contra a colonização portuguesa na Brasil. Essa crítica pode
ser confirmada a partir do título do poema, o qual contém uma ambiguidade
intencional.
II. Nesse poema, a temática do relacionamento amoroso é abordada de
maneira inovadora, distante da idealização romântica proposta pelos
ultrarromânticos.
III. O poema utiliza elementos como o humor, a ironia e o sarcasmo para
relatar a chegada do português em terras brasileiras.
IV. Apropria-se de uma linguagem simples e prosaica para fazer uma reflexão
profunda e complexa.
V. No poema de Oswald nota-se a preocupação com a métrica, a versificação
e a rima, embora o conteúdo do poema seja inovador.
a) I, II e IV.
b) II, III e V.
c) I, III e IV.
d) III e IV,
e) II e V.
9.

MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA. Oswald de Andrade: o culpado de


tudo.
27 set. 2011 a 29 jan. 2012. São Paulo: Prol Gráfica, 2012.
O poema de Oswald de Andrade remonta à ideia de que a brasilidade está
relacionada ao futebol. Quanto à questão da identidade nacional, as
anotações em torno dos versos constituem
a) direcionamentos possíveis para uma leitura crítica de dados histórico-
culturais.
b) forma clássica da construção poética brasileira.
c) rejeição à ideia do Brasil como o país do futebol.
d) intervenções de um leitor estrangeiro no exercício de leitura poética.
e) lembretes de palavras tipicamente brasileiras substitutivas das originais.
10. (Unijuí-RS) Macunaíma, o herói sem nenhum caráter, de Mário de
Andrade, é considerado um livro revolucionário porque:

a) em linguagem inventiva compõe o perfil de um herói multifacetado.


Inspira-se no folclore indígena da Amazônia, mas os acontecimentos são
desgeografizados.
b) é um romance dos denominados "romances de 30" e uma de suas
características é a denúncia social.
c) todo seu discurso narrativo se confunde com o poético e sua tensão recai
sempre sobre coisas ou acontecimentos insólitos do cotidiano.
d) o autor pretende, com sua escritura, ser o ordenador do caos que é esse
país.
e) a personagem principal transpõe uma "travessia" tanto existencial quanto
geográfica.
11. (VUNESP-SP)
Irene preta/ Irene boa/ Irene sempre de bom humor/ Imagino Irene entrando
no céu:/ Licença, meu branco! / E São Pedro bonachão: / Entra, Irene, você
não precisa pedir licença.

Pode-se enquadrar o poema acima no Modernismo, pois o poeta


a) constrói uma associação anárquica de ideias.
b) expressa nitidamente preocupação com as coisas do cotidiano.
c) incorpora aspectos da modalidade coloquial da linguagem.
d) volta-se para a valorização dos aspectos formais.
e) emprega linguagem conotativa.